SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
RELAÇÕES PRECOCES
AO NASCIMENTO BIOLÓGICO DO SER
HUMANO SUCEDE O SEU NASCIMENTO
PSICOLÓGICO
AS COMPETÊNCIAS BÁSICAS DO BEBÉ
O bebé apresenta uma extraordinária competência para
comunicar:
1. O sorriso
2. O choro
3. As expressões faciais
4. As vocalizações
AS COMPETÊNCIAS BÁSICAS DA MÃE
O bebé mantém uma relação privilegiada com a mãe. Por isso
a mãe deve satisfazer duas exigências fundamentais:
1. Segurança
2. Confiança básica
ACTUAÇÕES POSSÍVEIS POR PARTE DA MÃE
Bion sugere três possibilidades da actuação por parte da mãe:
1. A mãe que agudiza as sensações de ansiedade sentidas
pelo bebé.
2. A mãe que desenvolve comportamentos ansiosos de
superprotecção
3. A mãe-continente. Esta reage às necessidades do bebé de
forma a garantir neste o equilibrio psicológico, transmitindo-
lhe segurança e bem-estar.
RELAÇÃO PRECOCE: relação recíproca que tem por
base o conjunto de comportamentos (sorrir, chorar,
vocalizar, agarrara, gatinhar) que nos primeiros tempos
de vida permitem estabelecer a ligação afectiva entre a
criança e quem dela cuida.
VINCULAÇÃO: qualquer comportamento que permita à
pessoa, criança ou adulto, aproximar-se ou manter a
proximidade das suas figuras preferenciais ou
privilegiadas.
Características da vinculação
Macoby (1980) identificou quatro características desta
ligação:
1. procurar proximidade sobretudo em situações de
tensão e desconforto.
2. desconforto emocional quando há separação
3. prazer e alegria quando há reunião
4. orientação das acções do bebé para a pessoa que
mais se ocupa consigo
Tipos de vinculação
Existem três categorias de vinculação:
1. vinculação segura
2. vinculação evitante
3. vinculação ambivalente/resistente
“A MÃE É UMA NECESSIDADE
BIOLÓGICA; O PAI UM ACIDENTE
SOCIAL”
Margaret Mead
VANTAGENS DA VINCULAÇÃO
1. Estruturação da sexualidade: pode estar relacionada
com as representações relacionais que se constroem
durante a primeira infância.
2. Regulação emocional: está dependente de toda uma
construção da afectividade que a vinculação permite.
3. Interacções sociais positivas: um vinculo seguro e
confiante desenvolve sentimentos de segurança e
confiança nos outros.
VINCULAÇÃO E INDIVIDUAÇÃO
1. INDIVIDUAÇÃO: necessidade sentida pelo ser
humano de criar a sua própria identidade, a sua
individualidade, e de se distinguir dos outros que lhe
são próximos.
Por um lado existe uma tentativa de separação das
figuras de vinculação; mas por outro, são as próprias
relações de vinculação que possibilitam a formação
da individuação.
CONSEQUÊNCIAS DAS PERTURBAÇÕES NAS
RELAÇÕES PRECOCES
Importância dos estudos realizados por Harlow
possibilitaram retirar duas consequências
fundamentais:
1. perturbações físicas significativas
2. Perturbações psicológicas profundas
O HOSPITALISMO
Esta designação foi introduzida por Spitz. Designa o
conjunto de perturbações vividas por crianças
institucionalizadas e privadas de cuidados maternos.
O HOSPITALISMO
Consequências do hospitalismo:
- atraso no desenvolvimento corporal
-dificuldades na habilidade manual
-dificuldades na adaptação ao meio ambiente
-atraso na linguagem
-menor resistência a doenças
-apatia
os efeitos do hospitalismo são duradouros e muitas
vezes irreversíveis.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Impressões e Expectativas
Impressões e ExpectativasImpressões e Expectativas
Impressões e Expectativas
 
António Damásio
António Damásio  António Damásio
António Damásio
 
Ficha Formativa de Psicologia B
Ficha Formativa de Psicologia BFicha Formativa de Psicologia B
Ficha Formativa de Psicologia B
 
O conformismo
O conformismoO conformismo
O conformismo
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
 
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTOMODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
 
Psicologia 12º
Psicologia 12ºPsicologia 12º
Psicologia 12º
 
António Damásio
António Damásio  António Damásio
António Damásio
 
A CONAÇÃO
A CONAÇÃOA CONAÇÃO
A CONAÇÃO
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
 
Cérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano ARCérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano AR
 
Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos Emocionais
 
Mary ainsworth e a qualidade da vinculação
Mary ainsworth e a qualidade da vinculaçãoMary ainsworth e a qualidade da vinculação
Mary ainsworth e a qualidade da vinculação
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
 
Processos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoProcessos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - Resumo
 

Semelhante a Relações precoces

Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precocesAnaKlein1
 
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilhoPaula de Almeida
 
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2Daniel Romeiro
 
Aspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculo
Aspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculoAspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculo
Aspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculoSilvia Marina Anaruma
 
Seminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro Leite
Seminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro LeiteSeminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro Leite
Seminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro LeiteGoverno do Estado do Ceará
 
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017Governo do Estado do Ceará
 
Antero narciso t2 1500971
Antero narciso t2 1500971Antero narciso t2 1500971
Antero narciso t2 1500971anteronarciso
 
Infográfico interação e vínculo
Infográfico   interação e vínculoInfográfico   interação e vínculo
Infográfico interação e vínculoDavis Mehlinsky
 
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vidaA importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vidaSusana Henriques
 
E fólio a - ana maurício t 1300552
E fólio a - ana maurício t 1300552E fólio a - ana maurício t 1300552
E fólio a - ana maurício t 1300552Cristina_Mauricio
 
Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384
Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384
Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384Nuno Duarte
 
Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Ana Costa
 
A importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeirosA importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeiros701274
 

Semelhante a Relações precoces (20)

Micaela rodrigues t1_900908
Micaela rodrigues t1_900908Micaela rodrigues t1_900908
Micaela rodrigues t1_900908
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
11 psicologia
11 psicologia11 psicologia
11 psicologia
 
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
 
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
 
relacoesprecoces
relacoesprecocesrelacoesprecoces
relacoesprecoces
 
Aspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculo
Aspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculoAspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculo
Aspectos do desenvolvimento na infância e a formação do vínculo
 
Vinculação
VinculaçãoVinculação
Vinculação
 
Seminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro Leite
Seminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro LeiteSeminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro Leite
Seminário Internacional - Palestra de Álvaro Madeiro Leite
 
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - 30/03/2017
 
Antero narciso t2 1500971
Antero narciso t2 1500971Antero narciso t2 1500971
Antero narciso t2 1500971
 
Vinculação
VinculaçãoVinculação
Vinculação
 
Vinculação
VinculaçãoVinculação
Vinculação
 
Vinculação
VinculaçãoVinculação
Vinculação
 
Infográfico interação e vínculo
Infográfico   interação e vínculoInfográfico   interação e vínculo
Infográfico interação e vínculo
 
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vidaA importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
 
E fólio a - ana maurício t 1300552
E fólio a - ana maurício t 1300552E fólio a - ana maurício t 1300552
E fólio a - ana maurício t 1300552
 
Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384
Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384
Efólio a psicologia do desenvolvimento ii nuno duarte 1300384
 
Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância
 
A importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeirosA importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeiros
 

Mais de Vitor Manuel de Carvalho (20)

PSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADAPSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADA
 
O OBJECTO DA PSICOLOGIA
O OBJECTO DA PSICOLOGIAO OBJECTO DA PSICOLOGIA
O OBJECTO DA PSICOLOGIA
 
FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!
 
A IDENTIDADE
A IDENTIDADEA IDENTIDADE
A IDENTIDADE
 
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTEA DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
 
PLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURAPLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURA
 
IMUNIDADE III
IMUNIDADE IIIIMUNIDADE III
IMUNIDADE III
 
IMUNIDADE II
IMUNIDADE IIIMUNIDADE II
IMUNIDADE II
 
SLIDE IN
SLIDE INSLIDE IN
SLIDE IN
 
Finalistas 2011
Finalistas 2011Finalistas 2011
Finalistas 2011
 
Benalmadena 2011
Benalmadena 2011Benalmadena 2011
Benalmadena 2011
 
Mensagem & Os Lusíadas
Mensagem & Os LusíadasMensagem & Os Lusíadas
Mensagem & Os Lusíadas
 
Imunidade
ImunidadeImunidade
Imunidade
 
MENTE
MENTEMENTE
MENTE
 
ENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICAENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICA
 
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOSREGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
 
Justificação de faltas
Justificação de faltasJustificação de faltas
Justificação de faltas
 
Gestao do tempo..
Gestao do tempo..Gestao do tempo..
Gestao do tempo..
 
Power point estereótipos, preconceitos e discriminação.
Power point   estereótipos, preconceitos e discriminação.Power point   estereótipos, preconceitos e discriminação.
Power point estereótipos, preconceitos e discriminação.
 
EXPERIÊNCIA LABORATORIAL
EXPERIÊNCIA LABORATORIALEXPERIÊNCIA LABORATORIAL
EXPERIÊNCIA LABORATORIAL
 

Último

Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 

Último (20)

Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 

Relações precoces

  • 2. AO NASCIMENTO BIOLÓGICO DO SER HUMANO SUCEDE O SEU NASCIMENTO PSICOLÓGICO
  • 3. AS COMPETÊNCIAS BÁSICAS DO BEBÉ O bebé apresenta uma extraordinária competência para comunicar: 1. O sorriso 2. O choro 3. As expressões faciais 4. As vocalizações
  • 4. AS COMPETÊNCIAS BÁSICAS DA MÃE O bebé mantém uma relação privilegiada com a mãe. Por isso a mãe deve satisfazer duas exigências fundamentais: 1. Segurança 2. Confiança básica
  • 5. ACTUAÇÕES POSSÍVEIS POR PARTE DA MÃE Bion sugere três possibilidades da actuação por parte da mãe: 1. A mãe que agudiza as sensações de ansiedade sentidas pelo bebé. 2. A mãe que desenvolve comportamentos ansiosos de superprotecção 3. A mãe-continente. Esta reage às necessidades do bebé de forma a garantir neste o equilibrio psicológico, transmitindo- lhe segurança e bem-estar.
  • 6. RELAÇÃO PRECOCE: relação recíproca que tem por base o conjunto de comportamentos (sorrir, chorar, vocalizar, agarrara, gatinhar) que nos primeiros tempos de vida permitem estabelecer a ligação afectiva entre a criança e quem dela cuida. VINCULAÇÃO: qualquer comportamento que permita à pessoa, criança ou adulto, aproximar-se ou manter a proximidade das suas figuras preferenciais ou privilegiadas.
  • 7. Características da vinculação Macoby (1980) identificou quatro características desta ligação: 1. procurar proximidade sobretudo em situações de tensão e desconforto. 2. desconforto emocional quando há separação 3. prazer e alegria quando há reunião 4. orientação das acções do bebé para a pessoa que mais se ocupa consigo
  • 8. Tipos de vinculação Existem três categorias de vinculação: 1. vinculação segura 2. vinculação evitante 3. vinculação ambivalente/resistente
  • 9. “A MÃE É UMA NECESSIDADE BIOLÓGICA; O PAI UM ACIDENTE SOCIAL” Margaret Mead
  • 10. VANTAGENS DA VINCULAÇÃO 1. Estruturação da sexualidade: pode estar relacionada com as representações relacionais que se constroem durante a primeira infância. 2. Regulação emocional: está dependente de toda uma construção da afectividade que a vinculação permite. 3. Interacções sociais positivas: um vinculo seguro e confiante desenvolve sentimentos de segurança e confiança nos outros.
  • 11. VINCULAÇÃO E INDIVIDUAÇÃO 1. INDIVIDUAÇÃO: necessidade sentida pelo ser humano de criar a sua própria identidade, a sua individualidade, e de se distinguir dos outros que lhe são próximos. Por um lado existe uma tentativa de separação das figuras de vinculação; mas por outro, são as próprias relações de vinculação que possibilitam a formação da individuação.
  • 12. CONSEQUÊNCIAS DAS PERTURBAÇÕES NAS RELAÇÕES PRECOCES Importância dos estudos realizados por Harlow possibilitaram retirar duas consequências fundamentais: 1. perturbações físicas significativas 2. Perturbações psicológicas profundas
  • 13. O HOSPITALISMO Esta designação foi introduzida por Spitz. Designa o conjunto de perturbações vividas por crianças institucionalizadas e privadas de cuidados maternos.
  • 14. O HOSPITALISMO Consequências do hospitalismo: - atraso no desenvolvimento corporal -dificuldades na habilidade manual -dificuldades na adaptação ao meio ambiente -atraso na linguagem -menor resistência a doenças -apatia os efeitos do hospitalismo são duradouros e muitas vezes irreversíveis.