SlideShare uma empresa Scribd logo
Profª Carolline
3ºAno
Evolução
Criacionismo x Evolucinismo
 Criacionismo
 Todas as espécies vivas foram criadas por ato divino tal e qual se
apresentam hoje
 Conjunto de dogmas
 Evolucionismo
 Século XVIII e XIX
 Seres vivos se modificavam ao longo do tempo
 Novas espécies surgem a partir de espécies ancestrais
 Está sujeito a novas explicações
Lamarckismo
 Formas primitivas surgiam de gerações espontâneas
 Seres vivos atuais surgiram a partir de transformações de
formas primitivas
 Tendência ao aumento de complexidade
 Influência do ambiente
 Lei do uso e desuso
 Transmissão das características
adquiridas
Darwinismo
 Ancestralidade comum
 Todo ser vivo, em algum ponto no passado, compartilha um mesmo
ancestral
 Seleção natural
 Sobrevivência dos indivíduos e sucesso reprodutivo dependem de sua
adaptação ao meio em que vivem
Fatos do Darwinismo
Fato 1. Populações tendem a crescer rapidamente
Potencial reprodutivo
Fato 2. O tamanho das populações naturais mantém-se
relativamente constante  Limitadas pelo ambiente
(comida, competição, predação)
Inferência 1: A cada geração muitos indivíduos morrem sem
deixar descendentes
Fatos do Darwinismo
Fato 3. Indivíduos de uma população diferem entre si
quanto a capacidade de explorar recursos e
reproduzir
Inferência 2. Os que sobrevivem e reproduzem são os que se
adaptam às condições ambientais  seleção natural
Fato 4. Grande parte das características de uma
geração é herdade dos pais
Inferência 3. A cada geração sobrevivem os mais adaptados,
que transmitem as características aos descendentes
Darwin – A origem das espécies
 Viagem a bordo do Beagle (1831-1836)
 Visitou diversos lugares naAmérica do Sul, daAustrália e
arquipélagos tropicais
 Patagônia – fósseis de animais já extintos
 Galápagos
 Fauna e flora que variavam entre as ilhas e diferiam das
encontradas na América do sul
Teoria da Evolução
“Se animais e plantas haviam sido criados tal e qual se
apresentam hoje, por que espécies distintas, mas
nitidamente semelhantes, como as de pássaros e de
jabutis de Galápagos, foram colocados pelo Criador
em ilhas próximas e não distribuídas
homogeneamente pelo mundo?”
 Para Darwin, as espécies se originaram de ancestrais comuns,
provenientes dos continentes próximos
 Em cada uma das ilhas as populações se adaptaram,
originando novas variedades ou espécies.
Seleção Natural
 A natureza seleciona, nas espécies selvagens, os indivíduos
mais adaptados
 Esses deixam um número proporcionalmente maior de
descendentes, formando a geração seguinte
Evidências da evolução
 Documentário fóssil
 Vestígios deixados por animais que viveram no passado
 Ossos, dentes, pegadas, fezes petrificadas, animais conservados no gelo...
 Permitem deduzir o tamanho e a forma dos organismos
 Datação Carbono-14
 Esse isótopo do carbono liga-se facilmente com o oxigênio,
formando o gás carbônico (14CO2), que é absorvido pelas
plantas.
 Quando um ser vivo morre, a quantidade de carbono 14
diminui
 O tempo de meia vida do carbono 14 (14C) é de 5730 anos.
 se um organismo morreu há 5730 anos terá a metade do
conteúdo de 14C.
 quanto menor é a quantidade de carbono 14 encontrada na
amostra mais antiga ela é.
 Adaptação dos seres vivos a seus ambientes
 Anatomia, fisiologia e comportamento estão atrelados ao
ambiente
 Adaptação por meio da seleção natural
 Semelhanças anatômicas e fisiológicas
 Estruturas anatômicas semelhantes
 Asas de morcego e de aves,
 nadadeira de golfinhos e braços de uma pessoa
 Órgãos Homólogos
 são órgãos que têm origem embrionária semelhante, porém podem ou
não desempenhar as mesmas funções.
 ÓrgãosAnálogos
 são órgãos que têm a mesma função em diferentes tipos de seres vivos,
mas que possuem origem embrionária e estruturas diferentes.
 Divergência evolutiva
 Adaptação a modos de vida distintos
 Convergência evolutiva
 A adaptação evolutiva a modos de vida semelhantes
 desenvolverem formas semelhantes
Teoria moderna da evolução
 A evolução pode ser explicada pelas mutações e pela
recombinação genética  orientadas pela seleção natural
 Três fatores evolutivos principais
 Mutação  novos alelos
 Espontâneas
 Agentes mutagênicos
 Recombinação  novas combinações gênicas
 Seleção natural  seleciona os mais aptos em cada contexto
evolutivo
 Estabilizadora
 Direcional
 Disruptiva
Seleção Natural
 Direcional:
 Favorece indivíduos menores e irá produzir um decréscimo no tamanho
corporal médio.
 Ex: antibiótico x bactéria
 Estabilizadora:
 Os membros médio de uma população, com tamanhos corporais
intermediários, possuem uma aptidão maior do que os tipos extremos.
 mantém a população constante ao longo do tempo.
 Ex: Bebês de tamanhos médios
 Disruptiva:
 ambos os extremos são favorecidos.
 porque pode aumentar a diversidade genética de uma população
 pode promover especiação.
 Ex: Diferentes bicos de pássaros
Seleção sexual
 habilidade de um organismo de copular
 organismos chegam ao extremo por sexo:
 pavões mantêm rabos elaborados,
 elefantes marinhos brigam por territórios,
Teoria da Evolução
 Homeostase
 Norma de reação
 ajustamento, por meio de mecanismo que compensam a
variação ambiental,
 mantém constantes determinadas funções orgânicas,
permitindo adaptação ao meio
 Camuflagem
 Uma ou mais características que os assemelhem ao ambiente
 Dificultam a sua localização por presas ou predadores
 Coloração de aviso
 Cores que destacam no ambiente
 Alerta aos predadores que o animal tem sabor desagradável ou é
tóxico
 Mimetismo
 Duas espécies diferentes assemelham-se em certas
características

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ecologia geral
Ecologia geralEcologia geral
Ecologia geral
terceirob
 
Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0
rnogueira
 
Conceitos basicos da ecologia cap 5
Conceitos basicos da ecologia cap 5Conceitos basicos da ecologia cap 5
Conceitos basicos da ecologia cap 5
Raphaell Garcia
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Slides ecologia
Slides ecologiaSlides ecologia
Slides ecologia
Juliana Vasconcelos
 
Introdução á Ecologia
Introdução á EcologiaIntrodução á Ecologia
Introdução á Ecologia
Leandro A. Machado de Moura
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Bio Sem Limites
 
Níveis de organização
Níveis de organizaçãoNíveis de organização
Níveis de organização
unesp
 
Conceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em EcologiaConceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em Ecologia
Bio Sem Limites
 
Aula 1 ecologia
Aula 1   ecologiaAula 1   ecologia
Aula 1 ecologia
Natália Michelan
 
O que a ecologia estuda
O que a ecologia estudaO que a ecologia estuda
O que a ecologia estuda
DenisBarros13
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
Fernanda Reis Dias
 
Texto complementar ecossistema(1)
Texto complementar ecossistema(1)Texto complementar ecossistema(1)
Texto complementar ecossistema(1)
Jose Aldo Ramires
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
CPM
 
Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
Ilsoflavio
 
Níveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosfera
Níveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosferaNíveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosfera
Níveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosfera
Everson Carabolante
 
Fluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos Ecossistemas
Fluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos EcossistemasFluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos Ecossistemas
Fluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos Ecossistemas
Cristina Couto Varela
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Antonio Fernandes
 
Especialidade de Ecologia - Aula PPT
Especialidade de Ecologia - Aula PPTEspecialidade de Ecologia - Aula PPT
Especialidade de Ecologia - Aula PPT
Pedro Henrique Araújo
 
Ecologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidadeEcologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidade
Luciara Andrade
 

Mais procurados (20)

Ecologia geral
Ecologia geralEcologia geral
Ecologia geral
 
Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0Ecologia 2012 1.0
Ecologia 2012 1.0
 
Conceitos basicos da ecologia cap 5
Conceitos basicos da ecologia cap 5Conceitos basicos da ecologia cap 5
Conceitos basicos da ecologia cap 5
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Slides ecologia
Slides ecologiaSlides ecologia
Slides ecologia
 
Introdução á Ecologia
Introdução á EcologiaIntrodução á Ecologia
Introdução á Ecologia
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Níveis de organização
Níveis de organizaçãoNíveis de organização
Níveis de organização
 
Conceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em EcologiaConceitos Básicos em Ecologia
Conceitos Básicos em Ecologia
 
Aula 1 ecologia
Aula 1   ecologiaAula 1   ecologia
Aula 1 ecologia
 
O que a ecologia estuda
O que a ecologia estudaO que a ecologia estuda
O que a ecologia estuda
 
Ecossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º anoEcossistemas 6º ano
Ecossistemas 6º ano
 
Texto complementar ecossistema(1)
Texto complementar ecossistema(1)Texto complementar ecossistema(1)
Texto complementar ecossistema(1)
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
 
Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01Aula de ecologia 01
Aula de ecologia 01
 
Níveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosfera
Níveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosferaNíveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosfera
Níveis de organização ecológico população, comunidade, ecossistema e biosfera
 
Fluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos Ecossistemas
Fluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos EcossistemasFluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos Ecossistemas
Fluxos de Energia e Ciclos de Matéria nos Ecossistemas
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
 
Especialidade de Ecologia - Aula PPT
Especialidade de Ecologia - Aula PPTEspecialidade de Ecologia - Aula PPT
Especialidade de Ecologia - Aula PPT
 
Ecologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidadeEcologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidade
 

Destaque

Revisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enemRevisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enem
Estude Mais
 
Ecologia comunidades
Ecologia comunidadesEcologia comunidades
Ecologia comunidades
Estude Mais
 
Sucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomasSucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomas
Estude Mais
 
Química: 1º Bimestre - 1º ano
Química: 1º Bimestre - 1º anoQuímica: 1º Bimestre - 1º ano
Química: 1º Bimestre - 1º ano
Estude Mais
 
Átomos
ÁtomosÁtomos
Átomos
Estude Mais
 
A dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosferaA dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosfera
Estude Mais
 
Lista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matrizLista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matriz
Estude Mais
 
Energia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemasEnergia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemas
Estude Mais
 
Teoria do conhecimento
Teoria do conhecimentoTeoria do conhecimento
Teoria do conhecimento
Estude Mais
 
Ligações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicasLigações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicas
Estude Mais
 
Ligações quimicas
Ligações quimicasLigações quimicas
Ligações quimicas
Estude Mais
 
Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofia
Estude Mais
 
Populacoes Biologicas
Populacoes BiologicasPopulacoes Biologicas
Populacoes Biologicas
Estude Mais
 
Sistema urinario
Sistema urinarioSistema urinario
Sistema urinario
Estude Mais
 
2º lei de mendel ii
2º lei de mendel ii2º lei de mendel ii
2º lei de mendel ii
Estude Mais
 
Biologia anelideos
Biologia anelideosBiologia anelideos
Biologia anelideos
Estude Mais
 
Ap chelicerata
Ap chelicerataAp chelicerata
Ap chelicerata
henriqueneto
 
A formação dos solos
A formação dos solosA formação dos solos
A formação dos solos
Estude Mais
 
Exercicios de combinacao
Exercicios de combinacaoExercicios de combinacao
Exercicios de combinacao
Estude Mais
 
Exercicios de Matematica
Exercicios de MatematicaExercicios de Matematica
Exercicios de Matematica
Estude Mais
 

Destaque (20)

Revisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enemRevisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enem
 
Ecologia comunidades
Ecologia comunidadesEcologia comunidades
Ecologia comunidades
 
Sucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomasSucessao ecologica e biomas
Sucessao ecologica e biomas
 
Química: 1º Bimestre - 1º ano
Química: 1º Bimestre - 1º anoQuímica: 1º Bimestre - 1º ano
Química: 1º Bimestre - 1º ano
 
Átomos
ÁtomosÁtomos
Átomos
 
A dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosferaA dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosfera
 
Lista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matrizLista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matriz
 
Energia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemasEnergia e materia nos ecossistemas
Energia e materia nos ecossistemas
 
Teoria do conhecimento
Teoria do conhecimentoTeoria do conhecimento
Teoria do conhecimento
 
Ligações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicasLigações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicas
 
Ligações quimicas
Ligações quimicasLigações quimicas
Ligações quimicas
 
Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofia
 
Populacoes Biologicas
Populacoes BiologicasPopulacoes Biologicas
Populacoes Biologicas
 
Sistema urinario
Sistema urinarioSistema urinario
Sistema urinario
 
2º lei de mendel ii
2º lei de mendel ii2º lei de mendel ii
2º lei de mendel ii
 
Biologia anelideos
Biologia anelideosBiologia anelideos
Biologia anelideos
 
Ap chelicerata
Ap chelicerataAp chelicerata
Ap chelicerata
 
A formação dos solos
A formação dos solosA formação dos solos
A formação dos solos
 
Exercicios de combinacao
Exercicios de combinacaoExercicios de combinacao
Exercicios de combinacao
 
Exercicios de Matematica
Exercicios de MatematicaExercicios de Matematica
Exercicios de Matematica
 

Semelhante a Teoria da Evolução

Evolução biológica.1
Evolução biológica.1Evolução biológica.1
Evolução biológica.1
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
franciscoerivaldo
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
franciscoerivaldo
 
3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas
Maria da Gloria Santos
 
Teorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. ArleiTeorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. Arlei
Carmina Monteiro
 
A teoria sintética do Darwin
A teoria sintética do DarwinA teoria sintética do Darwin
A teoria sintética do Darwin
Pedro Kangombe
 
Mecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológicaMecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológica
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Evolucao ceped
Evolucao cepedEvolucao ceped
EvoluçãO
EvoluçãOEvoluçãO
EvoluçãO
profatatiana
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
profatatiana
 
Teorias de evolução
Teorias de evoluçãoTeorias de evolução
Teorias de evolução
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Apostila bio2
Apostila bio2Apostila bio2
Apostila bio2
resolvidos
 
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao NaturalEducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
Educ Spam
 
Evolução curso
Evolução cursoEvolução curso
Evolução curso
Marcos Albuquerque
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
A evolução de populações
A evolução de populaçõesA evolução de populações
A evolução de populações
unesp
 
Princípios da Evolução
Princípios da EvoluçãoPrincípios da Evolução
Princípios da Evolução
Leandro A. Machado de Moura
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
emanuel
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aula
Vídeo Aulas Apoio
 
Evolução - Especiação
Evolução - EspeciaçãoEvolução - Especiação
Evolução - Especiação
3a-manha
 

Semelhante a Teoria da Evolução (20)

Evolução biológica.1
Evolução biológica.1Evolução biológica.1
Evolução biológica.1
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
 
Teorias evolutiva serem
Teorias evolutiva seremTeorias evolutiva serem
Teorias evolutiva serem
 
3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas3 teorias evolucionistas
3 teorias evolucionistas
 
Teorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. ArleiTeorias da Evolução - Prof. Arlei
Teorias da Evolução - Prof. Arlei
 
A teoria sintética do Darwin
A teoria sintética do DarwinA teoria sintética do Darwin
A teoria sintética do Darwin
 
Mecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológicaMecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológica
 
Evolucao ceped
Evolucao cepedEvolucao ceped
Evolucao ceped
 
EvoluçãO
EvoluçãOEvoluçãO
EvoluçãO
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Teorias de evolução
Teorias de evoluçãoTeorias de evolução
Teorias de evolução
 
Apostila bio2
Apostila bio2Apostila bio2
Apostila bio2
 
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao NaturalEducSpam Evolucao e Selecao Natural
EducSpam Evolucao e Selecao Natural
 
Evolução curso
Evolução cursoEvolução curso
Evolução curso
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
A evolução de populações
A evolução de populaçõesA evolução de populações
A evolução de populações
 
Princípios da Evolução
Princípios da EvoluçãoPrincípios da Evolução
Princípios da Evolução
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Evolução - Vídeo Aula
 
Evolução - Especiação
Evolução - EspeciaçãoEvolução - Especiação
Evolução - Especiação
 

Mais de Estude Mais

Exercício sobre Evolução
Exercício sobre EvoluçãoExercício sobre Evolução
Exercício sobre Evolução
Estude Mais
 
Exercicios de estatistica
Exercicios de estatisticaExercicios de estatistica
Exercicios de estatistica
Estude Mais
 
O que é um seminario
O que é um seminarioO que é um seminario
O que é um seminario
Estude Mais
 
Guia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de semináriosGuia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de seminários
Estude Mais
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
Estude Mais
 
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enemCilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Estude Mais
 
Exercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enemExercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enem
Estude Mais
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
Estude Mais
 
Melhoramento genetico
Melhoramento geneticoMelhoramento genetico
Melhoramento genetico
Estude Mais
 
Questoes do enem de portugues
Questoes do enem de portuguesQuestoes do enem de portugues
Questoes do enem de portugues
Estude Mais
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
Estude Mais
 
Regime liberal populista
Regime liberal populistaRegime liberal populista
Regime liberal populista
Estude Mais
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
Estude Mais
 
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Estude Mais
 
Exercicio de polinomios
Exercicio de polinomiosExercicio de polinomios
Exercicio de polinomios
Estude Mais
 
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostaticoExercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Estude Mais
 
Exercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeiraExercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeira
Estude Mais
 
Exercicios de isomeria
Exercicios de isomeriaExercicios de isomeria
Exercicios de isomeria
Estude Mais
 
Exercicio sobre mapeamento cromossomico
Exercicio sobre mapeamento cromossomicoExercicio sobre mapeamento cromossomico
Exercicio sobre mapeamento cromossomico
Estude Mais
 
Questoes do enem sobre porcentagem
Questoes do enem sobre porcentagemQuestoes do enem sobre porcentagem
Questoes do enem sobre porcentagem
Estude Mais
 

Mais de Estude Mais (20)

Exercício sobre Evolução
Exercício sobre EvoluçãoExercício sobre Evolução
Exercício sobre Evolução
 
Exercicios de estatistica
Exercicios de estatisticaExercicios de estatistica
Exercicios de estatistica
 
O que é um seminario
O que é um seminarioO que é um seminario
O que é um seminario
 
Guia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de semináriosGuia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de seminários
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
 
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enemCilindros e prisma e geometria plana no enem
Cilindros e prisma e geometria plana no enem
 
Exercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enemExercicios de estatistica no enem
Exercicios de estatistica no enem
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
 
Melhoramento genetico
Melhoramento geneticoMelhoramento genetico
Melhoramento genetico
 
Questoes do enem de portugues
Questoes do enem de portuguesQuestoes do enem de portugues
Questoes do enem de portugues
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
 
Regime liberal populista
Regime liberal populistaRegime liberal populista
Regime liberal populista
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2Revisao do 3 bimestre de biologia 2
Revisao do 3 bimestre de biologia 2
 
Exercicio de polinomios
Exercicio de polinomiosExercicio de polinomios
Exercicio de polinomios
 
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostaticoExercicio de condutores em equilibro eletrostatico
Exercicio de condutores em equilibro eletrostatico
 
Exercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeiraExercicios de matematica financeira
Exercicios de matematica financeira
 
Exercicios de isomeria
Exercicios de isomeriaExercicios de isomeria
Exercicios de isomeria
 
Exercicio sobre mapeamento cromossomico
Exercicio sobre mapeamento cromossomicoExercicio sobre mapeamento cromossomico
Exercicio sobre mapeamento cromossomico
 
Questoes do enem sobre porcentagem
Questoes do enem sobre porcentagemQuestoes do enem sobre porcentagem
Questoes do enem sobre porcentagem
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 

Teoria da Evolução

  • 2. Criacionismo x Evolucinismo  Criacionismo  Todas as espécies vivas foram criadas por ato divino tal e qual se apresentam hoje  Conjunto de dogmas  Evolucionismo  Século XVIII e XIX  Seres vivos se modificavam ao longo do tempo  Novas espécies surgem a partir de espécies ancestrais  Está sujeito a novas explicações
  • 3. Lamarckismo  Formas primitivas surgiam de gerações espontâneas  Seres vivos atuais surgiram a partir de transformações de formas primitivas  Tendência ao aumento de complexidade  Influência do ambiente  Lei do uso e desuso  Transmissão das características adquiridas
  • 4. Darwinismo  Ancestralidade comum  Todo ser vivo, em algum ponto no passado, compartilha um mesmo ancestral  Seleção natural  Sobrevivência dos indivíduos e sucesso reprodutivo dependem de sua adaptação ao meio em que vivem
  • 5. Fatos do Darwinismo Fato 1. Populações tendem a crescer rapidamente Potencial reprodutivo Fato 2. O tamanho das populações naturais mantém-se relativamente constante  Limitadas pelo ambiente (comida, competição, predação) Inferência 1: A cada geração muitos indivíduos morrem sem deixar descendentes
  • 6. Fatos do Darwinismo Fato 3. Indivíduos de uma população diferem entre si quanto a capacidade de explorar recursos e reproduzir Inferência 2. Os que sobrevivem e reproduzem são os que se adaptam às condições ambientais  seleção natural Fato 4. Grande parte das características de uma geração é herdade dos pais Inferência 3. A cada geração sobrevivem os mais adaptados, que transmitem as características aos descendentes
  • 7. Darwin – A origem das espécies  Viagem a bordo do Beagle (1831-1836)  Visitou diversos lugares naAmérica do Sul, daAustrália e arquipélagos tropicais  Patagônia – fósseis de animais já extintos  Galápagos  Fauna e flora que variavam entre as ilhas e diferiam das encontradas na América do sul
  • 9. “Se animais e plantas haviam sido criados tal e qual se apresentam hoje, por que espécies distintas, mas nitidamente semelhantes, como as de pássaros e de jabutis de Galápagos, foram colocados pelo Criador em ilhas próximas e não distribuídas homogeneamente pelo mundo?”  Para Darwin, as espécies se originaram de ancestrais comuns, provenientes dos continentes próximos  Em cada uma das ilhas as populações se adaptaram, originando novas variedades ou espécies.
  • 10. Seleção Natural  A natureza seleciona, nas espécies selvagens, os indivíduos mais adaptados  Esses deixam um número proporcionalmente maior de descendentes, formando a geração seguinte
  • 11. Evidências da evolução  Documentário fóssil  Vestígios deixados por animais que viveram no passado  Ossos, dentes, pegadas, fezes petrificadas, animais conservados no gelo...  Permitem deduzir o tamanho e a forma dos organismos
  • 12.  Datação Carbono-14  Esse isótopo do carbono liga-se facilmente com o oxigênio, formando o gás carbônico (14CO2), que é absorvido pelas plantas.  Quando um ser vivo morre, a quantidade de carbono 14 diminui  O tempo de meia vida do carbono 14 (14C) é de 5730 anos.  se um organismo morreu há 5730 anos terá a metade do conteúdo de 14C.  quanto menor é a quantidade de carbono 14 encontrada na amostra mais antiga ela é.
  • 13.  Adaptação dos seres vivos a seus ambientes  Anatomia, fisiologia e comportamento estão atrelados ao ambiente  Adaptação por meio da seleção natural
  • 14.  Semelhanças anatômicas e fisiológicas  Estruturas anatômicas semelhantes  Asas de morcego e de aves,  nadadeira de golfinhos e braços de uma pessoa
  • 15.  Órgãos Homólogos  são órgãos que têm origem embrionária semelhante, porém podem ou não desempenhar as mesmas funções.  ÓrgãosAnálogos  são órgãos que têm a mesma função em diferentes tipos de seres vivos, mas que possuem origem embrionária e estruturas diferentes.  Divergência evolutiva  Adaptação a modos de vida distintos  Convergência evolutiva  A adaptação evolutiva a modos de vida semelhantes  desenvolverem formas semelhantes
  • 16. Teoria moderna da evolução  A evolução pode ser explicada pelas mutações e pela recombinação genética  orientadas pela seleção natural  Três fatores evolutivos principais  Mutação  novos alelos  Espontâneas  Agentes mutagênicos  Recombinação  novas combinações gênicas  Seleção natural  seleciona os mais aptos em cada contexto evolutivo  Estabilizadora  Direcional  Disruptiva
  • 17. Seleção Natural  Direcional:  Favorece indivíduos menores e irá produzir um decréscimo no tamanho corporal médio.  Ex: antibiótico x bactéria  Estabilizadora:  Os membros médio de uma população, com tamanhos corporais intermediários, possuem uma aptidão maior do que os tipos extremos.  mantém a população constante ao longo do tempo.  Ex: Bebês de tamanhos médios  Disruptiva:  ambos os extremos são favorecidos.  porque pode aumentar a diversidade genética de uma população  pode promover especiação.  Ex: Diferentes bicos de pássaros
  • 18. Seleção sexual  habilidade de um organismo de copular  organismos chegam ao extremo por sexo:  pavões mantêm rabos elaborados,  elefantes marinhos brigam por territórios,
  • 20.  Homeostase  Norma de reação  ajustamento, por meio de mecanismo que compensam a variação ambiental,  mantém constantes determinadas funções orgânicas, permitindo adaptação ao meio
  • 21.  Camuflagem  Uma ou mais características que os assemelhem ao ambiente  Dificultam a sua localização por presas ou predadores
  • 22.  Coloração de aviso  Cores que destacam no ambiente  Alerta aos predadores que o animal tem sabor desagradável ou é tóxico
  • 23.  Mimetismo  Duas espécies diferentes assemelham-se em certas características