SlideShare uma empresa Scribd logo
TRIGONOMETRIA
A trigonometria é uma parte importante da Matemática. Começaremos lembrando as relações
trigonométricas num triângulo retângulo.
Num triângulo ABC, retângulo em A, indicaremos por Bˆ e por Cˆ as medidas dos ângulos
internos, respectivamente nos vértices B e C.
TEOREMA DE PITÁGORAS: Em todo triângulo retângulo, a soma dos quadrados das medidas
dos catetos é igual ao quadrado da medida da hipotenusa.
222
cba 
Definições:
1. Em todo triângulo retângulo, o seno de um ângulo agudo é a razão entre a medida do
cateto oposto a esse ângulo e a medida da hipotenusa.
a
b
hipotenusa
Bˆânguloaoopostocateto
Bˆsen 
a
c
hipotenusa
Cˆânguloaoopostocateto
Cˆsen 
2. Em todo triângulo retângulo, o cosseno de um ângulo agudo é a razão entre a medida do
cateto adjacente a esse ângulo e a medida da hipotenusa.
a
c
hipotenusa
Bˆânguloaoadjacentecateto
Bˆcos 
a
b
hipotenusa
Cˆânguloaoadjacentecateto
Cˆcos 
3. Em todo triângulo retângulo, a tangente de um ângulo agudo é a razão entre a medida dos
catetos oposto e adjacente a esse ângulo.
c
b
Bˆânguloaoadjacentecateto
Bˆânguloaoopostocateto
Bˆtg 
b
c
Cˆânguloaoadjacentecateto
Cˆânguloaoopostocateto
Cˆtg 
Observação:
Note que
Bˆcos
Bˆsen
a
c
a
b
c
b
Bˆtg  .
Em geral, utilizaremos
xcos
xsen
xtg  , para o ângulo x.
VALORES NOTÁVEIS
1) Considere o triângulo eqüilátero de medida de lado a.
2
1
a
2
a
)30(sen 
2
3
a
2
3a
)30cos( 
3
3
3
1
2
3a
2
a
)30(tg 
2
3
a
2
3a
)60(sen 
2
1
a
2
a
)60cos(  3
2
a
2
3a
)60(tg 
2) Considere o quadrado de medida de lado a.
2
2
2
1
2a
a
)45(sen 
2
2
2
1
2a
a
)45cos(  1
a
a
)45(tg 
Resumindo:
30o
45o
60o
Seno
2
1
2
2
2
3
Cosseno
2
3
2
2
2
1
Tangente
3
3 1 3
ARCOS DE CIRCUNFERÊNCIA
Dados dois pontos distintos A e B sobre uma circunferência, esta fica dividida em duas partes,
denominadas arcos, que indicaremos por ou .
As unidades usuais para arcos de circunferência são: grau e radiano.
MEDIDA DE ARCOS
Considere uma circunferência orientada, de centro O e raio unitário. Definimos:
GRAU: é o arco unitário correspondente a
360
1
da circunferência que contém o arco a ser
medido.
RADIANO: é um arco unitário cujo comprimento é igual ao raio da circunferência que contém o
arco a ser medido. ( o
radiano 571  )
As medidas de arcos de circunferências em graus e em radianos são diretamente proporcionais,
possibilitando a obtenção da equação de conversão de unidades, através de uma regra de três
simples, em que  é a medida em graus e  em radianos.
medida em graus medida em radianos
 
180 





180
CICLO TRIGONOMÉTRICO
Considere uma circunferência orientada, de centro O e raio unitário. Imagine um ponto A se
deslocando sobre a circunferência.
Existe uma diferença muito importante para se graduar uma reta e uma circunferência: enquanto
que na reta cada ponto corresponde a um único número real, na circunferência cada ponto
corresponde a uma infinidade de números reais e todos diferem de múltiplos inteiros de 2 .
A figura a seguir ilustra a graduação, em radianos, de uma circunferência de raio 1.
Ao marcarmos o ponto P na circunferência de raio 1, temos um triângulo retângulo
correspondente, de onde calculamos:
p
p
x
1
x
cos  ; p
p
y
y
sen 
1
; 122
 pp yx obtendo-se 122
 sencos
A figura acima mostra que no eixo x temos o valor do cosseno e no eixo y, temos o seno,
definindo o chamado ciclo trigonométrico.
Para os pontos A, B, C e D podemos obter os seguintes valores:
sen0 = yA = 0 cos0 =xA = 1
sen
2
 = yB = 1 cos
2
 =xB = 0
sen  = yC = 0 cos  =xC = -1
sen
2
3 = yD = 1 cos
2
3 =xD = 0
sen2 = yA = 0 cos2  =xA = 1
FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS
Estudaremos as funções seno, cosseno, tangente, cotangente, secante e cossecante, nos ciclos
trigonométricos.
Veremos a periodicidade e os gráficos das funções seno cosseno e tangente.
O que é periodicidade?
Para que fique bem claro o que este termo quer dizer, vamos exemplificar com os dias da
semana, de 7 em 7 dias eles se repetem, chamamos este fato de periódico, e o período é 7.
Estas três funções que serão apresentadas são ditas funções periódicas.
Definição: Uma função f é periódica se existir um número real p > 0 tal que f(x+p) = f(x),
fDomx  . Neste caso, o menor valor de p que satisfaz tal condição é chamado período de f.
Observação: o gráfico de uma função periódica é caracterizado por ter seu “desenho” se
repetindo. Assim, para desenharmos a curva toda, basta desenharmos a parte correspondente a
um período e copiar à direita e à esquerda infinitas cópias da parte desenhada.
Vamos analisar a periodicidade destas três funções trigonométricas:
1) Seno
sen(x) = sen(x + 2 ) = sen(x + 4 ) =..... = sen(x + k2  ), k  Z.
Seno é função periódica de período 2 
2) Cosseno
cos(x) = cos(x + 2  ) = cos(x + 4  ) =..... = cos(x + k2  ), k  Z.
Cosseno é função periódica de período 2
3) Tangente
tg(x) = tg(x +  ) = tg(x+ 2 ) =..... = tg(x + k  ), k  Z.
Tangente é função periódica de período 
Generalizando: y = a sen(kx) e y = a cos(kx) p =
k
2
Generalizando: y = a tg(kx) p =
k

Exemplos:
1) Determine o período de cada função:
a). y = 3 sen(x) p = 2 
b) y = 3 sen(2x) p = 

2
2
c). y = 2 sen(x/2) p = 

4
2/1
2
d) y = 3 cos(2x) p = 

2
2
e) y = cos(3x/5) p =
3
10
5/3
2 


2) Determine o período de cada função:
a). y = tg(2x) p =
2

b). y = 2 tg(x) p = 
a). y = tg(x/2) p = 

2
2/1
GRÁFICO DA FUNÇÃO SENO
y = sen x
Propriedades
a) Dom = 
b) Img = [-1, 1]
c) Período = 2
d) sen (-x) = - sen (x)
GRÁFICO DA FUNÇÃO COSSENO
y = cos x
Propriedades
a) Dom = 
b) Img = [-1, 1]
c) Período = 2
d) cos (-x) = cos (x)
GRÁFICO DA FUNÇÃO TANGENTE
y = tg x
Propriedades
a) Dom = }kx/x{  2
b) Img = 
c) Período = 
d) tg (-x) = -tg (x)
RELAÇÕES FUNDAMENTAIS
tg x =
xcos
senx
, para 

 k
2
x com Zk 
sen2
x + cos2
x = 1, para Rx 
cotg x =
senx
xcos
, para  kx com Zk  sec2
x = 1 + tg2
x, para 

 k
2
x com Zk 
sec x =
xcos
1
, para 

 k
2
x com Zk 
cossec2
x = 1 + cotg2
x, para  kx com Zk 
cossec x =
senx
1
, para  kx com Zk 
FÓRMULAS DE ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
Sendo “a” e “b” dois números reais.
sen(a + b) = sena.cosb + cosa.senb sen(a – b) = sena.cosb – cosa.senb
cos(a + b) = cosa.cosb - sena.senb cos(a – b) = cosa.cosb + sena.senb
tg(a + b) =
tgb.tga
tgbtga


1
tg(a - b) =
tgb.tga
tgbtga


1
Exemplos
1) Calcule
a) )15cos( 
Solução:
4
26
2
1
2
2
2
3
2
2
)30(sen)45(sen)30cos()45cos()3045cos()15cos(


 
b) )15(sen 
Solução:
4
26
2
1
2
2
2
3
2
2
)30cos()45(sen)30cos()45(sen)3045(sen)15(sen


 
b) )15(tg 
Solução:
 
 
  32
6
326
6
3612
39
3369
33
33323
33
33
33
33
33
33
3
33
3
33
3
3
11
3
3
1
)30(tg)45(tg1
)30(tg)45(tg
)3045(tg)15(tg
22
22

































FÓRMULAS DE MULTIPLICAÇÃO: ARCO DUPLO (2a)
A partir das fórmulas de adição e subtração, podemos obter as seguintes fórmulas de
multiplicação:
cos(2a) = cos(a+a) = cos a cos a – sen a sen a = cos2
a – sen2
a =
=cos2
a –(1- cos2
a ) = 2 cos2
a -1
sen(2a) = sen(a+a) = sen a cos a + sen a cos b = 2 sen a cos a
tg(2a) = tg (a+a) =
atg1
tga2
tga.tga1
tgatga
2




Ou seja,
cos 2a = asenacos 22  sen 2a = 2 sen a . cos a
cos 2a = 2 cos2
a – 1
tg 2a =
.atg1
tga2
2

cos 2a= 1 – 2 sen2
a
Exemplos
1) Sabendo que
3
1
)x(tg  , calcule tg(2x).
Solução
tg(2x) =
4
3
8
9
3
2
9
8
3
2
9
1
1
3
1
2
.xtg1
xtg2
2





2) Resolva a equação 1)x(sen3)x2cos(  .
Solução
02)x(sen3)x(sen2
1)x(sen3)x(sen)x(sen1
1)x(sen3)x(sen)x(cos
1)x(sen3)x2cos(
2
22
22




Resolvendo a equação de 2º grau em sen(x), temos:
25169)2(2432 
xexistenão2
4
53
ou
k2
6
5
xouk2
6
x
2
1
4
53
4
53
)x(sen











Conjunto solução:










 Zk,k2
6
5
xouk2
6
xRxS
FÓRMULAS DE BISSECÇÃO
As fórmulas de bissecção podem ser obtidas do seguinte modo:
2
)b2cos(1
bsen)b2cos(1bsen2bsen21)b2cos( 222 
 e, se considerarmos b=
2
a
,
obtemos
2
1
2
2 acosa
sen

 .
Seguindo essa idéia, temos
2
1
2
2 acosa
sen


2
1
2
2 acosa
cos


acos
acosa
tg



1
1
2
2
RELAÇÕES DE PROSTAFÉRESE
Fazendo





qba
pba
, ou seja,










2
qp
b
2
qp
a
e substituindo nas fórmulas de adição e subtração,
obtemos as relações de prostaférese dadas por
sen p + sen q =
2
qp
cos
2
qp
sen2




sen p - sen q =
2
qp
cos
2
qp
sen2




cos p + cos q =
2
qp
cos
2
qp
cos2




cos p - cos q =
2
qp
sen
2
qp
sen2




tg p + tg q =
)qcos().pcos(
)qp(sen 
tg p - tg q =
)qcos().pcos(
)qp(sen 
FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS INVERSAS
Nosso problema agora é procurar, se existirem, valores de y para os quais sen y = x,
lembrando que 1x1  .
Dado x, o valor de y correspondente tal que sen y = x determina uma função. Mas, para que o
valor de x determinado seja único, teremos que usar a restrição
2
y
2



.
Para solucionarmos esta questão, temos que estudar as funções trigonométricas inversas.
1) Função arco-seno (arcsen)
A cada x  [–1,1] associa-se um único y 




 

2
,
2
tais que sen y = x.
Assim, definimos a função
arcsen : [–1,1] 




 

2
,
2
x )x(arcseny 
Exemplos
1) Calcule
a) y = arcsen(1/2)
Solução
y = arcsen(1/2)  sen y = 1/2 . Lembrando que y 




 

2
,
2
, temos y =  /6, ou seja,
62
1
arcsen







.
b) y = arcsen(0)
Solução
y = arcsen(0)  sen y = 0 . Lembrando que y 




 

2
,
2
, temos y = 0, ou seja,   00arcsen  .
c) y = arcsen(-1/2)
Solução
y = arcsen(-1/2)  sen y = -1/2 . Lembrando que y 




 

2
,
2
, temos y =  /6, ou seja,
62
1
arcsen







 .
d) y = arcsen(1)
Solução
y = arcsen(1)  sen y = 1 . Lembrando que y 




 

2
,
2
, temos y =  /2, ou seja,  
2
1arcsen

 .
2) Função arco-cosseno (arccos)
A cada x  [–1,1] associa-se um único y   ,0 tais que cos y = x.
Assim, definimos a função
arccos : [–1,1]   ,0
x )xarccos(y 
Exemplos
1) Calcule
a) y = arccos(1/2)
Solução
y = arccos(1/2)  cos y = 1/2 . Lembrando que y   ,0 , temos y =  /3, ou seja,
32
1
arccos







.
b) y = arccos(0)
Solução
y = arccos(0)  cos y = 0 . Lembrando que y   ,0 , temos y =  /2, ou seja,  
2
0arccos

 .
c) y = arccos(-1/2)
Solução
y = arccos(-1/2)  cos y = -1/2. Lembrando que y   ,0 temos y = 2 /3, ou seja,
3
2
2
1
arccos







 .
d) y = arccos(1)
Solução
y = arccos(1)  cos y = 1 . Lembrando que y   ,0 temos y =  , ou seja,   1arccos .
3) Função arco-tangente (arctg)
A cada x  [–1,1] associa-se um único y 




 

2
,
2
tais que tg y = x.
Assim, definimos a função
arcsen : [–1,1] 




 

2
,
2
x )x(arctgy 
Exemplos
1) Calcule
a) y = arctg(1)
Solução
y = arctg(1)  tg y = 1 . Lembrando que y 




 

2
,
2
, temos y =  /4, ou seja,  
4
1arctg

 .
b) y = arcsen( 3 )
Solução
y = arctg( 3 )  tg y = 3 . Lembrando que y 




 

2
,
2
, temos y =  /3, ou seja,
  3
3arctg

 .
c) y = arctg(-1)
Solução
y = arctg(-1)  tg y = -1 . Lembrando que y 




 

2
,
2
, temos y =  /4, ou seja,  
4
1arctg

 .
EXERCÍCIOS SOBRE TRIGONOMETRIA
1) Em cada um dos casos, calcule o seno, o cosseno, a tangente do ângulo agudo assinalado:
2) Um barco deveria sair do porto da cidade A e ir até o porto da cidade B em uma linha reta, (no
sentido norte-sul). Entretanto, uma correnteza fez com que o barco sofresse um desvio de na
direção leste. Ultrapassando o trecho de correnteza o capitão necessitou efetuar uma correção no
rumo no barco de 45º para a esquerda, de tal forma que ao reencontrar a rota original é possível
traçar um triângulo retângulo.
(norte) A
5 milhas
(leste)
(sul) B
3) A lua é satélite natural da Terra e faz uma revolução em torno do sol em aproximadamente 28
dias.
a) De quantos radianos é o movimento da lua em um dia?
b) Qual a distância percorrida pela lua em uma revolução completa? (adote a distância da terra à
lua de 385.000km).
4) Reduza os arcos à primeira volta, represente-os graficamente e calcule o valor de seu seno,
cosseno e tangente.
a)1470º b) –1020º c)
4
25
d)
2
5

5) Determine o valor de
(a) sen 1620º (b) sen (-990º)
6) Sendo sen a = 1/2 e cos b = -1/2, sabendo que a e b são arcos do 2º quadrante, calcule:
a) sen (a+b) b) cos(a-b) c) tg (a+b)
Se o barco percorreu 5 milhas na direção
leste, quanto ele teve que andar para
retornar á rota original?
7) Resolva a expressão matemática
a) x = sen (/6)- cos (2/3)-3*sen()
b) y = tg(/4)+2*sen(5/6) – [sen (/3)-cos(/6)]
8) (MACK) O valor se sen 55º.cos35º+sen35º.cos55º é:
a) –1 b) -0,5 c) zero d)0,5 e) 1,0
9) Simplifique as expressões:
a) )x5(sen)x9(sen  b) sen (x-900º) + cos (x-540º)
10) Construa o gráfico (dois períodos completos) das seguintes funções, explicitando o domínio, a
imagem e o período:
a) y = 4 sen x b) y=1 - sen x c) y = 2 sen x/4
11) Calcule :
a) sen (9/4) e cos (9/4)
b) sen (-2/3) e sen (-2/3)
c) sen 8 e cos8
12. Encontre os valores do ângulo no intervalo [0, 2) que satisfaça as equações:
a) sen =1; cos=-1; tg =1; sec=1;
b) sen =0; cos=0; tg=0; sec=0;
c) sen = -1/2; cos= 1/2; tg= -1; sec=2.
13. Determine o período das funções:
a) y = sen (8) b) z= 4 sen (8)
c) x = cos (4/7) d) p=3 cos(/4+/2)
14. Simplifique a expressão 







 cos
2
sen)sen()sen( .
15. Sabendo-se que sen  = -1/3, calcule:
a) sen (  - ) b) sen (  + ) c) cos (/2 - )
16. Usando as fórmulas de adição, calcule:
a) sen (+/2) b) cos75º c) cos (5/6), (sugestão 5/6 = /2+/3)
17. Mostre que  cossen22sen .
18. Mostre que
2
2cos
2
1
cos2 
 .
RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS DO CÁLCULO ZERO - TRIGONOMETRIA
1) a)
2
1
tg,
5
52
cos,
5
5
sen  b)
4
3
tg,
5
4
cos,
5
3
sen 
2) 5 2
3) a) /14 rad b) 770.000  km
4) a) 1470º equivale a 30º portando sen 30º = ½; cos 30º = 3 /2 e tg 30º = 3 /3
b) – 920 º equivale a 60º portando sen 60º = 3 /2 , cos 60º =1/2 e tg 60º = 3
c) 25/4 equivale a /4 portando sen /4 = 2 /2 , cos /4 = 2 /2 e tg /4 = 1
d) -5/2 equivale a 3/2 portando sen 3/2 = -1 , cos 3/2 = 0 e tg 3/2 = indefinida
5) a) zero b) 1
6) a) 1 b) 3 /2 c)indefinido
7) a) -1 b) 2
8) e
9) a) 2 sen x b) -sen x - cos x
10) a) Dom =  , Im = [-4, 4], p=2 b) ) Dom =  , Im = [0, 1], p=2
c) Dom =  , Im = [-2, 2], p=8
11) a) 2 /2 e 2 /2 b) - 3 /2 e -1/2 c) 0 e 1
12) a) /2, , /4 e 5/4, 0
b) 0 e , /2 e 3/2, 0 e , /2 e 3/2
c) 7/6 e 11/6, /3 e 5/3, 3/4 e 7/4, /3 e 5/3
13) a) /4 b) /4 c) 7/2 d) 8
14) –2sen
15) a) – 1/3 b) 1/3 c) -1/2
16) a) - 3 /2 b)   4/26  c) - 3 /2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Circunfrência
CircunfrênciaCircunfrência
Circunfrência
bonesea
 
Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)
Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)
Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)
Sitedo2AnoEliezer2013
 
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...
Rodrigo Penna
 
Velocidade Escalar Média
Velocidade Escalar MédiaVelocidade Escalar Média
Velocidade Escalar Média
Miky Mine
 
Geometria plana
Geometria planaGeometria plana
Geometria plana
slidericardinho
 
Sistemas de equações so 1º grau apresentação
Sistemas de equações so 1º grau apresentaçãoSistemas de equações so 1º grau apresentação
Sistemas de equações so 1º grau apresentação
CIEP 456 - E.M. Milcah de Sousa
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
O mundo da FÍSICA
 
Determinantes 2º ano
Determinantes 2º anoDeterminantes 2º ano
Determinantes 2º ano
Alessandro Candido
 
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNciaPosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
ISJ
 
Perspectiva Para a Soberania Alimentar Brasileira
Perspectiva Para a Soberania Alimentar BrasileiraPerspectiva Para a Soberania Alimentar Brasileira
Perspectiva Para a Soberania Alimentar Brasileira
Larissa Brasileiro
 
22ª aula função afim
22ª aula   função afim22ª aula   função afim
22ª aula função afim
jatobaesem
 
Teorema de tales
Teorema de talesTeorema de tales
Teorema de tales
Rodrigo Carvalho
 
Aula optica 01
Aula optica 01Aula optica 01
Aula optica 01
Moura Junior A C
 
Resolução da lista de exercícios i
Resolução da lista de exercícios iResolução da lista de exercícios i
Resolução da lista de exercícios i
luisresponde
 
Exercícios resolvidos de geometria plana triângulos retângulos - celso brasil
Exercícios resolvidos de geometria plana   triângulos retângulos - celso brasilExercícios resolvidos de geometria plana   triângulos retângulos - celso brasil
Exercícios resolvidos de geometria plana triângulos retângulos - celso brasil
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Olimpíada de matemática
Olimpíada de matemáticaOlimpíada de matemática
Olimpíada de matemática
Nuricel Aguilera
 
Hidrostática resumo
Hidrostática resumoHidrostática resumo
Hidrostática resumo
Luiz Alfredo Andrade Ferraz
 
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUVMovimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
O mundo da FÍSICA
 
Exercícios de rumos e azimutes
Exercícios de rumos e azimutesExercícios de rumos e azimutes
Exercícios de rumos e azimutes
Marcondes Dantas Cardoso
 
IV Lista de Exercícios - 8º ano
IV Lista de Exercícios - 8º anoIV Lista de Exercícios - 8º ano
IV Lista de Exercícios - 8º ano
SENAI/FATEC - MT
 

Mais procurados (20)

Circunfrência
CircunfrênciaCircunfrência
Circunfrência
 
Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)
Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)
Conteúdo sobre Arranjo Simples (20.05.2013)
 
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...
 
Velocidade Escalar Média
Velocidade Escalar MédiaVelocidade Escalar Média
Velocidade Escalar Média
 
Geometria plana
Geometria planaGeometria plana
Geometria plana
 
Sistemas de equações so 1º grau apresentação
Sistemas de equações so 1º grau apresentaçãoSistemas de equações so 1º grau apresentação
Sistemas de equações so 1º grau apresentação
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
 
Determinantes 2º ano
Determinantes 2º anoDeterminantes 2º ano
Determinantes 2º ano
 
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNciaPosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
 
Perspectiva Para a Soberania Alimentar Brasileira
Perspectiva Para a Soberania Alimentar BrasileiraPerspectiva Para a Soberania Alimentar Brasileira
Perspectiva Para a Soberania Alimentar Brasileira
 
22ª aula função afim
22ª aula   função afim22ª aula   função afim
22ª aula função afim
 
Teorema de tales
Teorema de talesTeorema de tales
Teorema de tales
 
Aula optica 01
Aula optica 01Aula optica 01
Aula optica 01
 
Resolução da lista de exercícios i
Resolução da lista de exercícios iResolução da lista de exercícios i
Resolução da lista de exercícios i
 
Exercícios resolvidos de geometria plana triângulos retângulos - celso brasil
Exercícios resolvidos de geometria plana   triângulos retângulos - celso brasilExercícios resolvidos de geometria plana   triângulos retângulos - celso brasil
Exercícios resolvidos de geometria plana triângulos retângulos - celso brasil
 
Olimpíada de matemática
Olimpíada de matemáticaOlimpíada de matemática
Olimpíada de matemática
 
Hidrostática resumo
Hidrostática resumoHidrostática resumo
Hidrostática resumo
 
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUVMovimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
 
Exercícios de rumos e azimutes
Exercícios de rumos e azimutesExercícios de rumos e azimutes
Exercícios de rumos e azimutes
 
IV Lista de Exercícios - 8º ano
IV Lista de Exercícios - 8º anoIV Lista de Exercícios - 8º ano
IV Lista de Exercícios - 8º ano
 

Destaque

Arcos e ângulos
Arcos e ângulosArcos e ângulos
Arcos e ângulos
Matematica Eemhvl
 
Formulas para calculo de areas
Formulas para calculo de areasFormulas para calculo de areas
Formulas para calculo de areas
Thays Moraes
 
Trigonometria para 1º ano 1ª parte
Trigonometria para 1º ano 1ª parteTrigonometria para 1º ano 1ª parte
Trigonometria para 1º ano 1ª parte
Rosana Santos Quirino
 
Projeto email sem_nome_escola
Projeto email sem_nome_escolaProjeto email sem_nome_escola
Projeto email sem_nome_escola
Wilson Barbieri
 
Breve história da trigonometria
Breve história da trigonometriaBreve história da trigonometria
Breve história da trigonometria
Dalila Silva
 
A Trigonometria
A TrigonometriaA Trigonometria
A Trigonometria
jeduardosousa
 
Equações e inequações trigonométricas
Equações e inequações trigonométricasEquações e inequações trigonométricas
Equações e inequações trigonométricas
Arthur Moreira
 
Calculando raízes quadradas através da trigonometria
Calculando raízes quadradas através da trigonometriaCalculando raízes quadradas através da trigonometria
Calculando raízes quadradas através da trigonometria
andreluizcasali
 
Trigonometria
TrigonometriaTrigonometria
Trigonometria
José Eugênio Gimenez
 
Revisão Trigonometria
Revisão TrigonometriaRevisão Trigonometria
Revisão Trigonometria
glaucialp
 
2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s
Diogo Santos
 
Sondagem Inicial (Língua Portuguesa)
Sondagem  Inicial (Língua Portuguesa)Sondagem  Inicial (Língua Portuguesa)
Sondagem Inicial (Língua Portuguesa)
silvinha331
 
1 exercícios - reações em vigas isostáticas
1   exercícios - reações em vigas isostáticas1   exercícios - reações em vigas isostáticas
1 exercícios - reações em vigas isostáticas
Gily Santana
 
2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s
Diogo Santos
 
Matemática - Exercícios Resolvidos de Trigonometria
Matemática -  Exercícios Resolvidos de TrigonometriaMatemática -  Exercícios Resolvidos de Trigonometria
Matemática - Exercícios Resolvidos de Trigonometria
Joana Figueredo
 
Trigonometria - novo
Trigonometria - novo Trigonometria - novo
Trigonometria - novo
Pedro Teixeira
 
Trigonometria Marcia
Trigonometria MarciaTrigonometria Marcia
Trigonometria Marcia
marcia2311
 
Apostila 2º ano Ensino Fundamental
Apostila 2º ano Ensino FundamentalApostila 2º ano Ensino Fundamental
Apostila 2º ano Ensino Fundamental
escolatkc
 
Relatorio fisica experimental trilho de ar
Relatorio  fisica experimental trilho de arRelatorio  fisica experimental trilho de ar
Relatorio fisica experimental trilho de ar
Toninha Silva
 
Apostila trigonometria exercícios resolvidos
Apostila trigonometria exercícios resolvidosApostila trigonometria exercícios resolvidos
Apostila trigonometria exercícios resolvidos
trigono_metria
 

Destaque (20)

Arcos e ângulos
Arcos e ângulosArcos e ângulos
Arcos e ângulos
 
Formulas para calculo de areas
Formulas para calculo de areasFormulas para calculo de areas
Formulas para calculo de areas
 
Trigonometria para 1º ano 1ª parte
Trigonometria para 1º ano 1ª parteTrigonometria para 1º ano 1ª parte
Trigonometria para 1º ano 1ª parte
 
Projeto email sem_nome_escola
Projeto email sem_nome_escolaProjeto email sem_nome_escola
Projeto email sem_nome_escola
 
Breve história da trigonometria
Breve história da trigonometriaBreve história da trigonometria
Breve história da trigonometria
 
A Trigonometria
A TrigonometriaA Trigonometria
A Trigonometria
 
Equações e inequações trigonométricas
Equações e inequações trigonométricasEquações e inequações trigonométricas
Equações e inequações trigonométricas
 
Calculando raízes quadradas através da trigonometria
Calculando raízes quadradas através da trigonometriaCalculando raízes quadradas através da trigonometria
Calculando raízes quadradas através da trigonometria
 
Trigonometria
TrigonometriaTrigonometria
Trigonometria
 
Revisão Trigonometria
Revisão TrigonometriaRevisão Trigonometria
Revisão Trigonometria
 
2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol2_baixa_mat_matematica_em_2s
 
Sondagem Inicial (Língua Portuguesa)
Sondagem  Inicial (Língua Portuguesa)Sondagem  Inicial (Língua Portuguesa)
Sondagem Inicial (Língua Portuguesa)
 
1 exercícios - reações em vigas isostáticas
1   exercícios - reações em vigas isostáticas1   exercícios - reações em vigas isostáticas
1 exercícios - reações em vigas isostáticas
 
2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s
2 caderno do aluno 2014_2017_vol1_baixa_mat_matematica_em_2s
 
Matemática - Exercícios Resolvidos de Trigonometria
Matemática -  Exercícios Resolvidos de TrigonometriaMatemática -  Exercícios Resolvidos de Trigonometria
Matemática - Exercícios Resolvidos de Trigonometria
 
Trigonometria - novo
Trigonometria - novo Trigonometria - novo
Trigonometria - novo
 
Trigonometria Marcia
Trigonometria MarciaTrigonometria Marcia
Trigonometria Marcia
 
Apostila 2º ano Ensino Fundamental
Apostila 2º ano Ensino FundamentalApostila 2º ano Ensino Fundamental
Apostila 2º ano Ensino Fundamental
 
Relatorio fisica experimental trilho de ar
Relatorio  fisica experimental trilho de arRelatorio  fisica experimental trilho de ar
Relatorio fisica experimental trilho de ar
 
Apostila trigonometria exercícios resolvidos
Apostila trigonometria exercícios resolvidosApostila trigonometria exercícios resolvidos
Apostila trigonometria exercícios resolvidos
 

Semelhante a Trigonometria básica

trigonometria
trigonometriatrigonometria
trigonometria
carlos monteiro
 
Funções trigonométricas
Funções trigonométricasFunções trigonométricas
Funções trigonométricas
Carlos Campani
 
1 ano trigonometria no triângulo retângulo - 2008
1 ano   trigonometria no triângulo retângulo - 20081 ano   trigonometria no triângulo retângulo - 2008
1 ano trigonometria no triângulo retângulo - 2008
Erick Fernandes
 
Aula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdf
Aula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdfAula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdf
Aula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdf
RafaelVictorMorenoPo
 
Base trigonometria 001
Base trigonometria  001Base trigonometria  001
Base trigonometria 001
trigono_metria
 
Geometria analítica2
Geometria analítica2Geometria analítica2
Geometria analítica2
Kaline Andreza
 
Geometria analítica2
Geometria analítica2Geometria analítica2
Geometria analítica2
Kaline Andreza
 
Integral de linha
Integral de linhaIntegral de linha
Integral de linha
Polyanna Ferreira
 
Trigonometria ponteiros relogio
Trigonometria ponteiros relogioTrigonometria ponteiros relogio
Trigonometria ponteiros relogio
trigono_metria
 
Função trigonometrica
Função trigonometricaFunção trigonometrica
Função trigonometrica
myri2000
 
Ciclo trigonometrico
Ciclo trigonometricoCiclo trigonometrico
Ciclo trigonometrico
ISJ
 
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte III
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte IIIPreparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte III
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte III
Maths Tutoring
 
Seno Cos Matematica Engenharia tigonométrica.ppt
Seno Cos  Matematica Engenharia tigonométrica.pptSeno Cos  Matematica Engenharia tigonométrica.ppt
Seno Cos Matematica Engenharia tigonométrica.ppt
seriusalmeida
 
RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdf
RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdfRAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdf
RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdf
RoseildoNunesDACruz1
 
Aula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e Trigonometricas
Aula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e TrigonometricasAula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e Trigonometricas
Aula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e Trigonometricas
Turma1NC
 
Funções do 1º grau
Funções do 1º grauFunções do 1º grau
Funções do 1º grau
Adriana Rigobello
 
3º Ano FunçãO
3º Ano  FunçãO3º Ano  FunçãO
3º Ano FunçãO
Leosmar Tavares
 
Trigonometria
TrigonometriaTrigonometria
Função trigonometrica
Função trigonometricaFunção trigonometrica
Função trigonometrica
myri2000
 
Ciclo trigo
Ciclo trigoCiclo trigo
Ciclo trigo
Charles Brown
 

Semelhante a Trigonometria básica (20)

trigonometria
trigonometriatrigonometria
trigonometria
 
Funções trigonométricas
Funções trigonométricasFunções trigonométricas
Funções trigonométricas
 
1 ano trigonometria no triângulo retângulo - 2008
1 ano   trigonometria no triângulo retângulo - 20081 ano   trigonometria no triângulo retângulo - 2008
1 ano trigonometria no triângulo retângulo - 2008
 
Aula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdf
Aula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdfAula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdf
Aula-05_-_Trigonometria-no-triangulo-retangulo.pdf
 
Base trigonometria 001
Base trigonometria  001Base trigonometria  001
Base trigonometria 001
 
Geometria analítica2
Geometria analítica2Geometria analítica2
Geometria analítica2
 
Geometria analítica2
Geometria analítica2Geometria analítica2
Geometria analítica2
 
Integral de linha
Integral de linhaIntegral de linha
Integral de linha
 
Trigonometria ponteiros relogio
Trigonometria ponteiros relogioTrigonometria ponteiros relogio
Trigonometria ponteiros relogio
 
Função trigonometrica
Função trigonometricaFunção trigonometrica
Função trigonometrica
 
Ciclo trigonometrico
Ciclo trigonometricoCiclo trigonometrico
Ciclo trigonometrico
 
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte III
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte IIIPreparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte III
Preparação exame nacional matemática 9.º ano - Parte III
 
Seno Cos Matematica Engenharia tigonométrica.ppt
Seno Cos  Matematica Engenharia tigonométrica.pptSeno Cos  Matematica Engenharia tigonométrica.ppt
Seno Cos Matematica Engenharia tigonométrica.ppt
 
RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdf
RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdfRAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdf
RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NA CIRCUNFERÊNCIAxxxxxxx.pdf
 
Aula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e Trigonometricas
Aula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e TrigonometricasAula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e Trigonometricas
Aula 7 - Funções Logarítmicas, Exponenciais e Trigonometricas
 
Funções do 1º grau
Funções do 1º grauFunções do 1º grau
Funções do 1º grau
 
3º Ano FunçãO
3º Ano  FunçãO3º Ano  FunçãO
3º Ano FunçãO
 
Trigonometria
TrigonometriaTrigonometria
Trigonometria
 
Função trigonometrica
Função trigonometricaFunção trigonometrica
Função trigonometrica
 
Ciclo trigo
Ciclo trigoCiclo trigo
Ciclo trigo
 

Mais de André Luís Nogueira

Trigonometria senos - cossenos e tangentes
Trigonometria   senos - cossenos e tangentesTrigonometria   senos - cossenos e tangentes
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
André Luís Nogueira
 
Notação científica completo
Notação científica   completoNotação científica   completo
Notação científica completo
André Luís Nogueira
 
Matematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_sejaMatematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_seja
André Luís Nogueira
 
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientificaLista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
André Luís Nogueira
 
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
André Luís Nogueira
 
Funções trigonométricas
Funções trigonométricasFunções trigonométricas
Funções trigonométricas
André Luís Nogueira
 
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabaritoExercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
André Luís Nogueira
 
Exercicios basicos conjuntos numéricos
Exercicios basicos   conjuntos numéricosExercicios basicos   conjuntos numéricos
Exercicios basicos conjuntos numéricos
André Luís Nogueira
 
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômiosExercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
André Luís Nogueira
 
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grauExercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
André Luís Nogueira
 
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveisExercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
André Luís Nogueira
 
Exercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricasExercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricas
André Luís Nogueira
 
Equações trigronométricas
Equações trigronométricasEquações trigronométricas
Equações trigronométricas
André Luís Nogueira
 
Equações e funções exponenciais
Equações e funções exponenciaisEquações e funções exponenciais
Equações e funções exponenciais
André Luís Nogueira
 
Equações de 2 grau funções
Equações de 2 grau   funçõesEquações de 2 grau   funções
Equações de 2 grau funções
André Luís Nogueira
 
Equações de 1 grau
Equações de 1 grauEquações de 1 grau
Equações de 1 grau
André Luís Nogueira
 
Conjuntos numericos
Conjuntos numericosConjuntos numericos
Conjuntos numericos
André Luís Nogueira
 
Conjuntos numéricos
Conjuntos numéricosConjuntos numéricos
Conjuntos numéricos
André Luís Nogueira
 

Mais de André Luís Nogueira (18)

Trigonometria senos - cossenos e tangentes
Trigonometria   senos - cossenos e tangentesTrigonometria   senos - cossenos e tangentes
Trigonometria senos - cossenos e tangentes
 
Notação científica completo
Notação científica   completoNotação científica   completo
Notação científica completo
 
Matematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_sejaMatematica unidade 08_seja
Matematica unidade 08_seja
 
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientificaLista de-exercacios-notacao-cientifica
Lista de-exercacios-notacao-cientifica
 
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
 
Funções trigonométricas
Funções trigonométricasFunções trigonométricas
Funções trigonométricas
 
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabaritoExercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
Exercicios+de+notacao+cientifica[1] +com+gabarito
 
Exercicios basicos conjuntos numéricos
Exercicios basicos   conjuntos numéricosExercicios basicos   conjuntos numéricos
Exercicios basicos conjuntos numéricos
 
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômiosExercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
Exercícios resolvidos sobre fatoração de polinômios
 
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grauExercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
 
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveisExercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
Exercícios resolvidos de polinômios, produtos notáveis
 
Exercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricasExercícios de razões trigonométricas
Exercícios de razões trigonométricas
 
Equações trigronométricas
Equações trigronométricasEquações trigronométricas
Equações trigronométricas
 
Equações e funções exponenciais
Equações e funções exponenciaisEquações e funções exponenciais
Equações e funções exponenciais
 
Equações de 2 grau funções
Equações de 2 grau   funçõesEquações de 2 grau   funções
Equações de 2 grau funções
 
Equações de 1 grau
Equações de 1 grauEquações de 1 grau
Equações de 1 grau
 
Conjuntos numericos
Conjuntos numericosConjuntos numericos
Conjuntos numericos
 
Conjuntos numéricos
Conjuntos numéricosConjuntos numéricos
Conjuntos numéricos
 

Último

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 

Trigonometria básica

  • 1. TRIGONOMETRIA A trigonometria é uma parte importante da Matemática. Começaremos lembrando as relações trigonométricas num triângulo retângulo. Num triângulo ABC, retângulo em A, indicaremos por Bˆ e por Cˆ as medidas dos ângulos internos, respectivamente nos vértices B e C. TEOREMA DE PITÁGORAS: Em todo triângulo retângulo, a soma dos quadrados das medidas dos catetos é igual ao quadrado da medida da hipotenusa. 222 cba  Definições: 1. Em todo triângulo retângulo, o seno de um ângulo agudo é a razão entre a medida do cateto oposto a esse ângulo e a medida da hipotenusa. a b hipotenusa Bˆânguloaoopostocateto Bˆsen  a c hipotenusa Cˆânguloaoopostocateto Cˆsen  2. Em todo triângulo retângulo, o cosseno de um ângulo agudo é a razão entre a medida do cateto adjacente a esse ângulo e a medida da hipotenusa. a c hipotenusa Bˆânguloaoadjacentecateto Bˆcos  a b hipotenusa Cˆânguloaoadjacentecateto Cˆcos 
  • 2. 3. Em todo triângulo retângulo, a tangente de um ângulo agudo é a razão entre a medida dos catetos oposto e adjacente a esse ângulo. c b Bˆânguloaoadjacentecateto Bˆânguloaoopostocateto Bˆtg  b c Cˆânguloaoadjacentecateto Cˆânguloaoopostocateto Cˆtg  Observação: Note que Bˆcos Bˆsen a c a b c b Bˆtg  . Em geral, utilizaremos xcos xsen xtg  , para o ângulo x. VALORES NOTÁVEIS 1) Considere o triângulo eqüilátero de medida de lado a. 2 1 a 2 a )30(sen  2 3 a 2 3a )30cos(  3 3 3 1 2 3a 2 a )30(tg  2 3 a 2 3a )60(sen  2 1 a 2 a )60cos(  3 2 a 2 3a )60(tg 
  • 3. 2) Considere o quadrado de medida de lado a. 2 2 2 1 2a a )45(sen  2 2 2 1 2a a )45cos(  1 a a )45(tg  Resumindo: 30o 45o 60o Seno 2 1 2 2 2 3 Cosseno 2 3 2 2 2 1 Tangente 3 3 1 3 ARCOS DE CIRCUNFERÊNCIA Dados dois pontos distintos A e B sobre uma circunferência, esta fica dividida em duas partes, denominadas arcos, que indicaremos por ou . As unidades usuais para arcos de circunferência são: grau e radiano.
  • 4. MEDIDA DE ARCOS Considere uma circunferência orientada, de centro O e raio unitário. Definimos: GRAU: é o arco unitário correspondente a 360 1 da circunferência que contém o arco a ser medido. RADIANO: é um arco unitário cujo comprimento é igual ao raio da circunferência que contém o arco a ser medido. ( o radiano 571  ) As medidas de arcos de circunferências em graus e em radianos são diretamente proporcionais, possibilitando a obtenção da equação de conversão de unidades, através de uma regra de três simples, em que  é a medida em graus e  em radianos. medida em graus medida em radianos   180       180 CICLO TRIGONOMÉTRICO Considere uma circunferência orientada, de centro O e raio unitário. Imagine um ponto A se deslocando sobre a circunferência. Existe uma diferença muito importante para se graduar uma reta e uma circunferência: enquanto que na reta cada ponto corresponde a um único número real, na circunferência cada ponto corresponde a uma infinidade de números reais e todos diferem de múltiplos inteiros de 2 .
  • 5. A figura a seguir ilustra a graduação, em radianos, de uma circunferência de raio 1. Ao marcarmos o ponto P na circunferência de raio 1, temos um triângulo retângulo correspondente, de onde calculamos: p p x 1 x cos  ; p p y y sen  1 ; 122  pp yx obtendo-se 122  sencos A figura acima mostra que no eixo x temos o valor do cosseno e no eixo y, temos o seno, definindo o chamado ciclo trigonométrico.
  • 6. Para os pontos A, B, C e D podemos obter os seguintes valores: sen0 = yA = 0 cos0 =xA = 1 sen 2  = yB = 1 cos 2  =xB = 0 sen  = yC = 0 cos  =xC = -1 sen 2 3 = yD = 1 cos 2 3 =xD = 0 sen2 = yA = 0 cos2  =xA = 1 FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS Estudaremos as funções seno, cosseno, tangente, cotangente, secante e cossecante, nos ciclos trigonométricos. Veremos a periodicidade e os gráficos das funções seno cosseno e tangente. O que é periodicidade? Para que fique bem claro o que este termo quer dizer, vamos exemplificar com os dias da semana, de 7 em 7 dias eles se repetem, chamamos este fato de periódico, e o período é 7. Estas três funções que serão apresentadas são ditas funções periódicas. Definição: Uma função f é periódica se existir um número real p > 0 tal que f(x+p) = f(x), fDomx  . Neste caso, o menor valor de p que satisfaz tal condição é chamado período de f.
  • 7. Observação: o gráfico de uma função periódica é caracterizado por ter seu “desenho” se repetindo. Assim, para desenharmos a curva toda, basta desenharmos a parte correspondente a um período e copiar à direita e à esquerda infinitas cópias da parte desenhada. Vamos analisar a periodicidade destas três funções trigonométricas: 1) Seno sen(x) = sen(x + 2 ) = sen(x + 4 ) =..... = sen(x + k2  ), k  Z. Seno é função periódica de período 2  2) Cosseno cos(x) = cos(x + 2  ) = cos(x + 4  ) =..... = cos(x + k2  ), k  Z. Cosseno é função periódica de período 2 3) Tangente tg(x) = tg(x +  ) = tg(x+ 2 ) =..... = tg(x + k  ), k  Z. Tangente é função periódica de período  Generalizando: y = a sen(kx) e y = a cos(kx) p = k 2 Generalizando: y = a tg(kx) p = k  Exemplos: 1) Determine o período de cada função: a). y = 3 sen(x) p = 2  b) y = 3 sen(2x) p =   2 2 c). y = 2 sen(x/2) p =   4 2/1 2 d) y = 3 cos(2x) p =   2 2 e) y = cos(3x/5) p = 3 10 5/3 2    2) Determine o período de cada função: a). y = tg(2x) p = 2  b). y = 2 tg(x) p =  a). y = tg(x/2) p =   2 2/1
  • 8. GRÁFICO DA FUNÇÃO SENO y = sen x Propriedades a) Dom =  b) Img = [-1, 1] c) Período = 2 d) sen (-x) = - sen (x) GRÁFICO DA FUNÇÃO COSSENO y = cos x Propriedades a) Dom =  b) Img = [-1, 1] c) Período = 2 d) cos (-x) = cos (x) GRÁFICO DA FUNÇÃO TANGENTE y = tg x Propriedades a) Dom = }kx/x{  2 b) Img =  c) Período =  d) tg (-x) = -tg (x) RELAÇÕES FUNDAMENTAIS tg x = xcos senx , para    k 2 x com Zk  sen2 x + cos2 x = 1, para Rx  cotg x = senx xcos , para  kx com Zk  sec2 x = 1 + tg2 x, para    k 2 x com Zk  sec x = xcos 1 , para    k 2 x com Zk  cossec2 x = 1 + cotg2 x, para  kx com Zk  cossec x = senx 1 , para  kx com Zk 
  • 9. FÓRMULAS DE ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO Sendo “a” e “b” dois números reais. sen(a + b) = sena.cosb + cosa.senb sen(a – b) = sena.cosb – cosa.senb cos(a + b) = cosa.cosb - sena.senb cos(a – b) = cosa.cosb + sena.senb tg(a + b) = tgb.tga tgbtga   1 tg(a - b) = tgb.tga tgbtga   1 Exemplos 1) Calcule a) )15cos(  Solução: 4 26 2 1 2 2 2 3 2 2 )30(sen)45(sen)30cos()45cos()3045cos()15cos(     b) )15(sen  Solução: 4 26 2 1 2 2 2 3 2 2 )30cos()45(sen)30cos()45(sen)3045(sen)15(sen     b) )15(tg  Solução:       32 6 326 6 3612 39 3369 33 33323 33 33 33 33 33 33 3 33 3 33 3 3 11 3 3 1 )30(tg)45(tg1 )30(tg)45(tg )3045(tg)15(tg 22 22                                 
  • 10. FÓRMULAS DE MULTIPLICAÇÃO: ARCO DUPLO (2a) A partir das fórmulas de adição e subtração, podemos obter as seguintes fórmulas de multiplicação: cos(2a) = cos(a+a) = cos a cos a – sen a sen a = cos2 a – sen2 a = =cos2 a –(1- cos2 a ) = 2 cos2 a -1 sen(2a) = sen(a+a) = sen a cos a + sen a cos b = 2 sen a cos a tg(2a) = tg (a+a) = atg1 tga2 tga.tga1 tgatga 2     Ou seja, cos 2a = asenacos 22  sen 2a = 2 sen a . cos a cos 2a = 2 cos2 a – 1 tg 2a = .atg1 tga2 2  cos 2a= 1 – 2 sen2 a Exemplos 1) Sabendo que 3 1 )x(tg  , calcule tg(2x). Solução tg(2x) = 4 3 8 9 3 2 9 8 3 2 9 1 1 3 1 2 .xtg1 xtg2 2      2) Resolva a equação 1)x(sen3)x2cos(  . Solução 02)x(sen3)x(sen2 1)x(sen3)x(sen)x(sen1 1)x(sen3)x(sen)x(cos 1)x(sen3)x2cos( 2 22 22     Resolvendo a equação de 2º grau em sen(x), temos: 25169)2(2432 
  • 11. xexistenão2 4 53 ou k2 6 5 xouk2 6 x 2 1 4 53 4 53 )x(sen            Conjunto solução:            Zk,k2 6 5 xouk2 6 xRxS FÓRMULAS DE BISSECÇÃO As fórmulas de bissecção podem ser obtidas do seguinte modo: 2 )b2cos(1 bsen)b2cos(1bsen2bsen21)b2cos( 222   e, se considerarmos b= 2 a , obtemos 2 1 2 2 acosa sen   . Seguindo essa idéia, temos 2 1 2 2 acosa sen   2 1 2 2 acosa cos   acos acosa tg    1 1 2 2 RELAÇÕES DE PROSTAFÉRESE Fazendo      qba pba , ou seja,           2 qp b 2 qp a e substituindo nas fórmulas de adição e subtração, obtemos as relações de prostaférese dadas por sen p + sen q = 2 qp cos 2 qp sen2     sen p - sen q = 2 qp cos 2 qp sen2    
  • 12. cos p + cos q = 2 qp cos 2 qp cos2     cos p - cos q = 2 qp sen 2 qp sen2     tg p + tg q = )qcos().pcos( )qp(sen  tg p - tg q = )qcos().pcos( )qp(sen  FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS INVERSAS Nosso problema agora é procurar, se existirem, valores de y para os quais sen y = x, lembrando que 1x1  . Dado x, o valor de y correspondente tal que sen y = x determina uma função. Mas, para que o valor de x determinado seja único, teremos que usar a restrição 2 y 2    . Para solucionarmos esta questão, temos que estudar as funções trigonométricas inversas. 1) Função arco-seno (arcsen) A cada x  [–1,1] associa-se um único y         2 , 2 tais que sen y = x. Assim, definimos a função arcsen : [–1,1]         2 , 2 x )x(arcseny 
  • 13. Exemplos 1) Calcule a) y = arcsen(1/2) Solução y = arcsen(1/2)  sen y = 1/2 . Lembrando que y         2 , 2 , temos y =  /6, ou seja, 62 1 arcsen        . b) y = arcsen(0) Solução y = arcsen(0)  sen y = 0 . Lembrando que y         2 , 2 , temos y = 0, ou seja,   00arcsen  . c) y = arcsen(-1/2) Solução y = arcsen(-1/2)  sen y = -1/2 . Lembrando que y         2 , 2 , temos y =  /6, ou seja, 62 1 arcsen         . d) y = arcsen(1) Solução y = arcsen(1)  sen y = 1 . Lembrando que y         2 , 2 , temos y =  /2, ou seja,   2 1arcsen   .
  • 14. 2) Função arco-cosseno (arccos) A cada x  [–1,1] associa-se um único y   ,0 tais que cos y = x. Assim, definimos a função arccos : [–1,1]   ,0 x )xarccos(y  Exemplos 1) Calcule a) y = arccos(1/2) Solução y = arccos(1/2)  cos y = 1/2 . Lembrando que y   ,0 , temos y =  /3, ou seja, 32 1 arccos        . b) y = arccos(0) Solução y = arccos(0)  cos y = 0 . Lembrando que y   ,0 , temos y =  /2, ou seja,   2 0arccos   . c) y = arccos(-1/2) Solução y = arccos(-1/2)  cos y = -1/2. Lembrando que y   ,0 temos y = 2 /3, ou seja, 3 2 2 1 arccos         . d) y = arccos(1) Solução y = arccos(1)  cos y = 1 . Lembrando que y   ,0 temos y =  , ou seja,   1arccos .
  • 15. 3) Função arco-tangente (arctg) A cada x  [–1,1] associa-se um único y         2 , 2 tais que tg y = x. Assim, definimos a função arcsen : [–1,1]         2 , 2 x )x(arctgy  Exemplos 1) Calcule a) y = arctg(1) Solução y = arctg(1)  tg y = 1 . Lembrando que y         2 , 2 , temos y =  /4, ou seja,   4 1arctg   . b) y = arcsen( 3 ) Solução y = arctg( 3 )  tg y = 3 . Lembrando que y         2 , 2 , temos y =  /3, ou seja,   3 3arctg   . c) y = arctg(-1) Solução y = arctg(-1)  tg y = -1 . Lembrando que y         2 , 2 , temos y =  /4, ou seja,   4 1arctg   .
  • 16. EXERCÍCIOS SOBRE TRIGONOMETRIA 1) Em cada um dos casos, calcule o seno, o cosseno, a tangente do ângulo agudo assinalado: 2) Um barco deveria sair do porto da cidade A e ir até o porto da cidade B em uma linha reta, (no sentido norte-sul). Entretanto, uma correnteza fez com que o barco sofresse um desvio de na direção leste. Ultrapassando o trecho de correnteza o capitão necessitou efetuar uma correção no rumo no barco de 45º para a esquerda, de tal forma que ao reencontrar a rota original é possível traçar um triângulo retângulo. (norte) A 5 milhas (leste) (sul) B 3) A lua é satélite natural da Terra e faz uma revolução em torno do sol em aproximadamente 28 dias. a) De quantos radianos é o movimento da lua em um dia? b) Qual a distância percorrida pela lua em uma revolução completa? (adote a distância da terra à lua de 385.000km). 4) Reduza os arcos à primeira volta, represente-os graficamente e calcule o valor de seu seno, cosseno e tangente. a)1470º b) –1020º c) 4 25 d) 2 5  5) Determine o valor de (a) sen 1620º (b) sen (-990º) 6) Sendo sen a = 1/2 e cos b = -1/2, sabendo que a e b são arcos do 2º quadrante, calcule: a) sen (a+b) b) cos(a-b) c) tg (a+b) Se o barco percorreu 5 milhas na direção leste, quanto ele teve que andar para retornar á rota original?
  • 17. 7) Resolva a expressão matemática a) x = sen (/6)- cos (2/3)-3*sen() b) y = tg(/4)+2*sen(5/6) – [sen (/3)-cos(/6)] 8) (MACK) O valor se sen 55º.cos35º+sen35º.cos55º é: a) –1 b) -0,5 c) zero d)0,5 e) 1,0 9) Simplifique as expressões: a) )x5(sen)x9(sen  b) sen (x-900º) + cos (x-540º) 10) Construa o gráfico (dois períodos completos) das seguintes funções, explicitando o domínio, a imagem e o período: a) y = 4 sen x b) y=1 - sen x c) y = 2 sen x/4 11) Calcule : a) sen (9/4) e cos (9/4) b) sen (-2/3) e sen (-2/3) c) sen 8 e cos8 12. Encontre os valores do ângulo no intervalo [0, 2) que satisfaça as equações: a) sen =1; cos=-1; tg =1; sec=1; b) sen =0; cos=0; tg=0; sec=0; c) sen = -1/2; cos= 1/2; tg= -1; sec=2. 13. Determine o período das funções: a) y = sen (8) b) z= 4 sen (8) c) x = cos (4/7) d) p=3 cos(/4+/2) 14. Simplifique a expressão          cos 2 sen)sen()sen( . 15. Sabendo-se que sen  = -1/3, calcule: a) sen (  - ) b) sen (  + ) c) cos (/2 - ) 16. Usando as fórmulas de adição, calcule: a) sen (+/2) b) cos75º c) cos (5/6), (sugestão 5/6 = /2+/3) 17. Mostre que  cossen22sen . 18. Mostre que 2 2cos 2 1 cos2   .
  • 18. RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS DO CÁLCULO ZERO - TRIGONOMETRIA 1) a) 2 1 tg, 5 52 cos, 5 5 sen  b) 4 3 tg, 5 4 cos, 5 3 sen  2) 5 2 3) a) /14 rad b) 770.000  km 4) a) 1470º equivale a 30º portando sen 30º = ½; cos 30º = 3 /2 e tg 30º = 3 /3 b) – 920 º equivale a 60º portando sen 60º = 3 /2 , cos 60º =1/2 e tg 60º = 3 c) 25/4 equivale a /4 portando sen /4 = 2 /2 , cos /4 = 2 /2 e tg /4 = 1 d) -5/2 equivale a 3/2 portando sen 3/2 = -1 , cos 3/2 = 0 e tg 3/2 = indefinida 5) a) zero b) 1 6) a) 1 b) 3 /2 c)indefinido 7) a) -1 b) 2 8) e 9) a) 2 sen x b) -sen x - cos x 10) a) Dom =  , Im = [-4, 4], p=2 b) ) Dom =  , Im = [0, 1], p=2 c) Dom =  , Im = [-2, 2], p=8 11) a) 2 /2 e 2 /2 b) - 3 /2 e -1/2 c) 0 e 1 12) a) /2, , /4 e 5/4, 0 b) 0 e , /2 e 3/2, 0 e , /2 e 3/2 c) 7/6 e 11/6, /3 e 5/3, 3/4 e 7/4, /3 e 5/3 13) a) /4 b) /4 c) 7/2 d) 8 14) –2sen 15) a) – 1/3 b) 1/3 c) -1/2 16) a) - 3 /2 b)   4/26  c) - 3 /2