SlideShare uma empresa Scribd logo
Lei de destruição Livro dos
Espíritos – perguntas. 746 a 765
Prece por um criminoso
Senhor, Deus de misericórdia, não repilas esse criminoso
   que acaba de deixar a Terra. A justiça dos homens o
castigou, mas não o isentou da tua, se o remorso não lhe
                   penetrou o coração.
Tira-lhe dos olhos a venda que lhe oculta a gravidade de
 suas faltas. Possa o seu arrependimento merecer de ti
acolhimento benévolo e abrandar os sofrimentos de sua
 alma! Possam também as nossas preces e a intercessão
   dos bons Espíritos levar-lhe esperança e consolação;
  inspirar-lhe o desejo de reparar suas ações más numa
 nova existência e dar-lhe forças para não sucumbir nas
             novas lutas em que se empenhar!
                 Senhor, tem piedade dele!
     Prece contida na obra “O Evangelho Segundo o
                        Espiritismo
O Assassínio


 Culposo
 Doloso
 Legítima defesa
 Estado de necessidade
 Na Guerra

“Deus é justo, julga mais pela intenção do que pelo fato” L.E. Perg.747
Caridade para com os criminosos
     Evang. Segundo o Esp. Cap. XI, item 14
“Brevemente, quando os homens forem levados à prática das verdadeiras
leis de Deus, esses ensinamentos não serão mais necessários, e todos os
Espíritos impuros serão dispersados pelos mundos inferiores, de acordo com
as suas tendências.
      Deveis a esses de que vos falo o socorro de vossas preces: eis a
verdadeira caridade. Não deveis dizer de um criminoso: “É um miserável;
deve ser extirpado da Terra; a morte que se lhe inflige é muito branda para
uma criatura dessa espécie”. Não, não é assim que deveis falar! Pensai no
vosso modelo, que é Jesus. Que diria ele, se visse esse infeliz ao seu lado?
Havia de lastimá-lo, considerá-lo como um doente muito necessitado, e lhe
estenderia a mão. Não podeis, na verdade, fazer o mesmo, mas pelo menos
podeis orar por ele, dar-lhe assistência espiritual durante os instantes que
ainda deve permanecer na Terra. O arrependimento pode tocar-lhe o
coração, se orardes com fé. É vosso próximo, como o melhor dentre os
homens. Sua alma, transviada e revoltada, foi criada, como a vossa, para se
aperfeiçoar. Ajudai-o, pois, a sair do lamaçal, e orai por ele.”
Crueldade
L.E. perg. 752. Pode-se á ligar o sentimento de crueldade ao instinto de
destruição?
         A crueldade é o que tem de pior no instinto de destruição. A
destruição constitui uma necessidade. Mas, o mesmo não se dá com a
crueldade, que é sempre resultado de uma natureza má.
         A crueldade é consequência do atraso no desenvolvimento do
senso moral. Tanto no homem cruel como nos selvagens, embora o
possuam, o senso moral se encontra em estado rudimentar. À medida que
vão desenvolvendo este senso, neutralizam os instintos
materiais, tornando-se bons e humanos
Crueldade
                                  O Bem e o mal
629 Que definição se pode dar à moral?
– A moral é a regra do bem proceder, ou seja, a que permite distinguir entre o
bem e o mal. Ela é fundada sobre o cumprimento da lei de Deus. O homem
procede bem quando faz tudo para o bem de todos porque, então, cumpre a lei
de Deus.
630 Como se pode distinguir o bem e o mal?
– O bem é tudo o que está conforme a lei de Deus; o mal, tudo o que é contrário.
Assim, fazer o bem é proceder conforme a lei de Deus; fazer o mal é infringir essa
lei.
631 O homem tem, por si mesmo, meios de distinguir o bem do mal?
– Sim, quando crê em Deus e de fato quer saber porque Deus lhe deu a
inteligência para distinguir um do outro.
632 O homem, sujeito ao erro como está, não pode se enganar no julgamento do
bem e do mal e acreditar que faz o bem quando, na realidade, faz o mal?
– Jesus disse: “o que quereis que os homens vos façam, fazei-o também vós a
eles”. Tudo está aí resumido. Vós não vos enganareis.
O Progresso da Humanidade
A transição para o planeta de regeneração.
Com o progresso da humanidade, os espíritos em quem ainda
domina o instinto do mal irão desaparecendo gradualmente. Mas
renascerão sob outros invólucros, com mais experiência, que o farão
compreender o bem e o mal.
À exemplo das plantas e dos animais, que o homem conseguiu
aperfeiçoar, desenvolvendo neles novas qualidades, estes espíritos
também progredirão. Serão necessárias, contudo, muitas gerações
para que esse desenvolvimento se torne completo. (L.E perg. 756)
O duelo – Evang. Segundo
  o Esp. Cap III, item 12
 “Amigos, lembrai-vos deste preceito: Amai-vos uns aos
outros, e então, ao golpe do ódio respondereis com um
    sorriso, e ao ultraje com o perdão. O mundo sem
  dúvida se erguerá furioso e vos chamará de covarde:
 erguei a fronte bem alta e mostrai, então, que a vossa
fronte também não recearia ser coroada de espinhos, a
   exemplo do Cristo, mas que a vossa mão não quer
   participar de um assassinato autorizado, podemos
dizer, por uma falsa aparência de honra, que nada mais
            é senão orgulho e amor próprio.”
                      Santo Agostinho
Pena de Morte
Defender a pena de morte é se opor a tudo o que nos ensina a
doutrina Espírita:
1. Imortalidade da alma;
2. Evolução dois espíritos
3. Perdão
4. Poder transformador da educação
5. Todos nós merecemos uma segunda chance!
O espiritismo é o melhor remédio
         para a violência!




 Estude a Doutrina Espírita!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O DUELO
O DUELOO DUELO
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Evangeliza - Lei de Sociedade
Evangeliza - Lei de SociedadeEvangeliza - Lei de Sociedade
Evangeliza - Lei de Sociedade
Antonino Silva
 
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptxProvas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
francisco celio
 
O bem e o mal esde - leis divinas
O bem e o mal  esde - leis divinasO bem e o mal  esde - leis divinas
O bem e o mal esde - leis divinas
Izabel Cristina Fonseca
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
Lorena Dias
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
Antonino Silva
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
Izabel Cristina Fonseca
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
CeiClarencio
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Divulgador do Espiritismo
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Divulgador do Espiritismo
 
Afabilidade e doçura
Afabilidade e doçuraAfabilidade e doçura
Afabilidade e doçura
Lorena Dias
 
Não vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espadaNão vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espada
Sergio Menezes
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
Sergio Menezes
 
A afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a DoçuraA afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a Doçura
igmateus
 
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais -  - Instituto Espírita de EducaçãoLeis Morais -  - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigo
Lisete B.
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Divulgador do Espiritismo
 

Mais procurados (20)

O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Evangeliza - Lei de Sociedade
Evangeliza - Lei de SociedadeEvangeliza - Lei de Sociedade
Evangeliza - Lei de Sociedade
 
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptxProvas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
 
O bem e o mal esde - leis divinas
O bem e o mal  esde - leis divinasO bem e o mal  esde - leis divinas
O bem e o mal esde - leis divinas
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
 
O sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a DeusO sacrificio mais agradável a Deus
O sacrificio mais agradável a Deus
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitosPalestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
Palestra Espírita - Bem aventurados os aflitos
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
 
Afabilidade e doçura
Afabilidade e doçuraAfabilidade e doçura
Afabilidade e doçura
 
Não vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espadaNão vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espada
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 
A afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a DoçuraA afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a Doçura
 
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais -  - Instituto Espírita de EducaçãoLeis Morais -  - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigo
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 

Destaque

Programa - Depois da morte
Programa - Depois da mortePrograma - Depois da morte
Programa - Depois da morte
Departamento Comunicação Social SER
 
Lei de destruicao geografica e fisica
Lei de destruicao geografica e fisicaLei de destruicao geografica e fisica
Lei de destruicao geografica e fisica
dijfergs
 
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Palestra lei destruição
Palestra lei destruiçãoPalestra lei destruição
Palestra lei destruição
Izabel Cristina Fonseca
 
Lei de destruição
Lei de destruiçãoLei de destruição
Lei de destruição
Carlos José Dalto
 
PALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAO
PALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAOPALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAO
PALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAO
Mauro Santos
 
Modulo xiii rot. 4
Modulo xiii rot. 4Modulo xiii rot. 4
Modulo xiii rot. 4
Magali ..
 
Lei destruição introdução
Lei destruição introduçãoLei destruição introdução
Lei destruição introdução
dijfergs
 
Lei de destruicao e individuo
Lei de destruicao e individuoLei de destruicao e individuo
Lei de destruicao e individuo
dijfergs
 
Lei de destruição fev2016
Lei de destruição fev2016Lei de destruição fev2016
Lei de destruição fev2016
Candice Gunther
 
Lei de destruição livro dos espíritos 2011
Lei de destruição livro dos espíritos 2011Lei de destruição livro dos espíritos 2011
Lei de destruição livro dos espíritos 2011
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Lei de destruição
Lei de destruiçãoLei de destruição
Lei de destruição
Izabel Cristina Fonseca
 
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruiçãoSegundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
CeiClarencio
 
Destruição 2
Destruição 2Destruição 2
Destruição 2
Izabel Cristina Fonseca
 

Destaque (14)

Programa - Depois da morte
Programa - Depois da mortePrograma - Depois da morte
Programa - Depois da morte
 
Lei de destruicao geografica e fisica
Lei de destruicao geografica e fisicaLei de destruicao geografica e fisica
Lei de destruicao geografica e fisica
 
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
090610 da lei de destruição– livro iii, cap-6
 
Palestra lei destruição
Palestra lei destruiçãoPalestra lei destruição
Palestra lei destruição
 
Lei de destruição
Lei de destruiçãoLei de destruição
Lei de destruição
 
PALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAO
PALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAOPALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAO
PALESTRA - DESTRUICAO OU TRANSFORMACAO
 
Modulo xiii rot. 4
Modulo xiii rot. 4Modulo xiii rot. 4
Modulo xiii rot. 4
 
Lei destruição introdução
Lei destruição introduçãoLei destruição introdução
Lei destruição introdução
 
Lei de destruicao e individuo
Lei de destruicao e individuoLei de destruicao e individuo
Lei de destruicao e individuo
 
Lei de destruição fev2016
Lei de destruição fev2016Lei de destruição fev2016
Lei de destruição fev2016
 
Lei de destruição livro dos espíritos 2011
Lei de destruição livro dos espíritos 2011Lei de destruição livro dos espíritos 2011
Lei de destruição livro dos espíritos 2011
 
Lei de destruição
Lei de destruiçãoLei de destruição
Lei de destruição
 
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruiçãoSegundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
Segundo Módulo - Aula 06 - Lei da destruição
 
Destruição 2
Destruição 2Destruição 2
Destruição 2
 

Semelhante a Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas

LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27
Patricia Farias
 
Estudos do evangelho 16
Estudos do evangelho 16Estudos do evangelho 16
Estudos do evangelho 16
Leonardo Pereira
 
LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1
Patricia Farias
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
Ponte de Luz ASEC
 
Pena de morte
Pena de mortePena de morte
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada
Claudio Macedo
 
LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19
Patricia Farias
 
O bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxO bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptx
M.R.L
 
Aula lei de destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOS
Aula lei de  destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOSAula lei de  destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOS
Aula lei de destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOS
Oribes Teixeira
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
LUCAS CANAVARRO
 
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são MisericordiososEvangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Patricia Farias
 
Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14
Leonardo Pereira
 
3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx
Marta Gomes
 
Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18
Leonardo Pereira
 
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Patricia Farias
 
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8 Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Patricia Farias
 
3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptx3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptx
Marta Gomes
 
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
Patricia Farias
 
Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69
Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69
Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Patricia Farias
 

Semelhante a Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas (20)

LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27LE 634 e ESE cap. 5 item27
LE 634 e ESE cap. 5 item27
 
Estudos do evangelho 16
Estudos do evangelho 16Estudos do evangelho 16
Estudos do evangelho 16
 
LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
 
Pena de morte
Pena de mortePena de morte
Pena de morte
 
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada
 
LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19
 
O bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxO bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptx
 
Aula lei de destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOS
Aula lei de  destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOSAula lei de  destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOS
Aula lei de destruição e sociedade, LIVRO ESPIRITOS
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
 
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são MisericordiososEvangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
Evangelho Cap10 item5 - Bem Aventurados os que são Misericordiosos
 
Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14
 
3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx
 
Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18
 
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
 
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8 Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
 
3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptx3.1.2 - O bem e o mal.pptx
3.1.2 - O bem e o mal.pptx
 
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
Livro dos Espiritos Q757 ESE cap9_item9
 
Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69
Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69
Livro dos Espíritos 389 ESE cap.28 item 69
 
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
 

Mais de Ana Cláudia Leal Felgueiras

O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Espiritismo no mundo
Espiritismo no mundoEspiritismo no mundo
Espiritismo no mundo
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Gratidão
GratidãoGratidão
Parábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos LugaresParábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos Lugares
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Parábola das Bodas
Parábola das BodasParábola das Bodas
Parábola das Bodas
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Ovelha Perdida
Ovelha PerdidaOvelha Perdida
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de JaneiroCongresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Sexo e obsessão
Sexo e obsessãoSexo e obsessão
Lei de reprodução
Lei de reproduçãoLei de reprodução
Lei de reprodução
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Resposta sexo
Resposta sexoResposta sexo
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens...""Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao SobrenaturalLivro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
História do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no BrasilHistória do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no Brasil
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Pluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitadosPluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitados
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Ananias e Saulo
Ananias e SauloAnanias e Saulo
Se quisesse
Se quisesseSe quisesse
Tipos de mediunidade
Tipos de mediunidadeTipos de mediunidade
Tipos de mediunidade
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 

Mais de Ana Cláudia Leal Felgueiras (20)

O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
O Livro dos Espíritos perg. 128 a 131 Anjos e Demônios.
 
Espiritismo no mundo
Espiritismo no mundoEspiritismo no mundo
Espiritismo no mundo
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
 
Gratidão
GratidãoGratidão
Gratidão
 
Parábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos LugaresParábola do Últimos Lugares
Parábola do Últimos Lugares
 
Parábola das Bodas
Parábola das BodasParábola das Bodas
Parábola das Bodas
 
Ovelha Perdida
Ovelha PerdidaOvelha Perdida
Ovelha Perdida
 
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de JaneiroCongresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
Congresso das Mocidades Espíritas do estado do Rio de Janeiro
 
Sexo e obsessão
Sexo e obsessãoSexo e obsessão
Sexo e obsessão
 
Lei de reprodução
Lei de reproduçãoLei de reprodução
Lei de reprodução
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
 
Resposta sexo
Resposta sexoResposta sexo
Resposta sexo
 
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens...""Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens..."
 
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao SobrenaturalLivro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
Livro do médiuns - Do maravilhoso ao Sobrenatural
 
História do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no BrasilHistória do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no Brasil
 
Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?Senhor que queres que eu faça?
Senhor que queres que eu faça?
 
Pluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitadosPluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitados
 
Ananias e Saulo
Ananias e SauloAnanias e Saulo
Ananias e Saulo
 
Se quisesse
Se quisesseSe quisesse
Se quisesse
 
Tipos de mediunidade
Tipos de mediunidadeTipos de mediunidade
Tipos de mediunidade
 

Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas

  • 1. Lei de destruição Livro dos Espíritos – perguntas. 746 a 765
  • 2. Prece por um criminoso Senhor, Deus de misericórdia, não repilas esse criminoso que acaba de deixar a Terra. A justiça dos homens o castigou, mas não o isentou da tua, se o remorso não lhe penetrou o coração. Tira-lhe dos olhos a venda que lhe oculta a gravidade de suas faltas. Possa o seu arrependimento merecer de ti acolhimento benévolo e abrandar os sofrimentos de sua alma! Possam também as nossas preces e a intercessão dos bons Espíritos levar-lhe esperança e consolação; inspirar-lhe o desejo de reparar suas ações más numa nova existência e dar-lhe forças para não sucumbir nas novas lutas em que se empenhar! Senhor, tem piedade dele! Prece contida na obra “O Evangelho Segundo o Espiritismo
  • 3. O Assassínio Culposo Doloso Legítima defesa Estado de necessidade Na Guerra “Deus é justo, julga mais pela intenção do que pelo fato” L.E. Perg.747
  • 4. Caridade para com os criminosos Evang. Segundo o Esp. Cap. XI, item 14 “Brevemente, quando os homens forem levados à prática das verdadeiras leis de Deus, esses ensinamentos não serão mais necessários, e todos os Espíritos impuros serão dispersados pelos mundos inferiores, de acordo com as suas tendências. Deveis a esses de que vos falo o socorro de vossas preces: eis a verdadeira caridade. Não deveis dizer de um criminoso: “É um miserável; deve ser extirpado da Terra; a morte que se lhe inflige é muito branda para uma criatura dessa espécie”. Não, não é assim que deveis falar! Pensai no vosso modelo, que é Jesus. Que diria ele, se visse esse infeliz ao seu lado? Havia de lastimá-lo, considerá-lo como um doente muito necessitado, e lhe estenderia a mão. Não podeis, na verdade, fazer o mesmo, mas pelo menos podeis orar por ele, dar-lhe assistência espiritual durante os instantes que ainda deve permanecer na Terra. O arrependimento pode tocar-lhe o coração, se orardes com fé. É vosso próximo, como o melhor dentre os homens. Sua alma, transviada e revoltada, foi criada, como a vossa, para se aperfeiçoar. Ajudai-o, pois, a sair do lamaçal, e orai por ele.”
  • 5. Crueldade L.E. perg. 752. Pode-se á ligar o sentimento de crueldade ao instinto de destruição? A crueldade é o que tem de pior no instinto de destruição. A destruição constitui uma necessidade. Mas, o mesmo não se dá com a crueldade, que é sempre resultado de uma natureza má. A crueldade é consequência do atraso no desenvolvimento do senso moral. Tanto no homem cruel como nos selvagens, embora o possuam, o senso moral se encontra em estado rudimentar. À medida que vão desenvolvendo este senso, neutralizam os instintos materiais, tornando-se bons e humanos
  • 6. Crueldade O Bem e o mal 629 Que definição se pode dar à moral? – A moral é a regra do bem proceder, ou seja, a que permite distinguir entre o bem e o mal. Ela é fundada sobre o cumprimento da lei de Deus. O homem procede bem quando faz tudo para o bem de todos porque, então, cumpre a lei de Deus. 630 Como se pode distinguir o bem e o mal? – O bem é tudo o que está conforme a lei de Deus; o mal, tudo o que é contrário. Assim, fazer o bem é proceder conforme a lei de Deus; fazer o mal é infringir essa lei. 631 O homem tem, por si mesmo, meios de distinguir o bem do mal? – Sim, quando crê em Deus e de fato quer saber porque Deus lhe deu a inteligência para distinguir um do outro. 632 O homem, sujeito ao erro como está, não pode se enganar no julgamento do bem e do mal e acreditar que faz o bem quando, na realidade, faz o mal? – Jesus disse: “o que quereis que os homens vos façam, fazei-o também vós a eles”. Tudo está aí resumido. Vós não vos enganareis.
  • 7. O Progresso da Humanidade A transição para o planeta de regeneração. Com o progresso da humanidade, os espíritos em quem ainda domina o instinto do mal irão desaparecendo gradualmente. Mas renascerão sob outros invólucros, com mais experiência, que o farão compreender o bem e o mal. À exemplo das plantas e dos animais, que o homem conseguiu aperfeiçoar, desenvolvendo neles novas qualidades, estes espíritos também progredirão. Serão necessárias, contudo, muitas gerações para que esse desenvolvimento se torne completo. (L.E perg. 756)
  • 8. O duelo – Evang. Segundo o Esp. Cap III, item 12 “Amigos, lembrai-vos deste preceito: Amai-vos uns aos outros, e então, ao golpe do ódio respondereis com um sorriso, e ao ultraje com o perdão. O mundo sem dúvida se erguerá furioso e vos chamará de covarde: erguei a fronte bem alta e mostrai, então, que a vossa fronte também não recearia ser coroada de espinhos, a exemplo do Cristo, mas que a vossa mão não quer participar de um assassinato autorizado, podemos dizer, por uma falsa aparência de honra, que nada mais é senão orgulho e amor próprio.” Santo Agostinho
  • 9. Pena de Morte Defender a pena de morte é se opor a tudo o que nos ensina a doutrina Espírita: 1. Imortalidade da alma; 2. Evolução dois espíritos 3. Perdão 4. Poder transformador da educação 5. Todos nós merecemos uma segunda chance!
  • 10. O espiritismo é o melhor remédio para a violência! Estude a Doutrina Espírita!