SlideShare uma empresa Scribd logo
FILOSOFIA
Professora Erica Frau
DAVID
HUME
1711 - 1776
• David Hume (1711-1776) foi um filósofo e ensaísta
escocês, um dos mais importantes
representantes do empirismo. Sofreu críticas da
igreja por suas posições, mas influenciou muitos
filósofos posteriores a ele.
• David Hume (1711-1776) nasceu em Edimburgo,
na Escócia, no dia 7 de maio de 1711. Ingressou
na Universidade de Edimburgo. Em 1734, viajou
para a França, onde escreveu três anos depois,
o “Tratado da Natureza Humana" e “As Cartas
Inglesas”. Mas é a publicação do livro “Ensaios
Morais e Políticos” que lhe traz algum renome.
Em 1751, publica o primeiro volume da
“Enciclopédia”. No ano de 1754, surge o primeiro
volume da “História da Inglaterra”.
• Os livros de Hume foram condenados
pela igreja católica, sendo colocados
no índice de livros proibidos. Isto
aconteceu por que o filósofo
acreditava que a moralidade
humana não era fruto da ordem
divina preexistente, mas oriunda da
criação humana. Foi acusado de
heresia e de ateísmo.
• Apesar da rejeição da igreja e recusa
do mundo acadêmico, Hume foi
grande influenciador de filósofos e
pensadores como Kant, John Mill, e
Augusto Conte.
• David Hume morreu em Edimburgo,
na Escócia, no dia 25 de agosto de
1776.
• Na obra Investigação sobre o entendimento
humano, Hume formulou a sua teoria do
conhecimento.
• Dividiu, primeiramente, tudo aquilo que
percebemos em impressões e ideias:
• IMPRESSÕES: referem-se aos dados
fornecidos pelos sentidos, como por
exemplo, as impressões visuais, auditivas e
táteis.
• IDEIAS: referem-se as representações
mentais (memória, imaginação, etc)
derivadas das impressões.
• Assim, toda ideia é uma
re(a)presentação de alguma
impressão.
• Essa representação pode possuir
deferentes graus de fidelidade.
Alguém que nunca teve uma
impressão visual, um cego de
nascença, por exemplo, jamais
poderá ter uma ideia de cor,
ainda que seja uma ideia não
muito fiel.
CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO
• O raciocínio indutivo vai do particular para o geral.
• As conclusões indutivas são produzidas, portanto, pelo seguinte
processo mental:
• Partindo de percepções repetidas que nos chegam da
experiência sensorial, saltamos para uma conclusão geral, da
qual não temos experiência sensorial.
• Hume argumentou que, a conclusão indutiva, por maior que seja o
número de percepções repetidas do mesmo fato, não possui
fundamento lógico.
• Será sempre um salto de raciocínio impulsionado pela crença ou
hábito, isto é, as repetidas percepções de um fato, nos levam a
confiar em que aquilo que se repetiu até hoje irá se repetir amanhã.
CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO
Assim, por exemplo,
cremos que o Sol
nascerá amanhã porque
até hoje ele sempre
nasceu. Mas nada pode
garantir essa certeza em
termos lógicos.
CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO
Ao questionar a validade lógica do
raciocínio indutivo, o valor da obra de
Hume foi deixar um importante problema
para os teóricos do conhecimento.
Afinal, é ou não possível partirmos de
experiências particulares para chegarmos a
conclusões gerais, representadas pelas leis
científicas?
CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO
Enquanto o senso comum acredita que por meio de
observações repetidas, realizadas no passado, podemos
justificar nossas expectativas futuras, Hume sustenta que a
repetição de um fato não nos permite concluir, em termos
lógicos, que ele continuará a repetir-se da mesma forma,
indefinidamente.
OUTROS FILÓSOFOS EMPIRISTAS
Francis Bacon
Thomas Hobbes
John Locke
George Berkeley

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Objeções_Hume
Objeções_HumeObjeções_Hume
Objeções_Hume
Isabel Moura
 
David hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidadeDavid hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidade
Francis Mary Rosa
 
Impressões e ideias
Impressões e ideiasImpressões e ideias
Impressões e ideias
Luis De Sousa Rodrigues
 
O indutivismo
O indutivismoO indutivismo
Ceticismo
CeticismoCeticismo
O que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofiaO que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofia
Marcelo Avila
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
Erica Frau
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
Helena Serrão
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
Joana Filipa Rodrigues
 
Objeções_falsificacionismo
Objeções_falsificacionismoObjeções_falsificacionismo
Objeções_falsificacionismo
Isabel Moura
 
Dogmatismo
DogmatismoDogmatismo
Dogmatismo
Aldenei Barros
 
O conhecimento do mundo a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo   a uniformidade da naturezaO conhecimento do mundo   a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo a uniformidade da natureza
Luis De Sousa Rodrigues
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Hume_tipos_conhecimento
Hume_tipos_conhecimentoHume_tipos_conhecimento
Hume_tipos_conhecimento
Isabel Moura
 
Impressões e ideias
Impressões e ideiasImpressões e ideias
Impressões e ideias
Luis De Sousa Rodrigues
 
Epistemologia de Popper
Epistemologia de PopperEpistemologia de Popper
Epistemologia de Popper
Gracieli Henicka
 
Trabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimentoTrabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimento
João Bastos
 
Ppt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartesPpt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartes
AnaKlein1
 
Objectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científicaObjectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científica
AMLDRP
 

Mais procurados (20)

Objeções_Hume
Objeções_HumeObjeções_Hume
Objeções_Hume
 
David hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidadeDavid hume e a critica à causalidade
David hume e a critica à causalidade
 
Impressões e ideias
Impressões e ideiasImpressões e ideias
Impressões e ideias
 
O indutivismo
O indutivismoO indutivismo
O indutivismo
 
Ceticismo
CeticismoCeticismo
Ceticismo
 
O que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofiaO que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofia
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
 
Objeções_falsificacionismo
Objeções_falsificacionismoObjeções_falsificacionismo
Objeções_falsificacionismo
 
Dogmatismo
DogmatismoDogmatismo
Dogmatismo
 
O conhecimento do mundo a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo   a uniformidade da naturezaO conhecimento do mundo   a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo a uniformidade da natureza
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
 
Hume_tipos_conhecimento
Hume_tipos_conhecimentoHume_tipos_conhecimento
Hume_tipos_conhecimento
 
Popper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismoPopper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismo
 
Impressões e ideias
Impressões e ideiasImpressões e ideias
Impressões e ideias
 
Epistemologia de Popper
Epistemologia de PopperEpistemologia de Popper
Epistemologia de Popper
 
Trabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimentoTrabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimento
 
Ppt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartesPpt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartes
 
Objectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científicaObjectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científica
 

Destaque

Drummond
DrummondDrummond
Drummond
Erica Frau
 
Empirismo 26 tp
Empirismo 26 tpEmpirismo 26 tp
Empirismo 26 tp
Alexandre Misturini
 
Ligações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicasLigações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicas
Estude Mais
 
Capitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da ObraCapitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da Obra
Estude Mais
 
Ligações quimicas
Ligações quimicasLigações quimicas
Ligações quimicas
Estude Mais
 
Tutorial slide share
Tutorial slide shareTutorial slide share
Tutorial slide share
Erica Frau
 
Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15
Filosofia
 
Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22
Filosofia
 
Demonstrações
DemonstraçõesDemonstrações
Demonstrações
Chromus Master
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
Erica Frau
 
Slides trabalho empirismo 25tp 22
Slides trabalho empirismo 25tp 22Slides trabalho empirismo 25tp 22
Slides trabalho empirismo 25tp 22
Alexandre Misturini
 
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos GasesTransformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
Estude Mais
 
Quimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOLQuimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOL
Estude Mais
 
Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofia
Estude Mais
 
6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide
Erica Frau
 
Biomas - resumo
Biomas - resumoBiomas - resumo
Biomas - resumo
Estude Mais
 
As mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofiaAs mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofia
Erica Frau
 
6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia 6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia
Erica Frau
 
Lista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matrizLista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matriz
Estude Mais
 
A dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosferaA dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosfera
Estude Mais
 

Destaque (20)

Drummond
DrummondDrummond
Drummond
 
Empirismo 26 tp
Empirismo 26 tpEmpirismo 26 tp
Empirismo 26 tp
 
Ligações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicasLigações ou interações quimicas
Ligações ou interações quimicas
 
Capitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da ObraCapitães da Areia: Resumo da Obra
Capitães da Areia: Resumo da Obra
 
Ligações quimicas
Ligações quimicasLigações quimicas
Ligações quimicas
 
Tutorial slide share
Tutorial slide shareTutorial slide share
Tutorial slide share
 
Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15
 
Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22
 
Demonstrações
DemonstraçõesDemonstrações
Demonstrações
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
 
Slides trabalho empirismo 25tp 22
Slides trabalho empirismo 25tp 22Slides trabalho empirismo 25tp 22
Slides trabalho empirismo 25tp 22
 
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos GasesTransformações Gasosas: Estudo dos Gases
Transformações Gasosas: Estudo dos Gases
 
Quimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOLQuimica: Exercicios de MOL
Quimica: Exercicios de MOL
 
Aulas de filosofia
Aulas de filosofiaAulas de filosofia
Aulas de filosofia
 
6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide
 
Biomas - resumo
Biomas - resumoBiomas - resumo
Biomas - resumo
 
As mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofiaAs mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofia
 
6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia 6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia
 
Lista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matrizLista de exercícios sobre matriz
Lista de exercícios sobre matriz
 
A dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosferaA dinâmica da atmosfera
A dinâmica da atmosfera
 

Semelhante a 4 Hume

Empirismo de David Hume (Doc.1)
Empirismo de David Hume (Doc.1)Empirismo de David Hume (Doc.1)
Empirismo de David Hume (Doc.1)
guest9578d1
 
O empirismo e o racionalismo (doc.1)
O empirismo e o racionalismo (doc.1)O empirismo e o racionalismo (doc.1)
O empirismo e o racionalismo (doc.1)
Joaquim Melro
 
O emprismo de David Hume (doc. 1)
O emprismo de David Hume (doc. 1)O emprismo de David Hume (doc. 1)
O emprismo de David Hume (doc. 1)
Joaquim Melro
 
Professora Vanúcia: Hume e os empiristas
Professora Vanúcia: Hume e os empiristasProfessora Vanúcia: Hume e os empiristas
Professora Vanúcia: Hume e os empiristas
Vanúcia Moreira
 
David Hume - Trab Grupo VI
David Hume - Trab Grupo VIDavid Hume - Trab Grupo VI
David Hume - Trab Grupo VI
mluisavalente
 
David hume
David humeDavid hume
David Hume (Iluminismo).pptx
David Hume (Iluminismo).pptxDavid Hume (Iluminismo).pptx
David Hume (Iluminismo).pptx
JlioDobicz
 
Cepticismoedogmatismo
CepticismoedogmatismoCepticismoedogmatismo
Cepticismoedogmatismo
Pelo Siro
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Filosofia thais 24 tp
Filosofia thais 24 tpFilosofia thais 24 tp
Filosofia thais 24 tp
alemisturini
 
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICAFILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
AurelianoFerreirades2
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
Alexandre Misturini
 
Frederich Myers
Frederich Myers Frederich Myers
Frederich Myers
Ponte de Luz ASEC
 
Hume_ficha_impressões vs ideias
Hume_ficha_impressões vs ideiasHume_ficha_impressões vs ideias
Hume_ficha_impressões vs ideias
Isabel Moura
 
Resumo Descartes e David Hume - 11º Filosofia
Resumo Descartes e David Hume - 11º FilosofiaResumo Descartes e David Hume - 11º Filosofia
Resumo Descartes e David Hume - 11º Filosofia
Matilde Silva
 
Do padrão do gosto - David Hume
Do padrão do gosto - David HumeDo padrão do gosto - David Hume
Do padrão do gosto - David Hume
Elisama Lopes
 
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em HumeMonografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Nilton Domingues
 
Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...
Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...
Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...
Diego Góes
 
A Causalidade Natural em David Hume
A Causalidade Natural em David HumeA Causalidade Natural em David Hume
A Causalidade Natural em David Hume
Nilton Domingues
 
A filosofia de john locke
A filosofia de john lockeA filosofia de john locke
A filosofia de john locke
Jorge Miklos
 

Semelhante a 4 Hume (20)

Empirismo de David Hume (Doc.1)
Empirismo de David Hume (Doc.1)Empirismo de David Hume (Doc.1)
Empirismo de David Hume (Doc.1)
 
O empirismo e o racionalismo (doc.1)
O empirismo e o racionalismo (doc.1)O empirismo e o racionalismo (doc.1)
O empirismo e o racionalismo (doc.1)
 
O emprismo de David Hume (doc. 1)
O emprismo de David Hume (doc. 1)O emprismo de David Hume (doc. 1)
O emprismo de David Hume (doc. 1)
 
Professora Vanúcia: Hume e os empiristas
Professora Vanúcia: Hume e os empiristasProfessora Vanúcia: Hume e os empiristas
Professora Vanúcia: Hume e os empiristas
 
David Hume - Trab Grupo VI
David Hume - Trab Grupo VIDavid Hume - Trab Grupo VI
David Hume - Trab Grupo VI
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
 
David Hume (Iluminismo).pptx
David Hume (Iluminismo).pptxDavid Hume (Iluminismo).pptx
David Hume (Iluminismo).pptx
 
Cepticismoedogmatismo
CepticismoedogmatismoCepticismoedogmatismo
Cepticismoedogmatismo
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
 
Filosofia thais 24 tp
Filosofia thais 24 tpFilosofia thais 24 tp
Filosofia thais 24 tp
 
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICAFILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
 
Frederich Myers
Frederich Myers Frederich Myers
Frederich Myers
 
Hume_ficha_impressões vs ideias
Hume_ficha_impressões vs ideiasHume_ficha_impressões vs ideias
Hume_ficha_impressões vs ideias
 
Resumo Descartes e David Hume - 11º Filosofia
Resumo Descartes e David Hume - 11º FilosofiaResumo Descartes e David Hume - 11º Filosofia
Resumo Descartes e David Hume - 11º Filosofia
 
Do padrão do gosto - David Hume
Do padrão do gosto - David HumeDo padrão do gosto - David Hume
Do padrão do gosto - David Hume
 
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em HumeMonografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
 
Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...
Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...
Deus, uma ideia improvável -- Religião, psicologia, filosofia e sociedade. - ...
 
A Causalidade Natural em David Hume
A Causalidade Natural em David HumeA Causalidade Natural em David Hume
A Causalidade Natural em David Hume
 
A filosofia de john locke
A filosofia de john lockeA filosofia de john locke
A filosofia de john locke
 

Mais de Erica Frau

7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado 7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado
Erica Frau
 
5 construção do sujeito moral
5 construção do sujeito moral 5 construção do sujeito moral
5 construção do sujeito moral
Erica Frau
 
4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica
Erica Frau
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles
Erica Frau
 
2 ética
2 ética2 ética
2 ética
Erica Frau
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide
Erica Frau
 
5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide
Erica Frau
 
7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei
Erica Frau
 
6 metodo cientifico
6 metodo cientifico 6 metodo cientifico
6 metodo cientifico
Erica Frau
 
5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia 5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia
Erica Frau
 
4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum 4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum
Erica Frau
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao
Erica Frau
 
2 o que é filosofia
2 o que é filosofia2 o que é filosofia
2 o que é filosofia
Erica Frau
 
1 - Ética
1 - Ética1 - Ética
1 - Ética
Erica Frau
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
Erica Frau
 
1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?
Erica Frau
 
Plano de ensino 2
Plano de ensino 2Plano de ensino 2
Plano de ensino 2
Erica Frau
 
Plano de ensino
Plano de ensinoPlano de ensino
Plano de ensino
Erica Frau
 
Slides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofiaSlides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofia
Erica Frau
 
Situações de Aprendizagens
Situações de AprendizagensSituações de Aprendizagens
Situações de Aprendizagens
Erica Frau
 

Mais de Erica Frau (20)

7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado 7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado
 
5 construção do sujeito moral
5 construção do sujeito moral 5 construção do sujeito moral
5 construção do sujeito moral
 
4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles
 
2 ética
2 ética2 ética
2 ética
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide
 
5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide
 
7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei
 
6 metodo cientifico
6 metodo cientifico 6 metodo cientifico
6 metodo cientifico
 
5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia 5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia
 
4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum 4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao
 
2 o que é filosofia
2 o que é filosofia2 o que é filosofia
2 o que é filosofia
 
1 - Ética
1 - Ética1 - Ética
1 - Ética
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
 
1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?
 
Plano de ensino 2
Plano de ensino 2Plano de ensino 2
Plano de ensino 2
 
Plano de ensino
Plano de ensinoPlano de ensino
Plano de ensino
 
Slides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofiaSlides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofia
 
Situações de Aprendizagens
Situações de AprendizagensSituações de Aprendizagens
Situações de Aprendizagens
 

Último

O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

4 Hume

  • 3. • David Hume (1711-1776) foi um filósofo e ensaísta escocês, um dos mais importantes representantes do empirismo. Sofreu críticas da igreja por suas posições, mas influenciou muitos filósofos posteriores a ele. • David Hume (1711-1776) nasceu em Edimburgo, na Escócia, no dia 7 de maio de 1711. Ingressou na Universidade de Edimburgo. Em 1734, viajou para a França, onde escreveu três anos depois, o “Tratado da Natureza Humana" e “As Cartas Inglesas”. Mas é a publicação do livro “Ensaios Morais e Políticos” que lhe traz algum renome. Em 1751, publica o primeiro volume da “Enciclopédia”. No ano de 1754, surge o primeiro volume da “História da Inglaterra”.
  • 4. • Os livros de Hume foram condenados pela igreja católica, sendo colocados no índice de livros proibidos. Isto aconteceu por que o filósofo acreditava que a moralidade humana não era fruto da ordem divina preexistente, mas oriunda da criação humana. Foi acusado de heresia e de ateísmo. • Apesar da rejeição da igreja e recusa do mundo acadêmico, Hume foi grande influenciador de filósofos e pensadores como Kant, John Mill, e Augusto Conte. • David Hume morreu em Edimburgo, na Escócia, no dia 25 de agosto de 1776.
  • 5. • Na obra Investigação sobre o entendimento humano, Hume formulou a sua teoria do conhecimento. • Dividiu, primeiramente, tudo aquilo que percebemos em impressões e ideias: • IMPRESSÕES: referem-se aos dados fornecidos pelos sentidos, como por exemplo, as impressões visuais, auditivas e táteis. • IDEIAS: referem-se as representações mentais (memória, imaginação, etc) derivadas das impressões.
  • 6. • Assim, toda ideia é uma re(a)presentação de alguma impressão. • Essa representação pode possuir deferentes graus de fidelidade. Alguém que nunca teve uma impressão visual, um cego de nascença, por exemplo, jamais poderá ter uma ideia de cor, ainda que seja uma ideia não muito fiel.
  • 7. CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO • O raciocínio indutivo vai do particular para o geral. • As conclusões indutivas são produzidas, portanto, pelo seguinte processo mental: • Partindo de percepções repetidas que nos chegam da experiência sensorial, saltamos para uma conclusão geral, da qual não temos experiência sensorial. • Hume argumentou que, a conclusão indutiva, por maior que seja o número de percepções repetidas do mesmo fato, não possui fundamento lógico. • Será sempre um salto de raciocínio impulsionado pela crença ou hábito, isto é, as repetidas percepções de um fato, nos levam a confiar em que aquilo que se repetiu até hoje irá se repetir amanhã.
  • 8. CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO Assim, por exemplo, cremos que o Sol nascerá amanhã porque até hoje ele sempre nasceu. Mas nada pode garantir essa certeza em termos lógicos.
  • 9. CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO Ao questionar a validade lógica do raciocínio indutivo, o valor da obra de Hume foi deixar um importante problema para os teóricos do conhecimento. Afinal, é ou não possível partirmos de experiências particulares para chegarmos a conclusões gerais, representadas pelas leis científicas?
  • 10. CRÍTICA AO RACIOCÍNIO INDUTIVO Enquanto o senso comum acredita que por meio de observações repetidas, realizadas no passado, podemos justificar nossas expectativas futuras, Hume sustenta que a repetição de um fato não nos permite concluir, em termos lógicos, que ele continuará a repetir-se da mesma forma, indefinidamente.
  • 11. OUTROS FILÓSOFOS EMPIRISTAS Francis Bacon Thomas Hobbes John Locke George Berkeley