SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
ESCOLA DE ENFERMAGEM SANTA JULIANA
                 Curso: Técnico de Enfermagem




  NOÇÕES DE
FARMACOLOGIA



 Profª. Esp. Ana Patrícia F. Barboza – 2011
          Farmacêutica e Bióloga
1 História da Farmacologia

        Do grego “pharmakon” = estudo das
     substâncias que interagem com os sistemas
       vivos por meio de processos químicos.
              3.1 Pré - história
                 O homem conhecia os efeitos benéficos
                 ou tóxicos de origem animal e vegetal

                 Porém pouco de sabia que boa parte
                 dos remédios eram inúteis ou até
                 prejudiciais.
1 História da Farmacologia
   As tentativas eram em torno da Biologia e
   das doenças, não se recorria à experimentação.

   A imaginação de épocas passadas baseava-se
   em idéias bizarras, c/ o excesso da bile ou
   sangue causava doença (aplicava-se ungüento à arma
   que causou o ferimento.

   Somente no final do séc. XVII, houve o desenvolvimento
   da   FARMACOLOGIA
2 Farmacologia
  Compreende o conhecimento da história, origem,
 propriedades físicas e químicas, composição, efeitos
   bioquímicos e fisiológicos, mecanismo de ação,
     absorção e distribuição, biotransformação e
             eliminação dos fármacos.
                                  (Goodman e Gilman, 2003).




                  Além das propriedades terapêuticas e
                  empregos dos medicamentos.
2.1 Farmacologia Médica

        Finalidade


   Fornecer substrato da
terapêutica medicamentosa
3 A Natureza da Droga
               Substância Química
                    (DROGAS)
                        +
                Sistema Biológico


  Efeito benéfico            Efeito adverso



     Fármaco                  Agente tóxico

    FARMACOLOGIA                TOXICOLOGIA
4 Alguns Conceitos

      Terapêutica
      Ciência que trata o doente alivia o seu
sofrimento, quando possível cura e sempre
conforta.
      Farmacoterapia
       É o uso da terapêutica associado
a medicamentos.
4 Alguns Conceitos

 Farmacocinética e Farmacodinâmica

 Farmacocinética: São definidos como aquilo que o
 organismo faz com a droga (movimento da droga no
 organismo).
 Farmacodinâmica: O que a droga faz ao organismo
 (mecanismo de ação).
Farmacocinética
    Aborda a
  absorção, a
distribuição e a
 excreção dos
   fármacos.
Farmacodinâmica
                     MODELO CHAVE-

 Estuda os efeitos     FECHADURA




   bioquímicos e
  fisiológicos dos
  fármacos e seu
                     Evento bioquímico
mecanismo de ação.
Toxicologia

Parte da farmacologia que
aborda os efeitos nocivos
 dos fármacos, os quais
podem ser responsáveis
  pela intoxicação aos
      organismos.
4 Alguns conceitos
          Quantidade a ser administrada
  Dose    de uma vez afim de produzir
          efeitos terapêuticos.


  Dose    Leva o organismo a falência
  Letal   (morte) generalizada.



  Dose     Maior quantidade de uma droga
           capaz de produzir efeitos
 Máxima    terapêuticos.
4 Alguns conceitos
          Menor quantidade de uma droga
  Dose    capaz de produzir efeitos
 Mínima   terapêuticos.


  Dose    Maior quantidade de uma droga
 Tóxica   que causa efeitos adversos.


               Dose necessária p/ manter os
  Dose de      níveis       desejáveis       de
 Manutenção    medicamento       na    corrente
               sangüínea e tecidos.
4 Alguns conceitos
               É o estudo das doses. O modo em
 Posologia     que vão ser administradas.


             Qualquer substância que adm no
 Droga       organismo vivo, pode produzir alterações
             funcionais.

                    Qualquer agente químico que adm
 Medicamento        no organismo vivo, produz efeitos
                    benéficos      (curativos      ou
                    preventivos).
5 Princípios da farmacologia

       Para entender as ações de uma droga, é
  necessário considerar os efeitos produzidos no
  sistema biológicos vários níveis.
    PROPRIEDADES FÍSICO QUÍMICAS x ATIVIDADE BIOLÓGICA
      PROCESSOS QUÍMICOS (FARMACOCINÉTICA)

   Absorção                         Via de administração
   Distribuição
   Biotransformação
   Excreção
Diretrizes para adm segura de
Medicamentos

      Os técnicos e auxiliares de enfermagem são os
    profissionais diretamente envolvidos no preparo e
                  adm de medicamentos.

1. Conhecer as normas do estabelecimento;
2. Administrar somente medicamentos que constem na
prescrição médica devidamente assinada (c/ exceção de
emergência);
3. Consultar o enfermeiro sempre que houver dúvida ou
dificuldade p/ decifrar o nome e a fração de um
medicamento;
Diretrizes para adm segura de
Medicamentos


4. Certificar-se que o medicamento (se for substituído) tem o
mesmo princípio ativo.;
5. Manter os medicamentos de horário longe de grande
circulação;
6. Não oferecer a chave de armários de medicamentos a
pessoas não autorizadas;
7. Considerar: paciente certo; hora certa; dose certa, diluição
certa; tempo certo de infusão.
Diretrizes para adm segura de
Medicamentos

 1. Paciente certo             2. Dose certa             3. Remédio certo




                4. Via certa                   5. Hora certa
Até a Próxima Aula !!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosLuis Antonio Cezar Junior
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologiaJaqueline Almeida
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologiamarigrace23
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara motaClara Mota Brum
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentosClaudio Luis Venturini
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticasClick Farma
 
Aula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de AdministraçãoAula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de AdministraçãoJaqueline Almeida
 
Farmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinéticaFarmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinéticaanafreato
 
Farmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinéticaFarmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinéticaLeonardo Souza
 
Eventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentosEventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentosProqualis
 

Mais procurados (20)

Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
 
Básico de farmacologia
Básico de farmacologiaBásico de farmacologia
Básico de farmacologia
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologia
 
Aula - Farmacologia básica - Adsorção
Aula - Farmacologia básica - AdsorçãoAula - Farmacologia básica - Adsorção
Aula - Farmacologia básica - Adsorção
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia
 
Resumo farmacologia
Resumo farmacologia   Resumo farmacologia
Resumo farmacologia
 
Grupos de medicamentos
Grupos de medicamentosGrupos de medicamentos
Grupos de medicamentos
 
Bases da farmacologia
Bases da farmacologiaBases da farmacologia
Bases da farmacologia
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 
5ª aula vias de administração
5ª aula   vias de administração5ª aula   vias de administração
5ª aula vias de administração
 
Farmacologia e definicões
Farmacologia e definicõesFarmacologia e definicões
Farmacologia e definicões
 
Aula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de AdministraçãoAula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de Administração
 
Farmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinéticaFarmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinética
 
Farmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinéticaFarmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinética
 
Eventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentosEventos adversos a medicamentos
Eventos adversos a medicamentos
 
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
INTERAÇ
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 

Destaque

Aula farmacocinética 2 distribuição
Aula farmacocinética 2 distribuiçãoAula farmacocinética 2 distribuição
Aula farmacocinética 2 distribuiçãoBia Gneiding
 
Farmacocinética básica
Farmacocinética básicaFarmacocinética básica
Farmacocinética básicaCarlos Collares
 
Farmacocinética básica e clínica
Farmacocinética básica e clínicaFarmacocinética básica e clínica
Farmacocinética básica e clínicaVinicius Henrique
 
Aula farmacocinética 1
Aula farmacocinética 1Aula farmacocinética 1
Aula farmacocinética 1Bia Gneiding
 

Destaque (6)

Aula farmacocinética 2 distribuição
Aula farmacocinética 2 distribuiçãoAula farmacocinética 2 distribuição
Aula farmacocinética 2 distribuição
 
Farmacodinâmica 2011 2
Farmacodinâmica 2011 2Farmacodinâmica 2011 2
Farmacodinâmica 2011 2
 
Farmacocinética básica
Farmacocinética básicaFarmacocinética básica
Farmacocinética básica
 
Farmacocinética básica e clínica
Farmacocinética básica e clínicaFarmacocinética básica e clínica
Farmacocinética básica e clínica
 
Aula farmacocinética 1
Aula farmacocinética 1Aula farmacocinética 1
Aula farmacocinética 1
 
Farmacodinâmica
FarmacodinâmicaFarmacodinâmica
Farmacodinâmica
 

Semelhante a Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)

aula 1 farmaco.pdf
aula 1 farmaco.pdfaula 1 farmaco.pdf
aula 1 farmaco.pdflucas285595
 
Aula 1, Introdução a Farmacologia..pptx
Aula 1, Introdução a Farmacologia..pptxAula 1, Introdução a Farmacologia..pptx
Aula 1, Introdução a Farmacologia..pptxMoniqueSilva303698
 
Aula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoidesAula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoidesKaren Ferreira
 
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013   - Introduçao à farmacologiaMedResumos 2013   - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologiaMaiara Lima
 
Farmacologia aplicada à Psicopedagogia
Farmacologia aplicada à PsicopedagogiaFarmacologia aplicada à Psicopedagogia
Farmacologia aplicada à PsicopedagogiaMarlos Otoni dos Reis
 
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011Jucie Vasconcelos
 
AULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.pptAULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.pptSuaMeKksh
 
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptxintroduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptxBruceCosta5
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptxENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptxLanaMonteiro8
 
1a-160811025642.pptx brucefsedfffeddddddddd
1a-160811025642.pptx brucefsedfffeddddddddd1a-160811025642.pptx brucefsedfffeddddddddd
1a-160811025642.pptx brucefsedfffedddddddddBruceCosta4
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaRegia Taline
 
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOFARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOArtthurPereira2
 
Aula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagemAula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagemNito Joao Sunde
 

Semelhante a Introdução a farmacologia (tec. enfermagem) (20)

Farmacologia - Aula I.pdf
Farmacologia - Aula I.pdfFarmacologia - Aula I.pdf
Farmacologia - Aula I.pdf
 
aula 1 farmaco.pdf
aula 1 farmaco.pdfaula 1 farmaco.pdf
aula 1 farmaco.pdf
 
Farmacologia - Aula 2.pdf
Farmacologia - Aula 2.pdfFarmacologia - Aula 2.pdf
Farmacologia - Aula 2.pdf
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Aula 1, Introdução a Farmacologia..pptx
Aula 1, Introdução a Farmacologia..pptxAula 1, Introdução a Farmacologia..pptx
Aula 1, Introdução a Farmacologia..pptx
 
Aula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoidesAula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoides
 
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013   - Introduçao à farmacologiaMedResumos 2013   - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologia
 
Farmacologia aplicada à Psicopedagogia
Farmacologia aplicada à PsicopedagogiaFarmacologia aplicada à Psicopedagogia
Farmacologia aplicada à Psicopedagogia
 
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011
 
AULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.pptAULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.ppt
 
Farmacologia geral
Farmacologia geralFarmacologia geral
Farmacologia geral
 
Introdução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptxIntrodução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptx
 
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptxintroduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptxENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
 
1a-160811025642.pptx brucefsedfffeddddddddd
1a-160811025642.pptx brucefsedfffeddddddddd1a-160811025642.pptx brucefsedfffeddddddddd
1a-160811025642.pptx brucefsedfffeddddddddd
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologia
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologia
 
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOFARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
 
Aula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagemAula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagem
 
Introdução a Farmacologi.pdf
Introdução a Farmacologi.pdfIntrodução a Farmacologi.pdf
Introdução a Farmacologi.pdf
 

Último

Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 

Último (20)

Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 

Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)

  • 1. ESCOLA DE ENFERMAGEM SANTA JULIANA Curso: Técnico de Enfermagem NOÇÕES DE FARMACOLOGIA Profª. Esp. Ana Patrícia F. Barboza – 2011 Farmacêutica e Bióloga
  • 2. 1 História da Farmacologia Do grego “pharmakon” = estudo das substâncias que interagem com os sistemas vivos por meio de processos químicos. 3.1 Pré - história O homem conhecia os efeitos benéficos ou tóxicos de origem animal e vegetal Porém pouco de sabia que boa parte dos remédios eram inúteis ou até prejudiciais.
  • 3. 1 História da Farmacologia As tentativas eram em torno da Biologia e das doenças, não se recorria à experimentação. A imaginação de épocas passadas baseava-se em idéias bizarras, c/ o excesso da bile ou sangue causava doença (aplicava-se ungüento à arma que causou o ferimento. Somente no final do séc. XVII, houve o desenvolvimento da FARMACOLOGIA
  • 4. 2 Farmacologia Compreende o conhecimento da história, origem, propriedades físicas e químicas, composição, efeitos bioquímicos e fisiológicos, mecanismo de ação, absorção e distribuição, biotransformação e eliminação dos fármacos. (Goodman e Gilman, 2003). Além das propriedades terapêuticas e empregos dos medicamentos.
  • 5. 2.1 Farmacologia Médica Finalidade Fornecer substrato da terapêutica medicamentosa
  • 6. 3 A Natureza da Droga Substância Química (DROGAS) + Sistema Biológico Efeito benéfico Efeito adverso Fármaco Agente tóxico FARMACOLOGIA TOXICOLOGIA
  • 7. 4 Alguns Conceitos Terapêutica Ciência que trata o doente alivia o seu sofrimento, quando possível cura e sempre conforta. Farmacoterapia É o uso da terapêutica associado a medicamentos.
  • 8. 4 Alguns Conceitos Farmacocinética e Farmacodinâmica Farmacocinética: São definidos como aquilo que o organismo faz com a droga (movimento da droga no organismo). Farmacodinâmica: O que a droga faz ao organismo (mecanismo de ação).
  • 9. Farmacocinética Aborda a absorção, a distribuição e a excreção dos fármacos.
  • 10. Farmacodinâmica MODELO CHAVE- Estuda os efeitos FECHADURA bioquímicos e fisiológicos dos fármacos e seu Evento bioquímico mecanismo de ação.
  • 11. Toxicologia Parte da farmacologia que aborda os efeitos nocivos dos fármacos, os quais podem ser responsáveis pela intoxicação aos organismos.
  • 12. 4 Alguns conceitos Quantidade a ser administrada Dose de uma vez afim de produzir efeitos terapêuticos. Dose Leva o organismo a falência Letal (morte) generalizada. Dose Maior quantidade de uma droga capaz de produzir efeitos Máxima terapêuticos.
  • 13. 4 Alguns conceitos Menor quantidade de uma droga Dose capaz de produzir efeitos Mínima terapêuticos. Dose Maior quantidade de uma droga Tóxica que causa efeitos adversos. Dose necessária p/ manter os Dose de níveis desejáveis de Manutenção medicamento na corrente sangüínea e tecidos.
  • 14. 4 Alguns conceitos É o estudo das doses. O modo em Posologia que vão ser administradas. Qualquer substância que adm no Droga organismo vivo, pode produzir alterações funcionais. Qualquer agente químico que adm Medicamento no organismo vivo, produz efeitos benéficos (curativos ou preventivos).
  • 15. 5 Princípios da farmacologia Para entender as ações de uma droga, é necessário considerar os efeitos produzidos no sistema biológicos vários níveis. PROPRIEDADES FÍSICO QUÍMICAS x ATIVIDADE BIOLÓGICA PROCESSOS QUÍMICOS (FARMACOCINÉTICA) Absorção Via de administração Distribuição Biotransformação Excreção
  • 16. Diretrizes para adm segura de Medicamentos Os técnicos e auxiliares de enfermagem são os profissionais diretamente envolvidos no preparo e adm de medicamentos. 1. Conhecer as normas do estabelecimento; 2. Administrar somente medicamentos que constem na prescrição médica devidamente assinada (c/ exceção de emergência); 3. Consultar o enfermeiro sempre que houver dúvida ou dificuldade p/ decifrar o nome e a fração de um medicamento;
  • 17. Diretrizes para adm segura de Medicamentos 4. Certificar-se que o medicamento (se for substituído) tem o mesmo princípio ativo.; 5. Manter os medicamentos de horário longe de grande circulação; 6. Não oferecer a chave de armários de medicamentos a pessoas não autorizadas; 7. Considerar: paciente certo; hora certa; dose certa, diluição certa; tempo certo de infusão.
  • 18. Diretrizes para adm segura de Medicamentos 1. Paciente certo 2. Dose certa 3. Remédio certo 4. Via certa 5. Hora certa
  • 19. Até a Próxima Aula !!!