Menopausa e Climatério

7.896 visualizações

Publicada em

Menopausa e Climatério conteúdo sobre questões fisiológicas que ocorrem no processo e orientações

Publicada em: Educação
1 comentário
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • onde é que estão as referências bibliográficas?
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.896
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
540
Comentários
1
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Menopausa e Climatério

  1. 1. MENOPAUSA E CLIMATÉRIO Acadêmicos de Enfermagem UNIFOR-MG Formiga-MG 2011
  2. 2. MENOPAUSA  Menopausa é a fase na vida da mulher, caracterizada pelo término da menstruação.  Ela é parte de um processo biológico que começa, para a maioria das mulheres, por volta dos 35 anos.  Durante esse período, os ovários gradualmente produzem menos quantidades de hormônios sexuais: estrogênio e progesterona.
  3. 3. Sistema Reprodutor Feminino O sistema reprodutor feminino está localizado no interior da cavidade pélvica e é constituído por: 2 ovários 2 tubas uterinas 1 útero 1 vagina 1 vulva
  4. 4.  A vagina é um canal de 8 a 10 cm de comprimento, de paredes elásticas, que liga o colo do útero aos genitais externos.  Útero: órgão oco situado na cavidade pélvica anteriormente à bexiga e posteriormente ao reto, de parede muscular espessa (miométrio) e com formato de pêra invertida. É revestido internamente por um tecido vascularizado rico em glândulas - o endométrio.
  5. 5.  Ovários: são as gônadas femininas. Produzem estrógeno e progesterona, hormônios sexuais femininos.  Tubas uterinas, ovidutos ou trompas de Falópio: são dois ductos que unem o ovário ao útero. Seu epitélio de revestimento é formados por células ciliadas. Os batimentos dos cílios microscópicos e os movimentos peristálticos das tubas uterinas impelem o gameta feminino até o útero.
  6. 6. HORMÔNIOS  Estrogênio promove o desenvolvimento dos seios femininos e útero, controla o ciclo de ovulação e afeta muitos aspectos da saúde física e emocional da mulher.  Progesterona controla a menstruação e prepara o revestimento do útero para receber o óvulo fertilizado.
  7. 7.  A "menopausa natural" começa quando a mulher tem seu último ciclo menstrual, ou para de menstruar.  É considerada completa quando a menstruação cessou há mais de 1 ano.  Isso geralmente ocorre entre as idade de 45 e 55 anos, variando de mulher para mulher.
  8. 8.  Em mulheres que retiraram do útero, a menopausa ocorre artificialmente, embora os ovários mantenham seu funcionamento.  Já nas situações de retirada dos ovários, a menopausa pode ser acompanhada das manifestações clínicas do hipoestrogenismo – diminuição do estrogênio, ocorrendo com mais freqüência e intensidade do que na menopausa natural.
  9. 9. CLIMATÉRIO  O climatério é definido pela OMS como uma fase biológica da vida e não um processo patológico.  Compreende a transição entre o período reprodutivo e o não reprodutivo da vida da mulher.  A menopausa é um marco dessa fase, correspondendo ao último ciclo menstrual.
  10. 10. CLIMATÉRIO  A maioria das mulheres apresenta algum tipo de sinal ou sintoma no climatério.  Os sintomas do climatério podem ser leves a muito intenso dependendo de vários fatores.
  11. 11. SINTOMAS • Sangramentos Irregulares. • Alterações de humor: irritada, triste, alegre. • Ansiedade. • Depressão. • Sudorese.
  12. 12. • Fogacho: ondas de calor. • Calafrios. • Insônia. • Diminuição do desejo sexual. • Pode ocorrer palpitação e sensação de desfalecimento surgindo um certo mal estar.
  13. 13. SEXUALIDADE  No climatério as repercussões hormonais no organismo da mulher se somam às transformações biológicas, psicológicas, sociais e culturais.  A sexualidade da mulher no climatério é carregada de muitos preconceitos e tabus.  Isso porque existem vários mitos que reforçam a ideia de que, nesse período, a mulher fica assexuada.
  14. 14.  1º mito: identificação da função reprodutora com a função sexual.  2º mito: a atração erótica se faz às custas somente da beleza física associada à jovialidade.  3º mito: a sexualidade feminina relacionada diretamente aos hormônios ovarianos, vinculando a diminuição da função do ovário com a diminuição da função sexual.
  15. 15.  Nessa fase mais experiente da vida, o conceito de satisfação muda, permitindo a procura de novas formas para exercer a sexualidade, motivada pela sabedoria adquirida, melhor conhecimento do corpo e maturidade para buscar outras opções.  As mulheres no climatério, mais frequentemente após a menopausa, podem apresentar uma lubrificação vaginal menos intensa e mais demorada, dor nas relações sexuais, tornando a perspectiva do sexo com penetração, motivo de ansiedade e de falta de satisfação.
  16. 16.  Os sintomas da menopausa e as respostas sexuais não são os mesmos para todas as mulheres. É necessário compreender esses fatos de forma mais global, levando em consideração a integralidade da vida.
  17. 17. ABORDAGEM CLÍNICA A avaliação clínica da mulher no climatério deve ser voltada ao seu estado de saúde atual e também pregresso e envolve uma equipe multidisciplinar. A atenção precisa abranger além da promoção da saúde, prevenção de doenças, assistência aos sintomas clínicos e possíveis dificuldades dessa fase.
  18. 18.  Podem ocorrer, concomitantemente, patologias sistêmicas, repercutindo em queixas como as dores articulares ou musculares, o ganho de peso gradativo, a depressão ou mesmo sintomas de um hipotireoidismo ainda não diagnosticado, simulado por uma coincidência na transição hormonal ovariana.  O apoio psicológico também é importante e faz com que as mulheres se sintam compreendidas e acolhidas, o que repercute positivamente na melhora dos sintomas.
  19. 19.  A rotina básica de exames na consulta da mulher no climatério consta de exames para prevenção de doenças, detecção precoce ou mesmo para avaliação da saúde em geral. Deve ser repetida com regularidade (semestral, anual, bianual, trianual) de acordo com os protocolos específicos em vigor:  Hemograma, TSH, glicemia, colesterol total e HDL,  Triglicérides, TGO, TGP, urina, fezes.  Mamografia e ultra-sonografia mamária  Exame Preventivo do câncer do colo do útero  Ultra-sonografia transvaginal  Densitometria óssea
  20. 20. Agravos à Saúde mais frequentes durante o  Indisposição  Hipotireoidismo climatério  Doenças Cardiovasculares  Hipertensão  Obesidade  Diabetes Mellitus  Transtornos psicossociais  Alterações gastrointestinais  Alterações urogenitais  Alterações da Saúde Bucal  Efeitos do Tabagismo  Câncer no Climatério  Osteoporose
  21. 21. AÇÕES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE  A qualidade de vida com hábitos saudáveis como alimentação equilibrada, atividade física adequada, postura pró-ativa perante a vida, capacidade de fazer projetos, atividades culturais, sociais, profissionais, lúdicas e de lazer, são capazes de proporcionar saúde e bem-estar a qualquer mulher, em qualquer idade.
  22. 22.  A promoção da alimentação saudável e a manutenção do peso adequado são fundamentais para promover a saúde e o bem-estar durante toda a vida da mulher, principalmente no período do climatério.
  23. 23.  A alimentação equilibrada é importante para manter todas as funções do organismo em boas condições. Esta é uma fase em que o crescimento e o desenvolvimento orgânico já se efetivaram e a alimentação estimulará e manterá o funcionamento adequado dos diversos órgãos e sistemas.
  24. 24.  A alimentação saudável, associada à prática de atividade física e modos de vida saudáveis são os principais elementos para promover saúde e melhoria da qualidade de vida.
  25. 25. Uma alimentação saudável inclui refeições preparadas com alimentos variados, com tipos e quantidades adequadas a cada fase do curso da vida, compondo refeições coloridas e saborosas que incluam nutrientes tanto de origem vegetal como animal. Deve ser composta por três refeições ao dia (café da manhã, almoço e jantar), intercaladas por pequenos lanches.
  26. 26.  O sedentarismo, associado a uma alimentação não balanceada, é apontado como a principal causa de ganho de peso.  O exercício combinado à restrição energética promove redução no peso corporal, maximizando a perda de gordura e minimizando a perda de massa magra.  A prática regular de exercício físico resulta em muitos benefícios para o organismo, melhorando a capacidade cardiovascular e respiratória, promovendo o ganho de massa óssea, a diminuição da pressão arterial em hipertensas, a melhora na tolerância à glicose e na ação da insulina.
  27. 27.  O climatério não é uma doença e sim uma fase natural da vida da mulher e muitas passam por ela sem queixas ou necessidade de medicamentos.  Outras têm sintomas que variam na sua diversidade e intensidade.  No entanto, em ambos os casos, é fundamental que haja, nessa fase da vida, um acompanhamento sistemático visando à promoção da saúde, o diagnóstico precoce, o tratamento imediato dos agravos e a prevenção de danos.
  28. 28. OBRIGADO A TODOS!

×