SlideShare uma empresa Scribd logo
 Paulo e Estêvão obra mediúnica Francisco Cândido Xavier/
  Emmanuel Este ano faz 70 anos da 1ª edição (jul/1942). É
  uma das obras mais editadas pela Federação Espírita
  Brasileira (F.E.B)

 período histórico de 34 d.C. (um ano após a morte de Jesus
  Cristo) até 67 d.C. (provável ano do falecimento de Paulo de
  Tarso).

 O livro traz revelações históricas inéditas , seguindo
  rigorosamente a      cronologia do livro bíblico Atos dos
  Apóstolos, dando também um sentido mais profundo para as
  citações pessoais de Paulo em suas Epístolas.
OBJETIVOS DESTA OBRA:

 ― Recordar as lutas acerbas e os ásperos testemunhos
  de um coração extraordinário, que se levantou das lutas
  humanas para seguir os passos do Mestre, num esforço
  incessante.

 Demonstrar que apesar de haver um grande abismo
  entre cada um de nós e o Mestre Jesus, devemos
  trabalhar incessantemente para transpô-lo, aproximando-
  nos do Cristo.
OBJETIVOS DESTA OBRA:
 Esclarecer a necessidade e a universalidade da lei de
  cooperação na realização de labores nobres.

 Sem cooperação, não poderia existir amor; e o amor é a
  força de Deus, que equilibra o Universo.

 Sem Estevão, não teríamos Paulo de Tarso

 Jesus,    cuja  misericórdia e   poder     abrangiam
  tudo, procurou a companhia de 12 auxiliares, a fins de
  empreender a renovação do mundo.
REFLEXÕES PROPICIADAS POR ESTA OBRA

 As igrejas amornecidas da atualidade e os falsos desejos
  dos crentes, nos diversos setores do Cristianismo;

 Em toda parte há tendências à ociosidade do espírito e
  manifestações de menor esforço.

 Muitos discípulos disputam as prerrogativas de
  Estado, enquanto outros, distanciados voluntariamente
  do trabalho justo, suplicam a proteção sobrenatural do
  Céu.
 Templos e devotos entregam-se, gostosamente, às
  situações acomodatícias, preferindo as dominações e
  regalos de ordem material.

 Observando esse panorama sentimental é útil
  recordarmos a figura inesquecível do Apóstolo generoso,
  recomendando a todos a leitura desta obra.
 Paulo recebeu a dádiva santa da visão gloriosa do
  Mestre, às portas de Damasco, mas não podemos
  esquecer a declaração de Jesus relativa ao sofrimento
  que o aguardava, por amor ao seu nome.

 O inolvidável tecelão trazia o seu ministério divino;
  mas, quem estará no mundo sem um ministério de
  Deus?

 Muita gente dirá que desconhece a própria tarefa, que é
  insciente a tal respeito, mas nós poderemos responder
  que, além da ignorância, há desatenção e muito capricho
  pernicioso.
 Paulo recebeu um apelo direto; mas, na verdade, todos
  nós, em algum ponto da vida recebemos um chamado
  do Cristo. Que temos feito ?

 As formas podem variar, mas a essência ao apelo é
  sempre a mesma.

 O convite ao ministério chega, ás vezes, de maneira
  sutil, inesperadamente; a maioria, porém, resiste ao
  chamado generoso do Senhor.
 Jesus não é um mestre de violências e se a figura de
  Paulo avulta muito mais aos nossos olhos, é que ele
  ouviu, negou-se a si mesmo, arrependeu-se, tomou a
  cruz e seguiu o Cristo até ao fim de suas tarefas
  materiais.

 Entre
  perseguições, enfermidades, apodos, zombarias, desilus
  ões,      deserções,       pedradas,   açoites       e
  encarceramentos, Paulo de Tarso foi um homem
  intrépido e sincero, caminhando entre as sombras do
  mundo, ao encontro do Mestre que se fizera ouvir nas
  encruzilhadas da sua vida.
 O apóstolo Paulo foi muito mais que um predestinado, foi
  um realizador que trabalhou diariamente para a luz.

 O Mestre chama-o, da sua esfera de claridades imortais.

 Paulo tateia na treva das experiências humanas e
 responde: — Senhor, que queres que eu faça?

 Entre ele e Jesus havia um abismo, que o Apóstolo
  soube transpor em decênios de luta redentora e
  constante.‖      Breve notícia – prefácio de Emmanuel
QUEM FOI ESTEVÃO ?
 Nasceu na Grécia, e chamava-se Jesiel.

 Originário de família rica.

 Quando seu pai morre, Jesiel é feito escravo e sua irmã
  Abigail é abandonada a própria sorte.
QUEM FOI ESTEVÃO ?
 Sempre manteve a fé em Deus e no Messias que
  acreditava estar para chegar.

 Jesiel muito doente é levado à Casa do Caminho, em
  Jerusalém,e lá recupera a saúde e descobre Jesus.

 Torna-se Estevão, grande pregador cristão.

 É interrogado no Sinédrio, depois julgado e condenado à
  morte por apedrejamento, por Saulo seu maior juiz.
QUEM FOI PAULO DE TARSO
 Chamava-se Saulo, Doutor da Lei; honesto em seus
  princípios, perseguidor dos cristãos;

 Após a morte de Estevão, Saulo revoltado, intensifica a
  perseguição aos ―homens do caminho‖.

 As portas de Damasco, o encontro com Jesus: “Saulo,
  Saulo, por que me persegues? A visão do Mestre
  Nazareno cega-o completamente.
QUEM FOI PAULO DE TARSO
 Recebe orientação para procurar Ananias (justamente
  quem ele ia prender), o qual lhe devolve a visão.

 Saulo percebe a extensão dos seus erros, e após 3 anos
  de profundas reflexões, muda o nome para Paulo.

 Torna-se o maior apóstolo e divulgador do
  Cristianismo, através de seus exemplos e das famosas
  epístolas,   as    quais   orientaram    o   movimento
  nascente, sendo referências para os dias atuais.
QUEM FOI PAULO DE TARSO
 Fundou e estimulou centenas de núcleos cristãos.

 Venceu perseguições, humilhações, e ofensas.

 Superou polêmicas entre os apóstolos sobre a
  abrangência do trabalho e da difusão do Cristianismo.

 Estevão foi seu direto orientador.
QUEM FOI PAULO DE TARSO
 No momento do desencarne é recebido                  por
  Estevão, Abigail, Ananias e outros diletos amigos.

 Como Saulo foi um homem honesto, porém equivocado.

 Como         Paulo          foi        um     homem
  determinado, consciente,intérprete da espiritualidade
  superior exemplo de fidelidade e de fé.

 ― O convertido de Damasco conseguiu aclimatar a
  flor divina do Evangelho sobre o mundo. ― Emmanuel
CONSELHOS DE ABIGAIL (cap III – Paulo e Estevão)

Resposta de Abigail espírito às indagações de Paulo :
o que fazer para adquirir a compreensão perfeita dos
desígnios do Cristo?
 AMA

como proceder de modo a enriquecer na virtude
divina?
 TRABALHA
CONSELHOS DE ABIGAIL (cap III – Paulo e Estevão)

que providências     adotar    contra   o    desânimo
destruidor?
 ESPERA

como conciliar as grandiosas lições do Evangelho com
a indiferença dos homens?
 PERDOA

            AMAR / TRABALHAR / ESPERAR/ PERDOAR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
Isnande Mota Barros
 
A Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na CodificaçãoA Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na Codificação
igmateus
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
Marta Gomes
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
Ronaldo Pereira Rodrigues
 
VISÃO ESPÍRITA DO NATAL
VISÃO ESPÍRITA DO NATALVISÃO ESPÍRITA DO NATAL
VISÃO ESPÍRITA DO NATAL
Jorge Luiz dos Santos
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 AnicetoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
Jose Luiz Maio
 
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueireEvangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Antonino Silva
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
Roseli Lemes
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
Norberto Tomasini Jr
 
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismoPalestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Jose Ferreira Almeida
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Marta Gomes
 
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
Izabel Cristina Fonseca
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Ricardo Azevedo
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
Graça Maciel
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
Semente de Esperança
 
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o EspiritismoCB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
Roseli Lemes
 
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inauguralCurso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Roseli Lemes
 
A pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsohA pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsoh
jesussalveoshumildes
 
Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos Espíritas
Antonino Silva
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 

Mais procurados (20)

SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
 
A Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na CodificaçãoA Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na Codificação
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
VISÃO ESPÍRITA DO NATAL
VISÃO ESPÍRITA DO NATALVISÃO ESPÍRITA DO NATAL
VISÃO ESPÍRITA DO NATAL
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 AnicetoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
 
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueireEvangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
 
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismoPalestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
 
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da almaCapitulo VIII - Emancipacao da alma
Capitulo VIII - Emancipacao da alma
 
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
 
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o EspiritismoCB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
 
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inauguralCurso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
 
A pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsohA pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsoh
 
Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos Espíritas
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
 

Destaque

Palestra 17 paulo e estevão
Palestra 17 paulo   e   estevãoPalestra 17 paulo   e   estevão
Palestra 17 paulo e estevão
Jose Ferreira Almeida
 
Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.
Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.
Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO
A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO
A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO
Suely Anjos
 
A Conversão de Paulo
A Conversão de PauloA Conversão de Paulo
Paulo Apostolo de Cristo Jesus
Paulo  Apostolo de Cristo JesusPaulo  Apostolo de Cristo Jesus
Paulo Apostolo de Cristo Jesus
virginiacarisioscalia
 
Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Paulo vida e_obra
Paulo vida e_obraPaulo vida e_obra
Paulo vida e_obra
ricardosantista
 
Paulo De Tarso
Paulo De TarsoPaulo De Tarso
Paulo De Tarso
Francisco Lacerda
 
Paulo E Estevão
Paulo E EstevãoPaulo E Estevão
Paulo E Estevão
celulaespirita
 
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismoEade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
JoyAlbanez
 
Por que frequentar o centro espírita!
Por que frequentar o centro espírita!Por que frequentar o centro espírita!
Por que frequentar o centro espírita!
Leonardo Pereira
 
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADEEstêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espirita
carlos freire
 
Bons Espíritas
Bons EspíritasBons Espíritas
Bons Espíritas
Izabel Cristina Fonseca
 
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Candice Gunther
 
Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]
Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]
Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]
Iara Triers
 
Paulo e estevão emmanuel
Paulo e estevão   emmanuelPaulo e estevão   emmanuel
Paulo e estevão emmanuel
Antonio SSantos
 
Paulo de tarso
Paulo de tarsoPaulo de tarso
A morte de estevão, por robert murray m’cheyne
A morte de estevão, por robert murray m’cheyneA morte de estevão, por robert murray m’cheyne
A morte de estevão, por robert murray m’cheyne
Deusdete Soares
 
Lição 9 paulo
Lição 9 pauloLição 9 paulo
Lição 9 paulo
Cristina Alves
 

Destaque (20)

Palestra 17 paulo e estevão
Palestra 17 paulo   e   estevãoPalestra 17 paulo   e   estevão
Palestra 17 paulo e estevão
 
Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.
Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.
Estudo de Sábado - Livro "Paulo e Estevão": Paulo prisioneiro do Cristo.
 
A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO
A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO
A CONVERSÃO DE PAULO DE TARSO
 
A Conversão de Paulo
A Conversão de PauloA Conversão de Paulo
A Conversão de Paulo
 
Paulo Apostolo de Cristo Jesus
Paulo  Apostolo de Cristo JesusPaulo  Apostolo de Cristo Jesus
Paulo Apostolo de Cristo Jesus
 
Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?
 
Paulo vida e_obra
Paulo vida e_obraPaulo vida e_obra
Paulo vida e_obra
 
Paulo De Tarso
Paulo De TarsoPaulo De Tarso
Paulo De Tarso
 
Paulo E Estevão
Paulo E EstevãoPaulo E Estevão
Paulo E Estevão
 
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismoEade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
Eade i-ii-16-estêvão-o-primeiro-mártir-do-cristianismo
 
Por que frequentar o centro espírita!
Por que frequentar o centro espírita!Por que frequentar o centro espírita!
Por que frequentar o centro espírita!
 
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADEEstêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espirita
 
Bons Espíritas
Bons EspíritasBons Espíritas
Bons Espíritas
 
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 03
 
Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]
Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]
Chico xavier [emmanuel]_-_paulo_e_estevão[1]
 
Paulo e estevão emmanuel
Paulo e estevão   emmanuelPaulo e estevão   emmanuel
Paulo e estevão emmanuel
 
Paulo de tarso
Paulo de tarsoPaulo de tarso
Paulo de tarso
 
A morte de estevão, por robert murray m’cheyne
A morte de estevão, por robert murray m’cheyneA morte de estevão, por robert murray m’cheyne
A morte de estevão, por robert murray m’cheyne
 
Lição 9 paulo
Lição 9 pauloLição 9 paulo
Lição 9 paulo
 

Semelhante a Paulo e Estevão

A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
Daniel de Melo
 
Aula Caridade Segundo Paulo de Tarso
Aula Caridade Segundo Paulo de TarsoAula Caridade Segundo Paulo de Tarso
Aula Caridade Segundo Paulo de Tarso
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Tua fé te salvou richard simonetti
Tua fé te salvou   richard simonettiTua fé te salvou   richard simonetti
Tua fé te salvou richard simonetti
Helio Cruz
 
Jesus viveu na índia
Jesus viveu na índiaJesus viveu na índia
Jesus viveu na índia
Manoel Barrionuevo
 
Paulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moralPaulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moral
LUCAS CANAVARRO
 
Jesus viveu-na-india-holger kersten
Jesus viveu-na-india-holger kerstenJesus viveu-na-india-holger kersten
Jesus viveu-na-india-holger kersten
Taís Alcântara
 
Paulo de tarso
Paulo de tarsoPaulo de tarso
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...
José Carlos Polozi
 
Jesus cristo
Jesus cristoJesus cristo
Jesus cristo
EWALDO DE SOUZA
 
Vínculo outubro 2012
Vínculo outubro 2012Vínculo outubro 2012
Vínculo outubro 2012
Américo Lino Vinhais
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Joel Silva
 
Cristologia
CristologiaCristologia
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Joel Silva
 
Espiral 28
Espiral 28Espiral 28
Bimba kids 16-12-2012
Bimba kids   16-12-2012Bimba kids   16-12-2012
Bimba kids 16-12-2012
Debora Teixeira
 
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espíritaApresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
grupodepaisceb
 
Olhando para Cristo
Olhando para CristoOlhando para Cristo
Olhando para Cristo
Pastor Marcello Rocha
 
Religiao De Jesus
Religiao De JesusReligiao De Jesus
Religiao De Jesus
ockotber
 
Religiao De Jesus
Religiao De JesusReligiao De Jesus
Religiao De Jesus
ockotber
 
09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes
09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes
09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes
Sérgio Ira
 

Semelhante a Paulo e Estevão (20)

A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
 
Aula Caridade Segundo Paulo de Tarso
Aula Caridade Segundo Paulo de TarsoAula Caridade Segundo Paulo de Tarso
Aula Caridade Segundo Paulo de Tarso
 
Tua fé te salvou richard simonetti
Tua fé te salvou   richard simonettiTua fé te salvou   richard simonetti
Tua fé te salvou richard simonetti
 
Jesus viveu na índia
Jesus viveu na índiaJesus viveu na índia
Jesus viveu na índia
 
Paulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moralPaulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moral
 
Jesus viveu-na-india-holger kersten
Jesus viveu-na-india-holger kerstenJesus viveu-na-india-holger kersten
Jesus viveu-na-india-holger kersten
 
Paulo de tarso
Paulo de tarsoPaulo de tarso
Paulo de tarso
 
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...
[EBD Maranata] Revista Atos dos Apóstolos | Lição 08 - Quando a Igreja de Cri...
 
Jesus cristo
Jesus cristoJesus cristo
Jesus cristo
 
Vínculo outubro 2012
Vínculo outubro 2012Vínculo outubro 2012
Vínculo outubro 2012
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
Cristologia
CristologiaCristologia
Cristologia
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
Espiral 28
Espiral 28Espiral 28
Espiral 28
 
Bimba kids 16-12-2012
Bimba kids   16-12-2012Bimba kids   16-12-2012
Bimba kids 16-12-2012
 
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espíritaApresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
 
Olhando para Cristo
Olhando para CristoOlhando para Cristo
Olhando para Cristo
 
Religiao De Jesus
Religiao De JesusReligiao De Jesus
Religiao De Jesus
 
Religiao De Jesus
Religiao De JesusReligiao De Jesus
Religiao De Jesus
 
09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes
09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes
09 nocoes basicas_de_cristologia_pe_antonio_pontes
 

Mais de Instituto Espírita de Educação

O Livro dos Espíritos - Wilma Badan
O Livro dos Espíritos - Wilma BadanO Livro dos Espíritos - Wilma Badan
O Livro dos Espíritos - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
O médium e a mediunidade - Wilma Badan
O médium e a mediunidade - Wilma BadanO médium e a mediunidade - Wilma Badan
O médium e a mediunidade - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...
O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...
O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...
Instituto Espírita de Educação
 
Lei de sociedade - Wilma Badan
Lei de sociedade - Wilma BadanLei de sociedade - Wilma Badan
Lei de sociedade - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma BadanPenas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma BadanPenas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Mãe e Mulher - Wilma Badan
Mãe e Mulher - Wilma BadanMãe e Mulher - Wilma Badan
Mãe e Mulher - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Gratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma BadanGratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Gratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma BadanGratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Falsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma Badan
Falsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma BadanFalsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma Badan
Falsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Ação do Pensamento - Wilma Badan
Ação do Pensamento - Wilma BadanAção do Pensamento - Wilma Badan
Ação do Pensamento - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
A melhor Medida - Wilma Badan
A melhor Medida - Wilma BadanA melhor Medida - Wilma Badan
A melhor Medida - Wilma Badan
Instituto Espírita de Educação
 
Vinícius e a Educação - Instituto Espírita de Educação
Vinícius e a Educação - Instituto Espírita de EducaçãoVinícius e a Educação - Instituto Espírita de Educação
Vinícius e a Educação - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Reconhecimento das próprias qualidades e limitações autoperdão - Instituto...
Reconhecimento das próprias qualidades e limitações   autoperdão  - Instituto...Reconhecimento das próprias qualidades e limitações   autoperdão  - Instituto...
Reconhecimento das próprias qualidades e limitações autoperdão - Instituto...
Instituto Espírita de Educação
 
Hoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de Educação
Hoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de EducaçãoHoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de Educação
Hoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Volta à Terra - Instituto Espírita de Educação
Volta à Terra - Instituto Espírita de EducaçãoVolta à Terra - Instituto Espírita de Educação
Volta à Terra - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Quem somos nós - Instituto Espírita de Educação
Quem somos nós - Instituto Espírita de EducaçãoQuem somos nós - Instituto Espírita de Educação
Quem somos nós - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Identificação dos espíritos - Instituto Espírita de Educação
Identificação dos espíritos - Instituto Espírita de EducaçãoIdentificação dos espíritos - Instituto Espírita de Educação
Identificação dos espíritos - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Gratidão - Instituto Espírita de Educação
Gratidão - Instituto Espírita de EducaçãoGratidão - Instituto Espírita de Educação
Gratidão - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Logotipo novo do IEE
Logotipo novo do IEELogotipo novo do IEE
Logotipo novo do IEE
Instituto Espírita de Educação
 

Mais de Instituto Espírita de Educação (20)

O Livro dos Espíritos - Wilma Badan
O Livro dos Espíritos - Wilma BadanO Livro dos Espíritos - Wilma Badan
O Livro dos Espíritos - Wilma Badan
 
O médium e a mediunidade - Wilma Badan
O médium e a mediunidade - Wilma BadanO médium e a mediunidade - Wilma Badan
O médium e a mediunidade - Wilma Badan
 
O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...
O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...
O que buscar na casa espírita - Wilma Badan c.g. - iee - 19.10.11 (white spac...
 
Lei de sociedade - Wilma Badan
Lei de sociedade - Wilma BadanLei de sociedade - Wilma Badan
Lei de sociedade - Wilma Badan
 
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma BadanPenas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
 
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma BadanPenas e gozos futuros - Wilma Badan
Penas e gozos futuros - Wilma Badan
 
Mãe e Mulher - Wilma Badan
Mãe e Mulher - Wilma BadanMãe e Mulher - Wilma Badan
Mãe e Mulher - Wilma Badan
 
Gratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma BadanGratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma Badan
 
Gratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma BadanGratidão - Wilma Badan
Gratidão - Wilma Badan
 
Falsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma Badan
Falsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma BadanFalsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma Badan
Falsos Cristos e Falsos Profetas - Wilma Badan
 
Ação do Pensamento - Wilma Badan
Ação do Pensamento - Wilma BadanAção do Pensamento - Wilma Badan
Ação do Pensamento - Wilma Badan
 
A melhor Medida - Wilma Badan
A melhor Medida - Wilma BadanA melhor Medida - Wilma Badan
A melhor Medida - Wilma Badan
 
Vinícius e a Educação - Instituto Espírita de Educação
Vinícius e a Educação - Instituto Espírita de EducaçãoVinícius e a Educação - Instituto Espírita de Educação
Vinícius e a Educação - Instituto Espírita de Educação
 
Reconhecimento das próprias qualidades e limitações autoperdão - Instituto...
Reconhecimento das próprias qualidades e limitações   autoperdão  - Instituto...Reconhecimento das próprias qualidades e limitações   autoperdão  - Instituto...
Reconhecimento das próprias qualidades e limitações autoperdão - Instituto...
 
Hoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de Educação
Hoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de EducaçãoHoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de Educação
Hoje em dia e o espiritismo - Instituto Espírita de Educação
 
Volta à Terra - Instituto Espírita de Educação
Volta à Terra - Instituto Espírita de EducaçãoVolta à Terra - Instituto Espírita de Educação
Volta à Terra - Instituto Espírita de Educação
 
Quem somos nós - Instituto Espírita de Educação
Quem somos nós - Instituto Espírita de EducaçãoQuem somos nós - Instituto Espírita de Educação
Quem somos nós - Instituto Espírita de Educação
 
Identificação dos espíritos - Instituto Espírita de Educação
Identificação dos espíritos - Instituto Espírita de EducaçãoIdentificação dos espíritos - Instituto Espírita de Educação
Identificação dos espíritos - Instituto Espírita de Educação
 
Gratidão - Instituto Espírita de Educação
Gratidão - Instituto Espírita de EducaçãoGratidão - Instituto Espírita de Educação
Gratidão - Instituto Espírita de Educação
 
Logotipo novo do IEE
Logotipo novo do IEELogotipo novo do IEE
Logotipo novo do IEE
 

Último

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 

Último (10)

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 

Paulo e Estevão

  • 1.
  • 2.  Paulo e Estêvão obra mediúnica Francisco Cândido Xavier/ Emmanuel Este ano faz 70 anos da 1ª edição (jul/1942). É uma das obras mais editadas pela Federação Espírita Brasileira (F.E.B)  período histórico de 34 d.C. (um ano após a morte de Jesus Cristo) até 67 d.C. (provável ano do falecimento de Paulo de Tarso).  O livro traz revelações históricas inéditas , seguindo rigorosamente a cronologia do livro bíblico Atos dos Apóstolos, dando também um sentido mais profundo para as citações pessoais de Paulo em suas Epístolas.
  • 3. OBJETIVOS DESTA OBRA:  ― Recordar as lutas acerbas e os ásperos testemunhos de um coração extraordinário, que se levantou das lutas humanas para seguir os passos do Mestre, num esforço incessante.  Demonstrar que apesar de haver um grande abismo entre cada um de nós e o Mestre Jesus, devemos trabalhar incessantemente para transpô-lo, aproximando- nos do Cristo.
  • 4. OBJETIVOS DESTA OBRA:  Esclarecer a necessidade e a universalidade da lei de cooperação na realização de labores nobres.  Sem cooperação, não poderia existir amor; e o amor é a força de Deus, que equilibra o Universo.  Sem Estevão, não teríamos Paulo de Tarso  Jesus, cuja misericórdia e poder abrangiam tudo, procurou a companhia de 12 auxiliares, a fins de empreender a renovação do mundo.
  • 5. REFLEXÕES PROPICIADAS POR ESTA OBRA  As igrejas amornecidas da atualidade e os falsos desejos dos crentes, nos diversos setores do Cristianismo;  Em toda parte há tendências à ociosidade do espírito e manifestações de menor esforço.  Muitos discípulos disputam as prerrogativas de Estado, enquanto outros, distanciados voluntariamente do trabalho justo, suplicam a proteção sobrenatural do Céu.
  • 6.  Templos e devotos entregam-se, gostosamente, às situações acomodatícias, preferindo as dominações e regalos de ordem material.  Observando esse panorama sentimental é útil recordarmos a figura inesquecível do Apóstolo generoso, recomendando a todos a leitura desta obra.
  • 7.  Paulo recebeu a dádiva santa da visão gloriosa do Mestre, às portas de Damasco, mas não podemos esquecer a declaração de Jesus relativa ao sofrimento que o aguardava, por amor ao seu nome.  O inolvidável tecelão trazia o seu ministério divino; mas, quem estará no mundo sem um ministério de Deus?  Muita gente dirá que desconhece a própria tarefa, que é insciente a tal respeito, mas nós poderemos responder que, além da ignorância, há desatenção e muito capricho pernicioso.
  • 8.  Paulo recebeu um apelo direto; mas, na verdade, todos nós, em algum ponto da vida recebemos um chamado do Cristo. Que temos feito ?  As formas podem variar, mas a essência ao apelo é sempre a mesma.  O convite ao ministério chega, ás vezes, de maneira sutil, inesperadamente; a maioria, porém, resiste ao chamado generoso do Senhor.
  • 9.  Jesus não é um mestre de violências e se a figura de Paulo avulta muito mais aos nossos olhos, é que ele ouviu, negou-se a si mesmo, arrependeu-se, tomou a cruz e seguiu o Cristo até ao fim de suas tarefas materiais.  Entre perseguições, enfermidades, apodos, zombarias, desilus ões, deserções, pedradas, açoites e encarceramentos, Paulo de Tarso foi um homem intrépido e sincero, caminhando entre as sombras do mundo, ao encontro do Mestre que se fizera ouvir nas encruzilhadas da sua vida.
  • 10.  O apóstolo Paulo foi muito mais que um predestinado, foi um realizador que trabalhou diariamente para a luz.  O Mestre chama-o, da sua esfera de claridades imortais.  Paulo tateia na treva das experiências humanas e responde: — Senhor, que queres que eu faça?  Entre ele e Jesus havia um abismo, que o Apóstolo soube transpor em decênios de luta redentora e constante.‖ Breve notícia – prefácio de Emmanuel
  • 11. QUEM FOI ESTEVÃO ?  Nasceu na Grécia, e chamava-se Jesiel.  Originário de família rica.  Quando seu pai morre, Jesiel é feito escravo e sua irmã Abigail é abandonada a própria sorte.
  • 12. QUEM FOI ESTEVÃO ?  Sempre manteve a fé em Deus e no Messias que acreditava estar para chegar.  Jesiel muito doente é levado à Casa do Caminho, em Jerusalém,e lá recupera a saúde e descobre Jesus.  Torna-se Estevão, grande pregador cristão.  É interrogado no Sinédrio, depois julgado e condenado à morte por apedrejamento, por Saulo seu maior juiz.
  • 13. QUEM FOI PAULO DE TARSO  Chamava-se Saulo, Doutor da Lei; honesto em seus princípios, perseguidor dos cristãos;  Após a morte de Estevão, Saulo revoltado, intensifica a perseguição aos ―homens do caminho‖.  As portas de Damasco, o encontro com Jesus: “Saulo, Saulo, por que me persegues? A visão do Mestre Nazareno cega-o completamente.
  • 14. QUEM FOI PAULO DE TARSO  Recebe orientação para procurar Ananias (justamente quem ele ia prender), o qual lhe devolve a visão.  Saulo percebe a extensão dos seus erros, e após 3 anos de profundas reflexões, muda o nome para Paulo.  Torna-se o maior apóstolo e divulgador do Cristianismo, através de seus exemplos e das famosas epístolas, as quais orientaram o movimento nascente, sendo referências para os dias atuais.
  • 15. QUEM FOI PAULO DE TARSO  Fundou e estimulou centenas de núcleos cristãos.  Venceu perseguições, humilhações, e ofensas.  Superou polêmicas entre os apóstolos sobre a abrangência do trabalho e da difusão do Cristianismo.  Estevão foi seu direto orientador.
  • 16. QUEM FOI PAULO DE TARSO  No momento do desencarne é recebido por Estevão, Abigail, Ananias e outros diletos amigos.  Como Saulo foi um homem honesto, porém equivocado.  Como Paulo foi um homem determinado, consciente,intérprete da espiritualidade superior exemplo de fidelidade e de fé.  ― O convertido de Damasco conseguiu aclimatar a flor divina do Evangelho sobre o mundo. ― Emmanuel
  • 17. CONSELHOS DE ABIGAIL (cap III – Paulo e Estevão) Resposta de Abigail espírito às indagações de Paulo : o que fazer para adquirir a compreensão perfeita dos desígnios do Cristo?  AMA como proceder de modo a enriquecer na virtude divina?  TRABALHA
  • 18. CONSELHOS DE ABIGAIL (cap III – Paulo e Estevão) que providências adotar contra o desânimo destruidor?  ESPERA como conciliar as grandiosas lições do Evangelho com a indiferença dos homens?  PERDOA AMAR / TRABALHAR / ESPERAR/ PERDOAR