SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃOÀ
FARMACOLOGIA DE
PLANTASMEDICINAIS E
FITOTERÁPICOS
ETAPA4
Este material tem como objetivo introduzir, de forma sintética e
esquemática, a farmacologia de fitoterápicos. Assim, você conhecerá
os principais conceitos e informações relacionados à fitofarmacologia.
Esse tema é importante para subsidiar sua atuação como profissional
de saúde na indicação e prescrição de plantas medicinais e
fitoterápicos.
ETAPA4
APRESENTAÇÃO
ETAPA4
É uma especialidade da farmacologia que estuda os efeitosfarmacológicose
toxicológicosdasplantasmedicinaise dosfitoterápicos.
FITOFARMACOLOGIA
ETAPA4
Fatores preponderantes para fitoterápicos
ETAPA4
Sistemas terapêuticos
Sistema Terapia Medicamento Matéria-prima
Alopatia Inorgânica Quimioterapia Quimioterápico Inorgânica natural e sintética
AlopatiaOrgânica Quimioterapia Quimioterápico Orgânica sintéticae natural
AlopatiaOpoterapia Opoterapia Opoterápico Animal e derivados deles obtidos
Alopatia Fitoterapia Fitoterapia Fitoterápico
Vegetal, drogas e preparados deles
obtidos
Homeopatia Homeoterapia Homeoterápico Vegetal, animal e mineral
ETAPA4
Baixo risco de intoxicação
Fácil administração
Baixo custo
Fácil disponibilidade
Efeitos colaterais mínimos Imagem01Spilanthes acmella[1]
Vantagens da Fitoterapia
como método terapêutico
ETAPA4
Desafios à Fitoterapia
Complexidade dos princípios ativos
Plantação e colheita
Aparecimento do efeito
ETAPA4
Forma farmacêutica
Fórmula farmacêutica
Aplicação terapêutica
ASPECTOS TÉCNICOS
DOS FITOTERÁPICOS
ETAPA4
Classificação das plantas medicinais
Ordem de prioridades quanto ao emprego:
Plantas que são empregadas diretamente na terapia.
Plantas que constituem matéria-prima para manipulação galênica.
Plantas que constituem matéria-prima para indústria (obtenção de
princípios ativos), precursores em semissíntese (esteroides - corticoides).
ETAPA4
Formas fitoterápicas
Líquidas: extratos, tinturas, xaropes, soluções, emulsões, etc.
Semissólidas: pomadas, cremes e géis.
Sólidas: cápsulas,comprimidos e drágeas.
ETAPA4
Fórmula fitoterápica
Composição de um medicamento, em que se observa a somação,
potenciação, sinergismo ou antagonismo dos princípios ativos das
drogas, assim como a adequada apresentação e boa estabilidade do
produto.
ETAPA4
Fitoterápico - aplicação terapêutica
Medicamento que contém exclusivamente matérias-primas
vegetais.
Atenção!
Não seconsidera medicamento fitoterápico aquele que, na suacomposição, inclua
substâncias ativas isoladas, de qualquerorigem, nem as associações destas com extratos
vegetais.
ETAPA4
Para refletir
Observea formulação do Atroveran:
ATROVERAN -Cada 30 gotas (1,5ml) contém:
Papaverina.....................................0,01g
Tinturade Atropa belladona.......0,25mL
Tinturade Illicium verum...........0,20mL
Tinturade Hyoscyamus niger.....0,25mL
Tinturade Peumus boldus........0,30mL
Não é um fitoterápico. Por quê?
ETAPA4
Eficácia
Segurança
Qualidade
Características necessárias para um medicamento
ETAPA4
Aspectos farmacológicos importantes
no desenvolvimento de fitoterápicos
Interação Farmacotécnica:baseia-se nas características
fitoquímicas do princípio ativo natural (P.A.N.) da droga vegetal -
incompatibilidades que afetam a ação farmacológica.
Interação Farmacológica:baseia-sena ação farmacológica de
cada P.A.N. e suas associações.
Viáveis: sinergismos e potencializações - melhor resposta
farmacológica e/ou terapêutica.
Inviáveis: antagonismos e gerações de efeitos indesejáveis -
impede resposta farmacológica e/ou terapêutica.
ETAPA4
Fornecimento de elementos carentes ao organismo
Ex.: Taraxacumofficinalis Weber (dente-de-leão) - K+ e carotenoides.
Prevenção de uma doença ou infecção
Ex.: Rosmarinusofficinalis (alecrim).
Combate a uma infecção
Ex.: substâncias terpênicas.
EMPREGO DOS FITOTERÁPICOS
ETAPA4
Bloqueio temporário de funçãonormal
Ex.: Inga edulis (esteroides).
Correção de uma funçãoorgânica desregulada.
EMPREGO DOS FITOTERÁPICOS
ETAPA4
Classes de fitoterápicos (segundo mecanismo
de ação-efeitos terapêuticos)
Inibidores de Enzimas
Ex.: Caesalpiniaferrea (pau-ferro), Achyroclinesatureioides
(macela).
Antimetabólitos
Ex.:Óleos essenciais ricos em monoterpenos, drogas vegetais ricas
em esteroides.
Agentesalquilantes
Ex.: Flavonoides metilados.
Antídotos- poucas evidencias.
ETAPA4
Vias de administração de medicamentos
Assim como o medicamento
sintético, após o uso, o
medicamento fitoterápico será
absorvido, distribuído e eliminado.
Imagemde 02a 06 [2]
ETAPA4
Fases:
Fase Farmacêutica
Fase Farmacocinética
Fase Farmacodinâmica
AÇÃO BIOLÓGICA
DOS FITOTERÁPICOS
ETAPA4
Princípioativo natural(P.A.N):as substâncias ou
grupo delas, quimicamente caracterizadas, cujaação
farmacológica é conhecida e responsável, total ou
parcialmente, pelos efeitos terapêuticos do produto
fitoterápico (CARVALHO,2004).
Fármaco: denominação empregada a uma substância
química, droga, insumo farmacêutico ou matéria prima
utilizada para modificar ou explorar sistemas fisiológicos
dos estados patológicos em benefício da pessoa à qual se
administra (BRASIL,2010a, 2010b).
Ação biológica dos fitoterápicos - conceitos
Óleo de Copaíba sp
ETAPA4
Ação biológica dos fitoterápicos - conceitos
Imagem07e 08 [3]
ETAPA4
Ação biológica dos fitoterápicos - conceitos
Imagem09 e 10 [3]
ETAPA4
Ação biológica dos fitoterápicos
ETAPA4
Etapas envolvidas no processo de
absorção de princípios ativos
Imagem11a 15 [4]
ETAPA4
Princípios ativos e afinidades
farmacológicas orgânicas
ETAPA4
Deve ter como base a dose capaz de desencadear o efeito
farmacológico previsto pela formulação do fitoterápico.
APLICAÇÃO TERAPÊUTICA
ETAPA4
Imagem16 [5]
Exemplos de aplicação terapêutica
ETAPA4
Exemplos de aplicação terapêutica
Imagem17 [6]
ETAPA4
Imagem18 [7]
Exemplos de aplicação terapêutica
ETAPA4
Imagem19 [8]
Exemplos de aplicação terapêutica
ETAPA4
Imagem20 [9]
Exemplos de aplicação terapêutica
ETAPA4
Amplie seus estudos
Memento Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira - 1ªEdição
Autore Editora: Agência Nacional deVigilância Sanitária –Anvisa
Ano: 2016
Acesseem:
http://portal.anvisa.gov.br/documents/33832/2909630/Memento+Fitoterapico/a80ec477-
bb36-4ae0-b1d2-e2461217e06b
ETAPA4
Nesta apresentação, você conheceu os principais conceitos e
informações relacionados à farmacologia de fitoterápicos. O conteúdo
aqui foi mostrado de forma esquemática, a fim de facilitar a fixação e
interconexão dos assuntos. Para aprofundar esse conhecimento, você
pode consultar alguns materiais de referência sobre o tema, além do
texto-base desta Etapa 4 do Curso.
PARA FINALIZAR
ETAPA4
REFERÊNCIAS DAS IMAGENS
[1] Foto deJCTavares.
[2] Imagens do acervo Programa Farmácia daTerra cedidas pela coordenadora Profa. Dra. MaraZélia
deAlmeida.
[3] Ilustrações cedidas porJCTavares.
[4] Imagens doacervo Programa Farmácia da Terra cedidas pela coordenadora Profa. Dra. MaraZélia
deAlmeida.
[5] Foto deJCTavares.
[6] Foto deJCTavares.
[7] Foto deJCTavares.
[8] Foto deJCTavares.
[9] Foto deJCTavares.
ETAPA4
BRASIL. Ministério daSaúde. Agência Nacional deVigilância Sanitária. Farmacopeia Brasileira. 5. ed.
v. 1. Brasília: Anvisa, 2010.
BRASIL. Farmacopeia Brasileira. 5. ed. v. 2. Brasília: Anvisa, 2010.
CARVALHO, J.C.T. FormulárioMédico-farmacêuticode Fitoterapia. 3. ed. São Paulo: editora
Pharmabooks, 2010
CARVALHO, J.C.T. Fitoterapicos anti-inflamatórios:aspectos químicos efarmacológicos. Ribeirão
Preto-SP: EditoraTecMed, 2004.
CARVALHO, J.C.T.; SERTIÉ, J.A.A.; PANIZZA, S.Antiulcer activity of the crude extract from leaves
of Caseariasylvestris. PharmaceuticalBiology, v. 38, n.5, p. 112-119, 2000.
CARVALHO, J.C.T.; SERTIÉ, J.A.A.; BARBOSA,V. J.; PATRICIO, K.C. M.;CAPUTO, L. R.G.; SARTI, S.
J.; FERREIRA, L. P.; BASTOS, J. K.Antiinflammatoryactivity of the crude extract from thefruits of
Pterodon emarginatusVog. Journal ofEthnopharmacology, v. 64, p. 127-133, 1999.
REFERÊNCIAS E
BIBLIOGRAFIACONSULTADA
ETAPA4
CARVALHO, J.C.T.;TEIXEIRA, J.; SOUZA, P.; BASTOS, J.; SANTOSFILHO, D.; SARTI, S. Preliminary
studies of analgesic and anti-inflammatory properties of Caesalpiniaferreacrudeextract. Journal of
Ethnopharmacology, v. 53, p. 175-178, 1996.
ESTEVES, I.; LIMA, L. M.; LÚCIA, M.; SILVA, L. S.; RODRIGUES, M.; SILVA, J. M. S.; PERAZZO, F. F.;
CARVALHO, J.C.T. Caseariasylvestris SW. essentialoil activity in inflammation in rats induced by
Bothrops alternatus venom. International Journal ofPharmaceutical Sciences Reviewand
Research, v. 7, p. 28-32, 2011.
ESTEVES, I.; SOUZA, I. R.; LIMA, L. M; SANTOS, L. S.; SERTIE, J.A. A.; CARDOSO, L.G.V.;
PERAZZO, F. F.; BASTOS, J. K.; SCHNEEDORF, J. M.;CARVALHO, J.C.T..Gastricantiulcerand anti-
inflammatory activities for theessential oil from CaseariasylvestrisSW. Journal of
Ethnopharmacology, v. 101, n.1, p. 191-196, 2005.
REFERÊNCIAS E
BIBLIOGRAFIACONSULTADA
ETAPA4
CRÉDITOS DO CURSO
Estes slides integram os recursos didáticos elaborados para oCursodeQualificação em Plantas
Medicinais e Fitoterápicos naAtenção Básica, concebido, desenvolvido e ofertado pela parceria entre
o Ministérioda Saúde, a FundaçãoOswaldoCruz e aUniversidade Federal doPará.
O curso completopode ser acessadoem: www.avasus.ufrn.br
ETAPA4
CRÉDITOS DO CURSO
Concepção e Desenvolvimento
DepartamentodeAtençãoBásica - Ministério daSaúde
Vice-Presidência deAmbiente, Atençãoe Promoção daSaúde - FundaçãoOswaldoCruz
Assessoriade Educação a Distância -Universidade Federal do Pará
ETAPA4
CRÉDITOS DO CURSO
Coordenação Geral
DanielMieliAmado – DAB | MS
Joseane Carvalho Costa –VPAAPS | Fiocruz
José Miguel MartinsVeloso –AEDi| UFPA
CoordenaçãoAdministrativa
Lairton Bueno Martins
Paulo Roberto SousaRocha
Coordenação de Conteúdo
SilvanaCappelletiNagai
Coordenação Pedagógica
Andrea Cristina Lovato Ribeiro
Nilva Lúcia Rech Stedile
Coordenação Pedagógica em EaD
MariaAtaideMalcher
Marianne Kogut Eliasquevici
SôniaNazaré Fernandes Resque
Concepção e Avaliação de RecursosMultimídia em EaD
Fernanda Chocron Miranda
Suzana Cunha Lopes
Concepção e ComunicaçãoVisual
Rose Pepe
Roberto Eliasquevici
ETAPA4
Consultoriae Produçãode Conteúdo
DanielMieleAmado
José CarlosTavares Carvalho
Lairton Bueno Martins
Paulo Roberto SousaRocha
SilvanaCappelletiNagai
Revisão de Conteúdo
Andrea Cristina Lovato Ribeiro
DanielMieleAmado
Joseane Carvalho Costa
Lairton Bueno Martins
Paulo Roberto SousaRocha
SilvanaCappelletiNagai
Consultoriae Revisão em EaD
MariaAtaideMalcher
Marianne Kogut Eliasquevici
SôniaNazaré Fernandes Resque
Suzana Cunha Lopes
Direção de Arte
Acquerello Design
Ilustração e Grafismos
Andreza Jackson deVasconcelos
Roosevelt Ribeiro Teixeira
Weverton RaiolGomes deSouza
Diagramação e Editoração Eletrônica
Andreza Jackson de Vasconcelos
Weverton Raiol Gomes de Souza
WilliamTeixeira Gonçalves
CRÉDITOS DESTE RECURSO DIDÁTICO
ETAPA4
CRÉDITOS DO CURSO
MINISTÉRIO DA SAÚDE
SecretariadeAtenção à Saúde
Departamento deAtenção Básica
Edifício Premium, SAF Sul, Quadra2
Lotes 5/6, Bloco II,Subsolo
CEP: 70070-600 – Brasília/DF
Fone: (61) 3315-9034/3315-9030
Site:http://dab.saude.gov.br
E-mail: pics@saude.gov.br
Este conteúdo está disponível em:
www.bvsms.saude.gov.br
FUNDAÇÃOOSWALDO CRUZ
Vice-Presidência deAmbiente,
Atenção e Promoção daSaúde
Av. Brasil4365, Castelo Mourisco,
sala 18, Manguinhos
CEP: 21040-900 – Rio deJaneiro/RJ
Fone: (21) 3885-1838
Site:http://portal.fiocruz.br/pt-
br/vpaaps
E-mail: vpaaps@fiocruz.br
Este conteúdoestá disponívelem:
www.retisfito.org.br
UNIVERSIDADEFEDERAL DOPARÁ
Assessoria deEducação a Distância
Av. Augusto Corrêa, 01, Guamá
CEP: 66075-110 – Belém/PA
Fone: (91) 3201-8699/3201-8700
Site:www.aedi.ufpa.br
E-mail:
labmultimidia.aedi@gmail.com
Este conteúdo está disponível em:
www.multimidia.ufpa.br
DISTRIBUIÇÃO DIGITAL
ETAPA4
CRÉDITOS DO CURSO
MINISTÉRIO DA SAÚDE
Secretaria de Atenção à Saúde
Departamento de AtençãoBásica
Coordenação Geral de Áreas Técnicas
Secretaria de Gestão deTrabalho e da Educação na Saúde
Departamento de Gestão da Educação na Saúde
ETAPA4
CRÉDITOS DO CURSO
FUNDAÇÃOOSWALDO CRUZ
Presidência
Paulo Ernani GadelhaVieira
Vice-Presidência de Ambiente,Atenção e Promoçãoda
Saúde
ValclerRangel Fernandes
Assessoriade Promoçãoda Saúde
AnnibalCoelho deAmorim
Coordenação Geral
Joseane Carvalho Costa
ETAPA4
CRÉDITOS DO CURSO
UNIVERSIDADEFEDERAL DOPARÁ
Reitoria
Emmanuel Zagury Tourinho
Vice-Reitoria
Gilmar Pereira da Silva
Pró-Reitoriade Extensão
Nelson José de SouzaJúnior
Assessoriade Educação a Distância
José Miguel MartinsVeloso
Coordenação Administrativa
Ivanete Guedes Pampolha
Coordenação Pedagógica
Marianne Kogut Eliasquevici
Coordenação de Meios e Ambientes de Aprendizagem
DionneCavalcante Monteiro
Laboratório de Pesquisa e Experimentação em Multimídia
MariaAtaideMalcher
Editora
Presidência
José Miguel MartinsVeloso
Diretoria
Cristina Lúcia DiasVaz
Conselho Editorial
Ana LygiaAlmeidaCunha
DionneCavalcante Monteiro
MariaAtaideMalcher
ETAPA4
Esta obra é disponibilizada nos termos da Licença Creative Commons – Atribuição –
Não Comercial – Compartilhamento pela mesma licença 4.0 Internacional. É permitida
a reprodução parcial ou total desta obra em qualquer suporte ou formato, desde que
citada a fonte.
A coleção institucional do Ministério da Saúde pode ser acessada, na íntegra, na
Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde [www.bvsms.saude.gov.br]. Todo o
material do curso também está disponível na RetisFito [www.retisfito.org.br] e no
repositório institucional UFPA Multimídia [www.multimidia.ufpa.br].
C1 e4 ppt_introducao_a_farmacologia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Luis Antonio Cezar Junior
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêutica
Leonardo Souza
 
C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)
C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)
C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)
sedis-suporte
 
Introdução a Homeopatia
Introdução a HomeopatiaIntrodução a Homeopatia
Introdução a Homeopatia
Safia Naser
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na Prática
Farmacêutico Digital
 

Mais procurados (20)

Aula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmáciaAula 1 legislação aplicada a farmácia
Aula 1 legislação aplicada a farmácia
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
 
Aula metabolismo-vegetal-secundario
Aula metabolismo-vegetal-secundarioAula metabolismo-vegetal-secundario
Aula metabolismo-vegetal-secundario
 
Medicamentos Fitoterápicos
Medicamentos FitoterápicosMedicamentos Fitoterápicos
Medicamentos Fitoterápicos
 
Fitoterapia
FitoterapiaFitoterapia
Fitoterapia
 
C1 e2 ppt_o_cultivo_de_plantas_medicinais
C1 e2 ppt_o_cultivo_de_plantas_medicinaisC1 e2 ppt_o_cultivo_de_plantas_medicinais
C1 e2 ppt_o_cultivo_de_plantas_medicinais
 
Noções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêuticaNoções de legislação farmacêutica
Noções de legislação farmacêutica
 
C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)
C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)
C1 e1 ppt_introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais (3)
 
A Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico ClínicoA Importância do Farmacêutico Clínico
A Importância do Farmacêutico Clínico
 
Farmacobotânica parte1
Farmacobotânica parte1Farmacobotânica parte1
Farmacobotânica parte1
 
Introdução a Homeopatia
Introdução a HomeopatiaIntrodução a Homeopatia
Introdução a Homeopatia
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
Farmacotécnica
FarmacotécnicaFarmacotécnica
Farmacotécnica
 
Farmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAMFarmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAM
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
 
Medicamentos
MedicamentosMedicamentos
Medicamentos
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na Prática
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologia
 
Automação aplicada à gestão em farmácia hospitalar
Automação aplicada à gestão em farmácia hospitalarAutomação aplicada à gestão em farmácia hospitalar
Automação aplicada à gestão em farmácia hospitalar
 

Semelhante a C1 e4 ppt_introducao_a_farmacologia

Aspectos legislacao fitoterapicos
Aspectos legislacao fitoterapicosAspectos legislacao fitoterapicos
Aspectos legislacao fitoterapicos
Nayara Dávilla
 
Analise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffa
Analise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffaAnalise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffa
Analise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffa
Anderson Wilbur Lopes Andrade
 
06 atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)
06   atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)06   atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)
06 atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)
Elizeu Ferro
 
Interferon
InterferonInterferon
Interferon
Clapbio
 
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Renato Santos
 
Legislação farmaceutica
Legislação farmaceuticaLegislação farmaceutica
Legislação farmaceutica
Safia Naser
 
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
TCC_FARMACIA_FEF
 
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
TCC_FARMACIA_FEF
 
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
TCC_FARMACIA_FEF
 
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
JesusCo1908
 

Semelhante a C1 e4 ppt_introducao_a_farmacologia (20)

Artigo bioterra v18_n1_03
Artigo bioterra v18_n1_03Artigo bioterra v18_n1_03
Artigo bioterra v18_n1_03
 
Fitoterapia no idoso
Fitoterapia no idosoFitoterapia no idoso
Fitoterapia no idoso
 
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 spProf Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
 
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdfAPOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
 
Prescrição de fitoterápicos_Nutricionistas_Bahianut_2014
Prescrição de fitoterápicos_Nutricionistas_Bahianut_2014Prescrição de fitoterápicos_Nutricionistas_Bahianut_2014
Prescrição de fitoterápicos_Nutricionistas_Bahianut_2014
 
Aspectos legislacao fitoterapicos
Aspectos legislacao fitoterapicosAspectos legislacao fitoterapicos
Aspectos legislacao fitoterapicos
 
Analise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffa
Analise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffaAnalise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffa
Analise fitoquimica do extrato de hibiscus sabdariffa
 
Slide 13 out 2019
Slide 13 out 2019Slide 13 out 2019
Slide 13 out 2019
 
Fitoterápicos conceitos técnicos
Fitoterápicos  conceitos técnicosFitoterápicos  conceitos técnicos
Fitoterápicos conceitos técnicos
 
06 atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)
06   atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)06   atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)
06 atendente de farmácia (informação sobre medicamentos)
 
Vitafoods 2014 presentation
Vitafoods 2014 presentationVitafoods 2014 presentation
Vitafoods 2014 presentation
 
C1 e6 ppt_a_renisus_e_o_processo_de_elaboracao_de_suas_monografias
C1 e6 ppt_a_renisus_e_o_processo_de_elaboracao_de_suas_monografiasC1 e6 ppt_a_renisus_e_o_processo_de_elaboracao_de_suas_monografias
C1 e6 ppt_a_renisus_e_o_processo_de_elaboracao_de_suas_monografias
 
Interferon
InterferonInterferon
Interferon
 
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
 
Legislação farmaceutica
Legislação farmaceuticaLegislação farmaceutica
Legislação farmaceutica
 
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
 
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
 
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na Assistência farmacêutica   a importância do farmacêutico na
Assistência farmacêutica a importância do farmacêutico na
 
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
 
Apostila de farmaco
Apostila de farmacoApostila de farmaco
Apostila de farmaco
 

Mais de sedis-suporte

C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)
C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)
C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)
sedis-suporte
 
Aula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacao
Aula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacaoAula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacao
Aula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacao
sedis-suporte
 
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
sedis-suporte
 

Mais de sedis-suporte (20)

C1 e3 ppt_validacao_cientifica_de_plantas_medicinais
C1 e3 ppt_validacao_cientifica_de_plantas_medicinaisC1 e3 ppt_validacao_cientifica_de_plantas_medicinais
C1 e3 ppt_validacao_cientifica_de_plantas_medicinais
 
C1 e2 ppt_aspectos_botanicos_de_plantas_medicinais
C1 e2 ppt_aspectos_botanicos_de_plantas_medicinaisC1 e2 ppt_aspectos_botanicos_de_plantas_medicinais
C1 e2 ppt_aspectos_botanicos_de_plantas_medicinais
 
C1 e6 ppt_diretrizes_para_a_insercao_de_plantas_medicinais
C1 e6 ppt_diretrizes_para_a_insercao_de_plantas_medicinaisC1 e6 ppt_diretrizes_para_a_insercao_de_plantas_medicinais
C1 e6 ppt_diretrizes_para_a_insercao_de_plantas_medicinais
 
C1 e5 ppt_legislacao_de_acesso_ao_patrimonio_genetico
C1 e5 ppt_legislacao_de_acesso_ao_patrimonio_geneticoC1 e5 ppt_legislacao_de_acesso_ao_patrimonio_genetico
C1 e5 ppt_legislacao_de_acesso_ao_patrimonio_genetico
 
C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)
C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)
C1 e1 ppt_emprego_de_plantas_medicinais (1)
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
Aula 4
Aula 4Aula 4
Aula 4
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
Aula 4
Aula 4Aula 4
Aula 4
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacao
Aula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacaoAula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacao
Aula 2 -_modulo_3_-_caracterizacao_demografica_da_populacao
 
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
Ppt etapa 1 emprego_de_plantas_medicinais_nos_sistemas_medicos_v16_10042017
 
A dengue no organismo humano
A dengue no organismo humanoA dengue no organismo humano
A dengue no organismo humano
 
Exercer uma paternidade ativa e consciente
Exercer uma paternidade ativa e conscienteExercer uma paternidade ativa e consciente
Exercer uma paternidade ativa e consciente
 

Último

CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
wilkaccb
 
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
AdivaldoSantosRibeir
 

Último (10)

AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
 
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdfAnticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdfManual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
 

C1 e4 ppt_introducao_a_farmacologia

  • 2. Este material tem como objetivo introduzir, de forma sintética e esquemática, a farmacologia de fitoterápicos. Assim, você conhecerá os principais conceitos e informações relacionados à fitofarmacologia. Esse tema é importante para subsidiar sua atuação como profissional de saúde na indicação e prescrição de plantas medicinais e fitoterápicos. ETAPA4 APRESENTAÇÃO
  • 3. ETAPA4 É uma especialidade da farmacologia que estuda os efeitosfarmacológicose toxicológicosdasplantasmedicinaise dosfitoterápicos. FITOFARMACOLOGIA
  • 5. ETAPA4 Sistemas terapêuticos Sistema Terapia Medicamento Matéria-prima Alopatia Inorgânica Quimioterapia Quimioterápico Inorgânica natural e sintética AlopatiaOrgânica Quimioterapia Quimioterápico Orgânica sintéticae natural AlopatiaOpoterapia Opoterapia Opoterápico Animal e derivados deles obtidos Alopatia Fitoterapia Fitoterapia Fitoterápico Vegetal, drogas e preparados deles obtidos Homeopatia Homeoterapia Homeoterápico Vegetal, animal e mineral
  • 6. ETAPA4 Baixo risco de intoxicação Fácil administração Baixo custo Fácil disponibilidade Efeitos colaterais mínimos Imagem01Spilanthes acmella[1] Vantagens da Fitoterapia como método terapêutico
  • 7. ETAPA4 Desafios à Fitoterapia Complexidade dos princípios ativos Plantação e colheita Aparecimento do efeito
  • 8. ETAPA4 Forma farmacêutica Fórmula farmacêutica Aplicação terapêutica ASPECTOS TÉCNICOS DOS FITOTERÁPICOS
  • 9. ETAPA4 Classificação das plantas medicinais Ordem de prioridades quanto ao emprego: Plantas que são empregadas diretamente na terapia. Plantas que constituem matéria-prima para manipulação galênica. Plantas que constituem matéria-prima para indústria (obtenção de princípios ativos), precursores em semissíntese (esteroides - corticoides).
  • 10. ETAPA4 Formas fitoterápicas Líquidas: extratos, tinturas, xaropes, soluções, emulsões, etc. Semissólidas: pomadas, cremes e géis. Sólidas: cápsulas,comprimidos e drágeas.
  • 11. ETAPA4 Fórmula fitoterápica Composição de um medicamento, em que se observa a somação, potenciação, sinergismo ou antagonismo dos princípios ativos das drogas, assim como a adequada apresentação e boa estabilidade do produto.
  • 12. ETAPA4 Fitoterápico - aplicação terapêutica Medicamento que contém exclusivamente matérias-primas vegetais. Atenção! Não seconsidera medicamento fitoterápico aquele que, na suacomposição, inclua substâncias ativas isoladas, de qualquerorigem, nem as associações destas com extratos vegetais.
  • 13. ETAPA4 Para refletir Observea formulação do Atroveran: ATROVERAN -Cada 30 gotas (1,5ml) contém: Papaverina.....................................0,01g Tinturade Atropa belladona.......0,25mL Tinturade Illicium verum...........0,20mL Tinturade Hyoscyamus niger.....0,25mL Tinturade Peumus boldus........0,30mL Não é um fitoterápico. Por quê?
  • 15. ETAPA4 Aspectos farmacológicos importantes no desenvolvimento de fitoterápicos Interação Farmacotécnica:baseia-se nas características fitoquímicas do princípio ativo natural (P.A.N.) da droga vegetal - incompatibilidades que afetam a ação farmacológica. Interação Farmacológica:baseia-sena ação farmacológica de cada P.A.N. e suas associações. Viáveis: sinergismos e potencializações - melhor resposta farmacológica e/ou terapêutica. Inviáveis: antagonismos e gerações de efeitos indesejáveis - impede resposta farmacológica e/ou terapêutica.
  • 16. ETAPA4 Fornecimento de elementos carentes ao organismo Ex.: Taraxacumofficinalis Weber (dente-de-leão) - K+ e carotenoides. Prevenção de uma doença ou infecção Ex.: Rosmarinusofficinalis (alecrim). Combate a uma infecção Ex.: substâncias terpênicas. EMPREGO DOS FITOTERÁPICOS
  • 17. ETAPA4 Bloqueio temporário de funçãonormal Ex.: Inga edulis (esteroides). Correção de uma funçãoorgânica desregulada. EMPREGO DOS FITOTERÁPICOS
  • 18. ETAPA4 Classes de fitoterápicos (segundo mecanismo de ação-efeitos terapêuticos) Inibidores de Enzimas Ex.: Caesalpiniaferrea (pau-ferro), Achyroclinesatureioides (macela). Antimetabólitos Ex.:Óleos essenciais ricos em monoterpenos, drogas vegetais ricas em esteroides. Agentesalquilantes Ex.: Flavonoides metilados. Antídotos- poucas evidencias.
  • 19. ETAPA4 Vias de administração de medicamentos Assim como o medicamento sintético, após o uso, o medicamento fitoterápico será absorvido, distribuído e eliminado. Imagemde 02a 06 [2]
  • 20. ETAPA4 Fases: Fase Farmacêutica Fase Farmacocinética Fase Farmacodinâmica AÇÃO BIOLÓGICA DOS FITOTERÁPICOS
  • 21. ETAPA4 Princípioativo natural(P.A.N):as substâncias ou grupo delas, quimicamente caracterizadas, cujaação farmacológica é conhecida e responsável, total ou parcialmente, pelos efeitos terapêuticos do produto fitoterápico (CARVALHO,2004). Fármaco: denominação empregada a uma substância química, droga, insumo farmacêutico ou matéria prima utilizada para modificar ou explorar sistemas fisiológicos dos estados patológicos em benefício da pessoa à qual se administra (BRASIL,2010a, 2010b). Ação biológica dos fitoterápicos - conceitos Óleo de Copaíba sp
  • 22. ETAPA4 Ação biológica dos fitoterápicos - conceitos Imagem07e 08 [3]
  • 23. ETAPA4 Ação biológica dos fitoterápicos - conceitos Imagem09 e 10 [3]
  • 25. ETAPA4 Etapas envolvidas no processo de absorção de princípios ativos Imagem11a 15 [4]
  • 26. ETAPA4 Princípios ativos e afinidades farmacológicas orgânicas
  • 27. ETAPA4 Deve ter como base a dose capaz de desencadear o efeito farmacológico previsto pela formulação do fitoterápico. APLICAÇÃO TERAPÊUTICA
  • 28. ETAPA4 Imagem16 [5] Exemplos de aplicação terapêutica
  • 29. ETAPA4 Exemplos de aplicação terapêutica Imagem17 [6]
  • 30. ETAPA4 Imagem18 [7] Exemplos de aplicação terapêutica
  • 31. ETAPA4 Imagem19 [8] Exemplos de aplicação terapêutica
  • 32. ETAPA4 Imagem20 [9] Exemplos de aplicação terapêutica
  • 33. ETAPA4 Amplie seus estudos Memento Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira - 1ªEdição Autore Editora: Agência Nacional deVigilância Sanitária –Anvisa Ano: 2016 Acesseem: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33832/2909630/Memento+Fitoterapico/a80ec477- bb36-4ae0-b1d2-e2461217e06b
  • 34. ETAPA4 Nesta apresentação, você conheceu os principais conceitos e informações relacionados à farmacologia de fitoterápicos. O conteúdo aqui foi mostrado de forma esquemática, a fim de facilitar a fixação e interconexão dos assuntos. Para aprofundar esse conhecimento, você pode consultar alguns materiais de referência sobre o tema, além do texto-base desta Etapa 4 do Curso. PARA FINALIZAR
  • 35. ETAPA4 REFERÊNCIAS DAS IMAGENS [1] Foto deJCTavares. [2] Imagens do acervo Programa Farmácia daTerra cedidas pela coordenadora Profa. Dra. MaraZélia deAlmeida. [3] Ilustrações cedidas porJCTavares. [4] Imagens doacervo Programa Farmácia da Terra cedidas pela coordenadora Profa. Dra. MaraZélia deAlmeida. [5] Foto deJCTavares. [6] Foto deJCTavares. [7] Foto deJCTavares. [8] Foto deJCTavares. [9] Foto deJCTavares.
  • 36. ETAPA4 BRASIL. Ministério daSaúde. Agência Nacional deVigilância Sanitária. Farmacopeia Brasileira. 5. ed. v. 1. Brasília: Anvisa, 2010. BRASIL. Farmacopeia Brasileira. 5. ed. v. 2. Brasília: Anvisa, 2010. CARVALHO, J.C.T. FormulárioMédico-farmacêuticode Fitoterapia. 3. ed. São Paulo: editora Pharmabooks, 2010 CARVALHO, J.C.T. Fitoterapicos anti-inflamatórios:aspectos químicos efarmacológicos. Ribeirão Preto-SP: EditoraTecMed, 2004. CARVALHO, J.C.T.; SERTIÉ, J.A.A.; PANIZZA, S.Antiulcer activity of the crude extract from leaves of Caseariasylvestris. PharmaceuticalBiology, v. 38, n.5, p. 112-119, 2000. CARVALHO, J.C.T.; SERTIÉ, J.A.A.; BARBOSA,V. J.; PATRICIO, K.C. M.;CAPUTO, L. R.G.; SARTI, S. J.; FERREIRA, L. P.; BASTOS, J. K.Antiinflammatoryactivity of the crude extract from thefruits of Pterodon emarginatusVog. Journal ofEthnopharmacology, v. 64, p. 127-133, 1999. REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIACONSULTADA
  • 37. ETAPA4 CARVALHO, J.C.T.;TEIXEIRA, J.; SOUZA, P.; BASTOS, J.; SANTOSFILHO, D.; SARTI, S. Preliminary studies of analgesic and anti-inflammatory properties of Caesalpiniaferreacrudeextract. Journal of Ethnopharmacology, v. 53, p. 175-178, 1996. ESTEVES, I.; LIMA, L. M.; LÚCIA, M.; SILVA, L. S.; RODRIGUES, M.; SILVA, J. M. S.; PERAZZO, F. F.; CARVALHO, J.C.T. Caseariasylvestris SW. essentialoil activity in inflammation in rats induced by Bothrops alternatus venom. International Journal ofPharmaceutical Sciences Reviewand Research, v. 7, p. 28-32, 2011. ESTEVES, I.; SOUZA, I. R.; LIMA, L. M; SANTOS, L. S.; SERTIE, J.A. A.; CARDOSO, L.G.V.; PERAZZO, F. F.; BASTOS, J. K.; SCHNEEDORF, J. M.;CARVALHO, J.C.T..Gastricantiulcerand anti- inflammatory activities for theessential oil from CaseariasylvestrisSW. Journal of Ethnopharmacology, v. 101, n.1, p. 191-196, 2005. REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIACONSULTADA
  • 38. ETAPA4 CRÉDITOS DO CURSO Estes slides integram os recursos didáticos elaborados para oCursodeQualificação em Plantas Medicinais e Fitoterápicos naAtenção Básica, concebido, desenvolvido e ofertado pela parceria entre o Ministérioda Saúde, a FundaçãoOswaldoCruz e aUniversidade Federal doPará. O curso completopode ser acessadoem: www.avasus.ufrn.br
  • 39. ETAPA4 CRÉDITOS DO CURSO Concepção e Desenvolvimento DepartamentodeAtençãoBásica - Ministério daSaúde Vice-Presidência deAmbiente, Atençãoe Promoção daSaúde - FundaçãoOswaldoCruz Assessoriade Educação a Distância -Universidade Federal do Pará
  • 40. ETAPA4 CRÉDITOS DO CURSO Coordenação Geral DanielMieliAmado – DAB | MS Joseane Carvalho Costa –VPAAPS | Fiocruz José Miguel MartinsVeloso –AEDi| UFPA CoordenaçãoAdministrativa Lairton Bueno Martins Paulo Roberto SousaRocha Coordenação de Conteúdo SilvanaCappelletiNagai Coordenação Pedagógica Andrea Cristina Lovato Ribeiro Nilva Lúcia Rech Stedile Coordenação Pedagógica em EaD MariaAtaideMalcher Marianne Kogut Eliasquevici SôniaNazaré Fernandes Resque Concepção e Avaliação de RecursosMultimídia em EaD Fernanda Chocron Miranda Suzana Cunha Lopes Concepção e ComunicaçãoVisual Rose Pepe Roberto Eliasquevici
  • 41. ETAPA4 Consultoriae Produçãode Conteúdo DanielMieleAmado José CarlosTavares Carvalho Lairton Bueno Martins Paulo Roberto SousaRocha SilvanaCappelletiNagai Revisão de Conteúdo Andrea Cristina Lovato Ribeiro DanielMieleAmado Joseane Carvalho Costa Lairton Bueno Martins Paulo Roberto SousaRocha SilvanaCappelletiNagai Consultoriae Revisão em EaD MariaAtaideMalcher Marianne Kogut Eliasquevici SôniaNazaré Fernandes Resque Suzana Cunha Lopes Direção de Arte Acquerello Design Ilustração e Grafismos Andreza Jackson deVasconcelos Roosevelt Ribeiro Teixeira Weverton RaiolGomes deSouza Diagramação e Editoração Eletrônica Andreza Jackson de Vasconcelos Weverton Raiol Gomes de Souza WilliamTeixeira Gonçalves CRÉDITOS DESTE RECURSO DIDÁTICO
  • 42. ETAPA4 CRÉDITOS DO CURSO MINISTÉRIO DA SAÚDE SecretariadeAtenção à Saúde Departamento deAtenção Básica Edifício Premium, SAF Sul, Quadra2 Lotes 5/6, Bloco II,Subsolo CEP: 70070-600 – Brasília/DF Fone: (61) 3315-9034/3315-9030 Site:http://dab.saude.gov.br E-mail: pics@saude.gov.br Este conteúdo está disponível em: www.bvsms.saude.gov.br FUNDAÇÃOOSWALDO CRUZ Vice-Presidência deAmbiente, Atenção e Promoção daSaúde Av. Brasil4365, Castelo Mourisco, sala 18, Manguinhos CEP: 21040-900 – Rio deJaneiro/RJ Fone: (21) 3885-1838 Site:http://portal.fiocruz.br/pt- br/vpaaps E-mail: vpaaps@fiocruz.br Este conteúdoestá disponívelem: www.retisfito.org.br UNIVERSIDADEFEDERAL DOPARÁ Assessoria deEducação a Distância Av. Augusto Corrêa, 01, Guamá CEP: 66075-110 – Belém/PA Fone: (91) 3201-8699/3201-8700 Site:www.aedi.ufpa.br E-mail: labmultimidia.aedi@gmail.com Este conteúdo está disponível em: www.multimidia.ufpa.br DISTRIBUIÇÃO DIGITAL
  • 43. ETAPA4 CRÉDITOS DO CURSO MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de AtençãoBásica Coordenação Geral de Áreas Técnicas Secretaria de Gestão deTrabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde
  • 44. ETAPA4 CRÉDITOS DO CURSO FUNDAÇÃOOSWALDO CRUZ Presidência Paulo Ernani GadelhaVieira Vice-Presidência de Ambiente,Atenção e Promoçãoda Saúde ValclerRangel Fernandes Assessoriade Promoçãoda Saúde AnnibalCoelho deAmorim Coordenação Geral Joseane Carvalho Costa
  • 45. ETAPA4 CRÉDITOS DO CURSO UNIVERSIDADEFEDERAL DOPARÁ Reitoria Emmanuel Zagury Tourinho Vice-Reitoria Gilmar Pereira da Silva Pró-Reitoriade Extensão Nelson José de SouzaJúnior Assessoriade Educação a Distância José Miguel MartinsVeloso Coordenação Administrativa Ivanete Guedes Pampolha Coordenação Pedagógica Marianne Kogut Eliasquevici Coordenação de Meios e Ambientes de Aprendizagem DionneCavalcante Monteiro Laboratório de Pesquisa e Experimentação em Multimídia MariaAtaideMalcher Editora Presidência José Miguel MartinsVeloso Diretoria Cristina Lúcia DiasVaz Conselho Editorial Ana LygiaAlmeidaCunha DionneCavalcante Monteiro MariaAtaideMalcher
  • 46. ETAPA4 Esta obra é disponibilizada nos termos da Licença Creative Commons – Atribuição – Não Comercial – Compartilhamento pela mesma licença 4.0 Internacional. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra em qualquer suporte ou formato, desde que citada a fonte. A coleção institucional do Ministério da Saúde pode ser acessada, na íntegra, na Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde [www.bvsms.saude.gov.br]. Todo o material do curso também está disponível na RetisFito [www.retisfito.org.br] e no repositório institucional UFPA Multimídia [www.multimidia.ufpa.br].