SlideShare uma empresa Scribd logo
Antígeno e Estrutura do Anticorpo
Antígenos-definições Imunógeno:  substância que pode induzir uma resposta imune. Antígeno:  qualquer substância que pode se ligar a anticorpos.
Antígenos-definições Hapteno:  não induz a produção de anticorpos, mas podem se ligar a eles, uma vez que a resposta tenha se produzido. Epitopo ou determinante antigênico :  porção do antígeno que se liga no anticorpo.
A produção de Acs pode ser induzida por haptenos ou antígenos completos.

Recomendado para você

A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503

O documento descreve os conceitos gerais do sistema imune, incluindo suas principais células, tecidos e funções de defesa. Detalha a imunidade inata, que é a primeira linha de defesa, e a imunidade adquirida, que é específica. Explora os componentes, como células apresentadoras de antígeno e linfócitos T e B, assim como as fases da resposta imune adquirida, incluindo o reconhecimento, ativação e mecanismos efetores.

Imunidade adaptativa
Imunidade adaptativaImunidade adaptativa
Imunidade adaptativa

1. O documento descreve os principais aspectos da resposta imune adaptativa, incluindo a estrutura e função dos anticorpos, as bases celulares da formação de anticorpos, e a memória imunológica. 2. A resposta imune adaptativa existe para combater microrganismos que escapam da resposta imune inata. Ela envolve linfócitos B e T que reconhecem antígenos de forma específica. 3. A resposta imune pode ser ativa, induzida pela exposição a um antígeno, ou passiva, confer

imunologia
Imunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos ClínicosImunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos Clínicos

O documento discute um caso clínico de um homem de 35 anos que recebeu transplante de rim recentemente e apresentou sintomas de infecção por citomegalovírus (CMV). O exame com maior poder diagnóstico nesta situação é o monitoramento virológico para detecção de antígeno pp65 do CMV.

medicinalaboratoroslaboratorial
Propriedades intrínsecas dos antígenos proteicos que influenciam a imunogenicidade
Adjuvantes.
Dose de antígeno usada na imunização inicial afeta a resposta de anticorpos primária e secundária.
Fatores que influenciam a resposta ao antígeno.

Recomendado para você

Imunodiagnostico
ImunodiagnosticoImunodiagnostico
Imunodiagnostico

O documento descreve vários testes diagnósticos baseados em imunologia, incluindo anticorpos monoclonais, reações de precipitação, aglutinação e neutralização. Também discute técnicas como imunofluorescência, ELISA, Western Blotting e o uso de anticorpos monoclonais no diagnóstico e terapia.

Sistema Complemento
Sistema ComplementoSistema Complemento
Sistema Complemento

O documento descreve o sistema complemento, incluindo suas características gerais, funções, vias de ativação clássica e alternativa, componentes, convertases, complexo de ataque à membrana, receptores, funções e proteínas regulatórias.

imunologiasistema complemento
Ativação das células T
Ativação das células TAtivação das células T
Ativação das células T

O documento descreve os processos de ativação e diferenciação dos linfócitos T, incluindo o desenvolvimento no timo, reconhecimento de antígenos, receptores de células T, ativação por células apresentadoras de antígeno, e diferenciação em subpopulações efetoras e regulatórias. É discutida a descoberta das células Th17 e seu papel na mediação de respostas inflamatórias, assim como os mecanismos utilizados pelas células T regulatórias.

celulas timunologia
Antígenos e epítopos dos linfócitos B Acs contra proteinas nativas são geralmente dirigidos contra resíduos situados na superfície. O local de ligação do Ag em qualquer molécula de Ac possui um tamanho fixo ( 3 a 6 resíduos de aas. ou açúcares. A maioria dos epítopos reconhecidos pelos linfócitos B são conformacionais.
Anticorpos se ligam à superfície das proteinas
Antígenos e epítopos de linfócitos T O linfócito T não reconhece antígenos livres, porém reconhecem epítopos associados às moléculas do MHC sobre a superfície das CAA. Portanto, o linfócito T reconhece epítopos sequenciais.
Imunodominância Os resíduos dentro de um determinado epítopo que contribuem de modo desproporcional para as interações com um Ac ou TCR são denominados  imunodominantes. Podem também proporcionar maior afinidade de ligação com o Ac ou TCR.

Recomendado para você

Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos

O documento descreve a estrutura molecular dos anticorpos, compostos por quatro cadeias polipeptídicas unidas por pontes dissulfeto. Cada cadeia possui domínios variáveis e constantes, sendo os domínios variáveis responsáveis pela ligação ao antígeno. Existem cinco classes de anticorpos em humanos (IgG, IgA, IgM, IgD, IgE) com diferentes funções imunológicas.

imunologiaanticorpos
Imunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata AdaptativaImunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata Adaptativa

A imunidade inata é a primeira linha de defesa do corpo contra patógenos e inclui barreiras epiteliais, células fagocíticas, proteínas do complemento e citocinas. Ela reconhece padrões moleculares associados a patógenos através de receptores e estimula a resposta imune adaptativa através da apresentação de antígenos e secreção de citocinas.

imunologiaimunidade inata
Hipersensibilidade tipo III
Hipersensibilidade tipo  IIIHipersensibilidade tipo  III
Hipersensibilidade tipo III

O documento discute a hipersensibilidade do tipo III, também conhecida como hipersensibilidade mediada por imunocomplexos. Neste tipo de reação, anticorpos se ligam a antígenos endógenos ou exógenos formando complexos que são depositados nos tecidos, ativando o sistema complemento e recrutando neutrófilos, causando lesão tecidual. Doenças como artrite reumatoide, glomerulonefrite e lúpus eritematoso sistêmico envolvem este mecanismo de hipersensibilidade

Antígenos Timo-dependentes Para que ocorra a produção de anticorpos contra a maioria dos antígenos, o linfócito B recebe dois sinais: um é próprio reconhecimento antigênico  e o outro é fornecido pelo linfócito T
Antígenos Timo-independentes Ag timo-independentes são aqueles que induzem uma resposta humoral sem a participação de linfócitos T. A maioria destes antígenos são polímeros compostos de numerosa unidades químicas repetitivas, que podem ativar o linfocito B por ligação cruzada a receptores de superfície específicos. Não induzem memória imunológica.
Imunoglobulina ou Anticorpo
Imunoglobulina ou Anticorpo

Recomendado para você

Antigenos e Anticorpos
Antigenos e AnticorposAntigenos e Anticorpos
Antigenos e Anticorpos

O documento descreve a estrutura e funções dos anticorpos, incluindo suas cadeias leves e pesadas, regiões Fab e Fc, ligação ao antígeno, e diferentes isotipos como IgG, IgA e IgM. Também discute conceitos como antígeno, determinantes antigênicos, afinidade, avidez e as forças de interação entre antígeno e anticorpo.

imunologiaantigenosanticorpos
Moleculas mhc1
Moleculas mhc1Moleculas mhc1
Moleculas mhc1

O documento descreve o complexo principal de histocompatibilidade (MHC), que secreta glicoproteínas nas células que apresentam antígenos para células T. O MHC foi descoberto como um locus genético que determina a aceitação ou rejeição de transplantes. Sua função principal é apresentar peptídeos antigênicos para células T restritas ao MHC.

Linfócitos B
Linfócitos BLinfócitos B
Linfócitos B

O documento descreve os linfócitos B e a resposta imune humoral. Ele discute a origem, maturação e ativação dos linfócitos B, resultando na diferenciação em plasmócitos que secretam anticorpos. As principais funções dos anticorpos incluem neutralização, opsonização, ativação do sistema complemento e citotoxicidade celular dependente de anticorpos.

imunologialinfocitos b
Estrutura da molécula de anticorpo
Digestão da Ig por enzimas
Regiões de hipervariabilidade
Forças de atração intermoleculares

Recomendado para você

Antígeno
AntígenoAntígeno
Antígeno

O documento define antígeno como qualquer material que pode ser reconhecido pelo sistema imunológico de um organismo. Todo imunógeno é um antígeno, mas nem todo antígeno é um imunógeno, pois nem todo antígeno é capaz de estimular uma resposta imune. Para ser considerado imunogênico, um antígeno precisa ser estranho, ter alto peso molecular, ter complexidade química e ter capacidade de ser degradado.

Antigeno e Anticorpo
Antigeno e AnticorpoAntigeno e Anticorpo
Antigeno e Anticorpo

Resumo de Antígeno e Anticorpo. Estrutura molecular, tipos de anticorpo, determinantes antigênicos, características , funções, epítopo.

receptoresleucocitosantigeno y anticuerpo
ICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - HipersensibilidadesICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - Hipersensibilidades

O documento discute as reações de hipersensibilidade, especificamente: 1) A hipersensibilidade imediata do tipo I, que causa alergias, envolve a produção de anticorpos IgE que ativam mastócitos e causam liberação de mediadores; 2) A hipersensibilidade do tipo II envolve anticorpos que se ligam diretamente a células, causando sua lisagem ou ativação de células inflamatórias; 3) A hipersensibilidade do tipo III envolve lesões causadas por depósito de

A bi-funcionalidade da molécula de Ac MICRÓBIO 2 - NÃO SE LIGA AO ANTICORPO LIGAÇÃO DO Fc AO FAGÓCITO Fab Uma região da molécula é responsável  pela ligação ao  antígeno enquanto  uma  região  diferente  promove  as  chamadas atividades biológicas, que incluem  a  fixação do complemento,a ligação da  imunoglobulina à tecidos do hospedeiro, às várias células do sistema imune etc. Fc
Especificidade da molécula de anticorpo Os anticorpos são altamente específicos para a  conformação tridimensional do epítopo . EPÍTOPO
Respostas policlonais As  moléculas  de  anticorpo  não  se  ligam  ao  antígeno como um todo. Vários anticorpos podem reconhecer um mesmo antígeno , com cada molécula  ligando-se a  uma  região  restrita (epítopo).
Ligação do Ag ao sítio combinatório do Ac.

Recomendado para você

Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunosEstrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos

O documento descreve as estruturas e funções dos anticorpos. Apresenta as imunoglobulinas como proteínas que ligam antígenos. Descreve a estrutura dos anticorpos como moléculas compostas por cadeias leves e pesadas. Detalha as cinco classes principais de anticorpos (IgG, IgM, IgA, IgD e IgE) e suas propriedades e funções.

Imunidade Inata
Imunidade InataImunidade Inata
Imunidade Inata

A imunidade inata é a primeira linha de defesa contra patógenos e previne a infecção do hospedeiro. Ela reconhece características comuns de micróbios através de receptores e produz citocinas que recrutam outras células imunes. A imunidade inata também estimula a resposta imune adaptativa, influenciando sua eficácia contra diferentes tipos de patógenos.

imunologiaimunidade inata
Antígenos
AntígenosAntígenos
Antígenos

O documento discute as propriedades de antígenos, incluindo antigênicidade, que é a ligação específica a anticorpos ou receptores de linfócitos T, e imunogenicidade, que é a capacidade de gerar uma resposta imune. Fatores como tamanho, complexidade, distância filogenética e via de administração influenciam a imunogenicidade de uma substância. Haptenos são moléculas pequenas que não são imunogênicas sozinhas, mas podem agir como imunógenos quando associadas a macromolé

imunologiaantigenos
Organização genômica das cadeias leve e pesadas da Igs
Rearranjo gênico das cadeias pesadas das Igs
Rearranjo gênico das cadeias leves das Igs
Número de segmentos nos genes das Igs humanas

Recomendado para você

Anticorpos: estrutura, classes, subclasses e atividades biológicas
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses  e atividades biológicasAnticorpos: estrutura, classes, subclasses  e atividades biológicas
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses e atividades biológicas

O documento descreve a estrutura e classes de anticorpos, incluindo suas cadeias, domínios e sítios de ligação ao antígeno. Existem cinco classes principais de anticorpos (IgG, IgA, IgM, IgD e IgE) que diferem em sua estrutura e funções, como neutralização de toxinas, ativação do complemento e respostas imunes primárias e secundárias.

imunologiaanticorposteorica
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpoAp3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpo

O documento descreve as bases da interação antígeno-anticorpo, incluindo a classificação primária, secundária e terciária da interação e a estrutura do anticorpo com suas cadeias polipeptídicas e classes. Também explica como o anticorpo reconhece especificamente os epítopos do antígeno por meio de forças de atração entre os radicais do antígeno e os aminoácidos do anticorpo.

imunologiaantigenoanticorpo
Aula1 imuno clínica revisional
Aula1 imuno clínica  revisionalAula1 imuno clínica  revisional
Aula1 imuno clínica revisional

O documento descreve as principais células do sistema imune, incluindo linfócitos T e B, células apresentadoras de antígeno e leucócitos. Detalha os órgãos linfóides primários e secundários, como o baço e linfonodos, que hospedam as células imunes. Também define antígenos, imunógenos e epítopos, que são reconhecidos pelas células do sistema imune.

Determinantes isotípicos
Determinantes isotípicos
Determinantes idiotípicos
Isotipos de Imunoglobulinas

Recomendado para você

Estrutura e função dos anticorpos
Estrutura e função dos anticorposEstrutura e função dos anticorpos
Estrutura e função dos anticorpos

O documento descreve a estrutura e função dos anticorpos. Os anticorpos, também chamados de imunoglobulinas, são moléculas glicoprotéicas secretadas pelos plasmócitos que reconhecem e se ligam a antígenos, direcionando-os para degradação. Eles possuem duas cadeias leves idênticas e duas cadeias pesadas idênticas, e existem cinco classes principais: IgG, IgM, IgA, IgD e IgE.

ICSA17 - Antígenos e anticorpos
ICSA17 - Antígenos e anticorposICSA17 - Antígenos e anticorpos
ICSA17 - Antígenos e anticorpos

O documento descreve a estrutura e funções de anticorpos. Apresenta que anticorpos são glicoproteínas secretadas por linfócitos B que conferem especificidade à resposta imune humoral. Descreve também que são formados por cadeias pesadas e leves ligadas por pontes dissulfeto, e possuem regiões Fab que se ligam a antígenos e regiões Fc que ativam outras células do sistema imune.

Respostas imunes humorais
Respostas imunes humoraisRespostas imunes humorais
Respostas imunes humorais

A imunidade humoral é mediada por anticorpos e é importante para neutralizar microorganismos extracelulares e toxinas. As células B produzem anticorpos específicos em resposta a antígenos e requerem a ajuda de células T para respostas eficazes contra antígenos proteicos. A ativação das células B envolve a ligação do antígeno ao receptor, sinalização intracelular e estímulos secundários de células T e complemento, levando à proliferação e diferenciação das células B.

respostas imunes humorais resumo capitulo imunolog
Isotipos de Imunoglobulinas
Isotipos de Imunoglobulinas
Isotipos de Imunoglobulinas
Subclasses de IgG humana

Recomendado para você

Resposta inata
Resposta inataResposta inata
Resposta inata

O documento discute os principais componentes e mecanismos da imunidade inata, incluindo células como macrófagos, neutrófilos e células NK; proteínas como o complemento; e receptores de reconhecimento de padrão como os receptores Toll-like. A imunidade inata é responsável pela primeira linha de defesa contra patógenos e ativa a resposta imune adaptativa.

imunologia
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia

O documento descreve as propriedades gerais das respostas imunológicas. Discutem-se os componentes celulares e não celulares da imunidade natural e adquirida, incluindo linfócitos, células apresentadoras de antígeno, células efetoras, anticorpos e citocinas. Explica-se como a imunidade natural fornece a primeira linha de defesa contra infecções, enquanto a imunidade adquirida é estimulada pela exposição a antígenos e possui especificidade e memória.

Anticorpos Função
Anticorpos FunçãoAnticorpos Função
Anticorpos Função

O documento descreve as principais funções dos fragmentos Fab e Fc dos anticorpos. O fragmento Fab se liga ao antígeno especificamente, enquanto o Fc promove a ação efetora do anticorpo ao interagir com outras células. As principais funções dos anticorpos incluem neutralização, opsonização, ADCC e ativação do complemento. Cada classe de anticorpo (IgG, IgA, IgM, etc) tem funções específicas nessas respostas imunes.

imunologiafunçãoanticorpos
Estrutura da IgA secretora
Formação da IgA secretora
Propriedades físicas das Igs humanas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e AlergiasDoenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Isabel Lopes
 
Imunologia do transplante
Imunologia do transplanteImunologia do transplante
Imunologia do transplante
Messias Miranda
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
Ricardo Portela
 
A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503
Thaís Brito
 
Imunidade adaptativa
Imunidade adaptativaImunidade adaptativa
Imunidade adaptativa
Silas Gouveia
 
Imunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos ClínicosImunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos Clínicos
Publicações Weinmann
 
Imunodiagnostico
ImunodiagnosticoImunodiagnostico
Imunodiagnostico
Taillany Caroline
 
Sistema Complemento
Sistema ComplementoSistema Complemento
Sistema Complemento
LABIMUNO UFBA
 
Ativação das células T
Ativação das células TAtivação das células T
Ativação das células T
LABIMUNO UFBA
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
LABIMUNO UFBA
 
Imunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata AdaptativaImunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata Adaptativa
LABIMUNO UFBA
 
Hipersensibilidade tipo III
Hipersensibilidade tipo  IIIHipersensibilidade tipo  III
Hipersensibilidade tipo III
Pamela botelho pinheiro
 
Antigenos e Anticorpos
Antigenos e AnticorposAntigenos e Anticorpos
Antigenos e Anticorpos
LABIMUNO UFBA
 
Moleculas mhc1
Moleculas mhc1Moleculas mhc1
Moleculas mhc1
Gildo Crispim
 
Linfócitos B
Linfócitos BLinfócitos B
Linfócitos B
LABIMUNO UFBA
 
Antígeno
AntígenoAntígeno
Antígeno
Gildo Crispim
 
Antigeno e Anticorpo
Antigeno e AnticorpoAntigeno e Anticorpo
Antigeno e Anticorpo
Dr. Mauricio Ferrufino Sequeiros
 
ICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - HipersensibilidadesICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - Hipersensibilidades
Ricardo Portela
 
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunosEstrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
Gildo Crispim
 
Imunidade Inata
Imunidade InataImunidade Inata
Imunidade Inata
LABIMUNO UFBA
 

Mais procurados (20)

Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e AlergiasDoenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
 
Imunologia do transplante
Imunologia do transplanteImunologia do transplante
Imunologia do transplante
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
 
A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503
 
Imunidade adaptativa
Imunidade adaptativaImunidade adaptativa
Imunidade adaptativa
 
Imunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos ClínicosImunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos Clínicos
 
Imunodiagnostico
ImunodiagnosticoImunodiagnostico
Imunodiagnostico
 
Sistema Complemento
Sistema ComplementoSistema Complemento
Sistema Complemento
 
Ativação das células T
Ativação das células TAtivação das células T
Ativação das células T
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
 
Imunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata AdaptativaImunidade Inata Adaptativa
Imunidade Inata Adaptativa
 
Hipersensibilidade tipo III
Hipersensibilidade tipo  IIIHipersensibilidade tipo  III
Hipersensibilidade tipo III
 
Antigenos e Anticorpos
Antigenos e AnticorposAntigenos e Anticorpos
Antigenos e Anticorpos
 
Moleculas mhc1
Moleculas mhc1Moleculas mhc1
Moleculas mhc1
 
Linfócitos B
Linfócitos BLinfócitos B
Linfócitos B
 
Antígeno
AntígenoAntígeno
Antígeno
 
Antigeno e Anticorpo
Antigeno e AnticorpoAntigeno e Anticorpo
Antigeno e Anticorpo
 
ICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - HipersensibilidadesICSA17 - Hipersensibilidades
ICSA17 - Hipersensibilidades
 
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunosEstrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
 
Imunidade Inata
Imunidade InataImunidade Inata
Imunidade Inata
 

Destaque

Antígenos
AntígenosAntígenos
Antígenos
LABIMUNO UFBA
 
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses e atividades biológicas
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses  e atividades biológicasAnticorpos: estrutura, classes, subclasses  e atividades biológicas
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses e atividades biológicas
LABIMUNO UFBA
 
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpoAp3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
LABIMUNO UFBA
 
Aula1 imuno clínica revisional
Aula1 imuno clínica  revisionalAula1 imuno clínica  revisional
Aula1 imuno clínica revisional
Aline Garcia
 
Estrutura e função dos anticorpos
Estrutura e função dos anticorposEstrutura e função dos anticorpos
Estrutura e função dos anticorpos
Patricia Costa
 
ICSA17 - Antígenos e anticorpos
ICSA17 - Antígenos e anticorposICSA17 - Antígenos e anticorpos
ICSA17 - Antígenos e anticorpos
Ricardo Portela
 
Respostas imunes humorais
Respostas imunes humoraisRespostas imunes humorais
Respostas imunes humorais
Guilherme Schmitt de Andrade
 
Resposta inata
Resposta inataResposta inata
Resposta inata
LABIMUNO UFBA
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
Janine Rafael
 
Anticorpos Função
Anticorpos FunçãoAnticorpos Função
Anticorpos Função
LABIMUNO UFBA
 
Imunidades das mucosas
Imunidades das mucosasImunidades das mucosas
Imunidades das mucosas
LABIMUNO UFBA
 
Receptores linfócitos
Receptores linfócitosReceptores linfócitos
Receptores linfócitos
LABIMUNO UFBA
 
Sistema complemento
Sistema complementoSistema complemento
Sistema complemento
LABIMUNO UFBA
 
Linfócitos B
Linfócitos BLinfócitos B
Linfócitos B
LABIMUNO UFBA
 
Tolerância
TolerânciaTolerância
Tolerância
LABIMUNO UFBA
 
Infecções
InfecçõesInfecções
Infecções
LABIMUNO UFBA
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
LABIMUNO UFBA
 
Ri virus helmintos
Ri virus helmintosRi virus helmintos
Ri virus helmintos
LABIMUNO UFBA
 
Imunofluorescencia
ImunofluorescenciaImunofluorescencia
Imunofluorescencia
LABIMUNO UFBA
 
Aspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresAspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumores
LABIMUNO UFBA
 

Destaque (20)

Antígenos
AntígenosAntígenos
Antígenos
 
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses e atividades biológicas
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses  e atividades biológicasAnticorpos: estrutura, classes, subclasses  e atividades biológicas
Anticorpos: estrutura, classes, subclasses e atividades biológicas
 
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpoAp3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
Ap3 - Bases da Interação intígeno anticorpo
 
Aula1 imuno clínica revisional
Aula1 imuno clínica  revisionalAula1 imuno clínica  revisional
Aula1 imuno clínica revisional
 
Estrutura e função dos anticorpos
Estrutura e função dos anticorposEstrutura e função dos anticorpos
Estrutura e função dos anticorpos
 
ICSA17 - Antígenos e anticorpos
ICSA17 - Antígenos e anticorposICSA17 - Antígenos e anticorpos
ICSA17 - Antígenos e anticorpos
 
Respostas imunes humorais
Respostas imunes humoraisRespostas imunes humorais
Respostas imunes humorais
 
Resposta inata
Resposta inataResposta inata
Resposta inata
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
 
Anticorpos Função
Anticorpos FunçãoAnticorpos Função
Anticorpos Função
 
Imunidades das mucosas
Imunidades das mucosasImunidades das mucosas
Imunidades das mucosas
 
Receptores linfócitos
Receptores linfócitosReceptores linfócitos
Receptores linfócitos
 
Sistema complemento
Sistema complementoSistema complemento
Sistema complemento
 
Linfócitos B
Linfócitos BLinfócitos B
Linfócitos B
 
Tolerância
TolerânciaTolerância
Tolerância
 
Infecções
InfecçõesInfecções
Infecções
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Ri virus helmintos
Ri virus helmintosRi virus helmintos
Ri virus helmintos
 
Imunofluorescencia
ImunofluorescenciaImunofluorescencia
Imunofluorescencia
 
Aspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresAspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumores
 

Semelhante a Antígeno Anticorpo

silo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdf
silo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdfsilo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdf
silo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdf
mariane211488
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
Messias Miranda
 
IMUNIDADE III
IMUNIDADE IIIIMUNIDADE III
Resumo 1
Resumo 1Resumo 1
Resumo 1
Jimmy Joy
 
S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01
Pelo Siro
 
Fabiane apresenta￧ ̄o+anticorpos
Fabiane apresenta￧ ̄o+anticorposFabiane apresenta￧ ̄o+anticorpos
Fabiane apresenta￧ ̄o+anticorpos
guestd78ba9e
 
16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T
guest08fb138a
 
Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]
Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]
Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]
Profª. Zilka Nanes Lima - UEPB - Microbiologia e Imunologia
 
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdfImunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
vitorepalmeida1
 
Apresentação imunologia
Apresentação imunologiaApresentação imunologia
Apresentação imunologia
Gildo Crispim
 
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
Leonor Vaz Pereira
 
Imunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdf
Imunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdfImunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdf
Imunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdf
Wilmara Carvalho
 
Abbas - Imunologia- 9ª Edição.pdf
Abbas - Imunologia- 9ª Edição.pdfAbbas - Imunologia- 9ª Edição.pdf
Abbas - Imunologia- 9ª Edição.pdf
André Tomaz Terra Júnior
 
Imuno 3
Imuno 3Imuno 3
Imuno 3
Artur Melo
 
Mecanismos efetores da imunidade humoral
Mecanismos efetores da imunidade humoralMecanismos efetores da imunidade humoral
Mecanismos efetores da imunidade humoral
Guilherme Schmitt de Andrade
 
Aula 4 imunidade adquirida
Aula 4 imunidade adquiridaAula 4 imunidade adquirida
Aula 4 imunidade adquirida
Adila Trubat
 
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
Teresa Cardoso
 
Tolerância imunológica
Tolerância imunológicaTolerância imunológica
Tolerância imunológica
Mara Farias
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
Silas Gouveia
 
Anticorpos Monoclonais
Anticorpos MonoclonaisAnticorpos Monoclonais
Anticorpos Monoclonais
LABIMUNO UFBA
 

Semelhante a Antígeno Anticorpo (20)

silo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdf
silo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdfsilo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdf
silo.tips_anticorpos-estrutura-e-funao.pdf
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
 
IMUNIDADE III
IMUNIDADE IIIIMUNIDADE III
IMUNIDADE III
 
Resumo 1
Resumo 1Resumo 1
Resumo 1
 
S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01
 
Fabiane apresenta￧ ̄o+anticorpos
Fabiane apresenta￧ ̄o+anticorposFabiane apresenta￧ ̄o+anticorpos
Fabiane apresenta￧ ̄o+anticorpos
 
16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T
 
Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]
Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]
Parte_2_ImunologiaBásica_Antígenos_Anticorpos_Complemento_ [Profª.Zilka]
 
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdfImunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
 
Apresentação imunologia
Apresentação imunologiaApresentação imunologia
Apresentação imunologia
 
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
 
Imunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdf
Imunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdfImunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdf
Imunologia celular e molecular 9. ed. - Abbas.pdf
 
Abbas - Imunologia- 9ª Edição.pdf
Abbas - Imunologia- 9ª Edição.pdfAbbas - Imunologia- 9ª Edição.pdf
Abbas - Imunologia- 9ª Edição.pdf
 
Imuno 3
Imuno 3Imuno 3
Imuno 3
 
Mecanismos efetores da imunidade humoral
Mecanismos efetores da imunidade humoralMecanismos efetores da imunidade humoral
Mecanismos efetores da imunidade humoral
 
Aula 4 imunidade adquirida
Aula 4 imunidade adquiridaAula 4 imunidade adquirida
Aula 4 imunidade adquirida
 
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
 
Tolerância imunológica
Tolerância imunológicaTolerância imunológica
Tolerância imunológica
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
 
Anticorpos Monoclonais
Anticorpos MonoclonaisAnticorpos Monoclonais
Anticorpos Monoclonais
 

Mais de LABIMUNO UFBA

Órgãos linfóides
Órgãos linfóidesÓrgãos linfóides
Órgãos linfóides
LABIMUNO UFBA
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
LABIMUNO UFBA
 
Resposta imune infecções
Resposta imune infecçõesResposta imune infecções
Resposta imune infecções
LABIMUNO UFBA
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo I
LABIMUNO UFBA
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IV
LABIMUNO UFBA
 
Critérios de Validação
Critérios de ValidaçãoCritérios de Validação
Critérios de Validação
LABIMUNO UFBA
 
Citometria de fluxo
Citometria de fluxoCitometria de fluxo
Citometria de fluxo
LABIMUNO UFBA
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
LABIMUNO UFBA
 
Resposta imune celular
Resposta imune celularResposta imune celular
Resposta imune celular
LABIMUNO UFBA
 
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosProcessamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
LABIMUNO UFBA
 
MHC
MHCMHC
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
LABIMUNO UFBA
 
Introducao Imunobiotecnologia
Introducao ImunobiotecnologiaIntroducao Imunobiotecnologia
Introducao Imunobiotecnologia
LABIMUNO UFBA
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
LABIMUNO UFBA
 
Auto imunidade
Auto imunidadeAuto imunidade
Auto imunidade
LABIMUNO UFBA
 

Mais de LABIMUNO UFBA (15)

Órgãos linfóides
Órgãos linfóidesÓrgãos linfóides
Órgãos linfóides
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Resposta imune infecções
Resposta imune infecçõesResposta imune infecções
Resposta imune infecções
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo I
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IV
 
Critérios de Validação
Critérios de ValidaçãoCritérios de Validação
Critérios de Validação
 
Citometria de fluxo
Citometria de fluxoCitometria de fluxo
Citometria de fluxo
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
 
Resposta imune celular
Resposta imune celularResposta imune celular
Resposta imune celular
 
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosProcessamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
 
MHC
MHCMHC
MHC
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
 
Introducao Imunobiotecnologia
Introducao ImunobiotecnologiaIntroducao Imunobiotecnologia
Introducao Imunobiotecnologia
 
Imunoterapia
ImunoterapiaImunoterapia
Imunoterapia
 
Auto imunidade
Auto imunidadeAuto imunidade
Auto imunidade
 

Último

NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
guilhermefontenele8
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
paathizinhya
 
Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...
Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...
Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...
Senior Consultoria em Gestão e Marketing
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
BrunaNeves80
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
GleenseCartonilho
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
OttomGonalvesDaSilva
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
dantemalca
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
KauFelipo
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
maripinkmarianne
 

Último (9)

NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
 
Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...
Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...
Procedimento Operacional Padrão Para Recebimento e Atendimento de Pacientes P...
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
 

Antígeno Anticorpo