SlideShare uma empresa Scribd logo
Antropologia
Disciplina de Fundamentos de Filosofia e
Ciências Humanas
Prof. Alfredo Pereira Jr.
O Que é a Antropologia?
“Ciência da cultura humana”
É uma disciplina que investiga as origens, o
desenvolvimento e as semelhanças das sociedades
humanas, assim como as diferenças entre elas. A palavra
antropologia deriva de duas palavras gregas: anthropos,
que significa "homem" ou "humano"; e logos, que significa
"pensamento" ou "razão".
AAntropologia, sendo a ciência da humanidade e da
cultura, tem um campo de investigação extremamente
vasto: abrange, no espaço, toda a terra habitada; no tempo,
pelo menos dois milhões de anos, e todas as populações
socialmente organizadas. Divide-se em duas grandes áreas
de estudo, com objetivos definidos e interesses teóricos
próprios: a Antropologia Física ou Biológica e a
Antropologia Cultural.
O Âmbito da Antropologia
Para pensar as sociedades humanas, a antropologia
preocupa-se em detalhar, tanto quanto possível, os seres
humanos que as compõem e com elas se relacionam, seja
nos seus aspectos físicos, na sua relação com a natureza,
seja na sua especificidade cultural. Para o saber
antropológico o conceito de cultura abarca diversas
dimensões: universo psíquico, os mitos, os costumes e
rituais, suas histórias peculiares, a linguagem, valores,
crenças, leis, relações de parentesco, entre outros tópicos.
Embora o estudo das sociedades humanas remonte à
Antigüidade Clássica, a antropologia nasceu, como ciência,
efetivamente, da grande revolução cultural iniciada com o
Iluminismo.
Homem Vitruviano (Leonardo da Vinci)
Simetria do Corpo Humano e
Simetria do Universo
Homem Vitruviano é baseado numa famosa passagem do
arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio. Vitrúvio já havia
tentado encaixar as proporções do corpo humano dentro da
figura de um quadrado e um círculo, mas suas tentativas
ficaram imperfeitas. Foi apenas com Leonardo da Vinci que
o encaixe saiu corretamente perfeito dentro dos padrões
matemáticos esperados.
O redescobrimento das proporções matemáticas do corpo
humano no século XV por Leonardo e os outros é
considerado uma das grandes realizações que conduzem ao
Renascimento italiano. O desenho também é considerado
como um símbolo da simetria básica do corpo humano e,
para extensão, para o universo como um todo. A área total
do círculo é identica à área total do quadrado e este
desenho pode ser considerado um algoritmo matemático
para calcular o valor do número irracional 1,618.
A Antropologia como Ciência
Até o século XVIII, o saber antropológico esteve presente
na contribuição dos cronistas, viajantes, soldados,
missionários e comerciantes que discutiam, em relação aos
povos que conheciam, a maneira como estes viviam a sua
condição humana, cultivavam seus hábitos, normas,
características, interpretavam os seus mitos, os seus rituais,
a sua linguagem. Neste século, a Antropologia adquire o
satus de ciência, tendo como objeto a análise das "raças
humanas".
No Século XIX, Boucher de Perthes utiliza o termo
“homem pré-histórico”, a partir de achados arqueológicos,
como utensílios de pedra, cuja idade se estimava bastante
remota. Posteriormente, em 1865, John Lubock reavaliou
numerosos dados acerca da Cultura da Idade da Pedra e
compilou uma classificação em que enumerava as
diferenças culturais entre o Paleolítico (homem selvagem,
caçador/coletor) e Neolítico (que se inicia há 10 mil anos).
Evolução Humana: Australopitecus (3,6 milhões de anos),
Homo Habilis (2 m.a.), Neanderthal (300 a 29 mil anos),
Homo Sapiens…
Evolucionismo e Etnocentrismo
Com a publicação de dois livros, A Origem das Espécies,
em 1859 e A descendência do homem, em 1871, Charles
Darwin principia a sistematização da teoria evolucionista.
Partindo desta obra, nascia a Antropologia Biológica.
Marcada pela discussão evolucionista, a antropologia do
Século XIX privilegiou o Darwinismo Social, que
considerava a sociedade europeia da época como o apogeu
de um processo evolutivo, em que as sociedades
aborígenes eram tidas como exemplares "mais primitivos".
Esta visão usava o conceito de “civilização” para
classificar, julgar e, posteriormente, justificar o domínio de
outros povos. Esta maneira de ver o mundo, ignorando as
diferenças em relação aos povos tidos como inferiores,
recebe o nome de etnocentrismo. É a Visão Etnocêntrica do
homem europeu, que se atribui o valor de “civilizado”,
fazendo crer que os outros povos estavam “situados fora
da história e da cultura”.
Antropologia Francesa
Esta se inicia quando Marcel Mauss publica com Henri
Hubert, em 1903, a obra “Esboço de uma Teoria Geral da
Magia”, onde forja os conceitos de “mana” e “dádiva”;
Inicialmente centrada na denominada “Etnologia”, a
Antropologia se estabelece como área de estudo em Paris,
a partir de 1927. No início, a disciplina se vinculara ao
Museu de História Natural, porque se considerava a
antropologia como uma subdisciplina da história natural.
Ainda existia um determinismo biológico, segundo o qual
se considerava que as diferenças culturais eram fruto das
diferenças biológicas entre os homens.
AAntropologia Estrutural nasce na década de 40. O seu
grande teórico é Claude Lévi-Strauss. Centraliza o debate
na idéia de que existem regras estruturantes das culturas na
mente humana, e assume que estas regras constroem pares
de oposição para organizar o sentido.
Culturalismo e Funcionalismo
Nos EUA, Franz Boas desenvolve a idéia de que cada
cultura tem uma história particular e considerava que a
difusão de traços culturais acontecia em toda parte.
(Re)nasce o relativismo cultural, e a antropologia estende a
investigação ao trabalho de campo. Para Boas, cada cultura
de cada povo estaria associada à sua própria história; para
compreender a cultura é preciso reconstruir a história.
Surgia o Culturalismo ou Particularismo Histórico.
Na Inglaterra, nasce o Funcionalismo (Malinowski,
Radcliffe-Brown) que enfatiza o trabalho de campo
(observação participante). Para sistematizar o
conhecimento acerca de uma cultura é preciso apreendê-la
na sua totalidade. Para elaborar esta produção intelectual,
surge a etnografia. As instituições sociais centralizam o
debate, a partir das funções que exercem na manutenção da
totalidade cultural.
Tendência Atual da Antropologia
Na década de 80, o debate téorico na Antropologia ganhou
novas dimensões. Muitas críticas a todas as escolas
surgiram, questionando o método e as concepções
antropológicas. No geral, este debate privilegiou algumas
idéias: a primeira delas é que a realidade é sempre
interpretada, ou seja, vista sob uma perspectiva subjetiva
do autor, portanto a antropologia seria uma interpretação
de interpretações. Da crítica da retórica de autoridade
clássica, fortemente influenciada pelos estudos de
Foucault, surgem meta-etnografias, ou seja, a análise
antropológica da própria produção etnográfica. Contribuiu
muito para esta discussão a formação de antropólogos nos
países (como o Brasil) que até então eram apenas
analisados pelos grandes centros antropológicos.
Surgem novas subáreas, enfocando o próprio Homem
ocidental, como a Antropologia Urbana, Antropologia
Médica, Estudos de Gênero, etc.
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas

Cempi – aula antropologia cultural 1
Cempi – aula antropologia cultural  1Cempi – aula antropologia cultural  1
Cempi – aula antropologia cultural 1
Geani Pedrosa
 
Apostila raçaetnicidade
Apostila raçaetnicidadeApostila raçaetnicidade
Apostila raçaetnicidade
Valdira Valadares
 
O espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileiraO espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileira
Jéssica de Paula
 
Aprender antropologia
Aprender antropologiaAprender antropologia
Aprender antropologia
Andreia Regina Moura Mendes
 
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
firminomaissociologiafilosofia2019
 
Resenha O espetaculo das raças, de Lilia Schwarcz
Resenha O espetaculo das raças, de Lilia SchwarczResenha O espetaculo das raças, de Lilia Schwarcz
Resenha O espetaculo das raças, de Lilia Schwarcz
Teka Montenegro Ramos
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
Jordano Santos Cerqueira
 
Nova história cultural
Nova história culturalNova história cultural
Nova história cultural
André Augusto da Fonseca
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
Jorgelgl
 
Sociologia de Antropologia Cultural 2.ppsx
Sociologia de Antropologia Cultural 2.ppsxSociologia de Antropologia Cultural 2.ppsx
Sociologia de Antropologia Cultural 2.ppsx
ValdineyRodriguesBez1
 
Antropologia cultural
Antropologia culturalAntropologia cultural
Antropologia cultural
Andressa Joao Bidoia
 
Slide de Antropologia - Antropologia da Alimentação
Slide de Antropologia - Antropologia da AlimentaçãoSlide de Antropologia - Antropologia da Alimentação
Slide de Antropologia - Antropologia da Alimentação
SilviaSales6
 
Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão social. filo. filos...
Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão  social. filo. filos...Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão  social. filo. filos...
Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão social. filo. filos...
Silvana
 
Mudanças e Transformações Sociais - Ciência e Tecnologia
Mudanças e Transformações Sociais - Ciência e TecnologiaMudanças e Transformações Sociais - Ciência e Tecnologia
Mudanças e Transformações Sociais - Ciência e Tecnologia
Silvana
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
Claudia
 
ANTROPOLOGIA-2.pdf
ANTROPOLOGIA-2.pdfANTROPOLOGIA-2.pdf
ANTROPOLOGIA-2.pdf
JailmaLima8
 
Antropologia da religião​​​​​​​,
Antropologia da religião​​​​​​​,Antropologia da religião​​​​​​​,
Antropologia da religião​​​​​​​,
Salomao Lucio Dos Santos
 
As scolas de antropologia
As scolas de antropologiaAs scolas de antropologia
As scolas de antropologia
Salomao Lucio Dos Santos
 
Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica. Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica.
Direito2012sl08
 
Resenha Raça e diversidade, de Lilia Schwarcz
Resenha Raça e diversidade, de Lilia SchwarczResenha Raça e diversidade, de Lilia Schwarcz
Resenha Raça e diversidade, de Lilia Schwarcz
Teka Montenegro Ramos
 

Semelhante a Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas (20)

Cempi – aula antropologia cultural 1
Cempi – aula antropologia cultural  1Cempi – aula antropologia cultural  1
Cempi – aula antropologia cultural 1
 
Apostila raçaetnicidade
Apostila raçaetnicidadeApostila raçaetnicidade
Apostila raçaetnicidade
 
O espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileiraO espetáculo das raças antropologia brasileira
O espetáculo das raças antropologia brasileira
 
Aprender antropologia
Aprender antropologiaAprender antropologia
Aprender antropologia
 
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
ANTROPOLOGIA: CIÊNCIA DA ALTERIDADE.
 
Resenha O espetaculo das raças, de Lilia Schwarcz
Resenha O espetaculo das raças, de Lilia SchwarczResenha O espetaculo das raças, de Lilia Schwarcz
Resenha O espetaculo das raças, de Lilia Schwarcz
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
 
Nova história cultural
Nova história culturalNova história cultural
Nova história cultural
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Sociologia de Antropologia Cultural 2.ppsx
Sociologia de Antropologia Cultural 2.ppsxSociologia de Antropologia Cultural 2.ppsx
Sociologia de Antropologia Cultural 2.ppsx
 
Antropologia cultural
Antropologia culturalAntropologia cultural
Antropologia cultural
 
Slide de Antropologia - Antropologia da Alimentação
Slide de Antropologia - Antropologia da AlimentaçãoSlide de Antropologia - Antropologia da Alimentação
Slide de Antropologia - Antropologia da Alimentação
 
Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão social. filo. filos...
Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão  social. filo. filos...Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão  social. filo. filos...
Aulão.soc.ideologia e cultura. mudança e transforma ç ão social. filo. filos...
 
Mudanças e Transformações Sociais - Ciência e Tecnologia
Mudanças e Transformações Sociais - Ciência e TecnologiaMudanças e Transformações Sociais - Ciência e Tecnologia
Mudanças e Transformações Sociais - Ciência e Tecnologia
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
ANTROPOLOGIA-2.pdf
ANTROPOLOGIA-2.pdfANTROPOLOGIA-2.pdf
ANTROPOLOGIA-2.pdf
 
Antropologia da religião​​​​​​​,
Antropologia da religião​​​​​​​,Antropologia da religião​​​​​​​,
Antropologia da religião​​​​​​​,
 
As scolas de antropologia
As scolas de antropologiaAs scolas de antropologia
As scolas de antropologia
 
Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica. Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica.
 
Resenha Raça e diversidade, de Lilia Schwarcz
Resenha Raça e diversidade, de Lilia SchwarczResenha Raça e diversidade, de Lilia Schwarcz
Resenha Raça e diversidade, de Lilia Schwarcz
 

Último

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas

  • 1. Antropologia Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas Prof. Alfredo Pereira Jr.
  • 2. O Que é a Antropologia? “Ciência da cultura humana” É uma disciplina que investiga as origens, o desenvolvimento e as semelhanças das sociedades humanas, assim como as diferenças entre elas. A palavra antropologia deriva de duas palavras gregas: anthropos, que significa "homem" ou "humano"; e logos, que significa "pensamento" ou "razão". AAntropologia, sendo a ciência da humanidade e da cultura, tem um campo de investigação extremamente vasto: abrange, no espaço, toda a terra habitada; no tempo, pelo menos dois milhões de anos, e todas as populações socialmente organizadas. Divide-se em duas grandes áreas de estudo, com objetivos definidos e interesses teóricos próprios: a Antropologia Física ou Biológica e a Antropologia Cultural.
  • 3. O Âmbito da Antropologia Para pensar as sociedades humanas, a antropologia preocupa-se em detalhar, tanto quanto possível, os seres humanos que as compõem e com elas se relacionam, seja nos seus aspectos físicos, na sua relação com a natureza, seja na sua especificidade cultural. Para o saber antropológico o conceito de cultura abarca diversas dimensões: universo psíquico, os mitos, os costumes e rituais, suas histórias peculiares, a linguagem, valores, crenças, leis, relações de parentesco, entre outros tópicos. Embora o estudo das sociedades humanas remonte à Antigüidade Clássica, a antropologia nasceu, como ciência, efetivamente, da grande revolução cultural iniciada com o Iluminismo.
  • 5. Simetria do Corpo Humano e Simetria do Universo Homem Vitruviano é baseado numa famosa passagem do arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio. Vitrúvio já havia tentado encaixar as proporções do corpo humano dentro da figura de um quadrado e um círculo, mas suas tentativas ficaram imperfeitas. Foi apenas com Leonardo da Vinci que o encaixe saiu corretamente perfeito dentro dos padrões matemáticos esperados. O redescobrimento das proporções matemáticas do corpo humano no século XV por Leonardo e os outros é considerado uma das grandes realizações que conduzem ao Renascimento italiano. O desenho também é considerado como um símbolo da simetria básica do corpo humano e, para extensão, para o universo como um todo. A área total do círculo é identica à área total do quadrado e este desenho pode ser considerado um algoritmo matemático para calcular o valor do número irracional 1,618.
  • 6. A Antropologia como Ciência Até o século XVIII, o saber antropológico esteve presente na contribuição dos cronistas, viajantes, soldados, missionários e comerciantes que discutiam, em relação aos povos que conheciam, a maneira como estes viviam a sua condição humana, cultivavam seus hábitos, normas, características, interpretavam os seus mitos, os seus rituais, a sua linguagem. Neste século, a Antropologia adquire o satus de ciência, tendo como objeto a análise das "raças humanas". No Século XIX, Boucher de Perthes utiliza o termo “homem pré-histórico”, a partir de achados arqueológicos, como utensílios de pedra, cuja idade se estimava bastante remota. Posteriormente, em 1865, John Lubock reavaliou numerosos dados acerca da Cultura da Idade da Pedra e compilou uma classificação em que enumerava as diferenças culturais entre o Paleolítico (homem selvagem, caçador/coletor) e Neolítico (que se inicia há 10 mil anos).
  • 7. Evolução Humana: Australopitecus (3,6 milhões de anos), Homo Habilis (2 m.a.), Neanderthal (300 a 29 mil anos), Homo Sapiens…
  • 8. Evolucionismo e Etnocentrismo Com a publicação de dois livros, A Origem das Espécies, em 1859 e A descendência do homem, em 1871, Charles Darwin principia a sistematização da teoria evolucionista. Partindo desta obra, nascia a Antropologia Biológica. Marcada pela discussão evolucionista, a antropologia do Século XIX privilegiou o Darwinismo Social, que considerava a sociedade europeia da época como o apogeu de um processo evolutivo, em que as sociedades aborígenes eram tidas como exemplares "mais primitivos". Esta visão usava o conceito de “civilização” para classificar, julgar e, posteriormente, justificar o domínio de outros povos. Esta maneira de ver o mundo, ignorando as diferenças em relação aos povos tidos como inferiores, recebe o nome de etnocentrismo. É a Visão Etnocêntrica do homem europeu, que se atribui o valor de “civilizado”, fazendo crer que os outros povos estavam “situados fora da história e da cultura”.
  • 9. Antropologia Francesa Esta se inicia quando Marcel Mauss publica com Henri Hubert, em 1903, a obra “Esboço de uma Teoria Geral da Magia”, onde forja os conceitos de “mana” e “dádiva”; Inicialmente centrada na denominada “Etnologia”, a Antropologia se estabelece como área de estudo em Paris, a partir de 1927. No início, a disciplina se vinculara ao Museu de História Natural, porque se considerava a antropologia como uma subdisciplina da história natural. Ainda existia um determinismo biológico, segundo o qual se considerava que as diferenças culturais eram fruto das diferenças biológicas entre os homens. AAntropologia Estrutural nasce na década de 40. O seu grande teórico é Claude Lévi-Strauss. Centraliza o debate na idéia de que existem regras estruturantes das culturas na mente humana, e assume que estas regras constroem pares de oposição para organizar o sentido.
  • 10. Culturalismo e Funcionalismo Nos EUA, Franz Boas desenvolve a idéia de que cada cultura tem uma história particular e considerava que a difusão de traços culturais acontecia em toda parte. (Re)nasce o relativismo cultural, e a antropologia estende a investigação ao trabalho de campo. Para Boas, cada cultura de cada povo estaria associada à sua própria história; para compreender a cultura é preciso reconstruir a história. Surgia o Culturalismo ou Particularismo Histórico. Na Inglaterra, nasce o Funcionalismo (Malinowski, Radcliffe-Brown) que enfatiza o trabalho de campo (observação participante). Para sistematizar o conhecimento acerca de uma cultura é preciso apreendê-la na sua totalidade. Para elaborar esta produção intelectual, surge a etnografia. As instituições sociais centralizam o debate, a partir das funções que exercem na manutenção da totalidade cultural.
  • 11. Tendência Atual da Antropologia Na década de 80, o debate téorico na Antropologia ganhou novas dimensões. Muitas críticas a todas as escolas surgiram, questionando o método e as concepções antropológicas. No geral, este debate privilegiou algumas idéias: a primeira delas é que a realidade é sempre interpretada, ou seja, vista sob uma perspectiva subjetiva do autor, portanto a antropologia seria uma interpretação de interpretações. Da crítica da retórica de autoridade clássica, fortemente influenciada pelos estudos de Foucault, surgem meta-etnografias, ou seja, a análise antropológica da própria produção etnográfica. Contribuiu muito para esta discussão a formação de antropólogos nos países (como o Brasil) que até então eram apenas analisados pelos grandes centros antropológicos. Surgem novas subáreas, enfocando o próprio Homem ocidental, como a Antropologia Urbana, Antropologia Médica, Estudos de Gênero, etc.