SlideShare uma empresa Scribd logo
SEVERINO ARAUJO
Ligacoes ou
Interacoes
Quimicas
Parte II: Unidade E - Cap: 13, 14 e 15 - pag: 194 -234
Três grupos de Substâncias:
Três tipos de Ligações Químicas:
Substâncias Iônicas
Substâncias Moleculares
Substâncias Metálicas
Ligações Iônicas
Ligações Covalentes
Ligações Metálicas
 A regra do Octeto
 Gases Nobres
 Formação de íons e ligação Iônico
 Escrevendo a fórmula de um composto Iônico
 Metais têm tendência a formar cátions,
ou seja, perder elétrons.
 Não-metais têm tendência a formar
ânions, ou seja, ganhar elétrons.
 Interações Eletrostáticas
 Propriedades dos compostos de metais e não-
metais (composto Iônico)
 Ponto de Fusão (ºC)
 Ponto de Ebulição (ºC)
 Conduzem corrente elétrica
OBS: As substâncias formadas por metais e não-metais
apresentam elevados pontos de fusão e ebulição, conduzem
elétrica no estado líquido, mas não no estado sólido.
SEVERINO ARAUJO
Esta ligação ocorre devido à ATRAÇÃO
ELETROSTÁTICA entre íons de cargas opostas.
Na ligação iônica os átomos ligantes apresentam uma
grande diferença de eletronegatividade, isto é, um é
METAL e o outro AMETAL.
Ex:
LIGAÇÃO ENTRE O SÓDIO (Z = 11) E CLORO (Z = 17)
Na (Z = 11) 1s2 2s2 2p6 3s1
PERDE 1 ELÉTRON
Cl (Z = 17) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p5
RECEBE 1 ELÉTRON
Para compostos iônicos poderemos usar na obtenção
da fórmula final o seguinte esquema geral
SEVERINO ARAUJO
Tendência
a Perder (+) Elétrons
Tendência
a Ganhar (-) Elétrons
SEVERINO ARAUJO
A principal característica desta ligação é o
compartilhamento (formação de pares) de elétrons entre
os dois átomos ligantes.
Os átomos que participam da ligação covalente são
AMETAIS, SEMIMETAIS e o HIDROGÊNIO.
Os pares de elétrons compartilhados são contados para
os dois átomos ligantes.
SEVERINO ARAUJO
Tipos de Ligações Covalentes:
Covalente Normal ou Simples.
Covalente Coordenada ou Dativa
SEVERINO ARAUJO
É quando cada um dos átomos ligantes contribui com
um elétron para a formação do par
Ex: Consideremos, a união entre dois átomos do
ELEMENTO HIDROGÊNIO (H) para formar a molécula
da substância SIMPLES HIDROGÊNIO (H2)
SEVERINO ARAUJO
SEVERINO ARAUJO
NÚMERO DE VALÊNCIA
Número de ligações covalentes normais e dativas que um
átomo é capaz de formar.
Covalente Coordenada ou Dativa
 Propriedades dos compostos de Ametais e
semimetais (composto covalente)
 Ponto de Fusão (ºC)
 Ponto de Ebulição (ºC)
 Não conduzem corrente elétrica
OBS: As substâncias formadas por união de ametais
apresentam pontos de fusão e ebulição relativamente baixos
e não conduzem corrente elétrica nos estados líquido e
sólido.
SEVERINO ARAUJO
 GEOMETRIA MOLECULAR
 LIGAÇÕES INTERMOLECULARES
 Para prevermos a forma molecular, supomos que os
elétrons de valência se repelem e, conseqüentemente, a
molécula assume qualquer geometria 3D que minimize
essa repulsão.
 A forma espacial de uma molécula é determinada por
seus ângulos de ligação entre os átomos.
GEOMETRIA MOLECULAR
2ª Nota
do
Bimestre
SEVERINO ARAÚJO
NÚMERO DE VALÊNCIA
Número de ligações covalentes normais e dativas que um átomo é
capaz de formar.
GEOMETRIA MOLECULAR
SEVERINO ARAÚJO
SEVERINO ARAÚJO
 Ao considerarmos a geometria ao redor do átomo central,
consideramos todos os elétrons (pares solitários e pares
ligantes).
 Quando damos nome à geometria molecular, focalizamos
somente na posição dos átomos.
GEOMETRIA MOLECULAR
GEOMETRIA MOLECULAR
POLARIDADE DAS MOLECULAS
POLARIDADE DAS lIGAÇÕES
1ª) Dados os compostos covalentes, com as respectivas
estruturas:
I. BeH2.
II. CH4.
III. H2O.
IV. BF3.
V. NH3.
Dê as geometrias moleculares e a polaridade de cada item
acima.
Revisao
2ª) Um elemento X, com 6 elétrons na camada de valência, combina-se
com o hidrogênio (H). A fórmula do composto formado é:
3ª) Átomos do elemento X (Z = 20) e do elemento Y (Z = 7) unem-se por
ligações iônicas originando o composto de fórmula:
4ª) As moléculas do CH4 e NH3 apresentam, as seguintes respectivamente,
as seguintes geometrias:
5ª) Dados os compostos covalentes, com as respectivas estruturas:
•BeH2 - Linear.
•CH4 - Tetraédrica.
•H2O - Linear.
•BF3 - Piramidal.
•NH3 - Trigonal plana.
6ª) Para adquirir configuração eletrônica de um gás nobre, o átomo de
Enxofre (S) de número atômico (Z) igual a 16 deve:
9ª) Um elemento químico de configuração eletrônica 1s2 2s2
2p6 3s2 3p5 possui forte tendência para:
8ª) Para que átomos de enxofre S(Z = 16) e potássio K(Z =
19) adquiram configuração eletrônica igual à de um gás
nobre, é necessário que:
7ª) Assinale a alternativa que apresenta o composto com
ligação química iônica?
a) CO2.
b) HCl.
c) NaCl.
d) H2O.
e) CH4.
10ª) Entre seus componentes, além do SiO2, estão o óxido de
magnésio (MgO) e o óxido de alumínio (Al2O3).
Em relação ao composto MgO, analise as afirmativas:
I. A ligação entre o magnésio e o oxigênio se dá por
transferência de elétrons, sendo classificada como
ligação iônica.
II. Os átomos não alcançaram a configuração do gás nobre
após a ligação.
III. Após a ligação entre os átomos de magnésio e oxigênio,
há formação de um cátion Mg2+ e um ânion O2–.
Dados: Mg (Z = 12) e O (Z = 8)
Esta(ão) correta(s):
11ª) Os elementos P(Z = 15) e F(Z = 9) podem combinar-se
formando a substância:
a) PF, covalente.
b) PF3, covalente.
c) PF2, iônica.
d) PF2, covalente.
e) PF3, iônica.
12ª) A água (H2O), o sal de cozinha (NaCl) e o butano (CH4)
principal componente do gás de cozinha são substâncias
químicas que utilizamos diariamente para o preparo de
alimentos. Esses compostos têm suas estruturas constituídas,
respectivamente, por ligações do tipo:
SEVERINO ARAÚJO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aulas 19 e 20 - Ligações Químicas
Aulas 19 e 20 - Ligações QuímicasAulas 19 e 20 - Ligações Químicas
Aulas 19 e 20 - Ligações Químicas
Felipe Ribeiro de Siqueira
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
Efraim Lima
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
Roberto Bagatini
 
Ligações químicas (Resumo Geral)
Ligações químicas (Resumo Geral)Ligações químicas (Resumo Geral)
Ligações químicas (Resumo Geral)
Renata Gonçalves
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
Profª Alda Ernestina
 
Aula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamento
Aula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamentoAula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamento
Aula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamento
José Roberto Mattos
 
Ligações interatômicas
Ligações interatômicasLigações interatômicas
Ligações interatômicas
Bio Sem Limites
 
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1
Abraão Matos
 
Ligações Covalenntes
Ligações CovalenntesLigações Covalenntes
Ligações Covalenntes
Telso M Ferreira Junior
 
Ligações químicas
Ligações químicas Ligações químicas
Ligações químicas
Andreza Pflanzer
 
Ligacao quimica (introdução)
Ligacao quimica (introdução)Ligacao quimica (introdução)
Ligacao quimica (introdução)
cmdantasba
 
Ligação covalente e geometria molecular
Ligação covalente e geometria molecularLigação covalente e geometria molecular
Ligação covalente e geometria molecular
António Gonçalves
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
Nai Mariano
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
José Nunes da Silva Jr.
 
Propriedades das ligações
Propriedades das ligaçõesPropriedades das ligações
Propriedades das ligações
Lucas Mariano da Cunha e Silva
 
Geometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularGeometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecular
Isabella Silva
 
Ligações químicas
Ligações químicas  Ligações químicas
Ligações químicas
Adrianne Mendonça
 
Ligação iônica
Ligação iônicaLigação iônica
Ligação iônica
João Paulo Souza dos Santos
 
Ligações iônicas gm 5
Ligações iônicas   gm 5Ligações iônicas   gm 5
Ligações iônicas gm 5
nathaliafpaiva
 
Ligações química
Ligações químicaLigações química
Ligações química
José Antonio Paniagua
 

Mais procurados (20)

Aulas 19 e 20 - Ligações Químicas
Aulas 19 e 20 - Ligações QuímicasAulas 19 e 20 - Ligações Químicas
Aulas 19 e 20 - Ligações Químicas
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Ligações químicas (Resumo Geral)
Ligações químicas (Resumo Geral)Ligações químicas (Resumo Geral)
Ligações químicas (Resumo Geral)
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
 
Aula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamento
Aula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamentoAula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamento
Aula atualizada 1ºano ligações químicas aprofundamento
 
Ligações interatômicas
Ligações interatômicasLigações interatômicas
Ligações interatômicas
 
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1
 
Ligações Covalenntes
Ligações CovalenntesLigações Covalenntes
Ligações Covalenntes
 
Ligações químicas
Ligações químicas Ligações químicas
Ligações químicas
 
Ligacao quimica (introdução)
Ligacao quimica (introdução)Ligacao quimica (introdução)
Ligacao quimica (introdução)
 
Ligação covalente e geometria molecular
Ligação covalente e geometria molecularLigação covalente e geometria molecular
Ligação covalente e geometria molecular
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
Propriedades das ligações
Propriedades das ligaçõesPropriedades das ligações
Propriedades das ligações
 
Geometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularGeometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecular
 
Ligações químicas
Ligações químicas  Ligações químicas
Ligações químicas
 
Ligação iônica
Ligação iônicaLigação iônica
Ligação iônica
 
Ligações iônicas gm 5
Ligações iônicas   gm 5Ligações iônicas   gm 5
Ligações iônicas gm 5
 
Ligações química
Ligações químicaLigações química
Ligações química
 

Destaque

Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofia
Estude Mais
 
A dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosferaA dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosfera
Estude Mais
 
A formação dos solos
A formação dos solosA formação dos solos
A formação dos solos
Estude Mais
 
Revisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enemRevisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enem
Estude Mais
 
Teoria da Evolução
Teoria da EvoluçãoTeoria da Evolução
Teoria da Evolução
Estude Mais
 
Revendo ligações v2
Revendo ligações v2Revendo ligações v2
Revendo ligações v2
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
CEET_ Aula de Ligações metálicas
CEET_ Aula de Ligações metálicasCEET_ Aula de Ligações metálicas
CEET_ Aula de Ligações metálicas
PCachoeira
 
Capitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da ObraCapitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da Obra
Estude Mais
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
Erica Frau
 
Substâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substânciasSubstâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substâncias
Isadora Girio
 
Metais e seus comportamentos
Metais e seus comportamentosMetais e seus comportamentos
Metais e seus comportamentos
Isadora Girio
 
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos GasesTransformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
Estude Mais
 
Quimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOLQuimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOL
Estude Mais
 
Ligaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licasLigaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licas
Augusto Sérgio Costa Souza
 
Biomas - resumo
Biomas - resumoBiomas - resumo
Biomas - resumo
Estude Mais
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
Erica Frau
 
Lista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matrizLista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matriz
Estude Mais
 
Estruturas de Aço e Madeira
Estruturas de Aço e MadeiraEstruturas de Aço e Madeira
Estruturas de Aço e Madeira
marcopesoa
 
Biomas Mundiais
Biomas MundiaisBiomas Mundiais
Biomas Mundiais
Estude Mais
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Estude Mais
 

Destaque (20)

Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofia
 
A dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosferaA dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosfera
 
A formação dos solos
A formação dos solosA formação dos solos
A formação dos solos
 
Revisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enemRevisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enem
 
Teoria da Evolução
Teoria da EvoluçãoTeoria da Evolução
Teoria da Evolução
 
Revendo ligações v2
Revendo ligações v2Revendo ligações v2
Revendo ligações v2
 
CEET_ Aula de Ligações metálicas
CEET_ Aula de Ligações metálicasCEET_ Aula de Ligações metálicas
CEET_ Aula de Ligações metálicas
 
Capitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da ObraCapitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da Obra
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
 
Substâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substânciasSubstâncias e misturas de substâncias
Substâncias e misturas de substâncias
 
Metais e seus comportamentos
Metais e seus comportamentosMetais e seus comportamentos
Metais e seus comportamentos
 
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos GasesTransformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
 
Quimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOLQuimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOL
 
Ligaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licasLigaã§ãµes metã¡licas
Ligaã§ãµes metã¡licas
 
Biomas - resumo
Biomas - resumoBiomas - resumo
Biomas - resumo
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
 
Lista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matrizLista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matriz
 
Estruturas de Aço e Madeira
Estruturas de Aço e MadeiraEstruturas de Aço e Madeira
Estruturas de Aço e Madeira
 
Biomas Mundiais
Biomas MundiaisBiomas Mundiais
Biomas Mundiais
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 

Semelhante a Ligações quimicas

Física química
Física químicaFísica química
Ligações Químicas.ppt
Ligações Químicas.pptLigações Químicas.ppt
Ligações Químicas.ppt
ThiagoAlmeida458596
 
Unidade 01 Teoria Estrutural
Unidade 01   Teoria EstruturalUnidade 01   Teoria Estrutural
Unidade 01 Teoria Estrutural
José Nunes da Silva Jr.
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
VaniaMaria37
 
Ligações Químicas.pptx
Ligações Químicas.pptxLigações Químicas.pptx
Ligações Químicas.pptx
LeonardoGomes958253
 
AULA 7.ppt
AULA 7.pptAULA 7.ppt
AULA 7.ppt
LopesSilvaJunior
 
Exerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligaçõesExerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligações
Renata Martins
 
Caderno5
Caderno5Caderno5
Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2
Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2
Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2
VALDOMIRO PEREIRA DE PEREIRA DE SOUZA JUNIOR
 
Alfa módulo 10
Alfa   módulo 10Alfa   módulo 10
Alfa módulo 10
Fabrícia Martins
 
Lista lq
Lista lqLista lq
Lista lq
Unioeste
 
Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.pptGeometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Lalyson Matheus
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
CristianoRamosSilva1
 
Simulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicasSimulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
aula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestal
aula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestalaula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestal
aula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestal
gnetter
 
Aula de química ligação química estrutura
Aula de química ligação química estruturaAula de química ligação química estrutura
Aula de química ligação química estrutura
MarcosArcanjo11
 
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Unidade8 cgabarito
Unidade8 cgabaritoUnidade8 cgabarito
2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx
BentoLopes5
 
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicasAula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Augusto Sérgio Costa Souza
 

Semelhante a Ligações quimicas (20)

Física química
Física químicaFísica química
Física química
 
Ligações Químicas.ppt
Ligações Químicas.pptLigações Químicas.ppt
Ligações Químicas.ppt
 
Unidade 01 Teoria Estrutural
Unidade 01   Teoria EstruturalUnidade 01   Teoria Estrutural
Unidade 01 Teoria Estrutural
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
 
Ligações Químicas.pptx
Ligações Químicas.pptxLigações Químicas.pptx
Ligações Químicas.pptx
 
AULA 7.ppt
AULA 7.pptAULA 7.ppt
AULA 7.ppt
 
Exerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligaçõesExerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligações
 
Caderno5
Caderno5Caderno5
Caderno5
 
Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2
Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2
Roteiro de Estudos Química L2 Unid 2
 
Alfa módulo 10
Alfa   módulo 10Alfa   módulo 10
Alfa módulo 10
 
Lista lq
Lista lqLista lq
Lista lq
 
Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.pptGeometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
 
Simulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicasSimulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicas
 
aula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestal
aula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestalaula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestal
aula sobre ligacao quimica 0ara engenharia florestal
 
Aula de química ligação química estrutura
Aula de química ligação química estruturaAula de química ligação química estrutura
Aula de química ligação química estrutura
 
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
 
Unidade8 cgabarito
Unidade8 cgabaritoUnidade8 cgabarito
Unidade8 cgabarito
 
2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx2. Interações Intramoleculares.pptx
2. Interações Intramoleculares.pptx
 
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicasAula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
Aula sobre ligaã§ãµes iã´nicas
 

Mais de Estude Mais

Exercício sobre Evolução
Exercício sobre EvoluçãoExercício sobre Evolução
Exercício sobre Evolução
Estude Mais
 
Exercicios de estatistica
Exercicios de estatisticaExercicios de estatistica
Exercicios de estatistica
Estude Mais
 
O que é um seminario
O que é um seminarioO que é um seminario
O que é um seminario
Estude Mais
 
Guia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de semináriosGuia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de seminários
Estude Mais
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
Estude Mais
 
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enemCilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Estude Mais
 
Exercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enemExercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enem
Estude Mais
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
Estude Mais
 
Ecologia comunidades
Ecologia comunidadesEcologia comunidades
Ecologia comunidades
Estude Mais
 
Sucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomasSucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomas
Estude Mais
 
Melhoramento genetico
Melhoramento geneticoMelhoramento genetico
Melhoramento genetico
Estude Mais
 
Questoes do enem de portugues
Questoes do enem de portuguesQuestoes do enem de portugues
Questoes do enem de portugues
Estude Mais
 
Populacoes Biologicas
Populacoes BiologicasPopulacoes Biologicas
Populacoes Biologicas
Estude Mais
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
Estude Mais
 
Regime liberal populista
Regime liberal populistaRegime liberal populista
Regime liberal populista
Estude Mais
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
Estude Mais
 
Exercicios de Matematica
Exercicios de MatematicaExercicios de Matematica
Exercicios de Matematica
Estude Mais
 
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Estude Mais
 
Energia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemasEnergia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemas
Estude Mais
 
Exercicio de polinomios
Exercicio de polinomiosExercicio de polinomios
Exercicio de polinomios
Estude Mais
 

Mais de Estude Mais (20)

Exercício sobre Evolução
Exercício sobre EvoluçãoExercício sobre Evolução
Exercício sobre Evolução
 
Exercicios de estatistica
Exercicios de estatisticaExercicios de estatistica
Exercicios de estatistica
 
O que é um seminario
O que é um seminarioO que é um seminario
O que é um seminario
 
Guia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de semináriosGuia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de seminários
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
 
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enemCilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
 
Exercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enemExercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enem
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
 
Ecologia comunidades
Ecologia comunidadesEcologia comunidades
Ecologia comunidades
 
Sucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomasSucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomas
 
Melhoramento genetico
Melhoramento geneticoMelhoramento genetico
Melhoramento genetico
 
Questoes do enem de portugues
Questoes do enem de portuguesQuestoes do enem de portugues
Questoes do enem de portugues
 
Populacoes Biologicas
Populacoes BiologicasPopulacoes Biologicas
Populacoes Biologicas
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
 
Regime liberal populista
Regime liberal populistaRegime liberal populista
Regime liberal populista
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
Exercicios de Matematica
Exercicios de MatematicaExercicios de Matematica
Exercicios de Matematica
 
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
 
Energia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemasEnergia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemas
 
Exercicio de polinomios
Exercicio de polinomiosExercicio de polinomios
Exercicio de polinomios
 

Último

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 

Último (20)

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 

Ligações quimicas

  • 1. SEVERINO ARAUJO Ligacoes ou Interacoes Quimicas Parte II: Unidade E - Cap: 13, 14 e 15 - pag: 194 -234
  • 2. Três grupos de Substâncias: Três tipos de Ligações Químicas: Substâncias Iônicas Substâncias Moleculares Substâncias Metálicas Ligações Iônicas Ligações Covalentes Ligações Metálicas
  • 3.  A regra do Octeto  Gases Nobres
  • 4.  Formação de íons e ligação Iônico  Escrevendo a fórmula de um composto Iônico  Metais têm tendência a formar cátions, ou seja, perder elétrons.  Não-metais têm tendência a formar ânions, ou seja, ganhar elétrons.  Interações Eletrostáticas
  • 5.  Propriedades dos compostos de metais e não- metais (composto Iônico)  Ponto de Fusão (ºC)  Ponto de Ebulição (ºC)  Conduzem corrente elétrica OBS: As substâncias formadas por metais e não-metais apresentam elevados pontos de fusão e ebulição, conduzem elétrica no estado líquido, mas não no estado sólido.
  • 6. SEVERINO ARAUJO Esta ligação ocorre devido à ATRAÇÃO ELETROSTÁTICA entre íons de cargas opostas. Na ligação iônica os átomos ligantes apresentam uma grande diferença de eletronegatividade, isto é, um é METAL e o outro AMETAL. Ex: LIGAÇÃO ENTRE O SÓDIO (Z = 11) E CLORO (Z = 17) Na (Z = 11) 1s2 2s2 2p6 3s1 PERDE 1 ELÉTRON Cl (Z = 17) 1s2 2s2 2p6 3s2 3p5 RECEBE 1 ELÉTRON
  • 7. Para compostos iônicos poderemos usar na obtenção da fórmula final o seguinte esquema geral SEVERINO ARAUJO
  • 8. Tendência a Perder (+) Elétrons Tendência a Ganhar (-) Elétrons SEVERINO ARAUJO
  • 9. A principal característica desta ligação é o compartilhamento (formação de pares) de elétrons entre os dois átomos ligantes. Os átomos que participam da ligação covalente são AMETAIS, SEMIMETAIS e o HIDROGÊNIO. Os pares de elétrons compartilhados são contados para os dois átomos ligantes. SEVERINO ARAUJO
  • 10. Tipos de Ligações Covalentes: Covalente Normal ou Simples. Covalente Coordenada ou Dativa SEVERINO ARAUJO
  • 11. É quando cada um dos átomos ligantes contribui com um elétron para a formação do par Ex: Consideremos, a união entre dois átomos do ELEMENTO HIDROGÊNIO (H) para formar a molécula da substância SIMPLES HIDROGÊNIO (H2) SEVERINO ARAUJO
  • 12. SEVERINO ARAUJO NÚMERO DE VALÊNCIA Número de ligações covalentes normais e dativas que um átomo é capaz de formar. Covalente Coordenada ou Dativa
  • 13.  Propriedades dos compostos de Ametais e semimetais (composto covalente)  Ponto de Fusão (ºC)  Ponto de Ebulição (ºC)  Não conduzem corrente elétrica OBS: As substâncias formadas por união de ametais apresentam pontos de fusão e ebulição relativamente baixos e não conduzem corrente elétrica nos estados líquido e sólido.
  • 15.  GEOMETRIA MOLECULAR  LIGAÇÕES INTERMOLECULARES  Para prevermos a forma molecular, supomos que os elétrons de valência se repelem e, conseqüentemente, a molécula assume qualquer geometria 3D que minimize essa repulsão.  A forma espacial de uma molécula é determinada por seus ângulos de ligação entre os átomos. GEOMETRIA MOLECULAR 2ª Nota do Bimestre
  • 16. SEVERINO ARAÚJO NÚMERO DE VALÊNCIA Número de ligações covalentes normais e dativas que um átomo é capaz de formar. GEOMETRIA MOLECULAR
  • 19.  Ao considerarmos a geometria ao redor do átomo central, consideramos todos os elétrons (pares solitários e pares ligantes).  Quando damos nome à geometria molecular, focalizamos somente na posição dos átomos. GEOMETRIA MOLECULAR
  • 20. GEOMETRIA MOLECULAR POLARIDADE DAS MOLECULAS POLARIDADE DAS lIGAÇÕES
  • 21. 1ª) Dados os compostos covalentes, com as respectivas estruturas: I. BeH2. II. CH4. III. H2O. IV. BF3. V. NH3. Dê as geometrias moleculares e a polaridade de cada item acima. Revisao
  • 22. 2ª) Um elemento X, com 6 elétrons na camada de valência, combina-se com o hidrogênio (H). A fórmula do composto formado é: 3ª) Átomos do elemento X (Z = 20) e do elemento Y (Z = 7) unem-se por ligações iônicas originando o composto de fórmula: 4ª) As moléculas do CH4 e NH3 apresentam, as seguintes respectivamente, as seguintes geometrias: 5ª) Dados os compostos covalentes, com as respectivas estruturas: •BeH2 - Linear. •CH4 - Tetraédrica. •H2O - Linear. •BF3 - Piramidal. •NH3 - Trigonal plana. 6ª) Para adquirir configuração eletrônica de um gás nobre, o átomo de Enxofre (S) de número atômico (Z) igual a 16 deve:
  • 23. 9ª) Um elemento químico de configuração eletrônica 1s2 2s2 2p6 3s2 3p5 possui forte tendência para: 8ª) Para que átomos de enxofre S(Z = 16) e potássio K(Z = 19) adquiram configuração eletrônica igual à de um gás nobre, é necessário que: 7ª) Assinale a alternativa que apresenta o composto com ligação química iônica? a) CO2. b) HCl. c) NaCl. d) H2O. e) CH4.
  • 24. 10ª) Entre seus componentes, além do SiO2, estão o óxido de magnésio (MgO) e o óxido de alumínio (Al2O3). Em relação ao composto MgO, analise as afirmativas: I. A ligação entre o magnésio e o oxigênio se dá por transferência de elétrons, sendo classificada como ligação iônica. II. Os átomos não alcançaram a configuração do gás nobre após a ligação. III. Após a ligação entre os átomos de magnésio e oxigênio, há formação de um cátion Mg2+ e um ânion O2–. Dados: Mg (Z = 12) e O (Z = 8) Esta(ão) correta(s):
  • 25. 11ª) Os elementos P(Z = 15) e F(Z = 9) podem combinar-se formando a substância: a) PF, covalente. b) PF3, covalente. c) PF2, iônica. d) PF2, covalente. e) PF3, iônica. 12ª) A água (H2O), o sal de cozinha (NaCl) e o butano (CH4) principal componente do gás de cozinha são substâncias químicas que utilizamos diariamente para o preparo de alimentos. Esses compostos têm suas estruturas constituídas, respectivamente, por ligações do tipo: