SlideShare uma empresa Scribd logo
AFABILIDADE E A DOÇURA
“A benevolênciapara comos seus semelhantes,fruto do amorao
próximo,produz a afabilidade e a doçura, quelhe são a formade
manifestar-se.”
Cap. IX – Bem-aventurados os Brandos e Pacíficos
Item 6 (Lázaro)
“Afabilidade é caridade no trato pessoal.”
(SINALVERDE)
Olá, meu irmão
 FALAR DA GENTILEZA DA RUDEZA
A bondade e a afabilidade são atributos essenciais dos Espíritos
depurados. Não têm ódio, nem aos homens, nem aos outros Espíritos.
Lamentam as fraquezas, criticam os erros, mas sempre com moderação,
sem fel e sem animosidade. Admita-se que os Espíritos
verdadeiramente bons não podem querer senão o bem e dizer senão
coisas boas e se concluirá que tudo o que denote, na linguagem dos
Espíritos, falta de bondade e de benignidade não pode provir de um
bom Espírito. (O LIVRO DOS MÉDIUNS, Item 264)
“A educaçãoe a freqüentaçãodo mundopodem dar ao homemo
vernizdessas qualidades.Quantos há cujafingidabonomianão
passa de máscara para o exterior,de uma roupagemcujotalhe
primorosodissimulaas deformidadesinteriores!”
“Entretanto, nem sempre há que fiar nas aparências.”
“Omundo está cheiodessas criaturasque têm noslábioso sorrisoe
nocoraçãoo veneno;que são brandas, desde que nada as agaste,
mas quemordemà menorcontrariedade; cujalíngua,de ouro
quandofalam pela frente,se muda em dardo peçonhento,quando
estão pordetrás.”
“A essa classe também pertencemesses homens,de exterior
benigno,que,tiranosdomésticos,fazem que suas famíliase seus
subordinadoslhes sofram o peso do orgulhoe do despotismo,como
a quereremdesforrar-sedo constrangimentoque,fora de casa, se
impõema si mesmos.”
“Nãose atrevendo a usar de autoridade para com os estranhos,que
oschamariam à ordem,acham que pelo menosdevem fazer-se
temidosdaquelesque lhes não podem resistir.Envaidecem-sede
poderemdizer: “Aquimandoe souobedecido”, sem lhes ocorrer
quepoderiamacrescentar:
“E soudetestado”.”
“Nãobasta que dos lábiosmanem leitee mel. Se o coraçãode modo
algumlhes está associado,só há hipocrisia. Aquelecujaafabilidade
e doçuranão são fingidasnuncase desmente:é o mesmo,tanto em
sociedade,comona intimidade.Esse, ao demais,sabe que se, pelas
aparências,se consegueenganaros homens, a Deusninguém
engana.”
 Felisberto
 Irritação, cólera e
agressividade no
ambiente familiar
 Crença na infalibilidade
 Sentimento de
privilégio
 Mascara a sua
personalidade no
ambiente familiar
Afabilidade e doçura
XAVIER, Francisco Cândido. Escrínio de Luz. Pelo Espírito Emmanuel
Com a franqueza agressiva, embora tocada
de boas intenções, não serás portador do
auxílio que desejas, conseguindo gerar tão
somente o desespero e a indisciplina.
Por outro lado, não é porque apregoas a
verdade, com rigor, que te farás abençoado
na vida; a irreflexão no serviço assistencial
agrava as doenças e multiplica os desastres.
Gentileza
Como eu tenho tratado aqueles que estão ao
meu lado na convivência familiar?
Como eu tenho tratado os meus colegas de
profissão ou trabalho voluntário?
Como eu tenho tratado o próximo mais
próximo de mim?
A ilha dos sentimentos
Afabilidade e doçura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
Francisco de Assis Alencar
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
grupodepaisceb
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
Fatoze
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
Graça Maciel
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
O Dever
O DeverO Dever
O Dever
CEENA_SS
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
Grupo Espírita Cristão
 
Os superiores e os inferiores
Os superiores e os inferioresOs superiores e os inferiores
Os superiores e os inferiores
Izabel Cristina Fonseca
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
Candice Gunther
 
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo EspiritismoCapítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Jean Dias
 
O homem no mundo
O homem no mundoO homem no mundo
O homem no mundo
Manoel Gamas
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
Jorge Luiz dos Santos
 
Indulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.netIndulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.net
Fórum Espírita
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
Semente de Esperança
 
Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28
Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28
Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28
Patricia Farias
 

Mais procurados (20)

Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Indulgencia
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
A cólera - E.S.E. Cap IX itens 9 e 10
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
O Dever
O DeverO Dever
O Dever
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
 
Os superiores e os inferiores
Os superiores e os inferioresOs superiores e os inferiores
Os superiores e os inferiores
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo EspiritismoCapítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
 
O homem no mundo
O homem no mundoO homem no mundo
O homem no mundo
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
 
Indulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.netIndulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.net
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
 
Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28
Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28
Livro dos Espíritos Q.334 - Evangelho Cap. 28
 

Destaque

Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º anoBem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Roseli Lemes
 
Cap. 09 Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)
Cap. 09   Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)Cap. 09   Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)
Cap. 09 Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)
Edvaldok1958
 
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
Joao Minelli Neto
 
As bem aventuranças!
As bem aventuranças!As bem aventuranças!
As bem aventuranças!
Leonardo Pereira
 
A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro 1861)
A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro   1861)A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro   1861)
A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro 1861)
marcia cristina da silva souza
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
Grupo Espírita Cristão
 
Como Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra EspiritaComo Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra Espirita
Fórum Espírita
 

Destaque (7)

Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º anoBem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
 
Cap. 09 Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)
Cap. 09   Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)Cap. 09   Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)
Cap. 09 Bem aventurados os brandos e pacíficos ( fazer a diferença)
 
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
 
As bem aventuranças!
As bem aventuranças!As bem aventuranças!
As bem aventuranças!
 
A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro 1861)
A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro   1861)A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro   1861)
A afabilidade e a doçura (benfeitor espiritual lázaro 1861)
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
 
Como Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra EspiritaComo Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra Espirita
 

Semelhante a Afabilidade e doçura

Vicios problemas 6
Vicios problemas 6Vicios problemas 6
Vicios problemas 6
Patricia Simoes
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
Leonardo Pereira
 
A escolha de companheiros - livro
A escolha de companheiros - livroA escolha de companheiros - livro
A escolha de companheiros - livro
Silvio Dutra
 
Inveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docxInveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docx
Marta Gomes
 
Sobre a inveja
Sobre a invejaSobre a inveja
Sobre a inveja
Helio Cruz
 
A caridade da lingua
A caridade da linguaA caridade da lingua
A caridade da lingua
Helio Cruz
 
Jornal Cáritas março 2013
Jornal Cáritas março 2013Jornal Cáritas março 2013
Jornal Cáritas março 2013
casaespiritachicoxavierijui
 
A caridade da língua
A caridade da línguaA caridade da língua
A caridade da língua
Helio Cruz
 
Os duelos da atualidade
Os duelos da atualidadeOs duelos da atualidade
Os duelos da atualidade
Henrique Vieira
 
A escolha de companheiros
A escolha de companheirosA escolha de companheiros
A escolha de companheiros
Silvio Dutra
 
A inveja
A invejaA inveja
A inveja
Helio Cruz
 
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
Marta Gomes
 
A MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIAA MALEDICÊNCIA
LE Q.913 ESE cap13_item15
LE Q.913 ESE cap13_item15LE Q.913 ESE cap13_item15
LE Q.913 ESE cap13_item15
Patricia Farias
 
LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11
Patricia Farias
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Ponte de Luz ASEC
 
Vírus destruidor divaldo p. franco joanna de ângelis
Vírus destruidor   divaldo p. franco   joanna de ângelisVírus destruidor   divaldo p. franco   joanna de ângelis
Vírus destruidor divaldo p. franco joanna de ângelis
Carlos Steigleder
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Ponte de Luz ASEC
 
Ese cap. vii - itens 12 e 13
Ese   cap. vii - itens 12 e 13Ese   cap. vii - itens 12 e 13
Ese cap. vii - itens 12 e 13
Paularp2326
 

Semelhante a Afabilidade e doçura (20)

Vicios problemas 6
Vicios problemas 6Vicios problemas 6
Vicios problemas 6
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
 
A escolha de companheiros - livro
A escolha de companheiros - livroA escolha de companheiros - livro
A escolha de companheiros - livro
 
Inveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docxInveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docx
 
Sobre a inveja
Sobre a invejaSobre a inveja
Sobre a inveja
 
A caridade da lingua
A caridade da linguaA caridade da lingua
A caridade da lingua
 
Jornal Cáritas março 2013
Jornal Cáritas março 2013Jornal Cáritas março 2013
Jornal Cáritas março 2013
 
A caridade da língua
A caridade da línguaA caridade da língua
A caridade da língua
 
Os duelos da atualidade
Os duelos da atualidadeOs duelos da atualidade
Os duelos da atualidade
 
A escolha de companheiros
A escolha de companheirosA escolha de companheiros
A escolha de companheiros
 
A inveja
A invejaA inveja
A inveja
 
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
 
A MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIAA MALEDICÊNCIA
A MALEDICÊNCIA
 
LE Q.913 ESE cap13_item15
LE Q.913 ESE cap13_item15LE Q.913 ESE cap13_item15
LE Q.913 ESE cap13_item15
 
LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11LE 893 ESE_cap13_item11
LE 893 ESE_cap13_item11
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Vírus destruidor divaldo p. franco joanna de ângelis
Vírus destruidor   divaldo p. franco   joanna de ângelisVírus destruidor   divaldo p. franco   joanna de ângelis
Vírus destruidor divaldo p. franco joanna de ângelis
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Ese cap. vii - itens 12 e 13
Ese   cap. vii - itens 12 e 13Ese   cap. vii - itens 12 e 13
Ese cap. vii - itens 12 e 13
 

Mais de Lorena Dias

Anjo da guarda em nossas vidas
Anjo da guarda em nossas vidasAnjo da guarda em nossas vidas
Anjo da guarda em nossas vidas
Lorena Dias
 
O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
Lorena Dias
 
Cura real e cura aparente
Cura real e cura aparenteCura real e cura aparente
Cura real e cura aparente
Lorena Dias
 
Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
Lorena Dias
 
Primeira escola
Primeira escolaPrimeira escola
Primeira escola
Lorena Dias
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
Lorena Dias
 
Vibrações compensadas lar de amor
Vibrações compensadas   lar de amorVibrações compensadas   lar de amor
Vibrações compensadas lar de amor
Lorena Dias
 

Mais de Lorena Dias (7)

Anjo da guarda em nossas vidas
Anjo da guarda em nossas vidasAnjo da guarda em nossas vidas
Anjo da guarda em nossas vidas
 
O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
 
Cura real e cura aparente
Cura real e cura aparenteCura real e cura aparente
Cura real e cura aparente
 
Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
 
Primeira escola
Primeira escolaPrimeira escola
Primeira escola
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
Vibrações compensadas lar de amor
Vibrações compensadas   lar de amorVibrações compensadas   lar de amor
Vibrações compensadas lar de amor
 

Último

Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 

Último (15)

Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 

Afabilidade e doçura

  • 1. AFABILIDADE E A DOÇURA
  • 2. “A benevolênciapara comos seus semelhantes,fruto do amorao próximo,produz a afabilidade e a doçura, quelhe são a formade manifestar-se.” Cap. IX – Bem-aventurados os Brandos e Pacíficos Item 6 (Lázaro) “Afabilidade é caridade no trato pessoal.” (SINALVERDE)
  • 4.  FALAR DA GENTILEZA DA RUDEZA
  • 5. A bondade e a afabilidade são atributos essenciais dos Espíritos depurados. Não têm ódio, nem aos homens, nem aos outros Espíritos. Lamentam as fraquezas, criticam os erros, mas sempre com moderação, sem fel e sem animosidade. Admita-se que os Espíritos verdadeiramente bons não podem querer senão o bem e dizer senão coisas boas e se concluirá que tudo o que denote, na linguagem dos Espíritos, falta de bondade e de benignidade não pode provir de um bom Espírito. (O LIVRO DOS MÉDIUNS, Item 264)
  • 6. “A educaçãoe a freqüentaçãodo mundopodem dar ao homemo vernizdessas qualidades.Quantos há cujafingidabonomianão passa de máscara para o exterior,de uma roupagemcujotalhe primorosodissimulaas deformidadesinteriores!” “Entretanto, nem sempre há que fiar nas aparências.”
  • 7. “Omundo está cheiodessas criaturasque têm noslábioso sorrisoe nocoraçãoo veneno;que são brandas, desde que nada as agaste, mas quemordemà menorcontrariedade; cujalíngua,de ouro quandofalam pela frente,se muda em dardo peçonhento,quando estão pordetrás.”
  • 8. “A essa classe também pertencemesses homens,de exterior benigno,que,tiranosdomésticos,fazem que suas famíliase seus subordinadoslhes sofram o peso do orgulhoe do despotismo,como a quereremdesforrar-sedo constrangimentoque,fora de casa, se impõema si mesmos.”
  • 9. “Nãose atrevendo a usar de autoridade para com os estranhos,que oschamariam à ordem,acham que pelo menosdevem fazer-se temidosdaquelesque lhes não podem resistir.Envaidecem-sede poderemdizer: “Aquimandoe souobedecido”, sem lhes ocorrer quepoderiamacrescentar: “E soudetestado”.”
  • 10. “Nãobasta que dos lábiosmanem leitee mel. Se o coraçãode modo algumlhes está associado,só há hipocrisia. Aquelecujaafabilidade e doçuranão são fingidasnuncase desmente:é o mesmo,tanto em sociedade,comona intimidade.Esse, ao demais,sabe que se, pelas aparências,se consegueenganaros homens, a Deusninguém engana.”
  • 11.  Felisberto  Irritação, cólera e agressividade no ambiente familiar  Crença na infalibilidade  Sentimento de privilégio  Mascara a sua personalidade no ambiente familiar
  • 13. XAVIER, Francisco Cândido. Escrínio de Luz. Pelo Espírito Emmanuel Com a franqueza agressiva, embora tocada de boas intenções, não serás portador do auxílio que desejas, conseguindo gerar tão somente o desespero e a indisciplina. Por outro lado, não é porque apregoas a verdade, com rigor, que te farás abençoado na vida; a irreflexão no serviço assistencial agrava as doenças e multiplica os desastres.
  • 15. Como eu tenho tratado aqueles que estão ao meu lado na convivência familiar? Como eu tenho tratado os meus colegas de profissão ou trabalho voluntário? Como eu tenho tratado o próximo mais próximo de mim?
  • 16. A ilha dos sentimentos