SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Módulo I – Raízes mediterrânicas da
civilização europeia – cidade,
cidadania e império na Antiguidade
Clássica

O modelo ateniense
Conteúdos

• A democracia antiga: os direitos
dos cidadãos e o exercício de
poderes
• Uma cultura aberta à cidade
• As grandes manifestações cívicoreligiosas
• A educação para o exercício
público do poder
• A arquitetura e a escultura,
expressão do culto público e da
procura da harmonia
Aprendizagens
• Identificar a pólis ateniense como um
centro politicamente autónomo
• Mostrar que a democracia ateninese era
uma democracia direta
• Distinguir os órgãos do poder legislativo,
executivo e judicial.
• Avaliar os limites da participação
democrática
• Comparar a democracia ateniense com a
democracia atual
• Desenvolver a sensibilidade estética,
através da identificação e da apreciação
de manifestações artísticas do período
clássico
Polis
O que é uma
polis?
• território
• corpo cívico
• conjunto de leis
Quais as condições
de formação das
polis?
• factor geográfico
(compartimentação das terras
pelas altas montanhas,
dificuldades de comunicação)
• invasões estrangeiras
• inexistência de um poder
central
A democracia
Evolução política de Atenas até ao século V a.C.
Quem eram os
cidadãos?
• indivíduos do sexo masculino
• mais de 20 anos
• filhos de pai e mãe ateniense
• com o serviço militar cumprido
Que direitos possuía?

•
•
•
•
•
•

igualdade perante a lei (isonomia)
igualdade de acesso aos cargos políticos (isocracia)
direito do uso da palavra (isegoria)
posse de terras
posse de escravos
acesso à educação
Quais os seus deveres?

•
•
•
•
•

cumprir o serviço militar
participar ativamente na Eclésia
votar
desempenhar cargos como legislador, governante, juiz ou magistrado
participar nas celebrações cívico-religiosas
Instituições democráticas e o seu funcionamento
Atenas democrática
Mulheres

Direitos

Deveres

•
•

•
•
•

cuidar das crianças
assistir às festas no templo de Hera

trabalhos domésticos
sobriedade
sujeição à tutela do pai, marido e
filho mais velho
Estrangeiros

Deveres
Direitos

•
•

exercício do comércio e do artesanato
participação nas festividades

•
•
•

pagar impostos
cumprir o serviço militar
custear as festividades e
espetáculos
Escravos

Deveres

•
•

obedecer ao seu senhor
trabalhar nos serviços domésticos, campos, oficinas e minas
A democracia
antiga
• conceito de cidadania
• igualdade de todos os cidadãos
• democracia direta
• divisão dos poderes
• sorteio
• uso da retórica
• discriminação das mulheres e
estrageiros
• existência legal da escravatura
• ostracismo
A democracia nos
nossos dias
• vontade de satisfazer os desejos da
maioria dos cidadãos
• divisão de poderes
• uso da retórica como arma política
• tratamento igual de todos os
cidadãos perante a lei
• o conceito de cidadão

• democracia representativa ou
indireta
• eleição
• igualdade entre sexos
A educação para a cidadania

•
•
•
•

até aos sete anos, os rapazes e raparigas eram educados pelas mães
os rapazes iam para a escola aprender a leitura, a escrita, a música e o exercício físico
tinham também de decorar e recitar os poemas da Ilíada e da Odisseia
aos quinze anos frequentavam ginásios e aprendiam Matemática, Filosofia, Religião,
História, Política, Retórica e Dialéctica
• aos dezoito cumpria o serviço militar de dois anos e aos vinte era considerado um cidadão
Manifestações cívicoreligiosas

Teatro
• terá começado pela leitura de poemas e

por danças, até assumir a forma de
representação
• peças trágicas e comédias de crítica social
• o oráculo tem uma função importante, pois
as suas previsões, ditadas pelos deuses,
sempre se cumprem
• existiam competições entre dramaturgos
de todo o mundo grego

Jogos
• devoção aos deuses

•

proclamava-se tréguas sagradas
enquanto decorriam
• atraiam visitantes de toda a Grécia
• também havia lugar a competições
musicais e para a exibição dos dotes de
oratória
• o vencedor alcançava um estatuto de
semideus e tinha direito a um tratamento
especial
A arte clássica

Arquitetura

Escultura

•

•

proporções matemáticas,
harmonia e simplicidade
• cidades organizadas num
plano ortogonal
• a busca da perfeição
evidencia-se nas correções
óticas

Pintura

evolução da pose rígida até
ao ideal do atleta robusto e do • representação dos deuses
efeito teatral e sensação de
e do quotidiano
movimento
• sentido utilitário
• estabeleceu-se o ideal de
• registo e transmissão de
beleza do corpo humano
mensagens
• esculturas revestidas de
pintura de cores vivas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundoCatarinaTavares28
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalVítor Santos
 
A Cultura do Salão: tempo, espaço e local
A Cultura do Salão: tempo, espaço e localA Cultura do Salão: tempo, espaço e local
A Cultura do Salão: tempo, espaço e localHca Faro
 
Módulo 6 contextualização
Módulo 6   contextualizaçãoMódulo 6   contextualização
Módulo 6 contextualizaçãoCarla Freitas
 
03 a producao cultural
03 a producao cultural03 a producao cultural
03 a producao culturalVítor Santos
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraTLopes
 
O modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptxO modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptxCecília Gomes
 
A Cultura da Ágora
A Cultura da ÁgoraA Cultura da Ágora
A Cultura da ÁgoraHca Faro
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroAna Barreiros
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2cattonia
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoCarla Freitas
 
Módulo 2 a cultura do senado
Módulo 2   a cultura do senadoMódulo 2   a cultura do senado
Módulo 2 a cultura do senadoTLopes
 
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Susana Simões
 
Teste de avaliação
Teste de avaliaçãoTeste de avaliação
Teste de avaliaçãoJoão Couto
 
1 o modelo ateniense
1  o modelo ateniense1  o modelo ateniense
1 o modelo ateniensecr962019
 

Mais procurados (20)

1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
A Cultura do Salão: tempo, espaço e local
A Cultura do Salão: tempo, espaço e localA Cultura do Salão: tempo, espaço e local
A Cultura do Salão: tempo, espaço e local
 
A cultura do senado
A cultura do senadoA cultura do senado
A cultura do senado
 
Módulo 6 contextualização
Módulo 6   contextualizaçãoMódulo 6   contextualização
Módulo 6 contextualização
 
03 a producao cultural
03 a producao cultural03 a producao cultural
03 a producao cultural
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágora
 
O modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptxO modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptx
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
 
Cultura do palco
Cultura do palcoCultura do palco
Cultura do palco
 
A Cultura da Ágora
A Cultura da ÁgoraA Cultura da Ágora
A Cultura da Ágora
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
 
Parlamentarismo inglês
Parlamentarismo inglêsParlamentarismo inglês
Parlamentarismo inglês
 
Módulo 2 a cultura do senado
Módulo 2   a cultura do senadoMódulo 2   a cultura do senado
Módulo 2 a cultura do senado
 
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
Antigo Regime-Contextualização do Módulo 6
 
Teste de avaliação
Teste de avaliaçãoTeste de avaliação
Teste de avaliação
 
1 o modelo ateniense
1  o modelo ateniense1  o modelo ateniense
1 o modelo ateniense
 

Destaque

O mundo helénico no séc V a. C. -
O  mundo helénico no séc V  a. C.  - O  mundo helénico no séc V  a. C.  -
O mundo helénico no séc V a. C. - Carlos Pinheiro
 
O modelo ateniense a democracia
O modelo ateniense  a democraciaO modelo ateniense  a democracia
O modelo ateniense a democraciaCarla Teixeira
 
O mundo helénico no séc V a. C. - Cultura e desporto
O  mundo helénico no séc  V a. C. - Cultura e desportoO  mundo helénico no séc  V a. C. - Cultura e desporto
O mundo helénico no séc V a. C. - Cultura e desportoCarlos Pinheiro
 
A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.
A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.
A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.Natalina Safara
 
O mundo helénico no séc. V a. C. - A arte grega
O  mundo helénico no séc. V a. C.  - A arte gregaO  mundo helénico no séc. V a. C.  - A arte grega
O mundo helénico no séc. V a. C. - A arte gregaCarlos Pinheiro
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo atenienseEscoladocs
 
Os gregos no século v a.c.
Os gregos no século v a.c.Os gregos no século v a.c.
Os gregos no século v a.c.Mario Alvim
 
Resumos História - O Modelo Ateniense
Resumos História - O Modelo AtenienseResumos História - O Modelo Ateniense
Resumos História - O Modelo AtenienseLojinha da Flor
 

Destaque (12)

O mundo helénico no séc V a. C. -
O  mundo helénico no séc V  a. C.  - O  mundo helénico no séc V  a. C.  -
O mundo helénico no séc V a. C. -
 
Gregos
GregosGregos
Gregos
 
O Mundo HeléNico No SéC
O Mundo HeléNico No SéCO Mundo HeléNico No SéC
O Mundo HeléNico No SéC
 
O modelo ateniense a democracia
O modelo ateniense  a democraciaO modelo ateniense  a democracia
O modelo ateniense a democracia
 
Os deuses gregos
Os deuses gregosOs deuses gregos
Os deuses gregos
 
O mundo helénico no séc V a. C. - Cultura e desporto
O  mundo helénico no séc  V a. C. - Cultura e desportoO  mundo helénico no séc  V a. C. - Cultura e desporto
O mundo helénico no séc V a. C. - Cultura e desporto
 
A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.
A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.
A vida quotidiana em Atenas no século v a.C.
 
O mundo helénico no séc. V a. C. - A arte grega
O  mundo helénico no séc. V a. C.  - A arte gregaO  mundo helénico no séc. V a. C.  - A arte grega
O mundo helénico no séc. V a. C. - A arte grega
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
 
Os gregos no século v a.c.
Os gregos no século v a.c.Os gregos no século v a.c.
Os gregos no século v a.c.
 
Resumos História - O Modelo Ateniense
Resumos História - O Modelo AtenienseResumos História - O Modelo Ateniense
Resumos História - O Modelo Ateniense
 
Guia 29
Guia 29Guia 29
Guia 29
 

Semelhante a Democracia Ateniense e Vida Cívica na Antiga Grécia

Semelhante a Democracia Ateniense e Vida Cívica na Antiga Grécia (20)

Apresentação O modelo ateniense
Apresentação O modelo atenienseApresentação O modelo ateniense
Apresentação O modelo ateniense
 
Apresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
Apresentação n.º 1 O Modelo AtenienseApresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
Apresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
 
Historia A - Grécia
Historia A - Grécia Historia A - Grécia
Historia A - Grécia
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
 
Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
 
grécia - antiguidade clássica - 6ºAno
 grécia - antiguidade clássica -  6ºAno grécia - antiguidade clássica -  6ºAno
grécia - antiguidade clássica - 6ºAno
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICOGRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
GRÉCIA DEMOCRACIA ATENIENSE E PERÍODO CLÁSSICO
 
Grecia geral
Grecia geralGrecia geral
Grecia geral
 
Koneski Grécia antiga
Koneski Grécia antigaKoneski Grécia antiga
Koneski Grécia antiga
 
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
 
Civilizacaogrega
CivilizacaogregaCivilizacaogrega
Civilizacaogrega
 
Grécia antig apps
Grécia antig appsGrécia antig apps
Grécia antig apps
 
A DEMOCRACIA GREGA
A DEMOCRACIA GREGAA DEMOCRACIA GREGA
A DEMOCRACIA GREGA
 
Uma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidadeUma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidade
 
Slides cultura/sociedade da grencia antiga
Slides cultura/sociedade da grencia antigaSlides cultura/sociedade da grencia antiga
Slides cultura/sociedade da grencia antiga
 
102 grecia antiga atenas e esparta
102 grecia antiga atenas e esparta102 grecia antiga atenas e esparta
102 grecia antiga atenas e esparta
 
Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
 
GréCia Antiga
GréCia AntigaGréCia Antiga
GréCia Antiga
 

Mais de Laboratório de História

Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516
Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516
Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516Laboratório de História
 
Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516
Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516
Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516Laboratório de História
 
Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415
Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415
Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415Laboratório de História
 
Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415
Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415
Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415Laboratório de História
 
Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415
Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415
Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415Laboratório de História
 
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415Laboratório de História
 
Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415
Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415
Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415Laboratório de História
 
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...Laboratório de História
 
Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415
Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415
Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415Laboratório de História
 
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415Laboratório de História
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Laboratório de História
 
Apresentação A Revolução Francesa 1415
Apresentação A Revolução Francesa 1415Apresentação A Revolução Francesa 1415
Apresentação A Revolução Francesa 1415Laboratório de História
 
Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415
Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415
Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415Laboratório de História
 
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415Laboratório de História
 

Mais de Laboratório de História (20)

Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516
Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516
Guia de estudo n.º3 A Europa nos séculos XIII e XIV 1516
 
Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516
Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516
Apresentação n.º3 A Europa nos séculos XIII a XIV 1516
 
Apresentação n.º 2 O Modelo Romano
Apresentação n.º 2 O Modelo RomanoApresentação n.º 2 O Modelo Romano
Apresentação n.º 2 O Modelo Romano
 
Guia de estudo n.º 2 O Modelo Romano
Guia de estudo n.º 2 O Modelo RomanoGuia de estudo n.º 2 O Modelo Romano
Guia de estudo n.º 2 O Modelo Romano
 
Guia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
Guia de estudo n.º 1 O Modelo AtenienseGuia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
Guia de estudo n.º 1 O Modelo Ateniense
 
Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415
Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415
Caderno diário os loucos anos 20 n.º 17 1415
 
Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415
Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415
Caderno Diário Portugal e o Estado Novo n.º 20 1415
 
Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415
Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415
Caderno diário as opções totalitárias n.º 19 1415
 
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
 
Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415
Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415
Caderno Diário A revolução russa e o marxismo leninismo n.º 16 1415
 
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
 
Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415
Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415
Caderno diário As propostas socialistas n.º12 1415
 
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
 
Apresentação A Revolução Francesa 1415
Apresentação A Revolução Francesa 1415Apresentação A Revolução Francesa 1415
Apresentação A Revolução Francesa 1415
 
Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415
Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415
Caderno diário A Revolução Francesa n.º8 1415
 
Apresentação A Filosofia das Luzes 1415
Apresentação A Filosofia das Luzes 1415Apresentação A Filosofia das Luzes 1415
Apresentação A Filosofia das Luzes 1415
 
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
Caderno diário A Filosofia das Luzes n.º7 1415
 
Apresentação O Absolutismo 1415
Apresentação O Absolutismo 1415Apresentação O Absolutismo 1415
Apresentação O Absolutismo 1415
 
Caderno diário O Absolutismo n.º6 1415
Caderno diário O Absolutismo n.º6 1415Caderno diário O Absolutismo n.º6 1415
Caderno diário O Absolutismo n.º6 1415
 

Último

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 

Último (20)

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 

Democracia Ateniense e Vida Cívica na Antiga Grécia

  • 1. Módulo I – Raízes mediterrânicas da civilização europeia – cidade, cidadania e império na Antiguidade Clássica O modelo ateniense
  • 2. Conteúdos • A democracia antiga: os direitos dos cidadãos e o exercício de poderes • Uma cultura aberta à cidade • As grandes manifestações cívicoreligiosas • A educação para o exercício público do poder • A arquitetura e a escultura, expressão do culto público e da procura da harmonia
  • 3. Aprendizagens • Identificar a pólis ateniense como um centro politicamente autónomo • Mostrar que a democracia ateninese era uma democracia direta • Distinguir os órgãos do poder legislativo, executivo e judicial. • Avaliar os limites da participação democrática • Comparar a democracia ateniense com a democracia atual • Desenvolver a sensibilidade estética, através da identificação e da apreciação de manifestações artísticas do período clássico
  • 5. O que é uma polis? • território • corpo cívico • conjunto de leis
  • 6. Quais as condições de formação das polis? • factor geográfico (compartimentação das terras pelas altas montanhas, dificuldades de comunicação) • invasões estrangeiras • inexistência de um poder central
  • 8. Evolução política de Atenas até ao século V a.C.
  • 9. Quem eram os cidadãos? • indivíduos do sexo masculino • mais de 20 anos • filhos de pai e mãe ateniense • com o serviço militar cumprido
  • 10. Que direitos possuía? • • • • • • igualdade perante a lei (isonomia) igualdade de acesso aos cargos políticos (isocracia) direito do uso da palavra (isegoria) posse de terras posse de escravos acesso à educação
  • 11. Quais os seus deveres? • • • • • cumprir o serviço militar participar ativamente na Eclésia votar desempenhar cargos como legislador, governante, juiz ou magistrado participar nas celebrações cívico-religiosas
  • 12. Instituições democráticas e o seu funcionamento
  • 14. Mulheres Direitos Deveres • • • • • cuidar das crianças assistir às festas no templo de Hera trabalhos domésticos sobriedade sujeição à tutela do pai, marido e filho mais velho
  • 15. Estrangeiros Deveres Direitos • • exercício do comércio e do artesanato participação nas festividades • • • pagar impostos cumprir o serviço militar custear as festividades e espetáculos
  • 16. Escravos Deveres • • obedecer ao seu senhor trabalhar nos serviços domésticos, campos, oficinas e minas
  • 17. A democracia antiga • conceito de cidadania • igualdade de todos os cidadãos • democracia direta • divisão dos poderes • sorteio • uso da retórica • discriminação das mulheres e estrageiros • existência legal da escravatura • ostracismo
  • 18. A democracia nos nossos dias • vontade de satisfazer os desejos da maioria dos cidadãos • divisão de poderes • uso da retórica como arma política • tratamento igual de todos os cidadãos perante a lei • o conceito de cidadão • democracia representativa ou indireta • eleição • igualdade entre sexos
  • 19. A educação para a cidadania • • • • até aos sete anos, os rapazes e raparigas eram educados pelas mães os rapazes iam para a escola aprender a leitura, a escrita, a música e o exercício físico tinham também de decorar e recitar os poemas da Ilíada e da Odisseia aos quinze anos frequentavam ginásios e aprendiam Matemática, Filosofia, Religião, História, Política, Retórica e Dialéctica • aos dezoito cumpria o serviço militar de dois anos e aos vinte era considerado um cidadão
  • 20. Manifestações cívicoreligiosas Teatro • terá começado pela leitura de poemas e por danças, até assumir a forma de representação • peças trágicas e comédias de crítica social • o oráculo tem uma função importante, pois as suas previsões, ditadas pelos deuses, sempre se cumprem • existiam competições entre dramaturgos de todo o mundo grego Jogos • devoção aos deuses • proclamava-se tréguas sagradas enquanto decorriam • atraiam visitantes de toda a Grécia • também havia lugar a competições musicais e para a exibição dos dotes de oratória • o vencedor alcançava um estatuto de semideus e tinha direito a um tratamento especial
  • 21. A arte clássica Arquitetura Escultura • • proporções matemáticas, harmonia e simplicidade • cidades organizadas num plano ortogonal • a busca da perfeição evidencia-se nas correções óticas Pintura evolução da pose rígida até ao ideal do atleta robusto e do • representação dos deuses efeito teatral e sensação de e do quotidiano movimento • sentido utilitário • estabeleceu-se o ideal de • registo e transmissão de beleza do corpo humano mensagens • esculturas revestidas de pintura de cores vivas