SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 62
Estudos do Evangelho 
Capítulo 8 – Bem aventurados os puros de coração – 
Escândalos – Cortar as mãos! 
Leonardo Pereira
Questões de 
“O Livro 
dos 
Espíritos”
Escândalos: Cortar a Mão
Presentemente, ao ouvirmos a palavra 
escândalo, associamo-la à corrupção, 
aos desleixos, aos erros crassos de 
nossos governantes. O que, 
concretamente, significa a palavra 
escândalo? Temos necessidade da sua 
existência? Que subsídios a Doutrina 
Espírita nos oferece para uma melhor 
compreensão do tema?
CONCEITO! 
• Escandalizar. Dar, com o 
próprio exemplo, ensejo que 
outrem caia no erro ou 
"pecado".
Escândalo. Do gr. skándalon, pelo 
lat. scandalu. É a armadilha que se põe 
no caminho do inimigo para fazê-lo 
cair. É aquilo que dá o que falar, que 
causa indignação por ser contrário à 
moral, à honestidade, aos bons 
costumes, à justiça, às leis etc. No 
sentido espiritual e moral, é todo o 
obstáculo que, com sua conduta, uma 
pessoa pode representar para a vida 
ou a moralidade de outras pessoas.
Nas traduções mais recentes e 
mais fiéis da Bíblia, a 
palavra escândalo está expressa 
por tropeço (na tradução em 
Esperanto falilo), querendo 
significar que Jesus se referia a 
tudo o que leva o homem à 
queda: o mau exemplo, 
princípios falsos, abuso do poder 
etc.
No sentido evangélico, a 
acepção da palavra escândalo, 
tão frequentemente 
empregada, é muito mais 
ampla, motivo por que não é 
compreendida em certos casos. 
Escândalo não é somente o que 
choca a consciência alheia,
mas tudo o que resulta dos 
vícios e das imperfeições 
humanas, todas as más ações 
de indivíduo para indivíduo, 
com ou sem repercussões. O 
escândalo, nesse caso, é o 
resultado efetivo do mal moral.
O PROBLEMA DO ESCÂNDALO 
TIPOS DE ESCÂNDALO:
1) escândalo previsto, 
mas não desejado. 
Quando, por dever de 
ofício, sujeitamos alguém 
ao ridículo.
É culpado o que sonda os 
males da sociedade e os 
desvendar? 
Em . LE. 904
- Isso depende do sentimento que 
o leva afazê-lo. Se o escritor só quer 
fazer escândalo, é um prazer pessoal 
que se proporciona, apresentando 
quadros que são, em geral, antes 
um mau do que um bom exemplo. 
O Espírito faz uma apreciação mas 
pode ser punido por essa espécie de 
prazer que sente em revelar o mal.
Como julgar, nesse caso, a 
pureza das intenções e a 
sinceridade do escritor? 
Em . LE. 904 – a)
— Isso nem sempre é útil. Se ele 
escreve boas coisas, procura 
aproveitá-las; se escreve más, e 
uma questão de consciência que 
a ele diz respeito. De resto, se ele 
quer provar a sua sinceridade, 
cabe-lhe apoiar os preceitos 
no seu próprio exemplo.
2) escândalo previsto e 
desejado. 
Pode ser por interesse 
pessoal (obtermos alguma 
vantagem na queda do 
nosso próximo) ou para 
danificá-lo espiritualmente.
Há culpa em estudar os 
defeitos alheios? 
Em . LE. 903
- Se é com o fito de os criticar e 
divulgar, há muita culpa, porque isso é 
faltar com a caridade. Se é com 
intenção de proveito pessoal, evitando-se 
aqueles defeitos, pode ser útil. Mas 
não se deve esquecer que a 
indulgência para com os defeitos 
alheios é uma das virtudes 
compreendidas na caridade.
Antes de censurar as 
imperfeições dos outros, vede se 
não podem fazer o mesmo a vosso 
respeito. 
Tratai, pois, de possuirás qualidades 
contrarias aos defeitos que criticais 
nos outros. Esse é um meio de vos 
tomardes superiores.
Se os censurais por serem avarentos, 
sede generosos; por serem duros, sede 
dóceis- por agirem com mesquinhez, 
sede grandes em todas as vossas ações. 
Em uma palavra, fazei de maneira que 
não vos possam aplicar aquelas palavras 
de Jesus: “Vedes um argueiro no olho 
do vizinho e não vedes uma trave no 
vosso”.
3) escândalo passivo. 
Quando o recebemos em 
razão da nossa fraqueza 
ou ignorância. (Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura)
O ESCÂNDALO EXIGE 
REPARAÇÃO
11 – O que escandalizar, porém, a um 
destes pequeninos que creem em mim, 
melhor lhe fora que se lhe pendurasse 
ao pescoço uma mó de atafona, e o 
lançassem ao fundo do mar. Ai do 
mundo, por causa dos escândalos. 
Porque é necessário que sucedam 
escândalos, mas ai daquele homem 
por quem vem o escândalo. 
• mó é a pedra com que se trituram os grãos no moinho. 
• - atafona é o engenho de moer grãos, manual ou movido por animais; moinho.
"Se vossa mão ou vosso pé é um 
motivo de escândalo, cortai-os e 
atirai-os longe de vós; é bem 
melhor para vós que entreis na 
vida não tendo senão um pé ou 
uma só mão, do que terdes dois 
e serdes lançados no fogo 
eterno.
E se vosso olho vos é motivo de 
escândalo, arrancai-o e lançai-o 
longe de vós; é melhor para vós 
que entreis na vida não tendo 
senão um olho, que terdes os 
dois e serdes precipitados no 
fogo do inferno". (Mateus, 5, 29 e 30)
Venha de onde vier, uma coisa é certa: 
o escândalo exige reparação que deve 
ser proporcional ao mal causado. 
É a lei de ação e reação, 
de causa e efeito.
Na linguagem evangélica, quando 
uma semente é lançada ao solo, 
ela dará os seus frutos. Quem 
plantar as sementes do bem 
colherá o bem; quem plantar as do 
mal, colherá o mal. A escolha é 
nossa. Contudo, uma vez lançada, 
seguirá o seu curso 
necessariamente.
• 12 – Em seu sentido vulgar, 
escândalo é tudo aquilo que 
choca a moral ou as 
conveniências, de maneira 
ostensiva. O escândalo não está 
propriamente na ação, mas nas 
repercussões que ela pode ter. A 
palavra escândalo implica sempre 
a ideia de um certo estrépito.
Muitas pessoas se contentam 
com evitar o escândalo, porque o 
seu orgulho sofreria com ele e a 
sua consideração diminuiria 
entre os homens, procurando 
ocultar as suas torpezas, o que 
lhes basta para tranquilizar a 
consciência.
Esses são, segundo as palavras de 
Jesus: “sepulcros brancos por 
fora, mas cheios de podridão por 
dentro; vasos limpos por fora, 
mas sujos por dentro”.
NO VELHO 
TESTAMENTO
No antigo testamento, Deus é a causa de 
escândalo para Israel. Jeová põe à prova 
a fé do seu povo. A Lei de Deus, descrita 
nos Dez Mandamentos, está em íntima 
relação com a Aliança. Na Aliança, Deus 
faz promessas, mas estabelece 
condições: Israel deverá obedecer à sua 
voz e observar as suas prescrições, caso 
contrário cairão sobre Israel as maldições 
divinas. Essa ligação entre a Lei e a 
Aliança explica que em Israel não haja 
outra lei que a de Moisés, pois Moisés é 
o mediador da Aliança.
NO NOVO TESTAMENTO
A palavra escândalo encerra, no Novo 
Testamento, um duplo sentido: de 
um lado, a ideia de que Cristo veio 
para constituir o escândalo central do 
homem; de outro lado, a ideia do mal 
moral que existe em nós e que é 
preciso desfazer.
Quanto ao Cristo, toda a vez que ele 
apresentava o desprendimento das 
riquezas e dos bens terrenos, era um 
escândalo para o povo romano, 
apegado a tais bens. Quanto a nós, é 
a necessidade do mal (escândalo) 
para que nos ajustemos ao bem.
13 – É necessário que sucedem 
escândalos no mundo, disse Jesus, 
porque os homens, sendo ainda 
imperfeitos, têm inclinação para o mal, 
e porque as más árvores dão maus 
frutos. Devemos pois entender, por 
essas palavras, que o mal é uma 
consequência da imperfeição humana, 
e não que os homens tenham 
obrigação de praticá-lo.
14 – É necessário que venha o 
escândalo, para que os homens, 
em expiação na Terra, se punam a 
si mesmos, pelo contato de seus 
próprios vícios, dos quais são as 
primeiras vítimas, e cujos 
inconvenientes acabam por 
compreender..
Depois que tiverem sofrido o mal, 
procurarão o remédio no bem. A 
reação desses vícios serve, 
portanto, ao mesmo tempo de 
castigo para uns e de prova para 
outros. É assim que Deus faz sair o 
bem do mal, e que os próprios 
homens aproveitam as coisas más 
ou desagradáveis.
Como se pode distinguir o 
bem do mal? 
Em . LE. 630.
— O bem é tudo o que está de 
acordo com a lei de Deus, e o mal 
é tudo o que dela se afasta. 
Assim, fazer o bem é se 
conformar à lei de Deus; fazer 
o mal é infringir essa lei.
O homem tem meios para 
distinguir por si mesmo o bem 
e o mal? 
Em . LE. 631.
— Sim, quando ele crê 
em Deus e quando o quer 
saber. Deus lhe deu a 
inteligência para discernir 
um e outro.
A regra do bem e do mal, que se poderia 
chamar de reciprocidade ou 
de solidariedade, não pode ser aplicada à 
conduta pessoal do homem para consigo 
mesmo. Encontra ele, na lei natural, a 
regra desta conduta e um guia seguro? 
. LE. 633..
— Quando comeis demais, isso 
vos faz mal. Pois bem, é Deus 
que vos dá a medida do que vos 
falta. Quando a ultrapassais, sois 
punidos. O mesmo se dá com 
tudo o mais.
A lei natural traça para o homem 
o limite das suas necessidades; 
quando ele o ultrapassa, é punido 
pelo sofrimento. Se o homem 
escutasse, em todas as coisas, essa 
voz que. diz: chega!, evitaria a maior 
parte dos males de que acusa a 
Natureza.
JESUS É SINAL DE 
CONTRADIÇÃO
Fora enviado para salvação, mas 
constitui-se no endurecimento de 
muitos. Quer salvar o mundo não 
por qualquer messianismo 
vingador, ou político, mas pela 
Paixão e pela Cruz. "Este menino é 
para a queda e o reerguimento de 
muitos em Israel; ele será um sinal 
sujeito a contradição". (Lucas, 2,34)
Certa feita, disse: "Não vim trazer a 
paz, mas a divisão". 
Paulo descobriu que Cristo ou a cruz é 
"loucura para os que se perdem, mas 
para os que se salvam ela é o poder de 
Deus". 
Por ter sido incompreendido, mesmo 
pelos seus discípulos, vimos Judas 
Iscariotes vendendo-o por trinta 
dinheiros. (Léon-Dufour, 1972)
O ESCÂNDALO 
DURARÁ PARA 
SEMPRE?
15 – Se assim é, dir-se-á, o mal é 
necessário e durará sempre, pois se 
viesse a desaparecer, Deus ficaria 
privado de um poderoso meio de 
castigar os culpados. É inútil, portanto, 
procurar melhorar os homens. Mas, se 
não houvesse culpados, não haveria 
necessidade de castigos.
Suponhamos a humanidade 
transformada numa comunhão de 
homens de bem: nenhum procuraria 
fazer mal ao próximo, e todos 
seriam felizes, porque seriam bons. 
Tal é o estado dos mundos 
adiantados, dos quais o mal foi 
excluído.
Tal será o estado da Terra, quando 
houver progredido suficientemente. 
Mas enquanto certos mundos 
avançam, outros se formam, 
povoados por Espíritos primitivos, e 
que servem ainda de morada, de 
exílio e de lugar de expiação para os 
Espíritos imperfeitos, rebeldes, 
obstinados no mal, rejeitados pelos 
mundos que se tornam felizes.
Mas, ai daquele por quem vem 
o escândalo....
16 – Mas ai daquele por quem 
vem o escândalo: quer dizer que o 
mal sendo sempre o mal, aquele 
que serviu, sem o saber, de 
instrumento para a justiça divina, 
sendo utilizados os seus maus 
instintos, nem por isso deixou de 
fazer o mal, e deve ser punido.
É assim, por exemplo, que um filho 
ingrato é uma punição ou uma prova 
para o pai que o suporta, porque esse 
pai talvez tenha sido um mau filho, 
que fez sofrer o seu pai, e agora sofre 
a pena de talião. Mas o filho não terá 
desculpas por isso, e deverá ser 
castigado por sua vez, através dos seus 
próprios filhos ou de outra maneira.
A SIMBOLOGIA DO CORTAR AS 
MÃOS.
17 – Se tua mão te serve de 
causa de escândalo, corta-a: 
figura enérgica, que seria 
absurdo tomar-se ao pé da 
letra, e que significa 
simplesmente a necessidade de 
destruirmos em nós todas as 
causas de escândalo, ou seja, do 
mal.
É necessário arrancar 
do coração todo 
sentimento impuro e 
toda tendência viciosa
Quer dizer ainda que mais 
vale para o homem ter a 
mão cortada, do que esta 
ser para ele o instrumento 
de uma ação má; ser privado 
da vista, do que os seus 
olhos lhe servirem para 
maus pensamentos.
Jesus nada disse de absurdo, 
para quem souber compreender 
o sentido alegórico e profundo 
das suas palavras; mas muitas 
coisas não podem ser 
compreendidas, sem a chave 
oferecida pelo Espiritismo.
• BIBLIOGRAFIA CONSULTADA. 
• Palestra de Sérgio Biasi de Gregório. 
• ENCICLOPÉDIA LUSO-BRASILEIRA DE CULTURA. 
Lisboa: Verbo, [s. d. p.] 
• GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E 
BRASILEIRA. Lisboa/Rio de Janeiro: Editorial 
Enciclopédia, [s.d. p.] 
• KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. 
ed. São Paulo: IDE, 1984. 
• LEON-DUFOUR, X. et al. Vocabulário de Teologia 
Bíblica. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.
Uma linda noite e uma Feliz Semana!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)Jorge Luiz dos Santos
 
Escândalos
EscândalosEscândalos
Escândalosigmateus
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósRicardo Azevedo
 
Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioLorena Dias
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direitagmo1973
 
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOSESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOSPatricia Farias
 
Orgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os viciosOrgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os viciosVictor Passos
 
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espíritaRoteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espíritaBruno Cechinel Filho
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bemigmateus
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosEduardo Ottonelli Pithan
 

Mais procurados (20)

DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
 
Escândalos
EscândalosEscândalos
Escândalos
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
Nao julgueis-nao-julgados
Nao julgueis-nao-julgadosNao julgueis-nao-julgados
Nao julgueis-nao-julgados
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOSESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
Orgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os viciosOrgulho pai de todos os vicios
Orgulho pai de todos os vicios
 
O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
 
Palestra Espírita - Suicidio e loucura
Palestra Espírita - Suicidio e loucuraPalestra Espírita - Suicidio e loucura
Palestra Espírita - Suicidio e loucura
 
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espíritaRoteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
A colera
A coleraA colera
A colera
 

Destaque

Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosTiburcio Santos
 
Limpeza do coração
Limpeza do coraçãoLimpeza do coração
Limpeza do coraçãoHelio Cruz
 
Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014Gerson G. Ramos
 
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".Leonardo Pereira
 
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira). Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira). Leonardo Pereira
 
A Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentososA Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentososEder Freyre
 
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas . A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas . Vanda Machado
 

Destaque (20)

Escândalos
Escândalos Escândalos
Escândalos
 
Estudos do evangelho 15
Estudos do evangelho 15Estudos do evangelho 15
Estudos do evangelho 15
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
O Evangelio Segundo o Espiritismo, Capítulo 8
O Evangelio Segundo o Espiritismo, Capítulo 8O Evangelio Segundo o Espiritismo, Capítulo 8
O Evangelio Segundo o Espiritismo, Capítulo 8
 
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIIIO evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
 
Estudos do evangelho 17
Estudos do evangelho 17Estudos do evangelho 17
Estudos do evangelho 17
 
Limpeza do coração
Limpeza do coraçãoLimpeza do coração
Limpeza do coração
 
Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014
 
Sermão do Monte
Sermão do Monte Sermão do Monte
Sermão do Monte
 
Ano novo, vida nova!
Ano novo, vida nova!Ano novo, vida nova!
Ano novo, vida nova!
 
Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18
 
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
 
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira). Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
 
A Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentososA Doutrina Espírita e os fatos momentosos
A Doutrina Espírita e os fatos momentosos
 
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas . A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
 
Estudos do evangelho 5
Estudos do evangelho 5Estudos do evangelho 5
Estudos do evangelho 5
 
Terceira Lei De Newton
Terceira Lei De NewtonTerceira Lei De Newton
Terceira Lei De Newton
 

Semelhante a Estudos do evangelho 16

Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntasLei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntasAna Cláudia Leal Felgueiras
 
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5Patricia Farias
 
O bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxO bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxM.R.L
 
é Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homensé Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homensDalila Melo
 
3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptx3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptxMarta Gomes
 
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Claudio Macedo
 
A origem do bem e do mal
A origem do bem e do malA origem do bem e do mal
A origem do bem e do malHelio Cruz
 
Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2
Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2
Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2mredil
 
LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27Patricia Farias
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015LUCAS CANAVARRO
 
Desencarnes coletivos e a justiça divina!
Desencarnes coletivos e a justiça divina!Desencarnes coletivos e a justiça divina!
Desencarnes coletivos e a justiça divina!Leonardo Pereira
 
Pecado: Uma rota errada e suas consequências
Pecado: Uma rota errada e suas consequênciasPecado: Uma rota errada e suas consequências
Pecado: Uma rota errada e suas consequênciasIsaacAmorim10
 

Semelhante a Estudos do evangelho 16 (20)

Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntasLei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
Livro dos Espíritos Q.737 ESE Cap. 9_item1 a 5
 
O bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxO bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptx
 
Evangelho cap8 item11
Evangelho cap8 item11Evangelho cap8 item11
Evangelho cap8 item11
 
é Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homensé Difícil julgar os homens
é Difícil julgar os homens
 
LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1
 
3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptx3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptx
 
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada
 
A origem do bem e do mal
A origem do bem e do malA origem do bem e do mal
A origem do bem e do mal
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
 
Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2
Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2
Expulsão de demônios x Libertação - Parte 2
 
LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
 
O problema do ressentimento
O problema do ressentimentoO problema do ressentimento
O problema do ressentimento
 
Desencarnes coletivos e a justiça divina!
Desencarnes coletivos e a justiça divina!Desencarnes coletivos e a justiça divina!
Desencarnes coletivos e a justiça divina!
 
A MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIAA MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIA
 
Pecado: Uma rota errada e suas consequências
Pecado: Uma rota errada e suas consequênciasPecado: Uma rota errada e suas consequências
Pecado: Uma rota errada e suas consequências
 

Mais de Leonardo Pereira

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Leonardo Pereira
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Leonardo Pereira
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1Leonardo Pereira
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalLeonardo Pereira
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução Leonardo Pereira
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosLeonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 

Mais de Leonardo Pereira (20)

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Último

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfDaddizinhaRodrigues
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfFrancisco Baptista
 

Último (7)

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 

Estudos do evangelho 16

  • 1. Estudos do Evangelho Capítulo 8 – Bem aventurados os puros de coração – Escândalos – Cortar as mãos! Leonardo Pereira
  • 2. Questões de “O Livro dos Espíritos”
  • 4. Presentemente, ao ouvirmos a palavra escândalo, associamo-la à corrupção, aos desleixos, aos erros crassos de nossos governantes. O que, concretamente, significa a palavra escândalo? Temos necessidade da sua existência? Que subsídios a Doutrina Espírita nos oferece para uma melhor compreensão do tema?
  • 5. CONCEITO! • Escandalizar. Dar, com o próprio exemplo, ensejo que outrem caia no erro ou "pecado".
  • 6. Escândalo. Do gr. skándalon, pelo lat. scandalu. É a armadilha que se põe no caminho do inimigo para fazê-lo cair. É aquilo que dá o que falar, que causa indignação por ser contrário à moral, à honestidade, aos bons costumes, à justiça, às leis etc. No sentido espiritual e moral, é todo o obstáculo que, com sua conduta, uma pessoa pode representar para a vida ou a moralidade de outras pessoas.
  • 7. Nas traduções mais recentes e mais fiéis da Bíblia, a palavra escândalo está expressa por tropeço (na tradução em Esperanto falilo), querendo significar que Jesus se referia a tudo o que leva o homem à queda: o mau exemplo, princípios falsos, abuso do poder etc.
  • 8. No sentido evangélico, a acepção da palavra escândalo, tão frequentemente empregada, é muito mais ampla, motivo por que não é compreendida em certos casos. Escândalo não é somente o que choca a consciência alheia,
  • 9. mas tudo o que resulta dos vícios e das imperfeições humanas, todas as más ações de indivíduo para indivíduo, com ou sem repercussões. O escândalo, nesse caso, é o resultado efetivo do mal moral.
  • 10. O PROBLEMA DO ESCÂNDALO TIPOS DE ESCÂNDALO:
  • 11. 1) escândalo previsto, mas não desejado. Quando, por dever de ofício, sujeitamos alguém ao ridículo.
  • 12. É culpado o que sonda os males da sociedade e os desvendar? Em . LE. 904
  • 13. - Isso depende do sentimento que o leva afazê-lo. Se o escritor só quer fazer escândalo, é um prazer pessoal que se proporciona, apresentando quadros que são, em geral, antes um mau do que um bom exemplo. O Espírito faz uma apreciação mas pode ser punido por essa espécie de prazer que sente em revelar o mal.
  • 14. Como julgar, nesse caso, a pureza das intenções e a sinceridade do escritor? Em . LE. 904 – a)
  • 15. — Isso nem sempre é útil. Se ele escreve boas coisas, procura aproveitá-las; se escreve más, e uma questão de consciência que a ele diz respeito. De resto, se ele quer provar a sua sinceridade, cabe-lhe apoiar os preceitos no seu próprio exemplo.
  • 16. 2) escândalo previsto e desejado. Pode ser por interesse pessoal (obtermos alguma vantagem na queda do nosso próximo) ou para danificá-lo espiritualmente.
  • 17. Há culpa em estudar os defeitos alheios? Em . LE. 903
  • 18. - Se é com o fito de os criticar e divulgar, há muita culpa, porque isso é faltar com a caridade. Se é com intenção de proveito pessoal, evitando-se aqueles defeitos, pode ser útil. Mas não se deve esquecer que a indulgência para com os defeitos alheios é uma das virtudes compreendidas na caridade.
  • 19. Antes de censurar as imperfeições dos outros, vede se não podem fazer o mesmo a vosso respeito. Tratai, pois, de possuirás qualidades contrarias aos defeitos que criticais nos outros. Esse é um meio de vos tomardes superiores.
  • 20. Se os censurais por serem avarentos, sede generosos; por serem duros, sede dóceis- por agirem com mesquinhez, sede grandes em todas as vossas ações. Em uma palavra, fazei de maneira que não vos possam aplicar aquelas palavras de Jesus: “Vedes um argueiro no olho do vizinho e não vedes uma trave no vosso”.
  • 21. 3) escândalo passivo. Quando o recebemos em razão da nossa fraqueza ou ignorância. (Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura)
  • 22. O ESCÂNDALO EXIGE REPARAÇÃO
  • 23. 11 – O que escandalizar, porém, a um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de atafona, e o lançassem ao fundo do mar. Ai do mundo, por causa dos escândalos. Porque é necessário que sucedam escândalos, mas ai daquele homem por quem vem o escândalo. • mó é a pedra com que se trituram os grãos no moinho. • - atafona é o engenho de moer grãos, manual ou movido por animais; moinho.
  • 24. "Se vossa mão ou vosso pé é um motivo de escândalo, cortai-os e atirai-os longe de vós; é bem melhor para vós que entreis na vida não tendo senão um pé ou uma só mão, do que terdes dois e serdes lançados no fogo eterno.
  • 25. E se vosso olho vos é motivo de escândalo, arrancai-o e lançai-o longe de vós; é melhor para vós que entreis na vida não tendo senão um olho, que terdes os dois e serdes precipitados no fogo do inferno". (Mateus, 5, 29 e 30)
  • 26. Venha de onde vier, uma coisa é certa: o escândalo exige reparação que deve ser proporcional ao mal causado. É a lei de ação e reação, de causa e efeito.
  • 27. Na linguagem evangélica, quando uma semente é lançada ao solo, ela dará os seus frutos. Quem plantar as sementes do bem colherá o bem; quem plantar as do mal, colherá o mal. A escolha é nossa. Contudo, uma vez lançada, seguirá o seu curso necessariamente.
  • 28. • 12 – Em seu sentido vulgar, escândalo é tudo aquilo que choca a moral ou as conveniências, de maneira ostensiva. O escândalo não está propriamente na ação, mas nas repercussões que ela pode ter. A palavra escândalo implica sempre a ideia de um certo estrépito.
  • 29. Muitas pessoas se contentam com evitar o escândalo, porque o seu orgulho sofreria com ele e a sua consideração diminuiria entre os homens, procurando ocultar as suas torpezas, o que lhes basta para tranquilizar a consciência.
  • 30. Esses são, segundo as palavras de Jesus: “sepulcros brancos por fora, mas cheios de podridão por dentro; vasos limpos por fora, mas sujos por dentro”.
  • 32. No antigo testamento, Deus é a causa de escândalo para Israel. Jeová põe à prova a fé do seu povo. A Lei de Deus, descrita nos Dez Mandamentos, está em íntima relação com a Aliança. Na Aliança, Deus faz promessas, mas estabelece condições: Israel deverá obedecer à sua voz e observar as suas prescrições, caso contrário cairão sobre Israel as maldições divinas. Essa ligação entre a Lei e a Aliança explica que em Israel não haja outra lei que a de Moisés, pois Moisés é o mediador da Aliança.
  • 34. A palavra escândalo encerra, no Novo Testamento, um duplo sentido: de um lado, a ideia de que Cristo veio para constituir o escândalo central do homem; de outro lado, a ideia do mal moral que existe em nós e que é preciso desfazer.
  • 35. Quanto ao Cristo, toda a vez que ele apresentava o desprendimento das riquezas e dos bens terrenos, era um escândalo para o povo romano, apegado a tais bens. Quanto a nós, é a necessidade do mal (escândalo) para que nos ajustemos ao bem.
  • 36. 13 – É necessário que sucedem escândalos no mundo, disse Jesus, porque os homens, sendo ainda imperfeitos, têm inclinação para o mal, e porque as más árvores dão maus frutos. Devemos pois entender, por essas palavras, que o mal é uma consequência da imperfeição humana, e não que os homens tenham obrigação de praticá-lo.
  • 37. 14 – É necessário que venha o escândalo, para que os homens, em expiação na Terra, se punam a si mesmos, pelo contato de seus próprios vícios, dos quais são as primeiras vítimas, e cujos inconvenientes acabam por compreender..
  • 38. Depois que tiverem sofrido o mal, procurarão o remédio no bem. A reação desses vícios serve, portanto, ao mesmo tempo de castigo para uns e de prova para outros. É assim que Deus faz sair o bem do mal, e que os próprios homens aproveitam as coisas más ou desagradáveis.
  • 39. Como se pode distinguir o bem do mal? Em . LE. 630.
  • 40. — O bem é tudo o que está de acordo com a lei de Deus, e o mal é tudo o que dela se afasta. Assim, fazer o bem é se conformar à lei de Deus; fazer o mal é infringir essa lei.
  • 41. O homem tem meios para distinguir por si mesmo o bem e o mal? Em . LE. 631.
  • 42. — Sim, quando ele crê em Deus e quando o quer saber. Deus lhe deu a inteligência para discernir um e outro.
  • 43. A regra do bem e do mal, que se poderia chamar de reciprocidade ou de solidariedade, não pode ser aplicada à conduta pessoal do homem para consigo mesmo. Encontra ele, na lei natural, a regra desta conduta e um guia seguro? . LE. 633..
  • 44. — Quando comeis demais, isso vos faz mal. Pois bem, é Deus que vos dá a medida do que vos falta. Quando a ultrapassais, sois punidos. O mesmo se dá com tudo o mais.
  • 45. A lei natural traça para o homem o limite das suas necessidades; quando ele o ultrapassa, é punido pelo sofrimento. Se o homem escutasse, em todas as coisas, essa voz que. diz: chega!, evitaria a maior parte dos males de que acusa a Natureza.
  • 46. JESUS É SINAL DE CONTRADIÇÃO
  • 47. Fora enviado para salvação, mas constitui-se no endurecimento de muitos. Quer salvar o mundo não por qualquer messianismo vingador, ou político, mas pela Paixão e pela Cruz. "Este menino é para a queda e o reerguimento de muitos em Israel; ele será um sinal sujeito a contradição". (Lucas, 2,34)
  • 48. Certa feita, disse: "Não vim trazer a paz, mas a divisão". Paulo descobriu que Cristo ou a cruz é "loucura para os que se perdem, mas para os que se salvam ela é o poder de Deus". Por ter sido incompreendido, mesmo pelos seus discípulos, vimos Judas Iscariotes vendendo-o por trinta dinheiros. (Léon-Dufour, 1972)
  • 49. O ESCÂNDALO DURARÁ PARA SEMPRE?
  • 50. 15 – Se assim é, dir-se-á, o mal é necessário e durará sempre, pois se viesse a desaparecer, Deus ficaria privado de um poderoso meio de castigar os culpados. É inútil, portanto, procurar melhorar os homens. Mas, se não houvesse culpados, não haveria necessidade de castigos.
  • 51. Suponhamos a humanidade transformada numa comunhão de homens de bem: nenhum procuraria fazer mal ao próximo, e todos seriam felizes, porque seriam bons. Tal é o estado dos mundos adiantados, dos quais o mal foi excluído.
  • 52. Tal será o estado da Terra, quando houver progredido suficientemente. Mas enquanto certos mundos avançam, outros se formam, povoados por Espíritos primitivos, e que servem ainda de morada, de exílio e de lugar de expiação para os Espíritos imperfeitos, rebeldes, obstinados no mal, rejeitados pelos mundos que se tornam felizes.
  • 53. Mas, ai daquele por quem vem o escândalo....
  • 54. 16 – Mas ai daquele por quem vem o escândalo: quer dizer que o mal sendo sempre o mal, aquele que serviu, sem o saber, de instrumento para a justiça divina, sendo utilizados os seus maus instintos, nem por isso deixou de fazer o mal, e deve ser punido.
  • 55. É assim, por exemplo, que um filho ingrato é uma punição ou uma prova para o pai que o suporta, porque esse pai talvez tenha sido um mau filho, que fez sofrer o seu pai, e agora sofre a pena de talião. Mas o filho não terá desculpas por isso, e deverá ser castigado por sua vez, através dos seus próprios filhos ou de outra maneira.
  • 56. A SIMBOLOGIA DO CORTAR AS MÃOS.
  • 57. 17 – Se tua mão te serve de causa de escândalo, corta-a: figura enérgica, que seria absurdo tomar-se ao pé da letra, e que significa simplesmente a necessidade de destruirmos em nós todas as causas de escândalo, ou seja, do mal.
  • 58. É necessário arrancar do coração todo sentimento impuro e toda tendência viciosa
  • 59. Quer dizer ainda que mais vale para o homem ter a mão cortada, do que esta ser para ele o instrumento de uma ação má; ser privado da vista, do que os seus olhos lhe servirem para maus pensamentos.
  • 60. Jesus nada disse de absurdo, para quem souber compreender o sentido alegórico e profundo das suas palavras; mas muitas coisas não podem ser compreendidas, sem a chave oferecida pelo Espiritismo.
  • 61. • BIBLIOGRAFIA CONSULTADA. • Palestra de Sérgio Biasi de Gregório. • ENCICLOPÉDIA LUSO-BRASILEIRA DE CULTURA. Lisboa: Verbo, [s. d. p.] • GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E BRASILEIRA. Lisboa/Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia, [s.d. p.] • KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed. São Paulo: IDE, 1984. • LEON-DUFOUR, X. et al. Vocabulário de Teologia Bíblica. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.
  • 62. Uma linda noite e uma Feliz Semana!

Notas do Editor

  1. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  2. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  3. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  4. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  5. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  6. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  7. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  8. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  9. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido