SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
ORGÃOS LINFÓIDES
Os órgãos linfóides podem ser classificados em dois grupos: ,[object Object],[object Object]
ÓRGÃOS LINFÓIDES CENTRAIS OU PRIMÁRIOS ,[object Object],[object Object],[object Object],Nesses órgãos os linfócitos se originam,  são maturados e são suprimidos ou inativados se reconhecerem auto-antígenos.
Populações de Linfócitos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
BURSA (aves) MEDULA ÓSSEA (mamíferos) TIMO SANGUE SANGUE E LINFA MEDULA ÓSSEA ORIGEM  SÍTIO DE DESENVOLVIMENTO  PRINCIPAL DESTINO  Maturação de linfócitos T e B CÉLULA INDIFERENCIADA Linf. B Linf. T LINFONODO MEDULA ÓSSEA BAÇO  MALT R E C I R R C U L A Ç Ã O Acompanhe o caminho seguido pelo linfócito, da medula óssea onde são primariamente gerados, até o órgão linfóide secundário
Linfócitos e  os diferentes tipos de fagócitos  mononucleares, aí  incluindo as diversas  populações  de  células  apresentado- ras de antígeno,  compõem o tecido linfóide, que pode ser  frouxo, denso  e  nodular. Veja: frouxo denso nodular nódulo em formação frouxo denso centro germinativo manto
Órgãos Linfóides Primários
Medula Óssea
MEDULA ÓSSEA Trabécula óssea
HEMATOPOIESE ERITRÓCITO PLAQUETAS BASÓFILO EOSINÓFILO NEUTRÓFILO MONÓCITO LINFÓCITO T LINFÓCITO B PROGENITOR  MIELÓIDE PROGENITOR  LINFÓIDE PROGENITOR  PLURIPOTENTE CÉLULA TRONCO
TIMO
[object Object],Localização e estrutura do timo TIMO
Órgãos Linfóides Primários ,[object Object],As vênulas de endotélio alto estão presentes no timo e em alguns órgãos linfóides secundários. Elas são a principal via de chegada de linfócitos endereçados  para esses órgãos.
Trabécula Epitélio sub-capsular Junção córtico-medular Corpúsculo de Hassall Célula do epitélio  cortical Timócito Célula epitelial  medular Célula dendrítica Macrófago Organização Celular do Timo C Ó R T E X M E D U L A Janeway, C. A.; Travers, P., Immunobiology, Current Biology, 1994
Nos mamíferos o timo atrofia com a idade, quando também, o tecido linfóide é substituído por tecido adiposo.  A atrofia tímica, no homem, inicia-se na puberdade e continua ao longo da vida do indivíduo através de um processo que se inicia no córtex. M=Medula, C=Córtex  e A=Adipócitos Essa atrofia está associada a ação de corticoesteróides. Timo Jovem
Nos mamíferos o timo atrofia com a idade, quando também, o tecido linfóide é substituído por tecido adiposo.  A atrofia tímica, no homem, inicia-se na puberdade e continua ao longo da vida do indivíduo através de um processo que se inicia no córtex. M=Medula, C=Córtex  e A=Adipócitos Essa atrofia está associada a ação de corticoesteróides. Timo Adulto
Depois de maduros, os linfócitos T deixam o timo e migram para outros tecidos. Acompanhe de novo o  trajeto, a partir da medula óssea: medula óssea (esterno) timo tonsila linfonodos baço placas de Peyer apêndice cecal medula  timo timo  órg. secundários
BURSA DE FABRICIUS
Órgãos Linfóides Primários   BURSA DE FABRICIUS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Clique na imagem para vê-la ampliada.
VISÃO HISTOLÓGICA DA BURSA DE FABRICIUS A Bursa de Fabricius possui estrutura histológica semelhante ao Timo. Tam- bém é dividida em  lóbulos  (nódulos,  para alguns autores). ZOOM Luz intestinal Epitélio intestinal Lóbulo Córtex Medula
ÓRGÃOS LINFOIDES SECUNDÁRIOS
Órgãos Linfóides Secundários Baço Tonsilas “ MALT”: apêndice, placas de Peyer,  tonsilas... Uma cadeia de linfonodos
LINFONODO
Estrutura do linfonodo Trabécula Centro  Germinativo no folículo Cápsula Vasos linfáticos aferentes Sinus  medular Cordão  medular
HISTOLOGIA : C: córtex; S: seio; F: folículo; Cx: córtex; T: trabécula; MC: cordão medular P: paracórtex; T: trabécula, H: hilo Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
BAÇO
O baço está interposto na circulação sangüínea, interagindo e respondendo aos antígenos aí presentes.  É um órgão hemocitopóiético na vida fetal, além de fazer hemocaterese.
bainha periarteriolar (zona T) polpa vermelha folículo com centro germinativo área B polpa branca: folículo Bainha periarteriolar polpa vermelha : seios (com hemácias) cordões de Bilroth
OUTROS ÓRGÃOS LINFOIDES PERIFÉRICOS
APÊNDICE CG CG TONSILA CENTRO GERMINATIVO MALT (TECIDO LINFOIDE ASSOCIADO ÀS MUCOSAS)
PLACAS DE PEYER
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 01 Introdução a Microbiologia
Aula 01   Introdução a MicrobiologiaAula 01   Introdução a Microbiologia
Aula 01 Introdução a MicrobiologiaTiago da Silva
 
Processos inflamatórios - agudo e crônico
Processos inflamatórios - agudo e crônicoProcessos inflamatórios - agudo e crônico
Processos inflamatórios - agudo e crônicoMarília Gomes
 
Aula 1.1 noções básicas de histologia
Aula 1.1 noções básicas de histologiaAula 1.1 noções básicas de histologia
Aula 1.1 noções básicas de histologiaCintia Colotoni
 
Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaMessias Miranda
 
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunosEstrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunosGildo Crispim
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioFlávia Salame
 
Histologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervosoHistologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervosoCaio Maximino
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial César Milani
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaJaqueline Almeida
 
Aula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia BactériasAula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia BactériasTiago da Silva
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularHerbert Santana
 
1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celularFlávio Silva
 

Mais procurados (20)

Aula 01 Introdução a Microbiologia
Aula 01   Introdução a MicrobiologiaAula 01   Introdução a Microbiologia
Aula 01 Introdução a Microbiologia
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
 
Processos inflamatórios - agudo e crônico
Processos inflamatórios - agudo e crônicoProcessos inflamatórios - agudo e crônico
Processos inflamatórios - agudo e crônico
 
Aula 1.1 noções básicas de histologia
Aula 1.1 noções básicas de histologiaAula 1.1 noções básicas de histologia
Aula 1.1 noções básicas de histologia
 
Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passiva
 
Hemostasia
HemostasiaHemostasia
Hemostasia
 
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunosEstrutura e funções dos anticorpos para alunos
Estrutura e funções dos anticorpos para alunos
 
Hipersensibilidade
HipersensibilidadeHipersensibilidade
Hipersensibilidade
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
 
Imunidade Inata
Imunidade InataImunidade Inata
Imunidade Inata
 
Histologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervosoHistologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervoso
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
 
Aula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia BactériasAula Microbiologia Bactérias
Aula Microbiologia Bactérias
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
 
Inflamação
InflamaçãoInflamação
Inflamação
 
1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
 

Semelhante a Orgãos Linfóides Primários e Secundários

Ap1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primários
Ap1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primáriosAp1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primários
Ap1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primáriosLABIMUNO UFBA
 
A organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóideA organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóideLABIMUNO UFBA
 
Tecidos e Órgãos Linfoides
Tecidos e Órgãos LinfoidesTecidos e Órgãos Linfoides
Tecidos e Órgãos LinfoidesLys Duarte
 
Resumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológicoResumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológicoMonique Colombo
 
Tecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdfTecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdfLeandroAllocca
 
Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários
Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundáriosAp2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários
Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundáriosLABIMUNO UFBA
 
Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Gildo Crispim
 
Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Gildo Crispim
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1LABIMUNO UFBA
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1LABIMUNO UFBA
 

Semelhante a Orgãos Linfóides Primários e Secundários (20)

Ap1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primários
Ap1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primáriosAp1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primários
Ap1 - Sistema LinfóIde os orgãos linfóIdes primários
 
A organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóideA organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóide
 
Órgãos linfóides
Órgãos linfóidesÓrgãos linfóides
Órgãos linfóides
 
Tecidos e Órgãos Linfoides
Tecidos e Órgãos LinfoidesTecidos e Órgãos Linfoides
Tecidos e Órgãos Linfoides
 
Resumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológicoResumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológico
 
tecido linfoide
tecido linfoidetecido linfoide
tecido linfoide
 
Tecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdfTecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdf
 
Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários
Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundáriosAp2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários
Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários
 
Trabalho de sistema linfático
Trabalho de sistema linfáticoTrabalho de sistema linfático
Trabalho de sistema linfático
 
Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]
 
Células e tecidos do
Células e tecidos doCélulas e tecidos do
Células e tecidos do
 
Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
 
Introdução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
Introdução ao filo Artropoda e subfilo ChelicerataIntrodução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
Introdução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
 
Histologia os epitelios
Histologia os epiteliosHistologia os epitelios
Histologia os epitelios
 
Histologia os epitelios
Histologia os epiteliosHistologia os epitelios
Histologia os epitelios
 
Parte_4_ImunologiaBásica_Órgãos_e_Células_do_Sistema_Imune [Profª.Zilka]
Parte_4_ImunologiaBásica_Órgãos_e_Células_do_Sistema_Imune [Profª.Zilka]Parte_4_ImunologiaBásica_Órgãos_e_Células_do_Sistema_Imune [Profª.Zilka]
Parte_4_ImunologiaBásica_Órgãos_e_Células_do_Sistema_Imune [Profª.Zilka]
 
Histologia animal
Histologia animalHistologia animal
Histologia animal
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
 

Mais de LABIMUNO UFBA

Aspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresAspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresLABIMUNO UFBA
 
Resposta imune infecções
Resposta imune infecçõesResposta imune infecções
Resposta imune infecçõesLABIMUNO UFBA
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo ILABIMUNO UFBA
 
Imunidades das mucosas
Imunidades das mucosasImunidades das mucosas
Imunidades das mucosasLABIMUNO UFBA
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVLABIMUNO UFBA
 
Critérios de Validação
Critérios de ValidaçãoCritérios de Validação
Critérios de ValidaçãoLABIMUNO UFBA
 
Resposta imune celular
Resposta imune celularResposta imune celular
Resposta imune celularLABIMUNO UFBA
 
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosProcessamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosLABIMUNO UFBA
 
Ativação das células T
Ativação das células TAtivação das células T
Ativação das células TLABIMUNO UFBA
 

Mais de LABIMUNO UFBA (20)

Resposta inata
Resposta inataResposta inata
Resposta inata
 
Aspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresAspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumores
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Ri virus helmintos
Ri virus helmintosRi virus helmintos
Ri virus helmintos
 
Resposta imune infecções
Resposta imune infecçõesResposta imune infecções
Resposta imune infecções
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo I
 
Tolerância
TolerânciaTolerância
Tolerância
 
Imunidades das mucosas
Imunidades das mucosasImunidades das mucosas
Imunidades das mucosas
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IV
 
Imunofluorescencia
ImunofluorescenciaImunofluorescencia
Imunofluorescencia
 
Critérios de Validação
Critérios de ValidaçãoCritérios de Validação
Critérios de Validação
 
Citometria de fluxo
Citometria de fluxoCitometria de fluxo
Citometria de fluxo
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
 
Resposta imune celular
Resposta imune celularResposta imune celular
Resposta imune celular
 
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosProcessamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
 
MHC
MHCMHC
MHC
 
Linfócitos B
Linfócitos BLinfócitos B
Linfócitos B
 
Ativação das células T
Ativação das células TAtivação das células T
Ativação das células T
 
Sistema complemento
Sistema complementoSistema complemento
Sistema complemento
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
 

Último

Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptAlberto205764
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 

Último (10)

Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 

Orgãos Linfóides Primários e Secundários

  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5. BURSA (aves) MEDULA ÓSSEA (mamíferos) TIMO SANGUE SANGUE E LINFA MEDULA ÓSSEA ORIGEM SÍTIO DE DESENVOLVIMENTO PRINCIPAL DESTINO Maturação de linfócitos T e B CÉLULA INDIFERENCIADA Linf. B Linf. T LINFONODO MEDULA ÓSSEA BAÇO MALT R E C I R R C U L A Ç Ã O Acompanhe o caminho seguido pelo linfócito, da medula óssea onde são primariamente gerados, até o órgão linfóide secundário
  • 6. Linfócitos e os diferentes tipos de fagócitos mononucleares, aí incluindo as diversas populações de células apresentado- ras de antígeno, compõem o tecido linfóide, que pode ser frouxo, denso e nodular. Veja: frouxo denso nodular nódulo em formação frouxo denso centro germinativo manto
  • 10. HEMATOPOIESE ERITRÓCITO PLAQUETAS BASÓFILO EOSINÓFILO NEUTRÓFILO MONÓCITO LINFÓCITO T LINFÓCITO B PROGENITOR MIELÓIDE PROGENITOR LINFÓIDE PROGENITOR PLURIPOTENTE CÉLULA TRONCO
  • 11. TIMO
  • 12.
  • 13.
  • 14. Trabécula Epitélio sub-capsular Junção córtico-medular Corpúsculo de Hassall Célula do epitélio cortical Timócito Célula epitelial medular Célula dendrítica Macrófago Organização Celular do Timo C Ó R T E X M E D U L A Janeway, C. A.; Travers, P., Immunobiology, Current Biology, 1994
  • 15. Nos mamíferos o timo atrofia com a idade, quando também, o tecido linfóide é substituído por tecido adiposo. A atrofia tímica, no homem, inicia-se na puberdade e continua ao longo da vida do indivíduo através de um processo que se inicia no córtex. M=Medula, C=Córtex e A=Adipócitos Essa atrofia está associada a ação de corticoesteróides. Timo Jovem
  • 16. Nos mamíferos o timo atrofia com a idade, quando também, o tecido linfóide é substituído por tecido adiposo. A atrofia tímica, no homem, inicia-se na puberdade e continua ao longo da vida do indivíduo através de um processo que se inicia no córtex. M=Medula, C=Córtex e A=Adipócitos Essa atrofia está associada a ação de corticoesteróides. Timo Adulto
  • 17. Depois de maduros, os linfócitos T deixam o timo e migram para outros tecidos. Acompanhe de novo o trajeto, a partir da medula óssea: medula óssea (esterno) timo tonsila linfonodos baço placas de Peyer apêndice cecal medula timo timo órg. secundários
  • 19.
  • 20. VISÃO HISTOLÓGICA DA BURSA DE FABRICIUS A Bursa de Fabricius possui estrutura histológica semelhante ao Timo. Tam- bém é dividida em lóbulos (nódulos, para alguns autores). ZOOM Luz intestinal Epitélio intestinal Lóbulo Córtex Medula
  • 22. Órgãos Linfóides Secundários Baço Tonsilas “ MALT”: apêndice, placas de Peyer, tonsilas... Uma cadeia de linfonodos
  • 24. Estrutura do linfonodo Trabécula Centro Germinativo no folículo Cápsula Vasos linfáticos aferentes Sinus medular Cordão medular
  • 25. HISTOLOGIA : C: córtex; S: seio; F: folículo; Cx: córtex; T: trabécula; MC: cordão medular P: paracórtex; T: trabécula, H: hilo Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
  • 26. BAÇO
  • 27. O baço está interposto na circulação sangüínea, interagindo e respondendo aos antígenos aí presentes. É um órgão hemocitopóiético na vida fetal, além de fazer hemocaterese.
  • 28. bainha periarteriolar (zona T) polpa vermelha folículo com centro germinativo área B polpa branca: folículo Bainha periarteriolar polpa vermelha : seios (com hemácias) cordões de Bilroth
  • 30. APÊNDICE CG CG TONSILA CENTRO GERMINATIVO MALT (TECIDO LINFOIDE ASSOCIADO ÀS MUCOSAS)
  • 32. FIM