SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO MÉDIO FUNÇÕES DE LINGUAGEM
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
No ato de comunicação percebemos a existência de alguns elementos, são eles:  a)  emissor:  é aquele que envia a mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas).  b)  receptor:  é aquele a quem a mensagem é endereçada (um indivíduo ou um grupo), também conhecido como destinatário.  c)  canal de comunicação:  é o meio pelo qual a mensagem é transmitida.  d)  código:  é o conjunto de signos e de regras de combinação desses signos utilizado para elaborar a mensagem: o emissor codifica aquilo que o receptor irá descodificar.  e)  contexto:  é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere.
Partindo desses seis elementos Roman Jakobson, lingüista russo, elaborou estudos acerca das funções da linguagem, os quais são muito úteis para a análise e produção de textos. As seis funções são:  1.  Função referencial:  referente é o objeto ou situação de que a mensagem trata. A função referencial privilegia justamente o referente da mensagem, buscando transmitir informações objetivas sobre ele. Essa função predomina nos  textos  de caráter científico e é privilegiado nos textos jornalísticos.  2.  Função emotiva:  através dessa função, o emissor imprime no texto as marcas de sua atitude pessoal: emoções, avaliações, opiniões. O leitor sente no texto a presença do emissor.  3.  Função conativa:  essa função procura organizar o texto de forma a que se imponha sobre o receptor da mensagem, persuadindo-o, seduzindo-o. Nas mensagens em que predomina essa função, busca-se envolver o leitor com o conteúdo transmitido, levando-o a adotar este ou aquele comportamento.
4. Função fática:  a palavra fático significa “ruído, rumor”. Foi utilizada inicialmente para designar certas formas que se usam para chamar a atenção (ruídos como psiu, ahn, ei). Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou contato, buscando verificar e fortalecer sua eficiência.  5.  Função metalingüística:  quando a linguagem se volta sobre si mesma, transformando-se em seu próprio referente, ocorre a função metalingüística.  6.  Função poética:  quando a mensagem é elaborada de forma inovadora e imprevista, utilizando combinações sonoras ou rítmicas, jogos de imagem ou de idéias, temos a manifestação da função  poética  da linguagem. Essa função é capaz de despertar no leitor prazer estético e surpresa. É explorado na poesia e em textos  publicitários .
Vejamos os elementos que envolvem a comunicação, separadamente:  ● Emissor: é aquele que envia a mensagem, o remetente, o falante.  ● Receptor: é aquele que recebe a mensagem, o destinatário, o ouvinte.  ● Mensagem: é o que se fala, o conteúdo transmitido.  ● Código: é o meio pelo qual se passa a mensagem: gestos, figuras, fala, escrita.  ● Canal: é o meio pelo qual a mensagem circula.  ● Contexto: é o meio no qual o receptor e emissor estão inseridos: situação, lugar.  A linguagem pode ter várias finalidades: de informar, de persuadir, de emocionar, dentre outras.  A função da linguagem dependerá do  objetivo  da comunicação e pode ser: apelativa, emotiva, fática, metalingüística,  poética .
Função referencial ou denotativa : transmite uma informação objetiva, expõe dados da realidade de modo objetivo, não faz comentários, nem avaliação. Geralmente, o texto apresenta-se na terceira pessoa do singular ou plural, pois transmite impessoalidade. A linguagem é denotativa, ou seja, não há possibilidades de outra interpretação além da que está exposta.  Em alguns textos é mais predominante essa função, como: científicos, jornalísticos, técnicos, didáticos ou em correspondências comerciais.  Por exemplo : “Bancos terão novas regras para acesso de deficientes”. O Popular, 16 out. 2008.
Função emotiva ou expressiva : o  objetivo  do emissor é transmitir suas emoções e anseios. A realidade é transmitida sob o ponto de vista do emissor, a mensagem é subjetiva e centrada no emitente e, portanto, apresenta-se na primeira pessoa. A pontuação (ponto de exclamação, interrogação e reticências) é uma característica da função emotiva, pois transmite a subjetividade da mensagem e reforça a entonação emotiva. Essa função é comum em poemas ou narrativas de teor dramático ou romântico.  Por exemplo : “Porém meus olhos não perguntam nada./ O homem atrás do bigode é sério, simples e forte./Quase não conversa./Tem poucos, raros amigos/o homem atrás dos óculos e do bigode.” (Poema de sete faces, Carlos Drummond de Andrade)
Função conativa ou apelativa : O objetivo é de influenciar, convencer o receptor de alguma coisa por meio de uma ordem (uso de vocativos), sugestão, convite ou apelo (daí o nome da função). Os verbos costumam estar no imperativo (Compre! Faça!) ou conjugados na 2ª ou 3ª pessoa (Você não pode perder! Ele vai melhorar seu desempenho!). Esse tipo de função é muito comum em textos publicitários, em discursos políticos ou de autoridade.  Por exemplo : Não perca a chance de ir ao cinema pagando menos!
Função metalingüística : Essa função refere-se à metalinguagem, que é quando o emissor explica um código usando o próprio código. Quando um poema fala da própria ação de se fazer um poema, por exemplo. Veja:  “Pegue um jornal  Pegue a tesoura.  Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema.  Recorte o artigo.”  Este trecho da poesia, intitulada “Para fazer um poema dadaísta” utiliza o código (poema) para explicar o próprio ato de fazer um poema.
Função fática : O objetivo dessa função é estabelecer uma relação com o emissor, um contato para verificar se a mensagem está sendo transmitida ou para dilatar a conversa.  Quando estamos em um diálogo, por exemplo, e dizemos ao nosso receptor “Está entendendo?”, estamos utilizando este tipo de função ou quando atendemos o celular e dizemos “Oi” ou “Alô”.  Função poética : O objetivo do emissor é expressar seus sentimentos através de textos que podem ser enfatizados por meio das formas das palavras, da sonoridade, do ritmo, além de elaborar novas possibilidades de combinações dos signos lingüísticos. É presente em textos literários, publicitários e em letras de música.  Por exem plo: negócio/ego/ócio/cio/0  Na  poesia  acima “Epitáfio para um banqueiro”, José de Paulo Paes faz uma combinação de  palavras  que passa a idéia do dia-a-dia de um banqueiro, de acordo com o poeta.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3nixsonmachado
 
Elementos da comunicacao
Elementos da comunicacaoElementos da comunicacao
Elementos da comunicacaoSandra Paula
 
Recursos ortográficos e efeitos de sentido
Recursos ortográficos e efeitos de sentidoRecursos ortográficos e efeitos de sentido
Recursos ortográficos e efeitos de sentidoPaulo Alexandre
 
Elementos da comunicação pronto
Elementos da comunicação prontoElementos da comunicação pronto
Elementos da comunicação prontoDali Sá
 
Funcões da linguagem 10ºano trabalho
Funcões da linguagem 10ºano trabalho Funcões da linguagem 10ºano trabalho
Funcões da linguagem 10ºano trabalho Hus Juky
 
Linguagem e Comunicação
Linguagem e ComunicaçãoLinguagem e Comunicação
Linguagem e Comunicação7 de Setembro
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemCrisBiagio
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguísticaDenise
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da LinguagemLuci Bonini
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Falajayarruda
 

Mais procurados (20)

Funções da linguagem 3
Funções da linguagem   3Funções da linguagem   3
Funções da linguagem 3
 
Funcões da linguagem -
Funcões da linguagem - Funcões da linguagem -
Funcões da linguagem -
 
Editorial
EditorialEditorial
Editorial
 
Elementos da comunicacao
Elementos da comunicacaoElementos da comunicacao
Elementos da comunicacao
 
Linguagens Rufino
Linguagens Rufino Linguagens Rufino
Linguagens Rufino
 
O Texto PublicitáRio
O Texto PublicitáRioO Texto PublicitáRio
O Texto PublicitáRio
 
Recursos ortográficos e efeitos de sentido
Recursos ortográficos e efeitos de sentidoRecursos ortográficos e efeitos de sentido
Recursos ortográficos e efeitos de sentido
 
Função de linguagem
Função de linguagemFunção de linguagem
Função de linguagem
 
Elementos da comunicação pronto
Elementos da comunicação prontoElementos da comunicação pronto
Elementos da comunicação pronto
 
Funcões da linguagem 10ºano trabalho
Funcões da linguagem 10ºano trabalho Funcões da linguagem 10ºano trabalho
Funcões da linguagem 10ºano trabalho
 
Linguagem e Comunicação
Linguagem e ComunicaçãoLinguagem e Comunicação
Linguagem e Comunicação
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
Função de Linguagem
Função de LinguagemFunção de Linguagem
Função de Linguagem
 
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Expressão oral e escrita
Expressão oral e escritaExpressão oral e escrita
Expressão oral e escrita
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
 
Os tipos de discurso
Os tipos de discursoOs tipos de discurso
Os tipos de discurso
 

Destaque

Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileirasDouglas Vieira
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemQuezia Neves
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicaçãoCarina Duarte
 
Etica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãOEtica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãOffasolo3
 
A ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicaçãoA ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicaçãoElder Leite
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoFrancielle Hilbert
 
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoMelhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoDenise Varela
 
Aula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagemAula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagemRebeca Ferrari
 
Funções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicaçãoFunções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicaçãoFábio Guimarães
 
Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemAna Castro
 
Funções da linguagem slides
Funções da linguagem slidesFunções da linguagem slides
Funções da linguagem slidesnunesmaril
 
Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu
Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais PompeuLinguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu
Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais PompeuAlexandre Cavalcanti
 
Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)deividyalves
 
Ética da comunicação
Ética da comunicaçãoÉtica da comunicação
Ética da comunicaçãoLaércio Góes
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoAdm Pub
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoCassia Dias
 

Destaque (19)

Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
 
Etica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãOEtica Na ComunicaçãO
Etica Na ComunicaçãO
 
A ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicaçãoA ética nos meios de comunicação
A ética nos meios de comunicação
 
éTica na comunicação
éTica na comunicaçãoéTica na comunicação
éTica na comunicação
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
 
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalhoMelhorando a comunicação no ambiente de trabalho
Melhorando a comunicação no ambiente de trabalho
 
Aula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagemAula 3 - Funções da linguagem
Aula 3 - Funções da linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Funções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicaçãoFunções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicação
 
Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagem
 
Funções da linguagem slides
Funções da linguagem slidesFunções da linguagem slides
Funções da linguagem slides
 
Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu
Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais PompeuLinguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu
Linguagem e teoria da comunicação gestão.-Thais Pompeu
 
Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)Função conativa (fuçoes de linguagem)
Função conativa (fuçoes de linguagem)
 
Ética da comunicação
Ética da comunicaçãoÉtica da comunicação
Ética da comunicação
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De Comunicação
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
 

Semelhante a Funções de linguagem

Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemnixsonmachado
 
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagemPedro Barros
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemJomari
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemNicolle Souza
 
Revisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para EnemRevisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para EnemRogério Souza
 
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdffunesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdftatianesouza923757
 
Funções linguísticas
Funções linguísticasFunções linguísticas
Funções linguísticaspaulozac2012
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemjulilp10
 
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagemSadrak Silva
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médiodasmargensaocentro
 

Semelhante a Funções de linguagem (20)

Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).pptFUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
FUNÇÕES DA LINGUAGEM (1).ppt
 
Funções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptxFunções da linguagem 1º.pptx
Funções da linguagem 1º.pptx
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Revisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para EnemRevisão sobre funções da linguagem para Enem
Revisão sobre funções da linguagem para Enem
 
figuras de linguagem.ppt
figuras de linguagem.pptfiguras de linguagem.ppt
figuras de linguagem.ppt
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdffunesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
funesdalinguagem-profbauru-140122181935-phpapp01.pdf
 
Funções linguísticas
Funções linguísticasFunções linguísticas
Funções linguísticas
 
Apostila jurídica
Apostila jurídicaApostila jurídica
Apostila jurídica
 
funcoes da linguagem.pdf
funcoes da linguagem.pdffuncoes da linguagem.pdf
funcoes da linguagem.pdf
 
Elementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagemElementos da comunicação e funções da linguagem
Elementos da comunicação e funções da linguagem
 
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
 
Portugues lucas
Portugues lucasPortugues lucas
Portugues lucas
 

Mais de Lilian Lima

Código redação
Código redaçãoCódigo redação
Código redaçãoLilian Lima
 
Lima barreto atividade_policarpo
Lima barreto atividade_policarpoLima barreto atividade_policarpo
Lima barreto atividade_policarpoLilian Lima
 
Produção textual contos de enigma
Produção textual contos de enigmaProdução textual contos de enigma
Produção textual contos de enigmaLilian Lima
 
Contos de enigma
Contos de enigmaContos de enigma
Contos de enigmaLilian Lima
 
Funções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africaFunções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africaLilian Lima
 
Exercícios para fixação figuras de lingaguem
Exercícios para fixação figuras de lingaguemExercícios para fixação figuras de lingaguem
Exercícios para fixação figuras de lingaguemLilian Lima
 
Funções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africaFunções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africaLilian Lima
 
2011 2 – língua portuguesa roamantismo_história
2011 2 – língua portuguesa roamantismo_história2011 2 – língua portuguesa roamantismo_história
2011 2 – língua portuguesa roamantismo_históriaLilian Lima
 

Mais de Lilian Lima (8)

Código redação
Código redaçãoCódigo redação
Código redação
 
Lima barreto atividade_policarpo
Lima barreto atividade_policarpoLima barreto atividade_policarpo
Lima barreto atividade_policarpo
 
Produção textual contos de enigma
Produção textual contos de enigmaProdução textual contos de enigma
Produção textual contos de enigma
 
Contos de enigma
Contos de enigmaContos de enigma
Contos de enigma
 
Funções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africaFunções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africa
 
Exercícios para fixação figuras de lingaguem
Exercícios para fixação figuras de lingaguemExercícios para fixação figuras de lingaguem
Exercícios para fixação figuras de lingaguem
 
Funções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africaFunções da linguagem vozes da africa
Funções da linguagem vozes da africa
 
2011 2 – língua portuguesa roamantismo_história
2011 2 – língua portuguesa roamantismo_história2011 2 – língua portuguesa roamantismo_história
2011 2 – língua portuguesa roamantismo_história
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 

Último (20)

treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 

Funções de linguagem

  • 1. LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO MÉDIO FUNÇÕES DE LINGUAGEM
  • 2.
  • 3. No ato de comunicação percebemos a existência de alguns elementos, são eles: a) emissor: é aquele que envia a mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas). b) receptor: é aquele a quem a mensagem é endereçada (um indivíduo ou um grupo), também conhecido como destinatário. c) canal de comunicação: é o meio pelo qual a mensagem é transmitida. d) código: é o conjunto de signos e de regras de combinação desses signos utilizado para elaborar a mensagem: o emissor codifica aquilo que o receptor irá descodificar. e) contexto: é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere.
  • 4. Partindo desses seis elementos Roman Jakobson, lingüista russo, elaborou estudos acerca das funções da linguagem, os quais são muito úteis para a análise e produção de textos. As seis funções são: 1. Função referencial: referente é o objeto ou situação de que a mensagem trata. A função referencial privilegia justamente o referente da mensagem, buscando transmitir informações objetivas sobre ele. Essa função predomina nos textos de caráter científico e é privilegiado nos textos jornalísticos. 2. Função emotiva: através dessa função, o emissor imprime no texto as marcas de sua atitude pessoal: emoções, avaliações, opiniões. O leitor sente no texto a presença do emissor. 3. Função conativa: essa função procura organizar o texto de forma a que se imponha sobre o receptor da mensagem, persuadindo-o, seduzindo-o. Nas mensagens em que predomina essa função, busca-se envolver o leitor com o conteúdo transmitido, levando-o a adotar este ou aquele comportamento.
  • 5. 4. Função fática: a palavra fático significa “ruído, rumor”. Foi utilizada inicialmente para designar certas formas que se usam para chamar a atenção (ruídos como psiu, ahn, ei). Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou contato, buscando verificar e fortalecer sua eficiência. 5. Função metalingüística: quando a linguagem se volta sobre si mesma, transformando-se em seu próprio referente, ocorre a função metalingüística. 6. Função poética: quando a mensagem é elaborada de forma inovadora e imprevista, utilizando combinações sonoras ou rítmicas, jogos de imagem ou de idéias, temos a manifestação da função poética da linguagem. Essa função é capaz de despertar no leitor prazer estético e surpresa. É explorado na poesia e em textos publicitários .
  • 6. Vejamos os elementos que envolvem a comunicação, separadamente: ● Emissor: é aquele que envia a mensagem, o remetente, o falante. ● Receptor: é aquele que recebe a mensagem, o destinatário, o ouvinte. ● Mensagem: é o que se fala, o conteúdo transmitido. ● Código: é o meio pelo qual se passa a mensagem: gestos, figuras, fala, escrita. ● Canal: é o meio pelo qual a mensagem circula. ● Contexto: é o meio no qual o receptor e emissor estão inseridos: situação, lugar. A linguagem pode ter várias finalidades: de informar, de persuadir, de emocionar, dentre outras. A função da linguagem dependerá do objetivo da comunicação e pode ser: apelativa, emotiva, fática, metalingüística, poética .
  • 7. Função referencial ou denotativa : transmite uma informação objetiva, expõe dados da realidade de modo objetivo, não faz comentários, nem avaliação. Geralmente, o texto apresenta-se na terceira pessoa do singular ou plural, pois transmite impessoalidade. A linguagem é denotativa, ou seja, não há possibilidades de outra interpretação além da que está exposta. Em alguns textos é mais predominante essa função, como: científicos, jornalísticos, técnicos, didáticos ou em correspondências comerciais. Por exemplo : “Bancos terão novas regras para acesso de deficientes”. O Popular, 16 out. 2008.
  • 8. Função emotiva ou expressiva : o objetivo do emissor é transmitir suas emoções e anseios. A realidade é transmitida sob o ponto de vista do emissor, a mensagem é subjetiva e centrada no emitente e, portanto, apresenta-se na primeira pessoa. A pontuação (ponto de exclamação, interrogação e reticências) é uma característica da função emotiva, pois transmite a subjetividade da mensagem e reforça a entonação emotiva. Essa função é comum em poemas ou narrativas de teor dramático ou romântico. Por exemplo : “Porém meus olhos não perguntam nada./ O homem atrás do bigode é sério, simples e forte./Quase não conversa./Tem poucos, raros amigos/o homem atrás dos óculos e do bigode.” (Poema de sete faces, Carlos Drummond de Andrade)
  • 9. Função conativa ou apelativa : O objetivo é de influenciar, convencer o receptor de alguma coisa por meio de uma ordem (uso de vocativos), sugestão, convite ou apelo (daí o nome da função). Os verbos costumam estar no imperativo (Compre! Faça!) ou conjugados na 2ª ou 3ª pessoa (Você não pode perder! Ele vai melhorar seu desempenho!). Esse tipo de função é muito comum em textos publicitários, em discursos políticos ou de autoridade. Por exemplo : Não perca a chance de ir ao cinema pagando menos!
  • 10. Função metalingüística : Essa função refere-se à metalinguagem, que é quando o emissor explica um código usando o próprio código. Quando um poema fala da própria ação de se fazer um poema, por exemplo. Veja: “Pegue um jornal Pegue a tesoura. Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema. Recorte o artigo.” Este trecho da poesia, intitulada “Para fazer um poema dadaísta” utiliza o código (poema) para explicar o próprio ato de fazer um poema.
  • 11. Função fática : O objetivo dessa função é estabelecer uma relação com o emissor, um contato para verificar se a mensagem está sendo transmitida ou para dilatar a conversa. Quando estamos em um diálogo, por exemplo, e dizemos ao nosso receptor “Está entendendo?”, estamos utilizando este tipo de função ou quando atendemos o celular e dizemos “Oi” ou “Alô”. Função poética : O objetivo do emissor é expressar seus sentimentos através de textos que podem ser enfatizados por meio das formas das palavras, da sonoridade, do ritmo, além de elaborar novas possibilidades de combinações dos signos lingüísticos. É presente em textos literários, publicitários e em letras de música. Por exem plo: negócio/ego/ócio/cio/0 Na poesia acima “Epitáfio para um banqueiro”, José de Paulo Paes faz uma combinação de palavras que passa a idéia do dia-a-dia de um banqueiro, de acordo com o poeta.