SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Trabalho realizado pelos alunos:

Pedro Pirão nº 21
Ricardo Grade nº 24
Tomás Martinho nº 29
António Gonçalves nº 3

Para a Disciplina de História do 7ºE
Origem do Cristianismo
 O Cristianismo surgiu na
  Palestina, região sob o
  domínio romano desde 64
  a.C.
 Tem como origem a
  tradição judaica de crença
  na vinda de um Messias, o
  salvador, o filho de Deus,
  cuja vinda seria uma
  bênção para todos aqueles
  que acreditassem nele.
Quem era Jesus Cristo?
 Jesus       Cristo    nasceu em
    Belém, na província romana da
    Judeia, no tempo de Octávio
    Augusto.
   Foi o fundador de uma nova
    religião - o Cristianismo.
   Jesus começou a pregar com 30
    anos, por toda a Judeia.
   Jesus dirigiu a sua mensagem a
    toda a Humanidade, o que não
    agradou aos judeus.
   Os judeus não O reconheceram
    como o Messias -Salvador dos
    Judeus-, pois esperavam que a
    sua mensagem se destinasse ao
    engrandecimento de Israel.
Quem era Jesus Cristo?
 Jesus Cristo foi acusado de
  ser um agitador e, aos 33
  anos, foi condenado à
  morte                  pelo
  Sinédrio,           Grande
  Conselho Judaico.
 A sentença foi confirmada
  pelo governador romano
  Pôncio Pilatos e Jesus
  Cristo foi crucificado em
  Jerusalém,    no    Monte
  Calvário.
Uma nova religião
 Jesus   propôs uma nova
  religião, baseada no amor, no
  respeito pelo próximo, na
  prática do bem, na igualdade
  entre     todos    os    seres
  humanos, na existência de
  um Deus único, de natureza
  espiritual.
 Inicialmente esta religião foi
  aceite pelos romanos.
 Após a morte de Jesus Cristo,
  a sua mensagem continuou a
  ser       difundida      pelos
  Apóstolos que a espalharam
  pelo Império.
A expansão do Cristianismo
Foi rápida e beneficiou de:
 Unidade política do império.
 Ampla rede de estradas.
 Descrédito da religião romana.
 O uso do latim em todo o império.
 Superioridade dos princípios cristãos que rapidamente
  fizeram adeptos entre os mais desprotegidos e
  numerosos (caso das mulheres e escravos).
Mensagem do Crsitianismo
 Era uma mensagem baseada no amor ao próximo, na
 igualdade, no perdão às ofensas e no desapego aos
 bens materiais.

 “Todos os Homens são irmãos! Deus criou os Homens
  iguais entre si!” – dizia Jesus
   Mas tratar um escravo como irmão???!!! - pensavam os
  ricos cidadãos romanos!
   “O nosso Deus é o Imperador!” – afirmavam esses
  mesmos ricos!
Perseguição aos cristãos
 Em breve esta religião entra em conflito com a religião
  romana, que era politeísta, com o culto ao imperador
  que os cristãos se recusavam a praticar e com a
  sociedade romana, baseada na escravatura.
 As perseguições aos cristãos passam por períodos mais
  ou menos violentos. Com os imperadores Domiciano
  (81/96), Adriano (117/138) e Diocleciano (284/305)
  foram particularmente violentas.
Perseguição aos cristãos
 Túneis e galerias, escavadas no subsolo, onde os
 cristãos praticavam o culto, e sepultavam os mortos
 segundo os rituais cristãos.
Como se organizavam os cristãos
Duramente perseguidos, os cristãos tiveram de criar uma estrutura
 bastante sólida de organização como forma de sobreviver.

 No plano local, os presbíteros atendiam às necessidades
  espirituais dos fiéis.
 Surgiram, posteriormente, os bispos, encarregados de comandar
  a actividade dos religiosos em cada província.
 Essa estrutura, contando ainda com os metropolitas (bispos de
  capitais provinciais) e patriarcas (bispos das grandes
  cidades), era centralizada na figura do bispo de Roma, o papa.
 Assim, tinham uma estrutura centralizadora e altamente
  organizada, capaz de manter a coesão entre os fiéis e entre o
  próprio clero
Como resistiam os cristãos
As perseguições acabaram por fortalecer o Cristianismo.

 Seus adeptos uniram-se, aceitando o martírio sem hesitação, na
  certeza da salvação, e seu exemplo fez novos e numerosos
  adeptos, especialmente em uma época de crise e de diminuição
  dos poderes públicos.
 Mais do que isso, o Cristianismo era a única opção de consolo
  espiritual para a grande massa de miseráveis que o Império
  produzia.
 Da mesma forma, a mensagem de igualdade e pacifismo -
  negando o caráter divino do Império -, e a própria escravidão
  contribuíram para a abanar as bases sociais e políticas em que se
  assentava o Império.
A Biblia
 O livro sagrado da religião cristã é a Bíblia, composta
  por Antigo e Novo Testamento.
 O Novo Testamento é constituído pelos Evangelhos
  segundo S. Lucas, S. Mateus, S. Marcos e S. João.
Jogo Interactivo - regras
 4 grupos – cada coluna é um grupo
 4 questões
 1ª questão para a fila da frente e assim sucessivamente
 5 minutos para responderem a cada questão
Questões
 Será que a mensagem de Jesus poderia colocar em causa a
  ordem social do Império Romano? Justifica a tua resposta.

 Aponta as condições que ajudaram na expansão do
  Cristianismo no Império Romano.

 Explica a importância de Constantino para a divulgação do
  Cristianismo.

 Explica porque foram feitas tão grandes perseguições aos
  cristãos.
Correcção
 P: Será que a mensagem de Jesus poderia colocar em
 causa a ordem social do Império Romano? Justifica a
 tua resposta.

 R:    Sim.    Porque    a   mensagem       era     de
 igualdade, mencionando que todos somos irmãos e
 devemos tratar-nos como tal, e no Império Romano
 havia uma grande diferença entre classes sociais, e a
 “adoração” pelo Imperador.
Correcção
 P: Aponta as condições que ajudaram na expansão do
 Cristianismo no Império Romano.

 R: As condições que ajudaram, foram as seguintes:
     Unidade política do império.
     Ampla rede de estradas.
     Descrédito da religião romana.
     O uso do latim em todo o império.
     Superioridade dos princípios cristãos que rapidamente
 fizeram adeptos entre os mais desprotegidos e numerosos
 (caso das mulheres e escravos).
Correcção
 P: Explica a importância de Constantino para a
 divulgação do Cristianismo.

 R: Foi Constantino que, em 313 através do Edicto de
 Milão, concedeu liberdade religiosa aos habitantes do
 Império, que assim podiam divulgar a sua mensagem
 sem serem perseguidos.
Correcção
 P: Explica porque foram        feitas   tão   grandes
 perseguições aos cristãos.

 R: Porque esta nova religião era baseada no amor, no
 respeito pelo próximo, na prática do bem, na igualdade
 entre todos os seres humanos, na existência de um
 Deus único, de natureza espiritual. E assim o
 Cristianismo entrou em conflito com a religião
 romana, que era politeísta, com o culto ao imperador
 que os cristãos se recusavam a praticar e com a
 sociedade romana, baseada na escravatura.
RESUMO
Ficha De Trabalho
Correcção da Ficha de Trabalho
   Grupo I
 1. a) Falso
    b) Verdadeiro
    c) Verdadeiro
 2. judaicos // Palestina // apóstolos //universal //
    Constantino // Teodósio // Ocidental
(S. Paulo – não entrava era um dos apóstolos de Jesus)
 Grupo II
 1V. catacumbas // 2H. Apóstolos // 3V. Universal // 4H.
    Cristãos // 5V. Teodósio // 6V. Constantino // 6H.
    Crucificado // 7H. Biblia // 8V. língua
O cristianismo em roma

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direitoNúcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.Jorge Almeida
 
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquistaMÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquistaCarina Vale
 
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbarasEF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbarasGuilherme Drumond
 
O poder político em roma
O poder político em romaO poder político em roma
O poder político em romaCarla Teixeira
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regimecattonia
 
Roma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºanoRoma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºanoSusana Grandão
 
A Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVA Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVCarlos Vieira
 
A civilização romana
A civilização romana  A civilização romana
A civilização romana eb23ja
 
12 formação do império romano
12   formação do império romano12   formação do império romano
12 formação do império romanoCarla Freitas
 
10 atenas no século v
10   atenas no século v10   atenas no século v
10 atenas no século vCarla Freitas
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalSusana Simões
 
Resumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º anoResumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º anojorgina8
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antigacattonia
 

Mais procurados (20)

3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
 
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
 
Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
 
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquistaMÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquista
 
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbarasEF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
 
O poder político em roma
O poder político em romaO poder político em roma
O poder político em roma
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
Roma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºanoRoma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºano
 
A Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVA Crise do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIV
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
A civilização romana
A civilização romana  A civilização romana
A civilização romana
 
12 formação do império romano
12   formação do império romano12   formação do império romano
12 formação do império romano
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
10 atenas no século v
10   atenas no século v10   atenas no século v
10 atenas no século v
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
 
Resumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º anoResumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º ano
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Civilização Romana
Civilização RomanaCivilização Romana
Civilização Romana
 

Destaque

Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaIsabel Aguiar
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoIsabel Aguiar
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaJanaína Bindá
 
O surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismoO surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismoFabrício Colombo
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA Isabel Aguiar
 
Invasões Barbaras
Invasões BarbarasInvasões Barbaras
Invasões Barbarasluisaprof
 
01 história rafael - 2ª guerra 9º ano 2015
01  história   rafael  -  2ª guerra 9º ano 201501  história   rafael  -  2ª guerra 9º ano 2015
01 história rafael - 2ª guerra 9º ano 2015Rafael Noronha
 
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 201501 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015Rafael Noronha
 
Palavras Cruzadas Roma Antiga
Palavras Cruzadas Roma Antiga Palavras Cruzadas Roma Antiga
Palavras Cruzadas Roma Antiga Adail Silva
 
Trabalho Cristianismo
Trabalho CristianismoTrabalho Cristianismo
Trabalho CristianismoPepe Rocker
 
Aula I Imperio Romano
Aula I Imperio RomanoAula I Imperio Romano
Aula I Imperio Romanoguest12728e
 

Destaque (20)

Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
A civilização romana
A civilização romanaA civilização romana
A civilização romana
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
 
O surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismoO surgimento do cristianismo
O surgimento do cristianismo
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
A DEMOCRACIA GREGA
A DEMOCRACIA GREGAA DEMOCRACIA GREGA
A DEMOCRACIA GREGA
 
Invasões Barbaras
Invasões BarbarasInvasões Barbaras
Invasões Barbaras
 
01 história rafael - 2ª guerra 9º ano 2015
01  história   rafael  -  2ª guerra 9º ano 201501  história   rafael  -  2ª guerra 9º ano 2015
01 história rafael - 2ª guerra 9º ano 2015
 
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 201501 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
 
O cristianismo!
O cristianismo!O cristianismo!
O cristianismo!
 
Palavras Cruzadas Roma Antiga
Palavras Cruzadas Roma Antiga Palavras Cruzadas Roma Antiga
Palavras Cruzadas Roma Antiga
 
Roma slides
Roma slidesRoma slides
Roma slides
 
O Cristianismo
O CristianismoO Cristianismo
O Cristianismo
 
Trabalho Cristianismo
Trabalho CristianismoTrabalho Cristianismo
Trabalho Cristianismo
 
Roma Antiga - Da Monarquia à República
Roma Antiga - Da Monarquia à RepúblicaRoma Antiga - Da Monarquia à República
Roma Antiga - Da Monarquia à República
 
O Império Romano
O Império RomanoO Império Romano
O Império Romano
 
Aula I Imperio Romano
Aula I Imperio RomanoAula I Imperio Romano
Aula I Imperio Romano
 

Semelhante a O cristianismo em roma

O império em crise parte 1
O império em crise  parte 1O império em crise  parte 1
O império em crise parte 1Carla Teixeira
 
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaEspaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaRita
 
História da igreja antiga
História da igreja antigaHistória da igreja antiga
História da igreja antigaAlberto Simonton
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bEscoladocs
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bEscoladocs
 
O Cristianismo
O CristianismoO Cristianismo
O CristianismoAEDFL
 
Sesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º anoSesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º anoDoug Caesar
 
Origem do cristianismo
Origem do cristianismoOrigem do cristianismo
Origem do cristianismoGilberto75
 
Disciplina História do Cristianismo
Disciplina História do CristianismoDisciplina História do Cristianismo
Disciplina História do Cristianismofaculdadeteologica
 
Slide cristianismo hist. das religiões
Slide cristianismo   hist. das religiõesSlide cristianismo   hist. das religiões
Slide cristianismo hist. das religiõesJoás Silva
 
História da Igreja Medieval
História da Igreja MedievalHistória da Igreja Medieval
História da Igreja MedievalAlberto Simonton
 
03 ist - história da igreja i
03   ist - história da igreja i03   ist - história da igreja i
03 ist - história da igreja iLéo Mendonça
 

Semelhante a O cristianismo em roma (20)

Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
O império em crise parte 1
O império em crise  parte 1O império em crise  parte 1
O império em crise parte 1
 
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaEspaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
 
História da igreja antiga
História da igreja antigaHistória da igreja antiga
História da igreja antiga
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
 
O Cristianismo
O CristianismoO Cristianismo
O Cristianismo
 
Origens do Cristianismo
Origens do CristianismoOrigens do Cristianismo
Origens do Cristianismo
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
Sesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º anoSesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º ano
 
Origem do cristianismo
Origem do cristianismoOrigem do cristianismo
Origem do cristianismo
 
Disciplina História do Cristianismo
Disciplina História do CristianismoDisciplina História do Cristianismo
Disciplina História do Cristianismo
 
18
18 18
18
 
Cristianismo - Prof. Altair Aguilar
Cristianismo - Prof. Altair AguilarCristianismo - Prof. Altair Aguilar
Cristianismo - Prof. Altair Aguilar
 
Cristianismo (1)
Cristianismo (1)Cristianismo (1)
Cristianismo (1)
 
Slide cristianismo hist. das religiões
Slide cristianismo   hist. das religiõesSlide cristianismo   hist. das religiões
Slide cristianismo hist. das religiões
 
História da Igreja Medieval
História da Igreja MedievalHistória da Igreja Medieval
História da Igreja Medieval
 
03 ist - história da igreja i
03   ist - história da igreja i03   ist - história da igreja i
03 ist - história da igreja i
 

Mais de Ana Barreiros

Pintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaPintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaAna Barreiros
 
Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Ana Barreiros
 
Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Ana Barreiros
 
Imagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaImagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaAna Barreiros
 
Pintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoPintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoAna Barreiros
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaAna Barreiros
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaAna Barreiros
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGAna Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ana Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ana Barreiros
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ana Barreiros
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ana Barreiros
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ana Barreiros
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesAna Barreiros
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoAna Barreiros
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoAna Barreiros
 

Mais de Ana Barreiros (20)

Pintura barroca na Europa
Pintura barroca na EuropaPintura barroca na Europa
Pintura barroca na Europa
 
Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação Rubrica de avaliação
Rubrica de avaliação
 
Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade Lista de verificação e-atividade
Lista de verificação e-atividade
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
Casa Sommer
Casa SommerCasa Sommer
Casa Sommer
 
Bairro dos museus
Bairro dos museusBairro dos museus
Bairro dos museus
 
Imagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura BarrocaImagens de Arquitetura Barroca
Imagens de Arquitetura Barroca
 
Pintura do quattrocento
Pintura do quattrocentoPintura do quattrocento
Pintura do quattrocento
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
 
Escultura romana
Escultura romanaEscultura romana
Escultura romana
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
 
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
Ficha formativa "A Cultura do Cinema 1"
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
 
Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"Ficha "A Cultura do Palco"
Ficha "A Cultura do Palco"
 
Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"Ficha "A Cultura do Salão"
Ficha "A Cultura do Salão"
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoes
 
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcaoFicha formativa 1820 e o liberalismo correcao
Ficha formativa 1820 e o liberalismo correcao
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
 

Último

Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 

Último (20)

Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 

O cristianismo em roma

  • 1. Trabalho realizado pelos alunos: Pedro Pirão nº 21 Ricardo Grade nº 24 Tomás Martinho nº 29 António Gonçalves nº 3 Para a Disciplina de História do 7ºE
  • 2. Origem do Cristianismo  O Cristianismo surgiu na Palestina, região sob o domínio romano desde 64 a.C.  Tem como origem a tradição judaica de crença na vinda de um Messias, o salvador, o filho de Deus, cuja vinda seria uma bênção para todos aqueles que acreditassem nele.
  • 3. Quem era Jesus Cristo?  Jesus Cristo nasceu em Belém, na província romana da Judeia, no tempo de Octávio Augusto.  Foi o fundador de uma nova religião - o Cristianismo.  Jesus começou a pregar com 30 anos, por toda a Judeia.  Jesus dirigiu a sua mensagem a toda a Humanidade, o que não agradou aos judeus.  Os judeus não O reconheceram como o Messias -Salvador dos Judeus-, pois esperavam que a sua mensagem se destinasse ao engrandecimento de Israel.
  • 4. Quem era Jesus Cristo?  Jesus Cristo foi acusado de ser um agitador e, aos 33 anos, foi condenado à morte pelo Sinédrio, Grande Conselho Judaico.  A sentença foi confirmada pelo governador romano Pôncio Pilatos e Jesus Cristo foi crucificado em Jerusalém, no Monte Calvário.
  • 5. Uma nova religião  Jesus propôs uma nova religião, baseada no amor, no respeito pelo próximo, na prática do bem, na igualdade entre todos os seres humanos, na existência de um Deus único, de natureza espiritual.  Inicialmente esta religião foi aceite pelos romanos.  Após a morte de Jesus Cristo, a sua mensagem continuou a ser difundida pelos Apóstolos que a espalharam pelo Império.
  • 6. A expansão do Cristianismo Foi rápida e beneficiou de:  Unidade política do império.  Ampla rede de estradas.  Descrédito da religião romana.  O uso do latim em todo o império.  Superioridade dos princípios cristãos que rapidamente fizeram adeptos entre os mais desprotegidos e numerosos (caso das mulheres e escravos).
  • 7.
  • 8. Mensagem do Crsitianismo  Era uma mensagem baseada no amor ao próximo, na igualdade, no perdão às ofensas e no desapego aos bens materiais. “Todos os Homens são irmãos! Deus criou os Homens iguais entre si!” – dizia Jesus Mas tratar um escravo como irmão???!!! - pensavam os ricos cidadãos romanos! “O nosso Deus é o Imperador!” – afirmavam esses mesmos ricos!
  • 9. Perseguição aos cristãos  Em breve esta religião entra em conflito com a religião romana, que era politeísta, com o culto ao imperador que os cristãos se recusavam a praticar e com a sociedade romana, baseada na escravatura.  As perseguições aos cristãos passam por períodos mais ou menos violentos. Com os imperadores Domiciano (81/96), Adriano (117/138) e Diocleciano (284/305) foram particularmente violentas.
  • 10. Perseguição aos cristãos  Túneis e galerias, escavadas no subsolo, onde os cristãos praticavam o culto, e sepultavam os mortos segundo os rituais cristãos.
  • 11. Como se organizavam os cristãos Duramente perseguidos, os cristãos tiveram de criar uma estrutura bastante sólida de organização como forma de sobreviver.  No plano local, os presbíteros atendiam às necessidades espirituais dos fiéis.  Surgiram, posteriormente, os bispos, encarregados de comandar a actividade dos religiosos em cada província.  Essa estrutura, contando ainda com os metropolitas (bispos de capitais provinciais) e patriarcas (bispos das grandes cidades), era centralizada na figura do bispo de Roma, o papa.  Assim, tinham uma estrutura centralizadora e altamente organizada, capaz de manter a coesão entre os fiéis e entre o próprio clero
  • 12. Como resistiam os cristãos As perseguições acabaram por fortalecer o Cristianismo.  Seus adeptos uniram-se, aceitando o martírio sem hesitação, na certeza da salvação, e seu exemplo fez novos e numerosos adeptos, especialmente em uma época de crise e de diminuição dos poderes públicos.  Mais do que isso, o Cristianismo era a única opção de consolo espiritual para a grande massa de miseráveis que o Império produzia.  Da mesma forma, a mensagem de igualdade e pacifismo - negando o caráter divino do Império -, e a própria escravidão contribuíram para a abanar as bases sociais e políticas em que se assentava o Império.
  • 13. A Biblia  O livro sagrado da religião cristã é a Bíblia, composta por Antigo e Novo Testamento.  O Novo Testamento é constituído pelos Evangelhos segundo S. Lucas, S. Mateus, S. Marcos e S. João.
  • 14. Jogo Interactivo - regras  4 grupos – cada coluna é um grupo  4 questões  1ª questão para a fila da frente e assim sucessivamente  5 minutos para responderem a cada questão
  • 15. Questões  Será que a mensagem de Jesus poderia colocar em causa a ordem social do Império Romano? Justifica a tua resposta.  Aponta as condições que ajudaram na expansão do Cristianismo no Império Romano.  Explica a importância de Constantino para a divulgação do Cristianismo.  Explica porque foram feitas tão grandes perseguições aos cristãos.
  • 16. Correcção  P: Será que a mensagem de Jesus poderia colocar em causa a ordem social do Império Romano? Justifica a tua resposta. R: Sim. Porque a mensagem era de igualdade, mencionando que todos somos irmãos e devemos tratar-nos como tal, e no Império Romano havia uma grande diferença entre classes sociais, e a “adoração” pelo Imperador.
  • 17. Correcção  P: Aponta as condições que ajudaram na expansão do Cristianismo no Império Romano. R: As condições que ajudaram, foram as seguintes: Unidade política do império. Ampla rede de estradas. Descrédito da religião romana. O uso do latim em todo o império. Superioridade dos princípios cristãos que rapidamente fizeram adeptos entre os mais desprotegidos e numerosos (caso das mulheres e escravos).
  • 18. Correcção  P: Explica a importância de Constantino para a divulgação do Cristianismo. R: Foi Constantino que, em 313 através do Edicto de Milão, concedeu liberdade religiosa aos habitantes do Império, que assim podiam divulgar a sua mensagem sem serem perseguidos.
  • 19. Correcção  P: Explica porque foram feitas tão grandes perseguições aos cristãos. R: Porque esta nova religião era baseada no amor, no respeito pelo próximo, na prática do bem, na igualdade entre todos os seres humanos, na existência de um Deus único, de natureza espiritual. E assim o Cristianismo entrou em conflito com a religião romana, que era politeísta, com o culto ao imperador que os cristãos se recusavam a praticar e com a sociedade romana, baseada na escravatura.
  • 22. Correcção da Ficha de Trabalho  Grupo I 1. a) Falso b) Verdadeiro c) Verdadeiro 2. judaicos // Palestina // apóstolos //universal // Constantino // Teodósio // Ocidental (S. Paulo – não entrava era um dos apóstolos de Jesus)  Grupo II 1V. catacumbas // 2H. Apóstolos // 3V. Universal // 4H. Cristãos // 5V. Teodósio // 6V. Constantino // 6H. Crucificado // 7H. Biblia // 8V. língua