SlideShare uma empresa Scribd logo
O que iremos estudar:
   Introdução
   Os grandes períodos da história da igreja
   A igreja apostólica
   A igreja imperial
   A igreja medieval
   A igreja reformada
   Inquisição
   A igreja contemporânea.
   Histórico do nascimento da Igreja Batista Ebenézer
 Ainda teremos alguns
  documentários que nos
  mostrarão como se deram
  alguns fatos na história da
  igreja.
 Ex. como morreram todos os
  apóstolos de Cristo.
 A história da Igreja Cristã, se
  corretamente considerada e usada, pode
  ser uma grande fonte de força, sabedoria
  e estabilidade para o cristão sério. Por
  outro lado, a história da Igreja, quando
  considerada erroneamente e usada de
  maneira equivocada, pode ser uma pedra
  de tropeço, uma ocasião de fraqueza e
  estagnação.
 Há três atitudes para com a
 história passada da Igreja que
 são erradas e que podem
 somente impedir a força
 verdadeira e o progresso no
 testemunho da Verdade. Essas
 três atitudes são:
[1] Romantizando o passado;
[2] Absolutizando o passado;
[3] Desdenhando o passado
 Romantizar   o passado significa dar-lhe,
 em nosso pensamento, uma qualidade
 ideal ou perfeita que de fato ele não
 possui. Frequentemente isso envolve o
 anacronismo de ler o presente no
 passado, em vez de ver o passado e
 interpretá-lo como aquilo que ele
 realmente foi.
 Absolutizar o passado significa
 considerar alguma época ou período no
 passado como ideal e normativo para
 todos os tempos vindouros. a ideia
 mantida é a seguinte: que aquilo que a
 Igreja de nossos dias realmente precisa é
 voltar em espírito àqueles tempos e ali
 permanecer.
 Desdenhar ou desprezar    o passado é
 uma reação contra as tendências de
 romantização e absolutização. A pessoa
 que desdenha o passado falha em
 apreciar suas conquistas e valores reais.
 Isto é, ele fracassa em perceber o que
 Deus já fez na história passada de sua
 Igreja.
 Não somos os primeiros cristãos
 inteligentes ou fieis que já viveram.
 Cristo, por meio do seu Espírito,
 sempre esteve ativo, trabalhando ao
 longo da história passada de sua
 Igreja. Prestemos atenção à injunção
 bíblica de “provar todas as coisas e
 reter o que é bom”. Não romantizemos
 o passado, não absolutizemos o
 passado e não desprezemos o
 passado. Antes, que possamos avaliá-
 lo com justiça e valorizá-lo sabiamente,
 para a honra e glória de Deus.
CAPÍTULO I
         


OS GRANDES PERÍODOS
DA HISTÓRIA DA IGREJA.
 I.1. A ORIGEM DA IGREJA
 A igreja de Cristo sempre existiu na
  mente e coração do Pai, desde antes
  da fundação do universo.
 Efésios 1 : 4 Como também nos elegeu
  nele antes da fundação do mundo,
  para que fôssemos santos e
  irrepreensíveis diante dele em amor;
 I Pedro 1 : 20 O qual, na verdade, em
 outro tempo foi conhecido, ainda
 antes da fundação do mundo, mas
 manifestado nestes últimos tempos
 por amor de vós;
 O plano de Salvação estava traçado por
 Deus desde o eterno passado. O sacrifício
 fora feito antes da fundação do universo,
 isto é, antes mesmo de ser efetuado no
 calvário, o cordeiro já era conhecido pelo
 Pai.
O Novo Povo de Deus:

   Surgiu dentro do antigo povo e como
    cumprimento das profecias do Antigo
    Testamento.
   Ao princípio a igreja é considerada como uma
    seita do judaísmo. At:24:5; 28:22. Há um
    sobrepor dum sobre o outro. A igreja é formada
    dentro do ventre de Israel.
 Em uma ordem lógica,
  podemos admitir que:
 Deus fundou a Igreja,
 Jesus Cristo formou a Igreja e
  o Espírito Santo confirmou a
  Igreja.
I.2. A FUNDAÇÃO DA IGREJA
 Efésios 3: 9 E demonstrar a todos
 qual seja a dispensação do mistério,
 que desde os séculos esteve oculto
 em Deus, que tudo criou por meio de
 Jesus Cristo;
I. 3. O NASCIMENTO DA
             IGREJA

 A Igreja de Cristo iniciou sua história com
 um movimento de âmbito mundial, no dia
 de Pentecostes, cinqüenta dias após a
 ressurreição, e dez dias depois da
 ascensão do Senhor Jesus Cristo.
Na manhã do dia de
          Pentecostes
.
 - 120 seguidores de Jesus oravam
  reunidos
 - Línguas de fogo desceram sobre eles
 - Falaram em outras línguas
O tríplice efeito do Pentecostes

 - Iluminou a mente dos discípulos
 - Compreenderam que o Reino não
  era político
 - Deveriam estar totalmente na
  dependência do Espírito Santo
I. 4. A PLENITUDE DO TEMPO

 Gálatas 4: 4 Mas, vindo à
 plenitude dos tempos, Deus
 enviou seu Filho, nascido de
 mulher, nascido sob a lei,
 A Palestina onde o cristianismo deu seus
 primeiros passos ocupava uma posição
 geográfica privilegiada, pois ocupava uma
 área onde era a encruzilhada das grandes
 rota comerciais que uniam o Egito à
 Mesopotâmia, e a Arábia com a Ásia
 Menor
 A língua predominante na época era
 o grego. Uma língua universal,
 apesar do império dominante ser o
 Império Romano, que unia em um só
 governo boa parte do mundo
 conhecido.
 Apesar de haver muitas religiões e
 filosofias ( A política dos romanos era, em
 geral, tolerante em relação a religião e
 aos costumes dos povos conquistados. )
 o mundo estava vazio espiritualmente,
 Assim o mundo estava pronto para a
 recepção de uma nova religião.
 Jesus nasceu dentro deste
 contexto e que biblicamente se
 conhece como "plenitude dos
 tempos" Gl:4:4-5.
 A "plenitude do tempo"   não quer dizer
 que o mundo estivesse pronto a se tornar
 cristão, mas quer dizer que, nos desígnios
 de Deus, havia chegado o momento de
 enviar o seu filho ao mundo.
CAPÍTULO II
A IGREJA APOSTÓLICA
II.1. O CRESCIMENTO DA
               IGREJA
   Atos 5 : 14 E a multidão dos que criam no
    Senhor, tanto homens como mulheres, crescia
    cada vez mais.
   Atos 6 : 7 E crescia a palavra de Deus, e em
    Jerusalém se multiplicava muito o número dos
    discípulos, e grande parte dos sacerdotes
    obedecia à fé.
 A arma usada pela igreja, através da
 qual a igreja crescia
 demasiadamente, era o testemunho
 de seus membros
 Os motivos desse crescimento foram:
 - Perseveravam   na doutrina dos
  apóstolos
 - Perseveravam na comunhão e partir
  do pão
 - Perseveravam na oração
 - Possuíam temor
 - Muitos sinais e maravilhas se faziam
 - Muita alegria e sinceridade
       Atos 2 : 41 - 47
 A Igreja PRIMITIVA era uma igreja
  poderosa na fé e no testemunho, pura em
  seu caráter, e abundante no amor.
 Podemos dizer o mesmo de nós?
 Continuamos na próxima sexta

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Coop. Fabio Silva
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
Respirando Deus
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
Eraldo Luciano
 
Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja Apostólica
Marcia oliveira
 
HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
História da Igreja - Concílios de Nicéia e Constantinopla
História da Igreja - Concílios de Nicéia e ConstantinoplaHistória da Igreja - Concílios de Nicéia e Constantinopla
História da Igreja - Concílios de Nicéia e Constantinopla
Glauco Gonçalves
 
Aula 6 - A Igreja Moderna
Aula 6 - A Igreja Moderna Aula 6 - A Igreja Moderna
Aula 6 - A Igreja Moderna
Adriano Pascoa
 
História da Igreja - Visão geral
História da Igreja - Visão geralHistória da Igreja - Visão geral
História da Igreja - Visão geral
Glauco Gonçalves
 
5. O Evangelho de Lucas
5. O Evangelho de Lucas5. O Evangelho de Lucas
5. O Evangelho de Lucas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Os Quatro Evangelhos
Os Quatro EvangelhosOs Quatro Evangelhos
Os Quatro Evangelhos
Michele L D Pain
 
Introdução á bíblia
Introdução á bíbliaIntrodução á bíblia
Introdução á bíblia
Lucilene G.O. Adonai
 
Panorama do NT - Marcos
Panorama do NT - MarcosPanorama do NT - Marcos
Panorama do NT - Marcos
Respirando Deus
 
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma ProtestanteLição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Éder Tomé
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblico
RODRIGO FERREIRA
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
Moisés Sampaio
 
Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Erberson Pinheiro
 
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média CristãAula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Adriano Pascoa
 
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Mais procurados (20)

Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
 
Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja Apostólica
 
HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 01 - BÁSICO - IBADEP)
 
História da Igreja - Concílios de Nicéia e Constantinopla
História da Igreja - Concílios de Nicéia e ConstantinoplaHistória da Igreja - Concílios de Nicéia e Constantinopla
História da Igreja - Concílios de Nicéia e Constantinopla
 
Aula 6 - A Igreja Moderna
Aula 6 - A Igreja Moderna Aula 6 - A Igreja Moderna
Aula 6 - A Igreja Moderna
 
História da Igreja - Visão geral
História da Igreja - Visão geralHistória da Igreja - Visão geral
História da Igreja - Visão geral
 
5. O Evangelho de Lucas
5. O Evangelho de Lucas5. O Evangelho de Lucas
5. O Evangelho de Lucas
 
Os Quatro Evangelhos
Os Quatro EvangelhosOs Quatro Evangelhos
Os Quatro Evangelhos
 
Introdução á bíblia
Introdução á bíbliaIntrodução á bíblia
Introdução á bíblia
 
Panorama do NT - Marcos
Panorama do NT - MarcosPanorama do NT - Marcos
Panorama do NT - Marcos
 
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma ProtestanteLição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
Lição 4 – A história da Igreja até a Reforma Protestante
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblico
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
 
Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
 
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média CristãAula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
 
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
 

Destaque

Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Adriano Pascoa
 
Igreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romanaIgreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romana
Mateus Lima
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Catolicismo
Joao Oliveira
 
Historia da igreja I aula 2
Historia da igreja I  aula 2Historia da igreja I  aula 2
Historia da igreja I aula 2
Moisés Sampaio
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Adriano Pascoa
 
Catolicismo romano
Catolicismo romanoCatolicismo romano
História da igreja II
História da igreja IIHistória da igreja II
História da igreja II
Sérgio Miguel
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Catolicismo
Joel Alexandre
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Catolicismo
Hanna Zamorano
 
HISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃO
HISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃOHISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃO
HISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃO
Leonam dos Santos
 
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
ESCRIBAVALDEMIR
 
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICAHIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA
Virna Salgado Barra
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Reforma protestante slide
Reforma protestante slideReforma protestante slide
Reforma protestante slide
Eduardo Gomes
 
Historia igreja
Historia igrejaHistoria igreja
Historia igreja
Jônata Barbosa
 
Série igreja quem somos.ppt
Série igreja   quem somos.pptSérie igreja   quem somos.ppt
Série igreja quem somos.ppt
Eid Marques
 
História da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império RomanoHistória da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império Romano
Glauco Gonçalves
 
Éfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amor
Éfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amorÉfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amor
Éfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amor
Elder Moraes
 
O catecismo da igreja católica
O catecismo da igreja católicaO catecismo da igreja católica
O catecismo da igreja católica
Francisco Rodrigues
 
Igreja medieval
Igreja medievalIgreja medieval
Igreja medieval
PROFºWILTONREIS
 

Destaque (20)

Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
 
Igreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romanaIgreja católica apostólica romana
Igreja católica apostólica romana
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Catolicismo
 
Historia da igreja I aula 2
Historia da igreja I  aula 2Historia da igreja I  aula 2
Historia da igreja I aula 2
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
 
Catolicismo romano
Catolicismo romanoCatolicismo romano
Catolicismo romano
 
História da igreja II
História da igreja IIHistória da igreja II
História da igreja II
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Catolicismo
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Catolicismo
 
HISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃO
HISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃOHISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃO
HISTÓRIA DA IGREJA - INTRODUÇÃO
 
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
O QUE É A IGREJA CATÓLICA ROMANA?
 
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICAHIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA
HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA
 
Catolicismo
CatolicismoCatolicismo
Catolicismo
 
Reforma protestante slide
Reforma protestante slideReforma protestante slide
Reforma protestante slide
 
Historia igreja
Historia igrejaHistoria igreja
Historia igreja
 
Série igreja quem somos.ppt
Série igreja   quem somos.pptSérie igreja   quem somos.ppt
Série igreja quem somos.ppt
 
História da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império RomanoHistória da Igreja - A queda do Império Romano
História da Igreja - A queda do Império Romano
 
Éfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amor
Éfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amorÉfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amor
Éfeso - A Igreja que perdeu o primeiro amor
 
O catecismo da igreja católica
O catecismo da igreja católicaO catecismo da igreja católica
O catecismo da igreja católica
 
Igreja medieval
Igreja medievalIgreja medieval
Igreja medieval
 

Semelhante a Historia da igreja

2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptx2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptx
PIB Penha - SP
 
Atos dos apostolos
Atos dos apostolosAtos dos apostolos
Atos dos apostolos
Marcos Masini
 
O ano da fé
O ano da féO ano da fé
História da igreja
História da igrejaHistória da igreja
História da igreja
Luciano Borges
 
Nada Há de Errado no Plano de Deus
Nada Há de Errado no Plano de DeusNada Há de Errado no Plano de Deus
Nada Há de Errado no Plano de Deus
Silvio Dutra
 
Nossahistoria
NossahistoriaNossahistoria
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
boasnovassena
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
Ricardo Gondim
 
Cat07
Cat07Cat07
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Quenia Damata
 
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
Andre Nascimento
 
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptxLição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Celso Napoleon
 
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
Antonio Ferreira
 
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
Antonio Ferreira
 
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
Antonio Ferreira
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Robson Rocha
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
JUERP
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
mdscs81
 
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista BrasileiraDeclaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Igreja Batista em Camobi
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
mdscs81
 

Semelhante a Historia da igreja (20)

2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptx2 - O periodo dos apostolos.pptx
2 - O periodo dos apostolos.pptx
 
Atos dos apostolos
Atos dos apostolosAtos dos apostolos
Atos dos apostolos
 
O ano da fé
O ano da féO ano da fé
O ano da fé
 
História da igreja
História da igrejaHistória da igreja
História da igreja
 
Nada Há de Errado no Plano de Deus
Nada Há de Errado no Plano de DeusNada Há de Errado no Plano de Deus
Nada Há de Errado no Plano de Deus
 
Nossahistoria
NossahistoriaNossahistoria
Nossahistoria
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
 
Cat07
Cat07Cat07
Cat07
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
 
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
 
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptxLição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx
 
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
 
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
 
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
15589344 evangelico-joel-r-beeke-a-tocha-dos-puritanos
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
 
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista BrasileiraDeclaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
Declaração Doutrinaria da Convenção Batista Brasileira
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
 

Mais de ESTUDANTETEOLOGIA

Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Transforma me senhor
Transforma me senhorTransforma me senhor
Transforma me senhor
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Transforma me senhor
Transforma me senhorTransforma me senhor
Transforma me senhor
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Mudanças
MudançasMudanças
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estimaa perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
ESTUDANTETEOLOGIA
 
A doutrina do espírito santo.ppt 2
A doutrina do espírito santo.ppt 2A doutrina do espírito santo.ppt 2
A doutrina do espírito santo.ppt 2
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Santificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viverSantificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viver
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)
Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)
Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Efesios introdução
Efesios introduçãoEfesios introdução
Efesios introdução
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Não desista
Não desistaNão desista
Não desista
ESTUDANTETEOLOGIA
 
A FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃO
A FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃOA FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃO
A FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃO
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Papo sobre namoro
Papo sobre namoro Papo sobre namoro
Papo sobre namoro
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Papo sobre namoro
Papo sobre namoroPapo sobre namoro
Papo sobre namoro
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Papo sobre namoro
Papo sobre namoroPapo sobre namoro
Papo sobre namoro
ESTUDANTETEOLOGIA
 
A IRA DE DEUS
A IRA DE DEUSA IRA DE DEUS
A IRA DE DEUS
ESTUDANTETEOLOGIA
 
os 3 julgamentos de Deus
os 3 julgamentos de Deusos 3 julgamentos de Deus
os 3 julgamentos de Deus
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Páscoa
PáscoaPáscoa
Páscoa
PáscoaPáscoa
O anticristo
O anticristoO anticristo
O anticristo
ESTUDANTETEOLOGIA
 

Mais de ESTUDANTETEOLOGIA (20)

Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
Transforma me senhor
Transforma me senhorTransforma me senhor
Transforma me senhor
 
Transforma me senhor
Transforma me senhorTransforma me senhor
Transforma me senhor
 
Mudanças
MudançasMudanças
Mudanças
 
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estimaa perspectiva bíblica sobre a auto-estima
a perspectiva bíblica sobre a auto-estima
 
A doutrina do espírito santo.ppt 2
A doutrina do espírito santo.ppt 2A doutrina do espírito santo.ppt 2
A doutrina do espírito santo.ppt 2
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
 
Santificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viverSantificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viver
 
Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)
Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)
Missões ( o plano de Deus no Antigo Testamento)
 
Efesios introdução
Efesios introduçãoEfesios introdução
Efesios introdução
 
Não desista
Não desistaNão desista
Não desista
 
A FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃO
A FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃOA FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃO
A FORÇA DE UMA NOVA GERAÇÃO
 
Papo sobre namoro
Papo sobre namoro Papo sobre namoro
Papo sobre namoro
 
Papo sobre namoro
Papo sobre namoroPapo sobre namoro
Papo sobre namoro
 
Papo sobre namoro
Papo sobre namoroPapo sobre namoro
Papo sobre namoro
 
A IRA DE DEUS
A IRA DE DEUSA IRA DE DEUS
A IRA DE DEUS
 
os 3 julgamentos de Deus
os 3 julgamentos de Deusos 3 julgamentos de Deus
os 3 julgamentos de Deus
 
Páscoa
PáscoaPáscoa
Páscoa
 
Páscoa
PáscoaPáscoa
Páscoa
 
O anticristo
O anticristoO anticristo
O anticristo
 

Último

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 

Último (10)

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 

Historia da igreja

  • 1.
  • 2. O que iremos estudar:  Introdução  Os grandes períodos da história da igreja  A igreja apostólica  A igreja imperial  A igreja medieval  A igreja reformada  Inquisição  A igreja contemporânea.  Histórico do nascimento da Igreja Batista Ebenézer
  • 3.  Ainda teremos alguns documentários que nos mostrarão como se deram alguns fatos na história da igreja.  Ex. como morreram todos os apóstolos de Cristo.
  • 4.  A história da Igreja Cristã, se corretamente considerada e usada, pode ser uma grande fonte de força, sabedoria e estabilidade para o cristão sério. Por outro lado, a história da Igreja, quando considerada erroneamente e usada de maneira equivocada, pode ser uma pedra de tropeço, uma ocasião de fraqueza e estagnação.
  • 5.  Há três atitudes para com a história passada da Igreja que são erradas e que podem somente impedir a força verdadeira e o progresso no testemunho da Verdade. Essas três atitudes são:
  • 6. [1] Romantizando o passado; [2] Absolutizando o passado; [3] Desdenhando o passado
  • 7.  Romantizar o passado significa dar-lhe, em nosso pensamento, uma qualidade ideal ou perfeita que de fato ele não possui. Frequentemente isso envolve o anacronismo de ler o presente no passado, em vez de ver o passado e interpretá-lo como aquilo que ele realmente foi.
  • 8.  Absolutizar o passado significa considerar alguma época ou período no passado como ideal e normativo para todos os tempos vindouros. a ideia mantida é a seguinte: que aquilo que a Igreja de nossos dias realmente precisa é voltar em espírito àqueles tempos e ali permanecer.
  • 9.  Desdenhar ou desprezar o passado é uma reação contra as tendências de romantização e absolutização. A pessoa que desdenha o passado falha em apreciar suas conquistas e valores reais. Isto é, ele fracassa em perceber o que Deus já fez na história passada de sua Igreja.
  • 10.  Não somos os primeiros cristãos inteligentes ou fieis que já viveram. Cristo, por meio do seu Espírito, sempre esteve ativo, trabalhando ao longo da história passada de sua Igreja. Prestemos atenção à injunção bíblica de “provar todas as coisas e reter o que é bom”. Não romantizemos o passado, não absolutizemos o passado e não desprezemos o passado. Antes, que possamos avaliá- lo com justiça e valorizá-lo sabiamente, para a honra e glória de Deus.
  • 11. CAPÍTULO I  OS GRANDES PERÍODOS DA HISTÓRIA DA IGREJA.
  • 12.  I.1. A ORIGEM DA IGREJA  A igreja de Cristo sempre existiu na mente e coração do Pai, desde antes da fundação do universo.  Efésios 1 : 4 Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;
  • 13.  I Pedro 1 : 20 O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;
  • 14.  O plano de Salvação estava traçado por Deus desde o eterno passado. O sacrifício fora feito antes da fundação do universo, isto é, antes mesmo de ser efetuado no calvário, o cordeiro já era conhecido pelo Pai.
  • 15. O Novo Povo de Deus:  Surgiu dentro do antigo povo e como cumprimento das profecias do Antigo Testamento.  Ao princípio a igreja é considerada como uma seita do judaísmo. At:24:5; 28:22. Há um sobrepor dum sobre o outro. A igreja é formada dentro do ventre de Israel.
  • 16.  Em uma ordem lógica, podemos admitir que:  Deus fundou a Igreja,  Jesus Cristo formou a Igreja e o Espírito Santo confirmou a Igreja.
  • 17. I.2. A FUNDAÇÃO DA IGREJA  Efésios 3: 9 E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo;
  • 18. I. 3. O NASCIMENTO DA IGREJA  A Igreja de Cristo iniciou sua história com um movimento de âmbito mundial, no dia de Pentecostes, cinqüenta dias após a ressurreição, e dez dias depois da ascensão do Senhor Jesus Cristo.
  • 19. Na manhã do dia de Pentecostes .  - 120 seguidores de Jesus oravam reunidos  - Línguas de fogo desceram sobre eles  - Falaram em outras línguas
  • 20. O tríplice efeito do Pentecostes  - Iluminou a mente dos discípulos  - Compreenderam que o Reino não era político  - Deveriam estar totalmente na dependência do Espírito Santo
  • 21. I. 4. A PLENITUDE DO TEMPO  Gálatas 4: 4 Mas, vindo à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,
  • 22.  A Palestina onde o cristianismo deu seus primeiros passos ocupava uma posição geográfica privilegiada, pois ocupava uma área onde era a encruzilhada das grandes rota comerciais que uniam o Egito à Mesopotâmia, e a Arábia com a Ásia Menor
  • 23.
  • 24.  A língua predominante na época era o grego. Uma língua universal, apesar do império dominante ser o Império Romano, que unia em um só governo boa parte do mundo conhecido.
  • 25.  Apesar de haver muitas religiões e filosofias ( A política dos romanos era, em geral, tolerante em relação a religião e aos costumes dos povos conquistados. ) o mundo estava vazio espiritualmente, Assim o mundo estava pronto para a recepção de uma nova religião.
  • 26.  Jesus nasceu dentro deste contexto e que biblicamente se conhece como "plenitude dos tempos" Gl:4:4-5.
  • 27.  A "plenitude do tempo" não quer dizer que o mundo estivesse pronto a se tornar cristão, mas quer dizer que, nos desígnios de Deus, havia chegado o momento de enviar o seu filho ao mundo.
  • 29. II.1. O CRESCIMENTO DA IGREJA  Atos 5 : 14 E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais.  Atos 6 : 7 E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé.
  • 30.  A arma usada pela igreja, através da qual a igreja crescia demasiadamente, era o testemunho de seus membros
  • 31.  Os motivos desse crescimento foram:  - Perseveravam na doutrina dos apóstolos  - Perseveravam na comunhão e partir do pão  - Perseveravam na oração  - Possuíam temor  - Muitos sinais e maravilhas se faziam  - Muita alegria e sinceridade  Atos 2 : 41 - 47
  • 32.  A Igreja PRIMITIVA era uma igreja poderosa na fé e no testemunho, pura em seu caráter, e abundante no amor.  Podemos dizer o mesmo de nós?
  • 33.  Continuamos na próxima sexta