01 a velocidade impoe se drive

8.412 visualizações

Publicada em

A velocidade impõe-se, A cultura da Gare

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.393
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

01 a velocidade impoe se drive

  1. 1. Cultura da Gare A velocidade impõe-se Apresentação concebida para o Curso Profissional de Turismo http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
  2. 2. O comboio HCA, módulo 8, Curso de Turismo 2
  3. 3. Lichtung II, Emmanuel Nunes HCA, módulo 8, Curso de Turismo 3
  4. 4. Disposição dos altifalantes Programa informático HCA, módulo 8, Curso de Turismo 4
  5. 5. A obra Lichtung II teve a sua primeira audição em Junho de 2000; A Obra Lichtung (I e II) foi dedicada à pintora Helena Vieira da Silva, embora não resulte de uma inspiração O significado de Lichtung é triplo: A claridade depois da tempestade; A clareira de um bosque; O içar de uma âncora de um barco. Tem a ver com o facto de não haver uma identificação imediata com aquilo que se está a passar mas com o que vem depois. É uma reflexão sobre as diversas dimensões sonoras – harmonia, organização sonora, ritmo e timbre; Aprofundamento da relação entre a música, os instrumentos, os meios acústicos, eletroacústicos e informáticos; Exploração da eletrónica na produção (modificação dos sons produzidos por instrumentos através de um programa informático); Espacialização do som – a composição é feita com a distribuição dos altifalantes pela sala, criando uma relação entre a música e a arquitetura; Mobilidade dos músicos cronometrada; Linguagem musical complexa em termos auditivos e conceptuais. Ouvir Lichtung HCA, módulo 8, Curso de Turismo 5
  6. 6. Italian family on ferry-boat leaving Ellis Island (1905) fotografias de Lewis Hine (18741940)
  7. 7. Lewis Hine (1874-1940) 1900 – Estuda em Chicago filosofia, sociologia e educação; 1904 – Nomeado fotógrafo da escola. Tira fotografias em Ellis Island ponto de chegada de emigrantes; 1907 – Integra uma equipa que realiza vários estudos sociológicos das cidades industriais;
  8. 8. 1924 – recebe a medalha para fotografia do Art Directors Club; 1932 – Publica o Men at Work, um livro dedicado à representação do trabalho industrial; 1939 – Exposição do seu trabalho na Riverside Gallery, Nova Iorque;
  9. 9. Série de fotografias de Lewis Hine, Ellis Island
  10. 10. Estas fotografias são uma homenagem aos milhões de imigrantes, que no final do século XIX e princípios do XX, chegaram aos EUA; Utilizou a máquina fotográfica como um instrumento de educação e alerta; Lembra aos americanos as suas origens, imigrantes provenientes de países europeus, na sua maior parte do meio rural, que se sujeitaram nos EUA a salários baixos, horários de trabalho longos, condições de trabalho e de habitação insalubres, etc. ; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 10
  11. 11. Série de fotografias de Lewis Hine, Ellis Island
  12. 12. Série de fotografias de Lewis Hine, Ellis Island
  13. 13. Série de fotografias de Lewis Hine, Ellis Island, Italian family on ferry-boat (1905)
  14. 14. Ellis Island é uma das séries de fotografias mais conhecidas de Lewis Hine; Fotografou os emigrantes partindo e chegando de Ellis Island; Desde 1892 até 1954, foi o local de chegada e partida de emigrantes. Cerca de 12 milhões de pessoas passaram por este local, o porto de Nova Iorque;
  15. 15. Ellis Island
  16. 16. Foram estes homens, mulheres e crianças de origens muito diversas (Inglaterra, Irlanda, Itália, Escandinávia, etc.), fundamentalmente rurais que povoaram as grandes cidades americanas; Sujeitando-se a salários baixos e condições de habitações más;
  17. 17. Lewis Hine registou todo este movimento do início do século; São bem visíveis as suas preocupações sociais; É a captação do instante, do efémero;
  18. 18. Tristão e Isolda (1857-59) Richard Wagner (1813-1883) HCA, módulo 8, Curso de Turismo 18
  19. 19. A ópera é um género artístico que se iniciou-se no século XVI (1597); O drama é representado tal como no teatro, no entanto o texto (libreto) é cantado; Há vários tipos de ópera (à italiana, à francesa, cómica, trágica, etc.), a ópera alemã iniciou-se com Wagner, no século XIX; Wagner foi um autor original; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 19
  20. 20. A obra “Tristão e Isolda” inspira-se me lendas medievais; No Ato 1 – Isolda vai num barco para casar com um velho rei (Marcos), ela e Tristão apaixonam-se porque beberam por engano uma poção de amor que Isolda devia ter bebido com o rei; Ato 3 – No Castelo de Tristão, que está moribundo, foi ferido a mando do rei; Quando Isolda chega, Tristão morre; Marcos é informado das razões da traição e perdoa e Isolda, mas esta indiferente a tudo, sente uma dor tão grande que morre, e cai aos pés do seu amado. HCA, módulo 8, Curso de Turismo 20
  21. 21. Ver excerto de Tristão e Isolda HCA, módulo 8, Curso de Turismo 21
  22. 22. A velocidade impõe-se 1814-1905 – da Batalha de Waterloo à Exposição dos Fauves (O tempo) W. Frith, Estação de Paddington, 1862 HCA, módulo 8, Curso de Turismo 22
  23. 23. HCA, módulo 8, Curso de Turismo 23
  24. 24. No século XIX surgiu uma nova Europa e América fruto das Revoluções Liberais; A vaga revolucionária iniciada em França levou à fundação da Santa Aliança (Prússia, Rússia e Áustria-Hungria) que derrotou Napoleão em Waterloo (1815); HCA, módulo 8, Curso de Turismo 24
  25. 25. Diretrizes do Congresso de Viena: Imposição dos direitos dinásticos das monarquias; Compromisso de entreajuda entre monarquia e religião; Partilha do Império de Napoleão, criando fronteiras artificiais e subjugando vários povos; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 25
  26. 26. Graves crises económicas vão despoletar em França, 183048, revoltas que impuseram os ideais democráticos; Surgem movimentos nacionalistas que levam à independência de povos (Grécia e Sérvia libertam-se da Turquia, em 1829); Outros povos conseguem a unificação (Itália (1870) e Alemanha (1871); HCA, módulo 8, Curso de Turismo 26
  27. 27. A pequena burguesia e o operariado são a força motriz destes movimentos contra a alta burguesia e a aristocracia; Consequência da Revolução Industrial o operariado era profundamente explorado (salários baixos, mão-deobra infantil, horário de trabalho extensos); HCA, módulo 8, Curso de Turismo 27
  28. 28. Surge a consciência de classe que leva á organização de estruturas como os sindicatos para a defesa dos seus direitos; Em 1864 é criada, em Inglaterra, a Associação Internacional dos Trabalhadores; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 28
  29. 29. Mais tarde surgem organizações semelhantes na França e Estados Unidos; Surgem várias ideologias apoiando o movimento operário: Anarquismo; Socialismo Utópico, que pretenderam por fim à dicotomia capital/miséria proletária (Saint-Simon, Robert Owen, Proudhon); Proudhon HCA, módulo 8, Curso de Turismo 29
  30. 30. Socialismo Científico ou Comunismo, que teve como pressupostos a filosofia de Hegel; Karl Marx (1818-83) e Friedrich Engels (1820-95), desenvolveram os seguintes princípios básicos: Karl Marx HCA, módulo 8, Curso de Turismo 30
  31. 31. Materialismo histórico; Luta de classes; Organização internacional dos operários; Conquista do poder pelo proletariado; A fundamentação destas ideias foi publicada em 1848 no Manifesto do Partido Comunista; Estes ideais animaram os revoltosos da Comuna de Paris (18 de Março a 28 de Maio de 1871); HCA, módulo 8, Curso de Turismo 31
  32. 32. Desencadeia-se o êxodo rural que leva ao crescimento das cidades; A sociedade burguesa, industrial e urbana e a classe média consolidam-se; Surge uma grande confiança no progresso, no desenvolvimento, na vida moderna que apelava ao lucro, ao consumo; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 32
  33. 33. As cidades crescem: novas (América) ou intensamente reformadas, destruindo-se os seus centros medievais (Paris, Londres, Viena, Barcelona, Amesterdão, etc.); Surgem grandes avenidas arborizadas, definindo quarteirões, com edifícios de 5 ou 6 andares, de fachadas uniformizadas; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 33
  34. 34. Paris foi renovada por Haussmann, 1853-70; São criadas novas estruturas: os grandes “magazins”, cafés, cabarets, teatros, ópera, praças, jardins, museus, bibliotecas, hospitais, etc.; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 34
  35. 35. A instrução primária generaliza-se; A imprensa difunde-se; Surge a confiança no Homem como único fator de progresso; Desenvolve o pensamento racional e o positivismo; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 35
  36. 36. Positivismo: doutrina criada por Comte (1798-1857), que defendia a reforma da sociedade e a sistematização do pensamento humano através da aplicação do espírito científico; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 36
  37. 37. Estas ideias levam a um grande desenvolvimento científico e técnico: Novas fontes de energia, revolução dos meios de comunicação e transporte; Surge em 1851, em Londres, a primeira Exposição Universal; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 37
  38. 38. Do ponto de vista político esta época é caracterizada pelas democracias liberais (monarquias ou repúblicas); Os governantes são eleitos pelo voto censitário, criam-se diversos partidos políticos; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 38
  39. 39. Pressionados pela opinião publica os governos preocupam-se mais com a saúde, trabalho, educação e cultura; O crescimento da indústria, e as necessidades de matériasprimas levam os governos a políticas cada vez mais colonialistas e imperialistas, não só sobre as colónias mas até sobre Estados independentes; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 39
  40. 40. Caso dos EUA sobre o México; Inglaterra e outros estados europeus atuam na Índia e África; A Conferência de Berlim (1884-85) procura dividir pacificamente a África; Estas rivalidades levam a uma grande instabilidade e instaura-se um clima belicista, que irá desencadear a 1ª Guerra Mundial (1914-18); Na Arte, para além da continuidade, desencadearam-se alguns movimentos artísticos inovadores e de rutura com a tradição nos finais do século XIX e início do século XX; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 40
  41. 41. A Europa das linhas férreas (O espaço) Situação ferroviária da Europa 1840 1880 Vias férreas em Km HCA, módulo 8, Curso de Turismo 41
  42. 42. A primeira linha férrea comercial foi criada nos princípios do século XIX, pelo engenheiro George Stephenson e ligava Stockton a Darlington; Dá-se início à Revolução dos Transportes com o comboio a vapor; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 42
  43. 43. A Europa cobre-se de caminhos de ferro; Os Estados Unidos, no final do século, ultrapassam a Europa; O comboio vai servir zonas de grande desenvolvimento industrial, comercial, agrícola e zonas de grande densidade populacional; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 43
  44. 44. O caminho-de-ferro vai contribuir para: O desenvolvimento da economia – os produtos e as pessoas circulam mais rapidamente; Os anos de 1840-80 são de grande construção de vias férreas; Depois da Inglaterra a Revolução Industrial inicia-se na Alemanha, Rússia, Países Escandinavos, Itália, Japão; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 44
  45. 45. Estes países conhecem um notável desenvolvimento industrial, surge a produção em série, os produtos são distribuídos nas zonas mais longínquas; Nasce um novo processo de concentração de empresas; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 45
  46. 46. Paralelamente desenvolve-se a pesquisa tecnológica e científica; Erguem-se novas cidades e nas antigas constroem-se novas infraestruturas (pontes, túneis, gares, etc.); O comboio permite combater o isolamento e a distância (mais produtos e pessoas chegam mais longe); Desenvolve-se a ligação cidade  campo; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 46
  47. 47. Aumenta a mobilidade geográfica e social das populações, o comboio é um meio de transporte barato; Surgem novas profissões e empregos (por exemplo ferroviários); Incremento financeiro do estado, sociedades privadas e da Bolsa; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 47
  48. 48. Rapidez na correspondência e informação (jornais e revistas); Contribuição para a unidade política nacional e internacional; Contribui para o controlo militar e estratégico, permite aos governos deslocarem rapidamente os exércitos; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 48
  49. 49. Constroem-se linhas férreas transcontinentais: EUA – 2775 Km entre o Atlântico e o Pacífico; Rússia 7021 Km do Transiberiano; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 49
  50. 50. Portugal constrói-se a primeira linha de Lisboa ao Carregado (36 Km), em 1856; Em 1917, as vias férreas atingiam 2974 Km; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 50
  51. 51. A gare (O local) Estação de Saint-Lazare Fotografia do século XIX e quadro a óleo de Claude Monet, 1877 HCA, módulo 8, Curso de Turismo 51
  52. 52. As grandes cidades europeias durante o século XIX sofrem profundas alterações urbanísticas; Surgem as grandes metrópoles fruto do crescimento demográfico, da industrialização, do desenvolvimento do comércio e serviços e do caminho-de-ferro; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 52
  53. 53. A estação do caminho-de-ferro, a gare, perto do centro da cidade, passa a fazer parte da paisagem urbana; Constroem-se grandes e largas avenidas que ligam à gare para permitir o escoamento rápido de pessoas e produtos; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 53
  54. 54. A gare transforma-se numa nova porta da cidade; É local de partida, de espera, de chegada, de notícias, de troca de ideias, local de encontro, local de divulgação e troca; As cidades para prosperarem precisavam de uma estação dos caminho-de-ferro; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 54
  55. 55. As primeiras estações surgiram em Inglaterra por volta de 1820 e espalham-se por toda a Europa e América, acompanhado o crescimento do caminho-de-ferro; Vão-se adaptando à evolução tecnológica dos serviços: eletrificação, aumento de tráfico, etc.; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 55
  56. 56. Estação de Euston, Saint-Pancras na Inglaterra e Rossio, Lisboa HCA, módulo 8, Curso de Turismo 56
  57. 57. Estação de São Bento, Porto HCA, módulo 8, Curso de Turismo 57
  58. 58. As fachadas destas estações são muitas vezes monumentais; Em muitas outras foram utilizados os princípios funcionais da arquitetura do Ferro e do Vidro; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 58
  59. 59. Os princípios fundamentais da arquitetura do Ferro e do Vidro permitem a construção de amplos espaços com luz direta, a construção de enormes halls que fazem a transição entre os cais de embarque, as bilheteiras, as salas de “chegada” e “partida”; A gare tornou-se “salão”; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 59
  60. 60. O indivíduo e a Natureza Caspar Friedrich, Viajante junto a um mar de névoa,1815 HCA, módulo 8, Curso de Turismo 60
  61. 61. O aparecimento do Romantismo levou a alterações no campo ideológico quer na Europa quer na América; O termo Romântico apareceu pela primeira vez na Inglaterra, por volta de 1750, para definir o tema das antigas novelas de cavalaria; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 61
  62. 62. Significou pitoresco, a expressão da emoção indefinida, provocada pela visão de uma paisagem; Daí passou para o movimento artístico-filosófico, o Romantismo privilegiou as ideias políticas e filosóficas do Iluminismo (liberdade e defesa dos direitos do individuo); HCA, módulo 8, Curso de Turismo 62
  63. 63. Inspirou-se no movimento alemão Stürm und Drang, que defendia a primazia dos sentimentos e da Natureza; O Romantismo caracterizou-se por cultivar a emoção, a fantasia, o sonho, a originalidade, a fuga para mundos exóticos, a exaltação da Natureza, o gosto pela Idade Média, defesa dos ideais nacionalistas e individuais; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 63
  64. 64. O individuo sente-se em permanente rutura consigo mesmo, quer ser original; O que torna o homem extraordinário é a sua maneira de ver as coisas; O romântico é o herói abnegado, o cavaleiro, que atua com força moral e física, luta até à morte pela liberdade; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 64
  65. 65. É um descontente, um introvertido, um fatalista, defensor do liberalismo; O Romântico projetou-se na Natureza, fazendo dela o reflexo das suas emoções e estado interior; Rejeita a cidade e a civilização; HCA, módulo 8, Curso de Turismo 65
  66. 66. A Natureza torna-se o refúgio privilegiado dos artistas; O artista romântico defende a interioridade, o mundo complexo dos sentimentos e das emoções, os sonhos, as fantasias; e as viagens dentro de si mesmo, numa incansável fuga ao real (que desilude e magoa); Théodore Géricault, A jangada da Medusa Eugène Delacroix, Tânger HCA, módulo 8, Curso de Turismo 66
  67. 67. Surge o jardim à inglesa, projetado para não parecer artificial (árvores e arbustos dispostos irregularmente, lagos irregulares, semeado com ruínas); A Natureza romântica é de paisagens selvagens, escarpadas cobertas de névoa, regiões desérticas, tempestades marítimas, ambientes exóticos, sobretudo orientalizantes; Esta a apresentação foi construída tendo por base o manual, História da Cultura e das Artes,, Ana Lídia Pinto e outros, Porto Editora, 2011 HCA, módulo 8, Curso de Turismo 67

×