SlideShare uma empresa Scribd logo
1
GUIA DE APRESENTAÇÃO DE SEMINÁRIOS COM OS
RECURSOS DO Microsoft POWERPOINT1
Prof. Marco Antônio Abreu de Andrade, Eng. Agr,, M. Sc.
APRESENTAÇÃO
As atividades acadêmicas desenvolvidas ao longo do processo de
formação do profissional vão além das aulas teóricas e práticas. É necessário
praticar atividades de pesquisa e extensão. A pesquisa e extensão pressupõem
ações que envolvem o manejo do conhecimento. Para “manipular” o conhecimento é
preciso entender, contextualizar, discutir, criticar, reproduzir, aplicar, interligar e
desenvolver as idéias que compõem o patrimônio técnico e científico da
humanidade.
A prática das atividades de pesquisa e extensão envolve a escolha da
questão de estudo, a coleta de material bibliográfico, a leitura do acervo técnico, a
reflexão sobre o problema à luz das idéais dos autores, a redação de textos e,
finalmente apresentação e discussão do conhecimento adquirido. Para apresentar e
discutir o conhecimento é preciso aplicar a metodologia do seminário.
Este documento reúne sugestões que pode auxiliar o acadêmico na
apresentação e discussão do conhecimento através do seminário. Tais sugestões se
estendem as formas de comunicação do conteúdo. O entendimento do seminário é
fundamental e pré-requisito para a etapa de buscar os meios para desenvolver esta
tarefa.
A informática através dos recursos de busca de material bibliográfico
através da internet, de programas de edição de texto e de apresentação pode
auxiliar o acadêmico na construção de um bom seminário. Na forma de um guia,
este documento apresenta na primeira parte as sugestões relacionadas ao
seminário através da proposição de questões básicas. A segunda parte apresenta-
se os recursos do PowerPoint necessários para elaboração das apresentações.
1
Material didático elaborado para a Disciplina de Informática do Curso de Agronomia – Faculdade
Assis Gurgaz, 2010.
2
PREPARAR UM SEMINÁRIO
O que é um seminário?
- Dinâmica de estudo em grupo a partir da proposição e da discussão de um tema;
- O estudo envolve apresentadores e platéia;
- Requer preparo prévio – coleta de material bibliográfico acerca do tema, leitura,
redação e metodologia de apresentação oral.
Qual a finalidade de um seminário?
- Aprofundar um tema;
- Propiciar o debate;
- Socializar o conhecimento;
- Despertar o interesse;
- Estimular a participação;
- Tornar o estudo aprazível.
Como organizar um seminário?
- Eleição do coordenador (dirigir trabalhos) e secretário (garantir participação);
- Participação e comprometimento dos membros do grupo;
- Definição do tema e criação de uma estrutura de tópicos;
- Elaboração de um roteiro de trabalho;
- Adequação da abordagem ao tempo e ao público;
- Distribuição das tarefas entre os membros do grupo;
- Estipulação de prazo para o cumprimento das etapas do roteiro de trabalho;
- Disposição dos recursos necessários;
- Reunião de finalização e ensaio;
- Apresentação do seminário.
Quais as etapas de um seminário?
- Distribuição da programação à platéia (visão geral do seminário - apresentação dos
tópicos, dos palestrantes e instituições) e do relatório ou do artigo à banca
examinadora;
- Abertura do seminário com a apresentação do grupo e do tema (coordenador)
3
- Introdução - contextualização do tema e apresentação da estrutura de tópicos
(coordenador – 3 a 4 minutos);
- Desenvolvimento – análise de cada tópico e o encadeamento lógico e coerente
entre os mesmos - (demais membros do grupo – 7 a 10 minutos);
- Conclusão – reflexão, síntese e ênfase nos pontos chave sobre tema (secretário –
5 a 6 minutos), e;
- Discussão – consolidação dos aspectos fundamentais a cerca do tema (platéia e
grupo);
Qual a forma da apresentação?
- Domínio do tema e do tópico (visão geral e do detalhe);
- Fala fluente e espontânea – sem leitura do texto ou exposição decorada;
- Durante a fala, voz alta com pronúncia clara das palavras;
- Exposição do assunto dentro de uma seqüência lógica;
- Priorização dos aspectos essências nos 5 minutos iniciais;
- Preparo do encadeamento para o próximo tópico;
- Controle sobre a postura corporal;
- Prevenir situações que desviam a atenção do público;
- Uso correto do tempo pré-estabelecido (média de 15 a 20 minutos).
Qual é a postura ideal do palestrante?
- Colocar-se de pé;
- Variar o tom de voz;
- Optar por frases curtas;
- Deixar as mãos livres para que os gestos apareçam;
- Olhar para o público não apenas para uma pessoa da platéia;
- Deslocar-se lentamente dentro do espaço da apresentação;
- Ficar de frente para platéia – jamais de costas;
- Inclinar o queixo em 90º para facilitar a fala;
- Usar o vestuário correto;
- Evitar a gíria e as situações cômicas;
- Esboçar semblante que revele confiança e simpatia;
4
Como o corpo se expressa – de forma negativa?
- Mãos nos bolsos: preciso me proteger;
- Mãos nos cabelos: tenho a intenção de seduzir ou preciso puxar as idéias;
- Rosto inclinado: estou com baixa estima e pouco preparado;
- Braços cruzados: estou sendo ameaçado;
- Pisar forte: estou inseguro;
- Sobrancelhas franzidas: estou preocupado e com dificuldades;
- Sorriso eterno: estou tentando enganar;
- Tosse fingida: preciso cair fora;
- Mão ajustando o colarinho: tenho dificuldade em lidar com a pressão;
- Gestos rápidos e mãos trêmulas: estou nervoso;
- Olhos fixos em uma pessoa: você é o meu predileto;
- Mão fechada atrás das costas: estou com raiva;
- Bater os dedos sobre a mesa: estou sem paciência;
- Bater os pés ritmicamente: estou irritado;
- Morder a boca: vou partir para agressão;
- Dar as costas à platéia: tenho desprezo por todos.
Como o corpo se expressa – de forma positiva?
- Sorriso autêntico, confiante e oportuno: estou de bem com a vida;
- Calma frente a situações inesperadas: sou tolerante;
- Rosto erguido: estou confiante e acredito na minha capacidade;
- Palmas das mãos expostas: estou sendo sincero e não tenho nada a esconder;
- Pontas dos dedos unidas e mãos espalmadas: estou comprometido com a
verdade;
- Olhar distribuído na platéia: tenho respeito e consideração por todos.
Como desenvolver uma boa oratória?
- Praticando, praticando e praticando.
5
Como apresentar um conteúdo?
- Apoiar-se 80% na fala e 20% no material áudio visual;
- Reconhecer os slides de apresentação como recuso e não finalidade;
- Expressar as idéias de forma clara e objetiva;
- Conceituar os termos chaves que compõem a idéia;
- Exemplificar sempre que possível;
- Usar mais a imagem do que o texto;
- Utilizar linguagem clara e simplificada;
- Racionalizar o uso dos elementos visuais – evitar a poluição visual;
- Combinar cor do fundo e dos elementos gráficos, e;
- Dimensionar o tamanho da fonte em função da distância do observador.
- Cuidar da ortografia;
- Editar a fonte no tamanho mínimo de 20;
- Usar no máximo dois tipos de fonte;
- Empregar o vocabulário adequado;
- Distribuir o tamanho da letra conforme a importância do conteúdo;
- Editar texto curto em letras maiúsculas e textos longos, em letras minúsculas;
- Inclinar o texto somente para cima em frases curtas;
- Compor as frases com seis a oito palavras;
- Incluir até 7 linhas por slides;
- Resumir as tabelas com muitos dados numéricos;
- Associar a imagem ao texto;
- Usar um elemento gráfico por slide;
- Cuidar da estética e da funcionalidade dos elementos gráficos;
- Comunicar-se com a linguagem das cores;
- Harmonizar a cor da letra com a cor do fundo;
- Comedir-se nos efeitos especiais;
- Evitar o uso de fotos como pano de fundo;
- Testar a legibilidade dos textos – cobrindo a metade inferior da frase;
- Ensaiar antes de apresentar;
- Calcular no máximo um slide por minuto de apresentação;
- Gravar a apresentação em pen – drive e em CD;
- Tentar abrir o arquivo depois de gravado.
6
Qual o significado das cores?
- Amarelo: sugere luz, vida e alegria;
- Vermelho: estimulante, excitante, provoca calor, paixão, ação e violência;
- Azul: frio: calmo, tímido e pacífico;
- Laranja: quente, dinamismo;
- Verde: repouso, tranqüilidade, natureza;
- Violeta: melancólico, retraído, frio, nobre;
- Preto: discreto, conciso, objetivo;
- Branco: clareza, pureza, limpeza;
- Cinza: frio, fino, inexpressivo.
Qual a combinação certa entre a cor da letra e do fundo?
- Preto sobre amarelo ou amarelo sobre preto;
- Preto sobre laranja ou laranja sobre preto;
- Preto sobre branco ou branco sobre preto;
- Verde sobre branco ou branco sobre verde;
- Vermelho sobre verde ou verde sobre vermelho
- Vermelho sobre branco ou branco sobre vermelho
- Azul sobre branco ou branco sobre azul;
- Azul sobre laranja ou laranja sobre azul.
7
INICIAR O PROGRAMA
Procedimentos:
1. Botão iniciar, Todos os programas;
2. Clique em Microsoft Office, e;
3. Clique em Microsoft Office PowerPoint 2003.
1
3
4
2
4
ENTENDER A TELA DO POWER POINT
A tela do editor de apresentação é o meio de comunicação entre o
software e o usuário (FIGURAS 1 e 2). Compõe-se de elementos de controle e de
informação. Na parte superior da tela destaque para a barra de título, que informa o
nome do arquivo aberto, barra de menu, que disponibiliza o acesso à maioria dos
recursos do Power Point. Ainda na parte superior, abaixo barra menu, há um espaço
preenchido pela barra de ferramentas, a qual proporciona um acesso rápido aos
recursos do editor e pode ser configurada conforme as preferências do usuário..
FIGURA 1 – Topo da tela do PowerPoint
A área de trabalho pode apresentar diversas aparências conforme o modo
de exibição. É o espaço reservado a edição da apresentação. A barra de rolagem
permite a movimentação ao longo da apresentação. As informações sobre número
do slide atual e do total são apresentadas na barra de status.
FIGURA 2 – Base da tela do PowerPoint
5
ABRIR O ARQUIVO NOVO
Procedimentos:
1. Ao abrir o programa, automaticamente, abre-se um arquivo novo;
2. Para abrir outro arquivo novo, segue;
3. No menu Arquivo, clique em Novo, e;
4. Selecione documento em branco.
ABRIR O ARQUIVO EXISTENTE
Procedimentos:
1. No menu Arquivo, clique em Abrir;
2. Selecione pasta e documento desejado.
FORMATAR A APRESENTAÇÃO
EXIBIÇÃO NORMAL
Procedimento: No menu Exibir, clique em Normal.
Comentário: É a melhor forma de trabalhar com a edição de slides (FIGURA 3).
Este recurso também pode ser acessado no canto inferior esquerdo no botão
normal. O painel de anotações pode ser visualizado no modo normal (FIGURA 4).
Neste modo, é possível visualizar o painel de tópicos e slides, que pode auxiliar na
edição, pois possibilita uma visão geral da apresentação, seja pela opção da guia
tópicos ou slides acionando-se com o mouse uma barra de rolagem na lateral direita
(FIGURA 5). O painel de tópicos e slides pode ser fechado através de um botão na
parte superior direita. Quando os painéis não são visualizados na tela, acionar menu
Janela, Próximo painel ou tecla F6.
6
FIGURA 3 – Modo de normal para edição
FIGURA 4 – Modo de normal para edição com painel de anotações
7
FIGURA 5 – Modo de normal para edição com painel de tópicos e slides
EXIBIÇÃO CLASSIFICAÇÃO
Procedimento: No menu Exibir, clique em Classificação de slides.
Comentário: É a melhor forma de trabalhar com a ordem de slides na apresentação,
copiar e excluir slides (FIGURA 6). Este recurso também pode ser acessado no
canto inferior esquerdo no botão classificação de slides.
8
FIGURA 6 – Modo de classificação permite a visão geral da apresentação
EXIBIÇÀO APRESENTAÇÃO
Procedimento: No menu Exibir, clique em Apresentação de slides. Ou em menu
Apresentação, Exibir apresentação.
Comentário: É forma ideal para exibir a apresentação. Este recurso também pode
ser acessado no canto inferior esquerdo no botão Apresentação de slides. A
apresentação pode ser finalizada através da janela de opções acionada pelo terceiro
botão (da esquerda para direita) na base da tela lado esquerdo. Ë possível abrir esta
janela de opções clicando com o botão direito do mouse sobre a apresentação
(FIGURA 7). Pode ser utilizada também a tecla ESC.
9
FIGURA 7 – Janela de opções para finalizar a apresentação
EXIBIÇÃO ANOTAÇÕES
Procedimento: No menu Exibir, clique em Anotações.
Comentário: O painel de anotações permite a inserção de lembretes e comentários
que poderão apoiar o palestrante por ocasião da apresentação.
10
FIGURA 8 – Modo de edição de anotações sobre o slide
LAYOUT
Procedimentos:
1. No menu Formatar, Layout de slide;
2. Na janela Layout de slide, opção por layout texto, conteúdo, texto-conteúdo e
outros.
11
FIGURA 9 – Tela de Layout de slide
Comentário: Na FIGURA 9 mostra a tela deste recurso, que apóia na edição de
títulos, textos, elementos gráficos e arranjos mistos (texto e elementos gráficos).
DESIGN
Procedimentos:
1. No menu Formatar, Design de slide;
2. Na janela Design de slide, selecionar opções Modelos design, Esquema de
cores, Esquema de animação.
12
FIGURA 10 – Tela de Design de slide
Comentário: Na FIGURA 10 mostra a tela deste recurso, que apóia na formatação
na aparência de toda a apresentação. O modelo de design é um arquivo que contém
os estilos em uma apresentação que contém tipo, tamanho de marcadores, fontes
caixas de textos, esquemas de cores e de preenchimento. Seleciona-se um modelo,
entre diferentes estilos de design, na opção Modelo de slide. Dentro de cada
modelo, é possível optar por uma entre várias combinações de estilo de fonte, de cor
de letra e cor de pano de fundo. Na opção Esquema de animação pode optar-se por
algum dos vários tipos.
PANO DE FUNDO
Procedimentos:
1. No menu Formatar, Pano de fundo;
2. Na Janela Pano de fundo, optar pela cor desejada.
13
FIGURA 11 – Tela de Pano de fundo
Comentário: Na FIGURA 11 mostra a tela deste recurso, que apóia na formatação
da cor do fundo do slide atual.
SLIDE MESTRE
Procedimentos:
1. No menu Exibir, Mestre;
2. Para fechar, Janela modo de exibição mestre, Fechar modo de exibição
mestre.
3. Comentário: O slide mestre é um recurso que armazena informações sobre o
modelo, inclusive os estilos de fontes, tamanhos e posições de espaços
reservados. O objetivo do slide mestre é permitir fazer alterações em toda a
apresentação, tal como substituição do estilo da fonte. Usa-se o slide mestre
para alterar a fonte ou os marcadores, para inserir arte, como um logotipo
(deve aparecer em vários slides) e para alterar as posições, tamanho e
14
formatação de espaços reservados (FIGURA 13). Quando o slide mestre é
alterado, as alterações efetuadas nos slides individuais são preservadas.
FIGURA 12 – Tela do slide mestre
Estilos de fontes para texto de título, corpo e rodapé
Posições do espaço reservado para texto e objetos
Estilos de marcadores
Design do plano de fundo e esquema de cores
Fechar o modo de exibição mestre
15
MARCADORES
Procedimentos:
1. Selecionar com o cursor os itens a serem marcados;
2. No menu Formatar, Marcadores e numeração;
3. Na Janela Marcadores e numeração, optar pelo modelo de marcador ou de
numeração.
FIGURA 13 – Tela de marcadores e numeração
Comentário: Na FIGURA 13 mostra a tela deste recurso, que apóia na formatação
do tipo de marcador ou numeração.
16
EDITAR A APRESENTAÇÃO
NOVO SLIDE
Procedimentos:
1. No menu Inserir, Novo slide;
2. Na janela Layout de slide, opção por layout texto, conteúdo, texto-conteúdo e
outros.
FIGURA 14 – Novo slide e a janela de layout
Comentário: Na FIGURA 14 mostra a tela novo slide com a janela de layout aberta
automaticamente para a seleção de opção de texto e conteúdo.
DUPLICAR SLIDE
Procedimentos:
17
1. Verificar na barra de status ou no painel se o slide a ser duplicado é o atual;
no modo de exibição normal;
2. No menu Inserir, Duplicar slide;
Comentário: este recurso agiliza a edição quando a formatação dos slides é
semelhante.
INSERIR ELEMENTOS GRÁFICOS
Procedimentos:
1. No menu Inserir; abre a menu de opções;
2. Selecionar Imagem, diagrama, caixa de texto, gráfico, tabela ou objeto,
conforme a necessidade.
FIGURA 15 – Inserção de elementos gráficos
18
Comentário: Na FIGURA 15, verifica-se o menu de opções para inserir elementos
gráficos. O layout de slides também oferece o recurso de inserção de elementos
gráficos.
INCREMENTAR A APRESENTAÇÃO
ESQUEMAS DE ANIMAÇÃO
Procedimentos:
1. No menu Apresentação; opção Esquemas de animação;
2. Selecionar o tipo de animação desejado.
FIGURA 16 – Janela de esquemas de animação
Comentário: Na FIGURA 16, verifica-se a janela de esquemas de animação. Este
efeito ocorre nos elementos gráficos do slide e deve ser utilizado com muito critério.
19
É indicado para conteúdos que apresentam movimento na exposição. Como
exemplo, o movimento de regulagem de um equipamento pode ser demonstrado
através de um esquema de animação. Se não houver uma boa justificativa, este
recurso não deve ser usado, pois pode desviar a atenção da platéia do assunto da
apresentação.
TRANSIÇÃO DE SLIDES
Procedimentos:
1. No menu Exibir; opção Classificação de slide;
2. No menu Editar; opção Selecionar tudo;
3. No menu Apresentação; opção Transição de slide;
4. Selecionar Imagem, diagrama, caixa de texto, gráfico, tabela ou objeto,
conforme a necessidade.
FIGURA 17 – Janela de transição de slides
20
Comentário: Na FIGURA 17, verifica-se a janela de transição de slides. As
transições de slides são efeitos que ocorrem durante a passagem de um slide e
outro.
EXIBIR A APRESENTAÇÃO
Procedimentos:
1. No menu Apresentação; opção exibir apresentação;
2. Para mudar o slide usa-se o mouse nos botões na base, lado esquerdo da
tela ou através da teclas PGUP (para trás) e PGDN (para frente).
Comentário: A apresentação pode ser finalizada através da janela de opções
acionada pelo terceiro botão (da esquerda para direita) na base da tela lado
esquerdo. Ë possível abrir esta janela de opções clicando com o botão direito do
mouse sobre a apresentação (FIGURA 7). Pode ser utilizada também a tecla ESC.
IMPRIMIR DA APRESENTAÇÃO
Procedimentos:
1. No menu Arquivo; abre a menu de opções;
2. Selecionar imprimir.
21
FIGURA 18 – Janela de impressão
Comentário: Na FIGURA 18, verifica-se a janela imprimir. É possível imprimir os
slides, folhetos (grupo de slides), anotações, estrutura de tópicos através da caixa
de opções imprimir.
GRAVAR A APRESENTAÇÃO
Procedimentos:
1. No menu Arquivo; abre o menu de opções;
2. Selecionar salvar como;
3. Na janela Salvar como, selecionar pasta e digitar nome do arquivo.
22
FIGURA 19 – Janela de salvar como
Comentário: Na FIGURA 19, verifica-se a janela salvar como. Para nomear um
arquivo sugere-se o tag (palavra-chave), hífen, descrição breve do conteúdo do
arquivo, under line (_), data de edição no formato (aammdd).
FECHAR O PROGRAMA
Procedimento:
1. No menu Arquivo, clique em Sair.
23
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A apresentação e discussão do conhecimento é a parte final do processo
de pesquisa e extensão implementado pelos acadêmicos comprometidos com a
formação profissional. Etapas relacionadas à escolha do problema de estudo, a
busca da literatura do assunto, a leitura do material bibliográfico, a reflexão, a
redação de textos precedem ao momento da preparação de um seminário.
A elaboração de uma apresentação de slides é uma das tarefas da
preparação do seminário. O uso do programa PowerPoint pode auxiliar o acadêmico
no desenvolvimento uma boa exibição de conteúdos. Entretanto, por melhor que
seja uma apresentação, ela jamais irá dispensar do palestrante o domínio do
conhecimento.
BIBLIOGRAFIA CONSULTADA
HENDERIKEX, E. M. J. Produção visual colorido para transparência. Curitiba:
Emater – Paraná, 1990.
LOPES, E. B. Cartaz. Curitiba: Emater – Paraná, 1995.
MICROSOFT. Slides de desing. In: Office Online. Disponível em:
<http://office.microsoft.com/pt-br/templates/CT101172621046.aspx?Origin=EC010172871046&CTT=6&av=ZPP>
Acesso em: 27/02/2010.
MINK, C. Microsoft Office 2000. São Paulo: Makron Books, 1999.
VERIT, J. C. Técnicas de Apresentação. SLIDESHARE, 2008; Disponível em:
<http://www.slideshare.net/Verit/seminrio>. Acesso em: 01/04/2010.
VILELA JUNIOR, G. B. Como preparar um seminário. Ponta Grossa: Universidade
Estadual de Ponta Grossa, Arquivo PDF, 2008. Disponível em:
<http://www.guanis.org/aprendizagem/aula09.pdf>. Acesso em: 01/04/2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ingles instrumental
Ingles instrumentalIngles instrumental
Ingles instrumental
Elina Fernandes
 
Aula02 - Comunicação oral e escrita
Aula02 - Comunicação oral e escritaAula02 - Comunicação oral e escrita
Aula02 - Comunicação oral e escrita
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
Comunicação eficiente
Comunicação eficienteComunicação eficiente
Comunicação eficiente
gisa_legal
 
TéCnicas De ApresentaçãO Oral
TéCnicas De ApresentaçãO OralTéCnicas De ApresentaçãO Oral
Organizando uma apresentação em slides.
Organizando uma apresentação em slides.Organizando uma apresentação em slides.
Organizando uma apresentação em slides.
professoracida
 
Roteiro Para Radialistas
Roteiro Para RadialistasRoteiro Para Radialistas
Roteiro Para Radialistas
nubea xavier
 
Matriz curricular alfabetizacao
Matriz curricular alfabetizacaoMatriz curricular alfabetizacao
Matriz curricular alfabetizacao
pipatcleopoldina
 
Apresentação de seminários
Apresentação de semináriosApresentação de seminários
Apresentação de seminários
Vitoria Cancelli
 
Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?
becastanheiradepera
 
Oratória
Oratória Oratória
Como fazer uma composição
Como fazer uma composiçãoComo fazer uma composição
Como fazer uma composição
Cláudia Fonseca
 
Saber fazer apresentações orais
Saber fazer apresentações oraisSaber fazer apresentações orais
Saber fazer apresentações orais
Biblioteca FCT/UNL
 
Regras de uma boa apresentação oral
Regras de uma boa apresentação oralRegras de uma boa apresentação oral
Regras de uma boa apresentação oral
BrunoXina
 
Guião: Como fazer uma apresentação oral
Guião: Como fazer uma apresentação oralGuião: Como fazer uma apresentação oral
Guião: Como fazer uma apresentação oral
bedjoaoii
 
Guião de apresentação oral tema
Guião de apresentação oral temaGuião de apresentação oral tema
Guião de apresentação oral tema
Lara Cunha
 
Aula01 - Comunicação Oral e Escrita
Aula01 - Comunicação Oral e EscritaAula01 - Comunicação Oral e Escrita
Aula01 - Comunicação Oral e Escrita
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
Como fazer uma apresentao oral com diapositivos
Como fazer uma apresentao oral com diapositivosComo fazer uma apresentao oral com diapositivos
Como fazer uma apresentao oral com diapositivos
José Alemão
 
A participação do docente do ensino superior em eventos científicos
A participação do docente do ensino superior em eventos científicosA participação do docente do ensino superior em eventos científicos
A participação do docente do ensino superior em eventos científicos
Marcelo Sabbatini
 

Mais procurados (18)

Ingles instrumental
Ingles instrumentalIngles instrumental
Ingles instrumental
 
Aula02 - Comunicação oral e escrita
Aula02 - Comunicação oral e escritaAula02 - Comunicação oral e escrita
Aula02 - Comunicação oral e escrita
 
Comunicação eficiente
Comunicação eficienteComunicação eficiente
Comunicação eficiente
 
TéCnicas De ApresentaçãO Oral
TéCnicas De ApresentaçãO OralTéCnicas De ApresentaçãO Oral
TéCnicas De ApresentaçãO Oral
 
Organizando uma apresentação em slides.
Organizando uma apresentação em slides.Organizando uma apresentação em slides.
Organizando uma apresentação em slides.
 
Roteiro Para Radialistas
Roteiro Para RadialistasRoteiro Para Radialistas
Roteiro Para Radialistas
 
Matriz curricular alfabetizacao
Matriz curricular alfabetizacaoMatriz curricular alfabetizacao
Matriz curricular alfabetizacao
 
Apresentação de seminários
Apresentação de semináriosApresentação de seminários
Apresentação de seminários
 
Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?
 
Oratória
Oratória Oratória
Oratória
 
Como fazer uma composição
Como fazer uma composiçãoComo fazer uma composição
Como fazer uma composição
 
Saber fazer apresentações orais
Saber fazer apresentações oraisSaber fazer apresentações orais
Saber fazer apresentações orais
 
Regras de uma boa apresentação oral
Regras de uma boa apresentação oralRegras de uma boa apresentação oral
Regras de uma boa apresentação oral
 
Guião: Como fazer uma apresentação oral
Guião: Como fazer uma apresentação oralGuião: Como fazer uma apresentação oral
Guião: Como fazer uma apresentação oral
 
Guião de apresentação oral tema
Guião de apresentação oral temaGuião de apresentação oral tema
Guião de apresentação oral tema
 
Aula01 - Comunicação Oral e Escrita
Aula01 - Comunicação Oral e EscritaAula01 - Comunicação Oral e Escrita
Aula01 - Comunicação Oral e Escrita
 
Como fazer uma apresentao oral com diapositivos
Como fazer uma apresentao oral com diapositivosComo fazer uma apresentao oral com diapositivos
Como fazer uma apresentao oral com diapositivos
 
A participação do docente do ensino superior em eventos científicos
A participação do docente do ensino superior em eventos científicosA participação do docente do ensino superior em eventos científicos
A participação do docente do ensino superior em eventos científicos
 

Destaque

Teoria da Evolução
Teoria da EvoluçãoTeoria da Evolução
Teoria da Evolução
Estude Mais
 
Febi fim de feira
Febi   fim de feiraFebi   fim de feira
Febi fim de feira
José Luiz Graunna
 
Exercicio de polinomios
Exercicio de polinomiosExercicio de polinomios
Exercicio de polinomios
Estude Mais
 
Setemi News Junho/16
Setemi News Junho/16Setemi News Junho/16
Setemi News Junho/16
Setemi News
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
Estude Mais
 
Subsídios dos Vereadores
Subsídios dos VereadoresSubsídios dos Vereadores
Subsídios dos Vereadores
José Luiz Graunna
 
Balanço 42ª febi
Balanço 42ª febiBalanço 42ª febi
Balanço 42ª febi
José Luiz Graunna
 
Balanço febi 2015
Balanço febi 2015Balanço febi 2015
Balanço febi 2015
José Luiz Graunna
 
Setemi news dezembro
Setemi news dezembroSetemi news dezembro
Setemi news dezembro
Setemi News
 
Salmos e hinos 620
Salmos e hinos 620Salmos e hinos 620
Salmos e hinos 620
rafael gomide
 
W.E.B. Du Bois
W.E.B. Du BoisW.E.B. Du Bois
W.E.B. Du Bois
Lora Eden
 
Türkiye'de psikiloji dergileri
Türkiye'de psikiloji dergileriTürkiye'de psikiloji dergileri
Türkiye'de psikiloji dergileriofoozer
 
Creditor
CreditorCreditor
Creditor
Hifza Kiyani
 
Bireyselleştirilmiş Eğitim Programı
Bireyselleştirilmiş Eğitim ProgramıBireyselleştirilmiş Eğitim Programı
Bireyselleştirilmiş Eğitim Programıofoozer
 
Sosyal öğrenme kuramları
Sosyal öğrenme kuramlarıSosyal öğrenme kuramları
Sosyal öğrenme kuramları
ElifnurB
 
Exercícios – isomeria plana
Exercícios – isomeria planaExercícios – isomeria plana
Exercícios – isomeria plana
Escola Pública/Particular
 
Isomeria plana
Isomeria planaIsomeria plana
1.introducao organica
1.introducao organica1.introducao organica
1.introducao organica
Everson Carabolante
 
Quimica organiza isomeria_plana_exercicios
Quimica organiza isomeria_plana_exerciciosQuimica organiza isomeria_plana_exercicios
Quimica organiza isomeria_plana_exercicios
Bruno Raffael
 
Exercício de Progressão Aritmética
Exercício de Progressão AritméticaExercício de Progressão Aritmética
Exercício de Progressão Aritmética
Estude Mais
 

Destaque (20)

Teoria da Evolução
Teoria da EvoluçãoTeoria da Evolução
Teoria da Evolução
 
Febi fim de feira
Febi   fim de feiraFebi   fim de feira
Febi fim de feira
 
Exercicio de polinomios
Exercicio de polinomiosExercicio de polinomios
Exercicio de polinomios
 
Setemi News Junho/16
Setemi News Junho/16Setemi News Junho/16
Setemi News Junho/16
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
 
Subsídios dos Vereadores
Subsídios dos VereadoresSubsídios dos Vereadores
Subsídios dos Vereadores
 
Balanço 42ª febi
Balanço 42ª febiBalanço 42ª febi
Balanço 42ª febi
 
Balanço febi 2015
Balanço febi 2015Balanço febi 2015
Balanço febi 2015
 
Setemi news dezembro
Setemi news dezembroSetemi news dezembro
Setemi news dezembro
 
Salmos e hinos 620
Salmos e hinos 620Salmos e hinos 620
Salmos e hinos 620
 
W.E.B. Du Bois
W.E.B. Du BoisW.E.B. Du Bois
W.E.B. Du Bois
 
Türkiye'de psikiloji dergileri
Türkiye'de psikiloji dergileriTürkiye'de psikiloji dergileri
Türkiye'de psikiloji dergileri
 
Creditor
CreditorCreditor
Creditor
 
Bireyselleştirilmiş Eğitim Programı
Bireyselleştirilmiş Eğitim ProgramıBireyselleştirilmiş Eğitim Programı
Bireyselleştirilmiş Eğitim Programı
 
Sosyal öğrenme kuramları
Sosyal öğrenme kuramlarıSosyal öğrenme kuramları
Sosyal öğrenme kuramları
 
Exercícios – isomeria plana
Exercícios – isomeria planaExercícios – isomeria plana
Exercícios – isomeria plana
 
Isomeria plana
Isomeria planaIsomeria plana
Isomeria plana
 
1.introducao organica
1.introducao organica1.introducao organica
1.introducao organica
 
Quimica organiza isomeria_plana_exercicios
Quimica organiza isomeria_plana_exerciciosQuimica organiza isomeria_plana_exercicios
Quimica organiza isomeria_plana_exercicios
 
Exercício de Progressão Aritmética
Exercício de Progressão AritméticaExercício de Progressão Aritmética
Exercício de Progressão Aritmética
 

Semelhante a Guia de apresentação de seminários

Como fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhosComo fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhos
Anaigreja
 
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdfComo elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
ZoraideVieiraCruz
 
Como Apresentar um Seminário Acadêmico
Como Apresentar um Seminário AcadêmicoComo Apresentar um Seminário Acadêmico
Como Apresentar um Seminário Acadêmico
Rafael Gonçalves Lima
 
Noções básicas para apresentação de seminário
Noções básicas para apresentação de seminárioNoções básicas para apresentação de seminário
Noções básicas para apresentação de seminário
Escola Estadual de São Paulo
 
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdfSEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
louisevictori924
 
Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02
Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02
Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02
João Carlos Melo Silva
 
AULA_SOBRE SEMINARIO.ppt
AULA_SOBRE SEMINARIO.pptAULA_SOBRE SEMINARIO.ppt
AULA_SOBRE SEMINARIO.ppt
OdeteMyraMesquita
 
Curso Tecnicas de Apresentacao: Falar para Liderar
Curso Tecnicas de Apresentacao: Falar para LiderarCurso Tecnicas de Apresentacao: Falar para Liderar
Curso Tecnicas de Apresentacao: Falar para Liderar
Grupo Treinar
 
Apresentacao de-tcc
Apresentacao de-tccApresentacao de-tcc
Apresentacao de-tcc
Unisinos
 
Dia1
Dia1Dia1
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
Arão Sousa Lima
 
Defesademonografias
DefesademonografiasDefesademonografias
Defesademonografias
Anadelyc
 
O seminário
O seminárioO seminário
O seminário
nixsonmachado
 
Como fazer apresentações.pdf
Como fazer apresentações.pdfComo fazer apresentações.pdf
Como fazer apresentações.pdf
DrikaSato
 
Apresentacao Seminario
Apresentacao SeminarioApresentacao Seminario
Apresentacao Seminario
Reginaldo Avelino
 
COMUNICACAO APLICADA
COMUNICACAO APLICADACOMUNICACAO APLICADA
COMUNICACAO APLICADA
paulocsm
 
Apresentação oral
Apresentação oralApresentação oral
Apresentação oral
João Paulo Freire
 
Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]
PatriciaCosta
 
Comunicação de alto impacto 02.14
Comunicação de alto impacto   02.14Comunicação de alto impacto   02.14
Comunicação de alto impacto 02.14
Daniella Marcusso
 
Como fazer uma apresentação oral
Como fazer uma apresentação oralComo fazer uma apresentação oral
Como fazer uma apresentação oral
Anabela Guedes
 

Semelhante a Guia de apresentação de seminários (20)

Como fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhosComo fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhos
 
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdfComo elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
 
Como Apresentar um Seminário Acadêmico
Como Apresentar um Seminário AcadêmicoComo Apresentar um Seminário Acadêmico
Como Apresentar um Seminário Acadêmico
 
Noções básicas para apresentação de seminário
Noções básicas para apresentação de seminárioNoções básicas para apresentação de seminário
Noções básicas para apresentação de seminário
 
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdfSEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
 
Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02
Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02
Apresentacaoseminario 091004123012-phpapp02
 
AULA_SOBRE SEMINARIO.ppt
AULA_SOBRE SEMINARIO.pptAULA_SOBRE SEMINARIO.ppt
AULA_SOBRE SEMINARIO.ppt
 
Curso Tecnicas de Apresentacao: Falar para Liderar
Curso Tecnicas de Apresentacao: Falar para LiderarCurso Tecnicas de Apresentacao: Falar para Liderar
Curso Tecnicas de Apresentacao: Falar para Liderar
 
Apresentacao de-tcc
Apresentacao de-tccApresentacao de-tcc
Apresentacao de-tcc
 
Dia1
Dia1Dia1
Dia1
 
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
 
Defesademonografias
DefesademonografiasDefesademonografias
Defesademonografias
 
O seminário
O seminárioO seminário
O seminário
 
Como fazer apresentações.pdf
Como fazer apresentações.pdfComo fazer apresentações.pdf
Como fazer apresentações.pdf
 
Apresentacao Seminario
Apresentacao SeminarioApresentacao Seminario
Apresentacao Seminario
 
COMUNICACAO APLICADA
COMUNICACAO APLICADACOMUNICACAO APLICADA
COMUNICACAO APLICADA
 
Apresentação oral
Apresentação oralApresentação oral
Apresentação oral
 
Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]
 
Comunicação de alto impacto 02.14
Comunicação de alto impacto   02.14Comunicação de alto impacto   02.14
Comunicação de alto impacto 02.14
 
Como fazer uma apresentação oral
Como fazer uma apresentação oralComo fazer uma apresentação oral
Como fazer uma apresentação oral
 

Mais de Estude Mais

Exercício sobre Evolução
Exercício sobre EvoluçãoExercício sobre Evolução
Exercício sobre Evolução
Estude Mais
 
Exercicios de estatistica
Exercicios de estatisticaExercicios de estatistica
Exercicios de estatistica
Estude Mais
 
O que é um seminario
O que é um seminarioO que é um seminario
O que é um seminario
Estude Mais
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
Estude Mais
 
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enemCilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Estude Mais
 
Exercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enemExercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enem
Estude Mais
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
Estude Mais
 
Ecologia comunidades
Ecologia comunidadesEcologia comunidades
Ecologia comunidades
Estude Mais
 
Sucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomasSucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomas
Estude Mais
 
Melhoramento genetico
Melhoramento geneticoMelhoramento genetico
Melhoramento genetico
Estude Mais
 
Questoes do enem de portugues
Questoes do enem de portuguesQuestoes do enem de portugues
Questoes do enem de portugues
Estude Mais
 
Populacoes Biologicas
Populacoes BiologicasPopulacoes Biologicas
Populacoes Biologicas
Estude Mais
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
Estude Mais
 
Regime liberal populista
Regime liberal populistaRegime liberal populista
Regime liberal populista
Estude Mais
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
Estude Mais
 
Exercicios de Matematica
Exercicios de MatematicaExercicios de Matematica
Exercicios de Matematica
Estude Mais
 
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Estude Mais
 
Energia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemasEnergia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemas
Estude Mais
 
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostaticoExercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Estude Mais
 
Exercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeiraExercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeira
Estude Mais
 

Mais de Estude Mais (20)

Exercício sobre Evolução
Exercício sobre EvoluçãoExercício sobre Evolução
Exercício sobre Evolução
 
Exercicios de estatistica
Exercicios de estatisticaExercicios de estatistica
Exercicios de estatistica
 
O que é um seminario
O que é um seminarioO que é um seminario
O que é um seminario
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
 
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enemCilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
 
Exercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enemExercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enem
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
 
Ecologia comunidades
Ecologia comunidadesEcologia comunidades
Ecologia comunidades
 
Sucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomasSucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomas
 
Melhoramento genetico
Melhoramento geneticoMelhoramento genetico
Melhoramento genetico
 
Questoes do enem de portugues
Questoes do enem de portuguesQuestoes do enem de portugues
Questoes do enem de portugues
 
Populacoes Biologicas
Populacoes BiologicasPopulacoes Biologicas
Populacoes Biologicas
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
 
Regime liberal populista
Regime liberal populistaRegime liberal populista
Regime liberal populista
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
Exercicios de Matematica
Exercicios de MatematicaExercicios de Matematica
Exercicios de Matematica
 
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
 
Energia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemasEnergia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemas
 
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostaticoExercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
 
Exercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeiraExercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeira
 

Último

Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 

Último (20)

Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 

Guia de apresentação de seminários

  • 1. 1 GUIA DE APRESENTAÇÃO DE SEMINÁRIOS COM OS RECURSOS DO Microsoft POWERPOINT1 Prof. Marco Antônio Abreu de Andrade, Eng. Agr,, M. Sc. APRESENTAÇÃO As atividades acadêmicas desenvolvidas ao longo do processo de formação do profissional vão além das aulas teóricas e práticas. É necessário praticar atividades de pesquisa e extensão. A pesquisa e extensão pressupõem ações que envolvem o manejo do conhecimento. Para “manipular” o conhecimento é preciso entender, contextualizar, discutir, criticar, reproduzir, aplicar, interligar e desenvolver as idéias que compõem o patrimônio técnico e científico da humanidade. A prática das atividades de pesquisa e extensão envolve a escolha da questão de estudo, a coleta de material bibliográfico, a leitura do acervo técnico, a reflexão sobre o problema à luz das idéais dos autores, a redação de textos e, finalmente apresentação e discussão do conhecimento adquirido. Para apresentar e discutir o conhecimento é preciso aplicar a metodologia do seminário. Este documento reúne sugestões que pode auxiliar o acadêmico na apresentação e discussão do conhecimento através do seminário. Tais sugestões se estendem as formas de comunicação do conteúdo. O entendimento do seminário é fundamental e pré-requisito para a etapa de buscar os meios para desenvolver esta tarefa. A informática através dos recursos de busca de material bibliográfico através da internet, de programas de edição de texto e de apresentação pode auxiliar o acadêmico na construção de um bom seminário. Na forma de um guia, este documento apresenta na primeira parte as sugestões relacionadas ao seminário através da proposição de questões básicas. A segunda parte apresenta- se os recursos do PowerPoint necessários para elaboração das apresentações. 1 Material didático elaborado para a Disciplina de Informática do Curso de Agronomia – Faculdade Assis Gurgaz, 2010.
  • 2. 2 PREPARAR UM SEMINÁRIO O que é um seminário? - Dinâmica de estudo em grupo a partir da proposição e da discussão de um tema; - O estudo envolve apresentadores e platéia; - Requer preparo prévio – coleta de material bibliográfico acerca do tema, leitura, redação e metodologia de apresentação oral. Qual a finalidade de um seminário? - Aprofundar um tema; - Propiciar o debate; - Socializar o conhecimento; - Despertar o interesse; - Estimular a participação; - Tornar o estudo aprazível. Como organizar um seminário? - Eleição do coordenador (dirigir trabalhos) e secretário (garantir participação); - Participação e comprometimento dos membros do grupo; - Definição do tema e criação de uma estrutura de tópicos; - Elaboração de um roteiro de trabalho; - Adequação da abordagem ao tempo e ao público; - Distribuição das tarefas entre os membros do grupo; - Estipulação de prazo para o cumprimento das etapas do roteiro de trabalho; - Disposição dos recursos necessários; - Reunião de finalização e ensaio; - Apresentação do seminário. Quais as etapas de um seminário? - Distribuição da programação à platéia (visão geral do seminário - apresentação dos tópicos, dos palestrantes e instituições) e do relatório ou do artigo à banca examinadora; - Abertura do seminário com a apresentação do grupo e do tema (coordenador)
  • 3. 3 - Introdução - contextualização do tema e apresentação da estrutura de tópicos (coordenador – 3 a 4 minutos); - Desenvolvimento – análise de cada tópico e o encadeamento lógico e coerente entre os mesmos - (demais membros do grupo – 7 a 10 minutos); - Conclusão – reflexão, síntese e ênfase nos pontos chave sobre tema (secretário – 5 a 6 minutos), e; - Discussão – consolidação dos aspectos fundamentais a cerca do tema (platéia e grupo); Qual a forma da apresentação? - Domínio do tema e do tópico (visão geral e do detalhe); - Fala fluente e espontânea – sem leitura do texto ou exposição decorada; - Durante a fala, voz alta com pronúncia clara das palavras; - Exposição do assunto dentro de uma seqüência lógica; - Priorização dos aspectos essências nos 5 minutos iniciais; - Preparo do encadeamento para o próximo tópico; - Controle sobre a postura corporal; - Prevenir situações que desviam a atenção do público; - Uso correto do tempo pré-estabelecido (média de 15 a 20 minutos). Qual é a postura ideal do palestrante? - Colocar-se de pé; - Variar o tom de voz; - Optar por frases curtas; - Deixar as mãos livres para que os gestos apareçam; - Olhar para o público não apenas para uma pessoa da platéia; - Deslocar-se lentamente dentro do espaço da apresentação; - Ficar de frente para platéia – jamais de costas; - Inclinar o queixo em 90º para facilitar a fala; - Usar o vestuário correto; - Evitar a gíria e as situações cômicas; - Esboçar semblante que revele confiança e simpatia;
  • 4. 4 Como o corpo se expressa – de forma negativa? - Mãos nos bolsos: preciso me proteger; - Mãos nos cabelos: tenho a intenção de seduzir ou preciso puxar as idéias; - Rosto inclinado: estou com baixa estima e pouco preparado; - Braços cruzados: estou sendo ameaçado; - Pisar forte: estou inseguro; - Sobrancelhas franzidas: estou preocupado e com dificuldades; - Sorriso eterno: estou tentando enganar; - Tosse fingida: preciso cair fora; - Mão ajustando o colarinho: tenho dificuldade em lidar com a pressão; - Gestos rápidos e mãos trêmulas: estou nervoso; - Olhos fixos em uma pessoa: você é o meu predileto; - Mão fechada atrás das costas: estou com raiva; - Bater os dedos sobre a mesa: estou sem paciência; - Bater os pés ritmicamente: estou irritado; - Morder a boca: vou partir para agressão; - Dar as costas à platéia: tenho desprezo por todos. Como o corpo se expressa – de forma positiva? - Sorriso autêntico, confiante e oportuno: estou de bem com a vida; - Calma frente a situações inesperadas: sou tolerante; - Rosto erguido: estou confiante e acredito na minha capacidade; - Palmas das mãos expostas: estou sendo sincero e não tenho nada a esconder; - Pontas dos dedos unidas e mãos espalmadas: estou comprometido com a verdade; - Olhar distribuído na platéia: tenho respeito e consideração por todos. Como desenvolver uma boa oratória? - Praticando, praticando e praticando.
  • 5. 5 Como apresentar um conteúdo? - Apoiar-se 80% na fala e 20% no material áudio visual; - Reconhecer os slides de apresentação como recuso e não finalidade; - Expressar as idéias de forma clara e objetiva; - Conceituar os termos chaves que compõem a idéia; - Exemplificar sempre que possível; - Usar mais a imagem do que o texto; - Utilizar linguagem clara e simplificada; - Racionalizar o uso dos elementos visuais – evitar a poluição visual; - Combinar cor do fundo e dos elementos gráficos, e; - Dimensionar o tamanho da fonte em função da distância do observador. - Cuidar da ortografia; - Editar a fonte no tamanho mínimo de 20; - Usar no máximo dois tipos de fonte; - Empregar o vocabulário adequado; - Distribuir o tamanho da letra conforme a importância do conteúdo; - Editar texto curto em letras maiúsculas e textos longos, em letras minúsculas; - Inclinar o texto somente para cima em frases curtas; - Compor as frases com seis a oito palavras; - Incluir até 7 linhas por slides; - Resumir as tabelas com muitos dados numéricos; - Associar a imagem ao texto; - Usar um elemento gráfico por slide; - Cuidar da estética e da funcionalidade dos elementos gráficos; - Comunicar-se com a linguagem das cores; - Harmonizar a cor da letra com a cor do fundo; - Comedir-se nos efeitos especiais; - Evitar o uso de fotos como pano de fundo; - Testar a legibilidade dos textos – cobrindo a metade inferior da frase; - Ensaiar antes de apresentar; - Calcular no máximo um slide por minuto de apresentação; - Gravar a apresentação em pen – drive e em CD; - Tentar abrir o arquivo depois de gravado.
  • 6. 6 Qual o significado das cores? - Amarelo: sugere luz, vida e alegria; - Vermelho: estimulante, excitante, provoca calor, paixão, ação e violência; - Azul: frio: calmo, tímido e pacífico; - Laranja: quente, dinamismo; - Verde: repouso, tranqüilidade, natureza; - Violeta: melancólico, retraído, frio, nobre; - Preto: discreto, conciso, objetivo; - Branco: clareza, pureza, limpeza; - Cinza: frio, fino, inexpressivo. Qual a combinação certa entre a cor da letra e do fundo? - Preto sobre amarelo ou amarelo sobre preto; - Preto sobre laranja ou laranja sobre preto; - Preto sobre branco ou branco sobre preto; - Verde sobre branco ou branco sobre verde; - Vermelho sobre verde ou verde sobre vermelho - Vermelho sobre branco ou branco sobre vermelho - Azul sobre branco ou branco sobre azul; - Azul sobre laranja ou laranja sobre azul.
  • 7. 7 INICIAR O PROGRAMA Procedimentos: 1. Botão iniciar, Todos os programas; 2. Clique em Microsoft Office, e; 3. Clique em Microsoft Office PowerPoint 2003. 1 3 4 2
  • 8. 4 ENTENDER A TELA DO POWER POINT A tela do editor de apresentação é o meio de comunicação entre o software e o usuário (FIGURAS 1 e 2). Compõe-se de elementos de controle e de informação. Na parte superior da tela destaque para a barra de título, que informa o nome do arquivo aberto, barra de menu, que disponibiliza o acesso à maioria dos recursos do Power Point. Ainda na parte superior, abaixo barra menu, há um espaço preenchido pela barra de ferramentas, a qual proporciona um acesso rápido aos recursos do editor e pode ser configurada conforme as preferências do usuário.. FIGURA 1 – Topo da tela do PowerPoint A área de trabalho pode apresentar diversas aparências conforme o modo de exibição. É o espaço reservado a edição da apresentação. A barra de rolagem permite a movimentação ao longo da apresentação. As informações sobre número do slide atual e do total são apresentadas na barra de status. FIGURA 2 – Base da tela do PowerPoint
  • 9. 5 ABRIR O ARQUIVO NOVO Procedimentos: 1. Ao abrir o programa, automaticamente, abre-se um arquivo novo; 2. Para abrir outro arquivo novo, segue; 3. No menu Arquivo, clique em Novo, e; 4. Selecione documento em branco. ABRIR O ARQUIVO EXISTENTE Procedimentos: 1. No menu Arquivo, clique em Abrir; 2. Selecione pasta e documento desejado. FORMATAR A APRESENTAÇÃO EXIBIÇÃO NORMAL Procedimento: No menu Exibir, clique em Normal. Comentário: É a melhor forma de trabalhar com a edição de slides (FIGURA 3). Este recurso também pode ser acessado no canto inferior esquerdo no botão normal. O painel de anotações pode ser visualizado no modo normal (FIGURA 4). Neste modo, é possível visualizar o painel de tópicos e slides, que pode auxiliar na edição, pois possibilita uma visão geral da apresentação, seja pela opção da guia tópicos ou slides acionando-se com o mouse uma barra de rolagem na lateral direita (FIGURA 5). O painel de tópicos e slides pode ser fechado através de um botão na parte superior direita. Quando os painéis não são visualizados na tela, acionar menu Janela, Próximo painel ou tecla F6.
  • 10. 6 FIGURA 3 – Modo de normal para edição FIGURA 4 – Modo de normal para edição com painel de anotações
  • 11. 7 FIGURA 5 – Modo de normal para edição com painel de tópicos e slides EXIBIÇÃO CLASSIFICAÇÃO Procedimento: No menu Exibir, clique em Classificação de slides. Comentário: É a melhor forma de trabalhar com a ordem de slides na apresentação, copiar e excluir slides (FIGURA 6). Este recurso também pode ser acessado no canto inferior esquerdo no botão classificação de slides.
  • 12. 8 FIGURA 6 – Modo de classificação permite a visão geral da apresentação EXIBIÇÀO APRESENTAÇÃO Procedimento: No menu Exibir, clique em Apresentação de slides. Ou em menu Apresentação, Exibir apresentação. Comentário: É forma ideal para exibir a apresentação. Este recurso também pode ser acessado no canto inferior esquerdo no botão Apresentação de slides. A apresentação pode ser finalizada através da janela de opções acionada pelo terceiro botão (da esquerda para direita) na base da tela lado esquerdo. Ë possível abrir esta janela de opções clicando com o botão direito do mouse sobre a apresentação (FIGURA 7). Pode ser utilizada também a tecla ESC.
  • 13. 9 FIGURA 7 – Janela de opções para finalizar a apresentação EXIBIÇÃO ANOTAÇÕES Procedimento: No menu Exibir, clique em Anotações. Comentário: O painel de anotações permite a inserção de lembretes e comentários que poderão apoiar o palestrante por ocasião da apresentação.
  • 14. 10 FIGURA 8 – Modo de edição de anotações sobre o slide LAYOUT Procedimentos: 1. No menu Formatar, Layout de slide; 2. Na janela Layout de slide, opção por layout texto, conteúdo, texto-conteúdo e outros.
  • 15. 11 FIGURA 9 – Tela de Layout de slide Comentário: Na FIGURA 9 mostra a tela deste recurso, que apóia na edição de títulos, textos, elementos gráficos e arranjos mistos (texto e elementos gráficos). DESIGN Procedimentos: 1. No menu Formatar, Design de slide; 2. Na janela Design de slide, selecionar opções Modelos design, Esquema de cores, Esquema de animação.
  • 16. 12 FIGURA 10 – Tela de Design de slide Comentário: Na FIGURA 10 mostra a tela deste recurso, que apóia na formatação na aparência de toda a apresentação. O modelo de design é um arquivo que contém os estilos em uma apresentação que contém tipo, tamanho de marcadores, fontes caixas de textos, esquemas de cores e de preenchimento. Seleciona-se um modelo, entre diferentes estilos de design, na opção Modelo de slide. Dentro de cada modelo, é possível optar por uma entre várias combinações de estilo de fonte, de cor de letra e cor de pano de fundo. Na opção Esquema de animação pode optar-se por algum dos vários tipos. PANO DE FUNDO Procedimentos: 1. No menu Formatar, Pano de fundo; 2. Na Janela Pano de fundo, optar pela cor desejada.
  • 17. 13 FIGURA 11 – Tela de Pano de fundo Comentário: Na FIGURA 11 mostra a tela deste recurso, que apóia na formatação da cor do fundo do slide atual. SLIDE MESTRE Procedimentos: 1. No menu Exibir, Mestre; 2. Para fechar, Janela modo de exibição mestre, Fechar modo de exibição mestre. 3. Comentário: O slide mestre é um recurso que armazena informações sobre o modelo, inclusive os estilos de fontes, tamanhos e posições de espaços reservados. O objetivo do slide mestre é permitir fazer alterações em toda a apresentação, tal como substituição do estilo da fonte. Usa-se o slide mestre para alterar a fonte ou os marcadores, para inserir arte, como um logotipo (deve aparecer em vários slides) e para alterar as posições, tamanho e
  • 18. 14 formatação de espaços reservados (FIGURA 13). Quando o slide mestre é alterado, as alterações efetuadas nos slides individuais são preservadas. FIGURA 12 – Tela do slide mestre Estilos de fontes para texto de título, corpo e rodapé Posições do espaço reservado para texto e objetos Estilos de marcadores Design do plano de fundo e esquema de cores Fechar o modo de exibição mestre
  • 19. 15 MARCADORES Procedimentos: 1. Selecionar com o cursor os itens a serem marcados; 2. No menu Formatar, Marcadores e numeração; 3. Na Janela Marcadores e numeração, optar pelo modelo de marcador ou de numeração. FIGURA 13 – Tela de marcadores e numeração Comentário: Na FIGURA 13 mostra a tela deste recurso, que apóia na formatação do tipo de marcador ou numeração.
  • 20. 16 EDITAR A APRESENTAÇÃO NOVO SLIDE Procedimentos: 1. No menu Inserir, Novo slide; 2. Na janela Layout de slide, opção por layout texto, conteúdo, texto-conteúdo e outros. FIGURA 14 – Novo slide e a janela de layout Comentário: Na FIGURA 14 mostra a tela novo slide com a janela de layout aberta automaticamente para a seleção de opção de texto e conteúdo. DUPLICAR SLIDE Procedimentos:
  • 21. 17 1. Verificar na barra de status ou no painel se o slide a ser duplicado é o atual; no modo de exibição normal; 2. No menu Inserir, Duplicar slide; Comentário: este recurso agiliza a edição quando a formatação dos slides é semelhante. INSERIR ELEMENTOS GRÁFICOS Procedimentos: 1. No menu Inserir; abre a menu de opções; 2. Selecionar Imagem, diagrama, caixa de texto, gráfico, tabela ou objeto, conforme a necessidade. FIGURA 15 – Inserção de elementos gráficos
  • 22. 18 Comentário: Na FIGURA 15, verifica-se o menu de opções para inserir elementos gráficos. O layout de slides também oferece o recurso de inserção de elementos gráficos. INCREMENTAR A APRESENTAÇÃO ESQUEMAS DE ANIMAÇÃO Procedimentos: 1. No menu Apresentação; opção Esquemas de animação; 2. Selecionar o tipo de animação desejado. FIGURA 16 – Janela de esquemas de animação Comentário: Na FIGURA 16, verifica-se a janela de esquemas de animação. Este efeito ocorre nos elementos gráficos do slide e deve ser utilizado com muito critério.
  • 23. 19 É indicado para conteúdos que apresentam movimento na exposição. Como exemplo, o movimento de regulagem de um equipamento pode ser demonstrado através de um esquema de animação. Se não houver uma boa justificativa, este recurso não deve ser usado, pois pode desviar a atenção da platéia do assunto da apresentação. TRANSIÇÃO DE SLIDES Procedimentos: 1. No menu Exibir; opção Classificação de slide; 2. No menu Editar; opção Selecionar tudo; 3. No menu Apresentação; opção Transição de slide; 4. Selecionar Imagem, diagrama, caixa de texto, gráfico, tabela ou objeto, conforme a necessidade. FIGURA 17 – Janela de transição de slides
  • 24. 20 Comentário: Na FIGURA 17, verifica-se a janela de transição de slides. As transições de slides são efeitos que ocorrem durante a passagem de um slide e outro. EXIBIR A APRESENTAÇÃO Procedimentos: 1. No menu Apresentação; opção exibir apresentação; 2. Para mudar o slide usa-se o mouse nos botões na base, lado esquerdo da tela ou através da teclas PGUP (para trás) e PGDN (para frente). Comentário: A apresentação pode ser finalizada através da janela de opções acionada pelo terceiro botão (da esquerda para direita) na base da tela lado esquerdo. Ë possível abrir esta janela de opções clicando com o botão direito do mouse sobre a apresentação (FIGURA 7). Pode ser utilizada também a tecla ESC. IMPRIMIR DA APRESENTAÇÃO Procedimentos: 1. No menu Arquivo; abre a menu de opções; 2. Selecionar imprimir.
  • 25. 21 FIGURA 18 – Janela de impressão Comentário: Na FIGURA 18, verifica-se a janela imprimir. É possível imprimir os slides, folhetos (grupo de slides), anotações, estrutura de tópicos através da caixa de opções imprimir. GRAVAR A APRESENTAÇÃO Procedimentos: 1. No menu Arquivo; abre o menu de opções; 2. Selecionar salvar como; 3. Na janela Salvar como, selecionar pasta e digitar nome do arquivo.
  • 26. 22 FIGURA 19 – Janela de salvar como Comentário: Na FIGURA 19, verifica-se a janela salvar como. Para nomear um arquivo sugere-se o tag (palavra-chave), hífen, descrição breve do conteúdo do arquivo, under line (_), data de edição no formato (aammdd). FECHAR O PROGRAMA Procedimento: 1. No menu Arquivo, clique em Sair.
  • 27. 23 CONSIDERAÇÕES FINAIS A apresentação e discussão do conhecimento é a parte final do processo de pesquisa e extensão implementado pelos acadêmicos comprometidos com a formação profissional. Etapas relacionadas à escolha do problema de estudo, a busca da literatura do assunto, a leitura do material bibliográfico, a reflexão, a redação de textos precedem ao momento da preparação de um seminário. A elaboração de uma apresentação de slides é uma das tarefas da preparação do seminário. O uso do programa PowerPoint pode auxiliar o acadêmico no desenvolvimento uma boa exibição de conteúdos. Entretanto, por melhor que seja uma apresentação, ela jamais irá dispensar do palestrante o domínio do conhecimento. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA HENDERIKEX, E. M. J. Produção visual colorido para transparência. Curitiba: Emater – Paraná, 1990. LOPES, E. B. Cartaz. Curitiba: Emater – Paraná, 1995. MICROSOFT. Slides de desing. In: Office Online. Disponível em: <http://office.microsoft.com/pt-br/templates/CT101172621046.aspx?Origin=EC010172871046&CTT=6&av=ZPP> Acesso em: 27/02/2010. MINK, C. Microsoft Office 2000. São Paulo: Makron Books, 1999. VERIT, J. C. Técnicas de Apresentação. SLIDESHARE, 2008; Disponível em: <http://www.slideshare.net/Verit/seminrio>. Acesso em: 01/04/2010. VILELA JUNIOR, G. B. Como preparar um seminário. Ponta Grossa: Universidade Estadual de Ponta Grossa, Arquivo PDF, 2008. Disponível em: <http://www.guanis.org/aprendizagem/aula09.pdf>. Acesso em: 01/04/2010.