SlideShare uma empresa Scribd logo
A palavra comunicação vem do latim cummunis que traz a idéia de Comunhão.
  (PEREZ, C. & BAIRON, S. Comunicação & Marketing. São Paulo: Futura, 2002)




   Tornar comum, trocar opiniões, fazer saber; implica interação, troca de
  mensagens.
  mensagens É um processo de participação de experiências que modifica
                                                 experiências,
               a disposição mental das partes envolvidas.
           (BOSCO, J. B. Redação Empresarial. SãoPaulo: Atlas, 1998)



 Ação de pôr em comum tudo aquilo que, social, política ou existencialmente,
                    não deve permanecer isolado
                                           isolado.
        (SODRÉ, M. Reinventando a cultura.Petrópolis (RJ): Vozes, 1996)



                          Informação com feedback
   (BEKIN, S. F. Conversando sobre Endomarketing. São Paulo Makron, 1995).;
Comunicação é o processo pelo qual os seres
humanos trocam entre si informações. Nesta breve
  definição temos já implicitamente presentes os
   elementos nucleares do ato comunicativo: o
    emissor, o receptor ("seres humanos") e a
                          (               )
 mensagem ("informações"). De fato, em qualquer
   ato comunicativo encontramos alguém que
procura ttransmitir a outrem uma dada i f
               iti      t        d d informação.
                                               ã
Além desses três elementos
nucleares, é costume considerar
outros três: o código o canal e o
               código,
     contexto.
     contexto Nenhum ato
 comunicativo seria possível, na
ausência de qualquer um desses
           elementos.
           elementos
• é necessária a intervenção de, pelo menos, dois
indivíduos, um que emita, outro que receba;

  • algo tem que ser transmitido pelo emissor ao receptor;

• para que o emissor e o receptor comuniquem é
necessário que esteja disponível um canal de
comunicação;

 • a informação a transmitir tem q estar "traduzida" num
            ç                    que
 código conhecido, quer pelo emissor, quer pelo receptor;

• finalmente todo o ato comunicativo se realiza num
determinado contexto e é determinado por esse contexto.
O processo de comunicação


O transmissor   A mensagem é transmitida           O receptor
 codifica a                                       decodifica a
                via meio de comunicação            mensagem
 mensagem



                        O receptor fornece feedback
                             para o transmissor
O processo de comunicação

                       Mensagem
EMISSOR    Codifica-              Decodifi-   RECEPTOR
             ção                   cação
                        Meio



                        Ruído

          Feedback                Resposta
Elementos da comunicação


• Emissor - emite, codifica a mensagem
• R
  Receptor - recebe, d
       t         b decodifica a mensagem
                       difi
• Mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor
• Código - conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem
• Contexto - contexto relacionado a emissor e receptor
• Canal - meio pelo qual circula a mensagem
POR QUE A COMUNICAÇÃO É TÃO IMPORTANTE?

Pesquisas revelam que um norte-americano comum gasta cerca de 70% do seu tempo
              ativo ouvindo, falando, lendo e escrevendo, nessa ordem.
                           ,        ,                   ,
    Isto quer dizer que gasta-se de dez a onze horas, por dia, todos os dias, em
                      comportamentos de comunicação verbal.

    Fonte: BEKIN S. F. Conversando sobre Endomarketing. São Paulo: Makron, 1995.
           BEKIN, S F                    Endomarketing             Makron 1995




  QUANDO SE COMUNICA COM ALGUÉM, O QUE
    DEVE SER LEVADO EM CONSIDERAÇÃO?

               * Quem é a pessoa com quem você vai se comunicar?
                             * O que você quer dizer?
                  * Como você está transmitindo as informações?
          * Como você se certifica de que conseguiu convencer o receptor?
EFEITO PRODUZIDO
QUEM? MENSAGEM
    PELA                   DIZ O
  SOBRE A AUDIÊNCIA –      QUE?
         QUEM?
   ANÁLISEPESSOAS ATINGIDAS
           DO EFEITO
             PELOS MEIOS
      DIZ O QUE?
           EM QUE
    EM QUE CANAL? QUE INICIAM
           CANAL?
                  FATORES
                    E GUIAM O ATO DA
     PARA QUEM?
     ANÁLISE DE      COMUNICAÇÃO
     CONTEÚDO QUAL
     E COM
        EFEITO?
      MEIOS INTERPESSOAL
         OU DE MASSA
PROBLEMAS DE COMUNICAÇÃO
Da parte do emissor

•I
 Incapacidade verbal;
        id d     b l

• falta de coerência;

• uso de frases longas para impressionar;

• acúmulo de detalhes irrelevantes;

• ausência de espontaneidade;

• manifestação evidente de linguagem afetada;

• uso de termos técnicos, gírias, regionalismos e desconhecidos
pelos receptores;

• excesso de adjetivos, advérbios e frases feitas.
PROBLEMAS DE COMUNICAÇÃO
Da parte do receptor



• Nível de conhecimento insuficiente;
                                    ;

• distração;
        ç ;

• falta de disposição p
              p ç para entender;
                               ;

• níveis cultural, social, intelectual, econômico e
                 ,       ,            ,
de escolaridade diferentes do emissor;
COMUNICAÇÃO x INFORMAÇÃO

      Comunicação envolve interlocutores, troca de
  informações; começa quando a informação acaba. O
         ç    ;     ç q                  ç
  melhor sistema de informação, por si só, não garante
                     comunicação.

Fonte: BEKIN, S. F. (1995) Conversando sobre Endomarketing. São Paulo: Makron.
ELEMENTOS / PROCESSOS

Emissor ou Remetente: Quem emite a mensagem;
Codificação: P
C difi   ã Processo de t
                    d transformar o pensamento em forma simbólica;
                           f                t     f      i bóli
Linguagem: Dinâmica mediadora entre os homens. Tipos: falada e escrita
(
(comunicação verbal), gestual, corporal, por símbolos, ícones e sons
         ç         ), g      ,    p    ,p            ,
(comunicação não verbal).
Meio, canal ou veículo: Suporte material que possibilita veicular uma
mensagem a um destinatário através do espaço e do tempo. Ex.: televisão,
                   destinatário,                     tempo Ex : televisão
carta, telefone, rádio etc.

Mensagem: Sinônimo de conteúdo; o que está escrito em um texto e o que é
dito em um discurso; é o que se passa de significativo na comunicação
entre destinador e destinatário.


         Fonte: BOSCO, J. B. Redação Empresarial. São Paulo: Atlas, 1998
 KOTLER, P. ARMSTRONG, G.
 KOTLER P & ARMSTRONG G Princípios de Marketing SODRÉ M Reinventando a
                                        Marketing. SODRÉ, M.
                 cultura: a comunicação e seus produtos.
Decodificação: Processo pelo qual o receptor traduz os símbolos emitidos pelo
emissor. “Tradução” que vai depender do nível econômico, social, cultural e de
escolaridade d receptor.
    l id d do        t

Receptor ou Destinatário: Quem recebe a mensagem emitida pelo emissor.

Resposta: Reação do receptor após ter sido exposto à mensagem.

Feedback: Resposta do receptor que chega ao emissor Em outras palavras
                                             emissor.         palavras,
retorno da mensagem que foi enviada pelo emissor.

Ruído: Tudo o que dificulta a comunicação interfere a transmissão e perturba a
                              comunicação,
recepção ou compreensão da mensagem; tudo o que possibilita a perda de
informação durante o transporte da mensagem entre o emissor e o receptor.

           Fonte: BOSCO, J. B. Redação Empresarial. São Paulo: Atlas, 1998
Semiologia ou Semiótica



 Ciência que estuda o f
 Cê                     funcionamento do
sistema de signos. Por signo entende-se a
   interpretação e alguém diante de uma
            "coisa" ou "evento".

Ex.:
E preto é uma cor, mas passa a ser signo
     t                              i
        (luto) na comunicação.
SIGNOS naturais e artificiais



Naturais: não são produzidos pelo homem. São "coisas" e "eventos“ que o
                                 homem passa a interpretar como signos.

  Ex.: nuvens negras (chuva vindoura), vôo de certas aves (mau agouro),
                                                  sintomas de doença...




                 Artificiais: são criados pelo homem para que funcionem no processo da
                                   comunicação. Caracterizam-se, portanto, pela intenção.

                                Ex.: apitos de juiz, sinal de trânsito, signos lingüísticos...
AS PESSOAS PRECEBEM E
 INTERPRETAM AS COISAS E
SITUAÇÕES CONFORME SUAS
  CARGAS DE EXPERIÊNCIA,
 CONHECIMENTO, CRENÇAS,
  VALORES, SENTIMENTOS
  VALORES SENTIMENTOS,
   CONDICIONAMENTOS E
    VIVÊNCIA PESSOAL.
O que é a percepção?
                                 ?

• Processo pelo qual indivíduos organizam e
  interpretam suas impressões sensoriais a fim de
  dar sentido ao seu ambiente. Entretanto, o que
  alguém percebe pode ser substancialmente
  diferente da realidade objetiva.

• O comportamento das pessoas é baseado em suas
  percepções do que a realidade é, e não na
  realidade em si.
Fatores que i fl
  F           influenciam a percepção
                      i            ã

Um número de fatores operam para moldar, e
 algumas vezes distorcer, a percepção. São eles:

a) O próprio indivíduo, ou seja quem percebe;
              indivíduo,      seja,
b) O alvo, ou seja, o objeto que é observado
      alvo,
   (percebido);
c) A situação, isto é, o contexto em que o objeto ou
     situação,
   evento é percebido
            percebido.
O i di íd que percebe
                  indivíduo        b

  A interpretação é influenciada pelas características pessoais do
                              indivíduo.
   Atitudes:
   Atitudes: são pensamentos diferentes a respeito de algo e que
implicam em interpretações distintas que duas ou mais pessoas têm
              a respeito do mesmo objeto ou situação.
 Motivação:
 Motivação: necessidades não atendidas levam a diversas maneiras
                            de percepção.
         Interesse:
         Interesse: como os interesses individuais variam
  consideravelmente, o que uma pessoa nota numa situação pode
                 diferir do que os outros percebem.
 Experiências passadas: percebe-se as coisas com as quais se pode
 E     iê i passadas: percebe-
                     d          b         i              i       d
                        fazer alguma relação.
O alvo que é percebido

• Como os alvos não são vistos isoladamente, a relação
de um alvo com seu pano de fundo influencia a
percepção.

• Há uma tendência em agrupar coisas próximas ou
parecidas junto.

• Objetos que estão perto uns dos outros tenderão a ser
percebidos juntos mais do que separadamente.

• Quanto maior a similaridade maior a probabilidade
                 similaridade,
de que os percebamos como um grupo comum.
A situação ou contexto


• Os elementos no ambiente em volta influenciam a
percepção.
percepção

• O mesmo objeto ou evento pode ser notado d
            bj                d         d de
maneiras diferentes quando a situação muda.

• O ambiente, a temperatura, o momento ou a
             ,       p      ,
presença de outra(s) pessoa(s), podem modificar a
p
percepção da p
     pç        pessoa.
Fatores que influenciam a
        percepção           Indivíduo:
                            Atitudes
                            Motivações
                            Interesses
                            Experiências
                            Expectativas


    Situação:
    Tempo
                            Percepção
    Local
    Situação social


                            Alvo:
                            Novidade
                            Movimento
                            Som
                            Tamanho
                            Fundo
                            Proximidade
Julgamento dos outros

• A percepção e julgamento das ações de uma pessoa
  serão significativamente influenciados pelas
  suposições que se faz sobre o estado interno dessa
  pessoa.

• Percepção Seletiva: uma característica que faz uma
              Seletiva:
  pessoa sobressair aumenta a probabilidade de que
  ela seja percebida.

• Efeito de Halo: quando se tem uma impressão geral
            Halo:
  sobre um indivíduo com base em uma única
  característica.
Julgamento dos outros

• Efeitos de Contraste: avalia-se uma pessoa
             Contraste: avalia-
  freqüentemente em comparação com outras
  que foram recentemente encontradas.

• Projeção: tendência de atribuir as próprias
  Projeção:
  características a outras pessoas.

• Estereótipo: julgamento de alguém com base
  Estereótipo:
  na percepção do grupo ao qual esta pessoa
  p
  pertença.
O QUE
PERCEBEM
NA FIGURA
AO LADO?
O QUE PERCEBEM?
O QUE PERCEBEM?
O QUE PE CEBEM
  Q E ERC    M?
HÁ QUANTAS PERNAS?
O QUE
  OQ E
PER EBE
  RCE EM?
REI OU
RAINHA?
REI OU
RAINHA?
O FEEDBACK
•Retroalimentação

•Retorno da informação

•Processar informações e transmiti-las ao
 Processar               transmiti las
sistema
ATIVIDADE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertivaComunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Gabi1994Dinis
 
Apresentação Comunicação
Apresentação ComunicaçãoApresentação Comunicação
Apresentação Comunicação
Patrícia Ervilha
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
Thais Oliveira
 
Slides comunicação
Slides comunicaçãoSlides comunicação
Slides comunicação
ciro79
 
Processos de Comunicação
Processos de ComunicaçãoProcessos de Comunicação
Processos de Comunicação
Giorgia Barreto Lima Parrião
 
Comunicação nas relações interpessoais
Comunicação nas relações interpessoaisComunicação nas relações interpessoais
Comunicação nas relações interpessoais
Falarte
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
Francielle Hilbert
 
Barreiras à comunicacao
Barreiras à comunicacaoBarreiras à comunicacao
Barreiras à comunicacao
SaraSantosPinheiro
 
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoMelhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Denise Varela
 
Comunicação Organizacional - Aula 02
Comunicação Organizacional - Aula 02Comunicação Organizacional - Aula 02
Comunicação Organizacional - Aula 02
Davi Rocha
 
79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacao79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacao
Anabela Silva
 
Barreiras a comunicação
Barreiras a comunicaçãoBarreiras a comunicação
Barreiras a comunicação
Martinha Vilaça
 
Psicologia comunicação
Psicologia   comunicaçãoPsicologia   comunicação
Psicologia comunicação
Arlane
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Karime Kamel
 
Treinamento comunicação
Treinamento comunicaçãoTreinamento comunicação
Treinamento comunicação
Elisama Lopes
 
Importância da comunicação
Importância da comunicaçãoImportância da comunicação
Importância da comunicação
Omar Demetrio
 
Postura profissional
Postura profissionalPostura profissional
Postura profissional
Milena Rebouças
 
Treinamento Comunicação - Embali
Treinamento Comunicação - EmbaliTreinamento Comunicação - Embali
Treinamento Comunicação - Embali
Milton Henrique do Couto Neto
 
Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.
Raimundo Nonato
 
Comunicação institucional
Comunicação   institucionalComunicação   institucional
Comunicação institucional
Diego Andreasi
 

Mais procurados (20)

Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertivaComunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
 
Apresentação Comunicação
Apresentação ComunicaçãoApresentação Comunicação
Apresentação Comunicação
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
 
Slides comunicação
Slides comunicaçãoSlides comunicação
Slides comunicação
 
Processos de Comunicação
Processos de ComunicaçãoProcessos de Comunicação
Processos de Comunicação
 
Comunicação nas relações interpessoais
Comunicação nas relações interpessoaisComunicação nas relações interpessoais
Comunicação nas relações interpessoais
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
 
Barreiras à comunicacao
Barreiras à comunicacaoBarreiras à comunicacao
Barreiras à comunicacao
 
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoMelhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
 
Comunicação Organizacional - Aula 02
Comunicação Organizacional - Aula 02Comunicação Organizacional - Aula 02
Comunicação Organizacional - Aula 02
 
79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacao79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacao
 
Barreiras a comunicação
Barreiras a comunicaçãoBarreiras a comunicação
Barreiras a comunicação
 
Psicologia comunicação
Psicologia   comunicaçãoPsicologia   comunicação
Psicologia comunicação
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
 
Treinamento comunicação
Treinamento comunicaçãoTreinamento comunicação
Treinamento comunicação
 
Importância da comunicação
Importância da comunicaçãoImportância da comunicação
Importância da comunicação
 
Postura profissional
Postura profissionalPostura profissional
Postura profissional
 
Treinamento Comunicação - Embali
Treinamento Comunicação - EmbaliTreinamento Comunicação - Embali
Treinamento Comunicação - Embali
 
Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.
 
Comunicação institucional
Comunicação   institucionalComunicação   institucional
Comunicação institucional
 

Destaque

Barreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicaçãoBarreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicação
Leonor Alves
 
Etica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãOEtica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãO
ffasolo3
 
éTica na comunicação
éTica na comunicaçãoéTica na comunicação
éTica na comunicação
ana cláudia campos
 
A ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicaçãoA ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicação
Elder Leite
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
Elizabeth Vicente da Silva
 
Ética da comunicação
Ética da comunicaçãoÉtica da comunicação
Ética da comunicação
Laércio Góes
 
Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3
nixsonmachado
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
Lilian Lima
 
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Douglas Vieira
 
Função de Linguagem
Função de LinguagemFunção de Linguagem
Função de Linguagem
Faell Vasconcelos
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Quezia Neves
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
Luci Bonini
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Verônica Carvalho
 

Destaque (13)

Barreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicaçãoBarreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicação
 
Etica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãOEtica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãO
 
éTica na comunicação
éTica na comunicaçãoéTica na comunicação
éTica na comunicação
 
A ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicaçãoA ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicação
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
Ética da comunicação
Ética da comunicaçãoÉtica da comunicação
Ética da comunicação
 
Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3
 
Funções de linguagem
Funções de linguagemFunções de linguagem
Funções de linguagem
 
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
 
Função de Linguagem
Função de LinguagemFunção de Linguagem
Função de Linguagem
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 

Semelhante a Comunicação: O Processo De Comunicação

Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
Unip e Uniplan
 
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptxMódulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
ssuseredb017
 
A Importância da comunicação
A Importância da comunicação A Importância da comunicação
A Importância da comunicação
Adilson P Motta Motta
 
Texto apoio mod10
Texto apoio mod10Texto apoio mod10
Texto apoio mod10
11CPTS
 
Processos de Comunicação
Processos de ComunicaçãoProcessos de Comunicação
Processos de Comunicação
Giorgia Barreto Lima Parrião
 
Aula de Comunicação para o curso de TTI.pdf
Aula de Comunicação para o curso de TTI.pdfAula de Comunicação para o curso de TTI.pdf
Aula de Comunicação para o curso de TTI.pdf
SheilaCortes2
 
# Slides 8 comunicação
# Slides 8 comunicação# Slides 8 comunicação
# Slides 8 comunicação
renatawr1
 
Aula Comunicação - Segurança do trabalho.pdf
Aula Comunicação - Segurança do trabalho.pdfAula Comunicação - Segurança do trabalho.pdf
Aula Comunicação - Segurança do trabalho.pdf
SheilaCortes2
 
A comunicação Interpessoal
A comunicação InterpessoalA comunicação Interpessoal
A comunicação Interpessoal
José Affonso Fausto Barbosa
 
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacobApostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
maria aparecida alves barbosa de medeiros
 
Comunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbalComunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbal
ArmandoTeixeira12
 
comunicação
comunicaçãocomunicação
comunicação
renatawr1
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
LINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUALLINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUAL
Andrea Dalforno
 
comunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.ppt
comunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.pptcomunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.ppt
comunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.ppt
SrRodrigues1
 
01 comunicação
01 comunicação01 comunicação
01 comunicação
Adson Pita Albuquerque
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
Isabel Vitorino
 
português instrumental
  português instrumental  português instrumental
português instrumental
Jhosafá de Kastro
 
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptxAula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
JessiellyGuimares
 
Aula sobre teorias da informação e da comunicação
Aula sobre teorias da informação e da comunicaçãoAula sobre teorias da informação e da comunicação
Aula sobre teorias da informação e da comunicação
Jonathas Carvalho
 

Semelhante a Comunicação: O Processo De Comunicação (20)

Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
 
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptxMódulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
Módulo 1_TCAT_10.º ANO.pptx
 
A Importância da comunicação
A Importância da comunicação A Importância da comunicação
A Importância da comunicação
 
Texto apoio mod10
Texto apoio mod10Texto apoio mod10
Texto apoio mod10
 
Processos de Comunicação
Processos de ComunicaçãoProcessos de Comunicação
Processos de Comunicação
 
Aula de Comunicação para o curso de TTI.pdf
Aula de Comunicação para o curso de TTI.pdfAula de Comunicação para o curso de TTI.pdf
Aula de Comunicação para o curso de TTI.pdf
 
# Slides 8 comunicação
# Slides 8 comunicação# Slides 8 comunicação
# Slides 8 comunicação
 
Aula Comunicação - Segurança do trabalho.pdf
Aula Comunicação - Segurança do trabalho.pdfAula Comunicação - Segurança do trabalho.pdf
Aula Comunicação - Segurança do trabalho.pdf
 
A comunicação Interpessoal
A comunicação InterpessoalA comunicação Interpessoal
A comunicação Interpessoal
 
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacobApostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
Apostila de comunicac3a7c3a3o_aplicada-soraia-jacob
 
Comunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbalComunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbal
 
comunicação
comunicaçãocomunicação
comunicação
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
LINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUALLINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUAL
LINGUAGEM VISUAL | ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO VISUAL
 
comunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.ppt
comunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.pptcomunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.ppt
comunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.ppt
 
01 comunicação
01 comunicação01 comunicação
01 comunicação
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
português instrumental
  português instrumental  português instrumental
português instrumental
 
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptxAula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
 
Aula sobre teorias da informação e da comunicação
Aula sobre teorias da informação e da comunicaçãoAula sobre teorias da informação e da comunicação
Aula sobre teorias da informação e da comunicação
 

Mais de Adm Pub

Comunicação: Endomarketing
Comunicação: EndomarketingComunicação: Endomarketing
Comunicação: Endomarketing
Adm Pub
 
Comunicação: Marketing
Comunicação: MarketingComunicação: Marketing
Comunicação: Marketing
Adm Pub
 
Comunicação: Comunicação Empresarial
Comunicação: Comunicação EmpresarialComunicação: Comunicação Empresarial
Comunicação: Comunicação Empresarial
Adm Pub
 
Osm Organogramas Funcionogramas
Osm Organogramas FuncionogramasOsm Organogramas Funcionogramas
Osm Organogramas Funcionogramas
Adm Pub
 
Introdução Organização Sistemas e Metodos
Introdução Organização Sistemas e MetodosIntrodução Organização Sistemas e Metodos
Introdução Organização Sistemas e Metodos
Adm Pub
 
Poder das Frutas
Poder das FrutasPoder das Frutas
Poder das Frutas
Adm Pub
 

Mais de Adm Pub (6)

Comunicação: Endomarketing
Comunicação: EndomarketingComunicação: Endomarketing
Comunicação: Endomarketing
 
Comunicação: Marketing
Comunicação: MarketingComunicação: Marketing
Comunicação: Marketing
 
Comunicação: Comunicação Empresarial
Comunicação: Comunicação EmpresarialComunicação: Comunicação Empresarial
Comunicação: Comunicação Empresarial
 
Osm Organogramas Funcionogramas
Osm Organogramas FuncionogramasOsm Organogramas Funcionogramas
Osm Organogramas Funcionogramas
 
Introdução Organização Sistemas e Metodos
Introdução Organização Sistemas e MetodosIntrodução Organização Sistemas e Metodos
Introdução Organização Sistemas e Metodos
 
Poder das Frutas
Poder das FrutasPoder das Frutas
Poder das Frutas
 

Último

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 

Comunicação: O Processo De Comunicação

  • 1.
  • 2. A palavra comunicação vem do latim cummunis que traz a idéia de Comunhão. (PEREZ, C. & BAIRON, S. Comunicação & Marketing. São Paulo: Futura, 2002) Tornar comum, trocar opiniões, fazer saber; implica interação, troca de mensagens. mensagens É um processo de participação de experiências que modifica experiências, a disposição mental das partes envolvidas. (BOSCO, J. B. Redação Empresarial. SãoPaulo: Atlas, 1998) Ação de pôr em comum tudo aquilo que, social, política ou existencialmente, não deve permanecer isolado isolado. (SODRÉ, M. Reinventando a cultura.Petrópolis (RJ): Vozes, 1996) Informação com feedback (BEKIN, S. F. Conversando sobre Endomarketing. São Paulo Makron, 1995).;
  • 3. Comunicação é o processo pelo qual os seres humanos trocam entre si informações. Nesta breve definição temos já implicitamente presentes os elementos nucleares do ato comunicativo: o emissor, o receptor ("seres humanos") e a ( ) mensagem ("informações"). De fato, em qualquer ato comunicativo encontramos alguém que procura ttransmitir a outrem uma dada i f iti t d d informação. ã
  • 4. Além desses três elementos nucleares, é costume considerar outros três: o código o canal e o código, contexto. contexto Nenhum ato comunicativo seria possível, na ausência de qualquer um desses elementos. elementos
  • 5. • é necessária a intervenção de, pelo menos, dois indivíduos, um que emita, outro que receba; • algo tem que ser transmitido pelo emissor ao receptor; • para que o emissor e o receptor comuniquem é necessário que esteja disponível um canal de comunicação; • a informação a transmitir tem q estar "traduzida" num ç que código conhecido, quer pelo emissor, quer pelo receptor; • finalmente todo o ato comunicativo se realiza num determinado contexto e é determinado por esse contexto.
  • 6. O processo de comunicação O transmissor A mensagem é transmitida O receptor codifica a decodifica a via meio de comunicação mensagem mensagem O receptor fornece feedback para o transmissor
  • 7. O processo de comunicação Mensagem EMISSOR Codifica- Decodifi- RECEPTOR ção cação Meio Ruído Feedback Resposta
  • 8. Elementos da comunicação • Emissor - emite, codifica a mensagem • R Receptor - recebe, d t b decodifica a mensagem difi • Mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor • Código - conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem • Contexto - contexto relacionado a emissor e receptor • Canal - meio pelo qual circula a mensagem
  • 9. POR QUE A COMUNICAÇÃO É TÃO IMPORTANTE? Pesquisas revelam que um norte-americano comum gasta cerca de 70% do seu tempo ativo ouvindo, falando, lendo e escrevendo, nessa ordem. , , , Isto quer dizer que gasta-se de dez a onze horas, por dia, todos os dias, em comportamentos de comunicação verbal. Fonte: BEKIN S. F. Conversando sobre Endomarketing. São Paulo: Makron, 1995. BEKIN, S F Endomarketing Makron 1995 QUANDO SE COMUNICA COM ALGUÉM, O QUE DEVE SER LEVADO EM CONSIDERAÇÃO? * Quem é a pessoa com quem você vai se comunicar? * O que você quer dizer? * Como você está transmitindo as informações? * Como você se certifica de que conseguiu convencer o receptor?
  • 10. EFEITO PRODUZIDO QUEM? MENSAGEM PELA DIZ O SOBRE A AUDIÊNCIA – QUE? QUEM? ANÁLISEPESSOAS ATINGIDAS DO EFEITO PELOS MEIOS DIZ O QUE? EM QUE EM QUE CANAL? QUE INICIAM CANAL? FATORES E GUIAM O ATO DA PARA QUEM? ANÁLISE DE COMUNICAÇÃO CONTEÚDO QUAL E COM EFEITO? MEIOS INTERPESSOAL OU DE MASSA
  • 11. PROBLEMAS DE COMUNICAÇÃO Da parte do emissor •I Incapacidade verbal; id d b l • falta de coerência; • uso de frases longas para impressionar; • acúmulo de detalhes irrelevantes; • ausência de espontaneidade; • manifestação evidente de linguagem afetada; • uso de termos técnicos, gírias, regionalismos e desconhecidos pelos receptores; • excesso de adjetivos, advérbios e frases feitas.
  • 12. PROBLEMAS DE COMUNICAÇÃO Da parte do receptor • Nível de conhecimento insuficiente; ; • distração; ç ; • falta de disposição p p ç para entender; ; • níveis cultural, social, intelectual, econômico e , , , de escolaridade diferentes do emissor;
  • 13. COMUNICAÇÃO x INFORMAÇÃO Comunicação envolve interlocutores, troca de informações; começa quando a informação acaba. O ç ; ç q ç melhor sistema de informação, por si só, não garante comunicação. Fonte: BEKIN, S. F. (1995) Conversando sobre Endomarketing. São Paulo: Makron.
  • 14. ELEMENTOS / PROCESSOS Emissor ou Remetente: Quem emite a mensagem; Codificação: P C difi ã Processo de t d transformar o pensamento em forma simbólica; f t f i bóli Linguagem: Dinâmica mediadora entre os homens. Tipos: falada e escrita ( (comunicação verbal), gestual, corporal, por símbolos, ícones e sons ç ), g , p ,p , (comunicação não verbal). Meio, canal ou veículo: Suporte material que possibilita veicular uma mensagem a um destinatário através do espaço e do tempo. Ex.: televisão, destinatário, tempo Ex : televisão carta, telefone, rádio etc. Mensagem: Sinônimo de conteúdo; o que está escrito em um texto e o que é dito em um discurso; é o que se passa de significativo na comunicação entre destinador e destinatário. Fonte: BOSCO, J. B. Redação Empresarial. São Paulo: Atlas, 1998 KOTLER, P. ARMSTRONG, G. KOTLER P & ARMSTRONG G Princípios de Marketing SODRÉ M Reinventando a Marketing. SODRÉ, M. cultura: a comunicação e seus produtos.
  • 15. Decodificação: Processo pelo qual o receptor traduz os símbolos emitidos pelo emissor. “Tradução” que vai depender do nível econômico, social, cultural e de escolaridade d receptor. l id d do t Receptor ou Destinatário: Quem recebe a mensagem emitida pelo emissor. Resposta: Reação do receptor após ter sido exposto à mensagem. Feedback: Resposta do receptor que chega ao emissor Em outras palavras emissor. palavras, retorno da mensagem que foi enviada pelo emissor. Ruído: Tudo o que dificulta a comunicação interfere a transmissão e perturba a comunicação, recepção ou compreensão da mensagem; tudo o que possibilita a perda de informação durante o transporte da mensagem entre o emissor e o receptor. Fonte: BOSCO, J. B. Redação Empresarial. São Paulo: Atlas, 1998
  • 16. Semiologia ou Semiótica Ciência que estuda o f Cê funcionamento do sistema de signos. Por signo entende-se a interpretação e alguém diante de uma "coisa" ou "evento". Ex.: E preto é uma cor, mas passa a ser signo t i (luto) na comunicação.
  • 17. SIGNOS naturais e artificiais Naturais: não são produzidos pelo homem. São "coisas" e "eventos“ que o homem passa a interpretar como signos. Ex.: nuvens negras (chuva vindoura), vôo de certas aves (mau agouro), sintomas de doença... Artificiais: são criados pelo homem para que funcionem no processo da comunicação. Caracterizam-se, portanto, pela intenção. Ex.: apitos de juiz, sinal de trânsito, signos lingüísticos...
  • 18.
  • 19. AS PESSOAS PRECEBEM E INTERPRETAM AS COISAS E SITUAÇÕES CONFORME SUAS CARGAS DE EXPERIÊNCIA, CONHECIMENTO, CRENÇAS, VALORES, SENTIMENTOS VALORES SENTIMENTOS, CONDICIONAMENTOS E VIVÊNCIA PESSOAL.
  • 20. O que é a percepção? ? • Processo pelo qual indivíduos organizam e interpretam suas impressões sensoriais a fim de dar sentido ao seu ambiente. Entretanto, o que alguém percebe pode ser substancialmente diferente da realidade objetiva. • O comportamento das pessoas é baseado em suas percepções do que a realidade é, e não na realidade em si.
  • 21. Fatores que i fl F influenciam a percepção i ã Um número de fatores operam para moldar, e algumas vezes distorcer, a percepção. São eles: a) O próprio indivíduo, ou seja quem percebe; indivíduo, seja, b) O alvo, ou seja, o objeto que é observado alvo, (percebido); c) A situação, isto é, o contexto em que o objeto ou situação, evento é percebido percebido.
  • 22. O i di íd que percebe indivíduo b A interpretação é influenciada pelas características pessoais do indivíduo. Atitudes: Atitudes: são pensamentos diferentes a respeito de algo e que implicam em interpretações distintas que duas ou mais pessoas têm a respeito do mesmo objeto ou situação. Motivação: Motivação: necessidades não atendidas levam a diversas maneiras de percepção. Interesse: Interesse: como os interesses individuais variam consideravelmente, o que uma pessoa nota numa situação pode diferir do que os outros percebem. Experiências passadas: percebe-se as coisas com as quais se pode E iê i passadas: percebe- d b i i d fazer alguma relação.
  • 23. O alvo que é percebido • Como os alvos não são vistos isoladamente, a relação de um alvo com seu pano de fundo influencia a percepção. • Há uma tendência em agrupar coisas próximas ou parecidas junto. • Objetos que estão perto uns dos outros tenderão a ser percebidos juntos mais do que separadamente. • Quanto maior a similaridade maior a probabilidade similaridade, de que os percebamos como um grupo comum.
  • 24. A situação ou contexto • Os elementos no ambiente em volta influenciam a percepção. percepção • O mesmo objeto ou evento pode ser notado d bj d d de maneiras diferentes quando a situação muda. • O ambiente, a temperatura, o momento ou a , p , presença de outra(s) pessoa(s), podem modificar a p percepção da p pç pessoa.
  • 25. Fatores que influenciam a percepção Indivíduo: Atitudes Motivações Interesses Experiências Expectativas Situação: Tempo Percepção Local Situação social Alvo: Novidade Movimento Som Tamanho Fundo Proximidade
  • 26. Julgamento dos outros • A percepção e julgamento das ações de uma pessoa serão significativamente influenciados pelas suposições que se faz sobre o estado interno dessa pessoa. • Percepção Seletiva: uma característica que faz uma Seletiva: pessoa sobressair aumenta a probabilidade de que ela seja percebida. • Efeito de Halo: quando se tem uma impressão geral Halo: sobre um indivíduo com base em uma única característica.
  • 27. Julgamento dos outros • Efeitos de Contraste: avalia-se uma pessoa Contraste: avalia- freqüentemente em comparação com outras que foram recentemente encontradas. • Projeção: tendência de atribuir as próprias Projeção: características a outras pessoas. • Estereótipo: julgamento de alguém com base Estereótipo: na percepção do grupo ao qual esta pessoa p pertença.
  • 30.
  • 32. O QUE PE CEBEM Q E ERC M?
  • 34. O QUE OQ E PER EBE RCE EM?
  • 37. O FEEDBACK •Retroalimentação •Retorno da informação •Processar informações e transmiti-las ao Processar transmiti las sistema