SlideShare uma empresa Scribd logo
A MALEDICÊNCIA - NÃO FALES MAL DE NINGUEM - Livro:. ESSENCIA DA AMIZADE – Huberto Rohden
“Toda pessoa não suficientemente realizada em si mesma tem a instintiva tendência de falar mal dos
outros.
Qual a razão última dessa mania de maledicência?
É um complexo de inferioridade unido a um desejo de superioridade. Diminuir o valor dos outros dá-nos
a grata ilusão de aumentar o nosso valor próprio.
- A imensa maioria dos homens não está em condições de medir o seu valor por si mesma.
Necessita medir o seu próprio valor pelo desvalor dos outros.
Esses homens julgam necessário apagar luzes alheias a fim de fazerem brilhar mais intensamente a sua
própria luz.
- São como vaga-lumes que não podem luzir senão por entre as trevas da noite, porque a luz das suas
lanternas fosfóreas é muito fraca.
Quem tem bastante luz própria não necessita apagar ou diminuir as luzes dos outros para poder brilhar.
Quem tem valor real em si mesmo não necessita medir o seu valor pelo desvalor dos outros.
Quem tem vigorosa saúde espiritual não necessita chamar doentes os outros para gozar a consciência da saúde
própria.”
As nossas reuniões sociais, os nossos bate-papos são, em geral, academias de maledicência.
Falar mal das misérias alheias é um prazer tão sutil e sedutor – algo parecido com whisky, gin
ou cocaína – que uma pessoa de saúde moral precária facilmente sucumbe a essa epidemia.”
A palavra é instrumento valioso para o intercâmbio entre os homens.
Ela, porém, nem sempre tem sido utilizada devidamente.
Poucos são os homens que se valem desse precioso recurso para construir esperanças,
balsamizar dores e traçar rotas seguras.
Fala-se muito por falar, para “matar tempo”.
A palavra, não poucas vezes, converte-se em estilete da impiedade, em lâmina da maledicência
e em bisturi da revolta.
Semelhantes a gotas de luz, as boas palavras dirigem conflitos e resolvem dificuldades.
Falando, espíritos missionários reformularam os alicerces do pensamento humano.
Falando, não há muito, Hitler hipnotizou multidões, enceguecidas que se atiraram sobre outras
nações, transformando-as em ruínas.
Guerras e planos de paz sofrem a poderosa influência da palavra.
Há quem pronuncie palavras doces, com lábios encharcados pelo fel.
Há aqueles que falam meigamente, cheios de ira e ódio.
São enfermos em demorado processo de reajuste.
Portanto, cabe às pessoas lúcidas e de bom senso, não dar ensejo para que o veneno da
maledicência se alastre, infelicitando e destruindo vidas.
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro A essência da
amizade, e no capítulo 35 do livro Convites da vida, de Divaldo Pereira Franco,
ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.
Desculpemos a fragilidade alheia, lembrando-nos das nossas próprias
fraquezas.
Evitemos a censura.
A maledicência começa na palavra do reproche inoportuno.
Se desejamos educar, reparar erros, não os abordemos estando o responsável
ausente.
Toda a palavra torpe, como qualquer censura contumaz, faz-se hábito negativo
que culmina por envilecer o caráter de quem com isso se compraz.
Enriqueçamos o coração de amor e banhemos a mente com as luzes da
misericórdia divina.
Porque, de acordo com o Evangelho de Lucas, “a boca fala do que está cheio o
coração”.
LE 903 - LEIS MORAIS – CAP.XII – PERFEIÇÃO MORAL- VIRTUDES E VÍCIOS
903. Incorre em culpa o homem, por estudar os defeitos alheios?
“Incorrerá em grande culpa, se o fizer para os criticar e divulgar, porque será faltar com a caridade.
Se o fizer, para tirar daí proveito, para evitá-los, tal estudo poderá ser-lhe de alguma utilidade.
Importa, porém, não esquecer que a indulgência para com os defeitos de outrem é uma das
virtudes contidas na caridade.
Antes de censurardes as imperfeições dos outros, vede se de vós não poderão dizer o mesmo.
Tratai, pois, de possuir as qualidades opostas aos defeitos que criticais no vosso semelhante.
Esse o meio de vos tornardes superiores a ele.
Se lhe censurais a ser avaro, sede generosos; se o ser orgulhoso, sede humildes
e modestos; se o ser áspero, sede brandos; se o proceder com pequenez, sede
grandes em todas as vossas ações.
Numa palavra, fazei por maneira que se não vos possam aplicar estas
palavras de Jesus: Vê o argueiro no olho do seu vizinho e não vê a
trave no seu próprio.”
DESEJOS ALHEIOS – Espirito Miramez
Não é justo nos preocuparmos com os defeitos alheios no sentido vulgar, procurando
menosprezar os valores de outrem. Somente nascem essas ideias na mente
incapaz de experimentar o amor, de quem não se lembra dos ensinamentos de
Jesus a nos ensinar a benevolência.
Cada criatura é um mundo em particular; toda alma é um campo de plantio, onde
o que se semeia, germina, onde o cuidado multiplica, onde o que se abençoa,
aumenta.
Quando procuramos nos interessar em divulgar os erros dos outros, os nossos
se escondem, prejudicando muito nossa ascensão espiritual.
Incorreremos em grande falta, se colocarmos à vista as falhas alheias, como
críticos. As leis nos cedem esse exame nos outros, se a intenção for de
aprendermos, sem que outros participem, por simples prazer, da nossa
especulação. Em cada alma, na faixa em que se encontra na Terra, existem muitas
arestas a serem aparadas, e isso somente os seus portadores podem fazê-lo.
Não deves criar problemas para os teus irmãos; cuida de ti mesmo.
Assim fazendo, a tua vida será melhor.
Deves desentulhar gradativamente tua consciência das chamas que o passado
concentrou, que em todos esses esforços aparecerão mãos invisíveis para te
ajudar em nome de Deus, pelos canais do Cristo.
Estudando os outros com a finalidade de melhorar, serás bem aventurado, desde
quando o silêncio seja teu companheiro em todos os aspectos das observações.
O mais difícil de ser conhecido no mundo é a própria alma; o obstáculo mais
difícil de vencer é educar a si mesmo, em todas as suas etapas evolutivas.
O nosso maior dever é fortalecer em nós a indulgência para com os outros.
Esse é o ponto alto de um coração iluminado.
Os nossos irmãos são filhos de Deus, com os mesmos direitos e deveres no
certame da vida.
A indulgência é a caridade em brilho maior, que abre os melhores caminhos para
quem a possui.
Antes de censurares as imperfeições dos outros, olha o que
estás fazendo da vida, que a tua consciência em Cristo
responderá, na luz do Seu amor.
Geralmente os defeitos que criticas, tu os possuis com
fartura.
Se a honestidade clarear a tua mente, notarás a justiça te
indicando outros caminhos a serem percorridos, de maneira
que a luz te leve à paz.
Se queres ser superior, não exponhas as faltas alheias;
eleva-te pelo amor, engrandece-te pela fraternidade e a
gratidão aos que te rodeiam. Somente Jesus veio nos trazer
e mostrar pelos exemplos o que devemos fazer com mais
acerto, para nos tornarmos livres.
A vida, em muitos aspectos, e os meios que te encontram
na estadia passageira, te incentivam para o orgulho, para
a vaidade e o egoísmo.
Mas, se o Cristo já nasceu em teu coração, faça a tua
parte na corrigenda de ti mesmo, acendendo a luz das
virtudes, para que sejas teu próprio sol, em toda a
extensão da vida.
Quando estamos fora da lei de Deus e queremos
modificar nossas vidas, encontramos tropeços em todos
os passos.
É Marcos que nos diz, anotado no capítulo quatorze, versículo
setenta e um:
PEDRO - começou a praguejar e a jurar: Não conheço esse
homem de quem falais!
Mesmo sendo o discípulo da confiança do Mestre, a natureza
interna de Pedro rejeitou a firmeza em entregar de imediato a
sua vida em favor da verdade.
Assim somos todos nós; quando abraçamos a verdade
internamente, por vezes inconscientemente rejeitamos a luz que
iria nos tornar livres.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Separação da alma e do corpo
Separação da alma e do corpoSeparação da alma e do corpo
Separação da alma e do corpo
Izabel Cristina Fonseca
 
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o EspiritismoAs Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
Antonino Silva
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Denise Aguiar
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
Da Lei de Liberdade
Da Lei de LiberdadeDa Lei de Liberdade
Da Lei de Liberdade
home
 
Obsessão do ponto de vista espírita
Obsessão do ponto de vista espíritaObsessão do ponto de vista espírita
Obsessão do ponto de vista espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
igmateus
 
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira). Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado
meebpeixotinho
 
Cuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do Espírito
CEENA_SS
 
Influencia dos Espiritos
Influencia dos EspiritosInfluencia dos Espiritos
Influencia dos Espiritos
EHMANA
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
Divulgador do Espiritismo
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
igmateus
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
Grupo Espírita Cristão
 
Ajuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudaráAjuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudará
Lisete B.
 
Pedi e obtereis - Desejo e Intenção
Pedi e obtereis - Desejo e IntençãoPedi e obtereis - Desejo e Intenção
Pedi e obtereis - Desejo e Intenção
Ricardo Azevedo
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
meebpeixotinho
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
igmateus
 

Mais procurados (20)

Separação da alma e do corpo
Separação da alma e do corpoSeparação da alma e do corpo
Separação da alma e do corpo
 
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o EspiritismoAs Penas Futuras Segundo o Espiritismo
As Penas Futuras Segundo o Espiritismo
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
Da Lei de Liberdade
Da Lei de LiberdadeDa Lei de Liberdade
Da Lei de Liberdade
 
Obsessão do ponto de vista espírita
Obsessão do ponto de vista espíritaObsessão do ponto de vista espírita
Obsessão do ponto de vista espírita
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
 
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira). Palestra sobre O  livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
Palestra sobre O livro dos espíritos ( Leonardo Pereira).
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado
 
Cuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do Espírito
 
Influencia dos Espiritos
Influencia dos EspiritosInfluencia dos Espiritos
Influencia dos Espiritos
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
 
Ajuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudaráAjuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudará
 
Pedi e obtereis - Desejo e Intenção
Pedi e obtereis - Desejo e IntençãoPedi e obtereis - Desejo e Intenção
Pedi e obtereis - Desejo e Intenção
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 

Semelhante a A MALEDICÊNCIA

Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Victor Passos
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Ponte de Luz ASEC
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Claudio Duarte Sá
 
O problema do ressentimento
O problema do ressentimentoO problema do ressentimento
O problema do ressentimento
Wanderley da Silva
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Marta Gomes
 
( Espiritismo) # - africa espirita - doutrina espirita e consolo
( Espiritismo)   # - africa espirita - doutrina espirita e consolo( Espiritismo)   # - africa espirita - doutrina espirita e consolo
( Espiritismo) # - africa espirita - doutrina espirita e consolo
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Críticos impiedosos
Críticos impiedososCríticos impiedosos
Críticos impiedosos
Bernadete Costa
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Ponte de Luz ASEC
 
Apresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de EspiritismoApresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de Espiritismo
Flávio Darin Buongermino
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
Dalila Melo
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
Leonardo Pereira
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita Contender
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita ContenderSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita Contender
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita Contender
Ricardo Azevedo
 
120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin
120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin
120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Não fales mal de ninguém
Não fales mal de ninguémNão fales mal de ninguém
Não fales mal de ninguém
Helio Cruz
 
Incompatibilidade de genios
Incompatibilidade de geniosIncompatibilidade de genios
Incompatibilidade de genios
Home
 
Nunca fales
Nunca falesNunca fales
Nunca fales
CarmemAmaral
 
Dor e bênção
Dor e bênçãoDor e bênção
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem! Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Leonardo Pereira
 
Reflexões
ReflexõesReflexões
Reflexões
ADEP Portugal
 
Etio bolt2012 2 mar abr total pdf
Etio bolt2012 2 mar abr total pdfEtio bolt2012 2 mar abr total pdf
Etio bolt2012 2 mar abr total pdf
etiotio
 

Semelhante a A MALEDICÊNCIA (20)

Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
O problema do ressentimento
O problema do ressentimentoO problema do ressentimento
O problema do ressentimento
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
 
( Espiritismo) # - africa espirita - doutrina espirita e consolo
( Espiritismo)   # - africa espirita - doutrina espirita e consolo( Espiritismo)   # - africa espirita - doutrina espirita e consolo
( Espiritismo) # - africa espirita - doutrina espirita e consolo
 
Críticos impiedosos
Críticos impiedososCríticos impiedosos
Críticos impiedosos
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Apresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de EspiritismoApresentação - Curso Básico de Espiritismo
Apresentação - Curso Básico de Espiritismo
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita Contender
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita ContenderSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita Contender
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 98 - Evita Contender
 
120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin
120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin
120979601 cirurgia-moral-joao-nunes-maia-espirito-de-lancellin
 
Não fales mal de ninguém
Não fales mal de ninguémNão fales mal de ninguém
Não fales mal de ninguém
 
Incompatibilidade de genios
Incompatibilidade de geniosIncompatibilidade de genios
Incompatibilidade de genios
 
Nunca fales
Nunca falesNunca fales
Nunca fales
 
Dor e bênção
Dor e bênçãoDor e bênção
Dor e bênção
 
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem! Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
Evangelhoterapia - a cura espiritual do Homem!
 
Reflexões
ReflexõesReflexões
Reflexões
 
Etio bolt2012 2 mar abr total pdf
Etio bolt2012 2 mar abr total pdfEtio bolt2012 2 mar abr total pdf
Etio bolt2012 2 mar abr total pdf
 

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ

VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITAVICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
AS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMAAS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdfAUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docxA PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docxIMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
DROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITADROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 BUDA  - HERMANN HESSE.pptx BUDA  - HERMANN HESSE.pptx
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃOO FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docxNOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO . PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMADEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptxNIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADEAUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um  uma pedra preciosa adormecida. Somos como um  uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
REFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIORREFORMA INTERIOR

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ (20)

VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITAVICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
 
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
 
AS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMAAS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMA
 
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdfAUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
 
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docxA PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
 
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
 
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docxIMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
 
DROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITADROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITA
 
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 BUDA  - HERMANN HESSE.pptx BUDA  - HERMANN HESSE.pptx
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃOO FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
 
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docxNOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
 
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO . PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
 
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMADEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
 
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
 
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptxNIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
 
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADEAUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
 
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um  uma pedra preciosa adormecida. Somos como um  uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
 
REFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIORREFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIOR
 

Último

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (18)

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 

A MALEDICÊNCIA

  • 1. A MALEDICÊNCIA - NÃO FALES MAL DE NINGUEM - Livro:. ESSENCIA DA AMIZADE – Huberto Rohden “Toda pessoa não suficientemente realizada em si mesma tem a instintiva tendência de falar mal dos outros. Qual a razão última dessa mania de maledicência? É um complexo de inferioridade unido a um desejo de superioridade. Diminuir o valor dos outros dá-nos a grata ilusão de aumentar o nosso valor próprio. - A imensa maioria dos homens não está em condições de medir o seu valor por si mesma. Necessita medir o seu próprio valor pelo desvalor dos outros. Esses homens julgam necessário apagar luzes alheias a fim de fazerem brilhar mais intensamente a sua própria luz. - São como vaga-lumes que não podem luzir senão por entre as trevas da noite, porque a luz das suas lanternas fosfóreas é muito fraca. Quem tem bastante luz própria não necessita apagar ou diminuir as luzes dos outros para poder brilhar. Quem tem valor real em si mesmo não necessita medir o seu valor pelo desvalor dos outros. Quem tem vigorosa saúde espiritual não necessita chamar doentes os outros para gozar a consciência da saúde própria.” As nossas reuniões sociais, os nossos bate-papos são, em geral, academias de maledicência. Falar mal das misérias alheias é um prazer tão sutil e sedutor – algo parecido com whisky, gin ou cocaína – que uma pessoa de saúde moral precária facilmente sucumbe a essa epidemia.”
  • 2. A palavra é instrumento valioso para o intercâmbio entre os homens. Ela, porém, nem sempre tem sido utilizada devidamente. Poucos são os homens que se valem desse precioso recurso para construir esperanças, balsamizar dores e traçar rotas seguras. Fala-se muito por falar, para “matar tempo”. A palavra, não poucas vezes, converte-se em estilete da impiedade, em lâmina da maledicência e em bisturi da revolta. Semelhantes a gotas de luz, as boas palavras dirigem conflitos e resolvem dificuldades. Falando, espíritos missionários reformularam os alicerces do pensamento humano. Falando, não há muito, Hitler hipnotizou multidões, enceguecidas que se atiraram sobre outras nações, transformando-as em ruínas. Guerras e planos de paz sofrem a poderosa influência da palavra. Há quem pronuncie palavras doces, com lábios encharcados pelo fel. Há aqueles que falam meigamente, cheios de ira e ódio. São enfermos em demorado processo de reajuste. Portanto, cabe às pessoas lúcidas e de bom senso, não dar ensejo para que o veneno da maledicência se alastre, infelicitando e destruindo vidas.
  • 3. Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro A essência da amizade, e no capítulo 35 do livro Convites da vida, de Divaldo Pereira Franco, ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Desculpemos a fragilidade alheia, lembrando-nos das nossas próprias fraquezas. Evitemos a censura. A maledicência começa na palavra do reproche inoportuno. Se desejamos educar, reparar erros, não os abordemos estando o responsável ausente. Toda a palavra torpe, como qualquer censura contumaz, faz-se hábito negativo que culmina por envilecer o caráter de quem com isso se compraz. Enriqueçamos o coração de amor e banhemos a mente com as luzes da misericórdia divina. Porque, de acordo com o Evangelho de Lucas, “a boca fala do que está cheio o coração”.
  • 4. LE 903 - LEIS MORAIS – CAP.XII – PERFEIÇÃO MORAL- VIRTUDES E VÍCIOS 903. Incorre em culpa o homem, por estudar os defeitos alheios? “Incorrerá em grande culpa, se o fizer para os criticar e divulgar, porque será faltar com a caridade. Se o fizer, para tirar daí proveito, para evitá-los, tal estudo poderá ser-lhe de alguma utilidade. Importa, porém, não esquecer que a indulgência para com os defeitos de outrem é uma das virtudes contidas na caridade. Antes de censurardes as imperfeições dos outros, vede se de vós não poderão dizer o mesmo. Tratai, pois, de possuir as qualidades opostas aos defeitos que criticais no vosso semelhante. Esse o meio de vos tornardes superiores a ele. Se lhe censurais a ser avaro, sede generosos; se o ser orgulhoso, sede humildes e modestos; se o ser áspero, sede brandos; se o proceder com pequenez, sede grandes em todas as vossas ações. Numa palavra, fazei por maneira que se não vos possam aplicar estas palavras de Jesus: Vê o argueiro no olho do seu vizinho e não vê a trave no seu próprio.”
  • 5. DESEJOS ALHEIOS – Espirito Miramez Não é justo nos preocuparmos com os defeitos alheios no sentido vulgar, procurando menosprezar os valores de outrem. Somente nascem essas ideias na mente incapaz de experimentar o amor, de quem não se lembra dos ensinamentos de Jesus a nos ensinar a benevolência. Cada criatura é um mundo em particular; toda alma é um campo de plantio, onde o que se semeia, germina, onde o cuidado multiplica, onde o que se abençoa, aumenta. Quando procuramos nos interessar em divulgar os erros dos outros, os nossos se escondem, prejudicando muito nossa ascensão espiritual. Incorreremos em grande falta, se colocarmos à vista as falhas alheias, como críticos. As leis nos cedem esse exame nos outros, se a intenção for de aprendermos, sem que outros participem, por simples prazer, da nossa especulação. Em cada alma, na faixa em que se encontra na Terra, existem muitas arestas a serem aparadas, e isso somente os seus portadores podem fazê-lo.
  • 6. Não deves criar problemas para os teus irmãos; cuida de ti mesmo. Assim fazendo, a tua vida será melhor. Deves desentulhar gradativamente tua consciência das chamas que o passado concentrou, que em todos esses esforços aparecerão mãos invisíveis para te ajudar em nome de Deus, pelos canais do Cristo. Estudando os outros com a finalidade de melhorar, serás bem aventurado, desde quando o silêncio seja teu companheiro em todos os aspectos das observações. O mais difícil de ser conhecido no mundo é a própria alma; o obstáculo mais difícil de vencer é educar a si mesmo, em todas as suas etapas evolutivas. O nosso maior dever é fortalecer em nós a indulgência para com os outros. Esse é o ponto alto de um coração iluminado. Os nossos irmãos são filhos de Deus, com os mesmos direitos e deveres no certame da vida. A indulgência é a caridade em brilho maior, que abre os melhores caminhos para quem a possui.
  • 7. Antes de censurares as imperfeições dos outros, olha o que estás fazendo da vida, que a tua consciência em Cristo responderá, na luz do Seu amor. Geralmente os defeitos que criticas, tu os possuis com fartura. Se a honestidade clarear a tua mente, notarás a justiça te indicando outros caminhos a serem percorridos, de maneira que a luz te leve à paz. Se queres ser superior, não exponhas as faltas alheias; eleva-te pelo amor, engrandece-te pela fraternidade e a gratidão aos que te rodeiam. Somente Jesus veio nos trazer e mostrar pelos exemplos o que devemos fazer com mais acerto, para nos tornarmos livres.
  • 8. A vida, em muitos aspectos, e os meios que te encontram na estadia passageira, te incentivam para o orgulho, para a vaidade e o egoísmo. Mas, se o Cristo já nasceu em teu coração, faça a tua parte na corrigenda de ti mesmo, acendendo a luz das virtudes, para que sejas teu próprio sol, em toda a extensão da vida. Quando estamos fora da lei de Deus e queremos modificar nossas vidas, encontramos tropeços em todos os passos.
  • 9. É Marcos que nos diz, anotado no capítulo quatorze, versículo setenta e um: PEDRO - começou a praguejar e a jurar: Não conheço esse homem de quem falais! Mesmo sendo o discípulo da confiança do Mestre, a natureza interna de Pedro rejeitou a firmeza em entregar de imediato a sua vida em favor da verdade. Assim somos todos nós; quando abraçamos a verdade internamente, por vezes inconscientemente rejeitamos a luz que iria nos tornar livres.