SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Vítor / Victor
Remonta a / Remete para
a maneira que
a maneira como
apresenta um cómico de
é um cómico de
há cómico de
suscita cómico de
provoca cómico de
é um processo de cómico de
As personagens de Pero Marques e
Vítor do Penedo têm decerto semelhanças.
Surpreendem por serem disparatadas,
pouco perspicazes. Suscitam ambas o riso
do espetador ou do leitor, essencialmente
pelo seu caráter ingénuo.
Além deste cómico de caráter, predo-
minante, surgem passos em que podemos
encontrar processos de humor identificá-
veis como resultado da situação (gerando
quiproquós) — por exemplo, na série
«Rádio Calypso», ofacto de Vítor do
Penedo aparecer como o invariável
interlocutor dos inquéritos e passatempos
promovidos por Markl é exemplo de
cómico de situação — ou de recursos de
linguagem (cfr. a brincadeira com a última
palavra proferida pelo Penedo pai).
Entretanto, se as aproximam
características comuns de inteligência —
ou de falta dela —, talvez seja difícil
pretender que Vítor e Pero configurem um
mesmo tipo. Pero Marques será a
personagem que corresponde realmente
ao esterótipo do provinciano, simplório
mas generoso. Quanto a Vítor do
Penedo, não será o emblema de um perfil
social ou regional determinado (a própria
pronúncia meridional é acessória). Falta-
lhe complexidade psicológica para ser
personagem redonda, mas também não
será rigorosamente previsível, plana.
No regresso do Carnaval ter leitura de
livro terminada.
Por favor, tratar os livros com os
cuidados que qualquer livro merece:
Não forçar a lombada, e os cadernos,
espalmando-os;
Não escrever sobre eles;
Não folhear bruscamente, arriscando
rasgos;
Não os besuntar com o sebo das
vossas mãos imundas e nojentas.
ato = divisão da obra dramática em partes,
em função do tempo (e, muitas vezes, do
espaço — correspondendo, então, a uma
mudança do cenário); os atos podem ser
separados por intervalos.
cena = momento da acção em que estão
em cena as mesmas personagens.
géneros teatrais = farsa, tragédia, drama,
comédia, tragicomédia, etc.
didascália = texto secundário de uma
peça de teatro (o texto principal serão as
falas), com instruções para encenação.
Cfr. Glossário na p. 155.
O termo tem origem na tragédia
grega, quando o autor acumulava as
funções com a de encenador (didascalos).
Como o encenador estava presente, os
textos da antiga tragédia não precisavam
de didascálias.
Título da peça
Auto de Inês Pereira
Autor
[feito por] Gil Vicente
Há indicação de género?
Farsa de folgar
Farsa = Género do teatro medieval,
caracterizado pelo Engano, por uma intriga
curta e concentrada, por um reduzido
número de personagens e pela verosimi-
lhança de situações (circunstâncias
realistas, com personagens com filhos,
profissão, etc.).
Ao objetivo cómico e burlesco próprio
do género, Gil Vicente adiciona uma
componente moralizante.
Há indicação sobre a primeira
representação?
Representado ao muito alto e poderoso
rei dom João o terceiro, no seu convento
de Tomar. Era do Senhor de 1523
Há lista de personagens?
Inês Pereira, sua Mãe, Lianor Vaz, Pero
Marques, dois judeus (Latão e Vidal),
Escudeiro, Moço, um Ermitão
Quantos atos há?
Não estão assinalados. Um, se quisermos.
Há descrição do cenário de cada ato?
Não há.
As cenas estão numeradas?
[Cenas não estão numeradas, nem
indicadas.]
Há didascálias junto das falas das
personagens?
«Entra logo Inês Pereira e finge que está
lavrando só em casa, e canta esta
cantiga:»
Mote: «Mais quero asno que me leve do
que cavalo que me derrube».
Razão de ter sido dado a Gil Vicente este
mote: pretendia-se confirmar que Gil Vi-
cente era mesmo o autor das suas peças e
não as copiava de outros.
Cria o começo de um livro de teatro,
incluindo:
Título da peça
Lista de personagens
Ato Primeiro [com didascália do cenário do:]
Duas curtas cenas do Ato I: Cena I / Cena II
Deves seguir a disposição típica dos textos
teatrais (as didascálias ficarão sublinhadas).
Quanto a assunto, prefiro que o texto seja
verosímil.
Como é óbvio, a peça ficará suspensa a partir da
cena II, pouco avançando em termos de ação.
Como sabes, o que define a mudança
de cena é a entrada (ou a saída) de
personagens. O teu texto tem de ter duas
cenas.
Título
Lista de personagens
Ato Primeiro
didascália do cenário
Cena I
Cena II
TPC — Lança as correções que fiz
no texto da ‘palavra de estimação’ e
envia-me o ficheiro já passado a limpo.
(Não tenho posto nas folhas a nota, mas
dá-la-ei ao texto depois de reformulado.)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativaAna Castro
 
"Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
"Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca"Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
"Mestre Finezas" de Manuel da Fonsecaavoguida2014
 
Texto dramático e teatro
Texto dramático e teatroTexto dramático e teatro
Texto dramático e teatroCristina Fontes
 
Aeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiaoAeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiaosonia afonso
 
Ficha de avaliação março
Ficha de avaliação   marçoFicha de avaliação   março
Ficha de avaliação marçoLuis Martins
 
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3   elementos da linguagem cênicaConteúdo 3   elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênicaSilvana Chaves
 
Auto da barca do inferno - texto expositivo
Auto da barca do inferno - texto expositivoAuto da barca do inferno - texto expositivo
Auto da barca do inferno - texto expositivofranciscaf
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12luisprista
 
Olimpíada
OlimpíadaOlimpíada
Olimpíadakm1motta
 
Texto dramático história e categorias
Texto dramático história e categoriasTexto dramático história e categorias
Texto dramático história e categoriassin3stesia
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32luisprista
 
Literatura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros LiteráriosLiteratura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros LiteráriosMiriam Zelmikaitis
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5luisprista
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagemShinnayder
 

Mais procurados (19)

Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
"Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
"Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca"Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
"Mestre Finezas" de Manuel da Fonseca
 
Literatura 02-2ºb-textoteatral
Literatura 02-2ºb-textoteatralLiteratura 02-2ºb-textoteatral
Literatura 02-2ºb-textoteatral
 
Texto dramático e teatro
Texto dramático e teatroTexto dramático e teatro
Texto dramático e teatro
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
 
Aeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiaoAeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiao
 
Ficha de avaliação março
Ficha de avaliação   marçoFicha de avaliação   março
Ficha de avaliação março
 
A crônica
A crônicaA crônica
A crônica
 
Texto dramático e as suas características
Texto dramático e as suas característicasTexto dramático e as suas características
Texto dramático e as suas características
 
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3   elementos da linguagem cênicaConteúdo 3   elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênica
 
Auto da barca do inferno - texto expositivo
Auto da barca do inferno - texto expositivoAuto da barca do inferno - texto expositivo
Auto da barca do inferno - texto expositivo
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 11-12
 
Olimpíada
OlimpíadaOlimpíada
Olimpíada
 
Texto dramático história e categorias
Texto dramático história e categoriasTexto dramático história e categorias
Texto dramático história e categorias
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
 
Literatura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros LiteráriosLiteratura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros Literários
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 5
 
O texto teatral
O texto teatralO texto teatral
O texto teatral
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Semelhante a Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72

Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"inessalgado
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66luisprista
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66luisprista
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66luisprista
 
Fichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida Prado
Fichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida PradoFichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida Prado
Fichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida PradoCarla Souto
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147luisprista
 
Souriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdf
Souriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdfSouriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdf
Souriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdfssuser80ae40
 
Projeto de Dissidente para Festivais e Circulação
Projeto de Dissidente para Festivais e CirculaçãoProjeto de Dissidente para Festivais e Circulação
Projeto de Dissidente para Festivais e CirculaçãoGordo Neto
 
2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdf
2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdf2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdf
2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdfNaiaraJohn2
 
Qorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveis
Qorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveisQorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveis
Qorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveisGladis Maia
 
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptTEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptAna Vaz
 
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptTEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptPROFESSORALORENA
 
Panorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiroPanorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiroMaristela Cardoso
 

Semelhante a Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72 (20)

TEATRO
TEATRO TEATRO
TEATRO
 
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
 
LITERATURA
 LITERATURA  LITERATURA
LITERATURA
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
 
Gêneros literários 3º ano
Gêneros literários  3º anoGêneros literários  3º ano
Gêneros literários 3º ano
 
Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 65-66
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 65-66
 
Fichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida Prado
Fichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida PradoFichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida Prado
Fichamento de A personagem no teatro, de Décio de Almeida Prado
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 146-147
 
Souriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdf
Souriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdfSouriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdf
Souriau Etienne As duzentas mil situacoes dramaticas 1993.pdf
 
Projeto de Dissidente para Festivais e Circulação
Projeto de Dissidente para Festivais e CirculaçãoProjeto de Dissidente para Festivais e Circulação
Projeto de Dissidente para Festivais e Circulação
 
2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdf
2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdf2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdf
2208como_escrever_uma_peca_de_teatro.pdf
 
Qorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveis
Qorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveisQorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveis
Qorpo santo e_gil_vicente_dialogos_possiveis
 
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptTEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
 
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptTEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
 
Commédia dell arte
Commédia dell arteCommédia dell arte
Commédia dell arte
 
Os Maias(1)
Os Maias(1)Os Maias(1)
Os Maias(1)
 
Os Maias(1)
Os Maias(1)Os Maias(1)
Os Maias(1)
 
Panorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiroPanorama do teatro brasileiro
Panorama do teatro brasileiro
 

Mais de luisprista

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34luisprista
 

Mais de luisprista (20)

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 41-42
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
 

Último

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 

Último (20)

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72

  • 1.
  • 2.
  • 3. Vítor / Victor Remonta a / Remete para
  • 4. a maneira que a maneira como
  • 5. apresenta um cómico de é um cómico de há cómico de suscita cómico de provoca cómico de é um processo de cómico de
  • 6. As personagens de Pero Marques e Vítor do Penedo têm decerto semelhanças. Surpreendem por serem disparatadas, pouco perspicazes. Suscitam ambas o riso do espetador ou do leitor, essencialmente pelo seu caráter ingénuo. Além deste cómico de caráter, predo- minante, surgem passos em que podemos encontrar processos de humor identificá- veis como resultado da situação (gerando quiproquós) — por exemplo, na série
  • 7. «Rádio Calypso», ofacto de Vítor do Penedo aparecer como o invariável interlocutor dos inquéritos e passatempos promovidos por Markl é exemplo de cómico de situação — ou de recursos de linguagem (cfr. a brincadeira com a última palavra proferida pelo Penedo pai). Entretanto, se as aproximam características comuns de inteligência — ou de falta dela —, talvez seja difícil pretender que Vítor e Pero configurem um
  • 8. mesmo tipo. Pero Marques será a personagem que corresponde realmente ao esterótipo do provinciano, simplório mas generoso. Quanto a Vítor do Penedo, não será o emblema de um perfil social ou regional determinado (a própria pronúncia meridional é acessória). Falta- lhe complexidade psicológica para ser personagem redonda, mas também não será rigorosamente previsível, plana.
  • 9.
  • 10. No regresso do Carnaval ter leitura de livro terminada.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Por favor, tratar os livros com os cuidados que qualquer livro merece: Não forçar a lombada, e os cadernos, espalmando-os; Não escrever sobre eles; Não folhear bruscamente, arriscando rasgos; Não os besuntar com o sebo das vossas mãos imundas e nojentas.
  • 14. ato = divisão da obra dramática em partes, em função do tempo (e, muitas vezes, do espaço — correspondendo, então, a uma mudança do cenário); os atos podem ser separados por intervalos. cena = momento da acção em que estão em cena as mesmas personagens.
  • 15. géneros teatrais = farsa, tragédia, drama, comédia, tragicomédia, etc.
  • 16. didascália = texto secundário de uma peça de teatro (o texto principal serão as falas), com instruções para encenação. Cfr. Glossário na p. 155. O termo tem origem na tragédia grega, quando o autor acumulava as funções com a de encenador (didascalos). Como o encenador estava presente, os textos da antiga tragédia não precisavam de didascálias.
  • 17.
  • 18. Título da peça Auto de Inês Pereira
  • 20. Há indicação de género? Farsa de folgar
  • 21. Farsa = Género do teatro medieval, caracterizado pelo Engano, por uma intriga curta e concentrada, por um reduzido número de personagens e pela verosimi- lhança de situações (circunstâncias realistas, com personagens com filhos, profissão, etc.). Ao objetivo cómico e burlesco próprio do género, Gil Vicente adiciona uma componente moralizante.
  • 22. Há indicação sobre a primeira representação? Representado ao muito alto e poderoso rei dom João o terceiro, no seu convento de Tomar. Era do Senhor de 1523
  • 23. Há lista de personagens? Inês Pereira, sua Mãe, Lianor Vaz, Pero Marques, dois judeus (Latão e Vidal), Escudeiro, Moço, um Ermitão
  • 24. Quantos atos há? Não estão assinalados. Um, se quisermos.
  • 25. Há descrição do cenário de cada ato? Não há.
  • 26. As cenas estão numeradas? [Cenas não estão numeradas, nem indicadas.]
  • 27. Há didascálias junto das falas das personagens? «Entra logo Inês Pereira e finge que está lavrando só em casa, e canta esta cantiga:»
  • 28. Mote: «Mais quero asno que me leve do que cavalo que me derrube». Razão de ter sido dado a Gil Vicente este mote: pretendia-se confirmar que Gil Vi- cente era mesmo o autor das suas peças e não as copiava de outros.
  • 29.
  • 30. Cria o começo de um livro de teatro, incluindo: Título da peça Lista de personagens Ato Primeiro [com didascália do cenário do:] Duas curtas cenas do Ato I: Cena I / Cena II Deves seguir a disposição típica dos textos teatrais (as didascálias ficarão sublinhadas). Quanto a assunto, prefiro que o texto seja verosímil. Como é óbvio, a peça ficará suspensa a partir da cena II, pouco avançando em termos de ação.
  • 31. Como sabes, o que define a mudança de cena é a entrada (ou a saída) de personagens. O teu texto tem de ter duas cenas.
  • 32. Título Lista de personagens Ato Primeiro didascália do cenário Cena I Cena II
  • 33.
  • 34. TPC — Lança as correções que fiz no texto da ‘palavra de estimação’ e envia-me o ficheiro já passado a limpo. (Não tenho posto nas folhas a nota, mas dá-la-ei ao texto depois de reformulado.)