SlideShare uma empresa Scribd logo
O PACIENTE COMO
SER
BIOPSICOSSOCIAL
Enfª Esp. Carla Alves
HISTÓRICO
PSICOLOGIA MÉDICA
• Século XIX – O termo de psicologia médica foi criado
➔Ernest Feuchtersleben;
• 1918 – Maurice de Fleury publica o tratado
“Introdução a Medicina do Espirito”;
• 1918 – Ernest Kretschmer lança o tratado de
Psicologia Médica;
• 1957 – Foi criado o primeiro departamento de
psicologia médica na University of Oregon Medical
School;
• 1956 – Escola Paulista de Medicina e Faculdade de
Ribeirão Preto;
CONCEITO
A Psicologia Médica interessa-se pelas reações
psicológicas de todo enfermo acometido por uma
ou outra afecção e, sobretudo, tende a fornecer ao
clínico ou a qualquer especialista esclarecimentos
quanto ao que ocorre entre ele e seu paciente.
(De Marco, 2010)
Modelo Biomédico
A tese de Darwin (1856):
– Incluiu o homem no Universo da Natureza:
SER BIOLÓGICO
biomédico estuda os SERES
O Modelo
VIVOS da mesma forma que estuda
OUTROS ANIMAIS e/ou outros SERES DO
MUNDO NATURAL.
Modelo Biomédico
• Constituído na transição do Século XVIII
para o XIX (há cerca de 200 anos);
• Conceito científico mecanicista baseado
no cartesianismo – Divisão do plano
mente e corpo.
Descartes é considerado como o primeiro
pensador a enfatizar o uso da razão para
desenvolver as ciências naturais
PROBLEMA NA CONCEPÇÃO
DO PARADIGMABIOMÉDICO
A lógica cartesiana:
•Conceber a mente como processo
cerebral separado ou
independente do corpo
•Levando à suposição de que seria
possível compreender a biologia
do ser humano, através do estudo
das suas partes orgânicas,
separadas da das suas emoções,
da sua psique.
DEFINIÇÃO DE DOENÇA
PARADIGMA BIOMEDICO
• Conjunto de manifestações relacionadas
a alterações fisiopatológicas
• Provocadas por agentes específicos nos
órgãos e tecidos corporais (corpo).
O MODELO BIOMÉDICO
O QUE CAUSA A DOENÇA???
•Advêm do exterior do corpo;
•Mudanças físicas internas ou com origem em
vírus,
mudanças físicas internas involuntárias;
•Desequilíbrios químicos, bactérias,
predisposição genética;
Modelo Biomédico
Patologia Clínica médica
Saúde é definida negativamente:
Ausência de doença
Ausência defeitos em um sistema físico
Aplica-se indiferentemente a todas as espécies
Livre de valores
Modelo Biomédico
Quem é o responsável pela
doença???
•O indivíduo não é responsável pela sua
doença: são vistos como vítimas de força
externa que provoca mudanças internas.
Modelo Anátomo-Clínico e da Medicina das
Doenças
•O médico foca, ausculta, invade e perscruta o corpo
(e a doença), como (se estes pudessem ser) partes
isoladas do homem
No seio da medicina das doenças, o homem passa
à condição de informante de um processo alijado da
sua integralidade como pessoa.
•Ao desprezar o sujeito que sofre, a medicina abstrai a
realidade e afasta-se dos problemas históricos e
concretos que afligem o homem e a humanidade.
AVANÇOS NO CAMPO
BIOMÉDICO
• Este paradigma pôde contribuir para o
diagnóstico, controle e correção de
alterações anatômicas e problemas
fisiopatológicos críticos (ou
agudos).
Séc XX início do
modelo
BIOPSICOSSOCIAL
• A Medicina Psicossomática
• Saúde Comportamental
• Medicina Comportamental
A Medicina Psicossomática
• Primeiro desafio ao modelo biomédico;
• Resposta à análise freudiana da relação
entre mente e doença física: a paralisia
histérica não apresentava uma causa
física clara – reflexo do estado mental do
indivíduo expressando sentimentos por
meio de problemas físicos.
Medicina Psicossomática
Estuda as relações do meio biopsicossocial do ser
humano e sua relação com a saúde e a doença. A
medicina psicossomática contribui de maneira muito
importante para o cuidado de pacientes não só com
doenças psiquiátricas, como outros comorbidades
médicas de maneira geral. (ABMP, 2010)
Artigo publicado por Fava em 2017, a definição mais recente da
medicina psicossomática seria a de uma estrutura abrangente e
interdisciplinar para:
• Avaliação de fatores psicossociais afetando a vulnerabilidade
individual e o curso e desfecho de qualquer doença;
• Uma consideração holística do cuidado do paciente na prática
clínica; e
• Integração de terapias psicológicas na prevenção, tratamento e
reabilitação de doenças
“BIO – PSIQUÊ - SOMA”
Como base para o cuidado, o profissional deve
levar em consideração:
• Eventos do início da vida: fatores que influenciaram o desenvolvimento
da pessoa podem levar a doenças a curto e a longo prazo;
• Eventos recentes de vida: devemos nos atentar também ao contexto
recente daquele indivíduo. Será que ele passou por alguma perda
recente? Está em sofrimento familiar, no trabalho? Hoje sabemos que
isso tem relação com doenças endócrinas, cardiovasculares,
respiratórias, gastrointestinais, auto-imunes, dermatológicas,
neoplásicas, entre outros.
• Estresse crônico: é importante avaliar também o contexto daquela
pessoa no longo prazo. Há muito tempo que os eventos de vida tem
sido estressantes?.
Saúde Comportamental
• Disciplina preocupada com a manutenção
da saúde e a prevenção da doença em
indivíduos normalmente saudáveis, por
meio do uso de informações educativas
para modificar comportamentos e estilos
de vida.
Medicina Comportamental
• Outra disciplina que incidia sobre:
- Os cuidados da saúde;
- Tratamentos;
- Prevenção da Saúde.
• Descrita em 1977 por Schwartz e Weiss –
base de estudo era o comportamento,
com as disciplinas Psicologia, Sociologia
e Educação para a Saúde;
• Em 1979, Pomerleau e Brady, descreve a Medicina
Comportamental como a “Análise experimental do
comportamento”, como a terapia comportamental e a
modificação do comportamento.
• Compreende:
– Avaliação;
– Tratamento;
– Prevenção das doenças físicas ou disfunções
fisiológicas (hipertensão, obesidade);
• Incluiu a Psicologia no estudo da Saúde.
SAÚDE COMPORTAMENTAL
 Significa não apenas formas de promover o
bem-estar, partindo do princípio de que
nossas ações no dia-a-dia influenciam
nossa saúde hoje e no futuro, como
também formas de como podemos
melhorar o tratamento da doença através
de nossas ações e comportamentos.
Um estudo feito pela Kaiser Permanente (
Grupo de estudo sobre saúde comportamental)
, traz os
"Determinantes Sociais e Econômicos da
Saúde"*:
• onde comportamentos pessoais aparece em
primeiro lugar (40%),
• sendo os outros distribuídos entre histórico
familiar e genética (30%),
• ambiente e fatores sociais (20%) e
• cuidados médicos (10%)*.
"As pessoas sempre culpam as circunstâncias por aquilo
que são. Eu não acredito em circunstâncias. Quem se sai
bem neste mundo são as pessoas que saem à procura
das circunstâncias que desejam e, se não as encontram,
criam-nas".
George Bernard Shaw
A IMPORTÂNCIA DO AUTOCUIDADO
O objetivo:
Compreender por que as pessoas se mantém
prisioneiras de comportamentos?
A batalha principal é examinarmo-nos
profundamente, com a meta de transformar as
nossas dores e comportamentos autodestrutivos,
abusos mentais e emocionais.
Dr. Wayne Dyer, em seu livro :"Seus pontos fracos",
traz um desenho lógico desse tema, em como
controlar os pensamentos e ansiedade:
PREMISSA MAIOR: Posso controlar meus
pensamentos
PREMISSA MENOR : Meus sentimentos se
originam de meus pensamentos.
CONCLUSÃO : Posso controlar meus sentimentos.
Afinal, você tem o poder de pensar qualquer coisa,
que permita entrar em sua mente
PSICOLOGIA DA SAÚDE
“O Conjunto das contribuições
específicas, educacionais,
científicas e práticas da disciplina
Psicologia, para a promoção e
manutenção da saúde, prevenção e
tratamento da doença e disfunções
relacionadas”
(Matarazzo, 1980).
Modelo Sistêmico
DOENÇA
A
DOENÇA
B
Referências Bibliográficas
• De Marco, Alfredo. A face humana da medicina: do
modelo biomédico ao modelo biopsicossocial. São
Paulo: casa do psicólogo, 2010.
• CAPRARA, A.; RODRIGUES, J. A relação assimétrica
médico-paciente: repensando o vínculo terapêutico.
Ciência & Saúde Coletiva, v. 9, n.1, p.139-146, 2004.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Equilíbrio Psicossomático
O Equilíbrio PsicossomáticoO Equilíbrio Psicossomático
O Equilíbrio Psicossomático
Rayanne Chagas
 
Palestra motivacional
Palestra motivacionalPalestra motivacional
Palestra motivacional
Fernando Lima
 
Violência na adolescência aula 4
Violência na adolescência aula 4Violência na adolescência aula 4
Violência na adolescência aula 4
ariadnemonitoria
 
Saude e Espiritualidade
Saude e EspiritualidadeSaude e Espiritualidade
Saude e Espiritualidade
Otavio Castello
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
Maria Dias
 
Aula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Preconceito
Aula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - PreconceitoAula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Preconceito
Aula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Preconceito
Sergio Lima Dias Junior
 
Psicoterapias
PsicoterapiasPsicoterapias
Psicoterapias
norberto faria
 
Escolhas de vida
Escolhas de vidaEscolhas de vida
Escolhas de vida
Oficina Psicologia
 
Cuidar
Cuidar Cuidar
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
Oceander Veschi
 
Carl Rogers
Carl RogersCarl Rogers
Medo
MedoMedo
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva ComportamentalTCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
Glaucia Lima de Magalhaes
 
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Bruno Carrasco
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
Adriana Alves Almeida
 
Autodescobrimento
AutodescobrimentoAutodescobrimento
Autodescobrimento
Marilice Passos
 
Evangeliza - Meimei
Evangeliza - MeimeiEvangeliza - Meimei
Evangeliza - Meimei
Antonino Silva
 
Teoria humanista
Teoria humanistaTeoria humanista
Teoria humanista
Silvia Marina Anaruma
 
VOCÊ SE CONHECE?
VOCÊ SE CONHECE?VOCÊ SE CONHECE?
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulher
MAIEVS2
 

Mais procurados (20)

O Equilíbrio Psicossomático
O Equilíbrio PsicossomáticoO Equilíbrio Psicossomático
O Equilíbrio Psicossomático
 
Palestra motivacional
Palestra motivacionalPalestra motivacional
Palestra motivacional
 
Violência na adolescência aula 4
Violência na adolescência aula 4Violência na adolescência aula 4
Violência na adolescência aula 4
 
Saude e Espiritualidade
Saude e EspiritualidadeSaude e Espiritualidade
Saude e Espiritualidade
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
Aula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Preconceito
Aula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - PreconceitoAula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Preconceito
Aula 6 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Preconceito
 
Psicoterapias
PsicoterapiasPsicoterapias
Psicoterapias
 
Escolhas de vida
Escolhas de vidaEscolhas de vida
Escolhas de vida
 
Cuidar
Cuidar Cuidar
Cuidar
 
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
 
Carl Rogers
Carl RogersCarl Rogers
Carl Rogers
 
Medo
MedoMedo
Medo
 
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva ComportamentalTCC - Terapia Cognitiva Comportamental
TCC - Terapia Cognitiva Comportamental
 
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
 
Autodescobrimento
AutodescobrimentoAutodescobrimento
Autodescobrimento
 
Evangeliza - Meimei
Evangeliza - MeimeiEvangeliza - Meimei
Evangeliza - Meimei
 
Teoria humanista
Teoria humanistaTeoria humanista
Teoria humanista
 
VOCÊ SE CONHECE?
VOCÊ SE CONHECE?VOCÊ SE CONHECE?
VOCÊ SE CONHECE?
 
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulher
 

Semelhante a Aula 5- ser biopsicossocial.pptx

Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial
Gizelly
 
Aula 5 as doenças os doentes e os medicos
Aula 5 as doenças os doentes e os medicosAula 5 as doenças os doentes e os medicos
Aula 5 as doenças os doentes e os medicos
Federal State University of Rio de Janeiro
 
Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019
LaraLopes42
 
Apresentação ma 1
Apresentação ma 1Apresentação ma 1
Introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Introdução à psicologia aplicada ao cuidadoIntrodução à psicologia aplicada ao cuidado
Introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidadoAula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2
Rondinelli Salvador Silva
 
Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017
Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017
Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017
Virgilio Garcia Moreira
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Ghiordanno Bruno
 
Texto 1 modelos em saúde
Texto 1 modelos em saúdeTexto 1 modelos em saúde
Texto 1 modelos em saúde
Psicologia_2015
 
Joana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoaJoana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoa
comunidadedepraticas
 
AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444
AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444
AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444
AriltonGomes
 
Disciplina bioética tópicos 06.02.14
Disciplina bioética tópicos 06.02.14Disciplina bioética tópicos 06.02.14
Disciplina bioética tópicos 06.02.14
portustfs
 
Psicologia da Saude
Psicologia da Saude Psicologia da Saude
Psicologia da Saude
Paulo Pedro P. R. Costa
 
Aula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitosAula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitos
Futuros Medicos
 
Terapia Cognitiva Comportamental para condições de saúde
Terapia Cognitiva Comportamental para condições de saúdeTerapia Cognitiva Comportamental para condições de saúde
Terapia Cognitiva Comportamental para condições de saúde
lucassoares41810
 
O psicólogo no sus
O psicólogo no susO psicólogo no sus
O psicólogo no sus
Denílson Maia
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
AraujoAvelino
 
Homeopatia
HomeopatiaHomeopatia
Homeopatia
Paulo Santos
 
Psico-oncologia
Psico-oncologiaPsico-oncologia
Psico-oncologia
Andressawm
 

Semelhante a Aula 5- ser biopsicossocial.pptx (20)

Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial Aula modelo biomedico biopsicossocial
Aula modelo biomedico biopsicossocial
 
Aula 5 as doenças os doentes e os medicos
Aula 5 as doenças os doentes e os medicosAula 5 as doenças os doentes e os medicos
Aula 5 as doenças os doentes e os medicos
 
Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019Psicologia da saude_aula_1_2019
Psicologia da saude_aula_1_2019
 
Apresentação ma 1
Apresentação ma 1Apresentação ma 1
Apresentação ma 1
 
Introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Introdução à psicologia aplicada ao cuidadoIntrodução à psicologia aplicada ao cuidado
Introdução à psicologia aplicada ao cuidado
 
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidadoAula 1   introdução à psicologia aplicada ao cuidado
Aula 1 introdução à psicologia aplicada ao cuidado
 
Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2Conceito de Saúde 2
Conceito de Saúde 2
 
Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017
Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017
Síndromes geriátricas na prática clínica - Introdução - 2017
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
Texto 1 modelos em saúde
Texto 1 modelos em saúdeTexto 1 modelos em saúde
Texto 1 modelos em saúde
 
Joana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoaJoana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoa
 
AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444
AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444
AULA 1 - Saúde Coletiva T27 333343443444
 
Disciplina bioética tópicos 06.02.14
Disciplina bioética tópicos 06.02.14Disciplina bioética tópicos 06.02.14
Disciplina bioética tópicos 06.02.14
 
Psicologia da Saude
Psicologia da Saude Psicologia da Saude
Psicologia da Saude
 
Aula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitosAula 1 introdução e conceitos
Aula 1 introdução e conceitos
 
Terapia Cognitiva Comportamental para condições de saúde
Terapia Cognitiva Comportamental para condições de saúdeTerapia Cognitiva Comportamental para condições de saúde
Terapia Cognitiva Comportamental para condições de saúde
 
O psicólogo no sus
O psicólogo no susO psicólogo no sus
O psicólogo no sus
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
 
Homeopatia
HomeopatiaHomeopatia
Homeopatia
 
Psico-oncologia
Psico-oncologiaPsico-oncologia
Psico-oncologia
 

Mais de CarlaAlves362153

prontuario eletronico do cidadao - sisab
prontuario eletronico do cidadao - sisabprontuario eletronico do cidadao - sisab
prontuario eletronico do cidadao - sisab
CarlaAlves362153
 
manejo da HAS.pptx
manejo da HAS.pptxmanejo da HAS.pptx
manejo da HAS.pptx
CarlaAlves362153
 
AULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptx
AULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptxAULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptx
AULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptx
CarlaAlves362153
 
AULA 2 - PNAB.pptx
AULA 2 - PNAB.pptxAULA 2 - PNAB.pptx
AULA 2 - PNAB.pptx
CarlaAlves362153
 
DVC -1.pptx
DVC -1.pptxDVC -1.pptx
DVC -1.pptx
CarlaAlves362153
 
FERIDAS E COBERTURAS.pdf
FERIDAS E COBERTURAS.pdfFERIDAS E COBERTURAS.pdf
FERIDAS E COBERTURAS.pdf
CarlaAlves362153
 
AULA 4 - SIS.pptx
AULA 4 - SIS.pptxAULA 4 - SIS.pptx
AULA 4 - SIS.pptx
CarlaAlves362153
 
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptxAULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
CarlaAlves362153
 
AULA 3- Programas-de-Saúde.pptx
AULA 3- Programas-de-Saúde.pptxAULA 3- Programas-de-Saúde.pptx
AULA 3- Programas-de-Saúde.pptx
CarlaAlves362153
 
Dra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).ppt
Dra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).pptDra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).ppt
Dra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).ppt
CarlaAlves362153
 
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptxHIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
CarlaAlves362153
 
exame físico geral.ppt.ppt.ppt
exame físico geral.ppt.ppt.pptexame físico geral.ppt.ppt.ppt
exame físico geral.ppt.ppt.ppt
CarlaAlves362153
 
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptxAULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
CarlaAlves362153
 
DCNT plano de ação MS.pdf
DCNT plano de ação MS.pdfDCNT plano de ação MS.pdf
DCNT plano de ação MS.pdf
CarlaAlves362153
 

Mais de CarlaAlves362153 (14)

prontuario eletronico do cidadao - sisab
prontuario eletronico do cidadao - sisabprontuario eletronico do cidadao - sisab
prontuario eletronico do cidadao - sisab
 
manejo da HAS.pptx
manejo da HAS.pptxmanejo da HAS.pptx
manejo da HAS.pptx
 
AULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptx
AULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptxAULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptx
AULA 8 -IMUNIZAÇÃO -.pptx
 
AULA 2 - PNAB.pptx
AULA 2 - PNAB.pptxAULA 2 - PNAB.pptx
AULA 2 - PNAB.pptx
 
DVC -1.pptx
DVC -1.pptxDVC -1.pptx
DVC -1.pptx
 
FERIDAS E COBERTURAS.pdf
FERIDAS E COBERTURAS.pdfFERIDAS E COBERTURAS.pdf
FERIDAS E COBERTURAS.pdf
 
AULA 4 - SIS.pptx
AULA 4 - SIS.pptxAULA 4 - SIS.pptx
AULA 4 - SIS.pptx
 
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptxAULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
 
AULA 3- Programas-de-Saúde.pptx
AULA 3- Programas-de-Saúde.pptxAULA 3- Programas-de-Saúde.pptx
AULA 3- Programas-de-Saúde.pptx
 
Dra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).ppt
Dra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).pptDra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).ppt
Dra_Maria_Eugenia_F_Canziani1 (1).ppt
 
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptxHIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
 
exame físico geral.ppt.ppt.ppt
exame físico geral.ppt.ppt.pptexame físico geral.ppt.ppt.ppt
exame físico geral.ppt.ppt.ppt
 
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptxAULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
AULA 1 - PSICOLOGIA.pptx
 
DCNT plano de ação MS.pdf
DCNT plano de ação MS.pdfDCNT plano de ação MS.pdf
DCNT plano de ação MS.pdf
 

Aula 5- ser biopsicossocial.pptx

  • 2. HISTÓRICO PSICOLOGIA MÉDICA • Século XIX – O termo de psicologia médica foi criado ➔Ernest Feuchtersleben; • 1918 – Maurice de Fleury publica o tratado “Introdução a Medicina do Espirito”; • 1918 – Ernest Kretschmer lança o tratado de Psicologia Médica; • 1957 – Foi criado o primeiro departamento de psicologia médica na University of Oregon Medical School; • 1956 – Escola Paulista de Medicina e Faculdade de Ribeirão Preto;
  • 3. CONCEITO A Psicologia Médica interessa-se pelas reações psicológicas de todo enfermo acometido por uma ou outra afecção e, sobretudo, tende a fornecer ao clínico ou a qualquer especialista esclarecimentos quanto ao que ocorre entre ele e seu paciente. (De Marco, 2010)
  • 4. Modelo Biomédico A tese de Darwin (1856): – Incluiu o homem no Universo da Natureza: SER BIOLÓGICO biomédico estuda os SERES O Modelo VIVOS da mesma forma que estuda OUTROS ANIMAIS e/ou outros SERES DO MUNDO NATURAL.
  • 5. Modelo Biomédico • Constituído na transição do Século XVIII para o XIX (há cerca de 200 anos); • Conceito científico mecanicista baseado no cartesianismo – Divisão do plano mente e corpo.
  • 6. Descartes é considerado como o primeiro pensador a enfatizar o uso da razão para desenvolver as ciências naturais
  • 7. PROBLEMA NA CONCEPÇÃO DO PARADIGMABIOMÉDICO A lógica cartesiana: •Conceber a mente como processo cerebral separado ou independente do corpo •Levando à suposição de que seria possível compreender a biologia do ser humano, através do estudo das suas partes orgânicas, separadas da das suas emoções, da sua psique.
  • 8. DEFINIÇÃO DE DOENÇA PARADIGMA BIOMEDICO • Conjunto de manifestações relacionadas a alterações fisiopatológicas • Provocadas por agentes específicos nos órgãos e tecidos corporais (corpo).
  • 9. O MODELO BIOMÉDICO O QUE CAUSA A DOENÇA??? •Advêm do exterior do corpo; •Mudanças físicas internas ou com origem em vírus, mudanças físicas internas involuntárias; •Desequilíbrios químicos, bactérias, predisposição genética;
  • 10. Modelo Biomédico Patologia Clínica médica Saúde é definida negativamente: Ausência de doença Ausência defeitos em um sistema físico Aplica-se indiferentemente a todas as espécies Livre de valores
  • 11. Modelo Biomédico Quem é o responsável pela doença??? •O indivíduo não é responsável pela sua doença: são vistos como vítimas de força externa que provoca mudanças internas.
  • 12. Modelo Anátomo-Clínico e da Medicina das Doenças •O médico foca, ausculta, invade e perscruta o corpo (e a doença), como (se estes pudessem ser) partes isoladas do homem No seio da medicina das doenças, o homem passa à condição de informante de um processo alijado da sua integralidade como pessoa. •Ao desprezar o sujeito que sofre, a medicina abstrai a realidade e afasta-se dos problemas históricos e concretos que afligem o homem e a humanidade.
  • 13. AVANÇOS NO CAMPO BIOMÉDICO • Este paradigma pôde contribuir para o diagnóstico, controle e correção de alterações anatômicas e problemas fisiopatológicos críticos (ou agudos).
  • 14. Séc XX início do modelo BIOPSICOSSOCIAL • A Medicina Psicossomática • Saúde Comportamental • Medicina Comportamental
  • 15. A Medicina Psicossomática • Primeiro desafio ao modelo biomédico; • Resposta à análise freudiana da relação entre mente e doença física: a paralisia histérica não apresentava uma causa física clara – reflexo do estado mental do indivíduo expressando sentimentos por meio de problemas físicos.
  • 16. Medicina Psicossomática Estuda as relações do meio biopsicossocial do ser humano e sua relação com a saúde e a doença. A medicina psicossomática contribui de maneira muito importante para o cuidado de pacientes não só com doenças psiquiátricas, como outros comorbidades médicas de maneira geral. (ABMP, 2010)
  • 17. Artigo publicado por Fava em 2017, a definição mais recente da medicina psicossomática seria a de uma estrutura abrangente e interdisciplinar para: • Avaliação de fatores psicossociais afetando a vulnerabilidade individual e o curso e desfecho de qualquer doença; • Uma consideração holística do cuidado do paciente na prática clínica; e • Integração de terapias psicológicas na prevenção, tratamento e reabilitação de doenças
  • 18. “BIO – PSIQUÊ - SOMA”
  • 19. Como base para o cuidado, o profissional deve levar em consideração: • Eventos do início da vida: fatores que influenciaram o desenvolvimento da pessoa podem levar a doenças a curto e a longo prazo; • Eventos recentes de vida: devemos nos atentar também ao contexto recente daquele indivíduo. Será que ele passou por alguma perda recente? Está em sofrimento familiar, no trabalho? Hoje sabemos que isso tem relação com doenças endócrinas, cardiovasculares, respiratórias, gastrointestinais, auto-imunes, dermatológicas, neoplásicas, entre outros. • Estresse crônico: é importante avaliar também o contexto daquela pessoa no longo prazo. Há muito tempo que os eventos de vida tem sido estressantes?.
  • 20. Saúde Comportamental • Disciplina preocupada com a manutenção da saúde e a prevenção da doença em indivíduos normalmente saudáveis, por meio do uso de informações educativas para modificar comportamentos e estilos de vida.
  • 21. Medicina Comportamental • Outra disciplina que incidia sobre: - Os cuidados da saúde; - Tratamentos; - Prevenção da Saúde. • Descrita em 1977 por Schwartz e Weiss – base de estudo era o comportamento, com as disciplinas Psicologia, Sociologia e Educação para a Saúde;
  • 22. • Em 1979, Pomerleau e Brady, descreve a Medicina Comportamental como a “Análise experimental do comportamento”, como a terapia comportamental e a modificação do comportamento. • Compreende: – Avaliação; – Tratamento; – Prevenção das doenças físicas ou disfunções fisiológicas (hipertensão, obesidade); • Incluiu a Psicologia no estudo da Saúde.
  • 23. SAÚDE COMPORTAMENTAL  Significa não apenas formas de promover o bem-estar, partindo do princípio de que nossas ações no dia-a-dia influenciam nossa saúde hoje e no futuro, como também formas de como podemos melhorar o tratamento da doença através de nossas ações e comportamentos.
  • 24. Um estudo feito pela Kaiser Permanente ( Grupo de estudo sobre saúde comportamental) , traz os "Determinantes Sociais e Econômicos da Saúde"*: • onde comportamentos pessoais aparece em primeiro lugar (40%), • sendo os outros distribuídos entre histórico familiar e genética (30%), • ambiente e fatores sociais (20%) e • cuidados médicos (10%)*.
  • 25. "As pessoas sempre culpam as circunstâncias por aquilo que são. Eu não acredito em circunstâncias. Quem se sai bem neste mundo são as pessoas que saem à procura das circunstâncias que desejam e, se não as encontram, criam-nas". George Bernard Shaw A IMPORTÂNCIA DO AUTOCUIDADO
  • 26. O objetivo: Compreender por que as pessoas se mantém prisioneiras de comportamentos? A batalha principal é examinarmo-nos profundamente, com a meta de transformar as nossas dores e comportamentos autodestrutivos, abusos mentais e emocionais.
  • 27. Dr. Wayne Dyer, em seu livro :"Seus pontos fracos", traz um desenho lógico desse tema, em como controlar os pensamentos e ansiedade: PREMISSA MAIOR: Posso controlar meus pensamentos PREMISSA MENOR : Meus sentimentos se originam de meus pensamentos. CONCLUSÃO : Posso controlar meus sentimentos. Afinal, você tem o poder de pensar qualquer coisa, que permita entrar em sua mente
  • 28. PSICOLOGIA DA SAÚDE “O Conjunto das contribuições específicas, educacionais, científicas e práticas da disciplina Psicologia, para a promoção e manutenção da saúde, prevenção e tratamento da doença e disfunções relacionadas” (Matarazzo, 1980).
  • 30. Referências Bibliográficas • De Marco, Alfredo. A face humana da medicina: do modelo biomédico ao modelo biopsicossocial. São Paulo: casa do psicólogo, 2010. • CAPRARA, A.; RODRIGUES, J. A relação assimétrica médico-paciente: repensando o vínculo terapêutico. Ciência & Saúde Coletiva, v. 9, n.1, p.139-146, 2004.