SlideShare uma empresa Scribd logo
INFORMÁTICA APLICADA A
Ed.Física
Ed. Física
PROFESSOR: João Rosa Coelho Filho
CRATO – CE
1. INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA ____________________________________ 8
2. HARDWARE E SOFTWARE _______________________________________ 16
3. OS PERIFÉRICOS _______________________________________________ 23
4. SISTEMAS OPERACIONAIS ______________________________________ 32
5. INTERNET ____________________________________________________ 39
6. CORREIO ELETRÔNICO _________________________________________ 47
7. PROCESSADOR DE TEXTOS _____________________________________ 53
8. PLANILHA ELETRÔNICA _________________________________________ 65
9. EDITOR DE APRESENTAÇÃO _____________________________________ 79
10. Material Complementar __________________________________________ 92
OpenOffice Writer __________________________________________________ 92
OpenOffice Calc __________________________________________________ 102
OpenOffice Impress ________________________________________________ 116
11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS _______________________________ 129
12. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR _______________________________ 130
13. LEITURAS RECOMENDADAS __________________________________ 131
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
1. INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA
Quando se deseja aprender algo de novo na vida é necessário desenvolver a teoria para
depois aplicá-la na prática. Por exemplo, quando se vai aprender a dirigir é necessário
primeiro aprender sobre as regras de trânsito, depois sobre regras básicas do funcionamento
do veículo como: localização dos pedais, marchas e demais itens do painel.
A informática também funciona assim: você primeiramente irá aprender conceitos
básicos para depois aplicá-los na prática.
A Informática está no nosso dia a dia: no supermercado, no banco, no escritório, na
escola. Não dá mais para viver sem ela. Na vida profissional, o conhecimento da Informática
está ficando tão importante que podemos falar em um novo tipo de analfabetismo: o dos
analfabetos em computador. O desconhecimento da Informática exclui as pessoas da disputa
por melhores oportunidades profissionais.
Felizmente a Informática não é difícil. Com um pouco de dedicação qualquer pessoa
poderá ser um usuário competente do computador. O assunto é muito amplo, é necessário
dedicar parte do seu tempo para o aprendizado e não pare de se aperfeiçoar porque a
Informática também não para.
História
Da necessidade de controlar os rebanhos, pastores gregos e egípcios inventaram um
processo de contagem primitivo que se baseava na equivalência. Cada animal era equivalente a
uma pedrinha que juntas representavam a soma. Assim, se tivesse uma pedrinha a mais era
notada a falta de um animal, duas pedrinhas, dois animais e assim por diante. Era o início do
primitivo processamento de dados do Homem.
Mais tarde, o sistema evoluiu e tornou-se ainda mais prático, ao surgirem os símbolos
numéricos e os sistemas de numerações. Dessa forma, não era mais necessário acumular
pedras ou conchas, mas sim, conhecer o símbolo numérico que representava dada quantidade
de animais do rebanho.
O ábaco foi o primeiro dispositivo criado para realizar operações aritméticas e é
considerado o marco inicial da Informática.
Com o surgimento do papel, aliado aos sistemas de escrita e de numeração, o homem
passou, então, a registrar dados na forma escrita e a manipulá-los. Depois, veio a máquina de
escrever, que reinou absoluta desde o século XIX até o início da década de 80 do século XX,
quando foi definitivamente substituída pelos computadores e seus programas processadores
de texto. Isso significa que, entre outras funções, o computador modificou a forma de
escrever, facilitando a correção de erros e melhorando a aparência do texto.
Página 3 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
A palavra COMPUTADOR significa, ao pé da letra, "aquele que exerce a função de
computar". Mas o que significa computar? Computar significa "fazer o cômputo de", que
expressa simplesmente calcular, contar ou avaliar. Desde a criação das primeiras máquinas
de calcular de Charles Babbage, no século XIX até a primeira geração de computadores na
década de 1950, o grande objetivo era agilizar os cálculos e automatizar as tarefas
rotineiras.
Os fatos mais marcantes do histórico do desenvolvimento dos computadores, desde os ábacos
até nossos mais modernos PCs, podem ser encontrados no site brasileiro
http://www.museudocomputador.com.br/.
De geração em geração: a evolução dos computadores
Quando se pensa na história do computador e da Internet, observa-se que, apesar de
muitos equipamentos terem aparecido bem antes, eles surgiram em torno dos anos 40 do
século passado e eram enormes, ocupando vários metros quadrados. Esses equipamentos
passaram por uma grande evolução, que pode ser dividida em gerações. Cada geração é
caracterizada pelo desenvolvimento tecnológico no modo como o computador opera,
resultando em equipamentos cada vez menores, mais poderosos, eficientes rápidos, e baratos.
Primeira Geração (1940-1950) - É constituída por todos os computadores construídos
à base de válvulas a vácuo (válvulas eletrônicas do tamanho de lâmpadas elétricas,
usadas como componentes internos do computador) e cuja aplicação fundamental se
deu nos campos científico e militar.
Página 4 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Figura 2: Mulheres operando o ENIAC em 1945, o computador
media 25m de comprimento por 5,5m de altura.
• Segunda Geração (1951-1958) - É o início da computação comercial; ano em que o
primeiro computador comercial (UNIVAC - Universal Automatic Computer -
Computador Automático Universal) foi entregue a um cliente. Nessa geração, ainda se
utilizava a válvula a vácuo.
Figura 3: UNIVAC - Universal Automatic Computer
("Computador Automático Universal")
• Terceira Geração (1959-1964) - A válvula a vácuo é substituída pelo transistor,
um dispositivo pequeno que transfere sinais eletrônicos através de um resistor. As
áreas de aplicação dessa época foram, além da científica e militar, a administrativa e
Página 5 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
gerencial, que, no entanto, não chegou ao público em geral.
Figura 4: IBM 7094
• Quarta Geração (1965-1970) - Nesta geração, o elemento mais significativo é o
circuito integrado, que consiste em um circuito eletrônico completo em um pequeno
chip de silício. Os chips apresentaram confiabilidade, tamanho reduzido e baixo custo.
Figura 5: IBM 360 - Um dos primeiros
computadores a utilizar circuitos integrados
• Quinta Geração (1971- até os dias atuais) - Em 1971 aparece o processador, que
consiste na inclusão de vários chips especializados de um computador em um único
circuito integrado. Também é nessa época que se começa a utilizar o disquete (Floppy
Disk) como unidade de armazenamento.
Uma história mais próxima de nós, usuários finais, seria a dos computadores pessoais,
mais acessíveis ao usuário comum; história que se inicia com o primeiro computador pessoal
chamado MITS ALTAIR, construído em 1975, e que evolui até os computadores pessoais que
compramos atualmente nas lojas de Informática.
Página 6 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Figura 6: Disquete 5/1/4
Figura 7: Apple II - Primeiro
microcomputador
Para que você possa mergulhar na história dos computadores pessoais e conhecer sobre a
vida de Bill Gates (Microsoft) e Steve Jobs (Apple), assista ao filme "Piratas do vale do
silício. Esse filme retrata como Bill Gates e Steve Jobs fundaram as respectivas Microsoft e
Apple e a concorrência entre os dois, para ver quem chegaria à frente, no promissor mercado
da Informática, bem como as estratégias que utilizaram para criar suas empresas.
Classificação dos computadores
Para se realizar uma classificação, é necessário adotar determinados critérios
classificatórios. Em relação a computadores, esses critérios podem ser: finalidade de uso,
tamanho, poder de processamento, entre outros. No entanto, não há um critério padronizado
para tal, e tampouco podemos estabelecer categorias de computadores claramente distintas,
uma vez que a Informática é muito dinâmica. Dessa forma, optamos por descrever conjuntos
de computadores que têm sido utilizados atualmente.
• Computadores Pessoais (Personal Computers - Pcs) - É o
conhecido microcomputador. Um computador feito para
usuários domésticos em todos os aspectos: tamanho, preço,
poder de processamento, facilidade de uso, entre outros.
Figura 8: Computador
Pessoal
Página 7 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
•
•
•
Computadores Laptops ou Notebooks - Suas principais
características são as dimensões e pesos reduzidos e, é claro,
sua portabilidade, ou seja, a facilidade de o usuário se deslocar
com o equipamento. Esses computadores possuem autonomia
de algumas horas de uso, sem precisarem estar conectados à
rede elétrica. Isso é possível graças ao uso de baterias. Os
notebooks podem competir com os recursos dos computadores
pessoais.
Computadores de mão (do inglês handheld, que significa
"segurar com a mão") - A principal característica dos
computadores de mão é o tamanho bem reduzido. São
computadores que cabem na palma da mão. Nesse conjunto de
computadores entram o assistente digital pessoal (Personal
Digital Assistant - PDA), Ipods, câmeras digitais e filmadoras
digitais portáteis, telefones celulares, minigames, tocador de
mp3, entre outros dispositivos portáteis. O PDA é um handheld
utilizado para controlar agenda de atividades e informações
sobre transações comerciais, como nomes de clientes e
pedidos.
Mainframe (computadores de grande porte) - São
computadores de grandes dimensões, que requerem
um ambiente totalmente específico, além de
Figura 9: Laptop
(Notebook)
Figura
10: Computador de
Mão
recursos humanos bastante técnicos e
especializados. Por isso, são máquinas de altíssimo
custo e também de manutenção e operacionalidade
bastante caras, o que faz com que sejam utilizados
somente pelas grandes corporações. Têm um
processamento extremamente rápido e a alta
capacidade para manipulação das informações.
Figura 11: Mainframe
A Informática
O conceito de Informática pode ser entendido como a automatização da informação, ou
seja, chamamos de Informática tudo o que utiliza a informação de modo automático, mas nem
sempre a Informática está associada ao uso de computadores convencionais.
Existem, no dia a dia, vários exemplos de uso da Informática, sem a utilização do
computador convencional. Imagine uma porta automática de um shopping ou de um hotel.
Quando você se aproxima, a porta se abre (através de sensores eletrônicos) e permite que você
entre. Nesse caso, após a coleta dos dados pelo sensor fixado à porta, gerou-se a informação
Página 8 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
de que alguém estava desejando entrar. A informação foi tratada de forma automática, isto é,
informática.
O termo "informática" tem suas origens no ano de 1957, quando Karl Steinbuch publicou
um artigo chamado Informatik: Automatische Informationsverarbeitung (Informática:
Processamento Automático de Informação). É interessante notar que, na língua portuguesa, a
palavra informática pode ser obtida pela contração das palavras INFORmação +
autoMÁTICA.
Principais usos da Informática
A seguir, apresentamos como a Informática e suas ferramentas podem ser utilizadas em
diversas áreas:
− No comércio, o uso da Informática abrange as áreas de Ed. Física de estoques, de
catalogação de produtos, de Ed. Física automática de terminais de venda e pagamento,
tudo isso facilitado pelos códigos de barras presentes na maioria dos produtos,
entre outras.
− Na pesquisa científica utiliza-se a Informática como suporte para cálculos
complexos e demorados, para leitura e processamento automático de dados, para
simulação de ambientes, entre outros itens.
− Na atividade bancária, a Informática é utilizada para fazer projeções financeiras,
Ed. Física de contas e controle de terminais automáticos para atualização de
informações, Homebank (acesso à informação em casa, via internet), transações
com cartão de débito e crédito e outros serviços.
− Na agricultura, a Informática pode
contribuir com um aumento
significativo na produtividade, calcular
o custo por hectare, balancear rações,
rastrear animais, diagnosticar doenças,
controlar irrigação, verificar preços de
insumos, obter melhor gerenciamento
da empresa rural e maior agilidade e
facilidade na obtenção de informações.
− Na educação, os educadores utilizam recursos computacionais, como
apresentações e animações, para tornar as aulas mais interessantes, além de
fazerem uso de aplicativos específicos, de modo a estimular o raciocínio e o
pensamento crítico dos estudantes. Utilizam, ainda, ferramentas como ambientes
virtuais de ensino, fóruns de discussão online, entre outras.
− O setor público utiliza a Informática no controle de impostos, na
emissão de declarações, no atendimento aos cidadãos sobre a
prestação de serviços públicos, nas eleições, entre outras atividades.
− No setor de transportes, a Informática auxilia no monitoramento de
Página 9 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
tráfego aéreo, rastreamento de vagões ferroviários, controle de semáforos nas
cidades, entre outros.
− No turismo, utiliza-se a Informática para reserva de carros, gerenciamento de
hotéis e agência de viagens, planejamento de eventos, informações sobre roteiros
turísticos, credenciamento e controle de acesso em eventos, entre outros itens.
− Na saúde, a Informática é usada para monitorar a saúde de pacientes, realizar
diagnósticos de doenças, fazer o controle dos prontuários médicos, realizar
mapeamento da estrutura de vírus, entre outros exemplos.
− No lar, aplica-se a Informática na segurança das residências, para escrever cartas
eletrônicas, realizar orçamentos domésticos e também para o lazer e para a
educação.
Como você pode perceber hoje a Informática e os computadores estão espalhados por
todos os lugares. Você será levado, portanto, de forma direta ou indireta, a interagir com a
Informática, seja na hora de atravessar uma rua, seja no momento de comprar um produto
qualquer. Logo, é muito importante que você aprenda a lidar com a Informática e com os
computadores. Afinal, tudo leva a crer que ela será tão importante em um futuro próximo
quanto saber ler e escrever, se já não o for.
RESUMINDO...
• O homem precisou criar mecanismos para armazenar informações sobre o seu dia a
dia.
• Surge a necessidade de se realizar cômputos e o homem cria um sistema de controle
rudimentar.
• Surge o ábaco para facilitar a realização das operações matemáticas.
• O desenvolvimento da eletrônica torna possível a criação de dispositivos capazes de
automatizar tarefas realizadas pelo ser humano.
• Os computadores passaram por significativos avanços tecnológicos, propiciados
principalmente pelos seguintes dispositivos: válvula a vácuo, transistores, circuitos
integrados e microprocessadores.
• Computadores podem ser classificados em pessoais, notebooks ou laptops, handheld
ou computadores de mão e mainframes.
• A Informática é definida como a utilização de informação, de forma automática.
• Em praticamente todos os campos da atividade humana, há o uso da Informática, seja
de forma direta ou indireta.
Página 10 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
2. HARDWARE E SOFTWARE
Hardware e software são as duas partes fundamentais de um computador. A seguir
vamos aprender mais sobre esses dois aspectos principais de um computador.
Hardware
É a parte física do computador. A palavra hardware é inglesa e nos dá a idéia de produto
sólido e palpável, ou seja, são as partes do computador que você consegue ver e tocar, como o
teclado, o mouse e o monitor. É a parte do computador que dá vontade de chutar quando o
computador trava. CURIOSIDADE
O termo travar, muito utilizado em informática, refere-se à parada repentina de
funcionamento do computador devido a algum problema inesperado que pode ser causado
por falha do software ou do hardware do computador. Tomara que seu computador nunca
trave!
Software
Softwares são programas ou conjunto de instruções que permitem que o computador
execute uma determinada tarefa. O software é um produto intelectual e impalpável, ou seja,
que não podemos tocar. É a parte do computador que, quando trava, você somente pode falar
mal. Não tem como chutá-la. Exemplos de Softwares: Word, Excel, Paint, etc.;
CURIOSIDADE
A pessoa que desenvolve softwares é conhecida como programador. Para a criação dos
programas de computador, o programador utiliza algoritmos. Esses algoritmos são escritos
em uma determinada linguagem de programação.
Sistema Operacional
Não são todos os softwares que podem interagir diretamente com o hardware. Para isso,
existe um tipo de software especial, que funciona como uma camada de ligação entre a
máquina (hardware) e os programas (softwares); chama-se Sistema Operacional.
Exemplo: para imprimir um arquivo, os processadores de texto mandam o arquivo para o
Sistema Operacional e este o envia para a impressora.
Os principais sistemas operacionais conhecidos no mercado e suas principais
caracteristicas serão apresentadas mais adiante.
CONCEITO DE COMPUTADOR
"Um computador é um equipamento eletrônico com a capacidade de receber dados,
processá-los, armazená-los e devolvê-los como informações ao usuário."
Pela definição de computador, você pode perceber que ele é responsável por quatro
funções, consideradas básicas, que são: entrada (ou seja, o recebimento de dados),
Página 11 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
processamento, armazenamento e saída (ou seja, a devolução dos dados processados ao
usuário). Vamos ver cada uma dessas funções a seguir.
• Entrada - Permite que o ser humano se comunique com o computador. Quando
você digita um conjunto de dados - seu nome, o número de fregueses de uma loja
etc. - está utilizando a função de entrada. É necessário utilizar algum periférico de
entrada para enviar dados para o computador.
• Processamento - É a principal função do computador. É realizado pela Unidade
Central de Processamento, a famosa CPU (Guarde essa sigla, ela irá aparecer
novamente!), que é responsável por processar instruções, realizar cálculos e
gerenciar o fluxo de informações dentro do computador.
• Armazenamento - É composto por dispositivos de armazenamento que permitem a
leitura e/ou gravação de dados. O computador utiliza os dados obtidos nesses
dispositivos para executar as tarefas. Em geral, esses dispositivos são chamados de
memória.
• Sáida - É responsável por mostrar a resposta do processamento de dados ao
usuário, ou seja, permite que o computador se comunique com o ser humano.
Figura 12: Funções Básicas do Computador
Página 12 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Como funciona o computador?
Vamos acompanhar o funcionamento de um computador? O que o usuário deve fazer
para que o computador execute alguma função desejada? E qual é o papel do próprio
computador - hardware e software - nesse processo?
Inicialmente o usuário deve fazer uso de um hardware da unidade de entrada para enviar
um dado ao computador ou solicitar que seja carregado algum dado da memória secundária.
Esse dado vai para a Memória Principal (MP), que também é conhecida como memória RAM
(Random Access Memory - Memória de Acesso Aleatório) do computador, pois tudo o que
está sendo executado em um dado instante pelo computador tem que estar na MP. A MP é um
dispositivo de armazenamento. Daí a Unidade Central de Processamento (CPU, a sigla vem
do termo em inglês Central Processing Unit) se comunica com a MP para pegar os dados
enviados pelo usuário e processá-los. Após o processamento, a CPU devolve a resposta para a
MP, que, por sua vez, disponibiliza a resposta tanto para as unidades de saída quanto para a
memória secundária.
Você deve ter notado que o computador, por meio das unidades de entrada, recebe
dados, que, após processados, são retornados através das unidades de saída em formato de
informação. É importante saber diferenciar dado de informação.
• Dado: é algum tipo de material em formato desorganizado que não significa nada
isoladamente.
• Informação: Informação é o resultado da transformação dos dados em algo útil
para o usuário.
Por exemplo, se eu disser para você "Trinta e cinco.", isso é um dado ou uma
informação? Você consegue entender o sentido desse texto? Não, pois falta um complemento,
algo que faça com que esse valor faça sentido para você. Logo, trinta e cinco é um dado.
No entanto, se eu disser: "Esse livro tem trinta e cinco páginas.", a frase agora possui
significado. Há um contexto, algo de útil é transmitido para o receptor. Então, o "trinta e
cinco" passa a ser uma informação.
Unidades de medidas de Arquivos
Da mesma forma que utilizamos unidades para medir o peso ou a distância, como kg e
km, precisamos de unidades para saber o tamanho de determinados arquivos em nosso
computador. Isto se torna imprescindível quando necessitamos instalar um novo programa em
nossa máquina ou copiar arquivos como músicas para ela; é importante que saibamos quanto o
programa a ser instalado irá ocupar ou o tamanho necessário para armazenar os arquivos a
serem copiados. Dessa forma podemos saber se o disco rígido de nossa máquina será capaz de
suportar o programa a ser instalado ou se tem espaço suficiente para armazenar os arquivos a
serem copiados.
Para isto, criaram as unidades - Bit, Byte, Kilobyte, Megabyte, Gigabyte, Terabyte,
representadas na tabela 2.1.
Página 13 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Quantidade Unidade Nomenclatura Detalhes
8 bits 1B Byte -
1024 Bytes 1 KB Kilobyte Aproximadamente Mil Bytes
1024 Kilobytes 1 MB Megabyte Aproximadamente 1 Milhão de Bytes
1024 Megabytes 1 GB Gigabyte Aproximadamente 1 Bilhão de Bytes
1024 Gigabytes 1 TB Terabyte Aproximadamente 1 Trilhão de Bytes
Tabela 1: Unidades de Medida do Computador
Uma forma simples e prática de se fazer a conversão das unidades é usar a figura 2.2.
Figura 13: Conversão das
Unidades
Hardwares típicos de um computador
Gabinete
É uma caixa metálica que serve para organizar e proteger os principais componentes do
computador. Para os computadores pessoais, encontramos basicamente dois tipos de modelos
de gabinetes: torre e desktop. O modelo torre é o mais comum, apresentando-se na forma
vertical, já o desktop apresenta-se na forma horizontal.
Figura 14: Gabinete torre aberto, para a
instalação de um novo sistema de resfriamento.
Página 14 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Placa-mãe (motherboard)
Placa de circuito impresso que aloja o processador e contém encaixes (slots) para a
conexão dos demais hardwares de entrada, saída e armazenamento. A placa-mãe é responsável
por interconectar cada um dos dispositivos do computador. Existem diversos fabricantes e
modelos de placa- mãe. Um bom computador deve possuir uma placa-mãe de qualidade e que
tenha bom desempenho. A placa-mãe de um computador, de acordo com suas especificações,
define o quanto esse computador pode evoluir, ou seja, o quanto ele pode ter o seu
desempenho melhorado. Todo computador pessoal, para funcionar, necessita ter uma placa-
mãe.
CURIOSIDADE
Você já ouviu falar em upgrade? Em informática, o termo upgrade é usado para designar a
ação de melhorar o desempenho do computador, normalmente realizado através da compra
de peças mais novas e potentes.
Figura 15: A placa-mãe de um computador.
A - Soquete para o processador. Local onde esse é encaixado B -
Slots para pentes de memórias RAM (memória principal)
C - Slot para placa de vídeo
D - Slots para demais componentes
• Placa de expansão: Serve para que possamos acrescentar novos recursos ao
computador. Essas placas devem ser conectadas nos slots de expansão existentes
na placa-mãe. Em geral, essas placas são de: rede, som, vídeo, fax-modem, TV,
captura de vídeo, entre outras.
• Slots de expansão: É um local que há na placa-mãe no qual as placas de expansão
podem ser encaixadas. Algumas pessoas chamam os slots de soquetes ou
barramentos. Existem diversos tipos de slots, tais como ISA, PCI, AGP e PCI
Express.
• Unidade Central de Processamento (Central Processing Unit - CPU): A CPU
Página 15 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
fica localizada na placa-mãe e é responsável por todo o processamento do
computador. Tudo depende da CPU: fornecer dados, recuperar e processar
informações etc. A CPU é um circuito integrado construído em uma finíssima peça
de silício. Nela, milhares ou até milhões de transistores estão alojados e
interligados ao mundo externo por delgados fios de alumínio.
ATENÇÃO!
Muitas pessoas leigas em informática, por desconhecimento, acabam chamando o gabinete
de CPU, só que isso é incorreto! Na verdade, a unidade central de processamento é um dos
vários componentes que ficam localizados dentro do gabinete.
Os processadores não existem apenas nos computadores; podemos encontrar
microprocessadores em microondas, controles remotos, entre outros dispositivos eletrônicos.
A CPU pode ser subdivida em três partes principais: unidade de controle, unidade
lógico-aritmética e registradores. A Unidade de Controle tem como principal função controlar o
ciclo do computador. A Unidade Lógico-Aritmética (ULA) executa as quatro operações
matemáticas básicas (adição, subtração, multiplicação e divisão) e as comparações lógicas
(igualdade, menor que, maior que). Os Registradores consistem numa pequena quantidade de
memória interna à CPU para manter dados temporários.
Fonte de Alimentação
Tem como finalidade receber a tensão da rede elétrica (110 ou 220 volts em corrente
alternada) e gerar tensões em corrente contínua necessária ao funcionamento das placas do
computador.
EXPLICATIVO
A corrente elétrica que recebemos é chamada corrente alternada. Alguns aparelhos elétricos,
no entanto, dependem de outro tipo de corrente, a corrente contínua. Definimos como
corrente elétrica (ou corrente galvânica) um fluxo constante e ordenado de elétrons em um
único sentido. Na corrente alternada, a magnitude e o sentido do fluxo de elétrons variam
ciclicamente. Assim, apenas a corrente contínua apresenta pólos positivos e negativos.
Estabilizador
Equipamento que protege o computador de oscilações na rede elétrica que, em geral,
acontecem durante tempestades. Serve também para atenuar interferências, quedas de
voltagem e outras anomalias na rede elétrica. Composto normalmente por um fusível de
proteção e uma chave seletora da tensão da rede. É fortemente recomendado que o cabo de
energia que sai da fonte de alimentação seja ligado em um estabilizador em vez de ser ligado
diretamente na tomada de sua residência ou escritório.
No-break
É um aparelho que substitui o estabilizador e, além disso, evita que seu computador
desligue em caso de falta total de energia elétrica. Um no-break possui uma bateria que é
Página 16 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
capaz de manter o funcionamento de um computador por algumas horas. O tempo exato
depende da capacidade do no-break e do consumo do computador.
Resumindo...
Em um dia totalmente normal você utiliza intensivamente a informática.
Hardware e software são as duas partes fundamentais de um computador.
Hardware é a parte mecânica e física da máquina, com seus componentes eletrônicos.
Software é um programa ou conjunto de instruções que permite que o computador
execute uma determinada tarefa.
Um computador é um equipamento eletrônico com a capacidade de receber dados,
processá-los, armazená-los e devolvê-los como informações ao usuário.
O computador, por meio das unidades de entrada, recebe dados que, após processados,
são retornados através das unidades de saída em formato de informação.
Para um dado ser processado, ele precisa passar pela memória principal.
Dado é algum tipo de material em formato desorganizado que não significa nada
isoladamente.
Informação é o resultado da transformação dos dados em algo útil para o usuário.
Bit é a menor unidade de informação que um computador pode armazenar.
Um conjunto de 8 bits reunidos com uma única identidade forma um byte.
Alguns hardwares importantes do computador são: placa-mãe, CPU, gabinete, fonte de
alimentação, no-break, estabilizador e placas de expansão.
A placa-mãe é responsável por interconectar todos os dispositivos do computador.
A CPU é responsável por executar todas as instruções do computador.
Página 17 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
3. OS PERIFÉRICOS
No Capítulo 2 você aprendeu que o computador desempenha quatro funções básicas:
entrada, armazenamento, processamento e saída. Viu que existem hardwares que possibilitam
ao computador atender cada uma dessas funções.
Aprendeu também qual hardware realiza uma dessas quatro funções: o processamento.
Resta estudar quem desempenha as outras três funções básicas. Apresentaremos a você os
periféricos e os hardwares de armazenamento.
Principais periféricos de entrada
Os periféricos de entrada são utilizados para que os usuários possam enviar dados ao
computador. É a forma que o ser humano e o computador têm para se comunicar. Se
considerarmos os diversos usos em nosso dia-a-dia, na automação industrial e em muitos
outros setores, a lista de dispositivos de entrada é incalculável.
Em muitas casas nos EUA há um detector de fumaça para prevenir incêndios. Lá
também são comuns os carros que possuem dispositivos que detectam a distância entre o
pára-choque e a parede ou o carro mais próximo, o que ajuda na hora de estacionar. As portas
de alguns estabelecimentos comerciais de maior porte como shopping centers, hospitais,
aeroportos etc. se abrem quando alguém se aproxima. Todos esses dispositivos estão ligados a
um computador, e são responsáveis pela entrada de dados. Você é capaz de identificar quais
dados são adquiridos por tais dispositivos? A presença de fumaça, a distância de objetos ou
pessoas próximas, todos são dados que serão interpretados por computadores específicos. Mas
como acontece em um computador pessoal de uso geral? Quais partes são vitais para seu
funcionamento mínimo, e quais são relativamente "dispensáveis" ou opcionais?
Nas seções a seguir você conhecerá os periféricos de entrada mais comuns em
computadores.
Teclado (keyboard)
O teclado é o principal dispositivo para entrada de dados em um microcomputador. Sua
finalidade básica é permitir a digitação de letras, números e símbolos especiais. Por meio de
teclas especiais de movimentação, o teclado permite ao usuário se movimentar por
documentos, programas e janelas do sistema operacional. A quantidade de teclas de um
teclado pode variar de 80 a 120.
Mouse
Um dos inventos mais importantes para ser utilizado em ambientes gráficos foi o
mouse. Sua finalidade é permitir a movimentação mais rápida pelos programas e janelas,
servindo como atalho para os comandos normalmente executados por meio do teclado. O
Macintosh, lançando em 1984, foi o primeiro micro a usar mouse, devido à interface gráfica.
Existem três tipos de mouse:
Página 18 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
• Mecânico - Possui uma esfera na sua parte inferior. Ao ser movimentado sobre
uma superfície lisa, essa esfera aciona sensores mecânicos que enviam um impulso
elétrico para a CPU, que, por sua vez, por meio do sistema operacional,
movimenta o ponteiro do mouse na tela.
• Optomecânico - Similar ao mecânico, mas que usa sensores ópticos para detectar
o movimento.
• Óptico - Utiliza um laser para detectar o movimento do mouse.
Dispositivos semelhantes ao mouse:
• Trackball: O trackball funciona como um mouse invertido, já que a esfera fica na
parte superior. Você não precisa movimentar o trackball, bastar apoiar a mão ou os
dedos sobre a esfera e movimentá-la. Esse tipo de mouse é preferido por ser mais
ergonômico, ou seja, ele não força a musculatura do braço e evita lesões.
• Touchpad - Muito popular em notebooks. Para movimentar o cursor, o usuário
desliza o dedo sobre a superfície do dispositivo. O cursor acompanha o
movimento, e pode-se até clicar na própria superfície, como se ela fosse o botão do
mouse convencional.
• Gamepad - Esse tipo de periférico envia dados de posicionamento para o
computador. É muito similar aos joysticks controladores de jogos. Embora seja
mais utilizado em jogos, pode substituir o mouse.
Scanner
O scanner é um tipo de dispositivo que converte imagens em arquivos digitais. O
scanner de imagem usa luzes e sensores para varrer a imagem que se quer copiar e detectar
padrões de reflexo de luz. As imagens são convertidas para um mapa de bits (bitmap) que
consiste numa malha de pontos. Existem scanners OCR (Optical Character Recognition -
Reconhecimento Óptico de Caracteres) que conseguem digitalizar documentos de textos, ou
seja, ler o texto de um documento impresso e convertê-lo em um arquivo texto.
Leitora óptica e leitora magnética
A leitora óptica converte uma informação impressa de forma manual ou mecânica em
dados para o computador.
Existem três métodos de reconhecimento óptico. São eles:
• OMR (Optical Mark Reader - Reconhecimento Óptico de Marcas): as
marcas são colocadas em áreas específicas de um documento. Exemplo: cartões de
loteria, cartões de respostas de concursos públicos e vestibulares.
• OCR (Optical Character Recognition): são lidos caracteres datilografados ou
impressos.
• Leitor de código de barra: por um feixe de luz, fazem a leitura de números
codificados na forma de barras. Exemplo: controle de estoque e vendas de
Página 19 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
mercadorias em supermercados.
Sistemas de respostas por voz
É um dos principais sistemas utilizados por operadoras de telefonia, televisão a cabo,
cartão de crédito, entre outras empresas que oferecem serviços de atendimento ao cliente via
telefone. Esse tipo de sistema consiste em adquirir, por meio da fala do cliente, os dados de
entrada necessários ao computador.
Veja se a situação a seguir não é familiar:
Figura 16: Sistema de respostas por voz
Quando você responde, sua voz é captada pelo sistema e o número falado é identificado.
Existem outros sistemas de reconhecimento de voz, como o reconhecimento de
movimentação do cursor na tela: você fala para onde o cursor deve se mover e ele obedece; ou
até mesmo reconhecimento de texto! Você fala e o computador escreve.
Câmera de vídeo (webcam)
Utilizando-se de uma câmera de vídeo, o usuário pode fornecer um vídeo como dado de
entrada para um computador. A imagem captada pela câmera pode ser armazenada ou enviada
em tempo real a outro usuário, em uma videoconferência. SAIBA MAIS...
Videoconferência: Uma ferramenta da informática que permite a discussão com contato
visual e sonoro entre pessoas que estão em lugares geograficamente diferentes. Como a
imagem e o som são transmitidos praticamente em tempo real, a videoconferência fornece a
sensação de que os interlocutores encontram-se no mesmo local. Além da comunicação
visual e auditiva, muitos programas de videoconferência permitem também a troca de
arquivos, tornando-a uma ótima ferramenta de trabalho. Assista ao vídeo no endereço
eletrônico http://br.youtube.com/watch?v=xnMNtPEOszg, que exemplifica o uso da
videoconferência.
Página 20 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Principais periféricos de saída
A CPU tem o trabalho de processar os dados recebidos para poder apresentá-los ao
usuário. A visualização das informações é feita por dispositivos de saída de dados. Vamos ver
alguns exemplos?
Monitor CRT (Cathodic Ray Tube - Tubo de raios catódicos)
Um monitor de vídeo, ou simplesmente monitor, é o dispositivo de saída do computador
que serve de interface visual para o usuário. Ele permite a visualização dos dados e da sua
interação com eles. Os monitores são classificados de acordo com a tecnologia de
amostragem de vídeo utilizada na formação da imagem. Atualmente há duas tecnologias:
• CRT: é o monitor convencional. Seu funcionamento é baseado em repetidos
disparos de elétrons feitos por um canhão, o qual fica localizado no tubo de raios
catódicos. Os elétrons disparados atingem a superfície da tela entrando em contato
com um material denominado fósforo. Com esse contato uma luz é gerada nesse
ponto. Com isso, as imagens são geradas na tela.
• LCD: é um tipo mais moderno de tecnologia para construção de monitor. Ele não é
de uso específico em computadores. Você encontra esse tipo de tecnologia em
notebooks, celulares, câmeras digitais, entre outros dispositivos.
Impressoras
A impressora é um meio fundamental de exibir seus dados, relatórios, documentos.
Existem, basicamente, três tipos de impressoras comerciais hoje em dia:
Matricial - É uma impressora de impacto, ou seja, há o contato entre a cabeça de
impressão e a folha. Um cabeçote de impressão se move pressionando uma fita com tinta,
que, ao encostar no papel, o marca.
• Principais vantagens: fita de impressão barata; pode imprimir várias vias de uma
só vez.
• Principais desvantagens: impressão de baixa qualidade, muito barulhenta, bastante
lenta e não imprime em cor.
Jato de tinta - Realiza uma impressão que não usa o impacto, ou seja, não há o contato
entre uma cabeça de impressão e a folha. O cabeçote de impressão (o qual contém a tinta)
se move pela página e em cada pequeno ponto de impressão a tinta é borrifada no papel.
• Principais vantagens: impressão colorida e baixo preço da impressora.
• Principais desvantagens: a impressão demora a secar, podendo borrar; impressão
lenta em relação à impressora a laser; manutenção constante em função da tinta
líquida sujando a impressora etc.
Laser - Realiza impressão que não usa o impacto. É um tipo de impressora que produz
resultados de grande qualidade para quem quer desenho gráfico ou texto, utilizando a
tecnologia do laser. Esta impressora utiliza o raio laser modulado para a impressão e envia a
informação para um tambor, através de raios laser. O modo de funcionamento é muito
Página 21 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
semelhante ao das fotocopiadoras.
• Principais vantagens: impressão de alta qualidade e rápida.
• Principais desvantagens: preço da impressora bem maior do que o das outras,
principalmente se for impressora a laser colorida.
Datashow
O projetor de imagens é um dispositivo usado para projetar dados em forma de imagens
transmitidas pela saída de vídeo do computador. Permite a projeção de slides ou vídeos,
tornando-se, assim, excelente ferramenta para fazer apresentações de aulas e palestras.
Principais periféricos de entrada e saída
Existem alguns periféricos que podem realizar tanto a função de entrada quanto a de
saída de dados. Vamos citar dois que são os mais utilizados.
Monitor touchscreen
É o monitor cuja tela é sensível ao toque seja pelo dedo do usuário seja por uma caneta
especial. Dessa forma, o usuário consegue enviar um comando ao computador via monitor.
Esse tipo de monitor é encontrado principalmente em alguns caixas eletrônicos de bancos, em
computadores portáteis, computadores de mão (palmtops), celulares e muitos outros.
Modem
Seu nome vem da abreviatura de MOdulador/DEModulador. Tem como finalidade
converter sinais digitais do micro em sinais analógicos e vice-versa. O modem é utilizado para
que o computador possa se conectar à internet. O tipo mais tradicional de modem é o que
converte os 0s e 1s dos computadores para sons que podem ser transmitidos via rede
telefônica.
Existem outros tipos de modem, mais modernos e, conseqüentemente, mais rápidos; são
esses o ADSL modem (ou DSL modem) e o Cable modem conhecidos como modem de banda
larga. O ADSL modem também utiliza a rede telefônica para transmissão dos dados, porém
usa um tipo de tecnologia que permite que o telefone possa ser usado ao mesmo tempo em
que a internet, ou seja, não ocupa a linha telefônica. Já o Cable modem utiliza a infra-estrutura
da rede de televisão a cabo para realizar as transmissões de dados.
Outro tipo de modem que vem sendo utilizado recentemente é o modem Wireless, que
no mercado costuma ser chamado de minimodem. É oferecido pelas empresas de telefonia.
Esse modem utiliza a tecnologia de rede sem fio para conectar o computador diretamente ao
provedor de acesso à internet. Tem a vantagem de permitir a mobilidade do computador; no
entanto, no que se refere à velocidade, é comparável ao modem tradicional.
Principais hardwares de armazenamento
Os dispositivos de armazenamento são utilizados para que o computador possa guardar
Página 22 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
os dados enviados pelo usuário e processados pela CPU. Veremos que o armazenamento pode
ser permanente ou temporário, dependendo do dispositivo usado.
Disco rígido ou HD (Hard Disk) (ou memória secundária)
Como vimos, o processador é o hardware que executa, de fato, nossas ordens. Essas
ordens são trabalhadas na memória principal. O disco rígido, por fim, é o local onde essas
informações são armazenadas no final do processo, de modo permanente. E se o disco rígido é o
local onde as informações ficam guardadas, também é no disco rígido que o computador
encontra e lê as informações que serão processadas.
Essas informações são guardadas sob a forma de arquivos, que são a unidade de
armazenamento de informação em disco. Os arquivos podem ser de programas, textos, bancos
de dados, documentos, músicas, vídeos, imagens, entre outros. Seus tamanhos também
variam.
Quando o processador lê um arquivo do disco rígido, este é armazenado
temporariamente na memória principal. O arquivo não é movido para lá: ele apenas é
carregado para que possa ser executado pelo processador. Uma vez carregado você pode
imprimi-lo, alterá-lo ou simplesmente fechá-lo sem realizar nenhuma modificação.
O termo "memória secundária" não é sinônimo exclusivo de HD. Na verdade, qualquer
outra memória sem ser a memória principal do computador pode ser chamada de memória
secundária. A característica principal da memória secundária é o armazenamento permanente
dos dados.
A operação de inserir um arquivo no HD chama-se "gravar", e a de retirar um arquivo
chama-se "excluir" ou "deletar".
A evolução dos discos rígidos faz com que sua capacidade aumente a cada ano. Existem
winchesters (sinônimo de disco rígido) antigos da ordem de megabytes, os do início do século
XXI, na ordem de gigabytes, e os do fim da primeira década do século XXI, que suportam
terabytes.
ATENÇÃO!
1 terabyte = 1024 gigabytes = 1048576 megabytes, ou seja, a capacidade de armazenamento
de um disco rígido atual é, aproximadamente, de um milhão de vezes a de um winchester da
década de 1950. Incrível a tecnologia, não é mesmo?
Memória RAM
Memória RAM é um componente fundamental do computador (do inglês Random
Access Memory, ou Memória de Acesso Aleatório). O termo aleatório significa que essa
memória pode ser acessada em qualquer ordem, não necessitando de acesso puramente
seqüencial.
A memória RAM (também conhecida como Memória Principal ou MP) é como o "local de
trabalho" do processador. É na RAM que o processador realiza seus trabalhos, definidos nos
programas, por exemplo. Quando ligamos nosso computador e executamos um programa,
o processador armazena-o temporariamente na MP, para melhor lidar com suas instruções.
Página 23 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
A RAM é também chamada de memória volátil, porque os dados que são armazenados
nela não permanecem gravados quando desligamos o computador. Se quisermos gravar esses
dados, temos que salvá-los em uma memória secundária. A RAM serve, portanto, para
trabalho imediato.
Como a memória RAM é o local de trabalho da CPU, para se ter um bom computador é
necessário que se tenha uma boa quantidade de memória RAM.
A memória RAM é vendida em pentes de memória. É importante lembrar que a
quantidade de memória RAM máxima que um computador pode possuir depende da
capacidade da placa-mãe em suportar memória RAM.
Memória flash
A memória flash é um chip regravável que preserva o seu conteúdo sem a necessidade
de fonte de alimentação. Portanto, não é volátil. O exemplo mais comum é o Pen Drive, que é
um dispositivo de armazenamento com uma ligação USB (Universal Serial Bus - Barramento
Serial Universal) tipo A, com a aparência semelhante a um isqueiro ou chaveiro. É plugado na
entrada USB do computador e reconhecido automaticamente pelo Windows XP.
Outros dispositivos que usam memória flash são: mp3 player, Ipod e cartões de
memória usados em máquinas fotográficas digitais.
Compact disc
Consiste em um disco compacto (CD - Compact Disc - Disco Compacto) que pode
conter até 700 MB de dados. Existem alguns tipos distintos de CD. Os mais comuns são:
• CD-ROM (Compact Disc Read Only Memory: Disco Compacto Memória
Somente de Leitura): é um CD que o usuário somente pode executar, ou seja, ler o
seu conteúdo. Não pode ser gravado. Esse tipo de CD vem gravado de fábrica, em
geral, com softwares e músicas.
• CD-R (Compact Disc Recordable - Disco Compacto Gravável): é um CD que
permite que o usuário grave dados, mas uma vez que esse dado foi gravado ele não
pode ser mais apagado.
• CD-RW (Compact Disc ReWritable - Disco Compacto Regravável): é o CD
regravável. Consegue-se gravar, apagar e regravar no mesmo CD.
DVD
Consiste em disco com formato idêntico ao do CD. No entanto, o DVD (Digital
Versatile Disc ou Digital Video Disc - Disco de Vídeo Digital) trata-se de uma mídia de
armazenamento com capacidade muito maior que o CD. É uma mídia de ótima qualidade para
vídeos e recursos multimídia em geral. Esse é seu uso principal hoje em dia, sobretudo pela
indústria cinematográfica.
A capacidade de armazenamento dos DVDs pode variar de acordo com os tipos: DVD-5
(4,7 GB), o DVD-9 (8,5 GB), DVD-10 (9,4 GB), o DVD-14 (13,2 GB) e o DVD-18 (17 GB).
Página 24 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Blu Ray
Também conhecido como BD (de Blu-ray Disc) é um formato de disco óptico da nova
geração de 12 cm de diâmetro (igual ao CD e ao DVD) para vídeo de alta definição e
armazenamento de dados de alta densidade. É um sucessor do DVD e capaz de armazenar
filmes até 1080p Full HD de até 4 horas sem perdas. Requer uma TV full HD de LCD, plasma
ou LED para explorar todo seu potencial.
Sua capacidade varia de 25 (camada simples) a 50 (camada dupla) Gigabytes. O disco
Blu-Ray faz uso de um laser de cor azul-violeta, cujocomprimento de onda é 405 nanometros,
permitindo gravar mais informação num disco do mesmo tamanho usado por tecnologias
anteriores (o DVD usa um laser de cor vermelha de 650 nanometros).
Os discos BD vem em diferentes formatos:
• BD-ROM: Um disco que é só de leitura;
• BD-R: Disco gravável;
• BD-RE: Disco regravável.
Figura 17: Blu Ray
Diferenças entre o Blu-ray e o DVD
Blu-ray DVD
Capacidade 23.3 / 25 / 27 GB (Camada Única) 4.7 GB (Camada Única)
(armazenamento) 46.6 / 50 / 54 GB (Camada Dupla) 8,5GB (Camada Dupla)
Comprimento de Onda do 405 nm 650 nm
Raio Laser
Taxa de Transferência 54,0 MB/s bits? 11,1 MB/s
Formatos Suportados MPEG-2, MPEG-4 AVC, VC-1 MPEG-2
Tabela 2: Diferençãs entre o Blu-ray e o DVD
Página 25 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Disquete
É um disco magnético removível. Um disquete de 3 1⁄2 comporta até 1,44 MB.
Atualmente, o disquete está em desuso devido à baixa capacidade de armazenamento de
dados e também à facilidade de danificado ou perdido.
RESUMINDO...
• Periféricos são hardwares que propiciam a interação do usuário com o computador.
• O principal objetivo de um periférico é aumentar as capacidades de interação do
computador com o usuário.
• Os periféricos de entrada são utilizados pelos usuários para que eles possam enviar
dados ao computador.
• O teclado é o principal dispositivo para entrada de dados em um microcomputador.
• A "visualização" das informações é feita via periféricos de saída de dados.
• Existem alguns periféricos que podem realizar tanto a função de entrada quanto a de
saída de dados.
• Existem alguns periféricos que podem realizar tanto a função de entrada quanto a de
saída de dados.
• Os dispositivos de armazenamento são utilizados para que o computador possa
guardar os dados enviados pelo usuário e processados pela CPU.
• A memória principal oferece armazenamento temporário dos dados, enquanto a
memória secundária oferece o armazenamento permanente.
Página 26 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
4. SISTEMAS OPERACIONAIS
Como você viu no Capítulo 3, para que o hardware (parte física de um computador)
possa funcionar, é necessário um número de regras e ordens que coordenem todos os
processos realizados. Chamamos de software esse conjunto de regras e ordens.
Em um computador existem diversos softwares, todos prontos para atender às
necessidades dos usuários do computador. Por exemplo, um usuário pode precisar visualizar
uma imagem, editar um texto etc. Cada necessidade do usuário é atendida por um software
específico. Porém, os softwares utilizam os mesmos dispositivos físicos, ou seja, os hardwares
do computador.
Um software visualizador de imagens precisa utilizar a memória RAM e acessar o disco
rígido. Um software editor de textos também! Ele também necessita utilizar os periféricos de
entrada e saída. Isso pode levar os softwares a uma disputa pelo direito de usar o hardware.
Por exemplo, dois softwares podem querer enviar dados para a impressora ao mesmo tempo.
E aí, como é que fica?
É nesse ponto que vem o Sistema Operacional (SO). O SO é uma camada de software
existente entre o hardware e os APLICATIVOS. Assim, o SO controla o que cada programa
está acessando, sendo responsável por uma distribuição justa e eficiente dos recursos de
hardware para os softwares.
APLICATIVOS
Programas que executam tarefas para os usuários.
Dessa forma, dizemos que o SO consiste em uma camada de software que objetiva
tornar o uso do computador mais eficiente e conveniente. Para atender ao seu objetivo, o SO
estabelece um esquema de alocação de processador, memória e periféricos de entrada e saída
entre os programas que necessitam utilizar esses recursos.
Todo programa necessita, para ser executado:
• usar determinada quantidade de memória;
• usar a CPU;
• ter acesso aos periféricos;
• acessar os arquivos necessários.
ATENÇÃO
É o sistema operacional que gerencia todo o acesso aos recursos do computador para cada
um dos programas em execução.
Os programas que podem ser usados pelos usuários são chamados de aplicativos. Por
exemplo: processadores de texto, planilhas eletrônicas, jogos, entre outros. Já o conjunto de
programas imprescindíveis para o funcionamento do sistema é conhecido como software
básico. O sistema operacional é o principal programa desse conjunto. Exemplos de sistemas
operacionais são: Windows, Linux, Mac-OS, Unix, MS-DOS etc.
Nesta seção você irá aprender o básico sobre os principais sistemas operacionais
Página 27 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
existentes no mercado.
Windows
É o sistema operacional mais utilizado no mundo atualmente, desenvolvido pela
empresa Microsoft. Teve sua origem ligada ao sistema operacional MS-DOS (a sigla significa
MicroSoft - Disk Operation System, do inglês, que significa sistema operacional de disco). Se
você assistiu ao filme "Piratas do Vale do Silício", que foi recomendado em uma das aulas
anteriores, com certeza se lembra desse fato.
Quando o Windows surgiu não era considerado um sistema operacional. Era o que
chamamos de shell (do inglês, concha) para o MS-DOS, ou seja, uma camada de software
adicionada para deixar o sistema operacional mais fácil de ser usado pelo usuário. No MS-
DOS, o usuário tinha que dar instruções em uma linha de comando.
Figura 18: O bom e velho MS-DOS. Nele, o usuário tinha que
inserir linhas de comando textuais para executar as funções. Veja
como isso mudou quando passamos para as interfaces gráficas!
O principal diferencial do Windows que o deixava simples de ser utilizado era a
interface gráfica (GUI - Graphics User Interface, do inglês, que significa interface gráfica
para usuário) que substituía a linha de comando. A GUI composta por janelas, ícones e menus
tornavam o uso do computador muito mais fácil e intuitivo. SAIBA MAIS...
A substituição da linha de comando do MS-DOS pela interface com janelas é a principal
característica do SO Windows. Daí o nome: Windows, que, em inglês, significa "janelas".
A área de trabalho (em inglês, desktop) é a tela inicial na qual são exibidos janelas,
ícones, menus e caixas de diálogo. Veja a área de trabalho do Windows na figura 4.2.
Página 28 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Os ícones da área de trabalho representam programas que podem ser executados dando-
se um duplo clique no respectivo ícone. Na parte inferior do desktop tem-se o menu Iniciar na
barra de tarefas. Quando você clica no menu Iniciar, é aberto um MENU POP-UP com
diversas opções. Veja na figura 4.2. SAIBA MAIS...
O termo pop-up vem do inglês e significa "surgir". No contexto de informática, o termo
MENU POP-UP refere-se a um menu que contém opções e comandos que dizem respeito a
determinado objeto. Com exceção do menu Iniciar, você acessa o menu pop-up dos objetos
por meio de um o botão direito do mouse.
Figura 19: Área de trabalho do Windows, após o usuário clicar no
menu Iniciar.
O menu exibido oferece acesso rápido à maioria dos itens mais úteis do computador.
Você pode clicar em Ajuda e Suporte para aprender a usar o Windows, obter informações
sobre a solução de problemas, receber suporte, e muito mais. Quando você clica em Todos os
Programas, é aberta uma lista dos programas instalados no computador. Dentre as demais
opções possíveis do menu Iniciar, destacamos o Meu Computador, que é o local que permite
acesso aos dispositivos de armazenamento: disco rígido, disquete, CD, entre outros. Veja a
figura 4.3.
Outra opção que é indispensável que você conheça é a de Desligar o Computador, que
permite que o Windows seja desligado corretamente. Veja a figura 4.4:
Página 29 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Figura 20: Tela do recurso Meu Computador.
Figura 21: Desligando o Windows.
Página 30 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Linux
O sistema operacional Linux foi desenvolvido inicialmente por um estudante chamado
Linus Torvalds, que, a partir do zero, resolveu construir um sistema operacional. Assim que
concluiu uma versão inicial, Linus divulgou o Linux em uma lista de discussão on-line. Com
isso, vários outros estudantes se interessaram pelo projeto e começaram a desenvolver novas
funcionalidades para o Linux. Atualmente, milhares de programadores contribuem com o
avanço do Linux, e hoje em dia ele é um dos principais concorrentes do Windows.
Um sistema operacional possui uma parte muito importante, que é o kernel (o núcleo do
sistema), o qual é responsável pelas principais funções. O sistema operacional Linux é
caracterizado por possuir diversas distribuições. Cada distribuição oferece uma versão
diferente do kernel, acrescida de um conjunto de softwares e uma interface de instalação.
Exemplos de distribuições são: Ubuntu, Redhat, Debian, Slackware, Conectiva, Kurumin,
entre outras. As duas últimas são distribuições brasileiras. A escolha de qual distribuição
utilizar é feita de acordo com a preferência do usuário e com a finalidade de uso do
computador.
Na figura 4.5 temos uma foto da área de trabalho da distribuição Kurumin do Linux.
Perceba que a mesma possui ícones e barra de tarefas bem semelhantes ao Windows. Além
disso, se o usuário clicar no botão que possui a letra K na parte inferior esquerda da área de
trabalho, um menu pop-up será aberto e disponibilizará diversos aplicativos para que ele
utilize.
Figura 22: Área de trabalho da distribuição Kurumin.
Na figura 4.6, temos o gerenciador de arquivos do Kurumin (konqueror). Ele pode ser
Página 31 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
acessado quando o usuário clica no ícone de uma casa que fica na parte inferior esquerda da
área de trabalho. Nesse gerenciador, o usuário pode acessar os hardwares de armazenamento
conectados ao microcomputador para gerenciar seus arquivos.
Figura 23: Tela do recurso Meu Computador.
Mac OS
É o sistema operacional desenvolvido pela Apple Computer. Foi introduzido em 1984
juntamente com o computador macintosh. Foi o sistema operacional que introduziu a interface
gráfica (GUI), tornando a interação do usuário com o computador muito mais agradável.
Muitos usuários consideram que nos dias atuais o Mac OS é mais fácil de usar do que seus
concorrentes.
A figura 4.7 ilustra o desktop do Mac OS. Assim como no Windows, podemos ver os
ícones e arquivos presentes na área de trabalho. Na parte superior tem-se a barra de menu, na
qual, do lado direito, são vistas informações relativas à data e hora do sistema. No lado
esquerdo, temos informações a respeito do software que está ativo naquele momento. Na parte
inferior aparecem diversos softwares aplicativos que o usuário pode executar.
Um aplicativo essencial que você deve conhecer do Mac OS é o Finder, pois é o
primeiro aplicativo com o qual o usuário tem que interagir assim que efetua o login (tem
acesso) no Mac OS. O Finder pode ser considerado a interface gráfica do sistema de arquivos
do Mac OS. Dessa forma, os usuários podem utilizá-lo para acessar os dispositivos de
Página 32 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
armazenamento conectados ao computador.
Figura 24: Desktop (área de trabalho) do Mac OS.
A figura 4.8 exibe a janela referente ao Finder. Observe que, no lado esquerdo da janela
do Finder, o usuário tem acesso aos dispositivos existentes no computador.
F
igura 25: Imagem do software Finder.
Página 33 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
5. INTERNET
Aposto que você já ouviu falar da internet! É possível afirmar isso com alguma certeza,
dado o crescimento significativo da utilização da internet no Brasil nos últimos anos. Segundo
o site internet World Stats (Estatísticas Mundiais sobre internet -
http://www.internetworldstats.com/sa/br.htm), em 2000 apenas 2,9% da população brasileira
possuíam acesso à internet. Em 2008, o valor passou para 34,4%! Posso afirmar, ainda, que
você já deve ter ouvido falar que a internet é ótima para bater papos, paquerar, fazer pesquisas
para a escola, trocar correspondência, dentre muitas outras funções. Mas como será que isso
funciona? Como essa tal "rede de alcance mundial" pode realizar, ou permitir que se façam
todas essas coisas? Afinal, o que é a internet?
Figura 26: Pessoas conectadas
A internet é a maior rede de computadores do mundo. O nome internet tem sua origem
no termo INTERconnection NETwork, ou seja, interconexão de redes. Portanto, a internet
consiste em milhares de redes conectadas em todo o planeta. Essas redes interconectadas
estão configuradas de tal forma que os usuários podem enxergar esse conjunto de redes como se
fosse somente uma única grande rede.
A internet não tem um dono. Cada governo, empresa ou organização é responsável
pela manutenção de sua própria rede. O Network Information Center (InterNIC) é o órgão
mundial responsável pelo registro de computadores e redes conectados à internet. Cada país
possui uma entidade local responsável pelos dados daquela região. No Brasil, essa entidade é o
Comitê Gestor da internet no Brasil (CGI), por meio do Núcleo de Informação e
Coordenação do Ponto br (NIC-BR) e do registro.br.
MULTIMÍDIA
Página 34 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Para mais informações, acesse os sites:
Como se conectar à internet?
Um computador pode ser conectado à internet por diversos meios. Você já ouviu falar
ou suspeita de quais são os modos através dos quais a internet pode chegar a sua casa ou ao
seu trabalho? Considerando os principais meios de conexão residenciais, podemos pensar em:
linha telefônica, cabo, ADSL e sem fio.
Conexão via linha telefônica (acesso discado)
É a forma de conexão mais comum no Brasil. Foi a principal forma de acesso usada
enquanto a internet se popularizava. Fisicamente, basta que o usuário conecte uma placa de
modem no seu computador e a placa de modem, por sua vez, à linha telefônica.
Fig
ura 27: Usuário utilizando acesso
Nesse tipo de conexão, é necessário queco usuário contrate o serviço de um provedor de
dis ado
acesso, pois é através desse provedor que o computador do usuário irá se ligar à internet.
Existem milhares de provedores de acesso, inclusive muitos deles gratuitos. É recomendado
que o usuário utilize um provedor de acesso de sua região, pois dessa forma utilizará ligação
local. No acesso discado, a linha telefônica fica ocupada durante a conexão; sendo assim, o
usuário tem que pagar à operadora telefônica todos os minutos em que ficou conectado. A
velocidade dessa conexão, em geral, pode chegar até 56 kb/s.
ATENÇÃO!
Dica: Das 14h de sábado até segunda às 6h, bem como todos os dias de 00h às 6h e durante
todos os feriados nacionais, as operadoras telefônicas, em geral, cobram somente o
equivalente a um pulso telefônico a cada conexão, independentemente do tempo utilizado.
Isso reduz muito o custo de quem utiliza a internet de acesso discado nesse horário!
Página 35 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
SAIBA MAIS...
Velocidades de conexão: Em informática, o termo "taxa de transmissão de dados" é
utilizado para indicar a velocidade com que os dados são transmitidos. A unidade de medida é
o número de bits por segundo (bps ou b/s); em geral, utilizamos antes do b algum prefixo,
conforme descrito na tabela a seguir:
Conexão ADSL (Linha assimétrica digital de assinante, do
inglês Asymmetric Digital Subscriber Line)
Também é considerada banda larga. Nessa conexão, utilizam-se as centrais telefônicas
digitais para tráfego de dados em alta velocidade. Os equipamentos necessários são uma placa
de rede e um modem ADSL. A linha telefônica é utilizada para o tráfego dos dados, mas não
permanece ocupada.
Figura 28: Usuário utilizando conexão
ADSL
Não é necessário pagar pelo tempo em que se esteve conectado. No entanto, é
necessário possuir um provedor de acesso discado, além do provedor do serviço de ADSL (em
alguns casos uma mesma empresa fornece esses dois serviços). Nessa conexão, o usuário paga
uma mensalidade de acordo com a velocidade do serviço que contratar. Existem diversas
velocidades possíveis: 256kb/s, 400kb/s, 1Mb/s, 2Mb/s, 4Mb/s, 8Mb/s, entre outras.
Página 36 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Conexão via ondas eletromagnéticas
Figura 29: Usuário utilizando conexão sem fio
É um tipo de conexão wireless (sem fio). É muito utilizada em lugares onde montar uma
estrutura com cabos é difícil ou financeiramente inviável: construções antigas ou históricas,
propriedades distantes de grandes centros urbanos, propriedades rurais, entre outras. Nesse
caso, usam-se ondas eletromagnéticas como meio de transmissão dos dados. Portanto, os
equipamentos básicos desse tipo de conexão são antenas e/ou satélites. Não se faz uso da
linha telefônica. No computador, é necessário o uso de uma placa de rede sem fio compatível
com a tecnologia utilizada. Nessa conexão, a velocidade varia de acordo com a tecnologia
usada e de quanta velocidade o usuário contrata da operadora de acesso sem fio. Na
tecnologia mais comum, que é a 802.11b/g, a velocidade pode chegar a 54Mb/s.
O custo do serviço é o valor pago à operadora de acesso sem fio. É importante salientar
que existem outros tipos de meios de transmissão de dados sem fio que não sejam as ondas
eletromagnéticas, como, por exemplo, o infravermelho, muito utilizado em controles remotos.
Conexão via cabo
É um tipo de conexão considerada de banda larga (conexão de alta velocidade),
estrutura da TV a cabo para a conexão à internet, portanto não é necessário possuir uma linha
telefônica. Nesse caso, o equipamento usado é uma placa de rede (para que um computador
possa ser interligado a outros computadores) e um dispositivo chamado cable modem (modem
via cabo), que é um aparelho para prover acesso à banda larga realizando o tráfego de dados
pelo sistema de TV a cabo). Em teoria, pode-se atingir a velocidade de até 38 Mb/s no padrão
docsis 2.0 nessa conexão. Acontece que, na prática, todos os usuários em um mesmo
segmento do cabo compartilham a mesma conexão. Com isso, à medida que mais usuários
fiquem online (ativos na rede), a velocidade de cada um diminui.
Dependendo do tipo de assinatura escolhida pelo usuário, a internet via cabo pode ser
tão veloz que permite a utilização de jogos, com grande desempenho!
Página 37 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
Os serviços da internet (world wide web e correio
eletrônico)
Os dois serviços mais populares oferecidos pela internet aos usuários são conhecidos
como www e e-mail. Mas, neste momento, você teria toda a razão de perguntar:
- Espera aí, professor! Pára tudo! Quer dizer que www e internet não são a mesma coisa?
Não, não são! Vamos ver que a www (do inglês world wide web, teia de alcance mundial)
é um dos vários serviços que a internet oferece, assim como o envio de mensagens eletrônicas
(eletronic mail, e-mail), também chamado de correio eletrônico. Outros serviços também
existem, como: transferência de arquivos, bate-papo online (chat), mensagens instantâneas
(msn, icq, skype), entre outros.
Www (do inglês world wide web, teia de alcance mundial)
É o serviço responsável pela popularidade que a internet ganhou nos últimos anos,
devido à interface gráfica usada e à grande quantidade de informações disponíveis. A www
consiste em um enorme conjunto de documentos armazenado em computadores de todo o
planeta. Esses documentos são chamados de páginas web e são compostos de sons, imagens,
animações, vídeos, HIPERTEXTO etc.
HIPERTEXTO: Em informática, é um texto destacado que, ao ser clicado, leva o usuário
para uma outra página web na internet ou a uma parte diferente da mesma página web. Em
geral, quando se passa o ponteiro do mouse sobre um hipertexto, surge uma mãozinha
indicando que o usuário pode clicar naquele item.
O que é necessário para navegar na www?
Os termos "navegar" e "surfar" são muito utilizados pelos usuários da internet para
indicar a ação de usar o serviço www. Para navegar na web é necessário que o usuário possua
um computador conectado à internet e que possua um software que faça a função de
navegador web ou do browser. Existem diversos softwares que desempenham essa função,
como, por exemplo, internet Explorer, Firefox e Opera.
Como navegar na web utilizando um browser?
Uma vez que o computador está conectado à internet , basta abrir o navegador web e,
na barra de endereços, digitar, no local em que está escrito endereço ou url (Uniform
Resource Locator - Localizador uniforme de recursos), o nome completo da página web que se
desejar acessar e depois apertar a tecla Enter no teclado. O nome ou endereço da página
web, em geral, já é de conhecimento do usuário ou é fornecido para o mesmo por alguma
mídia: um panfleto, uma propaganda no rádio ou TV, entre outras. Caso o usuário não saiba
qual o endereço do site (sinônimo para página da web) que deseja acessar, ele pode ir a sites
especiais chamados de "buscadores", os quais indicam endereços de sites de acordo com
alguma palavra ou frase digitada. Exemplos de sites buscadores são www.google.com,
www.cade.com.br.
Página 38 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
ATENÇÃO!
Mas e o tal do e-mail? O correio eletrônico é um modo particular da internet de trocar
mensagens. Mas nem tudo é só alegria. Nós vamos ver as diversas vantagens e praticidades
do e-mail, como utilizá-lo e também os males que ele pode trazer ao seu computador, na
próxima aula.
Segurança na internet
Devido a programas maliciosos que são disseminados pela internet, é necessário que os
usuários protejam seu computador de possíveis invasores. Os crackers (termo em inglês para
os tais invasores, ou "vândalos" da internet) podem tentar capturar senhas, número de cartão
de crédito, dados confidenciais, apagar arquivos, desconfigurar um computador ou um site.
Figura 30: Vírus sendo propagados
através do correio eletrônico
Não existe uma forma de se prevenir totalmente dos programas maliciosos. No entanto,
existe um conjunto de boas práticas, ou seja, regras a serem seguidas para evitar problemas na
internet. Vamos conferir as principais boas práticas de segurança que você deve seguir:
Senhas
• A senha deve ser fácil de ser memorizada por você. No entanto, é importante que o
usuário não utilize dados óbvios, como a data de seu nascimento ou de familiares, a
placa do seu veículo, o número do seu telefone, o número de seus documentos
pessoais e nomes em geral.
• É importante que você não utilize palavras existentes em dicionários, seja de qualquer
língua, pois existem programas de computador que usam dicionários para tentar
descobrir senhas.
• Você deve elaborar uma senha com pelo menos 8 caracteres, que misture letras
maiúsculas e minúsculas, números e símbolos.
• Você deve possuir várias senhas, de acordo com o número de contas que possui; dessa
forma, caso alguma delas seja descoberta, as outras contas estarão protegidas.
Página 39 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
• Você deve mudar sua senha periodicamente. Se você usa uma senha com uma
freqüência diária, é aconselhável que a cada dois meses ou menos você a altere. Já se o
uso não é tão frequente, pode-se alterar a cada três ou quatro meses. E se você
suspeitar de algum invasor, altere sua senha imediatamente!
Uso de programa antivírus
São usados softwares desenvolvidos para detectar, anular e eliminar de um computador
vírus e outros malwares. Para verificar a existência dos malwares, é necessário que o antivírus
faça uma varredura (escaneamento) nos arquivos existentes nos locais (hardwares de
armazenamento) definidos pelo usuário. Nessa varredura, o antivírus usa um banco de dados
chamado de "lista de definição". Essa lista contém informações para que o antivírus consiga
identificar quais arquivos são bons e quais estão infectados com códigos maliciosos. Por isso, é
necessário que você mantenha essa lista de definição sempre atualizada! Também existem
antivírus que são capazes de encontrar malwares pela identificação de padrões de
comportamento suspeito nos softwares. Quando um malware é encontrado, o antivírus tenta
recuperar o arquivo, ou seja, remover o vírus do arquivo. Caso isso não seja possível, as
opções são apagar o arquivo infectado ou então colocá-lo em quarentena, que é uma pasta
especial em que o antivírus guarda os arquivos maliciosos que não puderam ser desinfectados.
Os arquivos dessa pasta ficam inacessíveis para outros programas, evitando que o
malware se espalhe. Um antivírus não é capaz de detectar 100% das pragas existentes. Esse
problema, no entanto, não deve ser resolvido instalando-se outro antivírus, pois isso, em geral,
duplicará a quantidade de falsos positivos (um arquivo será dado como contaminado
erroneamente), erros, conflitos e causará queda no desempenho do computador.
Se o seu antivírus acusar que determinado arquivo é um vírus e você quiser uma segunda
opinião, acesse o site www.virustotal.com. Nele você poderá submeter seu arquivo para
análise em diversos programas antivírus simultaneamente, o que ajudará em sua decisão.
Uso de um firewall pessoal
Um antivírus é incapaz de impedir que um invasor tente explorar vulnerabilidades
existentes em um computador. Para isso, é necessário o uso de um firewall pessoal, que é um
software que controla o tráfego de dados que entram e saem do seu computador, permitindo
ou bloqueando determinados acessos de acordo com uma política de segurança. A política de
segurança define o que é seguro para aquele computador. Utilizando um firewall pessoal, um
usuário pode ser alertado sobre tentativas de conexão, definir quais programas instalados
podem acessar a rede local ou a internet , entre outras atividades.
Uso de anti-spyware
É um software específico para detecção de spywares. Trabalha da mesma forma que o
antivírus, no entanto faz a varredura nos dados de entrada provenientes da rede bloqueando os
softwares espiões. O anti-spyware também é capaz de detectar e deletar spywares já
Página 40 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
existentes no computador, assim como o antivírus faz com os outros malwares. Você deve
verificar a legitimidade do anti-spyware antes de instalá-lo em seu computador, pois existem
falsos anti-spywares, os quais acabam fazendo o contrário do prometido.
Enfim, ao usar um computador, estamos vulneráveis a todos os malwares, não há como
garantir que estaremos sempre seguros no uso da informática. Dessa forma, a melhor
precaução é usar o computador, principalmente a internet, de forma consciente, evitando
entrar em sites de conteúdo duvidoso e clicar em links suspeitos. O bom usuário da internet é
aquele que clica nos links somente com a segurança e a certeza de que aquele link é de uma
fonte confiável.
Para mais informações sobre boas regras de conduta na internet , acesse a cartilha de
segurança para internet http://cartilha.cert.br/, desenvolvida pelo CERT.br (Centro de
Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil), mantido pelo NIC.br
(Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br).
Atualmente, o uso dos serviços oferecidos pela internet já faz parte do cotidiano de todas
as médias e grandes empresas e da maioria das pequenas empresas, independentemente do seu
ramo de atuação. Dessa forma, para que você conquiste e mantenha uma boa colocação nas
empresas, é importante que esteja apto a utilizar as potencialidades oferecidas pela internet. E
que saiba fazer isso com muita segurança para não comprometer as informações, softwares e
hardwares com os quais estará lidando.
RESUMINDO...
• A internet consiste em milhares de redes conectadas em todo o planeta.
• O motivo de se criar uma rede é para que os computadores pertencentes a ela possam
trabalhar de forma colaborativa, isto é, para que possam usar a rede para compartilhar
seus recursos e trocar informações.
• Um computador pode ser conectado à internet por diversos meios. Os principais meios
de conexão residenciais são: linha telefônica, cabo, ADSL e via ondas
eletromagnéticas.
• Os dois serviços mais populares oferecidos pela internet aos usuários são conhecidos
como: www e e-mail.
• O www é o serviço responsável pela popularidade que a internet ganhou nos últimos
anos e consiste em um enorme conjunto de documentos armazenado em computadores
de todo o planeta. Esses documentos são chamados de páginas web e são compostos
de sons, imagens, animações, vídeos, hipertexto, entre outros.
• Para navegar na web, é necessário que o usuário possua um computador conectado à
internet e um software que faça a função de navegador web ou browser.
• As principais boas práticas de segurança que você deve seguir são: utilizar senhas
robustas e trocá-las periodicamente, programa antivírus, firewall pessoal e anti-
spyware. Principalmente, deve usar de forma consciente a internet , ou seja, pensar
bem antes de clicar em qualquer link.
Página 41 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
6. CORREIO ELETRÔNICO
Antes do surgimento da internet, a comunicação com pessoas distantes era um processo
mais demorado e oneroso. Afinal, para realizarmos uma comunicação simultânea, tínhamos
que usar o telefone, o qual tem um custo elevado, principalmente em longas distâncias. Para
gastarmos menos, tínhamos que usar uma comunicação não-simultânea na forma de carta
escrita postada via correios. No entanto, era um processo lento, que demorava dias ou até
semanas, dependendo da distância entre remetente e destinatário.
E quando tinha greve nos Correios? Não havia previsão de entrega das
correspondências. Que demora! Dessa forma, era necessário existir um serviço mais
dinâmico, rápido e acessível, e assim surgiu o correio eletrônico, graças à internet. A seguir,
você estudará esse popular serviço oferecido pela internet.
Correio eletrônico (do inglês Eletronic Mail ou E-mail)
O e-mail é um serviço muito comum oferecido pela internet. Este nome encurtado vem
do termo em inglês eletronic mail (correio eletrônico). Esse recurso permite que o usuário
troque mensagens em tempo ASSÍNCRONO com pessoas em qualquer lugar do mundo. Ou
seja, você envia uma mensagem para uma pessoa em qualquer lugar do mundo, e essa
mensagem ficará armazenada até que a pessoa verifique sua caixa de correio eletrônico. Não
há a necessidade de as pessoas estarem conectadas à internet ao mesmo tempo para receberem
mensagem.
COMUNICAÇÃO ASSÍNCRONA
Significa que os usuários que estão trocando mensagens não precisam estar conectados ao
mesmo tempo à internet. A comunicação não é simultânea, ou seja, não ocorre ao mesmo
tempo.
Criando o seu endereço eletrônico
A forma mais simples para se obter um endereço eletrônico é utilizando uma conta
gratuita de e-mail. Existem diversos portais que oferecem esse tipo de conta grátis, os
principais são: www.yahoo.com.br, www.google.com.br (serviço gmail),
www.hotmail.com.br.Basicamente, para registrar o seu e-mail será necessário apenasfornecer
alguns dados pessoais solicitados, aceitar os termos de uso do serviço e, obviamente, escolher
um e-mail válido e definir uma senha de acesso. A interface de uso de todos é bem intuitiva,
por isso, se você ainda não tem um e-mail, faça um agora mesmo! Em caso de
dificuldades, solicite auxílio do tutor presencial.
Webmails e clientes
Para utilizar o e-mail existem duas formas: o uso de um software conhecido como
cliente de e-mail ou o uso de um webmail (um site que contém o serviço de e-mail). Alguns
Página 42 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
dos clientes de e-mail mais conhecidos são: Outlook , Express, Eudora, entre outros. Já os
sites de webmail mais conhecidos são: Yahoo Mail, Gmail, entre outros.
Um cliente de e-mail é um software que precisa estar instalado no seu computador para
que você seja capaz de mandar e receber e-mails. Com isso, para utilizar um cliente de e-mail, é
necessário que você execute o programa cliente de e-mail no seu computador para poder
escrever e ler as mensagens.
Já no caso do webmail, você precisa ter no seu computador um software navegador web
pronto para uso. Basta abrir o navegador e digitar o endereço do webmail na barra de
endereços e fazer sua autenticação no site para, dessa forma, ter acesso às suas mensagens.
Como enviar um e-mail? E mais: como anexar um arquivo
ao e-mail?
Uma vez que você criou sua conta de e-mail, seja por meio de um cliente de e-mail ou
um webmail, o procedimento para envio de mensagem é o seguinte:
Passo 1: Você deve clicar na opção Nova Mensagem ou Escrever.
Passo 2: No campo Para, você deve escrever o e-mail do destinatário.
Passo 3: No campo Assunto, você deve escrever o assunto da mensagem.
Passo 4: No campo maior e inferior, você escreve a mensagem a ser enviada.
Passo 5: Você clica no botão ou link Enviar.
É claro que pode haver algumas diferenças nos nomes dos campos de acordo com o
software ou webmail utilizado. Mas, em geral, a maneira como enviar e-mails não varia
muito.
Já ouviu falar de arquivos enviados por correio eletrônico? Os famosos "anexos". Eles
são um passo extra que pode ser incluído na lista apresentada caso o usuário deseje enviar um
arquivo anexado ao e-mail. Para isso, em geral, há um botão denominado Anexar (ou, em
inglês, attach). Após clicar nesse botão, surge uma janela que permite ao usuário acessar os
hardwares de armazenamento do computador. O usuário deve usar essa nova janela para
encontrar o arquivo desejado e clicar nele para que esse seja anexado ao e-mail. Ao enviar a
mensagem, o arquivo é enviado com ela.
SPAM
É um dos problemas associados ao e-mail. Consiste em uma mensagem eletrônica
indesejada que o usuário recebe. Por que indesejada? Porque geralmente é uma mensagem
enviada em massa (para vários usuários) e que contém, na maioria das vezes, conteúdos de
propaganda, promoções, enfim, conteúdo que muitas vezes não é do interesse do usuário.
Bons servidores de e-mail possuem filtros anti-spam que buscam identificar esse tipo de
mensagem, barrando-as ou então direcionando-as para uma pasta especial.
CURIOSIDADE
Se você quiser saber a origem da palavra SPAM, acesse http: //www.antispam.br/historia/
Existem diversos tipos de spams. São eles:
Página 43 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
a) Hoax (boato): consiste em boatos, lendas, histórias irreais que são difundidas via e-
mail. Exemplo: Não ao MSN pago
O abaixo-assinado reivindicando a permanência da gratuidade de uso do MSN
Messenger circula desde o início 2005 e parece ter surgido em Portugal. As primeiras
mensagens diziam que o MSN iria ser pago a partir do mês de março. O mês de março
acabou, o serviço continuou gratuito. Novas versões mencionaram os meses seguintes e
o serviço permaneceu de uso gratuito. Apesar de não possuir nenhuma consistência, o
apelo levou preocupação a vários internautas. A Microsoft, detentora dos direitos
sobre o MSN Messenger, afirma que o programa continuará gratuito.
b) Correntes: consistem em mensagens que prometem algum benefício para quem as
envia para um determinado número de pessoas dentro de um prazo, assim como
prometem prejuízos para aqueles que "quebram a corrente".
Exemplo: "Importante!
Se você apagar isto, sinceramente você não tem coração... Oi, eu tenho 29 anos.
Minha esposa e eu tivemos uma vida bonita juntos. Deus também nos abençoou com
uma menina. Nossa filha é chamada Raquel e ela tem 10 meses de idade. Há alguns
dias os doutores encontraram nela um câncer cerebral. Há só um caminho para salvá-
la... operação. Infelizmente, nós não temos bastante dinheiro para cobrir isto. AOL e
ZDNET nos ajudarão. Pedimos a você que repasse esse e-mail a todas as pessoas que
puder e AOL limpará este e-mail e contará as pessoas recebidas. Cada pessoa que abrir
este correio e passar adiante a três pessoas pelo menos, nós receberemos 32 centavos.
Por favor, nos ajude. Sinceramente,
George Arlington"
c) Propagandas: consistem em mensagens que anunciam produtos ou serviços de
empresas. É claro que existem empresas sérias que oferecem lista de produtos em
promoção para seus clientes cadastrados, mas quando trata-se de spam, geralmente são
empresas desonestas que oferecem produtos ilegais, proibidos, eróticos ou piratas.
Exemplo:
"QUER MAIS ROMANCE? CONQUISTE MAIS NAMORADAS OU
NAMORADOS! Os FEROMÔNIOS criam um efeito AFRODISÍACO no sexo
oposto. As pessoas do SEXO oposto subconscientemente detectam esse perfume e
sentem-se instantaneamente atraídas por você.
Para Atrair mulheres Acesse www.*********************.com "
d) Golpes: consistem em mensagens que oferecem oportunidades de negócio enganosas
que prometem dinheiro rápido. Porém, para isso, pede-se que a pessoa deposite uma
quantia em dinheiro na conta de quem a convidou para ter o direito de convidar outras
pessoas.
Exemplo:
"Quero aqui lhe mostrar como você pode ganhar MAIS DE 5.000 DÓLARES POR
MÊS sem sair de casa. Isso não é nenhuma enganação ou truque. Por exemplo: se você
Página 44 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
recomenda 5 amigos, e estes 5 amigos recomendarem mais 5 amigos cada um e assim
sucessivamente até o quinto nível, e se cada um navegar em média 15 horas por mês,
você ganha $5.866,00!!! Parece impossível, mas não é. É a pura verdade. Não é
nenhuma enganação."
Para tentar auxiliar o usuário na detecção de spams, os principais webmails possuem
uma pasta especial denominada spam. Os e-mails que são suspeitos de serem spam, assim que
recebidos, são armazenados automaticamente nessa pasta. Contudo esse mecanismo não
possui 100% de acerto e você deve ficar atento antes de clicar em qualquer e-mail.
Sarnas eletrônicas?! Vírus e outras perebas que o seu
computador pode pegar!
Os programas maliciosos (em inglês malwares) podem ser enviados via e- mail para
diversos usuários. Esses softwares vão disfarçados nas mensagens, fazendo com que o usuário
clique neles para executá-los. Existem diversos tipos de softwares maliciosos e eles são
classificados basicamente em: Vírus, Worms, Trojans (Cavalos de Tróia) e Spywares.
Vírus
São programas que infectam outros programas e arquivos. Têm como objetivo
importunar o usuário do computador. Podem apagar arquivos, criar pastas, desconfigurar o
sistema operacional, entre outras ações danosas ao usuário.
Os vírus podem se multiplicar e se espalhar para outros computadores sem que o
usuário saiba. Para isso, precisam de um arquivo ou programa hospedeiro. Como você sabe,
todo programa, para ser executado, deve antes passar pela memória principal. Bem, o vírus é
um programa de computador, portanto, ele tem que dar um jeito de ser carregado para a
memória principal. Por isso, ele precisa de um outro programa hospedeiro, pois assim que o
usuário executar o programa hospedeiro, o mesmo irá para a memória principal levando
também o vírus que terá seu código malicioso executado.
Worms
O termo worm vem do inglês e significa verme. São chamados dessa maneira porque
lembram o comportamento de algumas larvas de insetos: comem e se multiplicam. São
semelhantes aos vírus. No entanto, o principal objetivo do worm é se replicar e contaminar
diversos computadores. Podem também enviar spam e abrir caminho para entrada de novos
worms. Existem alguns conhecidos como bots, os quais são capazes de ser controlados por
um invasor, que através da rede orienta as suas ações danosas no computador infectado.
O worm não necessita de um arquivo ou programa hospedeiro para se replicar, como no
caso do vírus. O worm tem por si só a capacidade de se propagar através da rede. Para se
espalharem, os worms exploram as vulnerabilidades existentes na rede. Vulnerabilidades são
falhas de segurança na rede que constituem uma ameaça de invasão ao computador. Existem
Página 45 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
softwares chamados exploits, que são utilizados para descobrir essas vulnerabilidades.
Trojans
Também conhecidos como cavalos de Tróia, têm como objetivo fragilizar o sistema de
defesa do computador e torná-lo vulnerável. O trojan, geralmente, é recebido em forma de um
presente (cartão, jogos, protetor de tela, entre outros), só que é o famoso presente de grego,
pois junto com o presente ele pode trazer um vírus, ser responsável por envio de spams para a
lista de e-mail do usuário, entre outras ações prejudiciais.
Um outro computador na rede pode assumir o controle de um computador que tenha um
cavalo de Tróia instalado. Os trojans não se espalham sozinhos; eles precisam ser instalados
no computador. E o que leva os usuários a instalarem esse tipo de programa é justamente o
fato de vir disfarçado como um presente.
Um exemplo que tem grande possibilidade de ser um trojan é se você receber um cartão
virtual de alguém que você não conhece e que precisa ser copiado para o seu computador para
funcionar. Outro exemplo é se você receber um e-mail da empresa Serasa para notificação ou
verificação de pendências financeiras, solicitando que você copie para sua máquina um
relatório. Por isso, você, como usuário dos serviços da internet, deve ficar atento e pensar
duas vezes antes de clicar em qualquer link.
MULTIMÍDIA
O nome deste malware vem da famosa invasão de Tróia, contada nas Ilíadas, e recontada no
filme Tróia. Neste filme, é mostrado como o "Cavalo de Tróia" foi uma surpresa um tanto
desagradável para os troianos. Vale a pena assistir!
Spyware
Spywares (do inglês, spy espião) são programas de computador que objetivam
monitorar a interação do usuário com o computador. Dessa forma, conseguem obter diversas
informações pessoais do usuário e determinar os hábitos e comportamento do mesmo. As
informações pessoais obtidas podem ser enviadas pela internet sem o conhecimento do
usuário.
Um spyware não se espalha para outros computadores por si só; ele precisa ser instalado
pelo usuário. Isso, em geral, é feito pelo usuário por engano, através da instalação de
softwares FREEWARES ou SHAREWARES que carregam junto deles softwares espiões e
também via trojan.
FREEWARES: Programas gratuitos ou com pagamento opcional.
SHAREWARES: Programas com versão limitada dos recursos ou também o programa
completo mas restrito a certo período de tempo para uso. Enfim, trata-se de uma
propaganda para que o consumidor compre a versão não-gratuita futuramente.
Um dos principais tipos de spyware é o keylogger, que é um programa capaz de
armazenar as teclas digitadas pelo usuário via teclado. Outro spyware bem conhecido é o
screenlogger, que é capaz de tirar uma foto da região da tela ao redor do ponteiro do mouse,
Página 46 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
quando o usuário clica.
MULTIMÍDIA
Para mais informações sobre ameaças da internet, acesse o site http://www.antispam.br/ que
é mantido pela CGI - Comitê Gestor de Internet do Brasil.
RESUMINDO...
• O e-mail permite que o usuário troque mensagens em tempo assíncrono (significa
que os usuários que estão trocando mensagens não precisam estar conectados ao
mesmo tempo à internet) com pessoas em qualquer lugar do mundo;
• Para se utilizar o e-mail existem duas formas: o uso de um software conhecido
como cliente de e-mail, ou a utilização de um webmail (um site que contém o
serviço de e-mail);
• Spam é um dos problemas associados ao uso de e-mail. Consiste em uma
mensagem eletrônica indesejada que o usuário recebe. Pode ser de diversos tipos:
hoax, corrente, propagandas, golpes e programas maliciosos (vírus, worms,
trojans, spywares);
Página 47 de 126
Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho
7. PROCESSADOR DE TEXTOS
Um pouco de história...
O ser humano tem como característica repassar o conhecimento adquirido para as
gerações futuras. Para realizar isso, eram utilizadas a escrita e as ilustrações. Antigamente
tudo era feito a mão, o que tornava o processo trabalhoso e lento para o escritor. Houve um
avanço tecnológico com a chegada da máquina de escrever, tornando o processo de redação
mais rápido, por meio da datilografia.
Figura 31: A máquina de escrever, hoje em dia,
já é considerada por muitos "peça de
museu".
O site Virtual Typewriter Museum (que na tradução do inglês para o português significa
"Museu Virtual da Máquina de Escrever") é a adaptação de um livro que conta a história
dessa invenção do século XIX: http://www.typewritermuseum.org/
No entanto, a máquina de escrever não permitia a inserção de figuras, quadros e tabelas,
além de apresentar outras limitações. Já com a chegada do computador e dos aplicativos de
processamento de textos, o modo de produzir textos foi alterado significativamente. Alguma
vez você já teve que utilizar uma máquina de escrever? Imagine que você cometesse um erro
qualquer na digitação, sendo que o documento não pudesse ter rasuras. O que você iria fazer?
Provavelmente digitaria o documento todo novamente, não é mesmo? Muito mais simples é
resolver esse tipo de problema quando utilizamos um PROCESSADOR DE TEXTO no
computador, pois um erro pode ser apagado facilmente apertando a tecla "Delete".

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 01 - IPD
Aula 01 - IPDAula 01 - IPD
Aula 01 - IPD
Roney Sousa
 
História do Computador
História do ComputadorHistória do Computador
História do Computador
Heronides Araújo
 
IPD - Introdução ao processamento de dados
IPD - Introdução ao processamento de dadosIPD - Introdução ao processamento de dados
IPD - Introdução ao processamento de dados
Roney Sousa
 
Larissa
LarissaLarissa
Aula 01
Aula 01Aula 01
História da TIC
História da TICHistória da TIC
História da TIC
Sérgio Ramiro Rivero
 
Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5
Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5
Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5
Bernardo Citelis
 
Aula01
Aula01Aula01
história da computação
história da computaçãohistória da computação
história da computação
Adir Kuhn
 
Historia informatica
Historia informaticaHistoria informatica
Historia informatica
thatá Vaz
 
História da Tecnologia da Informação e Comunicação
História da Tecnologia da Informação e Comunicação História da Tecnologia da Informação e Comunicação
História da Tecnologia da Informação e Comunicação
sergio.ramiro
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
Hardwares
HardwaresHardwares
Hardwares
Ednardo Menezes
 
Aula 2 introdução a informática apresentar amanha
Aula 2 introdução a informática apresentar amanhaAula 2 introdução a informática apresentar amanha
Aula 2 introdução a informática apresentar amanha
Evonaldo Gonçalves Vanny
 
Historia Computadores
Historia ComputadoresHistoria Computadores
Historia Computadores
cefinformaticazeitao
 
Introdução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir Matias
Introdução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir MatiasIntrodução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir Matias
Introdução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir Matias
Ademir Matias
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
História do computador
Silvio Bogsan
 
A HistóRia Da ComputaçãO
A HistóRia Da ComputaçãOA HistóRia Da ComputaçãO
A HistóRia Da ComputaçãO
guestebb673
 
01 ipd-suporte
01   ipd-suporte01   ipd-suporte
01 ipd-suporte
Roney Sousa
 
A história do computador completa
A história do computador completaA história do computador completa
A história do computador completa
Jéssika Leitao
 

Mais procurados (20)

Aula 01 - IPD
Aula 01 - IPDAula 01 - IPD
Aula 01 - IPD
 
História do Computador
História do ComputadorHistória do Computador
História do Computador
 
IPD - Introdução ao processamento de dados
IPD - Introdução ao processamento de dadosIPD - Introdução ao processamento de dados
IPD - Introdução ao processamento de dados
 
Larissa
LarissaLarissa
Larissa
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
História da TIC
História da TICHistória da TIC
História da TIC
 
Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5
Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5
Projeto integrador Historia da Computação Grupo 5
 
Aula01
Aula01Aula01
Aula01
 
história da computação
história da computaçãohistória da computação
história da computação
 
Historia informatica
Historia informaticaHistoria informatica
Historia informatica
 
História da Tecnologia da Informação e Comunicação
História da Tecnologia da Informação e Comunicação História da Tecnologia da Informação e Comunicação
História da Tecnologia da Informação e Comunicação
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
História do computador
 
Hardwares
HardwaresHardwares
Hardwares
 
Aula 2 introdução a informática apresentar amanha
Aula 2 introdução a informática apresentar amanhaAula 2 introdução a informática apresentar amanha
Aula 2 introdução a informática apresentar amanha
 
Historia Computadores
Historia ComputadoresHistoria Computadores
Historia Computadores
 
Introdução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir Matias
Introdução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir MatiasIntrodução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir Matias
Introdução ao Processamento de Dados - Prof: Ademir Matias
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
História do computador
 
A HistóRia Da ComputaçãO
A HistóRia Da ComputaçãOA HistóRia Da ComputaçãO
A HistóRia Da ComputaçãO
 
01 ipd-suporte
01   ipd-suporte01   ipd-suporte
01 ipd-suporte
 
A história do computador completa
A história do computador completaA história do computador completa
A história do computador completa
 

Destaque

Estudos biológicos aplicados a educação física slides
Estudos biológicos aplicados a educação física slidesEstudos biológicos aplicados a educação física slides
Estudos biológicos aplicados a educação física slides
Benedito Barcelos
 
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICAAula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Leonardo Delgado
 
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIOAula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Leonardo Delgado
 
Aula02
Aula02Aula02
Trabalho web 2.0
Trabalho web 2.0Trabalho web 2.0
Trabalho web 2.0
Yasmin Bohrer
 
Os chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconscienteOs chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconsciente
João Filho
 
ApresentaçãO
ApresentaçãOApresentaçãO
ApresentaçãO
Piedley macedo
 
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestruturaTurner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
João Filho
 
E Comerce
E ComerceE Comerce
E Comerce
Piedley macedo
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 2
Material de Apoio  - SIG - Apostila 2Material de Apoio  - SIG - Apostila 2
Material de Apoio - SIG - Apostila 2
João Filho
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 3
Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3
Material de Apoio - SIG - Apostila 3
João Filho
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4
João Filho
 
Informática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a AdministraçãoInformática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a Administração
João Filho
 
Estrutura e funcionamento do computador
Estrutura e funcionamento do computador Estrutura e funcionamento do computador
Estrutura e funcionamento do computador
Mónica Martins
 
Estrutura e funcionamento de um computador
Estrutura e funcionamento de um computadorEstrutura e funcionamento de um computador
Estrutura e funcionamento de um computador
José Gonçalves
 
Informatica aplicada à administração - aula2
Informatica aplicada à administração - aula2Informatica aplicada à administração - aula2
Informatica aplicada à administração - aula2
José Alberto
 
Aula 3 adm
Aula 3  admAula 3  adm
Aula 3 adm
José Alberto
 
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIGSistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
João Filho
 
Estrutura básica de um computador
Estrutura básica de um computadorEstrutura básica de um computador
Estrutura básica de um computador
Ana Covas Grilo
 
Conceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da InformaçãoConceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da Informação
Robson Santos
 

Destaque (20)

Estudos biológicos aplicados a educação física slides
Estudos biológicos aplicados a educação física slidesEstudos biológicos aplicados a educação física slides
Estudos biológicos aplicados a educação física slides
 
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICAAula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
 
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIOAula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
 
Aula02
Aula02Aula02
Aula02
 
Trabalho web 2.0
Trabalho web 2.0Trabalho web 2.0
Trabalho web 2.0
 
Os chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconscienteOs chistes e sua relação com o inconsciente
Os chistes e sua relação com o inconsciente
 
ApresentaçãO
ApresentaçãOApresentaçãO
ApresentaçãO
 
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestruturaTurner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
Turner victor o_processo_ritual_estrutura_e_antriestrutura
 
E Comerce
E ComerceE Comerce
E Comerce
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 2
Material de Apoio  - SIG - Apostila 2Material de Apoio  - SIG - Apostila 2
Material de Apoio - SIG - Apostila 2
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 3
Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3Material de Apoio  -  SIG - Apostila 3
Material de Apoio - SIG - Apostila 3
 
Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4Material de Apoio - SIG - Apostila 4
Material de Apoio - SIG - Apostila 4
 
Informática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a AdministraçãoInformática Aplicada a Administração
Informática Aplicada a Administração
 
Estrutura e funcionamento do computador
Estrutura e funcionamento do computador Estrutura e funcionamento do computador
Estrutura e funcionamento do computador
 
Estrutura e funcionamento de um computador
Estrutura e funcionamento de um computadorEstrutura e funcionamento de um computador
Estrutura e funcionamento de um computador
 
Informatica aplicada à administração - aula2
Informatica aplicada à administração - aula2Informatica aplicada à administração - aula2
Informatica aplicada à administração - aula2
 
Aula 3 adm
Aula 3  admAula 3  adm
Aula 3 adm
 
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIGSistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
 
Estrutura básica de um computador
Estrutura básica de um computadorEstrutura básica de um computador
Estrutura básica de um computador
 
Conceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da InformaçãoConceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da Informação
 

Semelhante a Informática Aplicada a Ed. Física

Sebenta capitulo1
Sebenta capitulo1Sebenta capitulo1
Sebenta capitulo1
Olga Figueira
 
Introdução à informática para iniciantes
Introdução à informática para iniciantesIntrodução à informática para iniciantes
Introdução à informática para iniciantes
EdgarDiogo1
 
Apostila capitulo1 exercicio_1_site
Apostila capitulo1 exercicio_1_siteApostila capitulo1 exercicio_1_site
Apostila capitulo1 exercicio_1_site
SuperTec1
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
Fernanda Firmino
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
Anielli Lemes
 
A EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdf
A EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdfA EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdf
A EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdf
Faga1939
 
INFORMATICA IEPB.pptx
INFORMATICA IEPB.pptxINFORMATICA IEPB.pptx
INFORMATICA IEPB.pptx
RaySimplesmente
 
538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila
Alan Linhares
 
659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila
Alan Linhares
 
stc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptx
stc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptxstc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptx
stc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptx
Carlos Gomes
 
Inform 9º ano
Inform 9º anoInform 9º ano
Inform 9º ano
luizcviola
 
Primeiros computadores
Primeiros computadoresPrimeiros computadores
Primeiros computadores
redtambe
 
Informática - 4ª Geração
Informática - 4ª GeraçãoInformática - 4ª Geração
Informática - 4ª Geração
Marco Casquinha
 
Aula 01 introdução a computação
Aula 01 introdução a computaçãoAula 01 introdução a computação
Aula 01 introdução a computação
Matheus Brito
 
Inclusão digital modulo i
Inclusão digital modulo iInclusão digital modulo i
Inclusão digital modulo i
Rita de Cássia Freitas
 
Conhecimento Basico de Informatica - Parte I
Conhecimento Basico de Informatica - Parte IConhecimento Basico de Informatica - Parte I
Conhecimento Basico de Informatica - Parte I
ABCursos OnLine
 
Intro a Info.pdf
Intro a Info.pdfIntro a Info.pdf
Intro a Info.pdf
GabrielReisJesus
 
Maria car..
Maria car..Maria car..
Aula 01 - Introdução a Sistemas Operacionais
Aula 01 - Introdução a Sistemas OperacionaisAula 01 - Introdução a Sistemas Operacionais
Aula 01 - Introdução a Sistemas Operacionais
SanchesJunior
 
Apresentação final de IPD
Apresentação final de IPDApresentação final de IPD
Apresentação final de IPD
Barbara Oliveira Lima
 

Semelhante a Informática Aplicada a Ed. Física (20)

Sebenta capitulo1
Sebenta capitulo1Sebenta capitulo1
Sebenta capitulo1
 
Introdução à informática para iniciantes
Introdução à informática para iniciantesIntrodução à informática para iniciantes
Introdução à informática para iniciantes
 
Apostila capitulo1 exercicio_1_site
Apostila capitulo1 exercicio_1_siteApostila capitulo1 exercicio_1_site
Apostila capitulo1 exercicio_1_site
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
 
Apostila info1
Apostila info1Apostila info1
Apostila info1
 
A EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdf
A EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdfA EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdf
A EVOLUÇÃO DA MAIOR INVENÇÃO DA HUMANIDADE, O COMPUTADOR, E SEU FUTURO.pdf
 
INFORMATICA IEPB.pptx
INFORMATICA IEPB.pptxINFORMATICA IEPB.pptx
INFORMATICA IEPB.pptx
 
538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila538 062012 tj_al_informatica_apostila
538 062012 tj_al_informatica_apostila
 
659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila659 062012 tj_al_informatica_apostila
659 062012 tj_al_informatica_apostila
 
stc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptx
stc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptxstc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptx
stc5-redes_de_informaao_e_comunicaao.pptx
 
Inform 9º ano
Inform 9º anoInform 9º ano
Inform 9º ano
 
Primeiros computadores
Primeiros computadoresPrimeiros computadores
Primeiros computadores
 
Informática - 4ª Geração
Informática - 4ª GeraçãoInformática - 4ª Geração
Informática - 4ª Geração
 
Aula 01 introdução a computação
Aula 01 introdução a computaçãoAula 01 introdução a computação
Aula 01 introdução a computação
 
Inclusão digital modulo i
Inclusão digital modulo iInclusão digital modulo i
Inclusão digital modulo i
 
Conhecimento Basico de Informatica - Parte I
Conhecimento Basico de Informatica - Parte IConhecimento Basico de Informatica - Parte I
Conhecimento Basico de Informatica - Parte I
 
Intro a Info.pdf
Intro a Info.pdfIntro a Info.pdf
Intro a Info.pdf
 
Maria car..
Maria car..Maria car..
Maria car..
 
Aula 01 - Introdução a Sistemas Operacionais
Aula 01 - Introdução a Sistemas OperacionaisAula 01 - Introdução a Sistemas Operacionais
Aula 01 - Introdução a Sistemas Operacionais
 
Apresentação final de IPD
Apresentação final de IPDApresentação final de IPD
Apresentação final de IPD
 

Mais de João Filho

Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel MaussEnsaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
João Filho
 
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile DurkheimAs Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile Durkheim
João Filho
 
A escrita e imagem
A escrita e imagemA escrita e imagem
A escrita e imagem
João Filho
 
Antropologia.sintese paradigmas e escolas
Antropologia.sintese paradigmas e escolasAntropologia.sintese paradigmas e escolas
Antropologia.sintese paradigmas e escolas
João Filho
 
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estadoEngels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
João Filho
 
O Gênio em todos nós - David Shenk
O  Gênio em todos nós - David ShenkO  Gênio em todos nós - David Shenk
O Gênio em todos nós - David Shenk
João Filho
 
P lanejamento
P lanejamentoP lanejamento
P lanejamento
João Filho
 
Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão
João Filho
 
Material de Apoio - SIG - Apoio
Material de Apoio  - SIG - Apoio Material de Apoio  - SIG - Apoio
Material de Apoio - SIG - Apoio
João Filho
 
Sig i
Sig iSig i

Mais de João Filho (10)

Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel MaussEnsaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
Ensaio Sobre a Dádiva - Marcel Mauss
 
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile DurkheimAs Formas Elementares da Vida Religiosa -  Émile Durkheim
As Formas Elementares da Vida Religiosa - Émile Durkheim
 
A escrita e imagem
A escrita e imagemA escrita e imagem
A escrita e imagem
 
Antropologia.sintese paradigmas e escolas
Antropologia.sintese paradigmas e escolasAntropologia.sintese paradigmas e escolas
Antropologia.sintese paradigmas e escolas
 
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estadoEngels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
Engels, friedrich. a origem da família, da propriedade privada e do estado
 
O Gênio em todos nós - David Shenk
O  Gênio em todos nós - David ShenkO  Gênio em todos nós - David Shenk
O Gênio em todos nós - David Shenk
 
P lanejamento
P lanejamentoP lanejamento
P lanejamento
 
Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão Ementa - Informática Aplicada a Gestão
Ementa - Informática Aplicada a Gestão
 
Material de Apoio - SIG - Apoio
Material de Apoio  - SIG - Apoio Material de Apoio  - SIG - Apoio
Material de Apoio - SIG - Apoio
 
Sig i
Sig iSig i
Sig i
 

Último

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 

Último (20)

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 

Informática Aplicada a Ed. Física

  • 1. INFORMÁTICA APLICADA A Ed.Física Ed. Física PROFESSOR: João Rosa Coelho Filho CRATO – CE
  • 2. 1. INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA ____________________________________ 8 2. HARDWARE E SOFTWARE _______________________________________ 16 3. OS PERIFÉRICOS _______________________________________________ 23 4. SISTEMAS OPERACIONAIS ______________________________________ 32 5. INTERNET ____________________________________________________ 39 6. CORREIO ELETRÔNICO _________________________________________ 47 7. PROCESSADOR DE TEXTOS _____________________________________ 53 8. PLANILHA ELETRÔNICA _________________________________________ 65 9. EDITOR DE APRESENTAÇÃO _____________________________________ 79 10. Material Complementar __________________________________________ 92 OpenOffice Writer __________________________________________________ 92 OpenOffice Calc __________________________________________________ 102 OpenOffice Impress ________________________________________________ 116 11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS _______________________________ 129 12. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR _______________________________ 130 13. LEITURAS RECOMENDADAS __________________________________ 131
  • 3. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho 1. INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA Quando se deseja aprender algo de novo na vida é necessário desenvolver a teoria para depois aplicá-la na prática. Por exemplo, quando se vai aprender a dirigir é necessário primeiro aprender sobre as regras de trânsito, depois sobre regras básicas do funcionamento do veículo como: localização dos pedais, marchas e demais itens do painel. A informática também funciona assim: você primeiramente irá aprender conceitos básicos para depois aplicá-los na prática. A Informática está no nosso dia a dia: no supermercado, no banco, no escritório, na escola. Não dá mais para viver sem ela. Na vida profissional, o conhecimento da Informática está ficando tão importante que podemos falar em um novo tipo de analfabetismo: o dos analfabetos em computador. O desconhecimento da Informática exclui as pessoas da disputa por melhores oportunidades profissionais. Felizmente a Informática não é difícil. Com um pouco de dedicação qualquer pessoa poderá ser um usuário competente do computador. O assunto é muito amplo, é necessário dedicar parte do seu tempo para o aprendizado e não pare de se aperfeiçoar porque a Informática também não para. História Da necessidade de controlar os rebanhos, pastores gregos e egípcios inventaram um processo de contagem primitivo que se baseava na equivalência. Cada animal era equivalente a uma pedrinha que juntas representavam a soma. Assim, se tivesse uma pedrinha a mais era notada a falta de um animal, duas pedrinhas, dois animais e assim por diante. Era o início do primitivo processamento de dados do Homem. Mais tarde, o sistema evoluiu e tornou-se ainda mais prático, ao surgirem os símbolos numéricos e os sistemas de numerações. Dessa forma, não era mais necessário acumular pedras ou conchas, mas sim, conhecer o símbolo numérico que representava dada quantidade de animais do rebanho. O ábaco foi o primeiro dispositivo criado para realizar operações aritméticas e é considerado o marco inicial da Informática. Com o surgimento do papel, aliado aos sistemas de escrita e de numeração, o homem passou, então, a registrar dados na forma escrita e a manipulá-los. Depois, veio a máquina de escrever, que reinou absoluta desde o século XIX até o início da década de 80 do século XX, quando foi definitivamente substituída pelos computadores e seus programas processadores de texto. Isso significa que, entre outras funções, o computador modificou a forma de escrever, facilitando a correção de erros e melhorando a aparência do texto. Página 3 de 126
  • 4. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho A palavra COMPUTADOR significa, ao pé da letra, "aquele que exerce a função de computar". Mas o que significa computar? Computar significa "fazer o cômputo de", que expressa simplesmente calcular, contar ou avaliar. Desde a criação das primeiras máquinas de calcular de Charles Babbage, no século XIX até a primeira geração de computadores na década de 1950, o grande objetivo era agilizar os cálculos e automatizar as tarefas rotineiras. Os fatos mais marcantes do histórico do desenvolvimento dos computadores, desde os ábacos até nossos mais modernos PCs, podem ser encontrados no site brasileiro http://www.museudocomputador.com.br/. De geração em geração: a evolução dos computadores Quando se pensa na história do computador e da Internet, observa-se que, apesar de muitos equipamentos terem aparecido bem antes, eles surgiram em torno dos anos 40 do século passado e eram enormes, ocupando vários metros quadrados. Esses equipamentos passaram por uma grande evolução, que pode ser dividida em gerações. Cada geração é caracterizada pelo desenvolvimento tecnológico no modo como o computador opera, resultando em equipamentos cada vez menores, mais poderosos, eficientes rápidos, e baratos. Primeira Geração (1940-1950) - É constituída por todos os computadores construídos à base de válvulas a vácuo (válvulas eletrônicas do tamanho de lâmpadas elétricas, usadas como componentes internos do computador) e cuja aplicação fundamental se deu nos campos científico e militar. Página 4 de 126
  • 5. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Figura 2: Mulheres operando o ENIAC em 1945, o computador media 25m de comprimento por 5,5m de altura. • Segunda Geração (1951-1958) - É o início da computação comercial; ano em que o primeiro computador comercial (UNIVAC - Universal Automatic Computer - Computador Automático Universal) foi entregue a um cliente. Nessa geração, ainda se utilizava a válvula a vácuo. Figura 3: UNIVAC - Universal Automatic Computer ("Computador Automático Universal") • Terceira Geração (1959-1964) - A válvula a vácuo é substituída pelo transistor, um dispositivo pequeno que transfere sinais eletrônicos através de um resistor. As áreas de aplicação dessa época foram, além da científica e militar, a administrativa e Página 5 de 126
  • 6. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho gerencial, que, no entanto, não chegou ao público em geral. Figura 4: IBM 7094 • Quarta Geração (1965-1970) - Nesta geração, o elemento mais significativo é o circuito integrado, que consiste em um circuito eletrônico completo em um pequeno chip de silício. Os chips apresentaram confiabilidade, tamanho reduzido e baixo custo. Figura 5: IBM 360 - Um dos primeiros computadores a utilizar circuitos integrados • Quinta Geração (1971- até os dias atuais) - Em 1971 aparece o processador, que consiste na inclusão de vários chips especializados de um computador em um único circuito integrado. Também é nessa época que se começa a utilizar o disquete (Floppy Disk) como unidade de armazenamento. Uma história mais próxima de nós, usuários finais, seria a dos computadores pessoais, mais acessíveis ao usuário comum; história que se inicia com o primeiro computador pessoal chamado MITS ALTAIR, construído em 1975, e que evolui até os computadores pessoais que compramos atualmente nas lojas de Informática. Página 6 de 126
  • 7. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Figura 6: Disquete 5/1/4 Figura 7: Apple II - Primeiro microcomputador Para que você possa mergulhar na história dos computadores pessoais e conhecer sobre a vida de Bill Gates (Microsoft) e Steve Jobs (Apple), assista ao filme "Piratas do vale do silício. Esse filme retrata como Bill Gates e Steve Jobs fundaram as respectivas Microsoft e Apple e a concorrência entre os dois, para ver quem chegaria à frente, no promissor mercado da Informática, bem como as estratégias que utilizaram para criar suas empresas. Classificação dos computadores Para se realizar uma classificação, é necessário adotar determinados critérios classificatórios. Em relação a computadores, esses critérios podem ser: finalidade de uso, tamanho, poder de processamento, entre outros. No entanto, não há um critério padronizado para tal, e tampouco podemos estabelecer categorias de computadores claramente distintas, uma vez que a Informática é muito dinâmica. Dessa forma, optamos por descrever conjuntos de computadores que têm sido utilizados atualmente. • Computadores Pessoais (Personal Computers - Pcs) - É o conhecido microcomputador. Um computador feito para usuários domésticos em todos os aspectos: tamanho, preço, poder de processamento, facilidade de uso, entre outros. Figura 8: Computador Pessoal Página 7 de 126
  • 8. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho • • • Computadores Laptops ou Notebooks - Suas principais características são as dimensões e pesos reduzidos e, é claro, sua portabilidade, ou seja, a facilidade de o usuário se deslocar com o equipamento. Esses computadores possuem autonomia de algumas horas de uso, sem precisarem estar conectados à rede elétrica. Isso é possível graças ao uso de baterias. Os notebooks podem competir com os recursos dos computadores pessoais. Computadores de mão (do inglês handheld, que significa "segurar com a mão") - A principal característica dos computadores de mão é o tamanho bem reduzido. São computadores que cabem na palma da mão. Nesse conjunto de computadores entram o assistente digital pessoal (Personal Digital Assistant - PDA), Ipods, câmeras digitais e filmadoras digitais portáteis, telefones celulares, minigames, tocador de mp3, entre outros dispositivos portáteis. O PDA é um handheld utilizado para controlar agenda de atividades e informações sobre transações comerciais, como nomes de clientes e pedidos. Mainframe (computadores de grande porte) - São computadores de grandes dimensões, que requerem um ambiente totalmente específico, além de Figura 9: Laptop (Notebook) Figura 10: Computador de Mão recursos humanos bastante técnicos e especializados. Por isso, são máquinas de altíssimo custo e também de manutenção e operacionalidade bastante caras, o que faz com que sejam utilizados somente pelas grandes corporações. Têm um processamento extremamente rápido e a alta capacidade para manipulação das informações. Figura 11: Mainframe A Informática O conceito de Informática pode ser entendido como a automatização da informação, ou seja, chamamos de Informática tudo o que utiliza a informação de modo automático, mas nem sempre a Informática está associada ao uso de computadores convencionais. Existem, no dia a dia, vários exemplos de uso da Informática, sem a utilização do computador convencional. Imagine uma porta automática de um shopping ou de um hotel. Quando você se aproxima, a porta se abre (através de sensores eletrônicos) e permite que você entre. Nesse caso, após a coleta dos dados pelo sensor fixado à porta, gerou-se a informação Página 8 de 126
  • 9. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho de que alguém estava desejando entrar. A informação foi tratada de forma automática, isto é, informática. O termo "informática" tem suas origens no ano de 1957, quando Karl Steinbuch publicou um artigo chamado Informatik: Automatische Informationsverarbeitung (Informática: Processamento Automático de Informação). É interessante notar que, na língua portuguesa, a palavra informática pode ser obtida pela contração das palavras INFORmação + autoMÁTICA. Principais usos da Informática A seguir, apresentamos como a Informática e suas ferramentas podem ser utilizadas em diversas áreas: − No comércio, o uso da Informática abrange as áreas de Ed. Física de estoques, de catalogação de produtos, de Ed. Física automática de terminais de venda e pagamento, tudo isso facilitado pelos códigos de barras presentes na maioria dos produtos, entre outras. − Na pesquisa científica utiliza-se a Informática como suporte para cálculos complexos e demorados, para leitura e processamento automático de dados, para simulação de ambientes, entre outros itens. − Na atividade bancária, a Informática é utilizada para fazer projeções financeiras, Ed. Física de contas e controle de terminais automáticos para atualização de informações, Homebank (acesso à informação em casa, via internet), transações com cartão de débito e crédito e outros serviços. − Na agricultura, a Informática pode contribuir com um aumento significativo na produtividade, calcular o custo por hectare, balancear rações, rastrear animais, diagnosticar doenças, controlar irrigação, verificar preços de insumos, obter melhor gerenciamento da empresa rural e maior agilidade e facilidade na obtenção de informações. − Na educação, os educadores utilizam recursos computacionais, como apresentações e animações, para tornar as aulas mais interessantes, além de fazerem uso de aplicativos específicos, de modo a estimular o raciocínio e o pensamento crítico dos estudantes. Utilizam, ainda, ferramentas como ambientes virtuais de ensino, fóruns de discussão online, entre outras. − O setor público utiliza a Informática no controle de impostos, na emissão de declarações, no atendimento aos cidadãos sobre a prestação de serviços públicos, nas eleições, entre outras atividades. − No setor de transportes, a Informática auxilia no monitoramento de Página 9 de 126
  • 10. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho tráfego aéreo, rastreamento de vagões ferroviários, controle de semáforos nas cidades, entre outros. − No turismo, utiliza-se a Informática para reserva de carros, gerenciamento de hotéis e agência de viagens, planejamento de eventos, informações sobre roteiros turísticos, credenciamento e controle de acesso em eventos, entre outros itens. − Na saúde, a Informática é usada para monitorar a saúde de pacientes, realizar diagnósticos de doenças, fazer o controle dos prontuários médicos, realizar mapeamento da estrutura de vírus, entre outros exemplos. − No lar, aplica-se a Informática na segurança das residências, para escrever cartas eletrônicas, realizar orçamentos domésticos e também para o lazer e para a educação. Como você pode perceber hoje a Informática e os computadores estão espalhados por todos os lugares. Você será levado, portanto, de forma direta ou indireta, a interagir com a Informática, seja na hora de atravessar uma rua, seja no momento de comprar um produto qualquer. Logo, é muito importante que você aprenda a lidar com a Informática e com os computadores. Afinal, tudo leva a crer que ela será tão importante em um futuro próximo quanto saber ler e escrever, se já não o for. RESUMINDO... • O homem precisou criar mecanismos para armazenar informações sobre o seu dia a dia. • Surge a necessidade de se realizar cômputos e o homem cria um sistema de controle rudimentar. • Surge o ábaco para facilitar a realização das operações matemáticas. • O desenvolvimento da eletrônica torna possível a criação de dispositivos capazes de automatizar tarefas realizadas pelo ser humano. • Os computadores passaram por significativos avanços tecnológicos, propiciados principalmente pelos seguintes dispositivos: válvula a vácuo, transistores, circuitos integrados e microprocessadores. • Computadores podem ser classificados em pessoais, notebooks ou laptops, handheld ou computadores de mão e mainframes. • A Informática é definida como a utilização de informação, de forma automática. • Em praticamente todos os campos da atividade humana, há o uso da Informática, seja de forma direta ou indireta. Página 10 de 126
  • 11. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho 2. HARDWARE E SOFTWARE Hardware e software são as duas partes fundamentais de um computador. A seguir vamos aprender mais sobre esses dois aspectos principais de um computador. Hardware É a parte física do computador. A palavra hardware é inglesa e nos dá a idéia de produto sólido e palpável, ou seja, são as partes do computador que você consegue ver e tocar, como o teclado, o mouse e o monitor. É a parte do computador que dá vontade de chutar quando o computador trava. CURIOSIDADE O termo travar, muito utilizado em informática, refere-se à parada repentina de funcionamento do computador devido a algum problema inesperado que pode ser causado por falha do software ou do hardware do computador. Tomara que seu computador nunca trave! Software Softwares são programas ou conjunto de instruções que permitem que o computador execute uma determinada tarefa. O software é um produto intelectual e impalpável, ou seja, que não podemos tocar. É a parte do computador que, quando trava, você somente pode falar mal. Não tem como chutá-la. Exemplos de Softwares: Word, Excel, Paint, etc.; CURIOSIDADE A pessoa que desenvolve softwares é conhecida como programador. Para a criação dos programas de computador, o programador utiliza algoritmos. Esses algoritmos são escritos em uma determinada linguagem de programação. Sistema Operacional Não são todos os softwares que podem interagir diretamente com o hardware. Para isso, existe um tipo de software especial, que funciona como uma camada de ligação entre a máquina (hardware) e os programas (softwares); chama-se Sistema Operacional. Exemplo: para imprimir um arquivo, os processadores de texto mandam o arquivo para o Sistema Operacional e este o envia para a impressora. Os principais sistemas operacionais conhecidos no mercado e suas principais caracteristicas serão apresentadas mais adiante. CONCEITO DE COMPUTADOR "Um computador é um equipamento eletrônico com a capacidade de receber dados, processá-los, armazená-los e devolvê-los como informações ao usuário." Pela definição de computador, você pode perceber que ele é responsável por quatro funções, consideradas básicas, que são: entrada (ou seja, o recebimento de dados), Página 11 de 126
  • 12. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho processamento, armazenamento e saída (ou seja, a devolução dos dados processados ao usuário). Vamos ver cada uma dessas funções a seguir. • Entrada - Permite que o ser humano se comunique com o computador. Quando você digita um conjunto de dados - seu nome, o número de fregueses de uma loja etc. - está utilizando a função de entrada. É necessário utilizar algum periférico de entrada para enviar dados para o computador. • Processamento - É a principal função do computador. É realizado pela Unidade Central de Processamento, a famosa CPU (Guarde essa sigla, ela irá aparecer novamente!), que é responsável por processar instruções, realizar cálculos e gerenciar o fluxo de informações dentro do computador. • Armazenamento - É composto por dispositivos de armazenamento que permitem a leitura e/ou gravação de dados. O computador utiliza os dados obtidos nesses dispositivos para executar as tarefas. Em geral, esses dispositivos são chamados de memória. • Sáida - É responsável por mostrar a resposta do processamento de dados ao usuário, ou seja, permite que o computador se comunique com o ser humano. Figura 12: Funções Básicas do Computador Página 12 de 126
  • 13. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Como funciona o computador? Vamos acompanhar o funcionamento de um computador? O que o usuário deve fazer para que o computador execute alguma função desejada? E qual é o papel do próprio computador - hardware e software - nesse processo? Inicialmente o usuário deve fazer uso de um hardware da unidade de entrada para enviar um dado ao computador ou solicitar que seja carregado algum dado da memória secundária. Esse dado vai para a Memória Principal (MP), que também é conhecida como memória RAM (Random Access Memory - Memória de Acesso Aleatório) do computador, pois tudo o que está sendo executado em um dado instante pelo computador tem que estar na MP. A MP é um dispositivo de armazenamento. Daí a Unidade Central de Processamento (CPU, a sigla vem do termo em inglês Central Processing Unit) se comunica com a MP para pegar os dados enviados pelo usuário e processá-los. Após o processamento, a CPU devolve a resposta para a MP, que, por sua vez, disponibiliza a resposta tanto para as unidades de saída quanto para a memória secundária. Você deve ter notado que o computador, por meio das unidades de entrada, recebe dados, que, após processados, são retornados através das unidades de saída em formato de informação. É importante saber diferenciar dado de informação. • Dado: é algum tipo de material em formato desorganizado que não significa nada isoladamente. • Informação: Informação é o resultado da transformação dos dados em algo útil para o usuário. Por exemplo, se eu disser para você "Trinta e cinco.", isso é um dado ou uma informação? Você consegue entender o sentido desse texto? Não, pois falta um complemento, algo que faça com que esse valor faça sentido para você. Logo, trinta e cinco é um dado. No entanto, se eu disser: "Esse livro tem trinta e cinco páginas.", a frase agora possui significado. Há um contexto, algo de útil é transmitido para o receptor. Então, o "trinta e cinco" passa a ser uma informação. Unidades de medidas de Arquivos Da mesma forma que utilizamos unidades para medir o peso ou a distância, como kg e km, precisamos de unidades para saber o tamanho de determinados arquivos em nosso computador. Isto se torna imprescindível quando necessitamos instalar um novo programa em nossa máquina ou copiar arquivos como músicas para ela; é importante que saibamos quanto o programa a ser instalado irá ocupar ou o tamanho necessário para armazenar os arquivos a serem copiados. Dessa forma podemos saber se o disco rígido de nossa máquina será capaz de suportar o programa a ser instalado ou se tem espaço suficiente para armazenar os arquivos a serem copiados. Para isto, criaram as unidades - Bit, Byte, Kilobyte, Megabyte, Gigabyte, Terabyte, representadas na tabela 2.1. Página 13 de 126
  • 14. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Quantidade Unidade Nomenclatura Detalhes 8 bits 1B Byte - 1024 Bytes 1 KB Kilobyte Aproximadamente Mil Bytes 1024 Kilobytes 1 MB Megabyte Aproximadamente 1 Milhão de Bytes 1024 Megabytes 1 GB Gigabyte Aproximadamente 1 Bilhão de Bytes 1024 Gigabytes 1 TB Terabyte Aproximadamente 1 Trilhão de Bytes Tabela 1: Unidades de Medida do Computador Uma forma simples e prática de se fazer a conversão das unidades é usar a figura 2.2. Figura 13: Conversão das Unidades Hardwares típicos de um computador Gabinete É uma caixa metálica que serve para organizar e proteger os principais componentes do computador. Para os computadores pessoais, encontramos basicamente dois tipos de modelos de gabinetes: torre e desktop. O modelo torre é o mais comum, apresentando-se na forma vertical, já o desktop apresenta-se na forma horizontal. Figura 14: Gabinete torre aberto, para a instalação de um novo sistema de resfriamento. Página 14 de 126
  • 15. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Placa-mãe (motherboard) Placa de circuito impresso que aloja o processador e contém encaixes (slots) para a conexão dos demais hardwares de entrada, saída e armazenamento. A placa-mãe é responsável por interconectar cada um dos dispositivos do computador. Existem diversos fabricantes e modelos de placa- mãe. Um bom computador deve possuir uma placa-mãe de qualidade e que tenha bom desempenho. A placa-mãe de um computador, de acordo com suas especificações, define o quanto esse computador pode evoluir, ou seja, o quanto ele pode ter o seu desempenho melhorado. Todo computador pessoal, para funcionar, necessita ter uma placa- mãe. CURIOSIDADE Você já ouviu falar em upgrade? Em informática, o termo upgrade é usado para designar a ação de melhorar o desempenho do computador, normalmente realizado através da compra de peças mais novas e potentes. Figura 15: A placa-mãe de um computador. A - Soquete para o processador. Local onde esse é encaixado B - Slots para pentes de memórias RAM (memória principal) C - Slot para placa de vídeo D - Slots para demais componentes • Placa de expansão: Serve para que possamos acrescentar novos recursos ao computador. Essas placas devem ser conectadas nos slots de expansão existentes na placa-mãe. Em geral, essas placas são de: rede, som, vídeo, fax-modem, TV, captura de vídeo, entre outras. • Slots de expansão: É um local que há na placa-mãe no qual as placas de expansão podem ser encaixadas. Algumas pessoas chamam os slots de soquetes ou barramentos. Existem diversos tipos de slots, tais como ISA, PCI, AGP e PCI Express. • Unidade Central de Processamento (Central Processing Unit - CPU): A CPU Página 15 de 126
  • 16. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho fica localizada na placa-mãe e é responsável por todo o processamento do computador. Tudo depende da CPU: fornecer dados, recuperar e processar informações etc. A CPU é um circuito integrado construído em uma finíssima peça de silício. Nela, milhares ou até milhões de transistores estão alojados e interligados ao mundo externo por delgados fios de alumínio. ATENÇÃO! Muitas pessoas leigas em informática, por desconhecimento, acabam chamando o gabinete de CPU, só que isso é incorreto! Na verdade, a unidade central de processamento é um dos vários componentes que ficam localizados dentro do gabinete. Os processadores não existem apenas nos computadores; podemos encontrar microprocessadores em microondas, controles remotos, entre outros dispositivos eletrônicos. A CPU pode ser subdivida em três partes principais: unidade de controle, unidade lógico-aritmética e registradores. A Unidade de Controle tem como principal função controlar o ciclo do computador. A Unidade Lógico-Aritmética (ULA) executa as quatro operações matemáticas básicas (adição, subtração, multiplicação e divisão) e as comparações lógicas (igualdade, menor que, maior que). Os Registradores consistem numa pequena quantidade de memória interna à CPU para manter dados temporários. Fonte de Alimentação Tem como finalidade receber a tensão da rede elétrica (110 ou 220 volts em corrente alternada) e gerar tensões em corrente contínua necessária ao funcionamento das placas do computador. EXPLICATIVO A corrente elétrica que recebemos é chamada corrente alternada. Alguns aparelhos elétricos, no entanto, dependem de outro tipo de corrente, a corrente contínua. Definimos como corrente elétrica (ou corrente galvânica) um fluxo constante e ordenado de elétrons em um único sentido. Na corrente alternada, a magnitude e o sentido do fluxo de elétrons variam ciclicamente. Assim, apenas a corrente contínua apresenta pólos positivos e negativos. Estabilizador Equipamento que protege o computador de oscilações na rede elétrica que, em geral, acontecem durante tempestades. Serve também para atenuar interferências, quedas de voltagem e outras anomalias na rede elétrica. Composto normalmente por um fusível de proteção e uma chave seletora da tensão da rede. É fortemente recomendado que o cabo de energia que sai da fonte de alimentação seja ligado em um estabilizador em vez de ser ligado diretamente na tomada de sua residência ou escritório. No-break É um aparelho que substitui o estabilizador e, além disso, evita que seu computador desligue em caso de falta total de energia elétrica. Um no-break possui uma bateria que é Página 16 de 126
  • 17. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho capaz de manter o funcionamento de um computador por algumas horas. O tempo exato depende da capacidade do no-break e do consumo do computador. Resumindo... Em um dia totalmente normal você utiliza intensivamente a informática. Hardware e software são as duas partes fundamentais de um computador. Hardware é a parte mecânica e física da máquina, com seus componentes eletrônicos. Software é um programa ou conjunto de instruções que permite que o computador execute uma determinada tarefa. Um computador é um equipamento eletrônico com a capacidade de receber dados, processá-los, armazená-los e devolvê-los como informações ao usuário. O computador, por meio das unidades de entrada, recebe dados que, após processados, são retornados através das unidades de saída em formato de informação. Para um dado ser processado, ele precisa passar pela memória principal. Dado é algum tipo de material em formato desorganizado que não significa nada isoladamente. Informação é o resultado da transformação dos dados em algo útil para o usuário. Bit é a menor unidade de informação que um computador pode armazenar. Um conjunto de 8 bits reunidos com uma única identidade forma um byte. Alguns hardwares importantes do computador são: placa-mãe, CPU, gabinete, fonte de alimentação, no-break, estabilizador e placas de expansão. A placa-mãe é responsável por interconectar todos os dispositivos do computador. A CPU é responsável por executar todas as instruções do computador. Página 17 de 126
  • 18. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho 3. OS PERIFÉRICOS No Capítulo 2 você aprendeu que o computador desempenha quatro funções básicas: entrada, armazenamento, processamento e saída. Viu que existem hardwares que possibilitam ao computador atender cada uma dessas funções. Aprendeu também qual hardware realiza uma dessas quatro funções: o processamento. Resta estudar quem desempenha as outras três funções básicas. Apresentaremos a você os periféricos e os hardwares de armazenamento. Principais periféricos de entrada Os periféricos de entrada são utilizados para que os usuários possam enviar dados ao computador. É a forma que o ser humano e o computador têm para se comunicar. Se considerarmos os diversos usos em nosso dia-a-dia, na automação industrial e em muitos outros setores, a lista de dispositivos de entrada é incalculável. Em muitas casas nos EUA há um detector de fumaça para prevenir incêndios. Lá também são comuns os carros que possuem dispositivos que detectam a distância entre o pára-choque e a parede ou o carro mais próximo, o que ajuda na hora de estacionar. As portas de alguns estabelecimentos comerciais de maior porte como shopping centers, hospitais, aeroportos etc. se abrem quando alguém se aproxima. Todos esses dispositivos estão ligados a um computador, e são responsáveis pela entrada de dados. Você é capaz de identificar quais dados são adquiridos por tais dispositivos? A presença de fumaça, a distância de objetos ou pessoas próximas, todos são dados que serão interpretados por computadores específicos. Mas como acontece em um computador pessoal de uso geral? Quais partes são vitais para seu funcionamento mínimo, e quais são relativamente "dispensáveis" ou opcionais? Nas seções a seguir você conhecerá os periféricos de entrada mais comuns em computadores. Teclado (keyboard) O teclado é o principal dispositivo para entrada de dados em um microcomputador. Sua finalidade básica é permitir a digitação de letras, números e símbolos especiais. Por meio de teclas especiais de movimentação, o teclado permite ao usuário se movimentar por documentos, programas e janelas do sistema operacional. A quantidade de teclas de um teclado pode variar de 80 a 120. Mouse Um dos inventos mais importantes para ser utilizado em ambientes gráficos foi o mouse. Sua finalidade é permitir a movimentação mais rápida pelos programas e janelas, servindo como atalho para os comandos normalmente executados por meio do teclado. O Macintosh, lançando em 1984, foi o primeiro micro a usar mouse, devido à interface gráfica. Existem três tipos de mouse: Página 18 de 126
  • 19. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho • Mecânico - Possui uma esfera na sua parte inferior. Ao ser movimentado sobre uma superfície lisa, essa esfera aciona sensores mecânicos que enviam um impulso elétrico para a CPU, que, por sua vez, por meio do sistema operacional, movimenta o ponteiro do mouse na tela. • Optomecânico - Similar ao mecânico, mas que usa sensores ópticos para detectar o movimento. • Óptico - Utiliza um laser para detectar o movimento do mouse. Dispositivos semelhantes ao mouse: • Trackball: O trackball funciona como um mouse invertido, já que a esfera fica na parte superior. Você não precisa movimentar o trackball, bastar apoiar a mão ou os dedos sobre a esfera e movimentá-la. Esse tipo de mouse é preferido por ser mais ergonômico, ou seja, ele não força a musculatura do braço e evita lesões. • Touchpad - Muito popular em notebooks. Para movimentar o cursor, o usuário desliza o dedo sobre a superfície do dispositivo. O cursor acompanha o movimento, e pode-se até clicar na própria superfície, como se ela fosse o botão do mouse convencional. • Gamepad - Esse tipo de periférico envia dados de posicionamento para o computador. É muito similar aos joysticks controladores de jogos. Embora seja mais utilizado em jogos, pode substituir o mouse. Scanner O scanner é um tipo de dispositivo que converte imagens em arquivos digitais. O scanner de imagem usa luzes e sensores para varrer a imagem que se quer copiar e detectar padrões de reflexo de luz. As imagens são convertidas para um mapa de bits (bitmap) que consiste numa malha de pontos. Existem scanners OCR (Optical Character Recognition - Reconhecimento Óptico de Caracteres) que conseguem digitalizar documentos de textos, ou seja, ler o texto de um documento impresso e convertê-lo em um arquivo texto. Leitora óptica e leitora magnética A leitora óptica converte uma informação impressa de forma manual ou mecânica em dados para o computador. Existem três métodos de reconhecimento óptico. São eles: • OMR (Optical Mark Reader - Reconhecimento Óptico de Marcas): as marcas são colocadas em áreas específicas de um documento. Exemplo: cartões de loteria, cartões de respostas de concursos públicos e vestibulares. • OCR (Optical Character Recognition): são lidos caracteres datilografados ou impressos. • Leitor de código de barra: por um feixe de luz, fazem a leitura de números codificados na forma de barras. Exemplo: controle de estoque e vendas de Página 19 de 126
  • 20. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho mercadorias em supermercados. Sistemas de respostas por voz É um dos principais sistemas utilizados por operadoras de telefonia, televisão a cabo, cartão de crédito, entre outras empresas que oferecem serviços de atendimento ao cliente via telefone. Esse tipo de sistema consiste em adquirir, por meio da fala do cliente, os dados de entrada necessários ao computador. Veja se a situação a seguir não é familiar: Figura 16: Sistema de respostas por voz Quando você responde, sua voz é captada pelo sistema e o número falado é identificado. Existem outros sistemas de reconhecimento de voz, como o reconhecimento de movimentação do cursor na tela: você fala para onde o cursor deve se mover e ele obedece; ou até mesmo reconhecimento de texto! Você fala e o computador escreve. Câmera de vídeo (webcam) Utilizando-se de uma câmera de vídeo, o usuário pode fornecer um vídeo como dado de entrada para um computador. A imagem captada pela câmera pode ser armazenada ou enviada em tempo real a outro usuário, em uma videoconferência. SAIBA MAIS... Videoconferência: Uma ferramenta da informática que permite a discussão com contato visual e sonoro entre pessoas que estão em lugares geograficamente diferentes. Como a imagem e o som são transmitidos praticamente em tempo real, a videoconferência fornece a sensação de que os interlocutores encontram-se no mesmo local. Além da comunicação visual e auditiva, muitos programas de videoconferência permitem também a troca de arquivos, tornando-a uma ótima ferramenta de trabalho. Assista ao vídeo no endereço eletrônico http://br.youtube.com/watch?v=xnMNtPEOszg, que exemplifica o uso da videoconferência. Página 20 de 126
  • 21. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Principais periféricos de saída A CPU tem o trabalho de processar os dados recebidos para poder apresentá-los ao usuário. A visualização das informações é feita por dispositivos de saída de dados. Vamos ver alguns exemplos? Monitor CRT (Cathodic Ray Tube - Tubo de raios catódicos) Um monitor de vídeo, ou simplesmente monitor, é o dispositivo de saída do computador que serve de interface visual para o usuário. Ele permite a visualização dos dados e da sua interação com eles. Os monitores são classificados de acordo com a tecnologia de amostragem de vídeo utilizada na formação da imagem. Atualmente há duas tecnologias: • CRT: é o monitor convencional. Seu funcionamento é baseado em repetidos disparos de elétrons feitos por um canhão, o qual fica localizado no tubo de raios catódicos. Os elétrons disparados atingem a superfície da tela entrando em contato com um material denominado fósforo. Com esse contato uma luz é gerada nesse ponto. Com isso, as imagens são geradas na tela. • LCD: é um tipo mais moderno de tecnologia para construção de monitor. Ele não é de uso específico em computadores. Você encontra esse tipo de tecnologia em notebooks, celulares, câmeras digitais, entre outros dispositivos. Impressoras A impressora é um meio fundamental de exibir seus dados, relatórios, documentos. Existem, basicamente, três tipos de impressoras comerciais hoje em dia: Matricial - É uma impressora de impacto, ou seja, há o contato entre a cabeça de impressão e a folha. Um cabeçote de impressão se move pressionando uma fita com tinta, que, ao encostar no papel, o marca. • Principais vantagens: fita de impressão barata; pode imprimir várias vias de uma só vez. • Principais desvantagens: impressão de baixa qualidade, muito barulhenta, bastante lenta e não imprime em cor. Jato de tinta - Realiza uma impressão que não usa o impacto, ou seja, não há o contato entre uma cabeça de impressão e a folha. O cabeçote de impressão (o qual contém a tinta) se move pela página e em cada pequeno ponto de impressão a tinta é borrifada no papel. • Principais vantagens: impressão colorida e baixo preço da impressora. • Principais desvantagens: a impressão demora a secar, podendo borrar; impressão lenta em relação à impressora a laser; manutenção constante em função da tinta líquida sujando a impressora etc. Laser - Realiza impressão que não usa o impacto. É um tipo de impressora que produz resultados de grande qualidade para quem quer desenho gráfico ou texto, utilizando a tecnologia do laser. Esta impressora utiliza o raio laser modulado para a impressão e envia a informação para um tambor, através de raios laser. O modo de funcionamento é muito Página 21 de 126
  • 22. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho semelhante ao das fotocopiadoras. • Principais vantagens: impressão de alta qualidade e rápida. • Principais desvantagens: preço da impressora bem maior do que o das outras, principalmente se for impressora a laser colorida. Datashow O projetor de imagens é um dispositivo usado para projetar dados em forma de imagens transmitidas pela saída de vídeo do computador. Permite a projeção de slides ou vídeos, tornando-se, assim, excelente ferramenta para fazer apresentações de aulas e palestras. Principais periféricos de entrada e saída Existem alguns periféricos que podem realizar tanto a função de entrada quanto a de saída de dados. Vamos citar dois que são os mais utilizados. Monitor touchscreen É o monitor cuja tela é sensível ao toque seja pelo dedo do usuário seja por uma caneta especial. Dessa forma, o usuário consegue enviar um comando ao computador via monitor. Esse tipo de monitor é encontrado principalmente em alguns caixas eletrônicos de bancos, em computadores portáteis, computadores de mão (palmtops), celulares e muitos outros. Modem Seu nome vem da abreviatura de MOdulador/DEModulador. Tem como finalidade converter sinais digitais do micro em sinais analógicos e vice-versa. O modem é utilizado para que o computador possa se conectar à internet. O tipo mais tradicional de modem é o que converte os 0s e 1s dos computadores para sons que podem ser transmitidos via rede telefônica. Existem outros tipos de modem, mais modernos e, conseqüentemente, mais rápidos; são esses o ADSL modem (ou DSL modem) e o Cable modem conhecidos como modem de banda larga. O ADSL modem também utiliza a rede telefônica para transmissão dos dados, porém usa um tipo de tecnologia que permite que o telefone possa ser usado ao mesmo tempo em que a internet, ou seja, não ocupa a linha telefônica. Já o Cable modem utiliza a infra-estrutura da rede de televisão a cabo para realizar as transmissões de dados. Outro tipo de modem que vem sendo utilizado recentemente é o modem Wireless, que no mercado costuma ser chamado de minimodem. É oferecido pelas empresas de telefonia. Esse modem utiliza a tecnologia de rede sem fio para conectar o computador diretamente ao provedor de acesso à internet. Tem a vantagem de permitir a mobilidade do computador; no entanto, no que se refere à velocidade, é comparável ao modem tradicional. Principais hardwares de armazenamento Os dispositivos de armazenamento são utilizados para que o computador possa guardar Página 22 de 126
  • 23. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho os dados enviados pelo usuário e processados pela CPU. Veremos que o armazenamento pode ser permanente ou temporário, dependendo do dispositivo usado. Disco rígido ou HD (Hard Disk) (ou memória secundária) Como vimos, o processador é o hardware que executa, de fato, nossas ordens. Essas ordens são trabalhadas na memória principal. O disco rígido, por fim, é o local onde essas informações são armazenadas no final do processo, de modo permanente. E se o disco rígido é o local onde as informações ficam guardadas, também é no disco rígido que o computador encontra e lê as informações que serão processadas. Essas informações são guardadas sob a forma de arquivos, que são a unidade de armazenamento de informação em disco. Os arquivos podem ser de programas, textos, bancos de dados, documentos, músicas, vídeos, imagens, entre outros. Seus tamanhos também variam. Quando o processador lê um arquivo do disco rígido, este é armazenado temporariamente na memória principal. O arquivo não é movido para lá: ele apenas é carregado para que possa ser executado pelo processador. Uma vez carregado você pode imprimi-lo, alterá-lo ou simplesmente fechá-lo sem realizar nenhuma modificação. O termo "memória secundária" não é sinônimo exclusivo de HD. Na verdade, qualquer outra memória sem ser a memória principal do computador pode ser chamada de memória secundária. A característica principal da memória secundária é o armazenamento permanente dos dados. A operação de inserir um arquivo no HD chama-se "gravar", e a de retirar um arquivo chama-se "excluir" ou "deletar". A evolução dos discos rígidos faz com que sua capacidade aumente a cada ano. Existem winchesters (sinônimo de disco rígido) antigos da ordem de megabytes, os do início do século XXI, na ordem de gigabytes, e os do fim da primeira década do século XXI, que suportam terabytes. ATENÇÃO! 1 terabyte = 1024 gigabytes = 1048576 megabytes, ou seja, a capacidade de armazenamento de um disco rígido atual é, aproximadamente, de um milhão de vezes a de um winchester da década de 1950. Incrível a tecnologia, não é mesmo? Memória RAM Memória RAM é um componente fundamental do computador (do inglês Random Access Memory, ou Memória de Acesso Aleatório). O termo aleatório significa que essa memória pode ser acessada em qualquer ordem, não necessitando de acesso puramente seqüencial. A memória RAM (também conhecida como Memória Principal ou MP) é como o "local de trabalho" do processador. É na RAM que o processador realiza seus trabalhos, definidos nos programas, por exemplo. Quando ligamos nosso computador e executamos um programa, o processador armazena-o temporariamente na MP, para melhor lidar com suas instruções. Página 23 de 126
  • 24. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho A RAM é também chamada de memória volátil, porque os dados que são armazenados nela não permanecem gravados quando desligamos o computador. Se quisermos gravar esses dados, temos que salvá-los em uma memória secundária. A RAM serve, portanto, para trabalho imediato. Como a memória RAM é o local de trabalho da CPU, para se ter um bom computador é necessário que se tenha uma boa quantidade de memória RAM. A memória RAM é vendida em pentes de memória. É importante lembrar que a quantidade de memória RAM máxima que um computador pode possuir depende da capacidade da placa-mãe em suportar memória RAM. Memória flash A memória flash é um chip regravável que preserva o seu conteúdo sem a necessidade de fonte de alimentação. Portanto, não é volátil. O exemplo mais comum é o Pen Drive, que é um dispositivo de armazenamento com uma ligação USB (Universal Serial Bus - Barramento Serial Universal) tipo A, com a aparência semelhante a um isqueiro ou chaveiro. É plugado na entrada USB do computador e reconhecido automaticamente pelo Windows XP. Outros dispositivos que usam memória flash são: mp3 player, Ipod e cartões de memória usados em máquinas fotográficas digitais. Compact disc Consiste em um disco compacto (CD - Compact Disc - Disco Compacto) que pode conter até 700 MB de dados. Existem alguns tipos distintos de CD. Os mais comuns são: • CD-ROM (Compact Disc Read Only Memory: Disco Compacto Memória Somente de Leitura): é um CD que o usuário somente pode executar, ou seja, ler o seu conteúdo. Não pode ser gravado. Esse tipo de CD vem gravado de fábrica, em geral, com softwares e músicas. • CD-R (Compact Disc Recordable - Disco Compacto Gravável): é um CD que permite que o usuário grave dados, mas uma vez que esse dado foi gravado ele não pode ser mais apagado. • CD-RW (Compact Disc ReWritable - Disco Compacto Regravável): é o CD regravável. Consegue-se gravar, apagar e regravar no mesmo CD. DVD Consiste em disco com formato idêntico ao do CD. No entanto, o DVD (Digital Versatile Disc ou Digital Video Disc - Disco de Vídeo Digital) trata-se de uma mídia de armazenamento com capacidade muito maior que o CD. É uma mídia de ótima qualidade para vídeos e recursos multimídia em geral. Esse é seu uso principal hoje em dia, sobretudo pela indústria cinematográfica. A capacidade de armazenamento dos DVDs pode variar de acordo com os tipos: DVD-5 (4,7 GB), o DVD-9 (8,5 GB), DVD-10 (9,4 GB), o DVD-14 (13,2 GB) e o DVD-18 (17 GB). Página 24 de 126
  • 25. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Blu Ray Também conhecido como BD (de Blu-ray Disc) é um formato de disco óptico da nova geração de 12 cm de diâmetro (igual ao CD e ao DVD) para vídeo de alta definição e armazenamento de dados de alta densidade. É um sucessor do DVD e capaz de armazenar filmes até 1080p Full HD de até 4 horas sem perdas. Requer uma TV full HD de LCD, plasma ou LED para explorar todo seu potencial. Sua capacidade varia de 25 (camada simples) a 50 (camada dupla) Gigabytes. O disco Blu-Ray faz uso de um laser de cor azul-violeta, cujocomprimento de onda é 405 nanometros, permitindo gravar mais informação num disco do mesmo tamanho usado por tecnologias anteriores (o DVD usa um laser de cor vermelha de 650 nanometros). Os discos BD vem em diferentes formatos: • BD-ROM: Um disco que é só de leitura; • BD-R: Disco gravável; • BD-RE: Disco regravável. Figura 17: Blu Ray Diferenças entre o Blu-ray e o DVD Blu-ray DVD Capacidade 23.3 / 25 / 27 GB (Camada Única) 4.7 GB (Camada Única) (armazenamento) 46.6 / 50 / 54 GB (Camada Dupla) 8,5GB (Camada Dupla) Comprimento de Onda do 405 nm 650 nm Raio Laser Taxa de Transferência 54,0 MB/s bits? 11,1 MB/s Formatos Suportados MPEG-2, MPEG-4 AVC, VC-1 MPEG-2 Tabela 2: Diferençãs entre o Blu-ray e o DVD Página 25 de 126
  • 26. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Disquete É um disco magnético removível. Um disquete de 3 1⁄2 comporta até 1,44 MB. Atualmente, o disquete está em desuso devido à baixa capacidade de armazenamento de dados e também à facilidade de danificado ou perdido. RESUMINDO... • Periféricos são hardwares que propiciam a interação do usuário com o computador. • O principal objetivo de um periférico é aumentar as capacidades de interação do computador com o usuário. • Os periféricos de entrada são utilizados pelos usuários para que eles possam enviar dados ao computador. • O teclado é o principal dispositivo para entrada de dados em um microcomputador. • A "visualização" das informações é feita via periféricos de saída de dados. • Existem alguns periféricos que podem realizar tanto a função de entrada quanto a de saída de dados. • Existem alguns periféricos que podem realizar tanto a função de entrada quanto a de saída de dados. • Os dispositivos de armazenamento são utilizados para que o computador possa guardar os dados enviados pelo usuário e processados pela CPU. • A memória principal oferece armazenamento temporário dos dados, enquanto a memória secundária oferece o armazenamento permanente. Página 26 de 126
  • 27. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho 4. SISTEMAS OPERACIONAIS Como você viu no Capítulo 3, para que o hardware (parte física de um computador) possa funcionar, é necessário um número de regras e ordens que coordenem todos os processos realizados. Chamamos de software esse conjunto de regras e ordens. Em um computador existem diversos softwares, todos prontos para atender às necessidades dos usuários do computador. Por exemplo, um usuário pode precisar visualizar uma imagem, editar um texto etc. Cada necessidade do usuário é atendida por um software específico. Porém, os softwares utilizam os mesmos dispositivos físicos, ou seja, os hardwares do computador. Um software visualizador de imagens precisa utilizar a memória RAM e acessar o disco rígido. Um software editor de textos também! Ele também necessita utilizar os periféricos de entrada e saída. Isso pode levar os softwares a uma disputa pelo direito de usar o hardware. Por exemplo, dois softwares podem querer enviar dados para a impressora ao mesmo tempo. E aí, como é que fica? É nesse ponto que vem o Sistema Operacional (SO). O SO é uma camada de software existente entre o hardware e os APLICATIVOS. Assim, o SO controla o que cada programa está acessando, sendo responsável por uma distribuição justa e eficiente dos recursos de hardware para os softwares. APLICATIVOS Programas que executam tarefas para os usuários. Dessa forma, dizemos que o SO consiste em uma camada de software que objetiva tornar o uso do computador mais eficiente e conveniente. Para atender ao seu objetivo, o SO estabelece um esquema de alocação de processador, memória e periféricos de entrada e saída entre os programas que necessitam utilizar esses recursos. Todo programa necessita, para ser executado: • usar determinada quantidade de memória; • usar a CPU; • ter acesso aos periféricos; • acessar os arquivos necessários. ATENÇÃO É o sistema operacional que gerencia todo o acesso aos recursos do computador para cada um dos programas em execução. Os programas que podem ser usados pelos usuários são chamados de aplicativos. Por exemplo: processadores de texto, planilhas eletrônicas, jogos, entre outros. Já o conjunto de programas imprescindíveis para o funcionamento do sistema é conhecido como software básico. O sistema operacional é o principal programa desse conjunto. Exemplos de sistemas operacionais são: Windows, Linux, Mac-OS, Unix, MS-DOS etc. Nesta seção você irá aprender o básico sobre os principais sistemas operacionais Página 27 de 126
  • 28. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho existentes no mercado. Windows É o sistema operacional mais utilizado no mundo atualmente, desenvolvido pela empresa Microsoft. Teve sua origem ligada ao sistema operacional MS-DOS (a sigla significa MicroSoft - Disk Operation System, do inglês, que significa sistema operacional de disco). Se você assistiu ao filme "Piratas do Vale do Silício", que foi recomendado em uma das aulas anteriores, com certeza se lembra desse fato. Quando o Windows surgiu não era considerado um sistema operacional. Era o que chamamos de shell (do inglês, concha) para o MS-DOS, ou seja, uma camada de software adicionada para deixar o sistema operacional mais fácil de ser usado pelo usuário. No MS- DOS, o usuário tinha que dar instruções em uma linha de comando. Figura 18: O bom e velho MS-DOS. Nele, o usuário tinha que inserir linhas de comando textuais para executar as funções. Veja como isso mudou quando passamos para as interfaces gráficas! O principal diferencial do Windows que o deixava simples de ser utilizado era a interface gráfica (GUI - Graphics User Interface, do inglês, que significa interface gráfica para usuário) que substituía a linha de comando. A GUI composta por janelas, ícones e menus tornavam o uso do computador muito mais fácil e intuitivo. SAIBA MAIS... A substituição da linha de comando do MS-DOS pela interface com janelas é a principal característica do SO Windows. Daí o nome: Windows, que, em inglês, significa "janelas". A área de trabalho (em inglês, desktop) é a tela inicial na qual são exibidos janelas, ícones, menus e caixas de diálogo. Veja a área de trabalho do Windows na figura 4.2. Página 28 de 126
  • 29. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Os ícones da área de trabalho representam programas que podem ser executados dando- se um duplo clique no respectivo ícone. Na parte inferior do desktop tem-se o menu Iniciar na barra de tarefas. Quando você clica no menu Iniciar, é aberto um MENU POP-UP com diversas opções. Veja na figura 4.2. SAIBA MAIS... O termo pop-up vem do inglês e significa "surgir". No contexto de informática, o termo MENU POP-UP refere-se a um menu que contém opções e comandos que dizem respeito a determinado objeto. Com exceção do menu Iniciar, você acessa o menu pop-up dos objetos por meio de um o botão direito do mouse. Figura 19: Área de trabalho do Windows, após o usuário clicar no menu Iniciar. O menu exibido oferece acesso rápido à maioria dos itens mais úteis do computador. Você pode clicar em Ajuda e Suporte para aprender a usar o Windows, obter informações sobre a solução de problemas, receber suporte, e muito mais. Quando você clica em Todos os Programas, é aberta uma lista dos programas instalados no computador. Dentre as demais opções possíveis do menu Iniciar, destacamos o Meu Computador, que é o local que permite acesso aos dispositivos de armazenamento: disco rígido, disquete, CD, entre outros. Veja a figura 4.3. Outra opção que é indispensável que você conheça é a de Desligar o Computador, que permite que o Windows seja desligado corretamente. Veja a figura 4.4: Página 29 de 126
  • 30. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Figura 20: Tela do recurso Meu Computador. Figura 21: Desligando o Windows. Página 30 de 126
  • 31. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Linux O sistema operacional Linux foi desenvolvido inicialmente por um estudante chamado Linus Torvalds, que, a partir do zero, resolveu construir um sistema operacional. Assim que concluiu uma versão inicial, Linus divulgou o Linux em uma lista de discussão on-line. Com isso, vários outros estudantes se interessaram pelo projeto e começaram a desenvolver novas funcionalidades para o Linux. Atualmente, milhares de programadores contribuem com o avanço do Linux, e hoje em dia ele é um dos principais concorrentes do Windows. Um sistema operacional possui uma parte muito importante, que é o kernel (o núcleo do sistema), o qual é responsável pelas principais funções. O sistema operacional Linux é caracterizado por possuir diversas distribuições. Cada distribuição oferece uma versão diferente do kernel, acrescida de um conjunto de softwares e uma interface de instalação. Exemplos de distribuições são: Ubuntu, Redhat, Debian, Slackware, Conectiva, Kurumin, entre outras. As duas últimas são distribuições brasileiras. A escolha de qual distribuição utilizar é feita de acordo com a preferência do usuário e com a finalidade de uso do computador. Na figura 4.5 temos uma foto da área de trabalho da distribuição Kurumin do Linux. Perceba que a mesma possui ícones e barra de tarefas bem semelhantes ao Windows. Além disso, se o usuário clicar no botão que possui a letra K na parte inferior esquerda da área de trabalho, um menu pop-up será aberto e disponibilizará diversos aplicativos para que ele utilize. Figura 22: Área de trabalho da distribuição Kurumin. Na figura 4.6, temos o gerenciador de arquivos do Kurumin (konqueror). Ele pode ser Página 31 de 126
  • 32. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho acessado quando o usuário clica no ícone de uma casa que fica na parte inferior esquerda da área de trabalho. Nesse gerenciador, o usuário pode acessar os hardwares de armazenamento conectados ao microcomputador para gerenciar seus arquivos. Figura 23: Tela do recurso Meu Computador. Mac OS É o sistema operacional desenvolvido pela Apple Computer. Foi introduzido em 1984 juntamente com o computador macintosh. Foi o sistema operacional que introduziu a interface gráfica (GUI), tornando a interação do usuário com o computador muito mais agradável. Muitos usuários consideram que nos dias atuais o Mac OS é mais fácil de usar do que seus concorrentes. A figura 4.7 ilustra o desktop do Mac OS. Assim como no Windows, podemos ver os ícones e arquivos presentes na área de trabalho. Na parte superior tem-se a barra de menu, na qual, do lado direito, são vistas informações relativas à data e hora do sistema. No lado esquerdo, temos informações a respeito do software que está ativo naquele momento. Na parte inferior aparecem diversos softwares aplicativos que o usuário pode executar. Um aplicativo essencial que você deve conhecer do Mac OS é o Finder, pois é o primeiro aplicativo com o qual o usuário tem que interagir assim que efetua o login (tem acesso) no Mac OS. O Finder pode ser considerado a interface gráfica do sistema de arquivos do Mac OS. Dessa forma, os usuários podem utilizá-lo para acessar os dispositivos de Página 32 de 126
  • 33. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho armazenamento conectados ao computador. Figura 24: Desktop (área de trabalho) do Mac OS. A figura 4.8 exibe a janela referente ao Finder. Observe que, no lado esquerdo da janela do Finder, o usuário tem acesso aos dispositivos existentes no computador. F igura 25: Imagem do software Finder. Página 33 de 126
  • 34. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho 5. INTERNET Aposto que você já ouviu falar da internet! É possível afirmar isso com alguma certeza, dado o crescimento significativo da utilização da internet no Brasil nos últimos anos. Segundo o site internet World Stats (Estatísticas Mundiais sobre internet - http://www.internetworldstats.com/sa/br.htm), em 2000 apenas 2,9% da população brasileira possuíam acesso à internet. Em 2008, o valor passou para 34,4%! Posso afirmar, ainda, que você já deve ter ouvido falar que a internet é ótima para bater papos, paquerar, fazer pesquisas para a escola, trocar correspondência, dentre muitas outras funções. Mas como será que isso funciona? Como essa tal "rede de alcance mundial" pode realizar, ou permitir que se façam todas essas coisas? Afinal, o que é a internet? Figura 26: Pessoas conectadas A internet é a maior rede de computadores do mundo. O nome internet tem sua origem no termo INTERconnection NETwork, ou seja, interconexão de redes. Portanto, a internet consiste em milhares de redes conectadas em todo o planeta. Essas redes interconectadas estão configuradas de tal forma que os usuários podem enxergar esse conjunto de redes como se fosse somente uma única grande rede. A internet não tem um dono. Cada governo, empresa ou organização é responsável pela manutenção de sua própria rede. O Network Information Center (InterNIC) é o órgão mundial responsável pelo registro de computadores e redes conectados à internet. Cada país possui uma entidade local responsável pelos dados daquela região. No Brasil, essa entidade é o Comitê Gestor da internet no Brasil (CGI), por meio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br (NIC-BR) e do registro.br. MULTIMÍDIA Página 34 de 126
  • 35. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Para mais informações, acesse os sites: Como se conectar à internet? Um computador pode ser conectado à internet por diversos meios. Você já ouviu falar ou suspeita de quais são os modos através dos quais a internet pode chegar a sua casa ou ao seu trabalho? Considerando os principais meios de conexão residenciais, podemos pensar em: linha telefônica, cabo, ADSL e sem fio. Conexão via linha telefônica (acesso discado) É a forma de conexão mais comum no Brasil. Foi a principal forma de acesso usada enquanto a internet se popularizava. Fisicamente, basta que o usuário conecte uma placa de modem no seu computador e a placa de modem, por sua vez, à linha telefônica. Fig ura 27: Usuário utilizando acesso Nesse tipo de conexão, é necessário queco usuário contrate o serviço de um provedor de dis ado acesso, pois é através desse provedor que o computador do usuário irá se ligar à internet. Existem milhares de provedores de acesso, inclusive muitos deles gratuitos. É recomendado que o usuário utilize um provedor de acesso de sua região, pois dessa forma utilizará ligação local. No acesso discado, a linha telefônica fica ocupada durante a conexão; sendo assim, o usuário tem que pagar à operadora telefônica todos os minutos em que ficou conectado. A velocidade dessa conexão, em geral, pode chegar até 56 kb/s. ATENÇÃO! Dica: Das 14h de sábado até segunda às 6h, bem como todos os dias de 00h às 6h e durante todos os feriados nacionais, as operadoras telefônicas, em geral, cobram somente o equivalente a um pulso telefônico a cada conexão, independentemente do tempo utilizado. Isso reduz muito o custo de quem utiliza a internet de acesso discado nesse horário! Página 35 de 126
  • 36. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho SAIBA MAIS... Velocidades de conexão: Em informática, o termo "taxa de transmissão de dados" é utilizado para indicar a velocidade com que os dados são transmitidos. A unidade de medida é o número de bits por segundo (bps ou b/s); em geral, utilizamos antes do b algum prefixo, conforme descrito na tabela a seguir: Conexão ADSL (Linha assimétrica digital de assinante, do inglês Asymmetric Digital Subscriber Line) Também é considerada banda larga. Nessa conexão, utilizam-se as centrais telefônicas digitais para tráfego de dados em alta velocidade. Os equipamentos necessários são uma placa de rede e um modem ADSL. A linha telefônica é utilizada para o tráfego dos dados, mas não permanece ocupada. Figura 28: Usuário utilizando conexão ADSL Não é necessário pagar pelo tempo em que se esteve conectado. No entanto, é necessário possuir um provedor de acesso discado, além do provedor do serviço de ADSL (em alguns casos uma mesma empresa fornece esses dois serviços). Nessa conexão, o usuário paga uma mensalidade de acordo com a velocidade do serviço que contratar. Existem diversas velocidades possíveis: 256kb/s, 400kb/s, 1Mb/s, 2Mb/s, 4Mb/s, 8Mb/s, entre outras. Página 36 de 126
  • 37. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Conexão via ondas eletromagnéticas Figura 29: Usuário utilizando conexão sem fio É um tipo de conexão wireless (sem fio). É muito utilizada em lugares onde montar uma estrutura com cabos é difícil ou financeiramente inviável: construções antigas ou históricas, propriedades distantes de grandes centros urbanos, propriedades rurais, entre outras. Nesse caso, usam-se ondas eletromagnéticas como meio de transmissão dos dados. Portanto, os equipamentos básicos desse tipo de conexão são antenas e/ou satélites. Não se faz uso da linha telefônica. No computador, é necessário o uso de uma placa de rede sem fio compatível com a tecnologia utilizada. Nessa conexão, a velocidade varia de acordo com a tecnologia usada e de quanta velocidade o usuário contrata da operadora de acesso sem fio. Na tecnologia mais comum, que é a 802.11b/g, a velocidade pode chegar a 54Mb/s. O custo do serviço é o valor pago à operadora de acesso sem fio. É importante salientar que existem outros tipos de meios de transmissão de dados sem fio que não sejam as ondas eletromagnéticas, como, por exemplo, o infravermelho, muito utilizado em controles remotos. Conexão via cabo É um tipo de conexão considerada de banda larga (conexão de alta velocidade), estrutura da TV a cabo para a conexão à internet, portanto não é necessário possuir uma linha telefônica. Nesse caso, o equipamento usado é uma placa de rede (para que um computador possa ser interligado a outros computadores) e um dispositivo chamado cable modem (modem via cabo), que é um aparelho para prover acesso à banda larga realizando o tráfego de dados pelo sistema de TV a cabo). Em teoria, pode-se atingir a velocidade de até 38 Mb/s no padrão docsis 2.0 nessa conexão. Acontece que, na prática, todos os usuários em um mesmo segmento do cabo compartilham a mesma conexão. Com isso, à medida que mais usuários fiquem online (ativos na rede), a velocidade de cada um diminui. Dependendo do tipo de assinatura escolhida pelo usuário, a internet via cabo pode ser tão veloz que permite a utilização de jogos, com grande desempenho! Página 37 de 126
  • 38. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho Os serviços da internet (world wide web e correio eletrônico) Os dois serviços mais populares oferecidos pela internet aos usuários são conhecidos como www e e-mail. Mas, neste momento, você teria toda a razão de perguntar: - Espera aí, professor! Pára tudo! Quer dizer que www e internet não são a mesma coisa? Não, não são! Vamos ver que a www (do inglês world wide web, teia de alcance mundial) é um dos vários serviços que a internet oferece, assim como o envio de mensagens eletrônicas (eletronic mail, e-mail), também chamado de correio eletrônico. Outros serviços também existem, como: transferência de arquivos, bate-papo online (chat), mensagens instantâneas (msn, icq, skype), entre outros. Www (do inglês world wide web, teia de alcance mundial) É o serviço responsável pela popularidade que a internet ganhou nos últimos anos, devido à interface gráfica usada e à grande quantidade de informações disponíveis. A www consiste em um enorme conjunto de documentos armazenado em computadores de todo o planeta. Esses documentos são chamados de páginas web e são compostos de sons, imagens, animações, vídeos, HIPERTEXTO etc. HIPERTEXTO: Em informática, é um texto destacado que, ao ser clicado, leva o usuário para uma outra página web na internet ou a uma parte diferente da mesma página web. Em geral, quando se passa o ponteiro do mouse sobre um hipertexto, surge uma mãozinha indicando que o usuário pode clicar naquele item. O que é necessário para navegar na www? Os termos "navegar" e "surfar" são muito utilizados pelos usuários da internet para indicar a ação de usar o serviço www. Para navegar na web é necessário que o usuário possua um computador conectado à internet e que possua um software que faça a função de navegador web ou do browser. Existem diversos softwares que desempenham essa função, como, por exemplo, internet Explorer, Firefox e Opera. Como navegar na web utilizando um browser? Uma vez que o computador está conectado à internet , basta abrir o navegador web e, na barra de endereços, digitar, no local em que está escrito endereço ou url (Uniform Resource Locator - Localizador uniforme de recursos), o nome completo da página web que se desejar acessar e depois apertar a tecla Enter no teclado. O nome ou endereço da página web, em geral, já é de conhecimento do usuário ou é fornecido para o mesmo por alguma mídia: um panfleto, uma propaganda no rádio ou TV, entre outras. Caso o usuário não saiba qual o endereço do site (sinônimo para página da web) que deseja acessar, ele pode ir a sites especiais chamados de "buscadores", os quais indicam endereços de sites de acordo com alguma palavra ou frase digitada. Exemplos de sites buscadores são www.google.com, www.cade.com.br. Página 38 de 126
  • 39. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho ATENÇÃO! Mas e o tal do e-mail? O correio eletrônico é um modo particular da internet de trocar mensagens. Mas nem tudo é só alegria. Nós vamos ver as diversas vantagens e praticidades do e-mail, como utilizá-lo e também os males que ele pode trazer ao seu computador, na próxima aula. Segurança na internet Devido a programas maliciosos que são disseminados pela internet, é necessário que os usuários protejam seu computador de possíveis invasores. Os crackers (termo em inglês para os tais invasores, ou "vândalos" da internet) podem tentar capturar senhas, número de cartão de crédito, dados confidenciais, apagar arquivos, desconfigurar um computador ou um site. Figura 30: Vírus sendo propagados através do correio eletrônico Não existe uma forma de se prevenir totalmente dos programas maliciosos. No entanto, existe um conjunto de boas práticas, ou seja, regras a serem seguidas para evitar problemas na internet. Vamos conferir as principais boas práticas de segurança que você deve seguir: Senhas • A senha deve ser fácil de ser memorizada por você. No entanto, é importante que o usuário não utilize dados óbvios, como a data de seu nascimento ou de familiares, a placa do seu veículo, o número do seu telefone, o número de seus documentos pessoais e nomes em geral. • É importante que você não utilize palavras existentes em dicionários, seja de qualquer língua, pois existem programas de computador que usam dicionários para tentar descobrir senhas. • Você deve elaborar uma senha com pelo menos 8 caracteres, que misture letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. • Você deve possuir várias senhas, de acordo com o número de contas que possui; dessa forma, caso alguma delas seja descoberta, as outras contas estarão protegidas. Página 39 de 126
  • 40. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho • Você deve mudar sua senha periodicamente. Se você usa uma senha com uma freqüência diária, é aconselhável que a cada dois meses ou menos você a altere. Já se o uso não é tão frequente, pode-se alterar a cada três ou quatro meses. E se você suspeitar de algum invasor, altere sua senha imediatamente! Uso de programa antivírus São usados softwares desenvolvidos para detectar, anular e eliminar de um computador vírus e outros malwares. Para verificar a existência dos malwares, é necessário que o antivírus faça uma varredura (escaneamento) nos arquivos existentes nos locais (hardwares de armazenamento) definidos pelo usuário. Nessa varredura, o antivírus usa um banco de dados chamado de "lista de definição". Essa lista contém informações para que o antivírus consiga identificar quais arquivos são bons e quais estão infectados com códigos maliciosos. Por isso, é necessário que você mantenha essa lista de definição sempre atualizada! Também existem antivírus que são capazes de encontrar malwares pela identificação de padrões de comportamento suspeito nos softwares. Quando um malware é encontrado, o antivírus tenta recuperar o arquivo, ou seja, remover o vírus do arquivo. Caso isso não seja possível, as opções são apagar o arquivo infectado ou então colocá-lo em quarentena, que é uma pasta especial em que o antivírus guarda os arquivos maliciosos que não puderam ser desinfectados. Os arquivos dessa pasta ficam inacessíveis para outros programas, evitando que o malware se espalhe. Um antivírus não é capaz de detectar 100% das pragas existentes. Esse problema, no entanto, não deve ser resolvido instalando-se outro antivírus, pois isso, em geral, duplicará a quantidade de falsos positivos (um arquivo será dado como contaminado erroneamente), erros, conflitos e causará queda no desempenho do computador. Se o seu antivírus acusar que determinado arquivo é um vírus e você quiser uma segunda opinião, acesse o site www.virustotal.com. Nele você poderá submeter seu arquivo para análise em diversos programas antivírus simultaneamente, o que ajudará em sua decisão. Uso de um firewall pessoal Um antivírus é incapaz de impedir que um invasor tente explorar vulnerabilidades existentes em um computador. Para isso, é necessário o uso de um firewall pessoal, que é um software que controla o tráfego de dados que entram e saem do seu computador, permitindo ou bloqueando determinados acessos de acordo com uma política de segurança. A política de segurança define o que é seguro para aquele computador. Utilizando um firewall pessoal, um usuário pode ser alertado sobre tentativas de conexão, definir quais programas instalados podem acessar a rede local ou a internet , entre outras atividades. Uso de anti-spyware É um software específico para detecção de spywares. Trabalha da mesma forma que o antivírus, no entanto faz a varredura nos dados de entrada provenientes da rede bloqueando os softwares espiões. O anti-spyware também é capaz de detectar e deletar spywares já Página 40 de 126
  • 41. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho existentes no computador, assim como o antivírus faz com os outros malwares. Você deve verificar a legitimidade do anti-spyware antes de instalá-lo em seu computador, pois existem falsos anti-spywares, os quais acabam fazendo o contrário do prometido. Enfim, ao usar um computador, estamos vulneráveis a todos os malwares, não há como garantir que estaremos sempre seguros no uso da informática. Dessa forma, a melhor precaução é usar o computador, principalmente a internet, de forma consciente, evitando entrar em sites de conteúdo duvidoso e clicar em links suspeitos. O bom usuário da internet é aquele que clica nos links somente com a segurança e a certeza de que aquele link é de uma fonte confiável. Para mais informações sobre boas regras de conduta na internet , acesse a cartilha de segurança para internet http://cartilha.cert.br/, desenvolvida pelo CERT.br (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil), mantido pelo NIC.br (Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br). Atualmente, o uso dos serviços oferecidos pela internet já faz parte do cotidiano de todas as médias e grandes empresas e da maioria das pequenas empresas, independentemente do seu ramo de atuação. Dessa forma, para que você conquiste e mantenha uma boa colocação nas empresas, é importante que esteja apto a utilizar as potencialidades oferecidas pela internet. E que saiba fazer isso com muita segurança para não comprometer as informações, softwares e hardwares com os quais estará lidando. RESUMINDO... • A internet consiste em milhares de redes conectadas em todo o planeta. • O motivo de se criar uma rede é para que os computadores pertencentes a ela possam trabalhar de forma colaborativa, isto é, para que possam usar a rede para compartilhar seus recursos e trocar informações. • Um computador pode ser conectado à internet por diversos meios. Os principais meios de conexão residenciais são: linha telefônica, cabo, ADSL e via ondas eletromagnéticas. • Os dois serviços mais populares oferecidos pela internet aos usuários são conhecidos como: www e e-mail. • O www é o serviço responsável pela popularidade que a internet ganhou nos últimos anos e consiste em um enorme conjunto de documentos armazenado em computadores de todo o planeta. Esses documentos são chamados de páginas web e são compostos de sons, imagens, animações, vídeos, hipertexto, entre outros. • Para navegar na web, é necessário que o usuário possua um computador conectado à internet e um software que faça a função de navegador web ou browser. • As principais boas práticas de segurança que você deve seguir são: utilizar senhas robustas e trocá-las periodicamente, programa antivírus, firewall pessoal e anti- spyware. Principalmente, deve usar de forma consciente a internet , ou seja, pensar bem antes de clicar em qualquer link. Página 41 de 126
  • 42. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho 6. CORREIO ELETRÔNICO Antes do surgimento da internet, a comunicação com pessoas distantes era um processo mais demorado e oneroso. Afinal, para realizarmos uma comunicação simultânea, tínhamos que usar o telefone, o qual tem um custo elevado, principalmente em longas distâncias. Para gastarmos menos, tínhamos que usar uma comunicação não-simultânea na forma de carta escrita postada via correios. No entanto, era um processo lento, que demorava dias ou até semanas, dependendo da distância entre remetente e destinatário. E quando tinha greve nos Correios? Não havia previsão de entrega das correspondências. Que demora! Dessa forma, era necessário existir um serviço mais dinâmico, rápido e acessível, e assim surgiu o correio eletrônico, graças à internet. A seguir, você estudará esse popular serviço oferecido pela internet. Correio eletrônico (do inglês Eletronic Mail ou E-mail) O e-mail é um serviço muito comum oferecido pela internet. Este nome encurtado vem do termo em inglês eletronic mail (correio eletrônico). Esse recurso permite que o usuário troque mensagens em tempo ASSÍNCRONO com pessoas em qualquer lugar do mundo. Ou seja, você envia uma mensagem para uma pessoa em qualquer lugar do mundo, e essa mensagem ficará armazenada até que a pessoa verifique sua caixa de correio eletrônico. Não há a necessidade de as pessoas estarem conectadas à internet ao mesmo tempo para receberem mensagem. COMUNICAÇÃO ASSÍNCRONA Significa que os usuários que estão trocando mensagens não precisam estar conectados ao mesmo tempo à internet. A comunicação não é simultânea, ou seja, não ocorre ao mesmo tempo. Criando o seu endereço eletrônico A forma mais simples para se obter um endereço eletrônico é utilizando uma conta gratuita de e-mail. Existem diversos portais que oferecem esse tipo de conta grátis, os principais são: www.yahoo.com.br, www.google.com.br (serviço gmail), www.hotmail.com.br.Basicamente, para registrar o seu e-mail será necessário apenasfornecer alguns dados pessoais solicitados, aceitar os termos de uso do serviço e, obviamente, escolher um e-mail válido e definir uma senha de acesso. A interface de uso de todos é bem intuitiva, por isso, se você ainda não tem um e-mail, faça um agora mesmo! Em caso de dificuldades, solicite auxílio do tutor presencial. Webmails e clientes Para utilizar o e-mail existem duas formas: o uso de um software conhecido como cliente de e-mail ou o uso de um webmail (um site que contém o serviço de e-mail). Alguns Página 42 de 126
  • 43. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho dos clientes de e-mail mais conhecidos são: Outlook , Express, Eudora, entre outros. Já os sites de webmail mais conhecidos são: Yahoo Mail, Gmail, entre outros. Um cliente de e-mail é um software que precisa estar instalado no seu computador para que você seja capaz de mandar e receber e-mails. Com isso, para utilizar um cliente de e-mail, é necessário que você execute o programa cliente de e-mail no seu computador para poder escrever e ler as mensagens. Já no caso do webmail, você precisa ter no seu computador um software navegador web pronto para uso. Basta abrir o navegador e digitar o endereço do webmail na barra de endereços e fazer sua autenticação no site para, dessa forma, ter acesso às suas mensagens. Como enviar um e-mail? E mais: como anexar um arquivo ao e-mail? Uma vez que você criou sua conta de e-mail, seja por meio de um cliente de e-mail ou um webmail, o procedimento para envio de mensagem é o seguinte: Passo 1: Você deve clicar na opção Nova Mensagem ou Escrever. Passo 2: No campo Para, você deve escrever o e-mail do destinatário. Passo 3: No campo Assunto, você deve escrever o assunto da mensagem. Passo 4: No campo maior e inferior, você escreve a mensagem a ser enviada. Passo 5: Você clica no botão ou link Enviar. É claro que pode haver algumas diferenças nos nomes dos campos de acordo com o software ou webmail utilizado. Mas, em geral, a maneira como enviar e-mails não varia muito. Já ouviu falar de arquivos enviados por correio eletrônico? Os famosos "anexos". Eles são um passo extra que pode ser incluído na lista apresentada caso o usuário deseje enviar um arquivo anexado ao e-mail. Para isso, em geral, há um botão denominado Anexar (ou, em inglês, attach). Após clicar nesse botão, surge uma janela que permite ao usuário acessar os hardwares de armazenamento do computador. O usuário deve usar essa nova janela para encontrar o arquivo desejado e clicar nele para que esse seja anexado ao e-mail. Ao enviar a mensagem, o arquivo é enviado com ela. SPAM É um dos problemas associados ao e-mail. Consiste em uma mensagem eletrônica indesejada que o usuário recebe. Por que indesejada? Porque geralmente é uma mensagem enviada em massa (para vários usuários) e que contém, na maioria das vezes, conteúdos de propaganda, promoções, enfim, conteúdo que muitas vezes não é do interesse do usuário. Bons servidores de e-mail possuem filtros anti-spam que buscam identificar esse tipo de mensagem, barrando-as ou então direcionando-as para uma pasta especial. CURIOSIDADE Se você quiser saber a origem da palavra SPAM, acesse http: //www.antispam.br/historia/ Existem diversos tipos de spams. São eles: Página 43 de 126
  • 44. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho a) Hoax (boato): consiste em boatos, lendas, histórias irreais que são difundidas via e- mail. Exemplo: Não ao MSN pago O abaixo-assinado reivindicando a permanência da gratuidade de uso do MSN Messenger circula desde o início 2005 e parece ter surgido em Portugal. As primeiras mensagens diziam que o MSN iria ser pago a partir do mês de março. O mês de março acabou, o serviço continuou gratuito. Novas versões mencionaram os meses seguintes e o serviço permaneceu de uso gratuito. Apesar de não possuir nenhuma consistência, o apelo levou preocupação a vários internautas. A Microsoft, detentora dos direitos sobre o MSN Messenger, afirma que o programa continuará gratuito. b) Correntes: consistem em mensagens que prometem algum benefício para quem as envia para um determinado número de pessoas dentro de um prazo, assim como prometem prejuízos para aqueles que "quebram a corrente". Exemplo: "Importante! Se você apagar isto, sinceramente você não tem coração... Oi, eu tenho 29 anos. Minha esposa e eu tivemos uma vida bonita juntos. Deus também nos abençoou com uma menina. Nossa filha é chamada Raquel e ela tem 10 meses de idade. Há alguns dias os doutores encontraram nela um câncer cerebral. Há só um caminho para salvá- la... operação. Infelizmente, nós não temos bastante dinheiro para cobrir isto. AOL e ZDNET nos ajudarão. Pedimos a você que repasse esse e-mail a todas as pessoas que puder e AOL limpará este e-mail e contará as pessoas recebidas. Cada pessoa que abrir este correio e passar adiante a três pessoas pelo menos, nós receberemos 32 centavos. Por favor, nos ajude. Sinceramente, George Arlington" c) Propagandas: consistem em mensagens que anunciam produtos ou serviços de empresas. É claro que existem empresas sérias que oferecem lista de produtos em promoção para seus clientes cadastrados, mas quando trata-se de spam, geralmente são empresas desonestas que oferecem produtos ilegais, proibidos, eróticos ou piratas. Exemplo: "QUER MAIS ROMANCE? CONQUISTE MAIS NAMORADAS OU NAMORADOS! Os FEROMÔNIOS criam um efeito AFRODISÍACO no sexo oposto. As pessoas do SEXO oposto subconscientemente detectam esse perfume e sentem-se instantaneamente atraídas por você. Para Atrair mulheres Acesse www.*********************.com " d) Golpes: consistem em mensagens que oferecem oportunidades de negócio enganosas que prometem dinheiro rápido. Porém, para isso, pede-se que a pessoa deposite uma quantia em dinheiro na conta de quem a convidou para ter o direito de convidar outras pessoas. Exemplo: "Quero aqui lhe mostrar como você pode ganhar MAIS DE 5.000 DÓLARES POR MÊS sem sair de casa. Isso não é nenhuma enganação ou truque. Por exemplo: se você Página 44 de 126
  • 45. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho recomenda 5 amigos, e estes 5 amigos recomendarem mais 5 amigos cada um e assim sucessivamente até o quinto nível, e se cada um navegar em média 15 horas por mês, você ganha $5.866,00!!! Parece impossível, mas não é. É a pura verdade. Não é nenhuma enganação." Para tentar auxiliar o usuário na detecção de spams, os principais webmails possuem uma pasta especial denominada spam. Os e-mails que são suspeitos de serem spam, assim que recebidos, são armazenados automaticamente nessa pasta. Contudo esse mecanismo não possui 100% de acerto e você deve ficar atento antes de clicar em qualquer e-mail. Sarnas eletrônicas?! Vírus e outras perebas que o seu computador pode pegar! Os programas maliciosos (em inglês malwares) podem ser enviados via e- mail para diversos usuários. Esses softwares vão disfarçados nas mensagens, fazendo com que o usuário clique neles para executá-los. Existem diversos tipos de softwares maliciosos e eles são classificados basicamente em: Vírus, Worms, Trojans (Cavalos de Tróia) e Spywares. Vírus São programas que infectam outros programas e arquivos. Têm como objetivo importunar o usuário do computador. Podem apagar arquivos, criar pastas, desconfigurar o sistema operacional, entre outras ações danosas ao usuário. Os vírus podem se multiplicar e se espalhar para outros computadores sem que o usuário saiba. Para isso, precisam de um arquivo ou programa hospedeiro. Como você sabe, todo programa, para ser executado, deve antes passar pela memória principal. Bem, o vírus é um programa de computador, portanto, ele tem que dar um jeito de ser carregado para a memória principal. Por isso, ele precisa de um outro programa hospedeiro, pois assim que o usuário executar o programa hospedeiro, o mesmo irá para a memória principal levando também o vírus que terá seu código malicioso executado. Worms O termo worm vem do inglês e significa verme. São chamados dessa maneira porque lembram o comportamento de algumas larvas de insetos: comem e se multiplicam. São semelhantes aos vírus. No entanto, o principal objetivo do worm é se replicar e contaminar diversos computadores. Podem também enviar spam e abrir caminho para entrada de novos worms. Existem alguns conhecidos como bots, os quais são capazes de ser controlados por um invasor, que através da rede orienta as suas ações danosas no computador infectado. O worm não necessita de um arquivo ou programa hospedeiro para se replicar, como no caso do vírus. O worm tem por si só a capacidade de se propagar através da rede. Para se espalharem, os worms exploram as vulnerabilidades existentes na rede. Vulnerabilidades são falhas de segurança na rede que constituem uma ameaça de invasão ao computador. Existem Página 45 de 126
  • 46. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho softwares chamados exploits, que são utilizados para descobrir essas vulnerabilidades. Trojans Também conhecidos como cavalos de Tróia, têm como objetivo fragilizar o sistema de defesa do computador e torná-lo vulnerável. O trojan, geralmente, é recebido em forma de um presente (cartão, jogos, protetor de tela, entre outros), só que é o famoso presente de grego, pois junto com o presente ele pode trazer um vírus, ser responsável por envio de spams para a lista de e-mail do usuário, entre outras ações prejudiciais. Um outro computador na rede pode assumir o controle de um computador que tenha um cavalo de Tróia instalado. Os trojans não se espalham sozinhos; eles precisam ser instalados no computador. E o que leva os usuários a instalarem esse tipo de programa é justamente o fato de vir disfarçado como um presente. Um exemplo que tem grande possibilidade de ser um trojan é se você receber um cartão virtual de alguém que você não conhece e que precisa ser copiado para o seu computador para funcionar. Outro exemplo é se você receber um e-mail da empresa Serasa para notificação ou verificação de pendências financeiras, solicitando que você copie para sua máquina um relatório. Por isso, você, como usuário dos serviços da internet, deve ficar atento e pensar duas vezes antes de clicar em qualquer link. MULTIMÍDIA O nome deste malware vem da famosa invasão de Tróia, contada nas Ilíadas, e recontada no filme Tróia. Neste filme, é mostrado como o "Cavalo de Tróia" foi uma surpresa um tanto desagradável para os troianos. Vale a pena assistir! Spyware Spywares (do inglês, spy espião) são programas de computador que objetivam monitorar a interação do usuário com o computador. Dessa forma, conseguem obter diversas informações pessoais do usuário e determinar os hábitos e comportamento do mesmo. As informações pessoais obtidas podem ser enviadas pela internet sem o conhecimento do usuário. Um spyware não se espalha para outros computadores por si só; ele precisa ser instalado pelo usuário. Isso, em geral, é feito pelo usuário por engano, através da instalação de softwares FREEWARES ou SHAREWARES que carregam junto deles softwares espiões e também via trojan. FREEWARES: Programas gratuitos ou com pagamento opcional. SHAREWARES: Programas com versão limitada dos recursos ou também o programa completo mas restrito a certo período de tempo para uso. Enfim, trata-se de uma propaganda para que o consumidor compre a versão não-gratuita futuramente. Um dos principais tipos de spyware é o keylogger, que é um programa capaz de armazenar as teclas digitadas pelo usuário via teclado. Outro spyware bem conhecido é o screenlogger, que é capaz de tirar uma foto da região da tela ao redor do ponteiro do mouse, Página 46 de 126
  • 47. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho quando o usuário clica. MULTIMÍDIA Para mais informações sobre ameaças da internet, acesse o site http://www.antispam.br/ que é mantido pela CGI - Comitê Gestor de Internet do Brasil. RESUMINDO... • O e-mail permite que o usuário troque mensagens em tempo assíncrono (significa que os usuários que estão trocando mensagens não precisam estar conectados ao mesmo tempo à internet) com pessoas em qualquer lugar do mundo; • Para se utilizar o e-mail existem duas formas: o uso de um software conhecido como cliente de e-mail, ou a utilização de um webmail (um site que contém o serviço de e-mail); • Spam é um dos problemas associados ao uso de e-mail. Consiste em uma mensagem eletrônica indesejada que o usuário recebe. Pode ser de diversos tipos: hoax, corrente, propagandas, golpes e programas maliciosos (vírus, worms, trojans, spywares); Página 47 de 126
  • 48. Informática Aplicada a Ed. Física Professor: João Filho 7. PROCESSADOR DE TEXTOS Um pouco de história... O ser humano tem como característica repassar o conhecimento adquirido para as gerações futuras. Para realizar isso, eram utilizadas a escrita e as ilustrações. Antigamente tudo era feito a mão, o que tornava o processo trabalhoso e lento para o escritor. Houve um avanço tecnológico com a chegada da máquina de escrever, tornando o processo de redação mais rápido, por meio da datilografia. Figura 31: A máquina de escrever, hoje em dia, já é considerada por muitos "peça de museu". O site Virtual Typewriter Museum (que na tradução do inglês para o português significa "Museu Virtual da Máquina de Escrever") é a adaptação de um livro que conta a história dessa invenção do século XIX: http://www.typewritermuseum.org/ No entanto, a máquina de escrever não permitia a inserção de figuras, quadros e tabelas, além de apresentar outras limitações. Já com a chegada do computador e dos aplicativos de processamento de textos, o modo de produzir textos foi alterado significativamente. Alguma vez você já teve que utilizar uma máquina de escrever? Imagine que você cometesse um erro qualquer na digitação, sendo que o documento não pudesse ter rasuras. O que você iria fazer? Provavelmente digitaria o documento todo novamente, não é mesmo? Muito mais simples é resolver esse tipo de problema quando utilizamos um PROCESSADOR DE TEXTO no computador, pois um erro pode ser apagado facilmente apertando a tecla "Delete".