SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Vinculação 
O que é a relação de Vinculação? 
A importância da relação de 
Vinculação nos primeiros anos de vida das 
crianças António Basílio 
T 1 1001809
Vinculação 
Necessidade do bebe criar laços de 
proximidade e afeto com a mãe ou com quem 
a substitui 
Satisfação de cuidados de sobrevivência : 
Alimentação – Fome ; Sede 
Proteção – Abrigo ; Conforto ; Segurança 
Afeto
Vinculação 
Quanto mais precoce se estabelecer a 
relação Mãe – Filho e mais fortes forem os laços, 
melhor será o desenvolvimento físico e psicológico 
do Bebe ; 
Melhor será o seu desenvolvimento cognitivo – 
capacidade de aprendizagem
Vinculação 
1º Ano de vida 
Vinculação/ Separação- Individuação 
Aumenta a sua confiança e inicia-se na 
exploração do meio que o rodeia, com maior 
autonomia 
Quanto maior a confiança no Outro que o 
cuida, maior a sua capacidade de exploração 
do meio, e maior o sentimento de auto-confiança 
e auto-estima
Vinculação 
Modelo de Dupla Hélice – Hélice da vinculação 
e Hélice da Separação/ Individuação 
-Ao longo do ciclo de vida as duas hélices ora 
se aproximam, ora se afastam do Eixo Central , 
sofrendo alterações consoante as diferentes 
idades, numa dinâmica constante 
-A vinculação estimula a individuação e esta 
por sua vez, estimula de novo a vinculação
Separação / Individuação 
Dos 9-16 meses > A criança adquire a 
consciência de si próprio como um ser separado 
Dos 16- 24 meses > Incremento do 
movimento em direção à separação/ 
Individuação. 
Existe também a ambivalência , que vai 
diminuindo na medida em que a criança se 
torna mais autónoma
Separação/ Individuação 
Aos 3 anos > A criança progride para novos 
estádios, com ênfase no desenvolvimento cognitivo, 
e competências interpessoais. Relaciona-se com o 
meio social, e adquire capacidades para cooperar, 
desempenhar papéis e relacionar-se afetivamente 
com outras pessoas
Contributos para um Desenvolvimento Harmonioso 
Contribuem para um desenvolvimento 
harmonioso a par com a Vinculação/ Separação- 
Individuação: 
A promoção do Afeto, da Identidade, e da 
Resiliência 
Afeto- o modo como ama e é amado 
Identidade- é o “ EU” do bebe 
Resiliência- a capacidade de reagir de forma 
positiva às contrariedades
Desenvolvimento dos 0-6 anos 
Desenvolvimento da personalidade, da 
inteligência, e do comportamento social 
O carinho, a atenção, a presença, são 
essenciais para transmitir à criança segurança 
e bem- estar 
As Crianças são o melhor do Mundo e são o 
Mundo de amanhã > São o FUTURO!!!!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relações precoces psicologia
Relações precoces psicologiaRelações precoces psicologia
Relações precoces psicologiaRaQuel Oliveira
 
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilhoPaula de Almeida
 
1 vinculação precoce - mãe/bebé
1   vinculação precoce - mãe/bebé1   vinculação precoce - mãe/bebé
1 vinculação precoce - mãe/bebéHenrique Vieira
 
A importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeirosA importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeiros701274
 
Relações precoces psicologia 12º
Relações precoces psicologia 12º Relações precoces psicologia 12º
Relações precoces psicologia 12º Maria Oliveira
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precocesAnaKlein1
 
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2Daniel Romeiro
 
Suporte à apresentação do trabalho de vinculação
Suporte à apresentação do trabalho de vinculaçãoSuporte à apresentação do trabalho de vinculação
Suporte à apresentação do trabalho de vinculaçãoAna Cardoso
 

Mais procurados (20)

Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Relações precoces psicologia
Relações precoces psicologiaRelações precoces psicologia
Relações precoces psicologia
 
11 psicologia
11 psicologia11 psicologia
11 psicologia
 
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
 
1 vinculação precoce - mãe/bebé
1   vinculação precoce - mãe/bebé1   vinculação precoce - mãe/bebé
1 vinculação precoce - mãe/bebé
 
A importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeirosA importância da relação de vinculação nos primeiros
A importância da relação de vinculação nos primeiros
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
 
Doc.16 a ..
Doc.16 a  ..Doc.16 a  ..
Doc.16 a ..
 
As RelaçõEs Precoces
As RelaçõEs PrecocesAs RelaçõEs Precoces
As RelaçõEs Precoces
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
 
Relações precoces psicologia 12º
Relações precoces psicologia 12º Relações precoces psicologia 12º
Relações precoces psicologia 12º
 
As relações precoces
As relações precoces As relações precoces
As relações precoces
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Vinculação
VinculaçãoVinculação
Vinculação
 
Trabalho de ai 11k
Trabalho de ai   11kTrabalho de ai   11k
Trabalho de ai 11k
 
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
 
Suporte à apresentação do trabalho de vinculação
Suporte à apresentação do trabalho de vinculaçãoSuporte à apresentação do trabalho de vinculação
Suporte à apresentação do trabalho de vinculação
 
3 Spit e hospitalismo
3   Spit e hospitalismo3   Spit e hospitalismo
3 Spit e hospitalismo
 

Destaque

Guru: John Bowlby and Attachment Theory.ppt
Guru: John Bowlby and Attachment Theory.pptGuru: John Bowlby and Attachment Theory.ppt
Guru: John Bowlby and Attachment Theory.pptMicheal Shapard
 
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anosEstimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anosMeri Sandra
 
Atenção humanizada ao nascimento aula iv. adele doula
Atenção humanizada ao nascimento   aula iv. adele doulaAtenção humanizada ao nascimento   aula iv. adele doula
Atenção humanizada ao nascimento aula iv. adele doulaArtur Mamed
 
FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos?
FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos? FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos?
FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos? Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Uma oração especial historia de bebe
Uma oração especial historia de bebeUma oração especial historia de bebe
Uma oração especial historia de beberosana carvalho
 
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações CríticasResiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações CríticasWandick Rocha de Aquino
 
9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste i9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste iNandaTome
 

Destaque (17)

Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Para a chegada do bebe
Para a chegada do bebePara a chegada do bebe
Para a chegada do bebe
 
Guru: John Bowlby and Attachment Theory.ppt
Guru: John Bowlby and Attachment Theory.pptGuru: John Bowlby and Attachment Theory.ppt
Guru: John Bowlby and Attachment Theory.ppt
 
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anosEstimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
 
Atenção humanizada ao nascimento aula iv. adele doula
Atenção humanizada ao nascimento   aula iv. adele doulaAtenção humanizada ao nascimento   aula iv. adele doula
Atenção humanizada ao nascimento aula iv. adele doula
 
FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos?
FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos? FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos?
FAMÍLIAS GRÁVIDAS e CRIANÇAS: como trabalhar com grupos?
 
Uma oração especial historia de bebe
Uma oração especial historia de bebeUma oração especial historia de bebe
Uma oração especial historia de bebe
 
Aborto carta de um bebê
Aborto carta de um bebêAborto carta de um bebê
Aborto carta de um bebê
 
Futura Mamãe
Futura MamãeFutura Mamãe
Futura Mamãe
 
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações CríticasResiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
Resiliência: Noção, Conceitos Afins e Considerações Críticas
 
Um toque de amor
Um toque de amorUm toque de amor
Um toque de amor
 
Ludicidade
LudicidadeLudicidade
Ludicidade
 
Grupogestantes
GrupogestantesGrupogestantes
Grupogestantes
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste i9. apresentação cras leste i
9. apresentação cras leste i
 
O que podemos fazer por si
O que podemos fazer por siO que podemos fazer por si
O que podemos fazer por si
 
Resiliência
ResiliênciaResiliência
Resiliência
 

Semelhante a Vinculação

Infográfico interação e vínculo
Infográfico   interação e vínculoInfográfico   interação e vínculo
Infográfico interação e vínculoDavis Mehlinsky
 
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIADESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIAElayne Camilo
 
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de EricksonEstádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de EricksonFábio CAmpos
 
Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Ana Costa
 
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSDESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSAngella Barros
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebéMicas Cullen
 
Estádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de eriksonEstádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de eriksonmarco14cdc
 
Eriksoneodesenvolvimentopsicossocial
EriksoneodesenvolvimentopsicossocialEriksoneodesenvolvimentopsicossocial
EriksoneodesenvolvimentopsicossocialAntónio Moreira
 
A importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivo
A importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivoA importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivo
A importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivoIlza Ibelli
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Eriksonjunioragogo
 
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2williamwmo
 
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialErikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialcs31998
 
As etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoaAs etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoajt7_9
 
OS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
OS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANOOS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
OS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANOZoel Alvarenga
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade powerpointSexualidade powerpoint
Sexualidade powerpointgeorgiamfc
 
Referencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallonReferencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallonangelafreire
 

Semelhante a Vinculação (20)

Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
 
Infográfico interação e vínculo
Infográfico   interação e vínculoInfográfico   interação e vínculo
Infográfico interação e vínculo
 
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIADESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
 
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de EricksonEstádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade  powerpointSexualidade  powerpoint
Sexualidade powerpoint
 
Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância
 
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSDESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
 
Estádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de eriksonEstádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de erikson
 
HENRI WALLON
HENRI WALLONHENRI WALLON
HENRI WALLON
 
Eriksoneodesenvolvimentopsicossocial
EriksoneodesenvolvimentopsicossocialEriksoneodesenvolvimentopsicossocial
Eriksoneodesenvolvimentopsicossocial
 
Etapas do desenvolvimento
Etapas do desenvolvimentoEtapas do desenvolvimento
Etapas do desenvolvimento
 
A importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivo
A importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivoA importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivo
A importância da educação infantil na formação do cidadão crítico-reflexivo
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Erikson
 
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
Aula jogo educacao_pelo_movimento_e_desenvolvimento_da_crianca_2
 
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialErikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
 
As etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoaAs etapas do desenvolvimento de uma pessoa
As etapas do desenvolvimento de uma pessoa
 
OS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
OS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANOOS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
OS CICLOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade powerpointSexualidade powerpoint
Sexualidade powerpoint
 
Referencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallonReferencial teorico -_wallon
Referencial teorico -_wallon
 

Mais de basilioantonio (15)

E fólio b - -
E  fólio b - -E  fólio b - -
E fólio b - -
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Storytellin
StorytellinStorytellin
Storytellin
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
Tarefa nº2 e folio b
Tarefa nº2 e folio bTarefa nº2 e folio b
Tarefa nº2 e folio b
 
Tarefa nº2 e folio b
Tarefa nº2 e folio bTarefa nº2 e folio b
Tarefa nº2 e folio b
 
Tarefa nº2 e folio b
Tarefa nº2 e folio bTarefa nº2 e folio b
Tarefa nº2 e folio b
 
Vinculação
VinculaçãoVinculação
Vinculação
 
teste
testeteste
teste
 

Último

Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 

Último (20)

Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 

Vinculação

  • 1. Vinculação O que é a relação de Vinculação? A importância da relação de Vinculação nos primeiros anos de vida das crianças António Basílio T 1 1001809
  • 2. Vinculação Necessidade do bebe criar laços de proximidade e afeto com a mãe ou com quem a substitui Satisfação de cuidados de sobrevivência : Alimentação – Fome ; Sede Proteção – Abrigo ; Conforto ; Segurança Afeto
  • 3. Vinculação Quanto mais precoce se estabelecer a relação Mãe – Filho e mais fortes forem os laços, melhor será o desenvolvimento físico e psicológico do Bebe ; Melhor será o seu desenvolvimento cognitivo – capacidade de aprendizagem
  • 4. Vinculação 1º Ano de vida Vinculação/ Separação- Individuação Aumenta a sua confiança e inicia-se na exploração do meio que o rodeia, com maior autonomia Quanto maior a confiança no Outro que o cuida, maior a sua capacidade de exploração do meio, e maior o sentimento de auto-confiança e auto-estima
  • 5. Vinculação Modelo de Dupla Hélice – Hélice da vinculação e Hélice da Separação/ Individuação -Ao longo do ciclo de vida as duas hélices ora se aproximam, ora se afastam do Eixo Central , sofrendo alterações consoante as diferentes idades, numa dinâmica constante -A vinculação estimula a individuação e esta por sua vez, estimula de novo a vinculação
  • 6. Separação / Individuação Dos 9-16 meses > A criança adquire a consciência de si próprio como um ser separado Dos 16- 24 meses > Incremento do movimento em direção à separação/ Individuação. Existe também a ambivalência , que vai diminuindo na medida em que a criança se torna mais autónoma
  • 7. Separação/ Individuação Aos 3 anos > A criança progride para novos estádios, com ênfase no desenvolvimento cognitivo, e competências interpessoais. Relaciona-se com o meio social, e adquire capacidades para cooperar, desempenhar papéis e relacionar-se afetivamente com outras pessoas
  • 8. Contributos para um Desenvolvimento Harmonioso Contribuem para um desenvolvimento harmonioso a par com a Vinculação/ Separação- Individuação: A promoção do Afeto, da Identidade, e da Resiliência Afeto- o modo como ama e é amado Identidade- é o “ EU” do bebe Resiliência- a capacidade de reagir de forma positiva às contrariedades
  • 9. Desenvolvimento dos 0-6 anos Desenvolvimento da personalidade, da inteligência, e do comportamento social O carinho, a atenção, a presença, são essenciais para transmitir à criança segurança e bem- estar As Crianças são o melhor do Mundo e são o Mundo de amanhã > São o FUTURO!!!!!!!