Ppoint.Planejamento.Revisado2006

6.600 visualizações

Publicada em

Resumo sobre o planejamento.

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.600
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
374
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppoint.Planejamento.Revisado2006

  1. 1. Planejamento Prof. Albano Novaes
  2. 2. “ Há um princípio que serve de barreira contra toda e qualquer informação, de prova contra qualquer argumento e que jamais pode falhar, a fim de manter o homem em permanente estado de ignorância: esse princípio condena antes de pesquisar.”
  3. 3. O ato de planejar faz parte da história do ser humano, pois o desejo de transformar sonhos em realidade objetiva, é uma preocupação marcante de todo indivíduo. Em nosso dia-a-dia, sempre estamos enfrentando situações que necessitam de planejamento, mas nem sempre as nossas atividades diárias são delineadas em etapas concretas da ação, uma vez que já pertencem ao contexto de nossa rotina.
  4. 4. As idéias que envolvem o planejamento são amplamente discutidas nos dias atuais, mas um dos complicadores para o exercício da prática de planejar parece ser a compreensão de conceitos e o uso adequado dos mesmos.
  5. 5. É quase impossível enumerar todos os tipos e níveis de planejamento necessários à atividade humana. Sobretudo porque, sendo a pessoa humana condenada, por sua racionalidade, a realizar algum tipo de planejamento, está sempre ensaiando processos de transformar suas idéias em realidade.
  6. 6. Planejamento é o processo de descoberta de equilíbrio entre meios e fins, entre recursos e objetivos, visando ao melhor funcionamento de instituições públicas ou privadas.
  7. 7. O ato de planejar é sempre o processo de reflexão, de tomada de decisão sobre a ação; processo de necessidades e racionalização de emprego de meios (materiais) e recursos (humanos) disponíveis, visando à concretização de objetivos, em prazos determinados e etapas definidas, a partir dos resultados das avaliações.
  8. 8. Planejar é uma atividade que está dentro da educação, visto que esta tem como características básicas:  evitar a improvisação,  prever o futuro,
  9. 9.  estabelecer caminhos que possam nortear mais apropriadamente a execução da ação educativa,  prever o acompanhamento e a avaliação da própria ação. Planejar e avaliar andam de mãos dadas.
  10. 10. O planejamento educacional é um processo contínuo que se preocupa com o “para onde ir” e “quais as maneiras adequadas para chegar lá”, tendo em vista a situação presente e possibilidades futuras, para que o desenvolvimento da educação atenda tanto as necessidades da sociedade, quanto dos indivíduos. Planejamento Educacional
  11. 11. O planejamento curricular corresponde ao processo de tomada de decisões sobre a dinâmica da ação escolar. É a previsão sistemática e ordenada de toda a vida escolar do aluno. Planejamento Curricular
  12. 12. Portanto, essa modalidade de planejar constitui um instrumento que orienta a ação educativa na escola, pois a preocupação é com a proposta geral das experiências de aprendizagem que a escola deve oferecer ao estudante (educando), através dos diversos componentes curriculares.
  13. 13. O planejamento escolar é o planejamento global da escola, envolvendo o processo de reflexão, de decisões sobre a organização, o funcionamento e a proposta pedagógica da instituição. Planejamento Escolar
  14. 14. O planejamento escolar é um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social.
  15. 15. O planejamento de ensino representa o processo de decisão sobre a atuação concreta dos professores, no cotidiano de seu trabalho pedagógico, envolvendo as ações e situações, em constante interações entre professor e alunos e entre os próprios alunos. Planejamento de Ensino
  16. 16. <ul><li>Todo planejamento de ensino é decorrente: </li></ul><ul><li>De uma concepção de educação, </li></ul><ul><li>Da postura do professor diante de sua área de conhecimento, </li></ul><ul><li>Da articulação com o Projeto Político Pedagógico da instituição, </li></ul>
  17. 17. Portanto, para a elaboração de um plano de ensino, deve-se estabelecer de maneira clara e objetiva, para si mesmo, suas concepções de educação e é importante também partir de um diagnóstico sobre a realidade discente, as condições da unidade escolar e do curso.
  18. 18. Plano é o documento utilizado para o registro de decisões do tipo: Plano
  19. 19. <ul><li>O que se pensa fazer, </li></ul><ul><li>Como fazer, </li></ul><ul><li>Quando fazer, </li></ul><ul><li>Com que fazer, </li></ul><ul><li>Com quem fazer. </li></ul>
  20. 20. Para existir plano é necessária a discussão sobre fins e objetivos, culminando com a definição dos mesmos. O plano é a apresentação sistemática e justificada das decisões tomadas relativas à ação a realizar.
  21. 21. O plano possui a conotação de produto do planejamento. Plano é um guia e tem a função de orientar a prática , partindo da própria prática e, portanto, não pode ser um documento rígido e absoluto.
  22. 22. O plano é a formalização dos diferentes momentos do processo de planejar que, por sua vez, envolve desafios e contradições.
  23. 23. <ul><li>Existem vários tipos de planos: </li></ul><ul><li>Plano Nacional de Educação, </li></ul><ul><li>Plano Escolar, </li></ul><ul><li>Plano de Curso, </li></ul><ul><li>Plano de Ensino. </li></ul>
  24. 24. O Plano Nacional de Educação é onde se reflete toda a política educacional de um povo, inserido no contexto histórico, que é desenvolvida a longo, médio ou curto prazo. Plano Nacional de Educação
  25. 25. O Plano Escolar é onde são registrados os resultados do planejamento da educação escolar. É o documento mais global; expressa orientações gerais que sintetizam, de um lado, as ligações do projeto pedagógico da escola com os planos de ensino propriamente ditos. Plano Escolar
  26. 26. O Plano de Curso é a organização de um conjunto de matérias que vão ser ensinadas e desenvolvidas em uma instituição educacional, durante o período de duração de um curso. Plano de Curso
  27. 27. Esse tipo de plano é a sistematização da proposta geral de trabalho do professor naquela determinada disciplina ou área de estudo, numa dada realidade.
  28. 28. O Plano de Ensino representa o plano de disciplinas, de unidades e experiências propostas pela escola, professores, alunos ou pela comunidade escolar. Plano de Ensino
  29. 29. Situa-se no nível bem mais específico e concreto em relação aos outros planos, pois define e operacionaliza toda a ação escolar existente no plano curricular da escola.
  30. 30. Um plano de ensino coerente : Adapta-se às necessidades, capacidades e interesses dos alunos e do contexto social. Relaciona-se intimamente com o PPP da escola ou do curso.
  31. 31. É elaborado a partir de objetivos realistas. Envolve conteúdos que sejam meios para o alcance dos objetivos. Prevê tempo suficiente para sua execução. É suficientemente flexível para ajustar-se aos imprevistos.
  32. 32. Muitos são os elementos que podem estar presentes em um plano de ensino. Os planos de ensino devem contemplar, os seguintes elementos: Elementos de um Plano de Ensino
  33. 33. <ul><li>Identificação, </li></ul><ul><li>Objetivos, </li></ul><ul><li>Conteúdos, </li></ul><ul><li>Metodologia : procedimentos e recursos de ensino, </li></ul><ul><li> Avaliação. </li></ul>
  34. 34. A identificação está relacionada com: Instituição, Centro, Curso, Disciplina, Período, Professor, Ano/Semestre, Semestre/Bimestre, Carga horária. Identificação
  35. 35. Trata-se dos objetivos da disciplina, ou seja, o que esta disciplina pretende alcançar, o que os alunos deverão ser capazes de fazer, sentir, exercer... Objetivos
  36. 36. Estes objetivos precisam estar intimamente relacionados com os objetivos do Curso. O estabelecimento de objetivos orienta o professor quando da seleção do conteúdo, da escolha das estratégias e da definição da avaliação.
  37. 37. É importante que o professor estabeleça um objetivo geral para a disciplina e, a partir deste, proponha os objetivos específicos. Os objetivos específicos são os passos, etapas, as partes ações necessárias para o alcance do objetivo geral.
  38. 38. A escolha, seleção dos conteúdos se dá a partir dos objetivos estabelecidos. Desta forma, os conteúdos deixam de ser os elementos orientadores do plano para se constituírem em elementos de concretização dos objetivos. Conteúdos
  39. 39. <ul><li>Para a seleção dos conteúdos essenciais a cada disciplina, pode ser utilizado os seguintes critérios: </li></ul><ul><li>Vinculação com os objetivos, </li></ul><ul><li>Validade e Significação, </li></ul><ul><li>Adequação ao nível dos alunos e ao tempo, </li></ul><ul><li>Flexibilidade e Utilidade. </li></ul>
  40. 40. A partir da concepção metodológica adotada pelo professor são selecionados as estratégias de ensino e de aprendizagem, as quais são voltadas ao alcance dos objetivos. Incluem toda a organização da aula com vistas à aprendizagem. Metodologia
  41. 41. Como é o componente do plano que permite maior flexibilidade, devem estas estratégias estarem adequadas ao nível, condições estruturais e de pessoal, habilidades já existentes na turma e tempo.
  42. 42. O professor deve escolher previamente a estratégia mais adequada ao conteúdo e objetivos a serem trabalhados, tendo em mente que mesmo com preparação prévia, a estratégia poderá sofrer alterações e mesmo ser substituída por outra, dependendo do contexto em que a aula esteja se desenvolvendo.
  43. 43. Para isso, é necessário ter grande sensibilidade pedagógica e estar certo de que os objetivos é que precisam ser preservados e garantidos através da ação didática. As estratégias utilizadas relacionam-se intimamente com os procedimentos de ensino e com os recursos de ensino .
  44. 44. <ul><li>Os procedimentos de ensino podem ser: </li></ul><ul><li>Trabalhos em grupo ou individuais; </li></ul><ul><li>Seminários; </li></ul><ul><li>Solução de problemas; </li></ul><ul><li>Debates; </li></ul>Procedimentos de Ensino
  45. 45. <ul><li> Estudos de caso </li></ul><ul><li>Debates </li></ul><ul><li>Estudo do meio; </li></ul><ul><li>Jogos; </li></ul><ul><li>Estudo dirigido; </li></ul><ul><li>Dramatização. </li></ul>
  46. 46. <ul><li>Os recursos podem ser: </li></ul><ul><li>Quadro de giz; </li></ul><ul><li>Apostilas; </li></ul><ul><li>Revistas; </li></ul>Recursos de Ensino
  47. 47. <ul><li> Jornais; </li></ul><ul><li>Fitas de vídeo; </li></ul><ul><li>Livros diversos; </li></ul><ul><li>Cartazes, painéis; </li></ul><ul><li>Os PCN. </li></ul>
  48. 48. A avaliação é parte integrante do processo ensino/aprendizagem. Vincula-se diretamente com os objetivos, deve ser contínua e permitir um contínuo recomeçar. Avaliação
  49. 49. A avaliação deve ser objetiva, requer observação e registro sistemático. Deve incidir sobre o desempenho do professor e adequação ao plano. A avaliação deve envolver os diversos domínios da aprendizagem.
  50. 50. O professor deve contar com a concepção de avaliação assumida pelo curso, presente no PPP.
  51. 51. Neste item do plano de ensino, é recomendável que o professor estabeleça com muita clareza a concepção de avaliação por ele assumida , bem como os princípios que nortearão a prática avaliativa na disciplina e os critérios de avaliação devem ser tratados com muita clareza e objetividade , fazendo com que os alunos tenham presente como, quando e em que estarão sendo avaliados . Educação Estilos
  52. 52. início Clique em “Esc” para sair.

×