DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CLIMATÉRIO<br />
“ Enquanto os médicos fascinam-se cada vez mais com a tecnologia, cresce nos paciente o desejo de uma abordagem mais holís...
CLIMATÉRIO<br />Chirlei A Ferreira<br />
CONCEITO<br />CLIMATÉRIO:<br />Fase da vida biológica da mulher que marca a transição entre o período reprodutivo e o não-...
FISIOLOGIA HORMONAL DO CLIMÁTERIO<br />Diminuição da população folicular,<br />Diminuição do estrogênio e da inibina<br />...
FISIOLOGIA HORMONAL DO CLIMÁTERIO<br />Chirlei A Ferreira<br />PERIMENOPAUSA =&gt; CICLOS ANOVULATÓRIOS<br />HIPOTÁLAMO<br...
Chirlei A Ferreira<br />RÁPIDO DESENVOLVIMENTO FOLICULAR<br />ENCURTAMENTO DA 1ª FASE DO CICLO<br /><ul><li> FSH
 E2  (Insuficiente para induzir o pico do LH)  </li></ul>ANOVULAÇÃO <br />IRREG. MENSTRUAL<br />MENOPAUSA<br />
MENOPAUSA<br />Chirlei A Ferreira<br />
CONCEITO<br />Ooforectomia bilateral<br />Falhaovariana<br />Hormônio Folículo Estimulante elevado<br />Ultimo ciclo menst...
AÇÕES DOESTROGÊNIO<br />GERAIS:<br />Induz a proliferação celular e o crescimento dos órgãos reprodutores<br />ESPECÍFICAS...
SINTOMATOLOGIAHIPOESTROGENISMO<br />Chirlei A Ferreira<br />Enfraquecimento e queda do cabelo<br />Afinamento da pele<br /...
ACOMPANHAMENTO  PÓS-MENOPAUSA<br />Chirlei A Ferreira<br />
EXAMES DE ROTINA<br /><ul><li>Exame Clínico
Avaliação dos sistemas
Exames Laboratoriais
 Glicemia de jejum
Colesterol total e frações
Triglicérideos
TSH ( a cada 3-5 anos)
Exames Complementares
Colpocitologia oncótica (endocervical)
Mamografia anual
Ultrassom endovaginal
Pesquisa sangue oculto nas fezes</li></ul>Chirlei A Ferreira<br />
EXAMES COMPLEMENTARES INDIVIDUALIZADOS<br />EXAMES LABORATORIAIS<br />Hemograma<br />Urina Rotina<br />Provas de função re...
SINAIS E SINTOMAS MAIS FREQUENTES<br /><ul><li> FOGACHOS
 ALTERAÇÕES DO HUMOR
 ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO
 OSTEOPOROSE
 SISTEMA CARDIOVASCULARES</li></ul>Chirlei A Ferreira<br />
FOGACHOS<br />Chirlei A Ferreira<br />Prevalência das Ondas de Calor<br />Menopausa<br />Anos antes<br />Anos após<br />3<...
FOGACHOS<br />Chirlei A Ferreira<br />SCHARF et al. ClinTher, 1997; 19:304<br />
ALTERAÇÕES DO HUMOR<br />Chirlei A Ferreira<br />ONDAS DE CALOR<br />MAU HUMOR<br />INTERRUPÇÃO DO SONO<br />FADIGA<br />E...
TERAPIA HORMONAL SOBRE A QUALIDADE DE VIDA<br />Chirlei A Ferreira<br />Pior<br />QOL Scores<br />*<br />†<br />Melhor<br ...
ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />Tanto o trato genital quanto o urinário derivam do seio Urogenital:<br />Estas es...
ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />Chirlei A Ferreira<br />ATROFIA URO-GENITAL<br />DISFUNÇÃO URINÁRIA<br />DISFUNÇÃ...
  40% das pacientes idosas apresentarão Incontinência Urinária.
 Alta prevalência de disfunção sexual.</li></li></ul><li>ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />CONSEQUÊNCIAS CLÍNICAS D...
ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />Chirlei A Ferreira<br />QUANTIDADE DEESTROGÊNIO CIRCULANTE E PREVALÊNCIA PROBLEMA...
OSTEOPOROSE<br />Chirlei A Ferreira<br />ALTERAÇÃO DA<br />MICROARQUITETURA<br />E REMODELAÇÃO<br />ÓSSEA<br />PERDA DE MA...
OSTEOPOROSEREMODELAÇÃO ÓSSEA<br />APÓS A MENOPAUSA OCORRE PERDA ÓSSEA DE: (EM UM ANO)<br />5% do osso TRABECULAR<br />1 a ...
OSTEOPOROSEFATORES DE RISCO<br /><ul><li>FATORES MAIORES</li></ul>Sexo feminino<br />Baixa massa óssea (DMO)<br />Fratura ...
Amenorréia primária ou secundária
Perda de peso após os 25 anos ou baixo  índice de massa corporea (< 19 ICM)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

DiagnóStico E Tratamento Do ClimatéRio

19.125 visualizações

Publicada em

Climatério desde a falência ovariana com os primeiros sinais e sintomas do hipoestrogenismos. Descriçao dos principais trabalhos e TH com suas alternativas.

Publicada em: Saúde e medicina

DiagnóStico E Tratamento Do ClimatéRio

  1. 1. DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CLIMATÉRIO<br />
  2. 2. “ Enquanto os médicos fascinam-se cada vez mais com a tecnologia, cresce nos paciente o desejo de uma abordagem mais holística, levando-os a rejeitar os métodos atuais da medicina.”<br />História Ilustrada da Medicina,<br />1998<br />Chirlei A Ferreira<br />
  3. 3. CLIMATÉRIO<br />Chirlei A Ferreira<br />
  4. 4. CONCEITO<br />CLIMATÉRIO:<br />Fase da vida biológica da mulher que marca a transição entre o período reprodutivo e o não-reprodutivo.<br />Chirlei A Ferreira<br />
  5. 5. FISIOLOGIA HORMONAL DO CLIMÁTERIO<br />Diminuição da população folicular,<br />Diminuição do estrogênio e da inibina<br />Aumento do Hormônio Folículo Estimulante – primeira indicação laboratorial,<br />Aumento relativo do estroma ovariano.<br />Chirlei A Ferreira<br />
  6. 6. FISIOLOGIA HORMONAL DO CLIMÁTERIO<br />Chirlei A Ferreira<br />PERIMENOPAUSA =&gt; CICLOS ANOVULATÓRIOS<br />HIPOTÁLAMO<br />GNRH<br />HIPÓFISE ANTERIOR<br />ENDOMÉTRIO<br />FSH<br />LH<br />ESTROGÊNIO<br />ACENTUADA DIMINUIÇÃO DA PRODUÇÃOPROGESTERONA<br />
  7. 7. Chirlei A Ferreira<br />RÁPIDO DESENVOLVIMENTO FOLICULAR<br />ENCURTAMENTO DA 1ª FASE DO CICLO<br /><ul><li> FSH
  8. 8. E2 (Insuficiente para induzir o pico do LH) </li></ul>ANOVULAÇÃO <br />IRREG. MENSTRUAL<br />MENOPAUSA<br />
  9. 9. MENOPAUSA<br />Chirlei A Ferreira<br />
  10. 10. CONCEITO<br />Ooforectomia bilateral<br />Falhaovariana<br />Hormônio Folículo Estimulante elevado<br />Ultimo ciclo menstrual hámais de doze meses,<br />Ocorregeralmente entre 45 e 55 anos, com a médiaem torno de 51 anos.<br />É a última menstruação da mulher em conseqüência da falência folicular fisiológica ou iatrogênica,<br />Se diagnosticado de forma retrospectiva é definido como um ano, doze ciclos, após o último período menstrual (OMS)<br />Chirlei A Ferreira<br />
  11. 11. AÇÕES DOESTROGÊNIO<br />GERAIS:<br />Induz a proliferação celular e o crescimento dos órgãos reprodutores<br />ESPECÍFICAS:<br />Estimula o desenvolvimento ovariano e os caracteres sexuais secundários,<br />Estimula o crescimento dos epitélios e tecido conjuntivo dos órgãos reprodutivos,<br />Regula os ciclos reprodutivos<br />Induz o depósito de gordura e da vascularização dérmica.<br />Goldfien A. The gonadal hormones and inhibitors. In: KatzungBG, ed. Basic and ClinicalPharmacology. 7th ed. Stamford, Conn:Appleton and Lange; 1998:653-683.<br />Chirlei A Ferreira<br />
  12. 12. SINTOMATOLOGIAHIPOESTROGENISMO<br />Chirlei A Ferreira<br />Enfraquecimento e queda do cabelo<br />Afinamento da pele<br />Ressecamento<br />Sintomas vasomotores<br />fogachos<br />palpitações<br />Nervosismo<br />Irritabilidade<br />Insônia<br />Depressão<br />Diminuição da libido<br />Aumento do risco de Osteoporose, com maior propensão a fraturas<br />Problemas cardio-vasculares<br />Atrofia das glândulas mamárias<br />Distúrbios genitais<br />Vaginite atrófica<br />Secura vaginal<br />Infecções vaginais<br />Distúrbios urinários<br />Ardor ao urinar<br />Urgência urinária<br />
  13. 13. ACOMPANHAMENTO PÓS-MENOPAUSA<br />Chirlei A Ferreira<br />
  14. 14. EXAMES DE ROTINA<br /><ul><li>Exame Clínico
  15. 15. Avaliação dos sistemas
  16. 16. Exames Laboratoriais
  17. 17. Glicemia de jejum
  18. 18. Colesterol total e frações
  19. 19. Triglicérideos
  20. 20. TSH ( a cada 3-5 anos)
  21. 21. Exames Complementares
  22. 22. Colpocitologia oncótica (endocervical)
  23. 23. Mamografia anual
  24. 24. Ultrassom endovaginal
  25. 25. Pesquisa sangue oculto nas fezes</li></ul>Chirlei A Ferreira<br />
  26. 26. EXAMES COMPLEMENTARES INDIVIDUALIZADOS<br />EXAMES LABORATORIAIS<br />Hemograma<br />Urina Rotina<br />Provas de função renal<br />Provas de função hepática<br />Frações de colesterol<br />Curva de tolerância a glicose<br />TESTE DE ESFORÇO<br />RAIO-X TORAX<br />DENSITOMETRIA ÓSSEA<br />Chirlei A Ferreira<br />
  27. 27. SINAIS E SINTOMAS MAIS FREQUENTES<br /><ul><li> FOGACHOS
  28. 28. ALTERAÇÕES DO HUMOR
  29. 29. ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO
  30. 30. OSTEOPOROSE
  31. 31. SISTEMA CARDIOVASCULARES</li></ul>Chirlei A Ferreira<br />
  32. 32. FOGACHOS<br />Chirlei A Ferreira<br />Prevalência das Ondas de Calor<br />Menopausa<br />Anos antes<br />Anos após<br />3<br />2<br />1<br />1<br />2<br />3<br />75% das mulheres reclamam de “ondas de calor” por um período de até 2 anos da menopausa, <br />É a principal razão de procura de tratamento médico<br />25% permanecem sintomáticas por mais de 5 anos<br />Kronenberg F. Ann NY Acad Sci. 1990;592:52-86. <br />
  33. 33. FOGACHOS<br />Chirlei A Ferreira<br />SCHARF et al. ClinTher, 1997; 19:304<br />
  34. 34. ALTERAÇÕES DO HUMOR<br />Chirlei A Ferreira<br />ONDAS DE CALOR<br />MAU HUMOR<br />INTERRUPÇÃO DO SONO<br />FADIGA<br />EFEITOS NEGATIVOS NA SEXUALIDADE<br />
  35. 35. TERAPIA HORMONAL SOBRE A QUALIDADE DE VIDA<br />Chirlei A Ferreira<br />Pior<br />QOL Scores<br />*<br />†<br />Melhor<br />IndiceKupperman<br />Indice Greene<br />QOL = quality of life; *P &lt; .005 compared with placebo; †P &lt; .0005 compared with placebo.<br />Derman RJ, et al. Int J Fertil. 1995;40:73-8.<br />
  36. 36. ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />Tanto o trato genital quanto o urinário derivam do seio Urogenital:<br />Estas estruturas contêm altas concentrações de Receptores de Estrogênios<br />São encontrados em:<br />Vagina<br />Bexiga<br />Uretra<br />Musculatura do assoalho pélvico<br />Chirlei A Ferreira<br />
  37. 37. ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />Chirlei A Ferreira<br />ATROFIA URO-GENITAL<br />DISFUNÇÃO URINÁRIA<br />DISFUNÇÃO SEXUAL<br />Inevitável conseqüência da deficiência Estrogênica:<br /><ul><li>100% das mulheres serão afetadas
  38. 38.  40% das pacientes idosas apresentarão Incontinência Urinária.
  39. 39. Alta prevalência de disfunção sexual.</li></li></ul><li>ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />CONSEQUÊNCIAS CLÍNICAS DA ATROFIA URO-GENITAL<br />Vulvo-vaginiteatrófica<br />Dispareunia<br />Infecções genitais<br />Distopias genitais<br />Distúrbios urinários<br />Cistites<br />Incontinência de esforço<br />Urgência urinária<br />Chirlei A Ferreira<br />
  40. 40. ALTERAÇÕES DO TRATO GENITO-URINÁRIO<br />Chirlei A Ferreira<br />QUANTIDADE DEESTROGÊNIO CIRCULANTE E PREVALÊNCIA PROBLEMAS GENITAIS<br />n = 93. Nível de signifâncianãorelatada.<br />Sarrel PM. J Womens Health Gend Based Med. 2000;9(suppl 1):S-25–S-32.<br />Sarrel PM. Obstet Gynecol. 1990;75(4 suppl):26S–30S.<br />
  41. 41. OSTEOPOROSE<br />Chirlei A Ferreira<br />ALTERAÇÃO DA<br />MICROARQUITETURA<br />E REMODELAÇÃO<br />ÓSSEA<br />PERDA DE MASSA ÓSSEA<br />FRAGILIDADE ÓSSEA<br />PREVENÇÂO<br />FRATURA<br />National Institute of Health - Consensus Development Conference Statement. March 27-29, 2000<br />
  42. 42. OSTEOPOROSEREMODELAÇÃO ÓSSEA<br />APÓS A MENOPAUSA OCORRE PERDA ÓSSEA DE: (EM UM ANO)<br />5% do osso TRABECULAR<br />1 a 1,5% da massa óssea TOTAL<br />APÓS VINTE ANOS DE PÓS-MENOPAUSA<br />50% do osso TRABECULAR<br />30% do osso CORTICAL<br />NOS PRIMEIROS 15 ANOS APÓS A MENOPAUSA 75% DA PERDA ÓSSEA É DEVIDO A DEFICIÊNCIA ESTROGÊNICA<br />Chirlei A Ferreira<br />
  43. 43. OSTEOPOROSEFATORES DE RISCO<br /><ul><li>FATORES MAIORES</li></ul>Sexo feminino<br />Baixa massa óssea (DMO)<br />Fratura prévia<br />Raça Asiática ou caucasiana<br />Idade avançada<br />História materna de fratura do colo de fêmur e/ou osteoporose<br />Menopausa precoce <br />Uso de corticoterapia<br /><ul><li>FATORES MENORES
  44. 44. Amenorréia primária ou secundária
  45. 45. Perda de peso após os 25 anos ou baixo índice de massa corporea (< 19 ICM)
  46. 46. Tabagismo
  47. 47. Sedentarismo
  48. 48. Imobilização prolongada
  49. 49. Dieta pobre em cálcio
  50. 50. Doenças que induzem a perda da massa óssea
  51. 51. Tratamento com drogas que induzem perda óssea:
  52. 52. Heparina/varfarina
  53. 53. Anticonvulsivantes (Fenobarbital/Fenitoína/Carbamezepina)
  54. 54. Lítio
  55. 55. Metotrexate</li></ul>Chirlei A Ferreira<br />
  56. 56. ALGORITMOOSTEOPOROSE<br />Chirlei A Ferreira<br />MULHER NA PÓS-MENOPAUSA<br />COM FATOR DE RISCO PARA FRATURA<br />SEM FATOR DE RISCO PARA FRATURA<br />MEDIR A DMO<br />PREVENÇÃO<br />BAIXA<br />NORMAL<br />TRATAMENTO<br />DIAGNÓSTICO<br />DIFERENCIAL<br />PREVENÇAO<br />SECUNDÁRIA<br />PRIMÁRIA<br />SEGUIMENTO<br />TRATAR<br />TRATAR<br />
  57. 57. RASTREAMENTOPARA CÂNCER DE CÓLON<br />POSSÍVEIS MECANISMOS DE PROTEÇÃO<br />Redução do risco de pólipos,<br />Alteração da bile estrogênio induzida<br />Diminuição de ácidos biliares com aumento da saturação do colesterol<br />Efeito supressivo direto no crescimento das células da mucosa<br />Efeito benéfico nas secreções mucosas<br /><ul><li>RASTREMENTO</li></ul> EXAME DIGITAL<br />10% dos cânceres estão ao alcance do exame,<br /> Mão existe prova conclusiva que o exame reduz a mortalidade<br />PESQUISA SANGUE OCULTO NAS FEZES<br />Realizado anualmente: trabalhos controversos quanto a redução da morbidade e da mortalidade<br />SIGNOIDOSCOPIA<br /> Reduz o risco de morte em 75%, com um único exame<br /> Indivíduos submetidos a um ou mais exames em dez anos diminuem o risco de câncer fatal do reto ou cólon distal (realizar a cada 3 anos)<br />Chirlei A Ferreira<br />
  58. 58. TERAPIA HORMONAL<br />Chirlei A Ferreira<br />
  59. 59. Chirlei A Ferreira<br />ESTUDO WHI - GRUPO ESTROGÊNIO ISOLADO<br />DESFECHOS CLÍNICOS SELECIONADOS DE ACORDO<br /> COM AS FAIXAS ETÁRIAS<br />DCV<br />EEC<br />PLACEBO <br />HR<br />50 - 59 anos 16 casos 29 casos 0.56 ( 0.30 - 1.03 ) <br />60 -69 anos 87 casos 98 casos 0.92 ( 0.69 - 1.23 )<br />70 -79 anos 74 casos 72 casos 1.04 ( 0.75 - 1.44 )<br />AVC<br />50 - 59 anos 19 casos 19 casos 1.08 ( 0.57 - 2.04 ) <br />60 -69 anos 79 casos 50 casos 1.65 ( 1.16 - 2.36 )<br /> 70 -79 anos 60 casos 49 casos 1.25 ( 0.85 - 1.82 )<br />TROMBOEMBOLISMO VENOSO<br /> 50 - 59 anos 19 casos 19 casos 1.08 ( 0.57 - 2.04 ) <br />60 -69 anos 79 casos 50 casos 1.65 ( 1.16 - 2.36 )<br /> 70 -79 anos 60 casos 49 casos 1.25 ( 0.85 - 1.82 )<br />ESTUDO WHI<br />
  60. 60. WHIPRINCIPAIS RESULTADOS<br />Chirlei A Ferreira<br />Writing Group for the Women’s Health Initiative Investigators. JAMA. 2002;288:321-333.<br />
  61. 61. WHI RESULTADOSESTROGÊNIOS ISOLADOS<br />Chirlei A Ferreira<br />Resumo dos PrincipaisAchados do GrupoTratado com EstrogênioIsoladoconformePublicadopeloGrupoRelator do WHI – Após 7 anosaproximadamente<br />[WHI – JAMA - Março 2004]<br />
  62. 62. O ESTUDO UM MILHÃO DE MULHERES<br />Chirlei A Ferreira<br />1.084.110 mulheres (50-64 anos), seguidas entre 1996-2001<br />Metade usando TH - Mamografia de 3/3 anos<br />Não usuárias -- RR = 1<br />Ex usuárias –-- RR = 1.01<br />Usuárias atuais<br /> Estrogênio isolado ------------- RR 1.30<br />Estrog. + Progest. -------------- RR 2.00<br />Tibolona ------------------------- RR 1.45<br />Duração de usoEstrogênio isoladoE +P<br />&lt; 1 ano ------------------ RR 0.81 ---------------- RR 1.45<br />1 a 4 anos --------------- RR 1.25 ---------------- RR 1.74<br />5 a 9 anos --------------- RR 1.32 ---------------- RR 2.17 <br />10 ou &gt; ------------------ RR 1.37 ---------------- RR 2.31<br />ValerieBeral. THE LANCET. Aug 9, 2003<br />
  63. 63. Chirlei A Ferreira<br />(EP: 0,047)<br />Estudos prospectivos<br />1,09<br />(EP: 0,046)<br />Estudos caso-controle(população como controle)<br />1,15<br />Estudos caso-controle (pacientes hospitalizadas <br />como controle)<br />(EP: 0,091)<br />1,27<br />(EP: 0,031)<br />1,14<br />Todos os estudos combinados<br />0<br />0,5<br />1,0<br />1,5<br />Risco relativo<br />CollaborativeGroupon Hormonal Factors in BreastCancer. Lancet 350:1484, 1997<br />TH CÂNCER DE MAMA<br />
  64. 64. EFEITOS DA TH SOBRE O ENDOMÉTRIO<br />Chirlei A Ferreira<br />Número de Pacientescom<br />Hiperplasia Endometrial<br />Con = continuous regimen; cyc = cyclic regimen (CEE daily, MPA last 14 days of each cycle).<br /> Woodruff JD, et al. Am J Obstet Gynecol. 1994;170:1213-23.<br />
  65. 65. EFEITO DA TH SOBRE AS DOENÇAS CARDIOVASCULARES<br /><ul><li>Aumento Óxido Nítrico
  66. 66. Aumento Prostaciclinas / Bloqueadores de Canais de Cálcio
  67. 67. Diminuição Endotelinas II
  68. 68. Diminuição Tromboxano A2
  69. 69. Diminuição da Formação do Colágeno
  70. 70. Diminuição do Fibrinogênio
  71. 71. Diminuição da Resistência a Insulina</li></ul>Chirlei A Ferreira<br />
  72. 72. EFEITO DA TH SOBRE AS DOENÇAS CARDIOVASCULARES<br />1993 <br />WyethAyerst (confiante na proteção cardio-vascular)<br />Primeiro ensaio clínico randomizado sobre prevenção secundária da Doença Cardio-coronariana(HERS)<br />Publicado em 1998<br />1993 <br />NIH (NationalInstituteofHealth) com o suporte da WyethAverst começou o primeiro ensaio clinico controlado e randomizado sobre prevenção primária da Doença Cardio-vascular (WHI)<br />Publicado em 2002<br />Chirlei A Ferreira<br />
  73. 73. CONTRA-INDICAÇÕESABSOLUTAS A TH<br />Hepatopatias<br />Alterações nas enzimas hepáticas<br />Tumores hormonio-dependentes<br />Antecedentes de tromboembolismo<br />DESFAVORÁVEL O USO EM:<br />Antecedentes de patologia vascular cerebral<br />Diabetes graves com lesões vasculares<br />Hiperlipidemias e hipertrigliceridemias<br />Chirlei A Ferreira<br />
  74. 74. CONTRA-INDICAÇÕESRELATIVAS A TH<br />Miomatose uterina,<br />Endometriose,<br />Hipertensão grave,<br />Edemas de origem renal ou cardíaco<br />Pancreatites<br />Epilepsias,<br />História de enxaquecas persistentes apesar de tratamento.<br />Chirlei A Ferreira<br />
  75. 75. ESQUEMASDE TERAPIA HORMONAL<br />ESTROGÊNIO PURO<br />ESQUEMA SEQUENCIAL<br />Uso ininterrupto do estrogênio, <br />Indicado somente para as pacientes que não possuem útero.<br />Utilização de estrogênio por 28 dias e 12-14 dias de progestágeno,<br />Ocorre sangramento de privação em 80-90% das pacientes.<br />Chirlei A Ferreira<br />
  76. 76. ESQUEMASDE TERAPIA HORMONAL<br />ESQUEMA CONTÍNUO<br />Uso ininterrupto de estrogênio em baixa dose associado a progestogênio também em baixa dose<br />40-60% de sangramento nos primeiros seis meses de uso e 20% de escape no primeiro ano.<br />Chirlei A Ferreira<br />
  77. 77. TERAPIAS ALTERNATIVAS<br />Chirlei A Ferreira<br />
  78. 78. TERAPIASALTERNATIVAS<br />CÁLCIO<br />Deter a perda óssea<br />Administrar com alimentos<br />Carbonatos, lactato e gluconato de cálcio<br />CALCITONINA<br />Peptídeo sintetizado e excretado pelas células C da tireóide,<br />Impede a reabsorção óssea a nível de osteoclastos,<br />Indicada para pacientes com alto nível de reabsorção óssea,<br />Administração subcutânea, intra-muscular e intra-nasal<br />BIFOSFONATOS<br />Inibidores de reabsorção óssea, <br />Diminuem a frequência de ativação dos osteoclastos,<br />Etidronato e alendronato Sódio – V.O e IM<br />VITAMINA D<br />Dose recomendada 400 UI/dia,<br />Calcitriol e Calcidiol<br />Chirlei A Ferreira<br />
  79. 79. TERAPIASALTERNATIVAS<br />VERALIPE<br />Antagonista dopaminérgico,<br />Melhora dos sintomas vasomotores<br />Dose: 100 mg/dia por 20 dias por mês, não utilizando nos fins de semana,<br />Efeito colateral:aumenta a prolactina levando a galactorréia, sedação e sonolência.<br />CLONIDINA<br />Dose: 0,1 mg a cada 12 horas,<br />Melhora os sintomas vasomotores,<br />Agonistasde receptores alfa-adrenérgicos,<br />Efeitos colaterais: cefaléia, secura bucal,depressão.<br />Chirlei A Ferreira<br />
  80. 80. Chirlei A Ferreira<br />Assim o tempo vai transformando, construindo fases, que passamos de forma plana, sem tantas queixas, ou , nos marcamos eternamente por cada fase fisiológica dessa existência!<br />Muito Obrigada!<br />Chirlei/2009<br />

×