Imperador                  Constantino                        ( 272 – 337 d.C. )Matilde Garcia – 7º D                     ...
O seu nome verdadeiro era FlaviusValeriusConstantinus, mas eraconhecido como “Constantino I”, “Constantino Magno” ou “Cons...
Contudo alguns historiadores acham quea adopção do cristianismo resultade influência familiar.No ano de 323, legalizou e a...
Mesmo depois de se ter baptizado, há dúvidasde se ele seria umverdadeiro cristão pois nunca abandonou a sua adoração pelo ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Imperador Constantino

1.067 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Imperador Constantino

  1. 1. Imperador Constantino ( 272 – 337 d.C. )Matilde Garcia – 7º D Página 1
  2. 2. O seu nome verdadeiro era FlaviusValeriusConstantinus, mas eraconhecido como “Constantino I”, “Constantino Magno” ou “Constantino, ogrande”.Nasceu em Naissus, na Alta Dácia (actual Roménia), filho de Constâncio ICloro e de Helena de Constantinopla. Teve uma boa educação e serviu notribunal de Diocleciano (depois do seu pai ter sido nomeado um dos doisCésares). Figura 1- Gravura de ConstantinoApós o pai morrer, durante 18 anos combateu em tantas guerras ebatalhas que decidiram que ele devia de ser o governador supremo doImpério Romano.Na época em que assumiu o Estado, Roma passava por bastantesproblemas. O império passava por uma época tão má que algumas cidadesitalianas até se queriam separar de Roma.Foi um imperador romano até à sua morte. Foi proclamado Augusto em306 (25 de Julho) pelas suas tropas. Foi o primeiro imperador romano“cristão”.Após a vitória na Batalha de Ponte Mílvia, o imperador Constantinoprofessa o cristianismo em Roma. Isso aconteceu porque, durante amesma, Constantino sonhou com uma cruz com a seguinte frase: "Sobeste símbolo, vencerás". Desta forma, a vitória na batalha foi atribuída aoDeus Cristão.Matilde Garcia – 7º D Página 2
  3. 3. Contudo alguns historiadores acham quea adopção do cristianismo resultade influência familiar.No ano de 323, legalizou e apoiou a cristandade com o Édito de Milão. Areligião cristã passa a ser aceite e estimulada em Roma.Mas respeitou os outros, não tornando o paganismo ilegal nem fazendo ocristianismo a religião do estado (o que iria fazer com que todos setornassem cristãos).Constantino chamou os bispos cristãos à cidade de Nicéia da Bitínia em325. Essa reunião ficou conhecida como Concílio de Nicéia,ondeconcluíram o estudo que mostra que Deus é O “pai” e Jesus o “filho”,decidiram a data em que se deveria comemorar a Páscoa e escreveram alei canónica. Figura 2 - Concílio de NicéiaMas, na realidade, só foi baptizado e cristianizado em finais de vida.Embora “cristão”, mandou matar o seu filho Crispus, sufocou a sua mulherFausta num banho sobreaquecido, mandou estrangular o seu cunhadoLícinio e chicotear até a morte o seu sobrinho, também Lícinio.Matilde Garcia – 7º D Página 3
  4. 4. Mesmo depois de se ter baptizado, há dúvidasde se ele seria umverdadeiro cristão pois nunca abandonou a sua adoração pelo Deus Sol(tanto que as moedas Constantino tinham como símbolo principal o Sol). Figura 3 - Moeda de ConstantinoO Édito de Constantino, promulgado em 321, tornou o domingo um dia dedescanso para todos; menos para os lavradores.Reconstruiu a antiga cidade grega de Bizâncio, chamando-a de NovaRoma, fazendo-a parecida à antiga Roma. Após morrer foi chamada deConstantinopla, e mais tarde tornar-se capital do Império Romano (330–395), do Império Bizantino / Império Romano do Oriente (395–1204 e1261–1453).Morreu em 337, deixando uma grande influência na igreja cristã. Figura 4 - Busto de ConstantinoMatilde Garcia – 7º D Página 4

×