SlideShare uma empresa Scribd logo
Teorias da Comunicação
Teoria Funcionalista da Comunicação
Prof. Ms. Elizeu Silva
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Inspira-se nos estudos sociais
estrutural-funcionalistas, que
concebem a sociedade como
um conjunto de sistemas
interligados que dão suporte
às estruturas sociais.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Do ponto de vista programático, a Teoria
Funcionalista desloca o interesse dos
EFEITOS da comunicação de massa para
as FUNÇÕES por eles exercidas.
Concentra o interesse, também, na
existência “normal” da comunicação de
massa na sociedade – não mais nas ações
da propaganda que permearam os estudos
anteriores.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Interessa-se pela dinâmica do sistema social e o papel desempenhado
pelas comunicações de massa. Para a teoria estrutural-funcionalista, o
equilíbrio do edifício social
depende das relações
funcionais que indivíduos e
subsistemas ativam no seu
conjunto.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
A lógica que regulamenta os fenômenos sociais é constituída por
relações de funcionalidade que presidem à solução de quatro
problemas fundamentais, ou imperativos funcionais, que todo o
sistema social deve enfrentar:
a) A manutenção do modelo e o
controle das tensões.
b) A adaptação ao ambiente.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
c) A perseguição de objetivos (defesa do território, aumento da
produtividade etc.)
d) A integração. (Deve existir fidelidade entre os elementos de um
sistema e fidelidade ao próprio sistema no seu conjunto).
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Por exemplo, no que respeita ao problema da manutenção do esquema
de valores, o subsistema das
comunicações de massa é funcional,
na medida em que desempenha
parcialmente a tarefa de realçar e
reforçar os modelos de
comportamento existentes no sistema
social.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Os subsistemas podem ser disfuncionais na medida em que
constituírem obstáculos à satisfação de alguns dos imperativos
funcionais.
A função se diferencia do propósito:
enquanto este implica um elemento
subjetivo associado à intenção do
indivíduo que age, a função é entendida
como consequência objetiva da ação.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Em relação à sociedade, a difusão de informação desempenha duas
funções:
a) Alerta aos cidadãos ante ameaças e
perigos imprevistos.
b) Fornece instrumentos para certas
atividades quotidianas
institucionalizadas na sociedade, como,
as trocas econômicas, etc.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Em relação ao indivíduo, e no que diz respeito à “mera existência”
dos meios de comunicação de massa, ou seja, independentemente da
sua ordem institucional e organizativa, são observadas três outras
funções:
a) Atribuição de posição social e de prestígio às pessoas e aos grupos
que são objeto de atenção por parte dos mass media. Legitimação
de pessoas, grupos e tendências sociais.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
b) Reforço do prestígio daqueles que se identificam com a
necessidade, e o valor socialmente difundido, de serem cidadãos
bem informados.
c) Reforço das normas sociais e da ética vigente na sociedade. “É
claro que os meios de comunicação de massa servem para
confirmar as normas sociais, denunciando os seus desvios à
opinião pública”. Lazarsfeld & Merton, 1948)
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Disfunções:
No nível da sociedade: Os fluxos informativos que circulam
livremente podem ameaçar a estrutura fundamental da própria
sociedade.
No nível dos indivíduos: Difusão de notícias
alarmantes (sobre perigos naturais ou tensões
sociais) pode provocar reações de pânico em vez de
reações de vigilância consciente*. (Orson Welles)
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Disfunções:
No nível individual: O
excesso de informações
poder conduzir a um
debruçar-se para o mundo
particular, para a esfera das
experiências e relações
próprias. Disfunção
narcotizante.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
• Se se passar da análise funcional dos mass media, avaliados
independentemente de serem parte da estrutura social e económica,
para a análise da ordem institucional e proprietária dos próprios
meios, individualizam-se outras funções como, por exemplo, a de
contribuírem para o conformismo.
• “O impulso para o conformismo exercido pelos meios de
comunicação de massa deriva não só de tudo o que neles é dito mas,
mais ainda, de tudo o que não dizem”.
TEORIA FUNCIONALISTA DA
COMUNICAÇÃO
Melvin de Fleur (1970)
particulariza a capacidade de
resistência do sistema dos mass
media aos ataques, às críticas e
às tentativas de elevar a baixa
qualidade cultural e estética da
produção de comunicações de
massa.
MODELO DE LASSWELL
Bibliografia recomendada
HOHLFELDT, Antonio; MARTINO, Luiz C.; FRANÇA, Vera Veiga. Teorias da
Comunicação – conceitos, escolas e tendências. 11ª edição, ed. Vozes, Petrópolis,
2011
MCQUAIL, Denis. Teoria da comunicação de massas. Lisboa, Fund. Calouste
Gulbenkian, 2003
RÜDIGER, Francisco. As teorias da comunicação. Porto Alegre, editora Penso,
2011
WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação. 5ª edição, Lisboa, Editorial Presença,
1999

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Efeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazoEfeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazo
aulasdejornalismo
 
Teoria da comunicação (quadro-resumo)
Teoria da comunicação (quadro-resumo)Teoria da comunicação (quadro-resumo)
Teoria da comunicação (quadro-resumo)
Ana Dall'Agnol
 
Mass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismoMass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismo
richard_romancini
 
Teoria Funcionalista
Teoria FuncionalistaTeoria Funcionalista
Teoria Funcionalista
nanasimao
 
Teoria hipodermica
Teoria hipodermicaTeoria hipodermica
Teoria hipodermica
Weicker Gutierrez
 
Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper
Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E GatekeeperAula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper
Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper
RTimponi
 
Teoria da persuasão
Teoria da persuasãoTeoria da persuasão
Teorias da Comunicação
Teorias da ComunicaçãoTeorias da Comunicação
Teorias da Comunicação
José Lopes
 
Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica
nanasimao
 
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais InglesesAula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Elizeu Nascimento Silva
 
Teorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--ConceitosTeorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--Conceitos
Omec
 
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
Elizeu Nascimento Silva
 
Teoria da influência [efeitos limitados]
Teoria da influência [efeitos limitados]Teoria da influência [efeitos limitados]
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar MorinA teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
Aline Lisboa
 
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_GatekeepingAula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Elizeu Nascimento Silva
 
Paradigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacaoParadigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacao
Cauã Taborda
 
Teoria Da Comunicação Revisão
Teoria Da Comunicação RevisãoTeoria Da Comunicação Revisão
Teoria Da Comunicação Revisão
Luci Bonini
 
Aula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking
Aula 04 - Teorias do Jornalismo - NewsmakingAula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking
Aula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking
Elizeu Nascimento Silva
 
teoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de Frankfurtteoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de Frankfurt
Lucio Braga
 
Cultura de massa - teorias da comunicação
Cultura de massa - teorias da comunicaçãoCultura de massa - teorias da comunicação
Cultura de massa - teorias da comunicação
Laércio Góes
 

Mais procurados (20)

Efeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazoEfeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazo
 
Teoria da comunicação (quadro-resumo)
Teoria da comunicação (quadro-resumo)Teoria da comunicação (quadro-resumo)
Teoria da comunicação (quadro-resumo)
 
Mass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismoMass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismo
 
Teoria Funcionalista
Teoria FuncionalistaTeoria Funcionalista
Teoria Funcionalista
 
Teoria hipodermica
Teoria hipodermicaTeoria hipodermica
Teoria hipodermica
 
Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper
Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E GatekeeperAula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper
Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper
 
Teoria da persuasão
Teoria da persuasãoTeoria da persuasão
Teoria da persuasão
 
Teorias da Comunicação
Teorias da ComunicaçãoTeorias da Comunicação
Teorias da Comunicação
 
Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica
 
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais InglesesAula 9B_Estudos Culturais Ingleses
Aula 9B_Estudos Culturais Ingleses
 
Teorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--ConceitosTeorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--Conceitos
 
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
 
Teoria da influência [efeitos limitados]
Teoria da influência [efeitos limitados]Teoria da influência [efeitos limitados]
Teoria da influência [efeitos limitados]
 
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar MorinA teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
 
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_GatekeepingAula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
 
Paradigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacaoParadigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacao
 
Teoria Da Comunicação Revisão
Teoria Da Comunicação RevisãoTeoria Da Comunicação Revisão
Teoria Da Comunicação Revisão
 
Aula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking
Aula 04 - Teorias do Jornalismo - NewsmakingAula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking
Aula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking
 
teoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de Frankfurtteoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de Frankfurt
 
Cultura de massa - teorias da comunicação
Cultura de massa - teorias da comunicaçãoCultura de massa - teorias da comunicação
Cultura de massa - teorias da comunicação
 

Destaque

Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
Lany Almeida
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Elizeu Nascimento Silva
 
Introdução à Teoria da ComunicaçãO
Introdução à Teoria da ComunicaçãOIntrodução à Teoria da ComunicaçãO
Introdução à Teoria da ComunicaçãO
Taïs Bressane
 
Aula 1 introdução comunicação
Aula 1 introdução comunicaçãoAula 1 introdução comunicação
Aula 1 introdução comunicação
Tassiany Pereira
 
Teorias da Comunicacao - Communication Theories
Teorias da Comunicacao - Communication TheoriesTeorias da Comunicacao - Communication Theories
Teorias da Comunicacao - Communication Theories
Future Press, E-Press, Presentations,
 
Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom
Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom
Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom
Marília Simões
 
Introdução à comunicação
Introdução à comunicaçãoIntrodução à comunicação
Introdução à comunicação
Thayse Beckner
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
Cassia Dias
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
Carina Duarte
 

Destaque (9)

Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
 
Introdução à Teoria da ComunicaçãO
Introdução à Teoria da ComunicaçãOIntrodução à Teoria da ComunicaçãO
Introdução à Teoria da ComunicaçãO
 
Aula 1 introdução comunicação
Aula 1 introdução comunicaçãoAula 1 introdução comunicação
Aula 1 introdução comunicação
 
Teorias da Comunicacao - Communication Theories
Teorias da Comunicacao - Communication TheoriesTeorias da Comunicacao - Communication Theories
Teorias da Comunicacao - Communication Theories
 
Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom
Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom
Ética e Comunicação - Trabalho Curso Pascom
 
Introdução à comunicação
Introdução à comunicaçãoIntrodução à comunicação
Introdução à comunicação
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
 

Semelhante a Aula 04 - Teoria Funcionalista

Aula 8 - Granovetter e DiMaggio
Aula 8 - Granovetter e DiMaggioAula 8 - Granovetter e DiMaggio
Aula 8 - Granovetter e DiMaggio
Mauricio Serafim
 
Panorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das ComunicaçãoPanorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das Comunicação
Marcelo Freire
 
Sociologia introducao as teorias sociologicas
Sociologia   introducao as teorias sociologicasSociologia   introducao as teorias sociologicas
Sociologia introducao as teorias sociologicas
Gustavo Soares
 
Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...
Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...
Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...
Tarcízio Silva
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
Ronaldo Henn
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
Ronaldo Henn
 
Teoria Funcionalista Definição
Teoria Funcionalista DefiniçãoTeoria Funcionalista Definição
Teoria Funcionalista Definição
GabrielaSanita
 
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_ArtigoA Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
Janete Cahet
 
Criminologia midiatica conpedi montevideo
Criminologia midiatica conpedi montevideoCriminologia midiatica conpedi montevideo
Criminologia midiatica conpedi montevideo
Alvaro Filipe Oxley da Rocha
 
Luiz felipe
Luiz felipeLuiz felipe
Luiz felipe
Carlos Elson Cunha
 
Aula3 Pesquisa Norte Americana Teoria Hipodermica
Aula3 Pesquisa Norte Americana Teoria HipodermicaAula3 Pesquisa Norte Americana Teoria Hipodermica
Aula3 Pesquisa Norte Americana Teoria Hipodermica
Valéria da Costa
 
229094384.gohn teoria dos movimientos sociais
229094384.gohn   teoria dos movimientos sociais229094384.gohn   teoria dos movimientos sociais
229094384.gohn teoria dos movimientos sociais
Alessandro Aoki
 
O Twitter como medium-ambiência mcluhaniano
O Twitter como medium-ambiência mcluhanianoO Twitter como medium-ambiência mcluhaniano
O Twitter como medium-ambiência mcluhaniano
Luciana Carvalho
 
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 anoPlanejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Dany Pereira
 
PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?
PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?
PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?
HisrelBlog
 
Intervenção em rede
Intervenção em redeIntervenção em rede
Intervenção em rede
Universidade de Coimbra
 
Boletim da ufmg patrick charaudeau
Boletim da ufmg patrick charaudeauBoletim da ufmg patrick charaudeau
Boletim da ufmg patrick charaudeau
FARLEY DE OLIVEIRA
 
Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...
Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...
Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...
Sabrina Serafim
 
Apresentação Teoria Sociocultural
Apresentação Teoria SocioculturalApresentação Teoria Sociocultural
02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica
02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica
02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica
Sérgio Braga
 

Semelhante a Aula 04 - Teoria Funcionalista (20)

Aula 8 - Granovetter e DiMaggio
Aula 8 - Granovetter e DiMaggioAula 8 - Granovetter e DiMaggio
Aula 8 - Granovetter e DiMaggio
 
Panorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das ComunicaçãoPanorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das Comunicação
 
Sociologia introducao as teorias sociologicas
Sociologia   introducao as teorias sociologicasSociologia   introducao as teorias sociologicas
Sociologia introducao as teorias sociologicas
 
Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...
Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...
Gerenciamento de impressões pessoais através de aplicativos sociais: uma prop...
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
Teoria Funcionalista Definição
Teoria Funcionalista DefiniçãoTeoria Funcionalista Definição
Teoria Funcionalista Definição
 
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_ArtigoA Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
 
Criminologia midiatica conpedi montevideo
Criminologia midiatica conpedi montevideoCriminologia midiatica conpedi montevideo
Criminologia midiatica conpedi montevideo
 
Luiz felipe
Luiz felipeLuiz felipe
Luiz felipe
 
Aula3 Pesquisa Norte Americana Teoria Hipodermica
Aula3 Pesquisa Norte Americana Teoria HipodermicaAula3 Pesquisa Norte Americana Teoria Hipodermica
Aula3 Pesquisa Norte Americana Teoria Hipodermica
 
229094384.gohn teoria dos movimientos sociais
229094384.gohn   teoria dos movimientos sociais229094384.gohn   teoria dos movimientos sociais
229094384.gohn teoria dos movimientos sociais
 
O Twitter como medium-ambiência mcluhaniano
O Twitter como medium-ambiência mcluhanianoO Twitter como medium-ambiência mcluhaniano
O Twitter como medium-ambiência mcluhaniano
 
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 anoPlanejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
 
PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?
PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?
PRA QUE SERVE A SOCIOLOGIA?
 
Intervenção em rede
Intervenção em redeIntervenção em rede
Intervenção em rede
 
Boletim da ufmg patrick charaudeau
Boletim da ufmg patrick charaudeauBoletim da ufmg patrick charaudeau
Boletim da ufmg patrick charaudeau
 
Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...
Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...
Análise da Teoria Ator-Rede (TAR) e sua relação com os paradigmas de Relações...
 
Apresentação Teoria Sociocultural
Apresentação Teoria SocioculturalApresentação Teoria Sociocultural
Apresentação Teoria Sociocultural
 
02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica
02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica
02 magda e viritiana-os paradigmas da análise politica
 

Mais de Elizeu Nascimento Silva

Unidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividadeUnidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividade
Elizeu Nascimento Silva
 
Unidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismoUnidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismo
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva CulturológicaAula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14   Armand Mattelart - Globalização da ComunicaçãoAula 14   Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart HallAula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneasAula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dadosAula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula EditorialAula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula Editorial
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02   Edição de Revistas - Público-alvoAula 02   Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 01 edição de revistas
Aula 01   edição de revistasAula 01   edição de revistas
Aula 01 edição de revistas
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 03 ética e legislação jor
Aula 03   ética e legislação jorAula 03   ética e legislação jor
Aula 03 ética e legislação jor
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
Aula 04   ética e legislação JornalismoAula 04   ética e legislação Jornalismo
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrãoAula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrãoAula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 02 impressão de dados variáveis
Aula 02   impressão de dados variáveisAula 02   impressão de dados variáveis
Aula 02 impressão de dados variáveis
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 02 infodesign
Aula 02   infodesignAula 02   infodesign
Aula 02 infodesign
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 01 Infodesign
Aula 01   InfodesignAula 01   Infodesign
Aula 01 Infodesign
Elizeu Nascimento Silva
 
Aula 06 linguagem visual
Aula 06   linguagem visualAula 06   linguagem visual
Aula 06 linguagem visual
Elizeu Nascimento Silva
 

Mais de Elizeu Nascimento Silva (20)

Unidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividadeUnidade 03 Ainda a tal objetividade
Unidade 03 Ainda a tal objetividade
 
Unidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismoUnidade02 quem fala no jornalismo
Unidade02 quem fala no jornalismo
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
 
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva CulturológicaAula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
Aula 09_Edgar Morin e a Perspectiva Culturológica
 
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14   Armand Mattelart - Globalização da ComunicaçãoAula 14   Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
Aula 14 Armand Mattelart - Globalização da Comunicação
 
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart HallAula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
 
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneasAula 06   teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
Aula 06 teorias do jornalismo hipóteses contemporâneas
 
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dadosAula 07   teorias do jornalismo jornalismo de dados
Aula 07 teorias do jornalismo jornalismo de dados
 
Aula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula EditorialAula 03 - Fórmula Editorial
Aula 03 - Fórmula Editorial
 
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02   Edição de Revistas - Público-alvoAula 02   Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
 
Aula 01 edição de revistas
Aula 01   edição de revistasAula 01   edição de revistas
Aula 01 edição de revistas
 
Aula 03 ética e legislação jor
Aula 03   ética e legislação jorAula 03   ética e legislação jor
Aula 03 ética e legislação jor
 
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
Aula 04   ética e legislação JornalismoAula 04   ética e legislação Jornalismo
Aula 04 ética e legislação Jornalismo
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
 
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrãoAula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
Aula 04 - Infodesign - Alfabeto-padrão
 
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrãoAula 03 - Infodesign - Cor-padrão
Aula 03 - Infodesign - Cor-padrão
 
Aula 02 impressão de dados variáveis
Aula 02   impressão de dados variáveisAula 02   impressão de dados variáveis
Aula 02 impressão de dados variáveis
 
Aula 02 infodesign
Aula 02   infodesignAula 02   infodesign
Aula 02 infodesign
 
Aula 01 Infodesign
Aula 01   InfodesignAula 01   Infodesign
Aula 01 Infodesign
 
Aula 06 linguagem visual
Aula 06   linguagem visualAula 06   linguagem visual
Aula 06 linguagem visual
 

Último

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 

Último (20)

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 

Aula 04 - Teoria Funcionalista

  • 1. Teorias da Comunicação Teoria Funcionalista da Comunicação Prof. Ms. Elizeu Silva
  • 2. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Inspira-se nos estudos sociais estrutural-funcionalistas, que concebem a sociedade como um conjunto de sistemas interligados que dão suporte às estruturas sociais.
  • 3. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Do ponto de vista programático, a Teoria Funcionalista desloca o interesse dos EFEITOS da comunicação de massa para as FUNÇÕES por eles exercidas. Concentra o interesse, também, na existência “normal” da comunicação de massa na sociedade – não mais nas ações da propaganda que permearam os estudos anteriores.
  • 4. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Interessa-se pela dinâmica do sistema social e o papel desempenhado pelas comunicações de massa. Para a teoria estrutural-funcionalista, o equilíbrio do edifício social depende das relações funcionais que indivíduos e subsistemas ativam no seu conjunto.
  • 5. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO A lógica que regulamenta os fenômenos sociais é constituída por relações de funcionalidade que presidem à solução de quatro problemas fundamentais, ou imperativos funcionais, que todo o sistema social deve enfrentar: a) A manutenção do modelo e o controle das tensões. b) A adaptação ao ambiente.
  • 6. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO c) A perseguição de objetivos (defesa do território, aumento da produtividade etc.) d) A integração. (Deve existir fidelidade entre os elementos de um sistema e fidelidade ao próprio sistema no seu conjunto).
  • 7. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Por exemplo, no que respeita ao problema da manutenção do esquema de valores, o subsistema das comunicações de massa é funcional, na medida em que desempenha parcialmente a tarefa de realçar e reforçar os modelos de comportamento existentes no sistema social.
  • 8. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Os subsistemas podem ser disfuncionais na medida em que constituírem obstáculos à satisfação de alguns dos imperativos funcionais. A função se diferencia do propósito: enquanto este implica um elemento subjetivo associado à intenção do indivíduo que age, a função é entendida como consequência objetiva da ação.
  • 9. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Em relação à sociedade, a difusão de informação desempenha duas funções: a) Alerta aos cidadãos ante ameaças e perigos imprevistos. b) Fornece instrumentos para certas atividades quotidianas institucionalizadas na sociedade, como, as trocas econômicas, etc.
  • 10. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Em relação ao indivíduo, e no que diz respeito à “mera existência” dos meios de comunicação de massa, ou seja, independentemente da sua ordem institucional e organizativa, são observadas três outras funções: a) Atribuição de posição social e de prestígio às pessoas e aos grupos que são objeto de atenção por parte dos mass media. Legitimação de pessoas, grupos e tendências sociais.
  • 11. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO b) Reforço do prestígio daqueles que se identificam com a necessidade, e o valor socialmente difundido, de serem cidadãos bem informados. c) Reforço das normas sociais e da ética vigente na sociedade. “É claro que os meios de comunicação de massa servem para confirmar as normas sociais, denunciando os seus desvios à opinião pública”. Lazarsfeld & Merton, 1948)
  • 12. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Disfunções: No nível da sociedade: Os fluxos informativos que circulam livremente podem ameaçar a estrutura fundamental da própria sociedade. No nível dos indivíduos: Difusão de notícias alarmantes (sobre perigos naturais ou tensões sociais) pode provocar reações de pânico em vez de reações de vigilância consciente*. (Orson Welles)
  • 13. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Disfunções: No nível individual: O excesso de informações poder conduzir a um debruçar-se para o mundo particular, para a esfera das experiências e relações próprias. Disfunção narcotizante.
  • 14. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO • Se se passar da análise funcional dos mass media, avaliados independentemente de serem parte da estrutura social e económica, para a análise da ordem institucional e proprietária dos próprios meios, individualizam-se outras funções como, por exemplo, a de contribuírem para o conformismo. • “O impulso para o conformismo exercido pelos meios de comunicação de massa deriva não só de tudo o que neles é dito mas, mais ainda, de tudo o que não dizem”.
  • 15. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO Melvin de Fleur (1970) particulariza a capacidade de resistência do sistema dos mass media aos ataques, às críticas e às tentativas de elevar a baixa qualidade cultural e estética da produção de comunicações de massa.
  • 16. MODELO DE LASSWELL Bibliografia recomendada HOHLFELDT, Antonio; MARTINO, Luiz C.; FRANÇA, Vera Veiga. Teorias da Comunicação – conceitos, escolas e tendências. 11ª edição, ed. Vozes, Petrópolis, 2011 MCQUAIL, Denis. Teoria da comunicação de massas. Lisboa, Fund. Calouste Gulbenkian, 2003 RÜDIGER, Francisco. As teorias da comunicação. Porto Alegre, editora Penso, 2011 WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação. 5ª edição, Lisboa, Editorial Presença, 1999