SlideShare uma empresa Scribd logo
PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO
Aula 3
ENSINAI Pb. Lisandro Cronje
LIVROS POÉTICOS
INTRODUÇÃO

A poesia pode ser encontrada em todo o Antigo
Testamento, mas há uma seção totalmente
composta por livros poéticos e sapienciais. São eles:

Jó

Salmos

Provérbios

Eclesiastes

Cantares
Panorama do at 3
LIVROS POÉTICOS
INTRODUÇÃO

Estes cinco livros que ficam no meio dos livros
históricos e proféticos são muitos diferentes
daqueles que vem antes ou depois deles.

Os livros poéticos tratam dos temas mais diversos: o
problema do sofrimento humano, cânticos e
poemas, máximas de sabedoria, reflexões sobre a
vida, amor, etc.

Os livros poéticos não tratam da nação de Israel,
mas tratam de assuntos individuais do coração.
LIVROS POÉTICOS
INTRODUÇÃO

Eles falam de indivíduos como tais, do coração
humano.

Não são a única poesia encontrada no Velho
Testamento.

Os livros poéticos falam das experiências da vida, da
relação do coração com Deus e da intimidade que o
salvo tem com Deus.
LIVROS POÉTICOS
A POESIA HEBRAICA

Devemos dizer algumas palavras sobre a natureza da
poesia hebraica. Porque ela difere muito da poesia
encontrada no mundo em vários dos seus aspectos.

Uma grande parte da poesia do mundo apóia-se na rima
(no paralelismo sonoro) e no ritmo de tempo. Na rima
atingimos o prazer da concordância fonética. No ritmo
atingimos o prazer da concordância métrica. Mas na
poesia hebraica não é a rima nem o ritmo de sons, mas é o
paralelismo de idéias ou verdades. Isso pode ser de três
maneiras: completivo, contrastante e construtivo.
LIVROS POÉTICOS
A POESIA HEBRAICA

Exemplos do completivo (progressivo): Salmo 92:12,
Salmo 46:1, Salmo 19:7 e Salmo 30:11. O segundo
pensamento coincide com o primeiro, mas não é igual,
porque desenvolve, enriquece, completa e colore o
primeiro pensamento.

Exemplos do contrastante (antitético ou contrário). O
livro de Provérbios contém muitos deles. Provérbios 3:5,
Provérbios 27:6, Salmo 30:5, Provérbios 14:11, Salmo
32:10. Pode ver que o segundo pensamento contrasta
com o primeiro pensamento.
LIVROS POÉTICOS
A POESIA HEBRAICA

Exemplos do sinônimo: Salmo 2:4, Provérbios
1:8. Nestes versículos a segunda linha repete o
mesmo pensamento da primeira linha em outras
palavras.

Exemplos do construtivo: Provérbios 30:17, Salmo
21:1-2, Salmo20:7-8. O belo desenvolvimento dos
versículos é facilmente perceptível.
JÓ
1. Introdução
- Através da dolorosa experiência de Jó, ricas e profundas
lições nos são ensinadas sobre o sofrimento dos justos e
seu propósito.
-Portanto, nesta série de lições extraídas do seu livro,
verificaremos que é perfeitamente possível ao crente
permanecer adorando ao Senhor, mesmo estando sob o
calor das mais duras provações; aliás, quando o
verdadeiro crente atravessa o sombrio vale da sombra e
da morte, ou enfrenta o calor da fornalha da aflição, para
ele, a adoração se torna uma espécie de refúgio através
da qual recebe refrigério para a alma.
JÓ
1. Introdução
O conteúdo do livro de Jó é realmente de um valor sem igual,
a sua importância para a história da literatura, foi
abordada com as seguintes expressões: “O livro de Jó é
talvez a maior obra - prima do espírito humano” - Victor
Hugo
“Ergue-se como pirâmide na história da literatura, sem
precedente e sem rival” - Philip Schaff
A importância deste livro se prende ao fato de ser inspirado
por Deus, e da discussão filosófica apresentada comum a
linguagem altamente poética a cerca do sofrimento
humano.
JÓ
2.Autoria e Data: Há opiniões de que tenha sido escrito por
Moisés, Esdras, Salomão, Eliú ou o próprio Jó; porém há um
consenso geral entre os estudiosos de que o livro tenha sido
escrito por Moisés, enquanto esteve no deserto de Midiã, Ex 2.15,
pois Midiã servia de limite ao país dos edumeus; e por
conseguinte, Moisés deve ter ouvido a história de Jó dos lábios
dos seus descendentes imediatos; ou mesmo do próprio Jó, se
realmente se confirma a hipótese de que a sua origem tem relação
com Edom.
- A antiga tradição judaica atribuía sua autoria a Moisés. Se de
fato Jó era descendente de Abraão, Moisés pode reconhecê-lo
como estando dentro do círculo da revelação divina.
JÓ
3. Tema e Propósito: O livro de Jó é uma antiga obra
doutrinária, divinamente inspirada; fala da doutrina de Deus,
do homem, de Satanás, do pecado, da justiça, da disciplina,
da fé, da criação e outras. No livro de Jó temos a revelação de
fatos divinos e sobrenaturais, pois aborda fatos essenciais
sobre Deus e o seu favor para com os seus filhos, e o seu
controle sobre Satanás.
- Neste livro temos a resposta à intrincada pergunta: “Porque
o justo sofre enquanto os ímpios gozam de saúde e
prosperidade? ”Porquanto, sua mensagem mostra a
recompensa que tem aqueles que perseveram na fidelidade a
Deus.
JÓ
4. Esboço: O livro pode ser dividido em cinco partes:

A Provação (1.1-2.10).

O Diálogo entre Jó e seus amigos (2.11-31.40).

A participação de Eliú (32-37).

O Senhor fala (38-41).

A Restauração de Jó (cap. 42).
5. Fatos Importantes: Diálogo entre Deus e Satanás
JÓ
6. Características Especiais: Se o Livro foi escrito na época
dos patriarcas, ele é o livro mais antigo da Bíblia, além de
ser aquele que mais menciona satanás.
SALMOS
1.Introdução
O livro dos Salmos é o mais extenso das Escrituras e é
formado por uma coleção de poemas de louvores ao Senhor.
É uma obra literária que tem como alvo principal o
engrandecimento do nome do Senhor.
- Seus cânticos expressam os sentimentos da alma dos seus
escritores em reverente culto ao Todo-Poderoso. Os salmos
foram escritos há muitos séculos, porém, continuam sendo
de grande edificação para a Igreja do Senhor no século XXI.
O homem de hoje é basicamente o mesmo dos tempos de
Davi e Asafe, ainda que tenha progredido socialmente
através dos séculos.
SALMOS
1.Introdução
- Ele continua sendo um ser que sente alegria, tristeza, dor,
que se preocupa com as coisas da vida e que sempre precisa
de Deus. Os altos e baixos da vida fazem parte dele como
faziam em relação a Israel nos dias em que os diversos
salmistas compuseram os salmos.
- Salmodiar significa literalmente no grego, cantar com
acompanhamento musical.
- No hebraico o título do livro dos Salmos era “sefer
tehillim”, que significa “livros dos louvores”, às vezes
somente era chamado “tehillim” ou “louvores”.
SALMOS
2.Autoria e Data:
Davi .....................................................73 Salmos
Asafe ....................................................12 Salmos
Os Filhos de Coré ..................................11 Salmos
Salomão ..................................................2 Salmos
Etã............................................................ 1 Salmo
Hemã .......................................................1 Salmo
Moisés ......................................................1 Salmo
e outros de autores desconhecidos.
SALMOS
2.Autoria e Data: Os Salmos foram escritos por vários
autores, durante muitos anos. Mais de 1.000 anos desde
Moisés (1.500a.C.) até Esdras (450a.C.). É geralmente aceito
que Esdras, o escriba, reuniu e classificou os Salmos em
ordem temática.
3. Tema e Propósito: “Louvor, adoração, arrependimento e
exaltação ao Senhor”, enfatizando o Messias, a Lei, a Criação,
o Futuro de Israel,etc.
- O salmista exclama e louva ao Senhor porque ele é digno, é
bom, é misericordioso, é justo e porque o tem resgatado das
garras dos seus inimigos, da força dos seus adversários, da
prisão,da escravidão e do cativeiro.
SALMOS
3. Tema e Propósito: São três os propósitos do Livro de
Salmos:
1º)Revelar o espírito de devoção do povo de Deus, através
de vários acontecimentos e incidentes ocorridos nas suas
vidas.
2º)Divulgar as profecias messiânicas cujo cumprimento os
judeus tanto aguardavam.
3º)Convidar outros povos a se unirem aos filhos da promessa
a fim de juntos prestarem culto ao Senhor.
SALMOS
4. Esboço: Os Salmos, conforme se encontram no hebraico,
foram divididos em cinco livros, conforme mostramos a
seguir:
LIVRO I– Salmos 1-41. Quase todos são de autoria de Davi,
correspondem ao livro de Gênesis por causa de sua ênfase
sobre o pecado do homem e sua necessidade de Deus. O
nome “Senhor” Jeová é salientado nestes poemas.
LIVRO II – Salmos 42-72. Davi se destaca como o principal
escritor destes Salmos. Correspondem ao livro de Êxodo
por causa dos seus temas sobre a salvação do homem e
libertação de Israel. O nome “Deus Elohim” domina esta
divisão.
SALMOS
LIVRO III – Salmos 73-89. O principal autor destes Salmos é
Asafe. Correspondem a Levítico e seus temas tratam do
Tabernáculo, da liturgia levítica e da santidade de Deus. Os
nomes Deus Elohim e Senhor Jeová são enfatiza dos com
freqüência.
LIVRO IV – Salmos 90–106. É incerta a autoria desses Salmos.
Correspondem ao livro de Números, por causa dos seus
temas concernentes aos perigos, bem como a proteção
durante a peregrinação do povo de Israel no deserto. Vários
destes salmos são proféticos e ressaltam o tempo em que os
judeus cessaram suas peregrinações entre as nações
gentílicas. O nome “Senhor Jeová” é o mais destacado.
SALMOS
LIVRO V – Salmos 107-150. De autoria variada,
correspondem ao livro de Deuteronômio, pelo fato de
enaltecer a Palavra de Deus, a Lei, e o louvor; o âmago desta
última divisão é o Salmo 119. O nome do Senhor Jeová é
predominante nestes Salmos.
SALMOS
5. Fatos Importantes e Características Especiais:
- Há cerca de 186 citações dos Salmos no Novo Testamento, o
que ultrapassa qual quer outro livro do Antigo Testamento. É
fato claro que Jesus e os escritores do Novo Testamento
conheciam muito bem os salmos, e que o Espírito Santo usou
muitas passagens do livro nos ensinos de Jesus, bem como o
Messias predito: Por exemplo, observe Salmo 110 com
apenas sete versículos é mais citado no N.T. do que qualquer
outro capítulo do Antigo Testamento.
- Ele contém profecias sobre Jesus como Messias, como o Filho
de Deus e como sacerdote eterno, segundo a ordem de
Melquisedeque.
SALMOS
- Sua primeira e sua segunda vinda; sua qualidade de Filho
de Deus e seu caráter; Seu sofrimentos e morte expiatória;
Sua ressurreição.
- Salmos é o maior livro da Bíblia, e contém o capítulo mais
extenso, Sl 119.1-176, o capítulo mais curto, 117.1,2. E o
versículo central da Bíblia Sl 118.8.
PROVÉRBIOS
1. Introdução
Apesar do nome, o livro de Provérbios é mais que uma
coletânea de provérbios. Os capítulos de 1-9 contêm alguns
discursos longos, e o livro termina comum poema de louvor à
mulher virtuosa, Pv 31.10-31. Entretanto, grande parte do
livro é preenchida por ditados e provérbios pelos quais é mais
conhecido.
- Provérbio é um ditado curto e sentencioso, e por ser
inspirado por Deus, não devemos entendê-lo como
sabedoria popular, mas um conjunto de profundas verdades
espirituais.
PROVÉRBIOS
2.Autoria e Data: A autoria é atribuída a Salomão, filho de
Davi, Pv1.1; 25.1. Contudo, há também as palavras de Agur, Pv
30, e palavras do rei Lemuel, Pv 31. Há quem diga que Agur e
Lemuel são pseudônimos de pessoas que nos são familiares;
mas, o mais provável é que sejam sábios sobre os quais não
temos nenhuma informação.
- Já que não conhecemos a identidade dos demais autores, não
temos como saber a data da composição dos mesmos.
Entretanto, há outro motivo para datar o livro, pois
conhecemos a identidade de Salomão, o seu principal autor, e
também de Ezequias, que viveu aproximadamente entre 716-
687 a.C. Portanto, entende-se que o livro de Provérbios surgiu
entre 985 a 945 a.C.
PROVÉRBIOS
3. Tema e Propósito: Sabedoria; Retidão; Temor a Deus;
Entendimento; Moralidade; Castidade; Diligência; Domínio
Próprio; Confiança em Deus; Dízimos; O uso próprio das
riquezas; Considerações aos pobres; O domínio da língua; A
generosidade com os inimigos; A escolha de companheiros;
A abstenção de mulheres más; O louvor das boas mulheres;
A educação dos filhos; O trabalho; A honestidade; A
abstenção da ociosidade; O pecado da preguiça; A justiça; O
contentamento; A Jovialidade; O respeito; O bom senso.
- Passar instruções morais principalmente aos jovens.
PROVÉRBIOS
4. Esboço: Livro
5. Fatos Importantes: A Sabedoria; 4 tipos de tolo: o simples,
o arrogante, o obstinado e o bruto.
6. Características Especiais: É um livro eminente-mente
prático, e podem ser aplicados por qualquer pessoa.
ECLESIASTES
1. Introdução
- A palavra “pregador” usada no primeiro versículo deste livro
vem duma raiz hebraica que significa “aquele que chama” ou
“aquele que invoca”. A ideia é de um orador ou pregador que
reúne o povo a fim de lhe dirigir a palavra ou mensagem. De
acordo com a homilética, o livro de Eclesiastes é uma
mensagem bem estruturada, com introdução, tese,
desenvolvimento da tese, conclusão e aplicação.
Panorama do at 3
ECLESIASTES
2.Autoria e Data: O livro foi escrito cerca de 935 a.C. E parece ser
a biografia de Salomão. Através das suas tentativas de encontrar
respostas às perguntas da vida, o sábio rei mostra-nos o
descontentamento do homem que vive sem Deus. Mas, ele
também mostra a necessidade do homem aprender a se submeter
a Deus e a seus decretos.
3. Tema e Propósito: O tema de Eclesiastes é a vaidade de tudo
que há debaixo do sol. A conclusão, porém, é: “Teme a Deus, e
guarda os seus mandamentos; porque é o dever de todo homem”.
O termo vaidade no livro de Eclesiastes significa aquilo que é
passageiro, vazio, inútil. O livro ensina que as coisas materiais ou
terrenas são passageiras, enquanto as espirituais são
permanentes.
ECLESIASTES
4. Esboço: Livro
5. Fatos Importantes: o tema deste livro é “vaidade de
vaidades; tudo é vaidade”. Encerra também uma tentativa de
resposta filosófica à pergunta: “Como viver do melhor modo
possível num mundo onde tudo é vaidade?” O livro contém
muita coisa de majestosa beleza e de transcendente
sabedoria, mas o seu tom predominante é indizivelmente
melancólico, muito diferente da alegria vivaz dos Salmos.
6. Características Especiais: Eclesiastes era um dos cinco
livros litúrgicos de Israel, lido durante as festas sagradas dos
judeus.
CANTARES
1.Introdução
- O livro de Cantares tem originado controvérsias, discussões
e debates. Alguns mais imprudentes chegam a duvidar da
sua canonicidade. Infelizmente muitos por falta de visão
espiritual só veem o lado humano deste livro, não
percebendo os ensinos bíblicos profundos através da
descrição do amor conjugal de que se ocupa o livro.
- Espiritualmente o livro prefigura o amor que Deus tem para
com Israel ou de Cristo para com a sua Igreja, ou para com
cada crente individualmente.
CANTARES
2.Autoria e Data: Como o título do poema indica, Salomão é
o seu autor. Foi escrito mais ou menos por volta do ano 960
a.C.
3. Tema e Propósito: Os judeus reverenciavam muito este
livro. Eles cantavam porções dele durante as festividades da
Páscoa (a primeira e a mais importante de todas as festas
judaicas anuais). Também, comparavam Provérbios ao Pátio
do Templo, Eclesiastes ao lugar Santo e Cantares ao lugar
Santo dos santos, ou Santíssimo.
Há três escolas de interpretação concernente a este livro:
CANTARES
1ª) A Alegórica –Esta escola interpreta tudo simbolicamente,
salientando somente a união espiritual entre Deus e Israel, ou
Cristo e a sua Igreja.
2ª) A Literal – Esta escola interpreta o livro simplesmente como
um história ou descrição de amor matrimonial.
3ª) A Tipológica –Esta, interpreta o livro como a revelação do
amor e da união que devem haver entre Cristo e a sua Igreja.
4. Esboço: Livro
5. Fatos Importantes: Livro
6. Características Especiais: O simples fato de ser um poema que
celebra a sexualidade entre marido e mulher já torna Cantares um
livro digno de nota.
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3
Panorama do at 3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
Respirando Deus
 
Proféticos 1 Introdução e Isaías
Proféticos 1   Introdução e IsaíasProféticos 1   Introdução e Isaías
Proféticos 1 Introdução e Isaías
Pastor W. Costa
 
18. O Livro de I Crônicas
18. O Livro de I Crônicas18. O Livro de I Crônicas
18. O Livro de I Crônicas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Respirando Deus
 
Deuteronômio
DeuteronômioDeuteronômio
Deuteronômio
Élida Rolim
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de Números
Élida Rolim
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateuco
Paulo Ferreira
 
Epistolas paulinas
Epistolas paulinasEpistolas paulinas
Epistolas paulinas
Marcos Mendes
 
14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
A Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros ProféticosA Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
Gustavo Zimmermann
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
12 - Missões e evangelismo.pptx
12 - Missões e evangelismo.pptx12 - Missões e evangelismo.pptx
12 - Missões e evangelismo.pptx
Prgomes5
 
Profeta Oséias
Profeta OséiasProfeta Oséias
Profeta Oséias
Rodrigo Fragoso
 
TESSALONICENSES
TESSALONICENSESTESSALONICENSES
TESSALONICENSES
Cesar Oliveira
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
Alípio Vallim
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Estudo dos livros Poéticos - Eclesiastes
Estudo dos livros Poéticos - EclesiastesEstudo dos livros Poéticos - Eclesiastes
Estudo dos livros Poéticos - Eclesiastes
RODRIGO FERREIRA
 
41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
Respirando Deus
 

Mais procurados (20)

Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
Proféticos 1 Introdução e Isaías
Proféticos 1   Introdução e IsaíasProféticos 1   Introdução e Isaías
Proféticos 1 Introdução e Isaías
 
18. O Livro de I Crônicas
18. O Livro de I Crônicas18. O Livro de I Crônicas
18. O Livro de I Crônicas
 
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
 
Deuteronômio
DeuteronômioDeuteronômio
Deuteronômio
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de Números
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateuco
 
Epistolas paulinas
Epistolas paulinasEpistolas paulinas
Epistolas paulinas
 
14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel
 
A Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros ProféticosA Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
 
12 - Missões e evangelismo.pptx
12 - Missões e evangelismo.pptx12 - Missões e evangelismo.pptx
12 - Missões e evangelismo.pptx
 
Profeta Oséias
Profeta OséiasProfeta Oséias
Profeta Oséias
 
TESSALONICENSES
TESSALONICENSESTESSALONICENSES
TESSALONICENSES
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
 
Estudo dos livros Poéticos - Eclesiastes
Estudo dos livros Poéticos - EclesiastesEstudo dos livros Poéticos - Eclesiastes
Estudo dos livros Poéticos - Eclesiastes
 
41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
 

Destaque

Panorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e EsterPanorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e Ester
Respirando Deus
 
Poesia hebraica
Poesia hebraicaPoesia hebraica
Poesia hebraica
Adauto César
 
COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)
leniogravacoes
 
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
Respirando Deus
 
1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas
Amor pela EBD
 
Os livros de crônicas
Os livros de crônicasOs livros de crônicas
Os livros de crônicas
mbrandao7
 
13. O Livro de i samuel
13. O Livro de i samuel13. O Livro de i samuel
13. O Livro de i samuel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama 1 samuel
Panorama 1 samuelPanorama 1 samuel
Panorama 1 samuel
Fabio Miranda
 
Pr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblica
Pr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblicaPr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblica
Pr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblica
Pastor W. Costa
 

Destaque (9)

Panorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e EsterPanorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e Ester
 
Poesia hebraica
Poesia hebraicaPoesia hebraica
Poesia hebraica
 
COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 crônicas (moody)
 
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
 
1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas
 
Os livros de crônicas
Os livros de crônicasOs livros de crônicas
Os livros de crônicas
 
13. O Livro de i samuel
13. O Livro de i samuel13. O Livro de i samuel
13. O Livro de i samuel
 
Panorama 1 samuel
Panorama 1 samuelPanorama 1 samuel
Panorama 1 samuel
 
Pr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblica
Pr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblicaPr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblica
Pr. Weverton Costa - Hermenêutica bíblica
 

Semelhante a Panorama do at 3

PANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.pptPANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.ppt
Lisanro Cronje
 
Os livros da Bíblia Sagrada
Os livros da Bíblia SagradaOs livros da Bíblia Sagrada
Os livros da Bíblia Sagrada
Sergio Silva
 
Aula 13 - Livros Proféticos
Aula 13 - Livros ProféticosAula 13 - Livros Proféticos
Aula 13 - Livros Proféticos
Gustavo Zimmermann
 
Aula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros PoéticosAula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros Poéticos
Gustavo Zimmermann
 
Um apanhado sobre o pentateuco
Um apanhado sobre o pentateucoUm apanhado sobre o pentateuco
Um apanhado sobre o pentateuco
José Marcelo Pereira
 
Conhecendo a biblia lição 4 - 28-05-17
Conhecendo a biblia   lição 4 - 28-05-17Conhecendo a biblia   lição 4 - 28-05-17
Conhecendo a biblia lição 4 - 28-05-17
PIB Penha
 
1 - BIBLIOLOGIA.doc
1 -  BIBLIOLOGIA.doc1 -  BIBLIOLOGIA.doc
1 - BIBLIOLOGIA.doc
HumanizaTeologia
 
Herbert lockyer todas as parábolas da bíblia
Herbert lockyer   todas as parábolas da bíbliaHerbert lockyer   todas as parábolas da bíblia
Herbert lockyer todas as parábolas da bíblia
Rodolfo Neves
 
13 salmos cap 1 ao 50
13   salmos cap 1 ao 5013   salmos cap 1 ao 50
13 salmos cap 1 ao 50
PIB Penha
 
Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)
Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)
Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)
FAPEGTeologia
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptxIBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
Rubens Sohn
 
AULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptx
AULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptxAULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptx
AULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptx
angeloduarte15
 
Sabedoria na bíblia
Sabedoria na bíbliaSabedoria na bíblia
Sabedoria na bíblia
IRINEU FILHO
 
Os livros profeticos da Bíblia.pptx
Os livros profeticos da Bíblia.pptxOs livros profeticos da Bíblia.pptx
Os livros profeticos da Bíblia.pptx
TiagoGarcia373837
 
14 ise - levítico - números - deuteronômio
14   ise - levítico - números - deuteronômio14   ise - levítico - números - deuteronômio
14 ise - levítico - números - deuteronômio
Léo Mendonça
 
Profetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptxProfetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptx
antonio211075
 
Profetas Menores I - Apresentação
Profetas Menores I  -  ApresentaçãoProfetas Menores I  -  Apresentação
Profetas Menores I - Apresentação
JUERP
 
Conhecendo as escrituras slide share
Conhecendo as escrituras   slide shareConhecendo as escrituras   slide share
Conhecendo as escrituras slide share
Luiz Siles
 
Panorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdf
Panorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdfPanorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdf
Panorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdf
JeffersonMonteiro46
 
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontroTEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
Emanuel Costa
 

Semelhante a Panorama do at 3 (20)

PANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.pptPANORAMA_DO_AT_3.ppt
PANORAMA_DO_AT_3.ppt
 
Os livros da Bíblia Sagrada
Os livros da Bíblia SagradaOs livros da Bíblia Sagrada
Os livros da Bíblia Sagrada
 
Aula 13 - Livros Proféticos
Aula 13 - Livros ProféticosAula 13 - Livros Proféticos
Aula 13 - Livros Proféticos
 
Aula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros PoéticosAula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros Poéticos
 
Um apanhado sobre o pentateuco
Um apanhado sobre o pentateucoUm apanhado sobre o pentateuco
Um apanhado sobre o pentateuco
 
Conhecendo a biblia lição 4 - 28-05-17
Conhecendo a biblia   lição 4 - 28-05-17Conhecendo a biblia   lição 4 - 28-05-17
Conhecendo a biblia lição 4 - 28-05-17
 
1 - BIBLIOLOGIA.doc
1 -  BIBLIOLOGIA.doc1 -  BIBLIOLOGIA.doc
1 - BIBLIOLOGIA.doc
 
Herbert lockyer todas as parábolas da bíblia
Herbert lockyer   todas as parábolas da bíbliaHerbert lockyer   todas as parábolas da bíblia
Herbert lockyer todas as parábolas da bíblia
 
13 salmos cap 1 ao 50
13   salmos cap 1 ao 5013   salmos cap 1 ao 50
13 salmos cap 1 ao 50
 
Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)
Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)
Introdução aos estudo teológico(aulão polo ead)
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptxIBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
 
AULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptx
AULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptxAULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptx
AULA 1 A 8 - LIVROS POÉTICOS.pptx
 
Sabedoria na bíblia
Sabedoria na bíbliaSabedoria na bíblia
Sabedoria na bíblia
 
Os livros profeticos da Bíblia.pptx
Os livros profeticos da Bíblia.pptxOs livros profeticos da Bíblia.pptx
Os livros profeticos da Bíblia.pptx
 
14 ise - levítico - números - deuteronômio
14   ise - levítico - números - deuteronômio14   ise - levítico - números - deuteronômio
14 ise - levítico - números - deuteronômio
 
Profetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptxProfetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptx
 
Profetas Menores I - Apresentação
Profetas Menores I  -  ApresentaçãoProfetas Menores I  -  Apresentação
Profetas Menores I - Apresentação
 
Conhecendo as escrituras slide share
Conhecendo as escrituras   slide shareConhecendo as escrituras   slide share
Conhecendo as escrituras slide share
 
Panorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdf
Panorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdfPanorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdf
Panorama do AT. Poéticos e Proféticos (Aula 3).pdf
 
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontroTEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
 

Mais de Lisanro Cronje

PANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.pptPANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.ppt
Lisanro Cronje
 
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.pptPANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
Lisanro Cronje
 
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.pptPANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
Lisanro Cronje
 
Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2
Lisanro Cronje
 
Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 4
Panorama do nt 4Panorama do nt 4
Panorama do nt 4
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 3
Panorama do nt 3Panorama do nt 3
Panorama do nt 3
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 2
Panorama do nt 2Panorama do nt 2
Panorama do nt 2
Lisanro Cronje
 
Panorama do nt 1
Panorama do nt 1Panorama do nt 1
Panorama do nt 1
Lisanro Cronje
 
Panorama do at 4
Panorama do at 4Panorama do at 4
Panorama do at 4
Lisanro Cronje
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 Ensinai
Lisanro Cronje
 
Panorama do at 2
Panorama do at 2Panorama do at 2
Panorama do at 2
Lisanro Cronje
 

Mais de Lisanro Cronje (12)

PANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.pptPANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.ppt
 
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.pptPANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
 
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.pptPANORAMA_DO_AT_1.ppt
PANORAMA_DO_AT_1.ppt
 
Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2
 
Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1
 
Panorama do nt 4
Panorama do nt 4Panorama do nt 4
Panorama do nt 4
 
Panorama do nt 3
Panorama do nt 3Panorama do nt 3
Panorama do nt 3
 
Panorama do nt 2
Panorama do nt 2Panorama do nt 2
Panorama do nt 2
 
Panorama do nt 1
Panorama do nt 1Panorama do nt 1
Panorama do nt 1
 
Panorama do at 4
Panorama do at 4Panorama do at 4
Panorama do at 4
 
Panorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 EnsinaiPanorama do at 1 Ensinai
Panorama do at 1 Ensinai
 
Panorama do at 2
Panorama do at 2Panorama do at 2
Panorama do at 2
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 

Panorama do at 3

  • 1. PANORAMA DO ANTIGO TESTAMENTO Aula 3 ENSINAI Pb. Lisandro Cronje
  • 2. LIVROS POÉTICOS INTRODUÇÃO  A poesia pode ser encontrada em todo o Antigo Testamento, mas há uma seção totalmente composta por livros poéticos e sapienciais. São eles:  Jó  Salmos  Provérbios  Eclesiastes  Cantares
  • 4. LIVROS POÉTICOS INTRODUÇÃO  Estes cinco livros que ficam no meio dos livros históricos e proféticos são muitos diferentes daqueles que vem antes ou depois deles.  Os livros poéticos tratam dos temas mais diversos: o problema do sofrimento humano, cânticos e poemas, máximas de sabedoria, reflexões sobre a vida, amor, etc.  Os livros poéticos não tratam da nação de Israel, mas tratam de assuntos individuais do coração.
  • 5. LIVROS POÉTICOS INTRODUÇÃO  Eles falam de indivíduos como tais, do coração humano.  Não são a única poesia encontrada no Velho Testamento.  Os livros poéticos falam das experiências da vida, da relação do coração com Deus e da intimidade que o salvo tem com Deus.
  • 6. LIVROS POÉTICOS A POESIA HEBRAICA  Devemos dizer algumas palavras sobre a natureza da poesia hebraica. Porque ela difere muito da poesia encontrada no mundo em vários dos seus aspectos.  Uma grande parte da poesia do mundo apóia-se na rima (no paralelismo sonoro) e no ritmo de tempo. Na rima atingimos o prazer da concordância fonética. No ritmo atingimos o prazer da concordância métrica. Mas na poesia hebraica não é a rima nem o ritmo de sons, mas é o paralelismo de idéias ou verdades. Isso pode ser de três maneiras: completivo, contrastante e construtivo.
  • 7. LIVROS POÉTICOS A POESIA HEBRAICA  Exemplos do completivo (progressivo): Salmo 92:12, Salmo 46:1, Salmo 19:7 e Salmo 30:11. O segundo pensamento coincide com o primeiro, mas não é igual, porque desenvolve, enriquece, completa e colore o primeiro pensamento.  Exemplos do contrastante (antitético ou contrário). O livro de Provérbios contém muitos deles. Provérbios 3:5, Provérbios 27:6, Salmo 30:5, Provérbios 14:11, Salmo 32:10. Pode ver que o segundo pensamento contrasta com o primeiro pensamento.
  • 8. LIVROS POÉTICOS A POESIA HEBRAICA  Exemplos do sinônimo: Salmo 2:4, Provérbios 1:8. Nestes versículos a segunda linha repete o mesmo pensamento da primeira linha em outras palavras.  Exemplos do construtivo: Provérbios 30:17, Salmo 21:1-2, Salmo20:7-8. O belo desenvolvimento dos versículos é facilmente perceptível.
  • 9. JÓ 1. Introdução - Através da dolorosa experiência de Jó, ricas e profundas lições nos são ensinadas sobre o sofrimento dos justos e seu propósito. -Portanto, nesta série de lições extraídas do seu livro, verificaremos que é perfeitamente possível ao crente permanecer adorando ao Senhor, mesmo estando sob o calor das mais duras provações; aliás, quando o verdadeiro crente atravessa o sombrio vale da sombra e da morte, ou enfrenta o calor da fornalha da aflição, para ele, a adoração se torna uma espécie de refúgio através da qual recebe refrigério para a alma.
  • 10. JÓ 1. Introdução O conteúdo do livro de Jó é realmente de um valor sem igual, a sua importância para a história da literatura, foi abordada com as seguintes expressões: “O livro de Jó é talvez a maior obra - prima do espírito humano” - Victor Hugo “Ergue-se como pirâmide na história da literatura, sem precedente e sem rival” - Philip Schaff A importância deste livro se prende ao fato de ser inspirado por Deus, e da discussão filosófica apresentada comum a linguagem altamente poética a cerca do sofrimento humano.
  • 11. JÓ 2.Autoria e Data: Há opiniões de que tenha sido escrito por Moisés, Esdras, Salomão, Eliú ou o próprio Jó; porém há um consenso geral entre os estudiosos de que o livro tenha sido escrito por Moisés, enquanto esteve no deserto de Midiã, Ex 2.15, pois Midiã servia de limite ao país dos edumeus; e por conseguinte, Moisés deve ter ouvido a história de Jó dos lábios dos seus descendentes imediatos; ou mesmo do próprio Jó, se realmente se confirma a hipótese de que a sua origem tem relação com Edom. - A antiga tradição judaica atribuía sua autoria a Moisés. Se de fato Jó era descendente de Abraão, Moisés pode reconhecê-lo como estando dentro do círculo da revelação divina.
  • 12. JÓ 3. Tema e Propósito: O livro de Jó é uma antiga obra doutrinária, divinamente inspirada; fala da doutrina de Deus, do homem, de Satanás, do pecado, da justiça, da disciplina, da fé, da criação e outras. No livro de Jó temos a revelação de fatos divinos e sobrenaturais, pois aborda fatos essenciais sobre Deus e o seu favor para com os seus filhos, e o seu controle sobre Satanás. - Neste livro temos a resposta à intrincada pergunta: “Porque o justo sofre enquanto os ímpios gozam de saúde e prosperidade? ”Porquanto, sua mensagem mostra a recompensa que tem aqueles que perseveram na fidelidade a Deus.
  • 13. JÓ 4. Esboço: O livro pode ser dividido em cinco partes:  A Provação (1.1-2.10).  O Diálogo entre Jó e seus amigos (2.11-31.40).  A participação de Eliú (32-37).  O Senhor fala (38-41).  A Restauração de Jó (cap. 42). 5. Fatos Importantes: Diálogo entre Deus e Satanás
  • 14. JÓ 6. Características Especiais: Se o Livro foi escrito na época dos patriarcas, ele é o livro mais antigo da Bíblia, além de ser aquele que mais menciona satanás.
  • 15. SALMOS 1.Introdução O livro dos Salmos é o mais extenso das Escrituras e é formado por uma coleção de poemas de louvores ao Senhor. É uma obra literária que tem como alvo principal o engrandecimento do nome do Senhor. - Seus cânticos expressam os sentimentos da alma dos seus escritores em reverente culto ao Todo-Poderoso. Os salmos foram escritos há muitos séculos, porém, continuam sendo de grande edificação para a Igreja do Senhor no século XXI. O homem de hoje é basicamente o mesmo dos tempos de Davi e Asafe, ainda que tenha progredido socialmente através dos séculos.
  • 16. SALMOS 1.Introdução - Ele continua sendo um ser que sente alegria, tristeza, dor, que se preocupa com as coisas da vida e que sempre precisa de Deus. Os altos e baixos da vida fazem parte dele como faziam em relação a Israel nos dias em que os diversos salmistas compuseram os salmos. - Salmodiar significa literalmente no grego, cantar com acompanhamento musical. - No hebraico o título do livro dos Salmos era “sefer tehillim”, que significa “livros dos louvores”, às vezes somente era chamado “tehillim” ou “louvores”.
  • 17. SALMOS 2.Autoria e Data: Davi .....................................................73 Salmos Asafe ....................................................12 Salmos Os Filhos de Coré ..................................11 Salmos Salomão ..................................................2 Salmos Etã............................................................ 1 Salmo Hemã .......................................................1 Salmo Moisés ......................................................1 Salmo e outros de autores desconhecidos.
  • 18. SALMOS 2.Autoria e Data: Os Salmos foram escritos por vários autores, durante muitos anos. Mais de 1.000 anos desde Moisés (1.500a.C.) até Esdras (450a.C.). É geralmente aceito que Esdras, o escriba, reuniu e classificou os Salmos em ordem temática. 3. Tema e Propósito: “Louvor, adoração, arrependimento e exaltação ao Senhor”, enfatizando o Messias, a Lei, a Criação, o Futuro de Israel,etc. - O salmista exclama e louva ao Senhor porque ele é digno, é bom, é misericordioso, é justo e porque o tem resgatado das garras dos seus inimigos, da força dos seus adversários, da prisão,da escravidão e do cativeiro.
  • 19. SALMOS 3. Tema e Propósito: São três os propósitos do Livro de Salmos: 1º)Revelar o espírito de devoção do povo de Deus, através de vários acontecimentos e incidentes ocorridos nas suas vidas. 2º)Divulgar as profecias messiânicas cujo cumprimento os judeus tanto aguardavam. 3º)Convidar outros povos a se unirem aos filhos da promessa a fim de juntos prestarem culto ao Senhor.
  • 20. SALMOS 4. Esboço: Os Salmos, conforme se encontram no hebraico, foram divididos em cinco livros, conforme mostramos a seguir: LIVRO I– Salmos 1-41. Quase todos são de autoria de Davi, correspondem ao livro de Gênesis por causa de sua ênfase sobre o pecado do homem e sua necessidade de Deus. O nome “Senhor” Jeová é salientado nestes poemas. LIVRO II – Salmos 42-72. Davi se destaca como o principal escritor destes Salmos. Correspondem ao livro de Êxodo por causa dos seus temas sobre a salvação do homem e libertação de Israel. O nome “Deus Elohim” domina esta divisão.
  • 21. SALMOS LIVRO III – Salmos 73-89. O principal autor destes Salmos é Asafe. Correspondem a Levítico e seus temas tratam do Tabernáculo, da liturgia levítica e da santidade de Deus. Os nomes Deus Elohim e Senhor Jeová são enfatiza dos com freqüência. LIVRO IV – Salmos 90–106. É incerta a autoria desses Salmos. Correspondem ao livro de Números, por causa dos seus temas concernentes aos perigos, bem como a proteção durante a peregrinação do povo de Israel no deserto. Vários destes salmos são proféticos e ressaltam o tempo em que os judeus cessaram suas peregrinações entre as nações gentílicas. O nome “Senhor Jeová” é o mais destacado.
  • 22. SALMOS LIVRO V – Salmos 107-150. De autoria variada, correspondem ao livro de Deuteronômio, pelo fato de enaltecer a Palavra de Deus, a Lei, e o louvor; o âmago desta última divisão é o Salmo 119. O nome do Senhor Jeová é predominante nestes Salmos.
  • 23. SALMOS 5. Fatos Importantes e Características Especiais: - Há cerca de 186 citações dos Salmos no Novo Testamento, o que ultrapassa qual quer outro livro do Antigo Testamento. É fato claro que Jesus e os escritores do Novo Testamento conheciam muito bem os salmos, e que o Espírito Santo usou muitas passagens do livro nos ensinos de Jesus, bem como o Messias predito: Por exemplo, observe Salmo 110 com apenas sete versículos é mais citado no N.T. do que qualquer outro capítulo do Antigo Testamento. - Ele contém profecias sobre Jesus como Messias, como o Filho de Deus e como sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque.
  • 24. SALMOS - Sua primeira e sua segunda vinda; sua qualidade de Filho de Deus e seu caráter; Seu sofrimentos e morte expiatória; Sua ressurreição. - Salmos é o maior livro da Bíblia, e contém o capítulo mais extenso, Sl 119.1-176, o capítulo mais curto, 117.1,2. E o versículo central da Bíblia Sl 118.8.
  • 25. PROVÉRBIOS 1. Introdução Apesar do nome, o livro de Provérbios é mais que uma coletânea de provérbios. Os capítulos de 1-9 contêm alguns discursos longos, e o livro termina comum poema de louvor à mulher virtuosa, Pv 31.10-31. Entretanto, grande parte do livro é preenchida por ditados e provérbios pelos quais é mais conhecido. - Provérbio é um ditado curto e sentencioso, e por ser inspirado por Deus, não devemos entendê-lo como sabedoria popular, mas um conjunto de profundas verdades espirituais.
  • 26. PROVÉRBIOS 2.Autoria e Data: A autoria é atribuída a Salomão, filho de Davi, Pv1.1; 25.1. Contudo, há também as palavras de Agur, Pv 30, e palavras do rei Lemuel, Pv 31. Há quem diga que Agur e Lemuel são pseudônimos de pessoas que nos são familiares; mas, o mais provável é que sejam sábios sobre os quais não temos nenhuma informação. - Já que não conhecemos a identidade dos demais autores, não temos como saber a data da composição dos mesmos. Entretanto, há outro motivo para datar o livro, pois conhecemos a identidade de Salomão, o seu principal autor, e também de Ezequias, que viveu aproximadamente entre 716- 687 a.C. Portanto, entende-se que o livro de Provérbios surgiu entre 985 a 945 a.C.
  • 27. PROVÉRBIOS 3. Tema e Propósito: Sabedoria; Retidão; Temor a Deus; Entendimento; Moralidade; Castidade; Diligência; Domínio Próprio; Confiança em Deus; Dízimos; O uso próprio das riquezas; Considerações aos pobres; O domínio da língua; A generosidade com os inimigos; A escolha de companheiros; A abstenção de mulheres más; O louvor das boas mulheres; A educação dos filhos; O trabalho; A honestidade; A abstenção da ociosidade; O pecado da preguiça; A justiça; O contentamento; A Jovialidade; O respeito; O bom senso. - Passar instruções morais principalmente aos jovens.
  • 28. PROVÉRBIOS 4. Esboço: Livro 5. Fatos Importantes: A Sabedoria; 4 tipos de tolo: o simples, o arrogante, o obstinado e o bruto. 6. Características Especiais: É um livro eminente-mente prático, e podem ser aplicados por qualquer pessoa.
  • 29. ECLESIASTES 1. Introdução - A palavra “pregador” usada no primeiro versículo deste livro vem duma raiz hebraica que significa “aquele que chama” ou “aquele que invoca”. A ideia é de um orador ou pregador que reúne o povo a fim de lhe dirigir a palavra ou mensagem. De acordo com a homilética, o livro de Eclesiastes é uma mensagem bem estruturada, com introdução, tese, desenvolvimento da tese, conclusão e aplicação.
  • 31. ECLESIASTES 2.Autoria e Data: O livro foi escrito cerca de 935 a.C. E parece ser a biografia de Salomão. Através das suas tentativas de encontrar respostas às perguntas da vida, o sábio rei mostra-nos o descontentamento do homem que vive sem Deus. Mas, ele também mostra a necessidade do homem aprender a se submeter a Deus e a seus decretos. 3. Tema e Propósito: O tema de Eclesiastes é a vaidade de tudo que há debaixo do sol. A conclusão, porém, é: “Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque é o dever de todo homem”. O termo vaidade no livro de Eclesiastes significa aquilo que é passageiro, vazio, inútil. O livro ensina que as coisas materiais ou terrenas são passageiras, enquanto as espirituais são permanentes.
  • 32. ECLESIASTES 4. Esboço: Livro 5. Fatos Importantes: o tema deste livro é “vaidade de vaidades; tudo é vaidade”. Encerra também uma tentativa de resposta filosófica à pergunta: “Como viver do melhor modo possível num mundo onde tudo é vaidade?” O livro contém muita coisa de majestosa beleza e de transcendente sabedoria, mas o seu tom predominante é indizivelmente melancólico, muito diferente da alegria vivaz dos Salmos. 6. Características Especiais: Eclesiastes era um dos cinco livros litúrgicos de Israel, lido durante as festas sagradas dos judeus.
  • 33. CANTARES 1.Introdução - O livro de Cantares tem originado controvérsias, discussões e debates. Alguns mais imprudentes chegam a duvidar da sua canonicidade. Infelizmente muitos por falta de visão espiritual só veem o lado humano deste livro, não percebendo os ensinos bíblicos profundos através da descrição do amor conjugal de que se ocupa o livro. - Espiritualmente o livro prefigura o amor que Deus tem para com Israel ou de Cristo para com a sua Igreja, ou para com cada crente individualmente.
  • 34. CANTARES 2.Autoria e Data: Como o título do poema indica, Salomão é o seu autor. Foi escrito mais ou menos por volta do ano 960 a.C. 3. Tema e Propósito: Os judeus reverenciavam muito este livro. Eles cantavam porções dele durante as festividades da Páscoa (a primeira e a mais importante de todas as festas judaicas anuais). Também, comparavam Provérbios ao Pátio do Templo, Eclesiastes ao lugar Santo e Cantares ao lugar Santo dos santos, ou Santíssimo. Há três escolas de interpretação concernente a este livro:
  • 35. CANTARES 1ª) A Alegórica –Esta escola interpreta tudo simbolicamente, salientando somente a união espiritual entre Deus e Israel, ou Cristo e a sua Igreja. 2ª) A Literal – Esta escola interpreta o livro simplesmente como um história ou descrição de amor matrimonial. 3ª) A Tipológica –Esta, interpreta o livro como a revelação do amor e da união que devem haver entre Cristo e a sua Igreja. 4. Esboço: Livro 5. Fatos Importantes: Livro 6. Características Especiais: O simples fato de ser um poema que celebra a sexualidade entre marido e mulher já torna Cantares um livro digno de nota.