SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIA DA IGREJAHISTÓRIA DA IGREJA
ENSINAI – Aula 1ENSINAI – Aula 1
Pb. Lisandro CronjePb. Lisandro Cronje
Tenda da FazendinhaTenda da Fazendinha
HISTÓRIA DA IGREJA
INTRODUÇÃO: OS PRIMEIROS SÉCULOS DO CRISTIANISMO

O período da história que chamamos “Antiga”, que vai do
5 a.C a 590 d.C., começa com a Igreja Apostólica, passa
pelo período da Antiga Igreja Imperial, indo até o início do
sistema católico romano.

Neste período a igreja concentrou suas atividades na área
do Mediterrâneo, que incluía regiões da Ásia, África e
Europa, atuando, portanto, dentro do ambiente cultural
da civilização greco-romana, sob o domínio político do
Império Romano.

A nova instituição não teve uma trajetória tranquila nos
seus primeiros séculos. Desde cedo enfrentou
perseguições, primeiro pelos Judeus e depois pelos
imperadores romanos.
HISTÓRIA DA IGREJA
INTRODUÇÃO

Também sofreu ataque de dentro, tendo que combater
heresias e controvérsias doutrinárias.

No século IV o Império Romano adota o cristianismo como
sua religião oficial, cessando a perseguição e fortalecendo-
se politicamente. Entretanto, este fortalecimento e
estreitamento com o poder secular, introduziu a igreja
cristã nas trevas do materialismo e da decadência
espiritual.

A decadência da igreja foi tanta e de tal forma que passou
a ser uma religião meramente nominal, a ponto de seus
próprios membros tentarem provocar uma mudança,
muitas vezes frustrada e sufocada, mas finalmente
alcançada por Martinho Lutero (Mt 16.18)
HISTÓRIA DA IGREJA
1. A PLENITUDE DOS TEMPOS

Deus não haje por acaso. Todos as suas ações tem um objetivo,
contribuindo para que ocorra no momento certo da história da
humanidade.

O nascimento, a vida, o ministério, a morte e a ressurreição de
Cristo, e muito mais, tudo isso faz parte de seu plano para
recebermos a adoção de filhos. Gl 4.4,5.

A “plenitude dos tempos” foi o momento em que Deus julgou
ideal para o desenvolvimento do cristianismo. No apogeu
político, cultural e religioso do mundo civilizado, Deus
estabeleceu seu reino na terra com a contribuição de 3 povos:
Os Romanos, os Judeus e os Gregos.
HISTÓRIA DA IGREJA
1.1. Os Romanos
- No início do cristianismo, os romanos já dominavam o mundo
civilizado, como o 4º grande império mundial; seu território
compreendia a área que se estendia do Egito e costa norte da
África até a Europa, ao sul dos rios Reno e Danúbio, além de
parte da Inglaterra e grande porção do território asiático.
- Impondo seu poderio bélico, Roma conquistou e unificou vários
povos e raças diferentes.
- Com técnicas avançadas de engenharia, construíram 85 mil Km
de estradas, estabeleceram rotas de comércio, tornando as
viagens mais seguras, comunicação, etc,
- A Pax romana, uma paz mantida pela força, tornou a guerra
entre as nações impossíveis, sendo estas nações províncias do
império, desfrutando de certa liberdade para questões internas,
com governantes locais, a religião de cada povo era respeitada,
HISTÓRIA DA IGREJA
1.1. Os Romanos
- e a língua e os costumes preservados.
- este ambiente foi bastante propício para a propagação do
cristianismo no primeiro século.
1.2. Judeus
- Neste período de unificação dos povos sob este grande império, a
cultura judaica foi marcada por um profundo sentimento
religioso.
- Williston Walker: ”a grande maioria dos que sentiam
necessidades de ordem religiosa simplesmente adotavam as
religiões orientais, notadamente aquelas em que predominavam
a preocupação com a redenção. Em que o misticismo e o
sacramentalismo eram traço marcante. Isso era grandemente
favorecido pelo vasto afluxo de escravos orientais para a área
ocidental do mundo romano.”
HISTÓRIA DA IGREJA
1.2. Judeus
- cont... “a disseminação dessas crenças independentes do
cristianismo, e até certo porto, rivais, durante os três primeiros
séculos da nossa era, contribuiu para o aprofundamento do
sentimento religioso em todo o império, e nesse sentido,
facilitou o triunfo do cristianismo”.
- Os Judeus desempenharam um papel fundamental, pois eram
mordomos da verdadeira religião, que cria no Deus verdadeiro,
ao contrário dos outros povos pagãos que os rodeavam.
- Somente os Judeus aguardavam um salvador divino. Além dessa
bendita esperança, tinham ainda as escrituras hebraicas,
inspiradas por Deus, que serviram de base para todo o sitema
religioso cristão.
- Não havia religião mais pura que o judaismo.
HISTÓRIA DA IGREJA
1.3. Gregos
- Nenhum outro povo influenciou a cultura, as artes e o
conhecimento do mundo, tanto quanto este povo. Eram de
longe os mais desenvolvido intelectualmente já desde vários
séculos antes do nascimento de Cristo.
- Na época de Cristo, esse povo também estava sob o jugo romano.
Mesmo assim, sua influência era marcante, e até nos dias de
hoje a cultura romana é chamada de “greco-romana.”
- Os Gregos literalmente ensinaram o mundo a pensar, tanto na
filosofia como na teologia, e essa maneira grega de raciocínio
era a que predominava nos primeiros séculos do cristianismo.
- Robert Hastings Nichols...(livro)
- Seu idioma, o grego coiné (comum), foi rapidamente assimilado e
tornou-se idioma comercial e diplomático da época.
HISTÓRIA DA IGREJA
2. A IGREJA APOSTÓLICA (0-100)
- Fundada no pentecostes, logo se desenvolveu e estabeleceu um
estilo de vida diferente do que era conhecido. Um novo conjunto
de crenças, de culto de governo, sendo composta não só de
Judeus, mas também de gentios, elas se espalharam por todo o
mundo.
2.1. Nascimento da igreja
- no Pentecostes (50 dias após após a ressurreição de Cristo) – 120
seguidores (Lc 24.49/At 2.1-4) – Igreja (morada permanente do
E.S.) - Neste mesmo dia quase 3.000 almas se converteram (At
2.5-41).
2.2. Estilo de vida
- Composta de pobres, escravos, embora houvessem alguns ricos,
formavam pequenos grupos, rodeados de uma comunidade
pagã.
HISTÓRIA DA IGREJA
2. A IGREJA APOSTÓLICA (0-100)
2.2. Estilo de vida
- No início era composta somente de Judeus, de helenistas, e
prosélitos do judaísmo. Posteriormente, as portas da igreja se
abriram aos gentios (At 10; 15.1-20)
- distinguiam-se das outras religiões ao se tratarem como irmãos e
agirem como tal, manifestando o amor de Cristo a todos.
- repartiam seis bens, compartilhavam com os necessitados e
doentes, sem discriminação.
- nela as mulheres alcançaram posição de honra, como em
nenhuma outra religião.
- os cristãos distinguiam-se pelo amor, fervor e pureza moral,
jamais visto em qualquer parte. Sua alegria, confiança e
comunhão eram admiráveis, pois o próprio Cristo vivia no meio
deles. Um povo perdoado, redimido e destinado a imortalidade.
HISTÓRIA DA IGREJA
2.3. Crenças
- Ainda com suas raízes no judaísmo, os convertidos a nova
religião tinham que crer firmemente que Jesus de Nazaré, que
fora crucificado, era o Cristo, o Messias esperado (At 2.36).
- A Ressurreição de Cristo..
- Um Deus único manifestado na trindade...
- Nenhum credo foi elaborado no início, mas se apoiavam no
testemunho daqueles que viram, falaram, ouviram e tocaram
no autor na vida.
- de acordo com a necessidade foram surgindo explicações
doutrinárias, principalmente por meio das cartas, lidas diante
de todos, repletas de uma autoria inquestionável dos
apóstolos.
HISTÓRIA DA IGREJA
2.4. Culto
- No cenáculo, no monte Sião e no templo - no pórtico de
Salomão (At 5.12).
- Com o ingresso dos gentios, e com o gradativo rompimento com
o judaísmo, impedidos de entrar nas sinagogas, passaram a se
reunir nas casas.
- Haviam dois tipos de culto: Oração e Ceia do amor.
2.5. Governo
- No início a liderança era apostólica, onde Pedro tinha a
supremacia (At 2.14; 5.3,15) - (12 Primeiros capítulos).
- Todas as decisões eram tomadas em conjunto (At 6.1-4).
- Mais tarde, Tiago, meio-irmão do Senhor aparece como, líder da
igreja em Jerusalém . Paulo também exerceu forte influência
(At 13-28).
HISTÓRIA DA IGREJA
2.6. Expansão
- A Igreja começou a se expandir muito rapidamente. Após o
pentecostes, começa uma expansão entre os estavam na cidade,
levando as boas novas as circunvizinhanças.
- Em Jerusalém a igreja rapidamente atingiu 5 mil convertidos (At
4.4).
- Somente após a morte de Estevão (At 6.8-8.1), devido a
perseguição liderada por Saulo, inicia-se o trabalho missionário,
pois os crentes fugiram para vários lugares, levando a semente
do evangelho (Damasco, Antioquia, Samaria, Gaza, Jope e
Cesareia). (primeiros 15 anos)
- Depois disso houve relativa paz, mas no ano 44, Herodes Agripa I
proveu outra perseguição, matando o apóstolo Tiago
decapitado (At 2.2). os outros apóstolos deixaram a cidade e
começaram um trabalho missionário por todo o mundo romano.
HISTÓRIA DA IGREJA
2.6. Expansão
- Neste período se destacaram Pedro e Paulo. A igreja
experimentou um crescimento assombroso em apenas 35-50
anos.
- As perseguições relatadas em Atos partiram dos Judeus e não dos
Romanos, sendo considerada por estes uma disputa interna do
judaísmo.
HISTÓRIA DA IGREJA
3. PERÍODO OBSCURO (68-100)
- Assim chamado por duas razões: a perseguição sobre a igreja e a
pouca informação que existe a respeito deses anos sombrios.
- Ao findar o livro de Atos, nenhum outro historiador ocupou o
lugar de Lucas. Foi um tempo de grandes mudanças para a
igreja.
- A Igreja dispersa – a carta aos romanos endereçada aos cristãos
da capital – a pouca atenção dada pelos romanos à nova religião,
então tudo começa a mudar. (Livro)
- O Incêndio de Roma em 19 de julho de 64 destruiu um bairro de
trabalhadores. O Imperador Nero acusa os cristãos.
- Pedro e Paulo foram martirizados – os jardins de Roma.
- Em 66, inicia-se nova revolta dos Judeus, findando com a queda
de Jerusalém em 70. a partir daí o cristianismo se desvencilha,
mas não definitivamente, do judaísmo.
HISTÓRIA DA IGREJA
3. PERÍODO OBSCURO (68-100)
- ano 90, Domiciano inicia nova perseguição aos cristãos. Milhares
foram mortos, principalmente em Roma e em toda Itália; nesta
época João vivia em Éfeso, sendo preso em Patmos, no mar
egeu, onde recebe a revelação de Jesus Cristo.
- Neste fim de século as doutrinas ensinadas por Paulo são aceitas
por todas as igreja como regra de fé, sendo o batismo por
imersão o ato de ingresso na comunidade dos fiéis, contudo já
em 120. d.C., já haviam relatos de batismos por aspersão.
- o Cânon ainda não estava completamente consolidado, mas a
igreja se mostrava forte, ativa, próspera e missionária.
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
- Aproximadamente 10% da população do Império Romano já era
cristã, mas principalmente na Síria, Macedônia, Grécia, Sul da
Gália, Espanha, Roma(Itália) e Ásia Menor.
- Ascensão dos Pais da Igreja (pais apostólicos) – Instituição do
episcopado – período de grande perseguição – presença dos
apologistas (defensores da fé e do cristianismo) –
desenvolvimento das doutrinas – surgimentos de heresias –
Neste período surge o conceito de uma igreja
“católica”=universal.
- Ataques externos – Império Romano + ataques internos – Hereges
e heresias.
Em 313 finda a perseguição com o Édito de Milão que aproxima a
igreja do império.
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.1. Os pais apostólicos
- Após a morte do apóstolo João, surge uma nova geração de
líderes que receberam a denominação de pais apostólicos (ou
pais antenicenos), pois acredita-se terem recebido orientações
diretamente dos apóstolos.
- Entre eles citamos Barnabé (provavelmente de Alexandria),
Clemente de Roma, Hermes de Roma, Inácio de Antioquia, e
Policarpo de Esmirna. Eles deram continuidade à produção
literária cristã, interpretando a doutrina dos apóstolos e
instruindo a igreja da época.
- Escritos principais: Didaquê ou Ensino dos Doze Apóstolos;
Epístola a Diogneto; Epístola de Barnabé (90-120); Epístolas de
Inácio (110); Epístola de Policarpo (110); O Pastor, de Hermas
(150); Segunda Clemente (160).
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.2. A Instituição do episcopado monárquico
- As Epístolas de Inácio, mostram o surgimento do “bispo
monárquico”, aquele que é a autoridade eclesiástica principal em
uma igreja ou grupo de igrejas; a jurisdição, em geral era restrita
ao limite das cidades.
- O Cargo de bispo passa a distinguir-se do presbítero.
- Cada igreja tinha um bispo, presbíteros e diáconos.
4.3. As perseguições
- O grande destaque dos sec. II e III, foram as perseguições ao
cristianismo. Seu principal motivo era a recusa dos cristãos a
idolatria, tanto das imagens quanto do imperador.
- Após a queda de jerusalém, a nova religião desvinculada do
judaísmo, sem pátria, passou a ser secreta, nas cavernas,
catacumbas, etc. passou a ser proibida e fora- da-lei.
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.3.1. Os imperadores
- Sec. I: Nero (66); Domiciano (90-95); Vespasiano (não perseguiu)
- Após Domiciano seguiram os “cinco imperadores bons”: Nerva,
Trajano, Adriano, Antônio Pio e Marco Aurélio (até 180).
- Ao fim de seu reinado Marco Aurélio intensificou a perseguição
aos Cristãos, mas seu sucessor, Cômodo (180-192), fez tudo
voltar a calma.
- Sétimo Severo - Cruel com os Cristãos
- Tertuliano
- Houve perseguição generalizada até 250, com as comemorações
de 1000 anos de sua fundação. Décio (249-251) inaugurou a era
da perseguição universal ao cristianismo. Também Galo (251-
253) manteve a mesma política de perseguições e depois
Valeriano (253-260); Galiano (260-268)-indiferente...
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.3.1. Os imperadores
- Aureliano (270-275) – perseguidor.
- Diocleciano e seus sucessores (303-310) – levantou a mais cruel de
todas as perseguições; queimou bíblias, lideres da igreja foram
sacrificados aos ídolos, tempos incendiados com os cristãos
ainda dentro, prisões torturas e assassinatos. A perseguição
separava o joio do trigo.
- Neste período foi que a igreja experimentou um crescimento
assombroso.
4.3.2. Os mártires
- Inácio, Policarpo e Justino (Livro).
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.4. Os apologistas
- Um uma época em que o cristianismo enfrentava toda espécie de
acusações e era vítima da hostilidade do governo romano,
surgiram os apologistas, dedicados à defesa da fé cristã. Dentre
eles:
4.4.1. Justino Mártir – A Apologia (150) destinada ao imperador
Antônio Pio, para defender o cristianismo da perseguição
promovida pelo governo e rebater as críticas dos pagãos.
Escreveu também Diálogo com Trifo (ou Trifão), combatendo
objeções dos Judeus.
4.4.2. Tertuliano – (160-220) – era advogado e brilhante orador.
Nutria profundo zelo por Cristo e elevado senso de moralidade.
4.4.3. Ireneu – Bispo e teólogo (140-200) importante apologista.
Sua obra mais importante, em cinco volumes, tinha o propósito
de combater o gnosticismo.
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.5. O desenvolvimento da doutrina
- A Fé passou gradativamente a ser mental, surgindo um sistema
rigoroso e inflexível de doutrinas. Surgem as três escolas
teológicas.
1ª) Alexandria - Orígenes
2ª) Ásia Menor - Ireneu
3ª) Cartago – Tertuliano e Cipriano
- Neste período surge a referência à igreja universal – católica
Livro (texto em destaque)
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.6. As heresias
- No período das perseguições a igreja sofreu também ataque das
heresias.
- Principais grupos heréticos: Gnósticos, Ebionitas, Maniqueus e os
Montanistas.
4.6.1. Os gnósticos -seita que se firmava no conhecimento (gnosis).
Acreditavam que do Deus supremo emanavam todas as outras
divindades inferiores, algumas benéficas e outras maléficas.
Para eles a matéria era mau e inferior.
4.6.2. Os ebionitas – eram judeus cristãos obstinados pelo
cumprimento da lei e dos costumes judaicos. Rejeitavam as
cartas paulinas, por estas reconhecerem os gentios convertidos
como cristãos.
HISTÓRIA DA IGREJA
4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313)
4.6. As heresias
4.6.3. Os maniqueus – fundada por Mani (sec. III), que acreditava
ser o último profeta enviado por Deus, para aperfeiçoar as
religiões persa, cristã e budista.
4.6.4. Os montanistas – um polígamo do sec. II, era puritano e
exigia a volta à simplicidade dos cristãos primitivos. Criam no
sacerdócio de todos os crentes, e nos cargos do ministério. Foi
acusado de diminuir a autoridade das escrituras.
Historia da igreja aula 1

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Adriano Pascoa
 
14 periodo da igreja primitiva
14  periodo da igreja primitiva14  periodo da igreja primitiva
14 periodo da igreja primitiva
PIB Penha
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
Filipe
 
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e heregesHistória da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
Andre Nascimento
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Adriano Pascoa
 
Teologia Contemporânea - Aspectos
Teologia Contemporânea - AspectosTeologia Contemporânea - Aspectos
Teologia Contemporânea - Aspectos
Gcom digital factory
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
Filipe
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Adriano Pascoa
 
10º Aula de História da Igreja
10º Aula de História da Igreja10º Aula de História da Igreja
10º Aula de História da Igreja
Jefferson Evangelista
 
Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
Daladier Lima
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
Eraldo Luciano
 
Atos
AtosAtos
Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja Apostólica
Marcia oliveira
 
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na VerdadeLição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Éder Tomé
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Erberson Pinheiro
 
Introdução a seitas e heresias
Introdução a seitas e heresiasIntrodução a seitas e heresias
Introdução a seitas e heresias
ETENAC - Escola Teológica Nova Aliança em Cristo
 

Mais procurados (20)

Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
 
14 periodo da igreja primitiva
14  periodo da igreja primitiva14  periodo da igreja primitiva
14 periodo da igreja primitiva
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
 
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e heregesHistória da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
História da Igreja I: Aula 6 - Império, bárbaros e hereges
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
 
Teologia Contemporânea - Aspectos
Teologia Contemporânea - AspectosTeologia Contemporânea - Aspectos
Teologia Contemporânea - Aspectos
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
 
10º Aula de História da Igreja
10º Aula de História da Igreja10º Aula de História da Igreja
10º Aula de História da Igreja
 
Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja Apostólica
 
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na VerdadeLição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
 
Introdução a seitas e heresias
Introdução a seitas e heresiasIntrodução a seitas e heresias
Introdução a seitas e heresias
 

Destaque

Do Mito ao Renascentismo - Aula de Filosofia
Do Mito ao Renascentismo - Aula de FilosofiaDo Mito ao Renascentismo - Aula de Filosofia
Do Mito ao Renascentismo - Aula de Filosofia
Rafael Oliveira
 
Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2
Lisanro Cronje
 
História da Igreja
História da IgrejaHistória da Igreja
História da Igreja
rodrigobcaldas
 
Igreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romanaIgreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romana
Mateus Lima
 
Icaro redimido transparencias
Icaro redimido   transparenciasIcaro redimido   transparencias
Icaro redimido transparencias
Norberto Scavone Augusto
 
Aula 054 fundação da igreja cristã
Aula 054   fundação da igreja cristãAula 054   fundação da igreja cristã
Aula 054 fundação da igreja cristã
Katia Venturini
 
A054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTA
A054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTAA054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTA
A054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTA
Daniel de Melo
 
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de MilãoHistória da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
Glauco Gonçalves
 
Inserção do cristianismo em Roma
Inserção do cristianismo em RomaInserção do cristianismo em Roma
Inserção do cristianismo em Roma
antigah
 
Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo a. kenne...
Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo   a. kenne...Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo   a. kenne...
Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo a. kenne...
PrCelio Silva
 
A 01 o mundo em que nasceu saulo
A 01 o mundo em que nasceu sauloA 01 o mundo em que nasceu saulo
A 01 o mundo em que nasceu saulo
Paulo Apostolo
 
Imperador Constantino
Imperador ConstantinoImperador Constantino
Imperador Constantino
Matilde Garcia
 
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
ESCRIBAVALDEMIR
 
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo históricoHistória do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
Gustavo Messias
 
A origem do Cristianismo
A origem do CristianismoA origem do Cristianismo
A origem do Cristianismo
CPH
 
18
18 18
O surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismoO surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismo
Fabrício Colombo
 
SEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANO
SEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANOSEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANO
SEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANO
Leonam dos Santos
 
Paulo e Estevão
Paulo e EstevãoPaulo e Estevão

Destaque (20)

Do Mito ao Renascentismo - Aula de Filosofia
Do Mito ao Renascentismo - Aula de FilosofiaDo Mito ao Renascentismo - Aula de Filosofia
Do Mito ao Renascentismo - Aula de Filosofia
 
Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2
 
História da Igreja
História da IgrejaHistória da Igreja
História da Igreja
 
Igreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romanaIgreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romana
 
transcriptBL7Bm.PDF
transcriptBL7Bm.PDFtranscriptBL7Bm.PDF
transcriptBL7Bm.PDF
 
Icaro redimido transparencias
Icaro redimido   transparenciasIcaro redimido   transparencias
Icaro redimido transparencias
 
Aula 054 fundação da igreja cristã
Aula 054   fundação da igreja cristãAula 054   fundação da igreja cristã
Aula 054 fundação da igreja cristã
 
A054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTA
A054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTAA054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTA
A054 EAE DM - FUNDACAO DA IGREJA CRISTA
 
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de MilãoHistória da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
História da Igreja - Das perseguições ao Edito de Milão
 
Inserção do cristianismo em Roma
Inserção do cristianismo em RomaInserção do cristianismo em Roma
Inserção do cristianismo em Roma
 
Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo a. kenne...
Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo   a. kenne...Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo   a. kenne...
Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo a. kenne...
 
A 01 o mundo em que nasceu saulo
A 01 o mundo em que nasceu sauloA 01 o mundo em que nasceu saulo
A 01 o mundo em que nasceu saulo
 
Imperador Constantino
Imperador ConstantinoImperador Constantino
Imperador Constantino
 
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
 
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo históricoHistória do cristianismo ii - Um resumo histórico
História do cristianismo ii - Um resumo histórico
 
A origem do Cristianismo
A origem do CristianismoA origem do Cristianismo
A origem do Cristianismo
 
18
18 18
18
 
O surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismoO surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismo
 
SEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANO
SEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANOSEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANO
SEITAS E HERESIAS - CATOLICISMO ROMANO
 
Paulo e Estevão
Paulo e EstevãoPaulo e Estevão
Paulo e Estevão
 

Semelhante a Historia da igreja aula 1

Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_
Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_
Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_
INOVAR CLUB
 
Historia da igreja antiga
Historia da igreja antigaHistoria da igreja antiga
Historia da igreja antiga
JosJunqueira1
 
2 atos e o avanco do evangelho - 2 aula
2   atos e o avanco do evangelho - 2 aula2   atos e o avanco do evangelho - 2 aula
2 atos e o avanco do evangelho - 2 aula
PIB Penha
 
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
fogotv
 
Disciplina História do Cristianismo
Disciplina História do CristianismoDisciplina História do Cristianismo
Disciplina História do Cristianismo
faculdadeteologica
 
2 história do cristianismo - 2ª aula
2   história do cristianismo - 2ª aula2   história do cristianismo - 2ª aula
2 história do cristianismo - 2ª aula
PIB Penha
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
PIB Penha
 
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
Tiago Silva
 
Origem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismoOrigem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismo
Carlos Pinheiro
 
Cristianismo (1)
Cristianismo (1)Cristianismo (1)
Cristianismo (1)
Iran Teixeira
 
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaEspaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Rita
 
M7 ensino 03 04
M7 ensino 03 04M7 ensino 03 04
HISTÓRIA DA IGREJA 2.pptx
HISTÓRIA DA IGREJA 2.pptxHISTÓRIA DA IGREJA 2.pptx
HISTÓRIA DA IGREJA 2.pptx
JesusManuelNinachoqu
 
Teologia do novo testamento
Teologia do novo testamentoTeologia do novo testamento
Aula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptxAula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptx
DenisAurlio2
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Luiz Costa Junior
 
Capitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila Igreja
Capitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila IgrejaCapitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila Igreja
Capitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila Igreja
Klaus Newman
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
Carlos Alves
 
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma ProtestanteLição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Éder Tomé
 
O cristianismo em roma
O cristianismo em romaO cristianismo em roma
O cristianismo em roma
Ana Barreiros
 

Semelhante a Historia da igreja aula 1 (20)

Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_
Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_
Alexandre z. bacich_-_manual_de_teologia_
 
Historia da igreja antiga
Historia da igreja antigaHistoria da igreja antiga
Historia da igreja antiga
 
2 atos e o avanco do evangelho - 2 aula
2   atos e o avanco do evangelho - 2 aula2   atos e o avanco do evangelho - 2 aula
2 atos e o avanco do evangelho - 2 aula
 
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
HistóRia Da Igreja Pdf Modulo 1
 
Disciplina História do Cristianismo
Disciplina História do CristianismoDisciplina História do Cristianismo
Disciplina História do Cristianismo
 
2 história do cristianismo - 2ª aula
2   história do cristianismo - 2ª aula2   história do cristianismo - 2ª aula
2 história do cristianismo - 2ª aula
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
 
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
 
Origem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismoOrigem e difusão do cristianismo
Origem e difusão do cristianismo
 
Cristianismo (1)
Cristianismo (1)Cristianismo (1)
Cristianismo (1)
 
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaEspaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
 
M7 ensino 03 04
M7 ensino 03 04M7 ensino 03 04
M7 ensino 03 04
 
HISTÓRIA DA IGREJA 2.pptx
HISTÓRIA DA IGREJA 2.pptxHISTÓRIA DA IGREJA 2.pptx
HISTÓRIA DA IGREJA 2.pptx
 
Teologia do novo testamento
Teologia do novo testamentoTeologia do novo testamento
Teologia do novo testamento
 
Aula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptxAula - História da Igreja.pptx
Aula - História da Igreja.pptx
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Capitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila Igreja
Capitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila IgrejaCapitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila Igreja
Capitulo 2 - Visão Histórica da Igreja - Apostila Igreja
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
 
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma ProtestanteLição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
 
O cristianismo em roma
O cristianismo em romaO cristianismo em roma
O cristianismo em roma
 

Mais de Lisanro Cronje

PANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.pptPANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.ppt
Lisanro Cronje
 
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.pptPANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
Lisanro Cronje
 
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.pptPANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
Lisanro Cronje
 
PANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.pptPANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.ppt
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 4
Panorama do nt 4Panorama do nt 4
Panorama do nt 4
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 3
Panorama do nt 3Panorama do nt 3
Panorama do nt 3
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 2
Panorama do nt 2Panorama do nt 2
Panorama do nt 2
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 1
Panorama do nt 1Panorama do nt 1
Panorama do nt 1
Lisanro Cronje
 
Panorama do at 4
Panorama do at 4Panorama do at 4
Panorama do at 4
Lisanro Cronje
 
Panorama do at 3
Panorama do at 3Panorama do at 3
Panorama do at 3
Lisanro Cronje
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 Ensinai
Lisanro Cronje
 
Panorama do at 2
Panorama do at 2Panorama do at 2
Panorama do at 2
Lisanro Cronje
 

Mais de Lisanro Cronje (12)

PANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.pptPANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.ppt
 
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.pptPANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
 
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.pptPANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
 
PANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.pptPANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.ppt
 
Panorama do nt 4
Panorama do nt 4Panorama do nt 4
Panorama do nt 4
 
Panorama do nt 3
Panorama do nt 3Panorama do nt 3
Panorama do nt 3
 
Panorama do nt 2
Panorama do nt 2Panorama do nt 2
Panorama do nt 2
 
Panorama do nt 1
Panorama do nt 1Panorama do nt 1
Panorama do nt 1
 
Panorama do at 4
Panorama do at 4Panorama do at 4
Panorama do at 4
 
Panorama do at 3
Panorama do at 3Panorama do at 3
Panorama do at 3
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 Ensinai
 
Panorama do at 2
Panorama do at 2Panorama do at 2
Panorama do at 2
 

Último

Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 

Último (20)

Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 

Historia da igreja aula 1

  • 1. HISTÓRIA DA IGREJAHISTÓRIA DA IGREJA ENSINAI – Aula 1ENSINAI – Aula 1 Pb. Lisandro CronjePb. Lisandro Cronje Tenda da FazendinhaTenda da Fazendinha
  • 2. HISTÓRIA DA IGREJA INTRODUÇÃO: OS PRIMEIROS SÉCULOS DO CRISTIANISMO  O período da história que chamamos “Antiga”, que vai do 5 a.C a 590 d.C., começa com a Igreja Apostólica, passa pelo período da Antiga Igreja Imperial, indo até o início do sistema católico romano.  Neste período a igreja concentrou suas atividades na área do Mediterrâneo, que incluía regiões da Ásia, África e Europa, atuando, portanto, dentro do ambiente cultural da civilização greco-romana, sob o domínio político do Império Romano.  A nova instituição não teve uma trajetória tranquila nos seus primeiros séculos. Desde cedo enfrentou perseguições, primeiro pelos Judeus e depois pelos imperadores romanos.
  • 3. HISTÓRIA DA IGREJA INTRODUÇÃO  Também sofreu ataque de dentro, tendo que combater heresias e controvérsias doutrinárias.  No século IV o Império Romano adota o cristianismo como sua religião oficial, cessando a perseguição e fortalecendo- se politicamente. Entretanto, este fortalecimento e estreitamento com o poder secular, introduziu a igreja cristã nas trevas do materialismo e da decadência espiritual.  A decadência da igreja foi tanta e de tal forma que passou a ser uma religião meramente nominal, a ponto de seus próprios membros tentarem provocar uma mudança, muitas vezes frustrada e sufocada, mas finalmente alcançada por Martinho Lutero (Mt 16.18)
  • 4. HISTÓRIA DA IGREJA 1. A PLENITUDE DOS TEMPOS  Deus não haje por acaso. Todos as suas ações tem um objetivo, contribuindo para que ocorra no momento certo da história da humanidade.  O nascimento, a vida, o ministério, a morte e a ressurreição de Cristo, e muito mais, tudo isso faz parte de seu plano para recebermos a adoção de filhos. Gl 4.4,5.  A “plenitude dos tempos” foi o momento em que Deus julgou ideal para o desenvolvimento do cristianismo. No apogeu político, cultural e religioso do mundo civilizado, Deus estabeleceu seu reino na terra com a contribuição de 3 povos: Os Romanos, os Judeus e os Gregos.
  • 5. HISTÓRIA DA IGREJA 1.1. Os Romanos - No início do cristianismo, os romanos já dominavam o mundo civilizado, como o 4º grande império mundial; seu território compreendia a área que se estendia do Egito e costa norte da África até a Europa, ao sul dos rios Reno e Danúbio, além de parte da Inglaterra e grande porção do território asiático. - Impondo seu poderio bélico, Roma conquistou e unificou vários povos e raças diferentes. - Com técnicas avançadas de engenharia, construíram 85 mil Km de estradas, estabeleceram rotas de comércio, tornando as viagens mais seguras, comunicação, etc, - A Pax romana, uma paz mantida pela força, tornou a guerra entre as nações impossíveis, sendo estas nações províncias do império, desfrutando de certa liberdade para questões internas, com governantes locais, a religião de cada povo era respeitada,
  • 6. HISTÓRIA DA IGREJA 1.1. Os Romanos - e a língua e os costumes preservados. - este ambiente foi bastante propício para a propagação do cristianismo no primeiro século. 1.2. Judeus - Neste período de unificação dos povos sob este grande império, a cultura judaica foi marcada por um profundo sentimento religioso. - Williston Walker: ”a grande maioria dos que sentiam necessidades de ordem religiosa simplesmente adotavam as religiões orientais, notadamente aquelas em que predominavam a preocupação com a redenção. Em que o misticismo e o sacramentalismo eram traço marcante. Isso era grandemente favorecido pelo vasto afluxo de escravos orientais para a área ocidental do mundo romano.”
  • 7. HISTÓRIA DA IGREJA 1.2. Judeus - cont... “a disseminação dessas crenças independentes do cristianismo, e até certo porto, rivais, durante os três primeiros séculos da nossa era, contribuiu para o aprofundamento do sentimento religioso em todo o império, e nesse sentido, facilitou o triunfo do cristianismo”. - Os Judeus desempenharam um papel fundamental, pois eram mordomos da verdadeira religião, que cria no Deus verdadeiro, ao contrário dos outros povos pagãos que os rodeavam. - Somente os Judeus aguardavam um salvador divino. Além dessa bendita esperança, tinham ainda as escrituras hebraicas, inspiradas por Deus, que serviram de base para todo o sitema religioso cristão. - Não havia religião mais pura que o judaismo.
  • 8. HISTÓRIA DA IGREJA 1.3. Gregos - Nenhum outro povo influenciou a cultura, as artes e o conhecimento do mundo, tanto quanto este povo. Eram de longe os mais desenvolvido intelectualmente já desde vários séculos antes do nascimento de Cristo. - Na época de Cristo, esse povo também estava sob o jugo romano. Mesmo assim, sua influência era marcante, e até nos dias de hoje a cultura romana é chamada de “greco-romana.” - Os Gregos literalmente ensinaram o mundo a pensar, tanto na filosofia como na teologia, e essa maneira grega de raciocínio era a que predominava nos primeiros séculos do cristianismo. - Robert Hastings Nichols...(livro) - Seu idioma, o grego coiné (comum), foi rapidamente assimilado e tornou-se idioma comercial e diplomático da época.
  • 9. HISTÓRIA DA IGREJA 2. A IGREJA APOSTÓLICA (0-100) - Fundada no pentecostes, logo se desenvolveu e estabeleceu um estilo de vida diferente do que era conhecido. Um novo conjunto de crenças, de culto de governo, sendo composta não só de Judeus, mas também de gentios, elas se espalharam por todo o mundo. 2.1. Nascimento da igreja - no Pentecostes (50 dias após após a ressurreição de Cristo) – 120 seguidores (Lc 24.49/At 2.1-4) – Igreja (morada permanente do E.S.) - Neste mesmo dia quase 3.000 almas se converteram (At 2.5-41). 2.2. Estilo de vida - Composta de pobres, escravos, embora houvessem alguns ricos, formavam pequenos grupos, rodeados de uma comunidade pagã.
  • 10. HISTÓRIA DA IGREJA 2. A IGREJA APOSTÓLICA (0-100) 2.2. Estilo de vida - No início era composta somente de Judeus, de helenistas, e prosélitos do judaísmo. Posteriormente, as portas da igreja se abriram aos gentios (At 10; 15.1-20) - distinguiam-se das outras religiões ao se tratarem como irmãos e agirem como tal, manifestando o amor de Cristo a todos. - repartiam seis bens, compartilhavam com os necessitados e doentes, sem discriminação. - nela as mulheres alcançaram posição de honra, como em nenhuma outra religião. - os cristãos distinguiam-se pelo amor, fervor e pureza moral, jamais visto em qualquer parte. Sua alegria, confiança e comunhão eram admiráveis, pois o próprio Cristo vivia no meio deles. Um povo perdoado, redimido e destinado a imortalidade.
  • 11. HISTÓRIA DA IGREJA 2.3. Crenças - Ainda com suas raízes no judaísmo, os convertidos a nova religião tinham que crer firmemente que Jesus de Nazaré, que fora crucificado, era o Cristo, o Messias esperado (At 2.36). - A Ressurreição de Cristo.. - Um Deus único manifestado na trindade... - Nenhum credo foi elaborado no início, mas se apoiavam no testemunho daqueles que viram, falaram, ouviram e tocaram no autor na vida. - de acordo com a necessidade foram surgindo explicações doutrinárias, principalmente por meio das cartas, lidas diante de todos, repletas de uma autoria inquestionável dos apóstolos.
  • 12. HISTÓRIA DA IGREJA 2.4. Culto - No cenáculo, no monte Sião e no templo - no pórtico de Salomão (At 5.12). - Com o ingresso dos gentios, e com o gradativo rompimento com o judaísmo, impedidos de entrar nas sinagogas, passaram a se reunir nas casas. - Haviam dois tipos de culto: Oração e Ceia do amor. 2.5. Governo - No início a liderança era apostólica, onde Pedro tinha a supremacia (At 2.14; 5.3,15) - (12 Primeiros capítulos). - Todas as decisões eram tomadas em conjunto (At 6.1-4). - Mais tarde, Tiago, meio-irmão do Senhor aparece como, líder da igreja em Jerusalém . Paulo também exerceu forte influência (At 13-28).
  • 13. HISTÓRIA DA IGREJA 2.6. Expansão - A Igreja começou a se expandir muito rapidamente. Após o pentecostes, começa uma expansão entre os estavam na cidade, levando as boas novas as circunvizinhanças. - Em Jerusalém a igreja rapidamente atingiu 5 mil convertidos (At 4.4). - Somente após a morte de Estevão (At 6.8-8.1), devido a perseguição liderada por Saulo, inicia-se o trabalho missionário, pois os crentes fugiram para vários lugares, levando a semente do evangelho (Damasco, Antioquia, Samaria, Gaza, Jope e Cesareia). (primeiros 15 anos) - Depois disso houve relativa paz, mas no ano 44, Herodes Agripa I proveu outra perseguição, matando o apóstolo Tiago decapitado (At 2.2). os outros apóstolos deixaram a cidade e começaram um trabalho missionário por todo o mundo romano.
  • 14. HISTÓRIA DA IGREJA 2.6. Expansão - Neste período se destacaram Pedro e Paulo. A igreja experimentou um crescimento assombroso em apenas 35-50 anos. - As perseguições relatadas em Atos partiram dos Judeus e não dos Romanos, sendo considerada por estes uma disputa interna do judaísmo.
  • 15. HISTÓRIA DA IGREJA 3. PERÍODO OBSCURO (68-100) - Assim chamado por duas razões: a perseguição sobre a igreja e a pouca informação que existe a respeito deses anos sombrios. - Ao findar o livro de Atos, nenhum outro historiador ocupou o lugar de Lucas. Foi um tempo de grandes mudanças para a igreja. - A Igreja dispersa – a carta aos romanos endereçada aos cristãos da capital – a pouca atenção dada pelos romanos à nova religião, então tudo começa a mudar. (Livro) - O Incêndio de Roma em 19 de julho de 64 destruiu um bairro de trabalhadores. O Imperador Nero acusa os cristãos. - Pedro e Paulo foram martirizados – os jardins de Roma. - Em 66, inicia-se nova revolta dos Judeus, findando com a queda de Jerusalém em 70. a partir daí o cristianismo se desvencilha, mas não definitivamente, do judaísmo.
  • 16. HISTÓRIA DA IGREJA 3. PERÍODO OBSCURO (68-100) - ano 90, Domiciano inicia nova perseguição aos cristãos. Milhares foram mortos, principalmente em Roma e em toda Itália; nesta época João vivia em Éfeso, sendo preso em Patmos, no mar egeu, onde recebe a revelação de Jesus Cristo. - Neste fim de século as doutrinas ensinadas por Paulo são aceitas por todas as igreja como regra de fé, sendo o batismo por imersão o ato de ingresso na comunidade dos fiéis, contudo já em 120. d.C., já haviam relatos de batismos por aspersão. - o Cânon ainda não estava completamente consolidado, mas a igreja se mostrava forte, ativa, próspera e missionária.
  • 17.
  • 18. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) - Aproximadamente 10% da população do Império Romano já era cristã, mas principalmente na Síria, Macedônia, Grécia, Sul da Gália, Espanha, Roma(Itália) e Ásia Menor. - Ascensão dos Pais da Igreja (pais apostólicos) – Instituição do episcopado – período de grande perseguição – presença dos apologistas (defensores da fé e do cristianismo) – desenvolvimento das doutrinas – surgimentos de heresias – Neste período surge o conceito de uma igreja “católica”=universal. - Ataques externos – Império Romano + ataques internos – Hereges e heresias. Em 313 finda a perseguição com o Édito de Milão que aproxima a igreja do império.
  • 19. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.1. Os pais apostólicos - Após a morte do apóstolo João, surge uma nova geração de líderes que receberam a denominação de pais apostólicos (ou pais antenicenos), pois acredita-se terem recebido orientações diretamente dos apóstolos. - Entre eles citamos Barnabé (provavelmente de Alexandria), Clemente de Roma, Hermes de Roma, Inácio de Antioquia, e Policarpo de Esmirna. Eles deram continuidade à produção literária cristã, interpretando a doutrina dos apóstolos e instruindo a igreja da época. - Escritos principais: Didaquê ou Ensino dos Doze Apóstolos; Epístola a Diogneto; Epístola de Barnabé (90-120); Epístolas de Inácio (110); Epístola de Policarpo (110); O Pastor, de Hermas (150); Segunda Clemente (160).
  • 20. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.2. A Instituição do episcopado monárquico - As Epístolas de Inácio, mostram o surgimento do “bispo monárquico”, aquele que é a autoridade eclesiástica principal em uma igreja ou grupo de igrejas; a jurisdição, em geral era restrita ao limite das cidades. - O Cargo de bispo passa a distinguir-se do presbítero. - Cada igreja tinha um bispo, presbíteros e diáconos. 4.3. As perseguições - O grande destaque dos sec. II e III, foram as perseguições ao cristianismo. Seu principal motivo era a recusa dos cristãos a idolatria, tanto das imagens quanto do imperador. - Após a queda de jerusalém, a nova religião desvinculada do judaísmo, sem pátria, passou a ser secreta, nas cavernas, catacumbas, etc. passou a ser proibida e fora- da-lei.
  • 21. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.3.1. Os imperadores - Sec. I: Nero (66); Domiciano (90-95); Vespasiano (não perseguiu) - Após Domiciano seguiram os “cinco imperadores bons”: Nerva, Trajano, Adriano, Antônio Pio e Marco Aurélio (até 180). - Ao fim de seu reinado Marco Aurélio intensificou a perseguição aos Cristãos, mas seu sucessor, Cômodo (180-192), fez tudo voltar a calma. - Sétimo Severo - Cruel com os Cristãos - Tertuliano - Houve perseguição generalizada até 250, com as comemorações de 1000 anos de sua fundação. Décio (249-251) inaugurou a era da perseguição universal ao cristianismo. Também Galo (251- 253) manteve a mesma política de perseguições e depois Valeriano (253-260); Galiano (260-268)-indiferente...
  • 22. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.3.1. Os imperadores - Aureliano (270-275) – perseguidor. - Diocleciano e seus sucessores (303-310) – levantou a mais cruel de todas as perseguições; queimou bíblias, lideres da igreja foram sacrificados aos ídolos, tempos incendiados com os cristãos ainda dentro, prisões torturas e assassinatos. A perseguição separava o joio do trigo. - Neste período foi que a igreja experimentou um crescimento assombroso. 4.3.2. Os mártires - Inácio, Policarpo e Justino (Livro).
  • 23. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.4. Os apologistas - Um uma época em que o cristianismo enfrentava toda espécie de acusações e era vítima da hostilidade do governo romano, surgiram os apologistas, dedicados à defesa da fé cristã. Dentre eles: 4.4.1. Justino Mártir – A Apologia (150) destinada ao imperador Antônio Pio, para defender o cristianismo da perseguição promovida pelo governo e rebater as críticas dos pagãos. Escreveu também Diálogo com Trifo (ou Trifão), combatendo objeções dos Judeus. 4.4.2. Tertuliano – (160-220) – era advogado e brilhante orador. Nutria profundo zelo por Cristo e elevado senso de moralidade. 4.4.3. Ireneu – Bispo e teólogo (140-200) importante apologista. Sua obra mais importante, em cinco volumes, tinha o propósito de combater o gnosticismo.
  • 24. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.5. O desenvolvimento da doutrina - A Fé passou gradativamente a ser mental, surgindo um sistema rigoroso e inflexível de doutrinas. Surgem as três escolas teológicas. 1ª) Alexandria - Orígenes 2ª) Ásia Menor - Ireneu 3ª) Cartago – Tertuliano e Cipriano - Neste período surge a referência à igreja universal – católica Livro (texto em destaque)
  • 25. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.6. As heresias - No período das perseguições a igreja sofreu também ataque das heresias. - Principais grupos heréticos: Gnósticos, Ebionitas, Maniqueus e os Montanistas. 4.6.1. Os gnósticos -seita que se firmava no conhecimento (gnosis). Acreditavam que do Deus supremo emanavam todas as outras divindades inferiores, algumas benéficas e outras maléficas. Para eles a matéria era mau e inferior. 4.6.2. Os ebionitas – eram judeus cristãos obstinados pelo cumprimento da lei e dos costumes judaicos. Rejeitavam as cartas paulinas, por estas reconhecerem os gentios convertidos como cristãos.
  • 26. HISTÓRIA DA IGREJA 4. A IGREJA SOB ATAQUE (100-313) 4.6. As heresias 4.6.3. Os maniqueus – fundada por Mani (sec. III), que acreditava ser o último profeta enviado por Deus, para aperfeiçoar as religiões persa, cristã e budista. 4.6.4. Os montanistas – um polígamo do sec. II, era puritano e exigia a volta à simplicidade dos cristãos primitivos. Criam no sacerdócio de todos os crentes, e nos cargos do ministério. Foi acusado de diminuir a autoridade das escrituras.