SlideShare uma empresa Scribd logo
Relações precoces 
mãe/bebé 
CONTRIBUTOS DE RENÉ SPITZ
Bibliografia 
 Psicanalista austríaco; 
 Nasceu em 1887 e morreu 1974; 
 Estudou medicina; 
 Especializou-se em Psicologia Infantil; 
 Vai para os Estados Unidos da América onde leciona na 
área da Psiquiatria e da Psicanálise; 
 Estudou crianças órfãs e abandonadas e cria o conceito 
“Hospitalismo”. 
 http://www.youtube.com/watch?v=XvWBXR8UmQY
SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo 
Consequências que resultam da 
perturbação da relação precoce 
1. Depressão Anaclítica – Resulta da 
privação da relação afetiva parcial; 
2. Síndrome do Hospitalismo – Resultada 
privação da relação afetiva total ou 
duradoira.
SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo 
Depressão Anaclítica 
3. Foi Spitz quem pela primeira vez, 
de forma clara, chamou a atenção 
para a dor psíquica (Depressão) em 
fases precoces de desenvolvimento; 
4. A Depressão anaclítica (Spitz 1961) 
é a que resulta da privação afetiva 
parcial;
SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo 
Síndrome do Hospitalismo 
1. Resulta da rutura total e duradoura 
da relação afetiva precoce, durante 
os primeiros 18 meses de vida. 
2. Caracteriza-se pelo atraso global de 
desenvolvimento (psíquico, 
relacional, mas também físico e 
biológico).
SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo 
Síndrome do Hospitalismo 
Efeitos depressivos do Hospitalismo desenvolvem-se 
sequencialmente 
1. No primeiro mês da separação a 
criança abandonada chora e 
procura a proximidade e o 
conforto de outros seres 
humanos.
SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo 
Síndrome do Hospitalismo 
Efeitos depressivos do Hospitalismo desenvolvem-se 
sequencialmente 
2. No segundo mês de separação, o choro contínuo 
vai dando progressivamente lugar ao lamento e ao 
gemido; a criança perde peso e o seu 
desenvolvimento psicomotor é interrompido.
SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo 
Síndrome do Hospitalismo 
Efeitos depressivos do Hospitalismo desenvolvem-se 
sequencialmente 
3. No terceiro meses de separação, a 
criança evita o contacto humano e a 
atividade motora; passa longas horas 
deitada (marasmo); sofre 
frequentemente de insónias.
O QUE É O HOSPITALISMO 
Trata-se de um conjunto de perturbações 
físicas e psíquicas que as crianças 
podem sofrer em consequência de um 
internamento prolongado em instituições 
como hospitais, orfanatos ou asilos, onde 
estão privadas do afecto materno.
O QUE É O HOSPITALISMO 
Foi descrito pelo psiquiatra René Spitz, que estudou o 
desenvolvimento psicoafetivo de cem crianças que viviam num 
orfanato perto de Nova Iorque, durante a Segunda Guerra 
Mundial. 
Apesar de serem bem tratados, os meninos entravam num 
estado de letargia e estupor que podia conduzi-los à morte. 
Curiosamente, voltavam ao seu estado normal quando viam as 
mães. Por isso, actualmente, os médicos têm muito em conta o 
contacto das crianças com os seus mais próximos.
Resiliência – Clarificação do conceito 
- A resiliência é um conceito psicológico 
emprestado da Física; 
- Pode ser definido como a capacidade de o 
indivíduo lidar com problemas, superar 
obstáculos ou resistir à pressão de situações 
adversas - choque, estresse, etc. - sem entrar 
em surto psicológico.
Resiliência – Clarificação do conceito 
- A resiliência é uma tomada de decisão 
quando alguém se depara com um contexto 
entre a tensão do ambiente e a vontade de 
vencer. 
- Essas decisões propiciam forças na pessoa 
para enfrentar a adversidade.
Resiliência – Clarificação do conceito 
Resiliência é um conceito que designa: 
o processo ou a capacidade de autorrestabelecimento e de 
resistência às doenças mentais e outros distúrbios no 
desenvolvimento, por parte de crianças que vivem em 
situações adversas ou indutoras de grande ansiedade.
Resiliência - clarificação do conceito 
Pode-se considerar que a uma combinação 
de fatores que propiciam ao ser humano condições para 
enfrentar e superar problemas e adversidades. 
Consultar no1º livro pp. 264 e 265.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desenvolvimento Spitz
Desenvolvimento SpitzDesenvolvimento Spitz
Psicologia B
Psicologia  BPsicologia  B
Psicologia B
mluisavalente
 
Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)
Débora Rodrigues
 
Jean piaget trabalho de grupo
Jean piaget   trabalho de grupoJean piaget   trabalho de grupo
Jean piaget trabalho de grupo
9iulian0
 
Teoria do apego john bowlby
Teoria do apego    john bowlbyTeoria do apego    john bowlby
Teoria do apego john bowlby
Aclecio Dantas
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Manô Araújo
 
Sigmund freud
Sigmund freudSigmund freud
Sigmund freud
Ranlig
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
Profissão Professor
 
António Damásio
António DamásioAntónio Damásio
António Damásio
Yanick Santos
 
Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
psicologiaazambuja
 
Cérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano ARCérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano AR
Antónia Rocha
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
O estádio das operações concretas
O estádio das operações concretasO estádio das operações concretas
O estádio das operações concretas
Luis De Sousa Rodrigues
 
MENTE
MENTEMENTE
António Damásio
António Damásio  António Damásio
António Damásio
filosofia-alijo
 
Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3
Rolando Almeida
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
Ana Felizardo
 
A CONAÇÃO
A CONAÇÃOA CONAÇÃO
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
09108303
 

Mais procurados (20)

Desenvolvimento Spitz
Desenvolvimento SpitzDesenvolvimento Spitz
Desenvolvimento Spitz
 
Psicologia B
Psicologia  BPsicologia  B
Psicologia B
 
Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)
 
Jean piaget trabalho de grupo
Jean piaget   trabalho de grupoJean piaget   trabalho de grupo
Jean piaget trabalho de grupo
 
Teoria do apego john bowlby
Teoria do apego    john bowlbyTeoria do apego    john bowlby
Teoria do apego john bowlby
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
 
Sigmund freud
Sigmund freudSigmund freud
Sigmund freud
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
 
António Damásio
António DamásioAntónio Damásio
António Damásio
 
Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
 
Cérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano ARCérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano AR
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 
O estádio das operações concretas
O estádio das operações concretasO estádio das operações concretas
O estádio das operações concretas
 
MENTE
MENTEMENTE
MENTE
 
António Damásio
António Damásio  António Damásio
António Damásio
 
Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3Aprendizagem 12º3
Aprendizagem 12º3
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
 
A CONAÇÃO
A CONAÇÃOA CONAÇÃO
A CONAÇÃO
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
 

Destaque

Medicina chinesa
Medicina chinesaMedicina chinesa
Medicina chinesa
lecocqmuller
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
Ângelo Rafael
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Psicologia motivação
Psicologia motivaçãoPsicologia motivação
Psicologia motivação
Maria Luiza Vaz
 
11 psicologia
11 psicologia11 psicologia
11 psicologia
joseantoniosebastiao
 
Biologia aula 1
Biologia aula 1Biologia aula 1
Biologia aula 1
nilsondrocha
 
As RelaçõEs Precoces
As RelaçõEs PrecocesAs RelaçõEs Precoces
As RelaçõEs Precoces
Rolando Almeida
 
Rene spitz
Rene spitzRene spitz
Rene spitz
AlejandraNYA
 
Mary ainsworth e a qualidade da vinculação
Mary ainsworth e a qualidade da vinculaçãoMary ainsworth e a qualidade da vinculação
Mary ainsworth e a qualidade da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
Rolando Almeida
 
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogasAgentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Pedro Filho
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
Silvia Revez
 
Relações precoces psicologia
Relações precoces psicologiaRelações precoces psicologia
Relações precoces psicologia
RaQuel Oliveira
 
Ficha Formativa de Psicologia B
Ficha Formativa de Psicologia BFicha Formativa de Psicologia B
Ficha Formativa de Psicologia B
Silvia Revez
 
Antimicrobianos
AntimicrobianosAntimicrobianos
Antimicrobianos
Luis Carlos F. Carvalho
 
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
Ana Carolina Costa
 
Etapas de rene spitz
Etapas de rene spitzEtapas de rene spitz
Etapas de rene spitz
Michelle Dominguez
 
Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1
Jorge Barbosa
 
Afetos, emoções e sentimentos
Afetos, emoções e sentimentosAfetos, emoções e sentimentos
Afetos, emoções e sentimentos
Clécio Doroteu
 

Destaque (20)

Medicina chinesa
Medicina chinesaMedicina chinesa
Medicina chinesa
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Psicologia motivação
Psicologia motivaçãoPsicologia motivação
Psicologia motivação
 
11 psicologia
11 psicologia11 psicologia
11 psicologia
 
Biologia aula 1
Biologia aula 1Biologia aula 1
Biologia aula 1
 
As RelaçõEs Precoces
As RelaçõEs PrecocesAs RelaçõEs Precoces
As RelaçõEs Precoces
 
Rene spitz
Rene spitzRene spitz
Rene spitz
 
Mary ainsworth e a qualidade da vinculação
Mary ainsworth e a qualidade da vinculaçãoMary ainsworth e a qualidade da vinculação
Mary ainsworth e a qualidade da vinculação
 
Relações Precoces
Relações PrecocesRelações Precoces
Relações Precoces
 
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogasAgentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
Agentes antimicrobianos e resistência bacteriana às drogas
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
Relações precoces psicologia
Relações precoces psicologiaRelações precoces psicologia
Relações precoces psicologia
 
Ficha Formativa de Psicologia B
Ficha Formativa de Psicologia BFicha Formativa de Psicologia B
Ficha Formativa de Psicologia B
 
Antimicrobianos
AntimicrobianosAntimicrobianos
Antimicrobianos
 
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
 
Etapas de rene spitz
Etapas de rene spitzEtapas de rene spitz
Etapas de rene spitz
 
Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1
 
Afetos, emoções e sentimentos
Afetos, emoções e sentimentosAfetos, emoções e sentimentos
Afetos, emoções e sentimentos
 

Semelhante a 3 Spit e hospitalismo

Transtornos de ansiedade e estresse | Espaço Holos
Transtornos de ansiedade e estresse | Espaço HolosTranstornos de ansiedade e estresse | Espaço Holos
Transtornos de ansiedade e estresse | Espaço Holos
Espaço Holos | Psiquiatria Integrada
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
GEDRBRASIL_ESTUDANDORARAS
 
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSíndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
SilviaLouro2
 
Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...
Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...
Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...
Iraneide Lima
 
Fojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-NoseFojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-Nose
Iraneide Lima
 
A esquizofrenia
A esquizofreniaA esquizofrenia
A esquizofrenia
Marcos Figueiredo
 
Ansiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdfAnsiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdf
Eraldo Carlos
 
O manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdf
O manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdfO manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdf
O manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdf
ProfCesarPinheiro
 
Transtornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescênciaTranstornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescência
Cláudio Costa
 
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docxPsicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
PatriciaAiresCosta1
 
Eae 78 - medicina psicossomatica
Eae   78 - medicina psicossomaticaEae   78 - medicina psicossomatica
Eae 78 - medicina psicossomatica
Norberto Scavone Augusto
 
Esquizofrenia e bipolaridade
Esquizofrenia e bipolaridadeEsquizofrenia e bipolaridade
Esquizofrenia e bipolaridade
cleytonlopes
 
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADEDEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Transtorno de Ansiedade na Infância.pptx
Transtorno de Ansiedade na Infância.pptxTranstorno de Ansiedade na Infância.pptx
Transtorno de Ansiedade na Infância.pptx
JessicaDassi
 
ANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptxANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptx
TRCIOSANTOS5
 
02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico
Graça Martins
 
As emocoes no panico
As emocoes no panicoAs emocoes no panico
As emocoes no panico
Graça Martins
 
DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.ppt
DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.pptDISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.ppt
DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.ppt
Millena Mendonça
 
Psicoses
PsicosesPsicoses
Psicoses
UNICEP
 
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M OM E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
Grupo Espírita Cristão
 

Semelhante a 3 Spit e hospitalismo (20)

Transtornos de ansiedade e estresse | Espaço Holos
Transtornos de ansiedade e estresse | Espaço HolosTranstornos de ansiedade e estresse | Espaço Holos
Transtornos de ansiedade e estresse | Espaço Holos
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
 
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSíndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
 
Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...
Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...
Fotojornalismo - Revista G-Nose que fala sobre a transtorno de ansiedade, est...
 
Fojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-NoseFojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-Nose
 
A esquizofrenia
A esquizofreniaA esquizofrenia
A esquizofrenia
 
Ansiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdfAnsiedade generalizada.pdf
Ansiedade generalizada.pdf
 
O manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdf
O manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdfO manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdf
O manejo do TEPT na criança. adolescente e adulto.pdf
 
Transtornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescênciaTranstornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescência
 
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docxPsicopatologia do Envelhecimento.docx
Psicopatologia do Envelhecimento.docx
 
Eae 78 - medicina psicossomatica
Eae   78 - medicina psicossomaticaEae   78 - medicina psicossomatica
Eae 78 - medicina psicossomatica
 
Esquizofrenia e bipolaridade
Esquizofrenia e bipolaridadeEsquizofrenia e bipolaridade
Esquizofrenia e bipolaridade
 
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADEDEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
 
Transtorno de Ansiedade na Infância.pptx
Transtorno de Ansiedade na Infância.pptxTranstorno de Ansiedade na Infância.pptx
Transtorno de Ansiedade na Infância.pptx
 
ANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptxANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptx
 
02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico
 
As emocoes no panico
As emocoes no panicoAs emocoes no panico
As emocoes no panico
 
DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.ppt
DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.pptDISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.ppt
DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS.ppt
 
Psicoses
PsicosesPsicoses
Psicoses
 
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M OM E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
 

Mais de Henrique Vieira

3 genetica
3   genetica3   genetica
3 genetica
Henrique Vieira
 
1 genética
1  genética 1  genética
1 genética
Henrique Vieira
 
2 ainsword-bion
2   ainsword-bion2   ainsword-bion
2 ainsword-bion
Henrique Vieira
 
Cortex cerebral
Cortex cerebralCortex cerebral
Cortex cerebral
Henrique Vieira
 
Apr brain 1
Apr brain 1Apr brain 1
Apr brain 1
Henrique Vieira
 
Psicologia Aplicada
Psicologia AplicadaPsicologia Aplicada
Psicologia Aplicada
Henrique Vieira
 
2 Ainsword-Bion
2   Ainsword-Bion2   Ainsword-Bion
2 Ainsword-Bion
Henrique Vieira
 
1 vinculação precoce - mãe/bebé
1   vinculação precoce - mãe/bebé1   vinculação precoce - mãe/bebé
1 vinculação precoce - mãe/bebé
Henrique Vieira
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
Henrique Vieira
 
2 genotipo e fenotipo e gémeos
2   genotipo e fenotipo e gémeos2   genotipo e fenotipo e gémeos
2 genotipo e fenotipo e gémeos
Henrique Vieira
 
3 preformismo-filogénese e
3   preformismo-filogénese e3   preformismo-filogénese e
3 preformismo-filogénese e
Henrique Vieira
 
RELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉ
RELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉRELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉ
RELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉ
Henrique Vieira
 

Mais de Henrique Vieira (12)

3 genetica
3   genetica3   genetica
3 genetica
 
1 genética
1  genética 1  genética
1 genética
 
2 ainsword-bion
2   ainsword-bion2   ainsword-bion
2 ainsword-bion
 
Cortex cerebral
Cortex cerebralCortex cerebral
Cortex cerebral
 
Apr brain 1
Apr brain 1Apr brain 1
Apr brain 1
 
Psicologia Aplicada
Psicologia AplicadaPsicologia Aplicada
Psicologia Aplicada
 
2 Ainsword-Bion
2   Ainsword-Bion2   Ainsword-Bion
2 Ainsword-Bion
 
1 vinculação precoce - mãe/bebé
1   vinculação precoce - mãe/bebé1   vinculação precoce - mãe/bebé
1 vinculação precoce - mãe/bebé
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
2 genotipo e fenotipo e gémeos
2   genotipo e fenotipo e gémeos2   genotipo e fenotipo e gémeos
2 genotipo e fenotipo e gémeos
 
3 preformismo-filogénese e
3   preformismo-filogénese e3   preformismo-filogénese e
3 preformismo-filogénese e
 
RELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉ
RELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉRELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉ
RELAÇÕES PRECOCES MÃE/BEBÉ
 

Último

Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 

Último (20)

Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 

3 Spit e hospitalismo

  • 1. Relações precoces mãe/bebé CONTRIBUTOS DE RENÉ SPITZ
  • 2. Bibliografia  Psicanalista austríaco;  Nasceu em 1887 e morreu 1974;  Estudou medicina;  Especializou-se em Psicologia Infantil;  Vai para os Estados Unidos da América onde leciona na área da Psiquiatria e da Psicanálise;  Estudou crianças órfãs e abandonadas e cria o conceito “Hospitalismo”.  http://www.youtube.com/watch?v=XvWBXR8UmQY
  • 3. SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo Consequências que resultam da perturbação da relação precoce 1. Depressão Anaclítica – Resulta da privação da relação afetiva parcial; 2. Síndrome do Hospitalismo – Resultada privação da relação afetiva total ou duradoira.
  • 4. SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo Depressão Anaclítica 3. Foi Spitz quem pela primeira vez, de forma clara, chamou a atenção para a dor psíquica (Depressão) em fases precoces de desenvolvimento; 4. A Depressão anaclítica (Spitz 1961) é a que resulta da privação afetiva parcial;
  • 5. SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo Síndrome do Hospitalismo 1. Resulta da rutura total e duradoura da relação afetiva precoce, durante os primeiros 18 meses de vida. 2. Caracteriza-se pelo atraso global de desenvolvimento (psíquico, relacional, mas também físico e biológico).
  • 6. SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo Síndrome do Hospitalismo Efeitos depressivos do Hospitalismo desenvolvem-se sequencialmente 1. No primeiro mês da separação a criança abandonada chora e procura a proximidade e o conforto de outros seres humanos.
  • 7. SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo Síndrome do Hospitalismo Efeitos depressivos do Hospitalismo desenvolvem-se sequencialmente 2. No segundo mês de separação, o choro contínuo vai dando progressivamente lugar ao lamento e ao gemido; a criança perde peso e o seu desenvolvimento psicomotor é interrompido.
  • 8. SPITZ - A Síndrome do Hospitalismo Síndrome do Hospitalismo Efeitos depressivos do Hospitalismo desenvolvem-se sequencialmente 3. No terceiro meses de separação, a criança evita o contacto humano e a atividade motora; passa longas horas deitada (marasmo); sofre frequentemente de insónias.
  • 9. O QUE É O HOSPITALISMO Trata-se de um conjunto de perturbações físicas e psíquicas que as crianças podem sofrer em consequência de um internamento prolongado em instituições como hospitais, orfanatos ou asilos, onde estão privadas do afecto materno.
  • 10. O QUE É O HOSPITALISMO Foi descrito pelo psiquiatra René Spitz, que estudou o desenvolvimento psicoafetivo de cem crianças que viviam num orfanato perto de Nova Iorque, durante a Segunda Guerra Mundial. Apesar de serem bem tratados, os meninos entravam num estado de letargia e estupor que podia conduzi-los à morte. Curiosamente, voltavam ao seu estado normal quando viam as mães. Por isso, actualmente, os médicos têm muito em conta o contacto das crianças com os seus mais próximos.
  • 11. Resiliência – Clarificação do conceito - A resiliência é um conceito psicológico emprestado da Física; - Pode ser definido como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas - choque, estresse, etc. - sem entrar em surto psicológico.
  • 12. Resiliência – Clarificação do conceito - A resiliência é uma tomada de decisão quando alguém se depara com um contexto entre a tensão do ambiente e a vontade de vencer. - Essas decisões propiciam forças na pessoa para enfrentar a adversidade.
  • 13. Resiliência – Clarificação do conceito Resiliência é um conceito que designa: o processo ou a capacidade de autorrestabelecimento e de resistência às doenças mentais e outros distúrbios no desenvolvimento, por parte de crianças que vivem em situações adversas ou indutoras de grande ansiedade.
  • 14. Resiliência - clarificação do conceito Pode-se considerar que a uma combinação de fatores que propiciam ao ser humano condições para enfrentar e superar problemas e adversidades. Consultar no1º livro pp. 264 e 265.