SlideShare uma empresa Scribd logo
Equações e Funções Exponenciais
Introdução
Até agora, no estudo das funções, vimos que existem muitos problemas reais que podem ser
estudados por meio de uma função. Vimos que o escoamento de água por uma tubulação pode
ser estudado por uma função de 1º grau (função linear), assim como o movimento de um
veículo com velocidade constante. Vimos também que o movimento de um veículo com
aceleração constante pode ser aproximado por uma função do segundo grau, assim como o
cálculo da área máxima de um cercado retangular.
A função do primeiro grau estuda as grandezas que têm um crescimento constante ou linear,
que pode ser pensado a partir de uma regra de três. Pense no movimento retilíneo uniforme,
partindo do repouso. Se um veículo percorre 1 metro em 1 segundo, percorrerá 2 metros em 2
segundos, 5 metros em 5 segundos e assim por diante...
Já a função do segundo grau não tem essa característica. Se um veículo em M.U.V. percorre 1
metro em 1 segundo, de acordo com as equações já estudadas, ele percorrerá 4 metros em 2
segundos, 9 metros em 3 segundos, 16 metros em 4 segundos, 100 metros em 10 segundos e
assim por diante.
Dizemos que a distância percorrida pelo veículo em M.R.U. aumenta linearmente, enquanto
que a distância percorrida pelo veículo em M.U.V. aumenta quadraticamente.
Abaixo apresentamos uma comparação desses dois exemplos, através de gráficos e tabelas:
M.R.U
Tempo Distância Percorrida
1 s 1 m
2 s 2 m
3 s 3 m
4 s 4 m
8 s 8 m
10 s 10 m
Tabela de S(t) = t;
M.U.V
Tempo Distância Percorrida
1 s 1 m
2 s 4 m
3 s 9 m
4 s 16 m
8 s 64 m
10 s 100 m
Tabela de S(t) = t2
;
Note também este outro exemplo:
M.R.U
Tempo Distância Percorrida
1 s 7 m
2 s 14 m
3 s 21 m
4 s 28 m
8 s 56 m
10 s 70 m
Tabela de S(t) = 7t;
M.U.V
Tempo Distância Percorrida
1 s 7.1 = 7 m
2 s 7.4 = 28 m
3 s 7.9 = 63 m
4 s 7.16 = 112 m
8 s 7.64 = 448 m
10 s 7.100 = 700 m
Tabela de S(t) = 7t2
;
Existem grandezas que crescem de outra maneira. Por exemplo, existem bactérias que tem a
capacidade de se reproduzir por duplicação e cada bactéria mãe gera uma filha idêntica.
Pensando em uma situação em que uma bactéria desse tipo é isolada e se reproduza uma vez
a cada dia, teremos que no primeiro dia a população duplicará, passando a ser de duas
bactérias (mãe + filha). Considerando que a mãe e a filha se reproduzam por duplicação no
segundo dia, a população passará de 2 para 4 bactérias, duplicando-se novamente. Se esse
tipo de reprodução continuar pelos próximos dias, teremos que sempre haverá uma duplicação
da população de bactérias que podemos registrar na seguinte tabela:
Dias de isolamento Número de bactérias presentes
0 1
1 2
2 4
3 8
4 16
5 32
6 64
7 128
Tabela de f(x) = 2x
;
Essa tabela mostra que o número de bactérias presentes é função do número de dias de
isolamento, dada por y = 2x (y – número de bactérias; x – dias de isolamento) e pode ser
apresentado no seguinte gráfico.
Esse tipo de crescimento é totalmente diferente das funções que já estudamos e é chamado de
crescimento exponencial. A função apresentada também é chamada de função exponencial.
Definição
Função exponencial é toda função da forma: , sendo e .
Comparação com as funções anteriores
No exemplo citado das bactérias, imagine:
 Uma situação em que as bactérias tivessem crescimento linear e 2 bactérias fossem
geradas por dia;
 Outra situação em que as bactérias tivessem crescimento quadrático;
 A situação de crescimento exponencial já explicada;
As tabelas e gráficos comparando as três situações são apresentados logo abaixo. Note que o
crescimento exponencial é mais “vigoroso” que os demais.
Tempo
(dias)
Nº de bactérias
(crescimento linear)
Nº de bactérias (crescimento
quadrático)
Nº de bactérias (crescimento
exponencial)
0 1 1 1
1 3 2 2
2 5 5 4
3 7 10 8
4 9 17 16
5 11 26 32
6 13 37 64
7 15 50 128
8 17 65 256
9 19 82 512
Tabela de crescimento linear (f(x) = x + 2), crescimento quadrático (f(x) = x2
+ 1) e crescimento
exponencial (f(x) = 2x
) ;
A potenciação
Para saber lidar com as funções exponenciais, é fundamental que recordemos aqui algumas
propriedades da potenciação.
1. Os números envolvidos na potenciação tem as seguintes definições:
2. A potenciação é uma extensão da multiplicação (assim como a multiplicação é uma
extensão da soma).
Ex: assim como 2.5 = 2+2+2+2+2, temos que 25 = 2.2.2.2.2;
3. Sendo assim, note que a multiplicação de potências de mesma base se faz somando os
expoentes:
Por outro lado, como 23
= 8 e 25
= 32, então 23
.25
= 8.32 = 256. Isso comprova que 23
.25
=
28
.
4. Da mesma forma, toda divisão de potência de mesma base se faz subtraindo os
expoentes.
Ex:
Note que .
5. Da mesma forma, toda potenciação de uma potenciação se realiza multiplicando os
expoentes.
Ex:
Note que .
6. Da mesma forma, toda radiciação de uma potenciação se realiza dividindo-se os
expoentes.
Ex:
Note que: .
7. Toda potenciação com expoente 0 é igual a 1.
Ex:
.
8. Das propriedades acima, vemos que, uma potenciação com expoente negativo é igual a
uma potenciação com o mesmo expoente positivo e base invertida.
Ex:
Outros exemplos: , .
Obs: todas as propriedades citadas antes valem para expoente negativo.
9. A igualdade das potenciações: duas potenciações são iguais se suas bases e seus
expoentes forem estritamente iguais. Essa propriedade será fundamental na resolução
de equações, como nos exemplos.
Ex:
Outro exemplo:
]Equações exponenciais
São todas as equações cujas incógnitas encontram-se no expoente. As formas mais comuns
de se resolver equações exponenciais são: através das propriedades da potenciação
(principalmente a 9) e através da substituição da exponenciação por uma nova variável.
a) Aproveitando as propriedades da potenciação:
Exemplo: vamos resolver a equação .
Outro exemplo, vamos resolver .
Note que a equação exponencial resultou em uma equação algébrica, cuja resolução é feita a
seguir:
Neste caso, a equação algébrica transformou-se em uma equação do segundo grau, resolvida
através da fórmula de Bháskara. Note que este exercício cobrou vários conceitos na resolução
de equações exponenciais.
Um outro modo de resolução se dá através de substituição por outra variável.
Neste caso, quando há uma exponenciação comum em todos os termos da equação, podemos
substituí-la por uma variável simples, de modo a tornar a equação do 1º ou 2º graus e facilitar a
resolução.
Exemplo: vamos resolver 9x
+ 3 = 4.3x
.
Aproveitando-se de que o termo aparece em alguns termos da equação (e não aparece
nenhum outro tipo de exponenciação diferente), podemos fazer 3x
= y, e daí teremos:
Como y = 3x
é o valor que precisamos descobrir, fazemos:
Note que após resolver as equações do 1º/2º graus, criamos uma equação exponencial e a
resolvemos, gerando a solução final.
Exponenciais Crescentes e Decrescentes
Vamos observar mais um caso em que se usa funções exponenciais.
As substâncias químicas radioativas possuem uma característica que é chamada de meia-vida.
A meia-vida é um período de tempo no qual a quantidade presente da substância radioativa
reduz-se para metade do seu valor inicial e a radiação emitida (muitas vezes prejudicial aos
seres humanos) vai sendo diminuída.
Para exemplificar esse conceito, suponha uma quantidade de 1 kg da substância Urânio 238
que foi isolada. Após uma meia-vida, teremos a metade disso (ou seja 0,5 Kg ou 500 g). Após
mais uma meia vida (duas meias-vidas) teremos 0,25 Kg (ou 250 g) de Urânio 238 e assim em
diante. A meia-vida do Urânio 238 é de 5 bilhões de anos.
A quantidade de Urânio em função das meias-vidas que passaram é dado pela função ... cuja
tabela e gráficos são mostrados a seguir.
Nº de meias-vidas Quantidade de Urânio
0 1 Kg
1 0,5 Kg = 500 g
2 0,250 Kg = 250 g
3 0,125 Kg = 125 g
4 0,0625 Kg = 62,5 g
Tabela de ;
O caso das bactérias, dado no início do capítulo, é um exemplo de função exponencial
crescente (ou decaimento exponencial). O caso da meia-vida é um exemplo de função
exponencial decrescente.
Características das funções exponenciais
Dada a função f(x) = ax
, temos:
 O domínio é o conjunto dos números reais.
 A imagem são os números reais maiores que zero;
 O gráfico sempre contém o ponto (0,1);
 A função será crescente se a > 1 e decrescente se 0 < a < 1;
 A função será constante se a = 1;
Gráficos de funções crescente e decrescente:
Gráfico função exponencial crescente
Gráfico função exponencial decrescente
Inequações exponenciais
Todas as propriedades vistas na resolução de equações exponenciais também valem para
inequações exponenciais. A única diferença é que o sinal pode se alterar no caso da função ser
crescente ou decrescente.
Também tudo o que foi visto em inequações produto, modular e quociente valem se estivermos
tratando de equações exponenciais.
Exemplo: Vamos resolver .
As raízes de f(x) = x2
− 3x + 2 são x1 = 1 e x2 = 2. Logo, como f(x) = x2
− 3x + 2 tem concavidade
para cima, vemos que x2
− 3x + 2 > 0 em x < 1 e x > 2. Logo o conjunto solução da inequação
exponencial é:
Outro exemplo:Vamos resolver .
Note que trocamos o sinal, pois a base é menor que 1 (a funcão é
decrescente).
Logo, a solução será: .
Exercícios
1. (PUC – PR adaptado) Resolva a equação 16.52x
= 25.20x
.
2. (UECE adaptado) Se x1 e x2 são raízes da equação ,
então quanto vale ?
3. Resolva a equação 3x + 2
+ 3x + 1
+ 3x
+ 3x − 1
+ 3x − 3
= 16119.
4. (UEL – PR adaptado) Qual a diferença entre a maior e a menor raiz
de ?
5. (Mack – SP adaptado) Qual o produto das raízes de 22x
− 3.2x
+ 2 = 0?
6. (PUC – SP adaptado) Resolva a equação 4x
+ 4 = 5.2x
.
7. (Fatec – SP adaptado) Resolva a inequação 2 − x
.4x
< 8x + 1
.
8. (UFPa adaptado) Qual o conjunto solução de ?
9. (Mack – SP adaptado) Qual o conjunto solução de 22x + 2
− 0,75.2x + 2
< 1?
10.(PUC – RS adaptado) Qual o domínio da função ?
11.(UFRGS adaptado) Descubra a soma de todos os números inteiros que satisfazem a
desigualdade 81 − 1
< 32x + 1
< 27.
12.(PUC – MG) Descubra o valor de x + y, sabendo que x e y são soluções do
sistema: .
Gabarito
1. x = 2
2. 10
3. 7
4. 1
5. 0
6. x1 = 0 e x2 = 2
7.
8.
9.
10.
11.-3
12.2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Carlos Campani
 
Aula 05 derivadas - conceitos iniciais
Aula 05   derivadas - conceitos iniciaisAula 05   derivadas - conceitos iniciais
Lista de exercícios 5 - Cálculo
Lista de exercícios 5 - CálculoLista de exercícios 5 - Cálculo
Lista de exercícios 5 - Cálculo
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 10
Lista de exercícios 10Lista de exercícios 10
Lista de exercícios 10
Carlos Campani
 
Funções exponencial e logarítmica
Funções exponencial e logarítmicaFunções exponencial e logarítmica
Funções exponencial e logarítmica
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 9
Lista de exercícios 9Lista de exercícios 9
Lista de exercícios 9
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 8
Lista de exercícios 8Lista de exercícios 8
Lista de exercícios 8
Carlos Campani
 
Pequeno teorema de fermat
Pequeno teorema de fermatPequeno teorema de fermat
Pequeno teorema de fermat
Universidade Federal de Pernambuco
 
Lista de exercícios 7 - Mat Elem
Lista de exercícios 7 - Mat ElemLista de exercícios 7 - Mat Elem
Lista de exercícios 7 - Mat Elem
Carlos Campani
 
Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13
Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13
Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13
Drielly Valvassori Stocco
 
Ms impresso aula05
Ms impresso aula05Ms impresso aula05
Ms impresso aula05
Fabiano Ferraz
 
Lista de exercícios 8 - Mat Elem
Lista de exercícios 8 - Mat ElemLista de exercícios 8 - Mat Elem
Lista de exercícios 8 - Mat Elem
Carlos Campani
 
Apostila limites
Apostila limitesApostila limites
Apostila limites
Emerson Nascimento
 
Apostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia Civil
Apostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia CivilApostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia Civil
Apostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia Civil
Ana Carolline Pereira
 
Exame matematica
Exame matematicaExame matematica
Exame matematica
João Pinto
 
Lista de exercícios 4 - Cálculo
Lista de exercícios 4 - CálculoLista de exercícios 4 - Cálculo
Lista de exercícios 4 - Cálculo
Carlos Campani
 
Iezzi93 109
Iezzi93 109Iezzi93 109
Iezzi93 109
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 11
Lista de exercícios 11Lista de exercícios 11
Lista de exercícios 11
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 13
Lista de exercícios 13Lista de exercícios 13
Lista de exercícios 13
Carlos Campani
 
Lista de exercícios 1 - Cálculo
Lista de exercícios 1 - CálculoLista de exercícios 1 - Cálculo
Lista de exercícios 1 - Cálculo
Carlos Campani
 

Mais procurados (20)

Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
Álgebra básica, potenciação, notação científica, radiciação, polinômios, fato...
 
Aula 05 derivadas - conceitos iniciais
Aula 05   derivadas - conceitos iniciaisAula 05   derivadas - conceitos iniciais
Aula 05 derivadas - conceitos iniciais
 
Lista de exercícios 5 - Cálculo
Lista de exercícios 5 - CálculoLista de exercícios 5 - Cálculo
Lista de exercícios 5 - Cálculo
 
Lista de exercícios 10
Lista de exercícios 10Lista de exercícios 10
Lista de exercícios 10
 
Funções exponencial e logarítmica
Funções exponencial e logarítmicaFunções exponencial e logarítmica
Funções exponencial e logarítmica
 
Lista de exercícios 9
Lista de exercícios 9Lista de exercícios 9
Lista de exercícios 9
 
Lista de exercícios 8
Lista de exercícios 8Lista de exercícios 8
Lista de exercícios 8
 
Pequeno teorema de fermat
Pequeno teorema de fermatPequeno teorema de fermat
Pequeno teorema de fermat
 
Lista de exercícios 7 - Mat Elem
Lista de exercícios 7 - Mat ElemLista de exercícios 7 - Mat Elem
Lista de exercícios 7 - Mat Elem
 
Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13
Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13
Equação Exponencial - 2º ano M12 e M13
 
Ms impresso aula05
Ms impresso aula05Ms impresso aula05
Ms impresso aula05
 
Lista de exercícios 8 - Mat Elem
Lista de exercícios 8 - Mat ElemLista de exercícios 8 - Mat Elem
Lista de exercícios 8 - Mat Elem
 
Apostila limites
Apostila limitesApostila limites
Apostila limites
 
Apostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia Civil
Apostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia CivilApostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia Civil
Apostila Calculo 1 - Limites de uma função - Engenharia Civil
 
Exame matematica
Exame matematicaExame matematica
Exame matematica
 
Lista de exercícios 4 - Cálculo
Lista de exercícios 4 - CálculoLista de exercícios 4 - Cálculo
Lista de exercícios 4 - Cálculo
 
Iezzi93 109
Iezzi93 109Iezzi93 109
Iezzi93 109
 
Lista de exercícios 11
Lista de exercícios 11Lista de exercícios 11
Lista de exercícios 11
 
Lista de exercícios 13
Lista de exercícios 13Lista de exercícios 13
Lista de exercícios 13
 
Lista de exercícios 1 - Cálculo
Lista de exercícios 1 - CálculoLista de exercícios 1 - Cálculo
Lista de exercícios 1 - Cálculo
 

Semelhante a Equações e funções exponenciais

Precalculo
PrecalculoPrecalculo
Precalculo
Job José
 
Cal i a02
Cal i a02Cal i a02
Trabalho de mat.pptx
Trabalho de mat.pptxTrabalho de mat.pptx
Trabalho de mat.pptx
jonaldinhogaucho08
 
Capitulo1
Capitulo1Capitulo1
Capitulo1
Julio F Ferreira
 
A função exponencial & trigonometria e aplicações
A função exponencial & trigonometria e aplicaçõesA função exponencial & trigonometria e aplicações
A função exponencial & trigonometria e aplicações
Dinho Paulo Clakly
 
Apostila 3 funções
Apostila 3 funçõesApostila 3 funções
Apostila 3 funções
trigono_metrico
 
Log 2016
Log 2016Log 2016
Log 2016
ProfessoraIve
 
Mat funcao polinomial 1 grau
Mat funcao polinomial 1 grauMat funcao polinomial 1 grau
Mat funcao polinomial 1 grau
trigono_metria
 
Apostila função do 1 grau
Apostila   função do 1 grauApostila   função do 1 grau
Apostila função do 1 grau
Celia Lana
 
A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...
A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...
A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...
Gustavo Wyllian
 
625639 a-teoria-dos-limites-calculo
625639 a-teoria-dos-limites-calculo625639 a-teoria-dos-limites-calculo
625639 a-teoria-dos-limites-calculo
Marcos Lira
 
Função Polinomial
Função PolinomialFunção Polinomial
Função Polinomial
Equipe_FAETEC
 
Apostila funcoes
Apostila funcoesApostila funcoes
Apostila funcoes
Alessandra Nascimento
 
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Matheus Alves
 
Aula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrau
Aula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrauAula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrau
Aula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrau
Adriano Silva
 
Derivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivação
Derivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivaçãoDerivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivação
Derivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivação
wanderleysouza23
 
1 ano função afim
1 ano   função afim1 ano   função afim
1 ano função afim
Ariosvaldo Carvalho
 
Projeto de execução função do 1º grau - simone
Projeto de execução   função do 1º grau - simoneProjeto de execução   função do 1º grau - simone
Projeto de execução função do 1º grau - simone
Simone de Paula
 
Oficina matemática
Oficina matemáticaOficina matemática
Oficina matemática
Ezequiel A. Ribeiro
 
Passo adaptativo stiff
Passo adaptativo stiffPasso adaptativo stiff
Passo adaptativo stiff
Jéssica Vardanega
 

Semelhante a Equações e funções exponenciais (20)

Precalculo
PrecalculoPrecalculo
Precalculo
 
Cal i a02
Cal i a02Cal i a02
Cal i a02
 
Trabalho de mat.pptx
Trabalho de mat.pptxTrabalho de mat.pptx
Trabalho de mat.pptx
 
Capitulo1
Capitulo1Capitulo1
Capitulo1
 
A função exponencial & trigonometria e aplicações
A função exponencial & trigonometria e aplicaçõesA função exponencial & trigonometria e aplicações
A função exponencial & trigonometria e aplicações
 
Apostila 3 funções
Apostila 3 funçõesApostila 3 funções
Apostila 3 funções
 
Log 2016
Log 2016Log 2016
Log 2016
 
Mat funcao polinomial 1 grau
Mat funcao polinomial 1 grauMat funcao polinomial 1 grau
Mat funcao polinomial 1 grau
 
Apostila função do 1 grau
Apostila   função do 1 grauApostila   função do 1 grau
Apostila função do 1 grau
 
A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...
A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...
A equação irracional é construída a partir de problemas em que a medida desco...
 
625639 a-teoria-dos-limites-calculo
625639 a-teoria-dos-limites-calculo625639 a-teoria-dos-limites-calculo
625639 a-teoria-dos-limites-calculo
 
Função Polinomial
Função PolinomialFunção Polinomial
Função Polinomial
 
Apostila funcoes
Apostila funcoesApostila funcoes
Apostila funcoes
 
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
 
Aula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrau
Aula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrauAula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrau
Aula 8: O degrau de potencial. Caso I: Energia menor que o degrau
 
Derivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivação
Derivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivaçãoDerivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivação
Derivadas regra da cadeia_ Técnicas de derivação
 
1 ano função afim
1 ano   função afim1 ano   função afim
1 ano função afim
 
Projeto de execução função do 1º grau - simone
Projeto de execução   função do 1º grau - simoneProjeto de execução   função do 1º grau - simone
Projeto de execução função do 1º grau - simone
 
Oficina matemática
Oficina matemáticaOficina matemática
Oficina matemática
 
Passo adaptativo stiff
Passo adaptativo stiffPasso adaptativo stiff
Passo adaptativo stiff
 

Mais de André Luís Nogueira

Trigonometria senos - cossenos e tangentes
Trigonometria   senos - cossenos e tangentesTrigonometria   senos - cossenos e tangentes
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
André Luís Nogueira
 
Notação científica completo
Notação científica   completoNotação científica   completo
Notação científica completo
André Luís Nogueira
 
Matematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_sejaMatematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_seja
André Luís Nogueira
 
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientificaLista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
André Luís Nogueira
 
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
André Luís Nogueira
 
Funções trigonométricas
Funções trigonométricasFunções trigonométricas
Funções trigonométricas
André Luís Nogueira
 
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabaritoExercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
André Luís Nogueira
 
Exercicios basicos conjuntos numéricos
Exercicios basicos   conjuntos numéricosExercicios basicos   conjuntos numéricos
Exercicios basicos conjuntos numéricos
André Luís Nogueira
 
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômiosExercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
André Luís Nogueira
 
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grauExercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
André Luís Nogueira
 
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveisExercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
André Luís Nogueira
 
Exercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricasExercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricas
André Luís Nogueira
 
Equações trigronométricas
Equações trigronométricasEquações trigronométricas
Equações trigronométricas
André Luís Nogueira
 
Equações de 2 grau funções
Equações de 2 grau   funçõesEquações de 2 grau   funções
Equações de 2 grau funções
André Luís Nogueira
 
Equações de 1 grau
Equações de 1 grauEquações de 1 grau
Equações de 1 grau
André Luís Nogueira
 
Conjuntos numericos
Conjuntos numericosConjuntos numericos
Conjuntos numericos
André Luís Nogueira
 
Conjuntos numéricos
Conjuntos numéricosConjuntos numéricos
Conjuntos numéricos
André Luís Nogueira
 
Trigonometria básica
Trigonometria básicaTrigonometria básica
Trigonometria básica
André Luís Nogueira
 

Mais de André Luís Nogueira (18)

Trigonometria senos - cossenos e tangentes
Trigonometria   senos - cossenos e tangentesTrigonometria   senos - cossenos e tangentes
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
 
Notação científica completo
Notação científica   completoNotação científica   completo
Notação científica completo
 
Matematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_sejaMatematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_seja
 
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientificaLista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
 
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
 
Funções trigonométricas
Funções trigonométricasFunções trigonométricas
Funções trigonométricas
 
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabaritoExercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
 
Exercicios basicos conjuntos numéricos
Exercicios basicos   conjuntos numéricosExercicios basicos   conjuntos numéricos
Exercicios basicos conjuntos numéricos
 
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômiosExercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
 
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grauExercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
 
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveisExercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
 
Exercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricasExercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricas
 
Equações trigronométricas
Equações trigronométricasEquações trigronométricas
Equações trigronométricas
 
Equações de 2 grau funções
Equações de 2 grau   funçõesEquações de 2 grau   funções
Equações de 2 grau funções
 
Equações de 1 grau
Equações de 1 grauEquações de 1 grau
Equações de 1 grau
 
Conjuntos numericos
Conjuntos numericosConjuntos numericos
Conjuntos numericos
 
Conjuntos numéricos
Conjuntos numéricosConjuntos numéricos
Conjuntos numéricos
 
Trigonometria básica
Trigonometria básicaTrigonometria básica
Trigonometria básica
 

Último

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 

Último (20)

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 

Equações e funções exponenciais

  • 1. Equações e Funções Exponenciais Introdução Até agora, no estudo das funções, vimos que existem muitos problemas reais que podem ser estudados por meio de uma função. Vimos que o escoamento de água por uma tubulação pode ser estudado por uma função de 1º grau (função linear), assim como o movimento de um veículo com velocidade constante. Vimos também que o movimento de um veículo com aceleração constante pode ser aproximado por uma função do segundo grau, assim como o cálculo da área máxima de um cercado retangular. A função do primeiro grau estuda as grandezas que têm um crescimento constante ou linear, que pode ser pensado a partir de uma regra de três. Pense no movimento retilíneo uniforme, partindo do repouso. Se um veículo percorre 1 metro em 1 segundo, percorrerá 2 metros em 2 segundos, 5 metros em 5 segundos e assim por diante... Já a função do segundo grau não tem essa característica. Se um veículo em M.U.V. percorre 1 metro em 1 segundo, de acordo com as equações já estudadas, ele percorrerá 4 metros em 2 segundos, 9 metros em 3 segundos, 16 metros em 4 segundos, 100 metros em 10 segundos e assim por diante. Dizemos que a distância percorrida pelo veículo em M.R.U. aumenta linearmente, enquanto que a distância percorrida pelo veículo em M.U.V. aumenta quadraticamente. Abaixo apresentamos uma comparação desses dois exemplos, através de gráficos e tabelas: M.R.U Tempo Distância Percorrida 1 s 1 m 2 s 2 m 3 s 3 m 4 s 4 m 8 s 8 m 10 s 10 m
  • 2. Tabela de S(t) = t; M.U.V Tempo Distância Percorrida 1 s 1 m 2 s 4 m 3 s 9 m 4 s 16 m 8 s 64 m 10 s 100 m
  • 3. Tabela de S(t) = t2 ; Note também este outro exemplo: M.R.U Tempo Distância Percorrida 1 s 7 m 2 s 14 m 3 s 21 m 4 s 28 m 8 s 56 m 10 s 70 m
  • 4. Tabela de S(t) = 7t; M.U.V Tempo Distância Percorrida 1 s 7.1 = 7 m 2 s 7.4 = 28 m 3 s 7.9 = 63 m 4 s 7.16 = 112 m 8 s 7.64 = 448 m 10 s 7.100 = 700 m
  • 5. Tabela de S(t) = 7t2 ; Existem grandezas que crescem de outra maneira. Por exemplo, existem bactérias que tem a capacidade de se reproduzir por duplicação e cada bactéria mãe gera uma filha idêntica. Pensando em uma situação em que uma bactéria desse tipo é isolada e se reproduza uma vez a cada dia, teremos que no primeiro dia a população duplicará, passando a ser de duas bactérias (mãe + filha). Considerando que a mãe e a filha se reproduzam por duplicação no segundo dia, a população passará de 2 para 4 bactérias, duplicando-se novamente. Se esse tipo de reprodução continuar pelos próximos dias, teremos que sempre haverá uma duplicação da população de bactérias que podemos registrar na seguinte tabela: Dias de isolamento Número de bactérias presentes 0 1 1 2
  • 6. 2 4 3 8 4 16 5 32 6 64 7 128 Tabela de f(x) = 2x ; Essa tabela mostra que o número de bactérias presentes é função do número de dias de isolamento, dada por y = 2x (y – número de bactérias; x – dias de isolamento) e pode ser apresentado no seguinte gráfico. Esse tipo de crescimento é totalmente diferente das funções que já estudamos e é chamado de crescimento exponencial. A função apresentada também é chamada de função exponencial.
  • 7. Definição Função exponencial é toda função da forma: , sendo e . Comparação com as funções anteriores No exemplo citado das bactérias, imagine:  Uma situação em que as bactérias tivessem crescimento linear e 2 bactérias fossem geradas por dia;  Outra situação em que as bactérias tivessem crescimento quadrático;  A situação de crescimento exponencial já explicada; As tabelas e gráficos comparando as três situações são apresentados logo abaixo. Note que o crescimento exponencial é mais “vigoroso” que os demais.
  • 8. Tempo (dias) Nº de bactérias (crescimento linear) Nº de bactérias (crescimento quadrático) Nº de bactérias (crescimento exponencial) 0 1 1 1 1 3 2 2 2 5 5 4 3 7 10 8 4 9 17 16 5 11 26 32 6 13 37 64 7 15 50 128 8 17 65 256
  • 9. 9 19 82 512 Tabela de crescimento linear (f(x) = x + 2), crescimento quadrático (f(x) = x2 + 1) e crescimento exponencial (f(x) = 2x ) ; A potenciação Para saber lidar com as funções exponenciais, é fundamental que recordemos aqui algumas propriedades da potenciação. 1. Os números envolvidos na potenciação tem as seguintes definições: 2. A potenciação é uma extensão da multiplicação (assim como a multiplicação é uma extensão da soma). Ex: assim como 2.5 = 2+2+2+2+2, temos que 25 = 2.2.2.2.2; 3. Sendo assim, note que a multiplicação de potências de mesma base se faz somando os expoentes: Por outro lado, como 23 = 8 e 25 = 32, então 23 .25 = 8.32 = 256. Isso comprova que 23 .25 = 28 .
  • 10. 4. Da mesma forma, toda divisão de potência de mesma base se faz subtraindo os expoentes. Ex: Note que . 5. Da mesma forma, toda potenciação de uma potenciação se realiza multiplicando os expoentes. Ex: Note que . 6. Da mesma forma, toda radiciação de uma potenciação se realiza dividindo-se os expoentes. Ex: Note que: . 7. Toda potenciação com expoente 0 é igual a 1. Ex: .
  • 11. 8. Das propriedades acima, vemos que, uma potenciação com expoente negativo é igual a uma potenciação com o mesmo expoente positivo e base invertida. Ex: Outros exemplos: , . Obs: todas as propriedades citadas antes valem para expoente negativo. 9. A igualdade das potenciações: duas potenciações são iguais se suas bases e seus expoentes forem estritamente iguais. Essa propriedade será fundamental na resolução de equações, como nos exemplos. Ex: Outro exemplo: ]Equações exponenciais São todas as equações cujas incógnitas encontram-se no expoente. As formas mais comuns de se resolver equações exponenciais são: através das propriedades da potenciação (principalmente a 9) e através da substituição da exponenciação por uma nova variável. a) Aproveitando as propriedades da potenciação: Exemplo: vamos resolver a equação . Outro exemplo, vamos resolver .
  • 12. Note que a equação exponencial resultou em uma equação algébrica, cuja resolução é feita a seguir:
  • 13. Neste caso, a equação algébrica transformou-se em uma equação do segundo grau, resolvida através da fórmula de Bháskara. Note que este exercício cobrou vários conceitos na resolução de equações exponenciais. Um outro modo de resolução se dá através de substituição por outra variável. Neste caso, quando há uma exponenciação comum em todos os termos da equação, podemos substituí-la por uma variável simples, de modo a tornar a equação do 1º ou 2º graus e facilitar a resolução. Exemplo: vamos resolver 9x + 3 = 4.3x . Aproveitando-se de que o termo aparece em alguns termos da equação (e não aparece nenhum outro tipo de exponenciação diferente), podemos fazer 3x = y, e daí teremos: Como y = 3x é o valor que precisamos descobrir, fazemos: Note que após resolver as equações do 1º/2º graus, criamos uma equação exponencial e a resolvemos, gerando a solução final. Exponenciais Crescentes e Decrescentes Vamos observar mais um caso em que se usa funções exponenciais. As substâncias químicas radioativas possuem uma característica que é chamada de meia-vida. A meia-vida é um período de tempo no qual a quantidade presente da substância radioativa
  • 14. reduz-se para metade do seu valor inicial e a radiação emitida (muitas vezes prejudicial aos seres humanos) vai sendo diminuída. Para exemplificar esse conceito, suponha uma quantidade de 1 kg da substância Urânio 238 que foi isolada. Após uma meia-vida, teremos a metade disso (ou seja 0,5 Kg ou 500 g). Após mais uma meia vida (duas meias-vidas) teremos 0,25 Kg (ou 250 g) de Urânio 238 e assim em diante. A meia-vida do Urânio 238 é de 5 bilhões de anos. A quantidade de Urânio em função das meias-vidas que passaram é dado pela função ... cuja tabela e gráficos são mostrados a seguir. Nº de meias-vidas Quantidade de Urânio 0 1 Kg 1 0,5 Kg = 500 g 2 0,250 Kg = 250 g 3 0,125 Kg = 125 g
  • 15. 4 0,0625 Kg = 62,5 g Tabela de ; O caso das bactérias, dado no início do capítulo, é um exemplo de função exponencial crescente (ou decaimento exponencial). O caso da meia-vida é um exemplo de função exponencial decrescente. Características das funções exponenciais Dada a função f(x) = ax , temos:  O domínio é o conjunto dos números reais.  A imagem são os números reais maiores que zero;  O gráfico sempre contém o ponto (0,1);  A função será crescente se a > 1 e decrescente se 0 < a < 1;  A função será constante se a = 1; Gráficos de funções crescente e decrescente: Gráfico função exponencial crescente
  • 16. Gráfico função exponencial decrescente Inequações exponenciais Todas as propriedades vistas na resolução de equações exponenciais também valem para inequações exponenciais. A única diferença é que o sinal pode se alterar no caso da função ser crescente ou decrescente. Também tudo o que foi visto em inequações produto, modular e quociente valem se estivermos tratando de equações exponenciais. Exemplo: Vamos resolver . As raízes de f(x) = x2 − 3x + 2 são x1 = 1 e x2 = 2. Logo, como f(x) = x2 − 3x + 2 tem concavidade para cima, vemos que x2 − 3x + 2 > 0 em x < 1 e x > 2. Logo o conjunto solução da inequação exponencial é:
  • 17. Outro exemplo:Vamos resolver . Note que trocamos o sinal, pois a base é menor que 1 (a funcão é decrescente). Logo, a solução será: . Exercícios 1. (PUC – PR adaptado) Resolva a equação 16.52x = 25.20x . 2. (UECE adaptado) Se x1 e x2 são raízes da equação , então quanto vale ? 3. Resolva a equação 3x + 2 + 3x + 1 + 3x + 3x − 1 + 3x − 3 = 16119. 4. (UEL – PR adaptado) Qual a diferença entre a maior e a menor raiz de ? 5. (Mack – SP adaptado) Qual o produto das raízes de 22x − 3.2x + 2 = 0? 6. (PUC – SP adaptado) Resolva a equação 4x + 4 = 5.2x . 7. (Fatec – SP adaptado) Resolva a inequação 2 − x .4x < 8x + 1 . 8. (UFPa adaptado) Qual o conjunto solução de ? 9. (Mack – SP adaptado) Qual o conjunto solução de 22x + 2 − 0,75.2x + 2 < 1?
  • 18. 10.(PUC – RS adaptado) Qual o domínio da função ? 11.(UFRGS adaptado) Descubra a soma de todos os números inteiros que satisfazem a desigualdade 81 − 1 < 32x + 1 < 27. 12.(PUC – MG) Descubra o valor de x + y, sabendo que x e y são soluções do sistema: . Gabarito 1. x = 2 2. 10 3. 7 4. 1 5. 0 6. x1 = 0 e x2 = 2 7. 8. 9. 10. 11.-3 12.2