SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
Baixar para ler offline
Reavaliação de Caso e do Plano de Tratamento
Inspirado em apresentação de Ricky Greenwald (Dallas, 2007)
Vamos pensar neste caso clínico que lhe traz certo desconforto. Trata-se de um
paciente que acompanha na psicoterapia e que desperta sensações de
inquietação ou mesmo mal-estar. Concentre-se nessa pessoa cujo caso não
progride como gostaria e imagine recebê-la na próxima sessão.
Tempo 1: considerando uma escala do tipo SUDS, em que 0 significa nenhuma
perturbação, até 10 ser o pior sentimento, observe seu corpo e circule o número
que corresponda a quão mal você se sente agora quando pensa neste evento
futuro.
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Nada Máximo Desconforto
Agora em uma escala em que -2 significa muito negativo até +2 significa muito
positivo, circule um número que demonstre o quão intenso é seu sentimento em
relação a esse paciente agora quando acessa os itens a seguir:
Nível de empatia e preocupação com o paciente:
-2 -1 0 +1 +2
muito negativo negativo neutro positivo muito
positivo
Conforto e Confiança de sua capacidade como terapeuta:
-2 -1 0 +1 +2
muito negativo negativo neutro positivo muito
positivo
Fases de Tratamento do Trauma por meio de terapia EMDR
Observe atentamente a lista a seguir. Confira quais etapas já foram vencidas e
quais outras ainda precisam de sua atenção porque encontram-se incompletas ou
não foram abordadas.
Fase 1: História Clínica Avaliação
· Estabelecer regras e expectativas; construir confiança e segurança
· Informação para o paciente - explicar o modelo de trauma – PAI
Presente:
Qual objetivo da terapia? Redução de sintoma ou tratamento abrangente?
Disparadores ativos
Identificar redes de apoio e recursos do paciente (internos e externos) –
resiliência para enfrentar dificuldades.
Passado:
Avaliação do Desenvolvimento: Gestação, parto, evolução física, linguagem,
socialização, alfabetização (dificuldades de aprendizagem?), relacionamento
com cuidadores primários (estilo de apego), traumas sofridos e exposição aos
ACEs, abandonos, sexualidade (iniciação, traumas, dificuldades, satisfação).
Avaliação biológica (traumas de desenvolvimento, hospitalizações, TCEs
(concussões), medicação que toma, histórico de alimentação, autocuidado
corporal.
Avaliação psicológica – dissociação (clareza de memórias do passado, criança
interior, sistema de Partes internas, vozes), coerência discursiva, capacidade
executiva (controle dos impulsos, autorregulação física e emocional), histórico
traumático familiar (TTT), inserção social, interação afetiva com família de
origem (e família atual), autonomia, vulnerabilidade.
Avaliação terapêutica – terapias prévias, evolução da queixa, (in)sucesso de
tratamentos anteriores. Conferência dos platôs clínicos: responsabilidade
(in)devida, defeito pessoal, vulnerabilidade/ segurança, controle/poder/escolhas,
participação/pertencimento.
Atos de triunfo e orgulho pessoal, superação de dificuldades.
Futuro:
Formulação do caso e plano de sequência de alvos (alvos principais e conexos)
– integração das perspectivas de passado, presente e futuro
Fase 2: Segurança e Estabilização
Medicação, exercícios para aumento segurança pessoal, treinamento parental,
redução de riscos.
Desenvolvimento de competências, desenvolvimento de forças: auto
administração (lugar seguro/ calmo), DIR, técnicas de relaxamento (Jacobson),
4 elementos, contêiner, diário terapêutico
Capacidade para manter Atenção Dual. Autorização interna para prosseguir e
saber usar sinal de Pare!
Fases de Reprocessamento:
Passado - Fácil identificação e acesso de alvos; responde bem à ab-reação ou
tende à hiper ou hiporresponsividade – necessidade de estratégias de
distanciamento ou de aproximação;
Dissociação frequente, demandando negociações internas para lidar com
resistências ou reprocessamento tende a ser espontâneo, com associações.
Crenças bloqueadoras e memórias alimentadoras
Presente - Reprocessar disparadores atuais; aprendizagem de sentir-se bem;
avaliação da rotina, quando recordações difíceis reduzem intensidade;
prevenção de recaídas e redução de riscos, aprendizagem de pedido de ajuda.
Consolidação e reconhecimento de ganhos.
Futuro - Reprocessamento de ansiedade antecipatória; evitar e prevenir
situações de alto risco; reprocessamento de esquiva de aquisição de novas
habilidades – lidar com situações desafiadoras. Boa capacidade de projeção ao
futuro.
Reavaliação: Revisar o caso com o paciente (alvos iniciais e expectativas atuais)
– identificar tarefas (dever de casa) e intervenções relacionadas ao presente, de
modo a otimizar o cotidiano e o que falta para implementar mudanças para
futuro.
Agora que você conferiu os pontos fortes e fracos na condução desse caso
específico, pense novamente na próxima sessão com esse paciente perturbador e
siga os passos abaixo, procedendo a uma nova auto avaliação.
Tempo 2: considerando uma escala do tipo SUDS, em que 0 significa nenhuma
perturbação, até 10 ser o pior sentimento, observe seu corpo e circule o número
que corresponda a quão mal você se sente agora quando pensa neste evento
futuro.
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Nada Máximo Desconforto
Agora em uma escala em que -2 significa muito negativo até +2 significa muito
positivo, circule um número que demonstre o quão intenso é seu sentimento em
relação a esse paciente agora quando acessa os itens a seguir:
Nível de empatia e preocupação com o paciente:
-2 -1 0 +1 +2
muito negativo negativo neutro positivo muito
positivo
Conforto e Confiança de sua capacidade como terapeuta:
-2 -1 0 +1 +2
muito negativo negativo neutro positivo muito
positivo
Ebook Plano de Tratamento

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tratamento da Depressão em Terapia Comportamental e Cognitiva
Tratamento da Depressão em Terapia Comportamental e CognitivaTratamento da Depressão em Terapia Comportamental e Cognitiva
Tratamento da Depressão em Terapia Comportamental e Cognitiva
Marcelo da Rocha Carvalho
 
Estudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínicaEstudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínica
Endriely Teodoro
 
roteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-l
roteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-lroteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-l
roteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-l
Marcelo Borges
 

Mais procurados (20)

NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdfNEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
 
Terapia cognitivo comportamental enfoque com idoso
Terapia cognitivo comportamental enfoque com idosoTerapia cognitivo comportamental enfoque com idoso
Terapia cognitivo comportamental enfoque com idoso
 
A terapia cognitivo comportamental
A terapia cognitivo comportamentalA terapia cognitivo comportamental
A terapia cognitivo comportamental
 
Terapia Cognitivo Comportamental dos Transtornos da Personalidade
Terapia Cognitivo Comportamental dos Transtornos da PersonalidadeTerapia Cognitivo Comportamental dos Transtornos da Personalidade
Terapia Cognitivo Comportamental dos Transtornos da Personalidade
 
Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?
 
Curso Teoria do Apego
Curso Teoria do ApegoCurso Teoria do Apego
Curso Teoria do Apego
 
PSICOEDUCAÇÃO EM TERAPIA COGNITIVA.pdf
PSICOEDUCAÇÃO EM TERAPIA COGNITIVA.pdfPSICOEDUCAÇÃO EM TERAPIA COGNITIVA.pdf
PSICOEDUCAÇÃO EM TERAPIA COGNITIVA.pdf
 
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
Ansiedade estratégias de tratamento em TCCAnsiedade estratégias de tratamento em TCC
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
 
Formulação de Caso - TCC
Formulação de Caso - TCCFormulação de Caso - TCC
Formulação de Caso - TCC
 
Intervenção em crises
Intervenção em crisesIntervenção em crises
Intervenção em crises
 
Introdução à Terapia cognitivo comportamental
Introdução à Terapia cognitivo comportamentalIntrodução à Terapia cognitivo comportamental
Introdução à Terapia cognitivo comportamental
 
Tratamento da Depressão em Terapia Comportamental e Cognitiva
Tratamento da Depressão em Terapia Comportamental e CognitivaTratamento da Depressão em Terapia Comportamental e Cognitiva
Tratamento da Depressão em Terapia Comportamental e Cognitiva
 
Estudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínicaEstudo de caso psicologia clínica
Estudo de caso psicologia clínica
 
roteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-l
roteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-lroteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-l
roteiro-de-entrevista-anamnese-para-avaliacao-psicologica-l
 
Estresse ou ansiedade
Estresse ou ansiedadeEstresse ou ansiedade
Estresse ou ansiedade
 
Figura Complexa de Rey
Figura Complexa de ReyFigura Complexa de Rey
Figura Complexa de Rey
 
Transtornos relacionados a trauma e a estressores
Transtornos relacionados a trauma e a estressoresTranstornos relacionados a trauma e a estressores
Transtornos relacionados a trauma e a estressores
 
Ebook Estados de Ego
Ebook Estados de EgoEbook Estados de Ego
Ebook Estados de Ego
 
Terapia Comportamental e Cognitiva
Terapia Comportamental e CognitivaTerapia Comportamental e Cognitiva
Terapia Comportamental e Cognitiva
 
Trabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticosTrabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticos
 

Semelhante a Ebook Plano de Tratamento

Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...
Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...
Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...
rafaelpavani
 

Semelhante a Ebook Plano de Tratamento (20)

Texto 5 enfrentamento do estresse
Texto 5 enfrentamento do estresseTexto 5 enfrentamento do estresse
Texto 5 enfrentamento do estresse
 
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade GeneralizadaTerapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
Terapia Cognitivo-Comportamental Para Transtorno de Ansiedade Generalizada
 
PSICOLOGIA POSITIVA CONCEITO DO PERDÃO: RESILÊNCIAPSICOLOGIA POSITIVA CONCEI...
PSICOLOGIA POSITIVA CONCEITO DO PERDÃO: RESILÊNCIAPSICOLOGIA POSITIVA CONCEI...PSICOLOGIA POSITIVA CONCEITO DO PERDÃO: RESILÊNCIAPSICOLOGIA POSITIVA CONCEI...
PSICOLOGIA POSITIVA CONCEITO DO PERDÃO: RESILÊNCIAPSICOLOGIA POSITIVA CONCEI...
 
ENTREVISTAS E AVALIAÇAO (1).pptx
ENTREVISTAS E AVALIAÇAO  (1).pptxENTREVISTAS E AVALIAÇAO  (1).pptx
ENTREVISTAS E AVALIAÇAO (1).pptx
 
Escala de stress infantil
Escala de stress infantil  Escala de stress infantil
Escala de stress infantil
 
Estresse: excesso de presente
Estresse: excesso de presenteEstresse: excesso de presente
Estresse: excesso de presente
 
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
COMO MELHORAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS PAIS PARA TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENT...
 
Aula 8 mecanismos de coping
Aula 8 mecanismos de copingAula 8 mecanismos de coping
Aula 8 mecanismos de coping
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
Cartilha saudementalna escola
Cartilha saudementalna escolaCartilha saudementalna escola
Cartilha saudementalna escola
 
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mentalO Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
 
Palestra na Residência em Psicologia UNIFESP 2016
Palestra na Residência em Psicologia UNIFESP 2016Palestra na Residência em Psicologia UNIFESP 2016
Palestra na Residência em Psicologia UNIFESP 2016
 
TCC - Terapia Cognitivo Comportamental
TCC - Terapia Cognitivo ComportamentalTCC - Terapia Cognitivo Comportamental
TCC - Terapia Cognitivo Comportamental
 
TCC e Prevenção de transtornos.ppt
TCC e Prevenção de transtornos.pptTCC e Prevenção de transtornos.ppt
TCC e Prevenção de transtornos.ppt
 
Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...
Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...
Transtorno de Ansiedade Generalizada - Disciplina: Psicologia Cognitivo-Compo...
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
 
cartilhasaudementalnaescola.pdf
cartilhasaudementalnaescola.pdfcartilhasaudementalnaescola.pdf
cartilhasaudementalnaescola.pdf
 
Apresentação GirlUp.pdf
Apresentação GirlUp.pdfApresentação GirlUp.pdf
Apresentação GirlUp.pdf
 
Traumasemocionais
TraumasemocionaisTraumasemocionais
Traumasemocionais
 
Traumasemocionais
TraumasemocionaisTraumasemocionais
Traumasemocionais
 

Mais de Espaço da Mente

Mais de Espaço da Mente (20)

Ebook - Trauma Complexo - EMDR Abordagem Progressiva
Ebook - Trauma Complexo - EMDR Abordagem ProgressivaEbook - Trauma Complexo - EMDR Abordagem Progressiva
Ebook - Trauma Complexo - EMDR Abordagem Progressiva
 
Conceitualização de Casos Complexos
Conceitualização de Casos ComplexosConceitualização de Casos Complexos
Conceitualização de Casos Complexos
 
Protocolo Casal com Modelo Testemunha Compassiva - Dra Tina Zampieri
Protocolo Casal com Modelo Testemunha Compassiva - Dra Tina ZampieriProtocolo Casal com Modelo Testemunha Compassiva - Dra Tina Zampieri
Protocolo Casal com Modelo Testemunha Compassiva - Dra Tina Zampieri
 
Protocolo Estimulação Conjugada - Ficha de Trabalho - Dra Tina Zampieri
Protocolo Estimulação Conjugada - Ficha de Trabalho - Dra Tina ZampieriProtocolo Estimulação Conjugada - Ficha de Trabalho - Dra Tina Zampieri
Protocolo Estimulação Conjugada - Ficha de Trabalho - Dra Tina Zampieri
 
Caixa de areia - Slides curso Caixa de Areia e EMDR
Caixa de areia  - Slides curso Caixa de Areia e EMDRCaixa de areia  - Slides curso Caixa de Areia e EMDR
Caixa de areia - Slides curso Caixa de Areia e EMDR
 
DES - Dissociative Expériences Scale
DES - Dissociative Expériences ScaleDES - Dissociative Expériences Scale
DES - Dissociative Expériences Scale
 
Ebook Caixa de Areia por Lucimara
Ebook Caixa de Areia por LucimaraEbook Caixa de Areia por Lucimara
Ebook Caixa de Areia por Lucimara
 
Regulacao emocional - Material de Apoio
Regulacao emocional - Material de ApoioRegulacao emocional - Material de Apoio
Regulacao emocional - Material de Apoio
 
Ebook Via WEB
Ebook Via WEBEbook Via WEB
Ebook Via WEB
 
A comunicação no universo digital
A comunicação no universo digitalA comunicação no universo digital
A comunicação no universo digital
 
Ebook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhD
Ebook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhDEbook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhD
Ebook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhD
 
O poder das crenças - Material de apoio
O poder das crenças - Material de apoioO poder das crenças - Material de apoio
O poder das crenças - Material de apoio
 
Material de Apoyo - Transtornos de la Alimentación - Modulo II
Material de Apoyo - Transtornos de la Alimentación - Modulo IIMaterial de Apoyo - Transtornos de la Alimentación - Modulo II
Material de Apoyo - Transtornos de la Alimentación - Modulo II
 
Questionário ACE - Adverse Childhood Experiences - Formação EMDR
Questionário ACE - Adverse Childhood Experiences - Formação EMDRQuestionário ACE - Adverse Childhood Experiences - Formação EMDR
Questionário ACE - Adverse Childhood Experiences - Formação EMDR
 
Fluxograma da ficha de trabalho - Formação em EMDR
Fluxograma da ficha de trabalho - Formação em EMDRFluxograma da ficha de trabalho - Formação em EMDR
Fluxograma da ficha de trabalho - Formação em EMDR
 
Ficha de trabalho e avaliação de reprocessamento - Formação em EMDR
Ficha de trabalho e avaliação de reprocessamento - Formação em EMDRFicha de trabalho e avaliação de reprocessamento - Formação em EMDR
Ficha de trabalho e avaliação de reprocessamento - Formação em EMDR
 
Protocolo EMD - Etapas do Procedimento
Protocolo EMD - Etapas do ProcedimentoProtocolo EMD - Etapas do Procedimento
Protocolo EMD - Etapas do Procedimento
 
Circulo Ikigai por Renata Mayumi Onogi - Curso Online Ikigai
Circulo Ikigai por Renata Mayumi Onogi - Curso Online IkigaiCirculo Ikigai por Renata Mayumi Onogi - Curso Online Ikigai
Circulo Ikigai por Renata Mayumi Onogi - Curso Online Ikigai
 
Poder das Crenças com Miriam Izabel - Ebook Curso Online
Poder das Crenças com Miriam Izabel - Ebook Curso OnlinePoder das Crenças com Miriam Izabel - Ebook Curso Online
Poder das Crenças com Miriam Izabel - Ebook Curso Online
 
Material de apoio: Transtornos Alimentares e EMDR - Módulo I
Material de apoio: Transtornos Alimentares e EMDR - Módulo IMaterial de apoio: Transtornos Alimentares e EMDR - Módulo I
Material de apoio: Transtornos Alimentares e EMDR - Módulo I
 

Último

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
lbgsouza
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
FLAVIA LEZAN
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 

Último (20)

Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 

Ebook Plano de Tratamento

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41. Reavaliação de Caso e do Plano de Tratamento Inspirado em apresentação de Ricky Greenwald (Dallas, 2007) Vamos pensar neste caso clínico que lhe traz certo desconforto. Trata-se de um paciente que acompanha na psicoterapia e que desperta sensações de inquietação ou mesmo mal-estar. Concentre-se nessa pessoa cujo caso não progride como gostaria e imagine recebê-la na próxima sessão. Tempo 1: considerando uma escala do tipo SUDS, em que 0 significa nenhuma perturbação, até 10 ser o pior sentimento, observe seu corpo e circule o número que corresponda a quão mal você se sente agora quando pensa neste evento futuro. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Nada Máximo Desconforto Agora em uma escala em que -2 significa muito negativo até +2 significa muito positivo, circule um número que demonstre o quão intenso é seu sentimento em relação a esse paciente agora quando acessa os itens a seguir: Nível de empatia e preocupação com o paciente: -2 -1 0 +1 +2 muito negativo negativo neutro positivo muito positivo Conforto e Confiança de sua capacidade como terapeuta: -2 -1 0 +1 +2 muito negativo negativo neutro positivo muito positivo
  • 42. Fases de Tratamento do Trauma por meio de terapia EMDR Observe atentamente a lista a seguir. Confira quais etapas já foram vencidas e quais outras ainda precisam de sua atenção porque encontram-se incompletas ou não foram abordadas. Fase 1: História Clínica Avaliação · Estabelecer regras e expectativas; construir confiança e segurança · Informação para o paciente - explicar o modelo de trauma – PAI Presente: Qual objetivo da terapia? Redução de sintoma ou tratamento abrangente? Disparadores ativos Identificar redes de apoio e recursos do paciente (internos e externos) – resiliência para enfrentar dificuldades. Passado: Avaliação do Desenvolvimento: Gestação, parto, evolução física, linguagem, socialização, alfabetização (dificuldades de aprendizagem?), relacionamento com cuidadores primários (estilo de apego), traumas sofridos e exposição aos ACEs, abandonos, sexualidade (iniciação, traumas, dificuldades, satisfação). Avaliação biológica (traumas de desenvolvimento, hospitalizações, TCEs (concussões), medicação que toma, histórico de alimentação, autocuidado corporal. Avaliação psicológica – dissociação (clareza de memórias do passado, criança interior, sistema de Partes internas, vozes), coerência discursiva, capacidade executiva (controle dos impulsos, autorregulação física e emocional), histórico traumático familiar (TTT), inserção social, interação afetiva com família de origem (e família atual), autonomia, vulnerabilidade. Avaliação terapêutica – terapias prévias, evolução da queixa, (in)sucesso de tratamentos anteriores. Conferência dos platôs clínicos: responsabilidade (in)devida, defeito pessoal, vulnerabilidade/ segurança, controle/poder/escolhas, participação/pertencimento. Atos de triunfo e orgulho pessoal, superação de dificuldades.
  • 43. Futuro: Formulação do caso e plano de sequência de alvos (alvos principais e conexos) – integração das perspectivas de passado, presente e futuro Fase 2: Segurança e Estabilização Medicação, exercícios para aumento segurança pessoal, treinamento parental, redução de riscos. Desenvolvimento de competências, desenvolvimento de forças: auto administração (lugar seguro/ calmo), DIR, técnicas de relaxamento (Jacobson), 4 elementos, contêiner, diário terapêutico Capacidade para manter Atenção Dual. Autorização interna para prosseguir e saber usar sinal de Pare! Fases de Reprocessamento: Passado - Fácil identificação e acesso de alvos; responde bem à ab-reação ou tende à hiper ou hiporresponsividade – necessidade de estratégias de distanciamento ou de aproximação; Dissociação frequente, demandando negociações internas para lidar com resistências ou reprocessamento tende a ser espontâneo, com associações. Crenças bloqueadoras e memórias alimentadoras Presente - Reprocessar disparadores atuais; aprendizagem de sentir-se bem; avaliação da rotina, quando recordações difíceis reduzem intensidade; prevenção de recaídas e redução de riscos, aprendizagem de pedido de ajuda. Consolidação e reconhecimento de ganhos. Futuro - Reprocessamento de ansiedade antecipatória; evitar e prevenir situações de alto risco; reprocessamento de esquiva de aquisição de novas habilidades – lidar com situações desafiadoras. Boa capacidade de projeção ao futuro. Reavaliação: Revisar o caso com o paciente (alvos iniciais e expectativas atuais) – identificar tarefas (dever de casa) e intervenções relacionadas ao presente, de modo a otimizar o cotidiano e o que falta para implementar mudanças para futuro.
  • 44. Agora que você conferiu os pontos fortes e fracos na condução desse caso específico, pense novamente na próxima sessão com esse paciente perturbador e siga os passos abaixo, procedendo a uma nova auto avaliação. Tempo 2: considerando uma escala do tipo SUDS, em que 0 significa nenhuma perturbação, até 10 ser o pior sentimento, observe seu corpo e circule o número que corresponda a quão mal você se sente agora quando pensa neste evento futuro. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Nada Máximo Desconforto Agora em uma escala em que -2 significa muito negativo até +2 significa muito positivo, circule um número que demonstre o quão intenso é seu sentimento em relação a esse paciente agora quando acessa os itens a seguir: Nível de empatia e preocupação com o paciente: -2 -1 0 +1 +2 muito negativo negativo neutro positivo muito positivo Conforto e Confiança de sua capacidade como terapeuta: -2 -1 0 +1 +2 muito negativo negativo neutro positivo muito positivo