SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
A Antropologia é o estudo do homem como ser biológico, social e cultural. Sendo cada uma destas dimensões por si só muito ampla, o
conhecimento antropológico geralmente é organizado em áreas que indicam uma escolha prévia de certos aspectos a serem
privilegiados como a “Antropologia Física ou Biológica” (aspectos genéticos e biológicos do homem), “Antropologia Social”
(organização social e política, parentesco, instituições sociais), “Antropologia Cultural” (sistemas simbólicos, religião, comportamento)
e “Arqueologia” (condições de existência dos grupos humanos desaparecidos). Além disso podemos utilizar termos como Antropologia
Etnologia e Etnografia para distinguir diferentes níveis de análise ou tradições acadêmicas.
Para o antropólogo Claude Lévi-Strauss (1970:377) a etnografia corresponde “aos primeiros estágios da pesquisa: observação e
descrição, trabalho de campo”. A etnologia, com relação à etnografia, seria “um primeiro passo em direção à síntese” e a antropologia
“uma segunda e última etapa da síntese, tomando por base as conclusões da etnografia e da etnologia”.
Qualquer que seja a definição adotada é possível entender a antropologia como uma forma de conhecimento sobre a diversidade
cultural, isto é, a busca de respostas para entendermos o que somos a partir do espelho fornecido pelo “Outro”; uma maneira de se situar
na fronteira de vários mundos sociais e culturais, abrindo janelas entre eles, através das quais podemos alargar nossas possibilidades de
sentir, agir e refletir sobre o que, afinal de contas, nos torna seres singulares, humanos.
Algumas informações básicas sobre os principais paradigmas e escolas de pensamento antropológico:
Formação de uma literatura “etnográfica” sobre a diversidade cultural
Período Séculos XVI-XIX
Características
Relatos de viagens (Cartas, Diários, Relatórios etc.) feitos por missionários, viajantes,
comerciantes, exploradores, militares, administradores coloniais etc.
Temas e Conceitos
Descrições das terras (Fauna, Flora, Topografia) e dos povos “descobertos” (Hábitos e
Crenças).Primeiros relatos sobre a Alteridade
Alguns
Representantes
e obras de referência
Pero Vaz Caminha (“Carta do Descobrimento do Brasil” - séc. XVI).
Hans Staden (“Duas Viagens ao Brasil” - séc. XVI).
Jean de Léry (“Viagem a Terra do Brasil” - séc. XVI).
Jean Baptiste Debret (“Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil” - séc. XIX).
Escola/Paradigma Evolucionismo Social
Período Século XIX
Características
Sistematização do conhecimento acumulado sobre os “povos primitivos”.Predomínio do trabalho
de gabinete
Temas e Conceitos
Unidade psíquica do homem.Evolução das sociedades das mais “primitivas” para as mais
“civilizadas”.Busca das origens (Perspectiva diacrônica)Estudos de Parentesco /Religião
/Organização Social.Substituição conceito de raça pelo de cultura.
Alguns
Representantes
e obras de referência
Maine (“Ancient Law” - 1861).
Herbert Spencer (“Princípios de Biologia” - 1864).
E. Tylor (“A Cultura Primitiva” - 1871).
L. Morgan (“A Sociedade Antiga” - 1877).
James Frazer (“O Ramo de Ouro” - 1890).
Escola/Paradigma Escola Sociológica Francesa
Período Século XIX
Características
Definição dos fenômenos sociais como objetos de investigação socio-antropológica.
Definição das regras do método sociológico.
Temas e Conceitos
Representações coletivas.Solidariedade orgânica e mecânica. Formas primitivas de classificação
(totemismo) e teoria do conhecimento. Busca pelo Fato Social Total (biológico + psicológico +
sociológico). A troca e a reciprocidade como fundamento da vida social (dar, receber, retribuir).
Alguns
Representantes
e obras de referência
Émile Durkheim:“Regras do método sociológico”- 1895; “Algumas formas primitivas de
classificação” - c/ Marcel Mauss - 1901; “As formas elementares da vida religiosa” - 1912.
Marcel Mauss:“Esboço de uma teoria geral da magia” - c/ Henri Hubert - 1902-1903; “Ensaio
sobre a dádiva” - 1923-1924; “Uma categoria do espírito humano: a noção de pessoa, a noção de
eu”- 1938).
Escola/Paradigma Funcionalismo
Período Século XX - anos 20
Características
Modelo de etnografia clássica (Monografia).Ênfase no trabalho de campo (Observação
participante).Sistematização do conhecimento acumulado sobre uma cultura.
Temas e Conceitos Cultura como totalidade.Interesse pelas Instituições e suas Funções para a manutenção da
totalidade cultural.Ênfase na Sincronia x Diacronia.
Alguns
Representantes
e obras de referência
Bronislaw Malinowski (“Argonautas do Pacífico Ocidental” -1922).
Radcliffe Brown (“Estrutura e função na sociedade primitiva” - 1952-; e “Sistemas Políticos
Africanos de Parentesco e Casamento”, org. c/ Daryll Forde - 1950).
Evans-Pritchard (“Bruxaria, oráculos e magia entre os Azande” - 1937; “Os Nuer” - 1940).
Raymond Firth (“Nós, os Tikopia” - 1936; “Elementos de organização social - 1951).
Max Glukman (“Ordem e rebelião na África tribal”- 1963).
Victor Turner (“Ruptura e continuidade em uma sociedade africana”-1957; “O processo ritual”-
1969).
Edmund Leach - (“Sistemas políticos da Alta Birmânia” - 1954).
Escola/Paradigma Culturalismo Norte-Americano
Período Séc. XX - anos 30
Características
Método comparativo. Busca de leis no desenvolvimento das culturas. Relação entre cultura e
personalidade.
Temas e Conceitos
Ênfase na construção e identificação de padrões culturais (“patterns of culture”) ou estilos de
cultura (“ethos”).
Alguns
Representantes
e obras de referência
Franz Boas (“Os objetivos da etnologia” - 1888; “Raça, Língua e Cultura” - 1940).
Margaret Mead (“Sexo e temperamento em três sociedades primitivas” - 1935).
Ruth Benedict (“Padrões de cultura” - 1934; “O Crisântemo e a espada” - 1946).
Escola/Paradigma Estruturalismo
Período Século XX - anos 40
Características
Busca das regras estruturantes das culturas presentes na mente humana. Teoria do
parentesco/Lógica do mito/Classificação primitiva. Distinção Natureza x Cultura.
Temas e Conceitos Princípios de organização da mente humana: pares de oposição e códigos binários.Reciprocidade
Alguns
Representantes
e obras de referência
Claude Lévi-Strauss:“As estruturas elementares do parentesco” - 1949.
“Tristes Trópicos”- 1955.
“Pensamento selvagem” - 1962.
“Antropologia estrutural” - 1958
“Antropologia estrutural dois” - 1973
“O cru e o cozido” - 1964
“O homem nu” - 1971
Escola/Paradigma Antropologia Interpretativa
Período Século XX - anos 60
Características
Cultura como hierarquia de significados
Busca da “descrição densa”.
Interpretação x Leis.
Inspiração Hermenêutica.
Temas e Conceitos Interpretação antropológica: Leitura da leitura que os “nativos” fazem de sua própria cultura.
Alguns
Representantes
e obras de referência
Clifford Geertz:
“A interpretação das culturas” - 1973.
“Saber local” - 1983.
Escola/Paradigma Antropologia Pós-Moderna ou Crítica
Período e obra Século XX - nos 80
Características
Preocupação com os recursos retóricos presentes no modelo textual das etnografias clássicas e
contemporâneas. Politização da relação observador-observado na pesquisa antropológica. Critica
dos paradigmas teóricos e da “autoridade etnográfica” do antropólogo.
Temas e Conceitos
Cultura como processo polissêmico.
Etnografia como representação polifônica da polissemia cultural.
Antropologia como experimentação/arte da crítica cultural.
Alguns
Representantes
e obras de referência
James Clifford e Georges Marcus (“Writing culture - The poetics and politics of ethnography” -
1986).
George Marcus e Michel Fischer (“Anthropoly as cultural critique” - 1986).
Richard Price (“First time” - 1983).
Michel Taussig (“Xamanismo, colonialismo e o homem selvagem”- 1987).
James Clifford (“The predicament of culture” - 1988).
Os livros indicados abaixo podem ser úteis para a formação de uma bibliografia básica e introdutória sobre a Antropologia:
CARDOSO, Ruth - A aventura antropológica. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986.
COLE, Johnnetta B. (org.) - Anthropology for the Eighties. New York, The Free Press, 1982.
COPANS, Jeans - Críticas e políticas da antropologia. Lisboa, Edições 70, 1981.
CORRÊA, Mariza - “A antropologia no Brasil (1960-1980)”. In: MICELI, Sérgio (org.) - “História das ciências sociais no Brasil”, v.2,
São Paulo, Sumaré, FAPESP, 1995.
CUNHA, Manuela Carneiro da - Antropologia do Brasil, São Paulo, Brasiliense/ EDUSP, 1986
DAMATTA, Roberto - Relativizando, Uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro, Rocco, 1991.
HARRIS, Marvin - El desarrollo de la teoria antropológica, Madri, Siglo Veintiuno Editores, 1979.
KUPER, Adam - Antropólogos e antropologia. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1978
LABURTHE-TOLRA, Philippe & WARNIER, Jean-Pierre - Etnologia - Antropologia. Petrópolis, Vozes, 1997.
LAPLANTINE, François - Aprender Antropologia. São Paulo, Brasiliense, 1988
LÉVI-STRAUSS, Claude - Antropologia estrutural. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1970.
OLIVEIRA, Roberto Cardoso de - Sobre o pensamento antropológico Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1988.
ROMNEY, A. Kimball & DeVORE, Paul (orgs.) - You and Others. Cambridge, Winthrop Publishers, 1973
SPERBER, Dan - O saber dos antropólogos. Lisboa, Edições 70, 1992.
STOCKING Jr, George (ed.) - Race, culture and evolution. New York, The Free Press, 1968.
STOCKING Jr, George (ed.) - Observers observed. Essays on ethnographic fieldwork. Madison, University of Wisconsin Press, 1983.
STOCKING Jr, George (ed.) - The ethnographer’s magic. Madison, The University of Wisconsin Press,1992
home * antropologia * cursos* diário de campo * pesquisas * publicações *

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 - Formas de organização social
Aula 2 - Formas de organização socialAula 2 - Formas de organização social
Aula 2 - Formas de organização socialFábio Nogueira, PhD
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedadehomago
 
O mundo do trabalho
O mundo do trabalhoO mundo do trabalho
O mundo do trabalhoColegio
 
Aula 01 sociologia do trabalho
Aula 01 sociologia do trabalhoAula 01 sociologia do trabalho
Aula 01 sociologia do trabalhoDaniel Alves
 
Industria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaIndustria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaElisama Lopes
 
Politicas publicas
Politicas publicasPoliticas publicas
Politicas publicaspibidsociais
 
Aula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do ConsumidorAula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do ConsumidorFelipe Duarte Silva
 
A sociedade de consumo
A sociedade de consumoA sociedade de consumo
A sociedade de consumoHelena Fonseca
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaCarson Souza
 
Introdução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIntrodução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIsabel Aguiar
 
O trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaO trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaKamila Joyce
 
Cultura de massa: que cultura? E que massa?
Cultura de massa: que cultura? E que massa?Cultura de massa: que cultura? E que massa?
Cultura de massa: que cultura? E que massa?Poliana Lopes
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...Prof. Noe Assunção
 

Mais procurados (20)

Aula 2 - Formas de organização social
Aula 2 - Formas de organização socialAula 2 - Formas de organização social
Aula 2 - Formas de organização social
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
O mundo do trabalho
O mundo do trabalhoO mundo do trabalho
O mundo do trabalho
 
Aula 3 - Ética na pesquisa qualitativa
Aula  3 - Ética na pesquisa qualitativaAula  3 - Ética na pesquisa qualitativa
Aula 3 - Ética na pesquisa qualitativa
 
Aula 01 construcao da historia
Aula 01   construcao da historiaAula 01   construcao da historia
Aula 01 construcao da historia
 
Cultura, o que é.
Cultura, o que é.Cultura, o que é.
Cultura, o que é.
 
Aula 01 sociologia do trabalho
Aula 01 sociologia do trabalhoAula 01 sociologia do trabalho
Aula 01 sociologia do trabalho
 
Industria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaIndustria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de Massa
 
Politicas publicas
Politicas publicasPoliticas publicas
Politicas publicas
 
Questão racial
Questão racialQuestão racial
Questão racial
 
Aula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do ConsumidorAula 1 Comportamento do Consumidor
Aula 1 Comportamento do Consumidor
 
Antropologia introdução
Antropologia introduçãoAntropologia introdução
Antropologia introdução
 
A sociedade de consumo
A sociedade de consumoA sociedade de consumo
A sociedade de consumo
 
Antropologia.
Antropologia.Antropologia.
Antropologia.
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
 
Introdução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIntrodução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricas
 
O trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaO trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da história
 
Cultura de massa: que cultura? E que massa?
Cultura de massa: que cultura? E que massa?Cultura de massa: que cultura? E que massa?
Cultura de massa: que cultura? E que massa?
 
Marketing de Serviços
Marketing de ServiçosMarketing de Serviços
Marketing de Serviços
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
 

Destaque (14)

O funcionalismo
O funcionalismoO funcionalismo
O funcionalismo
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
Teoria funcionalista
Teoria funcionalistaTeoria funcionalista
Teoria funcionalista
 
5 escolas antropologicas
5 escolas antropologicas5 escolas antropologicas
5 escolas antropologicas
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
Cómo surgió el funcionalismo
Cómo surgió el funcionalismoCómo surgió el funcionalismo
Cómo surgió el funcionalismo
 
Frank Lloyd Wright
Frank Lloyd WrightFrank Lloyd Wright
Frank Lloyd Wright
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Funcionalismo na Antropologia
Funcionalismo na AntropologiaFuncionalismo na Antropologia
Funcionalismo na Antropologia
 
Aula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria FuncionalistaAula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria Funcionalista
 
Antropologia.
Antropologia.Antropologia.
Antropologia.
 
Antropologia e Evolucionismo Social
Antropologia e Evolucionismo SocialAntropologia e Evolucionismo Social
Antropologia e Evolucionismo Social
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
O funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguisticoO funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguistico
 

Semelhante a Antropologia.sintese paradigmas e escolas

Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências HumanasAntropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanasdanielaleite59
 
Antropologia (1).ppt
Antropologia (1).pptAntropologia (1).ppt
Antropologia (1).pptTlioLucena5
 
O espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileiraO espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileiraJéssica de Paula
 
C. Geertz - Etnográfia
C. Geertz - EtnográfiaC. Geertz - Etnográfia
C. Geertz - EtnográfiaZeca B.
 
Cap 2 antropologia
Cap 2 antropologiaCap 2 antropologia
Cap 2 antropologiaJoao Balbi
 
dokumen.tips_c-geertz-etnografia.ppt
dokumen.tips_c-geertz-etnografia.pptdokumen.tips_c-geertz-etnografia.ppt
dokumen.tips_c-geertz-etnografia.pptGustavo612928
 
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdfSlides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdfNatan Baptista
 
Antropologia da religião 5 - antropologia no brasil
Antropologia da religião 5 - antropologia no brasilAntropologia da religião 5 - antropologia no brasil
Antropologia da religião 5 - antropologia no brasilSalomao Lucio Dos Santos
 
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdfHistória da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdfFelipeCavalcantiFerr
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
AntropologiaJorgelgl
 
Antropologia e educação :o sentido da etnografia
Antropologia e educação :o sentido da etnografiaAntropologia e educação :o sentido da etnografia
Antropologia e educação :o sentido da etnografiaLaís Maíne
 

Semelhante a Antropologia.sintese paradigmas e escolas (20)

Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências HumanasAntropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
 
Antropologia (1).ppt
Antropologia (1).pptAntropologia (1).ppt
Antropologia (1).ppt
 
Nova história cultural
Nova história culturalNova história cultural
Nova história cultural
 
O espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileiraO espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileira
 
Antropologia e cultura
Antropologia e culturaAntropologia e cultura
Antropologia e cultura
 
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
 
C. Geertz - Etnográfia
C. Geertz - EtnográfiaC. Geertz - Etnográfia
C. Geertz - Etnográfia
 
Cap 2 antropologia
Cap 2 antropologiaCap 2 antropologia
Cap 2 antropologia
 
dokumen.tips_c-geertz-etnografia.ppt
dokumen.tips_c-geertz-etnografia.pptdokumen.tips_c-geertz-etnografia.ppt
dokumen.tips_c-geertz-etnografia.ppt
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Aprender antropologia
Aprender antropologiaAprender antropologia
Aprender antropologia
 
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdfSlides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
 
Antropologia da religião 5 - antropologia no brasil
Antropologia da religião 5 - antropologia no brasilAntropologia da religião 5 - antropologia no brasil
Antropologia da religião 5 - antropologia no brasil
 
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdfHistória da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
 
Aula 1 antropologia
Aula 1   antropologiaAula 1   antropologia
Aula 1 antropologia
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Antropologia cultural
Antropologia culturalAntropologia cultural
Antropologia cultural
 
Apostila raçaetnicidade
Apostila raçaetnicidadeApostila raçaetnicidade
Apostila raçaetnicidade
 
Antropologia e educação :o sentido da etnografia
Antropologia e educação :o sentido da etnografiaAntropologia e educação :o sentido da etnografia
Antropologia e educação :o sentido da etnografia
 
Antropologia da religião 2
Antropologia da religião 2Antropologia da religião 2
Antropologia da religião 2
 

Mais de João Filho

Informática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a AdministraçãoInformática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a AdministraçãoJoão Filho
 
Informática aplicada a Ed. Física
Informática aplicada a Ed. Física Informática aplicada a Ed. Física
Informática aplicada a Ed. Física João Filho
 
Informática Aplicada a Ed. Física
Informática Aplicada a Ed. FísicaInformática Aplicada a Ed. Física
Informática Aplicada a Ed. FísicaJoão Filho
 
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestruturaTurner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestruturaJoão Filho
 
Os chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconscienteOs chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconscienteJoão Filho
 
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel MaussEnsaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel MaussJoão Filho
 
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile DurkheimAs Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile DurkheimJoão Filho
 
A escrita e imagem
A escrita e imagemA escrita e imagem
A escrita e imagemJoão Filho
 
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estadoEngels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estadoJoão Filho
 
O Gênio em todos nós - David Shenk
O  Gênio em todos nós - David ShenkO  Gênio em todos nós - David Shenk
O Gênio em todos nós - David ShenkJoão Filho
 
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIGSistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIGJoão Filho
 
Apostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a Administração
Apostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a AdministraçãoApostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a Administração
Apostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a AdministraçãoJoão Filho
 
Informática aplicada a gestão - Material 2
Informática aplicada a gestão  - Material 2Informática aplicada a gestão  - Material 2
Informática aplicada a gestão - Material 2João Filho
 
Informática aplicada a gestão - Material 1
Informática aplicada a gestão   - Material 1Informática aplicada a gestão   - Material 1
Informática aplicada a gestão - Material 1João Filho
 
Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão João Filho
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4João Filho
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 3
Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3
Material de Apoio - SIG - Apostila 3João Filho
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 2
Material de Apoio  - SIG - Apostila 2Material de Apoio  - SIG - Apostila 2
Material de Apoio - SIG - Apostila 2João Filho
 
Material de Apoio - SIG - Apoio
Material de Apoio  - SIG - Apoio Material de Apoio  - SIG - Apoio
Material de Apoio - SIG - Apoio João Filho
 

Mais de João Filho (20)

Informática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a AdministraçãoInformática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a Administração
 
Informática aplicada a Ed. Física
Informática aplicada a Ed. Física Informática aplicada a Ed. Física
Informática aplicada a Ed. Física
 
Informática Aplicada a Ed. Física
Informática Aplicada a Ed. FísicaInformática Aplicada a Ed. Física
Informática Aplicada a Ed. Física
 
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestruturaTurner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
 
Os chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconscienteOs chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconsciente
 
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel MaussEnsaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
 
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile DurkheimAs Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile Durkheim
 
A escrita e imagem
A escrita e imagemA escrita e imagem
A escrita e imagem
 
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estadoEngels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
 
O Gênio em todos nós - David Shenk
O  Gênio em todos nós - David ShenkO  Gênio em todos nós - David Shenk
O Gênio em todos nós - David Shenk
 
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIGSistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
 
Apostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a Administração
Apostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a AdministraçãoApostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a Administração
Apostila de Apoio para Disciplina - Informática Aplicada a Administração
 
P lanejamento
P lanejamentoP lanejamento
P lanejamento
 
Informática aplicada a gestão - Material 2
Informática aplicada a gestão  - Material 2Informática aplicada a gestão  - Material 2
Informática aplicada a gestão - Material 2
 
Informática aplicada a gestão - Material 1
Informática aplicada a gestão   - Material 1Informática aplicada a gestão   - Material 1
Informática aplicada a gestão - Material 1
 
Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 3
Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3
Material de Apoio - SIG - Apostila 3
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 2
Material de Apoio  - SIG - Apostila 2Material de Apoio  - SIG - Apostila 2
Material de Apoio - SIG - Apostila 2
 
Material de Apoio - SIG - Apoio
Material de Apoio  - SIG - Apoio Material de Apoio  - SIG - Apoio
Material de Apoio - SIG - Apoio
 

Último

UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 

Antropologia.sintese paradigmas e escolas

  • 1. A Antropologia é o estudo do homem como ser biológico, social e cultural. Sendo cada uma destas dimensões por si só muito ampla, o conhecimento antropológico geralmente é organizado em áreas que indicam uma escolha prévia de certos aspectos a serem privilegiados como a “Antropologia Física ou Biológica” (aspectos genéticos e biológicos do homem), “Antropologia Social” (organização social e política, parentesco, instituições sociais), “Antropologia Cultural” (sistemas simbólicos, religião, comportamento) e “Arqueologia” (condições de existência dos grupos humanos desaparecidos). Além disso podemos utilizar termos como Antropologia Etnologia e Etnografia para distinguir diferentes níveis de análise ou tradições acadêmicas. Para o antropólogo Claude Lévi-Strauss (1970:377) a etnografia corresponde “aos primeiros estágios da pesquisa: observação e descrição, trabalho de campo”. A etnologia, com relação à etnografia, seria “um primeiro passo em direção à síntese” e a antropologia “uma segunda e última etapa da síntese, tomando por base as conclusões da etnografia e da etnologia”. Qualquer que seja a definição adotada é possível entender a antropologia como uma forma de conhecimento sobre a diversidade cultural, isto é, a busca de respostas para entendermos o que somos a partir do espelho fornecido pelo “Outro”; uma maneira de se situar na fronteira de vários mundos sociais e culturais, abrindo janelas entre eles, através das quais podemos alargar nossas possibilidades de sentir, agir e refletir sobre o que, afinal de contas, nos torna seres singulares, humanos. Algumas informações básicas sobre os principais paradigmas e escolas de pensamento antropológico: Formação de uma literatura “etnográfica” sobre a diversidade cultural Período Séculos XVI-XIX Características Relatos de viagens (Cartas, Diários, Relatórios etc.) feitos por missionários, viajantes, comerciantes, exploradores, militares, administradores coloniais etc. Temas e Conceitos Descrições das terras (Fauna, Flora, Topografia) e dos povos “descobertos” (Hábitos e Crenças).Primeiros relatos sobre a Alteridade Alguns Representantes e obras de referência Pero Vaz Caminha (“Carta do Descobrimento do Brasil” - séc. XVI). Hans Staden (“Duas Viagens ao Brasil” - séc. XVI). Jean de Léry (“Viagem a Terra do Brasil” - séc. XVI). Jean Baptiste Debret (“Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil” - séc. XIX). Escola/Paradigma Evolucionismo Social Período Século XIX Características Sistematização do conhecimento acumulado sobre os “povos primitivos”.Predomínio do trabalho de gabinete Temas e Conceitos Unidade psíquica do homem.Evolução das sociedades das mais “primitivas” para as mais “civilizadas”.Busca das origens (Perspectiva diacrônica)Estudos de Parentesco /Religião /Organização Social.Substituição conceito de raça pelo de cultura. Alguns Representantes e obras de referência Maine (“Ancient Law” - 1861). Herbert Spencer (“Princípios de Biologia” - 1864). E. Tylor (“A Cultura Primitiva” - 1871). L. Morgan (“A Sociedade Antiga” - 1877). James Frazer (“O Ramo de Ouro” - 1890). Escola/Paradigma Escola Sociológica Francesa Período Século XIX Características Definição dos fenômenos sociais como objetos de investigação socio-antropológica. Definição das regras do método sociológico.
  • 2. Temas e Conceitos Representações coletivas.Solidariedade orgânica e mecânica. Formas primitivas de classificação (totemismo) e teoria do conhecimento. Busca pelo Fato Social Total (biológico + psicológico + sociológico). A troca e a reciprocidade como fundamento da vida social (dar, receber, retribuir). Alguns Representantes e obras de referência Émile Durkheim:“Regras do método sociológico”- 1895; “Algumas formas primitivas de classificação” - c/ Marcel Mauss - 1901; “As formas elementares da vida religiosa” - 1912. Marcel Mauss:“Esboço de uma teoria geral da magia” - c/ Henri Hubert - 1902-1903; “Ensaio sobre a dádiva” - 1923-1924; “Uma categoria do espírito humano: a noção de pessoa, a noção de eu”- 1938). Escola/Paradigma Funcionalismo Período Século XX - anos 20 Características Modelo de etnografia clássica (Monografia).Ênfase no trabalho de campo (Observação participante).Sistematização do conhecimento acumulado sobre uma cultura. Temas e Conceitos Cultura como totalidade.Interesse pelas Instituições e suas Funções para a manutenção da totalidade cultural.Ênfase na Sincronia x Diacronia. Alguns Representantes e obras de referência Bronislaw Malinowski (“Argonautas do Pacífico Ocidental” -1922). Radcliffe Brown (“Estrutura e função na sociedade primitiva” - 1952-; e “Sistemas Políticos Africanos de Parentesco e Casamento”, org. c/ Daryll Forde - 1950). Evans-Pritchard (“Bruxaria, oráculos e magia entre os Azande” - 1937; “Os Nuer” - 1940). Raymond Firth (“Nós, os Tikopia” - 1936; “Elementos de organização social - 1951). Max Glukman (“Ordem e rebelião na África tribal”- 1963). Victor Turner (“Ruptura e continuidade em uma sociedade africana”-1957; “O processo ritual”- 1969). Edmund Leach - (“Sistemas políticos da Alta Birmânia” - 1954). Escola/Paradigma Culturalismo Norte-Americano Período Séc. XX - anos 30 Características Método comparativo. Busca de leis no desenvolvimento das culturas. Relação entre cultura e personalidade. Temas e Conceitos Ênfase na construção e identificação de padrões culturais (“patterns of culture”) ou estilos de cultura (“ethos”). Alguns Representantes e obras de referência Franz Boas (“Os objetivos da etnologia” - 1888; “Raça, Língua e Cultura” - 1940). Margaret Mead (“Sexo e temperamento em três sociedades primitivas” - 1935). Ruth Benedict (“Padrões de cultura” - 1934; “O Crisântemo e a espada” - 1946). Escola/Paradigma Estruturalismo Período Século XX - anos 40 Características Busca das regras estruturantes das culturas presentes na mente humana. Teoria do parentesco/Lógica do mito/Classificação primitiva. Distinção Natureza x Cultura. Temas e Conceitos Princípios de organização da mente humana: pares de oposição e códigos binários.Reciprocidade Alguns Representantes e obras de referência Claude Lévi-Strauss:“As estruturas elementares do parentesco” - 1949. “Tristes Trópicos”- 1955. “Pensamento selvagem” - 1962. “Antropologia estrutural” - 1958 “Antropologia estrutural dois” - 1973 “O cru e o cozido” - 1964 “O homem nu” - 1971 Escola/Paradigma Antropologia Interpretativa Período Século XX - anos 60
  • 3. Características Cultura como hierarquia de significados Busca da “descrição densa”. Interpretação x Leis. Inspiração Hermenêutica. Temas e Conceitos Interpretação antropológica: Leitura da leitura que os “nativos” fazem de sua própria cultura. Alguns Representantes e obras de referência Clifford Geertz: “A interpretação das culturas” - 1973. “Saber local” - 1983. Escola/Paradigma Antropologia Pós-Moderna ou Crítica Período e obra Século XX - nos 80 Características Preocupação com os recursos retóricos presentes no modelo textual das etnografias clássicas e contemporâneas. Politização da relação observador-observado na pesquisa antropológica. Critica dos paradigmas teóricos e da “autoridade etnográfica” do antropólogo. Temas e Conceitos Cultura como processo polissêmico. Etnografia como representação polifônica da polissemia cultural. Antropologia como experimentação/arte da crítica cultural. Alguns Representantes e obras de referência James Clifford e Georges Marcus (“Writing culture - The poetics and politics of ethnography” - 1986). George Marcus e Michel Fischer (“Anthropoly as cultural critique” - 1986). Richard Price (“First time” - 1983). Michel Taussig (“Xamanismo, colonialismo e o homem selvagem”- 1987). James Clifford (“The predicament of culture” - 1988). Os livros indicados abaixo podem ser úteis para a formação de uma bibliografia básica e introdutória sobre a Antropologia: CARDOSO, Ruth - A aventura antropológica. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986. COLE, Johnnetta B. (org.) - Anthropology for the Eighties. New York, The Free Press, 1982. COPANS, Jeans - Críticas e políticas da antropologia. Lisboa, Edições 70, 1981. CORRÊA, Mariza - “A antropologia no Brasil (1960-1980)”. In: MICELI, Sérgio (org.) - “História das ciências sociais no Brasil”, v.2, São Paulo, Sumaré, FAPESP, 1995. CUNHA, Manuela Carneiro da - Antropologia do Brasil, São Paulo, Brasiliense/ EDUSP, 1986 DAMATTA, Roberto - Relativizando, Uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro, Rocco, 1991. HARRIS, Marvin - El desarrollo de la teoria antropológica, Madri, Siglo Veintiuno Editores, 1979. KUPER, Adam - Antropólogos e antropologia. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1978 LABURTHE-TOLRA, Philippe & WARNIER, Jean-Pierre - Etnologia - Antropologia. Petrópolis, Vozes, 1997. LAPLANTINE, François - Aprender Antropologia. São Paulo, Brasiliense, 1988 LÉVI-STRAUSS, Claude - Antropologia estrutural. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1970. OLIVEIRA, Roberto Cardoso de - Sobre o pensamento antropológico Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1988. ROMNEY, A. Kimball & DeVORE, Paul (orgs.) - You and Others. Cambridge, Winthrop Publishers, 1973 SPERBER, Dan - O saber dos antropólogos. Lisboa, Edições 70, 1992. STOCKING Jr, George (ed.) - Race, culture and evolution. New York, The Free Press, 1968. STOCKING Jr, George (ed.) - Observers observed. Essays on ethnographic fieldwork. Madison, University of Wisconsin Press, 1983. STOCKING Jr, George (ed.) - The ethnographer’s magic. Madison, The University of Wisconsin Press,1992
  • 4. home * antropologia * cursos* diário de campo * pesquisas * publicações *