SlideShare uma empresa Scribd logo
RESUMO DE HISTÓRIA 10ºANO
TEMA: O modelo romano

6.Caracteriza o urbanismo desenvolvido pelos Romanos
A cultura romana foi marcada por 2 características:
O pragmatismo( espírito prático; privilegia a utilidade e a eficiência;
realista/concreto
A influência grega( admiradores da civilização helénica que assimilam e
transformam: arte, literatura e filosofia).
O PRAGMATISMO REFLETE-SE NUM MUNDO URBANO
PADRONIZADO EM QUE AS CIDADES FORAM A BASE DE TUDO. Ou seja,
um bom império urbano implica um excelente Império romano.
Os romanos planeavam muito cuidadosamente as suas cidades. Como?
Desenvolveram o urbanismo

Traçado hipôdamico

Planeamento sustentado do espaço
urbano

Organização racional do espaço

1
O fórum era o “coração da cidade”
Roma vai “exportar” o seu padrão urbanístico ortogonal e pragmático.
O padrão urbanístico romano pode ser observado através da arquitetura que:
Devia ser pragmática(útil)
Monumental
Veículo de propaganda
bela

6.Identifica as principais tipologias dos edifícios públicos de Roma
Podemos distinguir os elementos da cidade romana consoante a sua função:
Edifícios de lazer
Edifícios honoríficos
Edifícios utilitários

2
3
4
7.Demonstra a cultura do
ócio desenvolvida pelos
Romanos através dos
edifícios públicos e
privados.
A pax romana e a prosperidade
económica
trazidas
pelas
conquistas e pelo bom governo de Augusto alteraram os
hábitos do povo romano, permitindo o usufruto do ócio
(tempo livre).
Eram várias as formas de cultivar o ócio:
A participação em banquetes privados, acompanhados
de música, dança e recitação.
o convívio no Fórum onde havia lojas, praças de
mercado e de reunião, templos, basílicas (espécie de câmara
municipal).
a ida às termas.
Os divertimentos públicos, tais como jogos, as corridas de cavalos, as grandes
procissões (na origem das representações teatrais) e os combates.

8.Demonstra o carater pragmático da cultura e arte romanas.
Na cultura romana salienta-se o facto de o seu povo ter caráter pragmáticoe utilitário
do pensamento e da cultura.
A cultura romana impôs-se através:
 Da sua inteligência prática (resolvia problemas concretos da
vida);
 Do espírito político (sentido gregário e tendência para a ordem,
disciplina e poder);
 Do sentido histórico;
 Da vontade para a monumentalidade e riqueza, bem patente
no urbanismo e na arquitetura;
 Dos hábitos de luxo.

5
Os Romanos mais cultos, consideravam sempre a cultura grega como um
modelo de cultura superior.
De todas as formas da arte romana, é a arquitectura que melhor testemunha o génio
inventivo e prático de Roma e que melhor documenta a sua evolução histórico-social;
Pragmática, funcional, colossal e magnificente, a arquitectura romana
preocupou-se essencialmente com a resolução dos aspectos práticos e técnicos da arte
de construir, respondendo com soluções criativas e inovadoras ás crescentes
necessidades demográficas, económicas, políticas e culturais da cidade e do império;

8.Evidencia o carácter evocativo e comemorativo da arte e cultura
romanas.
A arte e cultura romanas, principalmente na arquitetura tinham um caratér evocativo e
comemorativo porque, muitas vezes, desempenhavam funções religiosas, políticas e
sociais.
Por exemplo:
- Os edifícios religiosos assinalavam, pelo seu valor sagrado e simbólico, os lugares
mais importantes das cidades. Havia os altares ,os santuários e os templos, destinados
ao culto dos imperadores (divinzados após a morte) e aos Deuses;
- As construções públicastraduzem o desejo de poder e de grandeza deste povo;
-As suas esculturas eram extremamente realistas porque se pretendia gravar a memória
real do individuo através destas figuras( tais como a das pessoas falecidas) e também
existia o desejo de propagandear e imortalizar os feitos do Imperador e a sua
divinização após a morte.
- os relevos utilizados na arquitetura tinham como função celebrar os feitos romanos.
- a pintura romana pretendia representar o quotidiano e o modo de vida e ser romanos.

9.Refere inovações na construção arquitetónica romana
A arquitetura romana seguia de perto o modelo helénico.
Adoptou as ordens arquitéctónicas

Ordem Dórica

Ordem Jónica Ordem Coríntia

Ordem compósita

Preferência pela ordem Coríntia
Criação de uma ordem compósita

6
Enquanto os gregos se preocupavam com a harmonia e a proporção, os
Romanos privilegiam a grandiosidade e a robustez das construções
arquitetónicas.(gigantismo arquitetónico)
Inverteram o sentido de proporção
Trouxeram novos materiais (tijolo; betão)
Introduziram novas técnicas arquitetónicas:
Substituição da construção de base trilita
Desenvolvimento de novos sistemas de construção baseados nos arcos de
volta perfeita, nas cúpulas grandes(aumento do espaço interior) e nas
arcadas.
Abódabas
Desenvolveram novos conhecimentos a nível da topografia, das técnicas de
terraplanagem e da cofragem.
Aparecem grinaldas e bucranios (crânio de cabeça de boi que muitas vezes
adornava a métopa da ordem dórica) como elementos decorativos.
CARACTERÍSTICAS DA ARQUITETURA ROMANA:
A grandiosidade das construções tem uma intenção propagandística, ou
seja, arcos e colunas eram construídos para comemorar os grandes feitos dos
imperadores, honrar e louvar os seus deuses, heróis e chefes, divulgando a sua
imagem e os seus atos.
É uma arquitectura caracterizada pela monumentalidade, não só pelo o espaço
que ocupa, mas também pelo seu significado. Isto decorre também da ideia da
imortalidade do Império.
É uma arquitectura utilitária, prática, funcional, ou seja, de sentido pragmático.
Por esta razão e também pela própria estrutura do Estado, aparecem novas
construções, com um grande desenvolvimento da arquitectura civil e militar:
basílicas, termas, etc.
É uma arquitectura dinâmica, resultado da utilização de alguns elementos
construtivos como o arco e a abóbada.

10.Caracteriza a arquitetura religiosa romana.
A arquitetura religiosa romana manifesta-se em edifícios e construções tais como:
os templos, os santuários, o panteão, altares, .
Características dos templos:
Eram colocados sobre um estrado maçico( o podium)
Tinham um caráter frontal, em que a fachada apresentava um pórtico e
escadaria de acesso
A sua planta era retangular, com uma só cella(sala fechada onde ficava a
estátua do Deus.

7
Eram orientados no terreno seguindo o eixo axial da cella

Características dos santuários:
Eram mais grandiosos que os templos e consistiam
em recintos abertos para o exterior.
Eram construídos como amplos anfiteatros rodeados
de arcadas, atrás das quais havia templos, alojamentos e
lojas.

11.Relaciona a monumentalidade da arquitetura e do urbanismo
romanos com o poder imperial.
A arte romana foi influenciada pela grega e pela etrusca. As grandes construções da
Grécia deram lugar a grandes construções com fins úteis na Roma Antiga. Assim, as
suas principais características são:
A monumentalidade e grandeza das construções
A solidez e durabilidade
O carater funcional das obras
Todas as grandes construções romanas estão diretamente ligadas com o poder imperial
na medida em que transmitem a ideia de grandeza e imortalidade do Império.

12.Caracteriza a casa romana(tanto na arquitetura como na
ornamentação) como espaço de luxo e de bem-estar.
Existiam dois tipos de casas.

8
Os mais ricos viviam nas domus.
•

A “domus” romana original foi herdada dos Etruscos.

•

Tinha apenas um piso, sendo este constituído pelo atrium (pátio) onde se
dormia, cozinhava e comia.

•

Com a evolução económica, os romanos foram acrescentando à casa outras
divisões: os cubicula (quartos), o triclinium (sala de jantar), o tablinium
(escritório) do paterfamilias, o penus (despensa) e a ara (altar dos
antepassados e dos lares) .

•

A casa romana foi alargada a partir do tablinium, passando a conter
também o peristylum (pátio assente sobre colunas), que era ligado ao atrium
por um corredor.

•

Para além deste existiam outras divisões novas como a bibliotheca, a exedra
e os balnea.

Os mais pobres viviam nas insulae (ínsulas)

9
13.Indica as características formais e temáticas da escultura romana
A escultura romana é fortemente influenciada pelos modelos gregos que se
empenharam bastante na reprodução das estátuas.
Características:
Tinha de ser realista e centrar-se na personalidade do indivíduo.
Fazia-se frequentemente em forma de busto.(retrato), relevos e estátuas.
As estátuas e bustos representavam ao pormenor não só as partes físicas, como
também o caracter, a honra, a glória e a psicologia do retratado.
O relevo, subordinado à arquitectura, teve, igualmente, fins ornamentais,
narrativos e históricos, relatando a História de Roma e a vida dos homens,
ocupou todos os espaços em estelas funerárias, sarcófagos , altares, frisos, arcos
de triunfo, colunas...
De uma forma geral tinham:
- uma função religiosa, ou seja, serviam para lembrar os mortos.
- Também serviam para representar o Imperador e diviniza-lo para ser, mesmo
após a sua morte , admirado e respeitado.
- Eram o reflexo do poder imperial e um elemento de unificação de território,
pois circulavam por todo o império.

Exemplos:

Estátua de patrício, 30 a.C

Imperador Júlio César

10
14.Indica as características formais e temáticas da pintura romana
Mais uma vez recebe influências:
Etruscas: pelo realismo e preocupação narrativa
Egípcias: no retrato
Helenísticas: na técnica de pintura de placas de mármores de diversas cores.
Principal interesse:
A representação do quotidiano, do modo de vida e ser dos romanos.
Áreas temáticas:
1.
2.
3.
4.

A pintura triunfal
A pintura mitológica
A pintura paisagística e de naturezas mortas
A pintura de cenas de género e de retrato.

Tipos de pintura mais utilizados
Pintura mural (nas paredes)
Mosaicos
Pintura de cavalete
Exemplos:

11
16.Compara

Roma

com

a

atualidade.

Unida pelo mesmo modelo urbano, pela obediência às mesmas leis e à autoridade do
imperador, a Europa adquiriu uma feição civilizacional própria, uma marca de
latinidade que persistiu até aos nossos dias na medida em que:
Mesmo sendo grande, o Império Romano constituiu um mundo politicamente
coeso, onde os povos conviviam em paz e respeitavam a autoridade estabelecida.
Tal facto deveu-se, em grande parte, à forma hábil como os Romanos souberam
administrar as regiões submetidas. Por exemplo, os romanos estabeleceram a República
como uma forma de governo democrático que por sinal é também o regime democrático em
que vivemos.
Além disso a República em Roma tinha tinha três ramificações de alguma forma transportadas
para a nossa atualidade:
os cônsules, que serviam como juízes e líderes do exército;
os senadores, que eram as pessoas mais importantes do Estado, atuando como
conselheiros políticos;
e a assembleia, composta por membros do exército cuja função era aprovar ou rejeitar
leis

como "As Doze Tábuas" pois as leis estavam divididas em 12 seções. As leis eram
aplicadas a todas as pessoas da mesma forma, pobres ou ricas, e se referiam a
propriedade, casamento, família, crime, roubo e herança. Na atualidade

Promoveram a vida urbana como centro de poder local e de difusão da sua
cultura. O Império revestiu a forma de uma federação de cidades que, apesar de
submetidas ao poderio de Roma, dispunham de estruturas administrativas próprias que
lhes conferiam uma considerável autonomia. Essa administração ainda é visível nos dias
de hoje. Por exemplo, o senado romano é a origem de uma de nossas atuais instituições
políticas de representação: a Câmara Municipal.

Divinizaram a figura do imperador e, com ela, a autoridade do Estado. Adorado
como um deus em todas as regiões do Império, o imperador tornou-se o garante da paz
e da prosperidade dos povos, detentor de um poder supremo e incontestado.
Organizaram um conjunto de leis notável pelo seu rigor e pela sua grandeza. Os
Romanos criaram o Direito, baseado na justiça e na equidade utilizando-o
como elemento regulador da paz e da ordem imperiais. Por sua vez, este Direito
ainda hoje é estudado como pedra legislativa fundamental e a jurisdição romana é
a base dos sistemas que hoje são empregues em grande parte do mundo.

Estenderam progressivamente a condição superior da cidadania aos' povos
dominados. Participantes dos mesmos direitos e da mesma dignidade dos seus
conquistadores, os habitantes do Império deixaram de se sentir súbditos e passaram a
olhar-se como verdadeiros romanos.

12
A Língua Portuguesa tem origem no Latim, idioma falado pelos antigos habitantes de
Roma.
Foram responsáveis por inovações técnicas e temáticas, desde a arquitetura à
escultura e pintura, depois de ter criado as suas raízes no ideal da arte praticada
pelos helenos. Deve-se mesmo mencionar que a arte paleocristã ou as formas de
arte dos primeiros cristãos utilizaram temas e estruturas próprias dos gregos e dos
romanos, atribuindo-lhes apenas um conteúdo diferente.

13. Roma e a política
A unidade política, militar e administrativa do Império

o

Magistrados – estes exerciam os cargos políticos e administrativos, o mesmo é dizer
que lhes competia o governo da República (poder executivo).

o

Senado – órgão político de grande prestígio, era constituído por antigos magistrados e
tinha como funções emitir pareceres sobre as leis (função consultiva), nomear
governadores de província e aconselhar os magistrados.

13
o

Assembleias ou comícios – eram compostas por cidadãos que elegiam os magistrados
e aprovavam as leis propostas por estes.

.

14
Caracteriza a arquitetura religiosa romana

15

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
Carina Vale
 
Teste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia AntigaTeste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia Antiga
Zé Mário
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
Carla Teixeira
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
Vítor Santos
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
cattonia
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
Andreia Pacheco
 
O país rural e senhorial
O país rural e senhorialO país rural e senhorial
O país rural e senhorial
Susana Simões
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
CatarinaTavares28
 
Civilização romana
Civilização romanaCivilização romana
Civilização romana
bamp
 
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquistaMÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquista
Carina Vale
 
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia
Vítor Santos
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades...
 A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades... A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades...
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades...
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
Carla Freitas
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
Joana Filipa Rodrigues
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crençaA identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
Carlos Vieira
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
Vítor Santos
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
cattonia
 

Mais procurados (20)

Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
 
Teste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia AntigaTeste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia Antiga
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 
O país rural e senhorial
O país rural e senhorialO país rural e senhorial
O país rural e senhorial
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
 
Civilização romana
Civilização romanaCivilização romana
Civilização romana
 
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquistaMÓDULO II- 10º ANO-  Idade média: reconquista
MÓDULO II- 10º ANO- Idade média: reconquista
 
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
3. O Modelo Romano - o culto a Roma e ao imperador; a codificação do direito
 
01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades...
 A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades... A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades...
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - O renascimento das cidades...
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crençaA identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
A identidade civilizacional da Europa Ocidental - A unidade da crença
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
 

Destaque

Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
cattonia
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
Ana Barreiros
 
Valores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidianoValores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidiano
Vítor Santos
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
Vítor Santos
 
Arquitetura Romana
Arquitetura RomanaArquitetura Romana
Arquitetura Romana
Duarte Súcia
 
02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado
Vítor Santos
 
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
aparicioanabela
 
Historia, 10º ano
Historia, 10º anoHistoria, 10º ano
Historia, 10º ano
VansKaefer
 
Ficha Limpa - Despacho do Senado
Ficha Limpa - Despacho do SenadoFicha Limpa - Despacho do Senado
Ficha Limpa - Despacho do Senado
Marconi Ferreira Perillo Jr.
 
A Romanização na Península Ibérica
A Romanização na Península IbéricaA Romanização na Península Ibérica
A Romanização na Península Ibérica
guestd6ef96de
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
Patricia .
 
Cultura do Senado - Urbanismo
Cultura do Senado - UrbanismoCultura do Senado - Urbanismo
Cultura do Senado - Urbanismo
Carlos Vieira
 
A Arte romana
A Arte romanaA Arte romana
A Arte romana
João Almeida
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
LuisMagina
 
A Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império RomanoA Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império Romano
Mariana Neves
 
Cultura do Senado - Arquitectura romana
Cultura do Senado - Arquitectura romanaCultura do Senado - Arquitectura romana
Cultura do Senado - Arquitectura romana
Carlos Vieira
 
05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade
Vítor Santos
 
Quadro religião comparadas
Quadro religião comparadasQuadro religião comparadas
Quadro religião comparadas
Vítor Santos
 
Decadência do Império Romano
Decadência do Império RomanoDecadência do Império Romano
Decadência do Império Romano
Vítor Santos
 
Romanização
RomanizaçãoRomanização
Romanização
Maria Gomes
 

Destaque (20)

Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
 
Valores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidianoValores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidiano
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
Arquitetura Romana
Arquitetura RomanaArquitetura Romana
Arquitetura Romana
 
02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado
 
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
 
Historia, 10º ano
Historia, 10º anoHistoria, 10º ano
Historia, 10º ano
 
Ficha Limpa - Despacho do Senado
Ficha Limpa - Despacho do SenadoFicha Limpa - Despacho do Senado
Ficha Limpa - Despacho do Senado
 
A Romanização na Península Ibérica
A Romanização na Península IbéricaA Romanização na Península Ibérica
A Romanização na Península Ibérica
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
Cultura do Senado - Urbanismo
Cultura do Senado - UrbanismoCultura do Senado - Urbanismo
Cultura do Senado - Urbanismo
 
A Arte romana
A Arte romanaA Arte romana
A Arte romana
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
A Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império RomanoA Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império Romano
 
Cultura do Senado - Arquitectura romana
Cultura do Senado - Arquitectura romanaCultura do Senado - Arquitectura romana
Cultura do Senado - Arquitectura romana
 
05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade
 
Quadro religião comparadas
Quadro religião comparadasQuadro religião comparadas
Quadro religião comparadas
 
Decadência do Império Romano
Decadência do Império RomanoDecadência do Império Romano
Decadência do Império Romano
 
Romanização
RomanizaçãoRomanização
Romanização
 

Semelhante a Roma- Resumo de história 10ºano

Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Cristiane Seibt
 
A cultura do senado
A cultura  do senadoA cultura  do senado
A cultura do senado
Estudante
 
Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
guestcf1461dc
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
lazaro12r
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
Edenilson Morais
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
Edenilson Morais
 
O urbanismo e arte romana
O urbanismo e arte romanaO urbanismo e arte romana
O urbanismo e arte romana
Carla Teixeira
 
A r t e r o m a
A r t e   r o m aA r t e   r o m a
A r t e r o m a
Lucas Matheus
 
O Modelo Romano - a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...
O Modelo Romano -   a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...O Modelo Romano -   a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...
O Modelo Romano - a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
Arte Romana www.professorpalmito.com.br
Arte Romana www.professorpalmito.com.brArte Romana www.professorpalmito.com.br
Arte Romana www.professorpalmito.com.br
Prof Palmito Rocha
 
4. roma
4. roma4. roma
4. roma
Ana Cunha
 
A arte romana
A arte romana A arte romana
A arte romana
cabee1995
 
4 arte romana 2020
4 arte romana 20204 arte romana 2020
4 arte romana 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte em roma
Arte em romaArte em roma
Arte em roma
Angeli Arte Educadora
 
A arte do império romano
A arte do império romanoA arte do império romano
A arte do império romano
AnaM187
 
Atividade
AtividadeAtividade
Atividade
Marcia Carlos
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
Arquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma AntigaArquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma Antiga
Amanda Barp
 
2c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp01
2c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp012c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp01
2c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp01
Alexandre Santana
 
Arte romana 2019
Arte romana 2019Arte romana 2019
Arte romana 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 

Semelhante a Roma- Resumo de história 10ºano (20)

Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
A cultura do senado
A cultura  do senadoA cultura  do senado
A cultura do senado
 
Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
 
O urbanismo e arte romana
O urbanismo e arte romanaO urbanismo e arte romana
O urbanismo e arte romana
 
A r t e r o m a
A r t e   r o m aA r t e   r o m a
A r t e r o m a
 
O Modelo Romano - a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...
O Modelo Romano -   a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...O Modelo Romano -   a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...
O Modelo Romano - a fixação de modelos artísticos: arquitetura, escultura e...
 
Arte Romana www.professorpalmito.com.br
Arte Romana www.professorpalmito.com.brArte Romana www.professorpalmito.com.br
Arte Romana www.professorpalmito.com.br
 
4. roma
4. roma4. roma
4. roma
 
A arte romana
A arte romana A arte romana
A arte romana
 
4 arte romana 2020
4 arte romana 20204 arte romana 2020
4 arte romana 2020
 
Arte em roma
Arte em romaArte em roma
Arte em roma
 
A arte do império romano
A arte do império romanoA arte do império romano
A arte do império romano
 
Atividade
AtividadeAtividade
Atividade
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
 
Arquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma AntigaArquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma Antiga
 
2c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp01
2c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp012c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp01
2c14arteromana2c142012 120331194051-phpapp01
 
Arte romana 2019
Arte romana 2019Arte romana 2019
Arte romana 2019
 

Último

filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
alphabarros2
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 

Último (20)

filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 

Roma- Resumo de história 10ºano

  • 1. RESUMO DE HISTÓRIA 10ºANO TEMA: O modelo romano 6.Caracteriza o urbanismo desenvolvido pelos Romanos A cultura romana foi marcada por 2 características: O pragmatismo( espírito prático; privilegia a utilidade e a eficiência; realista/concreto A influência grega( admiradores da civilização helénica que assimilam e transformam: arte, literatura e filosofia). O PRAGMATISMO REFLETE-SE NUM MUNDO URBANO PADRONIZADO EM QUE AS CIDADES FORAM A BASE DE TUDO. Ou seja, um bom império urbano implica um excelente Império romano. Os romanos planeavam muito cuidadosamente as suas cidades. Como? Desenvolveram o urbanismo Traçado hipôdamico Planeamento sustentado do espaço urbano Organização racional do espaço 1
  • 2. O fórum era o “coração da cidade” Roma vai “exportar” o seu padrão urbanístico ortogonal e pragmático. O padrão urbanístico romano pode ser observado através da arquitetura que: Devia ser pragmática(útil) Monumental Veículo de propaganda bela 6.Identifica as principais tipologias dos edifícios públicos de Roma Podemos distinguir os elementos da cidade romana consoante a sua função: Edifícios de lazer Edifícios honoríficos Edifícios utilitários 2
  • 3. 3
  • 4. 4
  • 5. 7.Demonstra a cultura do ócio desenvolvida pelos Romanos através dos edifícios públicos e privados. A pax romana e a prosperidade económica trazidas pelas conquistas e pelo bom governo de Augusto alteraram os hábitos do povo romano, permitindo o usufruto do ócio (tempo livre). Eram várias as formas de cultivar o ócio: A participação em banquetes privados, acompanhados de música, dança e recitação. o convívio no Fórum onde havia lojas, praças de mercado e de reunião, templos, basílicas (espécie de câmara municipal). a ida às termas. Os divertimentos públicos, tais como jogos, as corridas de cavalos, as grandes procissões (na origem das representações teatrais) e os combates. 8.Demonstra o carater pragmático da cultura e arte romanas. Na cultura romana salienta-se o facto de o seu povo ter caráter pragmáticoe utilitário do pensamento e da cultura. A cultura romana impôs-se através:  Da sua inteligência prática (resolvia problemas concretos da vida);  Do espírito político (sentido gregário e tendência para a ordem, disciplina e poder);  Do sentido histórico;  Da vontade para a monumentalidade e riqueza, bem patente no urbanismo e na arquitetura;  Dos hábitos de luxo. 5
  • 6. Os Romanos mais cultos, consideravam sempre a cultura grega como um modelo de cultura superior. De todas as formas da arte romana, é a arquitectura que melhor testemunha o génio inventivo e prático de Roma e que melhor documenta a sua evolução histórico-social; Pragmática, funcional, colossal e magnificente, a arquitectura romana preocupou-se essencialmente com a resolução dos aspectos práticos e técnicos da arte de construir, respondendo com soluções criativas e inovadoras ás crescentes necessidades demográficas, económicas, políticas e culturais da cidade e do império; 8.Evidencia o carácter evocativo e comemorativo da arte e cultura romanas. A arte e cultura romanas, principalmente na arquitetura tinham um caratér evocativo e comemorativo porque, muitas vezes, desempenhavam funções religiosas, políticas e sociais. Por exemplo: - Os edifícios religiosos assinalavam, pelo seu valor sagrado e simbólico, os lugares mais importantes das cidades. Havia os altares ,os santuários e os templos, destinados ao culto dos imperadores (divinzados após a morte) e aos Deuses; - As construções públicastraduzem o desejo de poder e de grandeza deste povo; -As suas esculturas eram extremamente realistas porque se pretendia gravar a memória real do individuo através destas figuras( tais como a das pessoas falecidas) e também existia o desejo de propagandear e imortalizar os feitos do Imperador e a sua divinização após a morte. - os relevos utilizados na arquitetura tinham como função celebrar os feitos romanos. - a pintura romana pretendia representar o quotidiano e o modo de vida e ser romanos. 9.Refere inovações na construção arquitetónica romana A arquitetura romana seguia de perto o modelo helénico. Adoptou as ordens arquitéctónicas Ordem Dórica Ordem Jónica Ordem Coríntia Ordem compósita Preferência pela ordem Coríntia Criação de uma ordem compósita 6
  • 7. Enquanto os gregos se preocupavam com a harmonia e a proporção, os Romanos privilegiam a grandiosidade e a robustez das construções arquitetónicas.(gigantismo arquitetónico) Inverteram o sentido de proporção Trouxeram novos materiais (tijolo; betão) Introduziram novas técnicas arquitetónicas: Substituição da construção de base trilita Desenvolvimento de novos sistemas de construção baseados nos arcos de volta perfeita, nas cúpulas grandes(aumento do espaço interior) e nas arcadas. Abódabas Desenvolveram novos conhecimentos a nível da topografia, das técnicas de terraplanagem e da cofragem. Aparecem grinaldas e bucranios (crânio de cabeça de boi que muitas vezes adornava a métopa da ordem dórica) como elementos decorativos. CARACTERÍSTICAS DA ARQUITETURA ROMANA: A grandiosidade das construções tem uma intenção propagandística, ou seja, arcos e colunas eram construídos para comemorar os grandes feitos dos imperadores, honrar e louvar os seus deuses, heróis e chefes, divulgando a sua imagem e os seus atos. É uma arquitectura caracterizada pela monumentalidade, não só pelo o espaço que ocupa, mas também pelo seu significado. Isto decorre também da ideia da imortalidade do Império. É uma arquitectura utilitária, prática, funcional, ou seja, de sentido pragmático. Por esta razão e também pela própria estrutura do Estado, aparecem novas construções, com um grande desenvolvimento da arquitectura civil e militar: basílicas, termas, etc. É uma arquitectura dinâmica, resultado da utilização de alguns elementos construtivos como o arco e a abóbada. 10.Caracteriza a arquitetura religiosa romana. A arquitetura religiosa romana manifesta-se em edifícios e construções tais como: os templos, os santuários, o panteão, altares, . Características dos templos: Eram colocados sobre um estrado maçico( o podium) Tinham um caráter frontal, em que a fachada apresentava um pórtico e escadaria de acesso A sua planta era retangular, com uma só cella(sala fechada onde ficava a estátua do Deus. 7
  • 8. Eram orientados no terreno seguindo o eixo axial da cella Características dos santuários: Eram mais grandiosos que os templos e consistiam em recintos abertos para o exterior. Eram construídos como amplos anfiteatros rodeados de arcadas, atrás das quais havia templos, alojamentos e lojas. 11.Relaciona a monumentalidade da arquitetura e do urbanismo romanos com o poder imperial. A arte romana foi influenciada pela grega e pela etrusca. As grandes construções da Grécia deram lugar a grandes construções com fins úteis na Roma Antiga. Assim, as suas principais características são: A monumentalidade e grandeza das construções A solidez e durabilidade O carater funcional das obras Todas as grandes construções romanas estão diretamente ligadas com o poder imperial na medida em que transmitem a ideia de grandeza e imortalidade do Império. 12.Caracteriza a casa romana(tanto na arquitetura como na ornamentação) como espaço de luxo e de bem-estar. Existiam dois tipos de casas. 8
  • 9. Os mais ricos viviam nas domus. • A “domus” romana original foi herdada dos Etruscos. • Tinha apenas um piso, sendo este constituído pelo atrium (pátio) onde se dormia, cozinhava e comia. • Com a evolução económica, os romanos foram acrescentando à casa outras divisões: os cubicula (quartos), o triclinium (sala de jantar), o tablinium (escritório) do paterfamilias, o penus (despensa) e a ara (altar dos antepassados e dos lares) . • A casa romana foi alargada a partir do tablinium, passando a conter também o peristylum (pátio assente sobre colunas), que era ligado ao atrium por um corredor. • Para além deste existiam outras divisões novas como a bibliotheca, a exedra e os balnea. Os mais pobres viviam nas insulae (ínsulas) 9
  • 10. 13.Indica as características formais e temáticas da escultura romana A escultura romana é fortemente influenciada pelos modelos gregos que se empenharam bastante na reprodução das estátuas. Características: Tinha de ser realista e centrar-se na personalidade do indivíduo. Fazia-se frequentemente em forma de busto.(retrato), relevos e estátuas. As estátuas e bustos representavam ao pormenor não só as partes físicas, como também o caracter, a honra, a glória e a psicologia do retratado. O relevo, subordinado à arquitectura, teve, igualmente, fins ornamentais, narrativos e históricos, relatando a História de Roma e a vida dos homens, ocupou todos os espaços em estelas funerárias, sarcófagos , altares, frisos, arcos de triunfo, colunas... De uma forma geral tinham: - uma função religiosa, ou seja, serviam para lembrar os mortos. - Também serviam para representar o Imperador e diviniza-lo para ser, mesmo após a sua morte , admirado e respeitado. - Eram o reflexo do poder imperial e um elemento de unificação de território, pois circulavam por todo o império. Exemplos: Estátua de patrício, 30 a.C Imperador Júlio César 10
  • 11. 14.Indica as características formais e temáticas da pintura romana Mais uma vez recebe influências: Etruscas: pelo realismo e preocupação narrativa Egípcias: no retrato Helenísticas: na técnica de pintura de placas de mármores de diversas cores. Principal interesse: A representação do quotidiano, do modo de vida e ser dos romanos. Áreas temáticas: 1. 2. 3. 4. A pintura triunfal A pintura mitológica A pintura paisagística e de naturezas mortas A pintura de cenas de género e de retrato. Tipos de pintura mais utilizados Pintura mural (nas paredes) Mosaicos Pintura de cavalete Exemplos: 11
  • 12. 16.Compara Roma com a atualidade. Unida pelo mesmo modelo urbano, pela obediência às mesmas leis e à autoridade do imperador, a Europa adquiriu uma feição civilizacional própria, uma marca de latinidade que persistiu até aos nossos dias na medida em que: Mesmo sendo grande, o Império Romano constituiu um mundo politicamente coeso, onde os povos conviviam em paz e respeitavam a autoridade estabelecida. Tal facto deveu-se, em grande parte, à forma hábil como os Romanos souberam administrar as regiões submetidas. Por exemplo, os romanos estabeleceram a República como uma forma de governo democrático que por sinal é também o regime democrático em que vivemos. Além disso a República em Roma tinha tinha três ramificações de alguma forma transportadas para a nossa atualidade: os cônsules, que serviam como juízes e líderes do exército; os senadores, que eram as pessoas mais importantes do Estado, atuando como conselheiros políticos; e a assembleia, composta por membros do exército cuja função era aprovar ou rejeitar leis como "As Doze Tábuas" pois as leis estavam divididas em 12 seções. As leis eram aplicadas a todas as pessoas da mesma forma, pobres ou ricas, e se referiam a propriedade, casamento, família, crime, roubo e herança. Na atualidade Promoveram a vida urbana como centro de poder local e de difusão da sua cultura. O Império revestiu a forma de uma federação de cidades que, apesar de submetidas ao poderio de Roma, dispunham de estruturas administrativas próprias que lhes conferiam uma considerável autonomia. Essa administração ainda é visível nos dias de hoje. Por exemplo, o senado romano é a origem de uma de nossas atuais instituições políticas de representação: a Câmara Municipal. Divinizaram a figura do imperador e, com ela, a autoridade do Estado. Adorado como um deus em todas as regiões do Império, o imperador tornou-se o garante da paz e da prosperidade dos povos, detentor de um poder supremo e incontestado. Organizaram um conjunto de leis notável pelo seu rigor e pela sua grandeza. Os Romanos criaram o Direito, baseado na justiça e na equidade utilizando-o como elemento regulador da paz e da ordem imperiais. Por sua vez, este Direito ainda hoje é estudado como pedra legislativa fundamental e a jurisdição romana é a base dos sistemas que hoje são empregues em grande parte do mundo. Estenderam progressivamente a condição superior da cidadania aos' povos dominados. Participantes dos mesmos direitos e da mesma dignidade dos seus conquistadores, os habitantes do Império deixaram de se sentir súbditos e passaram a olhar-se como verdadeiros romanos. 12
  • 13. A Língua Portuguesa tem origem no Latim, idioma falado pelos antigos habitantes de Roma. Foram responsáveis por inovações técnicas e temáticas, desde a arquitetura à escultura e pintura, depois de ter criado as suas raízes no ideal da arte praticada pelos helenos. Deve-se mesmo mencionar que a arte paleocristã ou as formas de arte dos primeiros cristãos utilizaram temas e estruturas próprias dos gregos e dos romanos, atribuindo-lhes apenas um conteúdo diferente. 13. Roma e a política A unidade política, militar e administrativa do Império o Magistrados – estes exerciam os cargos políticos e administrativos, o mesmo é dizer que lhes competia o governo da República (poder executivo). o Senado – órgão político de grande prestígio, era constituído por antigos magistrados e tinha como funções emitir pareceres sobre as leis (função consultiva), nomear governadores de província e aconselhar os magistrados. 13
  • 14. o Assembleias ou comícios – eram compostas por cidadãos que elegiam os magistrados e aprovavam as leis propostas por estes. . 14
  • 15. Caracteriza a arquitetura religiosa romana 15