SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 100
Professor José Ricardo Lima www.literaturaeshow.com.br
Gêneros Literários ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object]
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object]
GÊNERO ÉPICO ,[object Object], nizado por um herói é celebrado em estilo solene, grandioso, são chamados de  épicos  ou  epopeias . O termo deriva do grego épos, que, dentre os seus significados, quer dizer “palavra”, “verso”, “discurso”.
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],AS EPOPEIAS CLÁSSICAS OU PRIMÁRIAS:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],AS EPOPEIAS CLÁSSICAS OU PRIMÁRIAS:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],AS EPOPEIAS CLÁSSICAS OU PRIMÁRIAS:    As epopeias eram divididas em grandes partes chamadas  CANTOS .
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],AS EPOPEIAS DE IMITAÇÃO OU SECUNDÁRIAS:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],AS EPOPEIAS DE IMITAÇÃO OU SECUNDÁRIAS:    A arte feita para ser  uma cópia, uma imitação dos clássicos é chamada de ARTE MIMÉTICA.
GÊNERO ÉPICO AS EPOPEIAS DE IMITAÇÃO OU SECUNDÁRIAS: Vasco da Gama
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],O CONCEITO DE HERÓI NAS EPOPEIAS CLÁSSICAS:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],O ROMANCE E AS TRANSFORMAÇÕES DO HERÓI:
Quadro de epopeias ante-riores a  Os Lusíadas.
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],PRINCIPAIS ESPÉCIES DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],PRINCIPAIS ESPÉCIES DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],PRINCIPAIS ESPÉCIES DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],PRINCIPAIS ESPÉCIES DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:    Esse fenômeno acontece, em especial, nos textos memorialísticos, como  Dom Casmurro , de M. de Assis.
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
GÊNERO ÉPICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO GÊNERO ÉPICO:
[object Object],[object Object],[object Object],NARCISO (João Ventura)
[object Object],[object Object],[object Object],NARCISO (João Ventura)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object]
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object]
GÊNERO LÍRICO ,[object Object], pessoais. Outra marca característica de sua estrutura é o fato de dar voz a um sujeito lírico (chamado de eu lírico ou eu poemático)diferentemente da narração im-pessoal da poesia épica.O sujeito lírico fala de seus sentimentos, de seu estado anímico.
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],Érato e sua lira , de John William Godward
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object]
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],FORMAS DA LÍRICA: Na ode ao lado, o poeta JOSÉ PAULO PAES faz uma crítica ao consumismo. AO SHOPPING CENTER  José Paulo Paes Pelos teus círculos  vagamos sem rumo nós almas penadas do mundo do consumo De elevador ao céu pela escada ao inferno: os extremos se tocam no castigo eterno. Cada loja é um novo prego em nossa cruz. Por mais que compremos estamos sempre nus nós que por teus círculos vagamos sem perdão à espera (até quando?) Da Grande Liquidação.
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],FORMAS DA LÍRICA: Quantas vezes choro Sem saber porquê E o pranto sonoro Se ouve e não se crê. [...] Risos sem começo, Lágrimas sem fim: Se tanto padeço,  Que será de mim? José Albano , Endrechas
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],FORMAS DA LÍRICA: Ah! o antigo açude! E quando uma rã mergulha, o marulho da água. Matsuo Bashô (Trad. de Guil. de Almeida)
GÊNERO LÍRICO FORMAS DA LÍRICA: ,[object Object],RONDÓ DO CAPITÃO Bão balalão. Senhor capitão, Tirai este peso Do meu coração. Não é de tristeza, Não é de aflição: É só de esperança Senhor capitão! A leve esperança, A aérea esperança... Aérea, pois não! —  Peso mais pesado Não existe não. Ah, livrai-me dele, Senhor capitão
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object],[object Object],FORMAS DA LÍRICA:
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],FORMAS DA LÍRICA: ,[object Object],[object Object],[object Object]
SONETO  DO  AMOR  TOTAL SONETO DO AMOR TOTAL Amo-te tanto, meu amor...  não cante O humano coração com mais verdade... Amo-te como amigo e como amante Numa sempre diversa realidade. Amo-te afim, de um calmo amor prestante E te amo além, presente na saudade Amo-te, enfim, com grande liberdade Dentro da eternidade e a cada instante. Amo-te como um bicho, simplesmente De um amor sem mistério e sem virtude Com um desejo maciço e permanente. E de te amar assim, muito e amiúde É que um dia em teu corpo de repente Hei de morrer de amar mais do que pude. Vinícius de Moraes
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA:
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: Nº DE  VERSOS ESTROFE 2 Dístico 3  Terceto 4 Quarteto ou quadra 5 Quinteto ou quintilha 6 Sexteto ou sextilha 7 Sétima ou septilha 8 Oitava 9 Nona ou novena 10 Décima
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA
OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO SEPARAR AS SÍLABAS GRAMATICAIS Vou-me embora pra Pasárgada Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Tirai este peso Ti/rai/es/te/pe/so 1
OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO PROCURAR AS ELISÕES Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Ti/rai/es/te/pe/so Voumem bora... 2
OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO De/tu/do/ao/meu/a/mor/se/rei/a/ ten/to Aí/es/tá/a/cor De tudao meu amor serei atento
OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO 3 MARCAR A ÚLTIMA TÔNICA Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Ti/rai/es/te/pe/so
OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO 4 NUMERAR AS SÍLABAS Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Ti/rai/es/te/pe/so 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 5
EXISTE UM VERSO CUJO Nº DE SÍLABAS POÉTICAS SEJA IGUAL DO DE SÍLABAS GRAMATICAIS? Não existe não
—  Peso mais pesado Não existe não Ah, livrai-me dele, Senhor capitão.
SEPARAR AS S.G. 1 2 3 4 PROCURAR AS ELISÕES MARCAR A ÚLTIMA TÔNICA OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO NUMERAR S.P.
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME UMA MONOSSÍLABO Rua torta. Lua morta. Tua porta.  (Cassiano Ricardo)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME DUAS DISSÍLABO Na valsa Cansaste Ficaste Prostrada, Turbada!  (Casemiro de Abreu)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME TRÊS TRISSÍLABO Foge, bicho Foge, povo Passa ponte Passa poste Passa pasto  (Manuel Bandeira)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME QUATRO TETRASSÍLABO Era uma casa Muito engraçada Não tinha teto Não tinha nada  (Vinícius de Morais)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME CINCO PENTASSÍLABO Dorme o pensamento. Riram-se? Choraram? Ninguém mais recorda.  (Cecília Meireles)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME SEIS HEXASSÍLABO Não solta a voz canora No bosque o vate alado Que um canto d'inspirado.  Tem sempre a cada aurora; (Gonçalves Dias)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME SETE HEPTASSÍLABO Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá As aves que aqui gorjeiam Não gorjeiam como lá (Gonçalves Dias)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME OITO OCTASSÍLABO Tu pensas que tu é que és A melhor mulher do planeta. Mas eu é que não vou fazer Tudo o que te der na veneta.  (Noel Rosa)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME NOVE ENEASSÍLABO Ou se tem chuva e não se tem sol Ou se tem sol e não se tem chuva (Cecília Meireles)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME DEZ DECASSÍLABO As armas e os barões assinalados Que da ocidental praia lusitana, Por mares nunca dantes navegados Passaram ainda além da Taprobana  (Luís de Camões)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME ONZE UNDECASSÍLABO Tange o sino, tange, numa voz de choro Numa voz de choro... tão desconsolado... No caixão dourado, como em berço de ouro, Pequenino, levam-te dormindo... Acorda!  (Vicente de Carvalho)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME DOZE DODECASSÍLABO Nas largas mutações perpétuas do universo O amor é sempre o vinho enérgico, irritante... Um lago de luar nervoso e palpitante... Um sol dentro de tudo altivamente imerso.  (Cruz e Sousa)
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA Nº DE  SÍLABAS NOME CINCO REDONDILHA MENOR SETE REDONDILHA MAIOR DOZE ALEXANDRINOS    Os versos com mais de 12 sílabas são chamados de  LIVRES OU IRREGULARES .    O termo “alexandrino” deriva da obra francesa “Roman d’Alexandre”, escrita com versos de 12 sílabas poéticas.
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A MÉTRICA
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Carlos Drummond de Andrade Aos que me dão lugar no b onde A e que conheço não sei de  onde , A aos que me dizem terno ad eus B sem que lhes saiba os nomes s eus B
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Álvares de Azevedo Minha desgraça não é ser po eta , A Nem na terra de amor não ter um  eco , B É meu anjo de Deus, o meu plane ta A Tratar-me como trata-se um bone co B
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Augusto dos Anjos Eu, filho do carbono e do amon íaco , A Monstro de escuridão e rutil ância , B Sofro, desde a epigênese da inf ância , B A influência má dos signos do zodí aco . A
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Alvarenga Peixoto
GÊNERO LÍRICO ,[object Object],ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA A chuva chove mansamente... como um sono  Que tranquilize, pacifique, resserene... A chuva chove mansamente... Que abandono! A chuva é a música de um poema de Verlaine... E vem-me o sonho de uma véspera solene, Em certo paço, já sem data e já sem dono... Véspera triste como a noite, que envenene ...Num velho paço, muito longe, em terra estranha, Com muita névoa pelos ombros da montanha... Paço de imensos corredores espectrais, Onde murmurem, velhos órgãos, árias mortas, Enquanto o vento, estrepitando pelas portas, Revira in-fólios, cancioneiros e missais. A B C B B A B D D E F F E Cecília Meireles
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Vinícius de Morais
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA TISNAR: por negro como carvão
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA    Neste caso, para se contar as sílabas poéticas do verso, deve-se escrever por extenso o nome da letra “esse”.
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],[object Object]
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],ARISTÓTELES E O DRAMA:
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object], contam a his tória por meio de diálogos ou monólogos.
GÊNERO DRAMÁTICO O Teatro de Dionísio em Atenas, Grécia
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],AS DUAS MODALIDADES DO TEATRO GREGO:  TRAGÉDIA
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],AS DUAS MODALIDADES DO TEATRO GREGO:  COMÉDIA
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],[object Object],[object Object],OUTRAS MODALIDADES DO GÊNERO DRAMÁTICO:
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],OUTRAS MODALIDADES DO GÊNERO DRAMÁTICO :
GÊNERO DRAMÁTICO ELEMENTOS INDICATIVOS DO GÊNERO: ( Estende agora as duas mãos para o cego, numa espécie de apelo. Logo, porém, interrompe o gesto. ) ELIAS - Desde que você entrou, eu soube que  era linda. VIRGÍNIA  - ( acariciando-se a si mesma )  —  Poucas mulheres são tão bonitas como eu. Se  você enxergasse, veria que não minto. ELIAS  -  ( doce )  — Imagino. RUBRICA:  Indicação escrita de como deve ser executado um trecho musical, uma mudança de cenário, um movimento cênico, uma fala, um gesto do ator, etc.
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],[object Object],A CATARSE:
GÊNERO DRAMÁTICO ,[object Object],[object Object],A CATARSE:
GÊNERO DRAMÁTICO —  Salve, como é que vai? — Amigo há quanto tempo... — Um ano ou mais... — Posso sentar um pouco? — Faça o favor! — A vida é um dilema... — Nem sempre vale a pena... — Ah... — O que é que há? —  Rosa acabou comigo. — Meu Deus, porquê? — Nem Deus sabe o motivo. — Deus é bom! — Mas não foi bom pra mim... — Todo amor um dia chega ao fim. AMIGO É PRA ESSAS COISAS Sílvio da Silva / Aldir Blanc O grupo vocal MPB4
GÊNEROS LITERÁRIOS ,[object Object],A CONCOMITÂNCIA DOS GÊNEROS LITERÁRIOS:
GÊNEROS LITERÁRIOS A CONCOMITÂNCIA DOS GÊNEROS LITERÁRIOS:
GÊNEROS LITERÁRIOS ,[object Object],A CONCOMITÂNCIA DOS GÊNEROS LITERÁRIOS:
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],(RESUMIDAS) www.literaturaeshow.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Linguagem Formal e Informal
Linguagem Formal e InformalLinguagem Formal e Informal
Linguagem Formal e Informal
 
Conto social- Estudo dos gêneros textuais
Conto social- Estudo dos gêneros textuaisConto social- Estudo dos gêneros textuais
Conto social- Estudo dos gêneros textuais
 
Realismo - Naturalismo
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
 
Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
 
GêNero Textual Carta
GêNero Textual CartaGêNero Textual Carta
GêNero Textual Carta
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Minicontos
MinicontosMinicontos
Minicontos
 
Apreciação e réplica de crônica narrativa situação
Apreciação e réplica de crônica narrativa  situaçãoApreciação e réplica de crônica narrativa  situação
Apreciação e réplica de crônica narrativa situação
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Tirinhas aula 1- características gerais
Tirinhas  aula 1- características geraisTirinhas  aula 1- características gerais
Tirinhas aula 1- características gerais
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
Prosa romântica
Prosa românticaProsa romântica
Prosa romântica
 
MEMES EM AULAS DE PORTUGUÊS NO ENSINO MÉDIO: linguagem, produção e replicação...
MEMES EM AULAS DE PORTUGUÊS NO ENSINO MÉDIO: linguagem, produção e replicação...MEMES EM AULAS DE PORTUGUÊS NO ENSINO MÉDIO: linguagem, produção e replicação...
MEMES EM AULAS DE PORTUGUÊS NO ENSINO MÉDIO: linguagem, produção e replicação...
 
SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
Pronomes
PronomesPronomes
Pronomes
 
Gênero poesia
Gênero poesiaGênero poesia
Gênero poesia
 
Romantismo - aula
Romantismo - aulaRomantismo - aula
Romantismo - aula
 

Destaque (20)

Generos literarios-2
Generos literarios-2Generos literarios-2
Generos literarios-2
 
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino MédioGêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Gênero lírico
Gênero líricoGênero lírico
Gênero lírico
 
Slide generos literarios
Slide generos literariosSlide generos literarios
Slide generos literarios
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
 
O Gênero Lírico
O Gênero LíricoO Gênero Lírico
O Gênero Lírico
 
Generos liricos
Generos liricosGeneros liricos
Generos liricos
 
Conheça alguns de nossos produtos mais vendidos!
Conheça alguns de nossos produtos mais vendidos!Conheça alguns de nossos produtos mais vendidos!
Conheça alguns de nossos produtos mais vendidos!
 
ApresentaçãO I
ApresentaçãO IApresentaçãO I
ApresentaçãO I
 
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniGênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
 
Genêros literários
Genêros literáriosGenêros literários
Genêros literários
 
O gênero lírico
O gênero líricoO gênero lírico
O gênero lírico
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Poemas visuales
Poemas visualesPoemas visuales
Poemas visuales
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
 
Os Tipos textuais
Os Tipos textuaisOs Tipos textuais
Os Tipos textuais
 
G. Literários
G. LiteráriosG. Literários
G. Literários
 
Gênero Discursivo Crônicas - 9º Ano
Gênero Discursivo Crônicas - 9º AnoGênero Discursivo Crônicas - 9º Ano
Gênero Discursivo Crônicas - 9º Ano
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Contos e Crônicas
www.AulasDePortuguesApoio.com  - Português -  Contos e Crônicaswww.AulasDePortuguesApoio.com  - Português -  Contos e Crônicas
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Contos e Crônicas
 

Semelhante a Gêneros Literários

Semelhante a Gêneros Literários (20)

Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Gêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptxGêneros Literários (2023).pptx
Gêneros Literários (2023).pptx
 
Resumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptxResumão gêneros literários.pptx
Resumão gêneros literários.pptx
 
Novela Literária
Novela LiteráriaNovela Literária
Novela Literária
 
Gêneros Literários
Gêneros Literários Gêneros Literários
Gêneros Literários
 
Conceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de LiteraturaConceitos básicos de Literatura
Conceitos básicos de Literatura
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Trabalho de literatura ! professora Rosana
Trabalho de literatura ! professora RosanaTrabalho de literatura ! professora Rosana
Trabalho de literatura ! professora Rosana
 
Trilha Corpo e Emoção.pptx
Trilha Corpo e Emoção.pptxTrilha Corpo e Emoção.pptx
Trilha Corpo e Emoção.pptx
 
Literatura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros LiteráriosLiteratura - Gêneros Literários
Literatura - Gêneros Literários
 
Uel05 Literatura
Uel05 LiteraturaUel05 Literatura
Uel05 Literatura
 
Contos
ContosContos
Contos
 
A literatura
A literaturaA literatura
A literatura
 
LITERATURA
 LITERATURA  LITERATURA
LITERATURA
 
Ativ 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustinoAtiv 2 8_rosanafaustino
Ativ 2 8_rosanafaustino
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
APRESENTAÇÃO_GêneroÉpico_301.pptx
APRESENTAÇÃO_GêneroÉpico_301.pptxAPRESENTAÇÃO_GêneroÉpico_301.pptx
APRESENTAÇÃO_GêneroÉpico_301.pptx
 
Gêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptxGêneros Literários.pptx
Gêneros Literários.pptx
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 

Mais de José Ricardo Lima (20)

Machado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.pptMachado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.ppt
 
Quincas Borba
Quincas Borba Quincas Borba
Quincas Borba
 
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
 
O cortiço
O cortiçoO cortiço
O cortiço
 
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
 
O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)
 
Sonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMPSonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMP
 
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) UnicampO espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
 
Claro enigma
Claro enigma Claro enigma
Claro enigma
 
Maus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobreviventeMaus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobrevivente
 
Morte e vida severina
Morte e vida severinaMorte e vida severina
Morte e vida severina
 
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
 
Romantismo 2.0
Romantismo 2.0Romantismo 2.0
Romantismo 2.0
 
Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
 
Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)
 
Exercícios cda
Exercícios cdaExercícios cda
Exercícios cda
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
UFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigoUFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigo
 
Gustav Courbet
Gustav CourbetGustav Courbet
Gustav Courbet
 

Último

Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 

Último (20)

Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 

Gêneros Literários

  • 1. Professor José Ricardo Lima www.literaturaeshow.com.br
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. GÊNERO ÉPICO AS EPOPEIAS DE IMITAÇÃO OU SECUNDÁRIAS: Vasco da Gama
  • 12.
  • 13.
  • 14. Quadro de epopeias ante-riores a Os Lusíadas.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41. SONETO DO AMOR TOTAL SONETO DO AMOR TOTAL Amo-te tanto, meu amor... não cante O humano coração com mais verdade... Amo-te como amigo e como amante Numa sempre diversa realidade. Amo-te afim, de um calmo amor prestante E te amo além, presente na saudade Amo-te, enfim, com grande liberdade Dentro da eternidade e a cada instante. Amo-te como um bicho, simplesmente De um amor sem mistério e sem virtude Com um desejo maciço e permanente. E de te amar assim, muito e amiúde É que um dia em teu corpo de repente Hei de morrer de amar mais do que pude. Vinícius de Moraes
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45. OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO SEPARAR AS SÍLABAS GRAMATICAIS Vou-me embora pra Pasárgada Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Tirai este peso Ti/rai/es/te/pe/so 1
  • 46. OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO PROCURAR AS ELISÕES Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Ti/rai/es/te/pe/so Voumem bora... 2
  • 47. OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO De/tu/do/ao/meu/a/mor/se/rei/a/ ten/to Aí/es/tá/a/cor De tudao meu amor serei atento
  • 48. OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO 3 MARCAR A ÚLTIMA TÔNICA Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Ti/rai/es/te/pe/so
  • 49. OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO 4 NUMERAR AS SÍLABAS Vou/me/em/bo/ra/pra/Pa/sár/ga/da Ti/rai/es/te/pe/so 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 5
  • 50. EXISTE UM VERSO CUJO Nº DE SÍLABAS POÉTICAS SEJA IGUAL DO DE SÍLABAS GRAMATICAIS? Não existe não
  • 51. — Peso mais pesado Não existe não Ah, livrai-me dele, Senhor capitão.
  • 52. SEPARAR AS S.G. 1 2 3 4 PROCURAR AS ELISÕES MARCAR A ÚLTIMA TÔNICA OS QUATRO PASSOS DA ESCANSÃO NUMERAR S.P.
  • 53.
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67.
  • 68. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Carlos Drummond de Andrade Aos que me dão lugar no b onde A e que conheço não sei de onde , A aos que me dizem terno ad eus B sem que lhes saiba os nomes s eus B
  • 69. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Álvares de Azevedo Minha desgraça não é ser po eta , A Nem na terra de amor não ter um eco , B É meu anjo de Deus, o meu plane ta A Tratar-me como trata-se um bone co B
  • 70. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Augusto dos Anjos Eu, filho do carbono e do amon íaco , A Monstro de escuridão e rutil ância , B Sofro, desde a epigênese da inf ância , B A influência má dos signos do zodí aco . A
  • 71. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Alvarenga Peixoto
  • 72.
  • 73. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA Vinícius de Morais
  • 74. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 75. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 76. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 77. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 78. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA TISNAR: por negro como carvão
  • 79. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 80. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 81. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA  Neste caso, para se contar as sílabas poéticas do verso, deve-se escrever por extenso o nome da letra “esse”.
  • 82. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 83. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 84. GÊNERO LÍRICO ASPECTOS ESTRUTURAIS DA POESIA: A RIMA
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 88. GÊNERO DRAMÁTICO O Teatro de Dionísio em Atenas, Grécia
  • 89.
  • 90.
  • 91.
  • 92.
  • 93. GÊNERO DRAMÁTICO ELEMENTOS INDICATIVOS DO GÊNERO: ( Estende agora as duas mãos para o cego, numa espécie de apelo. Logo, porém, interrompe o gesto. ) ELIAS - Desde que você entrou, eu soube que era linda. VIRGÍNIA - ( acariciando-se a si mesma ) — Poucas mulheres são tão bonitas como eu. Se você enxergasse, veria que não minto. ELIAS - ( doce ) — Imagino. RUBRICA: Indicação escrita de como deve ser executado um trecho musical, uma mudança de cenário, um movimento cênico, uma fala, um gesto do ator, etc.
  • 94.
  • 95.
  • 96. GÊNERO DRAMÁTICO — Salve, como é que vai? — Amigo há quanto tempo... — Um ano ou mais... — Posso sentar um pouco? — Faça o favor! — A vida é um dilema... — Nem sempre vale a pena... — Ah... — O que é que há? — Rosa acabou comigo. — Meu Deus, porquê? — Nem Deus sabe o motivo. — Deus é bom! — Mas não foi bom pra mim... — Todo amor um dia chega ao fim. AMIGO É PRA ESSAS COISAS Sílvio da Silva / Aldir Blanc O grupo vocal MPB4
  • 97.
  • 98. GÊNEROS LITERÁRIOS A CONCOMITÂNCIA DOS GÊNEROS LITERÁRIOS:
  • 99.
  • 100.