SlideShare uma empresa Scribd logo
   Origem
   Definição
   Análise histórica
    ◦ Século XVII
    ◦ Século XVIII
    ◦ Século XIX e XX
   Os estudos na área do empreendedorismo
    mostram que as características do
    empreendedor ou do espírito
    empreendedor, da indústria ou da
    instituição, não é um traço de personalidade.
   O empreendedor tem um novo olhar sobre o
    mundo à medida que presencia a evolução.
   a) iniciativa;

   b) visão;

   c) coragem;

   d) firmeza;

   e) decisão;

   f) atitude de respeito humano;

   g) capacidade de organização e direção.
   Conquista-se a autonomia profissional
    quando se é
    perseverante, determinado, aprendiz, flexível
    e quando se tem:
    ◦   Positividade
    ◦   Organização
    ◦   Criatividade
    ◦   Inovação
    ◦   Foco
   Intuitivo: tenta projetar o futuro, com perspectiva ao médio e do
    longo prazo, imaginando o impacto dessa ação.
   O planejador: situa-se onde está e para onde se deseja ir, com
    planejamento e tendo um processo de
    acompanhamento, adequando à realidade sempre que for
    necessário.
   O perspicaz: diz que além da percepção é necessário
    conhecimento.
   O objetivo: sabe qual o problema a ser resolvido.
   O cobrador: tem certeza das informações, vê a importância de
    medir e corrigir quando o resultado não foi o decidido.
   O mão –na–massa: envolve-se pessoal e diretamente, acredita
    em grupos para estudos multidisciplinares.
   O meticuloso: junta opiniões de
    amigos, especialistas, funcionários, tentando se convencer da
    solução a encontrar.
    O estrategista: decide cumprir sua estratégia de
    crescimento, tendo percepção do que resolver. Diagnostica o
    problema para encontrar a solução e sua resolução com eficácia.
   Aspectos técnicos relacionados a negócios
   Experiência na área comercial
   Escolaridade
   Formação complementar
   Experiência em organizações
   Vivência com situações novas.
   A teoria econômica, também conhecida como
    schumpeteriana, demonstra que os primeiros a
    perceberem a importância do empreendedorismo
    foram os economistas. Estes estavam
    primordialmente interessados em compreender o
    papel do empreendedor e o impacto da sua
    atuação na economia.
   A essência do empreendedorismo está na
    percepção e no aproveitamento das novas
    oportunidades no âmbito dos negócios, sempre
    tem a ver com criar uma nova forma de uso dos
    recursos nacionais, em que eles seja deslocados
    de seu emprego tradicional e sujeitos a novas
    combinações.
   As habilidades requeridas de um empreendedor podem ser
    classificadas em três áreas:

    ◦ Técnicas:

   Envolve saber escrever, ouvir as pessoas e captar
    informações, ser organizado, saber liderar e trabalhar em
    equipe.

    ◦ Gerenciais:

   Incluem as áreas envolvidas na criação e gerenciamento da
    empresa
    (marketing, administração, finanças, operacional, produção, tom
    ada de decisão, planejamento e controle).

    ◦ Características pessoais:
   Desajustado e infeliz, com visão limitada;
   Dificuldade para identificar oportunidades;
   É dependente, no sentido que necessita de alguém para se tornar produtivo;
   Sem criatividade;
   Sem habilidade para transformar conhecimento em riqueza, descuida de outros
    conhecimentos que não sejam voltados à tecnologia do produto ou a sua
    especialidade;
   Dificuldade de auto-aprendizagem, não é auto-suficiente, exige supervisão e
    espera que alguém lhe forneça o caminho;
   Domina somente parte do processo, não busca conhecer o negócio como um
    todo: a cadeia produtiva, a dinâmica dos mercados, a evolução do setor;
   Não se preocupa com o que não existe ou não é feito: tenta
    entender, especializar-se a melhorar somente no que já existe;
   Mais faz do que aprende;
   Não se preocupa em formar sua rede de relações, estabelece baixo nível de
    comunicações;
   Tem medo do erro, não trata como uma aprendizagem;
   Não se preocupa em transformar as necessidades dos clientes em
    produtos/serviços;
   Não sabe ler o ambiente externo: ameaças;
   Não é pró-ativo (expressão que indica iniciativa, vontade própria e espírito
    empreendedor).
Intra-
Características           Gerente                Empreendedor
                                                                         empreendedor
                                                                           Liberdade de ação
                                              Liberdade de ação,
  Motivação                 Poder                                         e recompensa
                                             Auto-motivação
                                                                         Organizacional
                                                  Arregaça as
                        Delega a sua                                           Delega mas
  Atividades                             mangas, Colabora com os
                      autoridade                                             colabora
                                                 outros
                                                                            Empreendedor
                        Administração,             Negócios,
 Competência                                                           com mais habilidade
                        Política            Gerência e Política
                                                                            Política
                        Acontecimentos            Tecnologia e              Dentro e fora da
  Interesses
                  internos da empresa            mercado                empresa, mercado
                                                 Aprendizagem              Erros são evitados,
    Erros                Evitar erros
                                                com erros            mas aprende-se com eles
                         Interage do             Visão e decisão
   Decisões       assunto para depois      própria, Ação versus              Fundamentação
                        delegar                 Discussão
                        Burocracia o            Se o sistema não o           Acomoda-se ou
   Sistema
                       satisfaz           satisfaz, constrói o seu     provoca curto-circuito

   Relações               Hierarquia               Negociação               Hierarquia "amiga"
   Caminho 1 (Auto-conhecimento):
    ◦   Espaço de si estreito (Teoria X) versus. Espaço de si amplo (Teoria Y).

   Caminho 2 (Perfil do empreendedor):
    ◦   Comparação das características do empreendedor e da pessoa.

   Caminho 3 (Aumento da criatividade):
    ◦   Dominar os processos internos para gerar inovação e criatividade.

   Caminho 4 (Processo visionário):
    ◦   Desenvolver uma visão e aprender a identificar oportunidades.

   Caminho 5 (Rede de relações):
    ◦   Estabelecer relações que possam servir de suporte ao desenvolvimento e aprimoramento da
        idéia do negócio e sua sustentação.

   Caminho 6 (Avaliação das condições para iniciar um plano):

   Caminho 7 (Plano de negócio):
    ◦   Metas mensuráveis, flexibilidade no plano, indicadores de evolução, compromisso coletivo,
        revisão de metas, aprender com a experiência.

   Caminho 8 (Capacidade de negociar e apresentar uma idéia):
    ◦   Cooperação entre pessoas, parceiros ou empresas para alcançar objetivos de tal forma que
        todos saiam ganhando.
   Abrir a primeira empresa é como ganhar
    asas!
   As coisas podem ficar melhores
   A arte de ver mais longe e evoluir com erros
   Empreendedores adoram não como resposta
   Plano de negócios (do inglês Business
    Plan), também chamado "plano
    empresarial", é um documento que
    especifica, em linguagem escrita, um negócio
    que se quer iniciar ou que já está iniciado.
   → Determinar e captar os recursos
    necessários → Gerenciar o empreendimento
    criado
   Pode-se resumir os objetivos de um plano de
    negócios nos seguintes itens:
    Testar a viabilidade de um conceito de
    negócio.
   Orientar o desenvolvimento das operações e
    estratégia.
   Atrair recursos financeiros.
   Transmitir credibilidade.
   Desenvolver a equipe de gestão.
   • O plano de negócio orienta o
    empreendedor a iniciar sua atividade
    econômica ou expandir o seu negócio.
    • Contribui para o estabelecimento de uma
    vantagem competitiva, que pode representar
    a sobrevivência da empresa.
   • Relacionar os produtos que serão
    oferecidos ao mercado;
   Capa e sumário
   Sumário executivo
   Planejamento estratégico do negócio
    ◦   Produtos e serviços
    ◦   Análise de mercado
    ◦   Plano de marketing
    ◦   Plano financeiro
    ◦   Anexos
   Características do empreendedor
   1-Números comandam um negócio. Se você não sabe interpretá-los, está realizando uma gestão às
    cegas.

   2-Uma venda não é uma venda até que o cheque compense.

   3-Quando seus passivos em curto prazo são maiores que seus ativos em curto prazo, você está
    falido.

   4-Esqueça dos atalhos. Tocar um negócio é para sempre.

   5-Dinheiro é difícil de ganhar e fácil de gastar. Por isso, tenha certeza que você já o ganhou antes
    de gastá-lo.

   6-Você não tem amigos nos negócios, mas parceiros. Isso não quer dizer que a ética deve ser
    deixada de lado.

   7-Se preocupe mais com suas margens de lucros do que com suas vendas.

   8-Identifique seus concorrentes e trate-os com respeito.

   9-A cultura de uma empresa é o que determina sua longevidade. O trabalho de um chefe é defini-la.

   10-O plano de vida vem sempre antes do plano de negócios.
   Estas qualidades configuram indivíduos com
    diferentes potencialidades ou talentos, de
    maneira que existem sujeitos que estão mais
    habilitados para desempenhar com maior
    possibilidades de êxito em distintas áreas da
    vida, como são as de tipo
    acadêmico, social, emocional, artístico, despo
    rtivo, etc. É importante destacar que
    nenhuma potencialidade ou talento é por si
    superior a outra.
    1. Alto conhecimento de si mesmo e
    Autoconfiança;
   2. Forte motivação para o êxito;
   3. Visão de futuro realista e otimista;
   4. Capacidade de planejamento e
    organização;
   5. Comunicação eficaz e geração de redes de
    contato, apoio.
   O que vem à sua mente quando você pensa sobre
    a criatividade? Alguns pensam em pessoas muito
    especiais e que a criatividade envolve talentos
    extraordinários. Associam criatividade com as
    artes, com a ciência e grandes invenções. Pensam
    em Leonardo da
    Vinci, Mozart, Einstein, Picasso, Santos
    Dumont, Henry Ford e Steve Jobs.
   Muito do que você hoje olha como trivial e
    corriqueiro, já foi considerado uma notável
    invenção na ocasião de sua introdução. Refiro-
    me a invenções simples, mas que se tornaram
    indispensáveis, como a escada, a tesoura, a
    chave de fenda, o lápis, o carrinho de
    supermercado, etc.
   Em primeira instância, salvo melhor juízo, o
    pode-se afirmar que a criatividade
   Gera a invenção que ao somar-se à usabilidade
    gera a inovação. Atualmente, os maiores
    responsáveis em tornar nossos produtos – bens
    e/ou serviços – obsoletos somos nós mesmos.
   Para alguns, nem sempre uma inovação adicional
    compensa os esforços e investimentos
    necessários para implementá-la.Sempre é
    aconselhável estudar o mercado, o segmento
    e/ou nicho de mercado que se pretende atender.
   MEI significa Micro empreendedor
    Individual, que é o empresário individual a
    quem se refere o art. 966 do Código
    Civil, que tenha auferido receita bruta no
    ano-calendário anterior de até R$
    36.000,00, optante pelo Simples Nacional e
    que não esteja impedido de optar pela
    sistemática prevista na norma legal.
   Segundo o artigo 966 do Código Civil, é
    considerado empresário quem exerce
    profissionalmente atividade econômica
    organizada para a produção ou a circulação
    de bens ou de serviços. Porém, não se
    considera empresário quem exerce profissão
    intelectual, de natureza científica, literária ou
    artística, ainda que com o concurso de
    auxiliares ou colaboradores, salvo se o
    exercício da profissão constituir elemento de
    empresa.
   Como vantagens da opção, podemos citar: a)
    exercer os direitos de cidadania; b) ter acesso
    aos benefícios da previdência social, a saber:
    salário maternidade, auxílio doença,
    aposentadoria por invalidez, aposentadoria
    por idade, auxilio doença e pensão por
    morte. Além destas, menciona-se a
    possibilidade de obter linhas de crédito junto
    a instituições financeiras inclusive as
    públicas.
   Lembre-se, considera-se MEI o empresário
    individual, assim sendo, é considerado
    empresário quem exerce profissionalmente
    atividade econômica organizada para a produção
    ou a circulação de bens ou de serviços. Por outro
    lado, não se considera empresário quem exerce
    profissão intelectual, de natureza
    científica, literária ou artística, ainda com o
    concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se
    o exercício da profissão constituir elemento de
    empresa.
   Atividades que se enquadram:

   I – Comércio em geral;

   II – Indústria em geral (poucas exceções);

   III – Serviços de natureza não intelectual sem regulamentação
    legal, como, por exemplo, lavanderia, salão de beleza, lava
    jato, reparação, manutenção, instalação, auto
    escolas, chaveiros, organização de
    festas, encanadores, borracheiros, trabalhos complementares da
    construção civil, tais como a colocação de piso, forro, serviços de
    pintura e revestimentos, e também, digitação, usinagem, solda e
    ,agências de viagem, dentre outros.
   Atividades que não se enquadram:

   I - Construção de imóveis e obras de engenharia em
    geral, inclusive sob a forma de subempreitada, execução de
    projetos e serviços de paisagismo, bem como decoração de
    interiores,

   II - Serviços de natureza intelectual regulamentados por
    lei, como, por exemplo, consultórios médicos e
    odontológicos, empresas de consultoria e instrutoria, escritórios
    de advocacia, serviços de engenharia, arquitetura e
    veterinária, dentre outros.

   III - Conservação, vigilância e limpeza;

   IV - Situações impeditivas previstas na resposta 2.7.
   Não, pois o enquadramento como MEI só é
    admitido para o empresário individual que
    possua um único empregado, que receba
    exclusivamente 1 (um) salário mínimo ou o
    piso salarial da categoria profissional. Mas
    fique atento, pois não existe dispensa de
    registro em carteira do empregado.
    Portanto, não é admitido como MEI aquele
    que possuir mais de um empregado.
   Conforme previsto na lei não poderá optar
    pela sistemática do MEI aquele que participe
    de outra empresa como titular, sócio ou
    administrador
   Nos termos da lei está excluído da opção pela
    sistemática do MEI, aquele que participe de
    outra empresa como titular, sócio ou
    administrador, então, pode-se afirmar que
    não poderá constituir uma sociedade, mesmo
    tendo como sócio a esposa. Em ocorrendo a
    constituição da sociedade, ocorrerá o
    desenquadramento da condição de MEI.
    Não, uma sociedade não poderá exercer a
    opção pelo enquadramento como MEI, pois
    nos termos da lei, é considerado MEI o
    empresário individual, sendo considerado
    empresário quem exerce profissionalmente
    atividade econômica organizada para a
    produção ou a circulação de bens ou de
    serviços.
   Sim, de acordo com a Lei Complementar nº
    128 de 2008 o MEI poderá optar pelo
    recolhimento dos impostos e contribuições
    abrangidos pelo Simples Nacional em valores
    fixos mensais, independentemente da receita
    bruta por ele auferida no mês. Assim, na
    forma da lei considera-se MEI o empresário
    individual que tenha auferido no ano-
    calendário anterior, receita bruta de até R$
    36.000,00 (trinta e seis mil reais), optante
    pelo Simples Nacional.
   Será obrigatória a emissão de documento
    fiscal nas vendas e nas prestações de serviços
    realizadas pelo MEI para destinatário
    cadastrado no Cadastro Nacional de Pessoas
    Jurídicas (CNPJ), ou seja, quando tratar-se de
    pessoa jurídica. Em se tratando de
    consumidor final pessoa física, o MEI ficará
    dispensado da obrigatoriedade desta
    emissão.
   Exercida a opção o MEI recolherá os tributos em valor fixo mensal correspondente
    à soma das seguintes parcelas:

   a) R$ 51,15 (cinqüenta e um reais e quinze centavos), a título da contribuição para
    a previdência social *;

   b) R$ 1,00 (um real), a título do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação
    de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e
    Intermunicipal e de Comunicação - ICMS, caso seja contribuinte; e

   c) R$ 5,00 (cinco reais), a título do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza -
    ISS, caso seja contribuinte.

   *Nota:

   Correspondente a 11% do salário mínimo vigente
   Atente-se que nos termos da legislação
    vigente admite-se o enquadramento como
    MEI do empresário individual que possua um
    único empregado que receba exclusivamente
    1 (um) salário mínimo ou o piso salarial da
    categoria profissional.
   A Lei Complementar nº 128 de 2008 ao
    dispor sobre o MEI, não impede aquele que
    exerceu a opção de prestar serviço para uma
    empresa, porém fique atento, pois neste caso
    é obrigatória a emissão de nota fiscal.
   Importância
   Observações importantes
   A ética do lucro
   Valores éticos
   Código de ética
   Ética Profissional é compromisso social
   Ética Profissional: Quando se inicia esta
    reflexão?
   Algumas perguntas podem guiar a reflexão, até
    ela tornar-se um hábito incorporado ao dia-a-
    dia.
   Tomando-se o exemplo anterior, esta pessoa
    pode se perguntar sobre os deveres assumidos
    ao aceitar o trabalho como auxiliar de
    almoxarifado, como está cumprindo suas
    responsabilidades, o que esperam dela na
    atividade, o que ela deve fazer, e como deve
    fazer, mesmo quando não há outra pessoa
    olhando ou conferindo.
   O varredor de rua que se preocupa em limpar o canal de
    escoamento de água da chuva, o auxiliar de almoxarifado que
    verifica se não há umidade no local destinado para colocar
    caixas de alimentos, o médico cirurgião que confere as suturas
    nos tecidos internos antes de completar a cirurgia, a atendente
    do asilo que se preocupa com a limpeza de uma senhora idosa
    após ir ao banheiro, o contador que impede uma fraude ou
    desfalque, ou que não maquia o balanço de uma empresa, o
    engenheiro que utiliza o material mais indicado para a
    construção de uma ponte, todos estão agindo de forma
    eticamente correta em suas profissões, ao fazerem o que não é
    visto, ao fazerem aquilo que, alguém descobrindo, não saberá
    quem fez, mas que estão preocupados, mais do que com os
    deveres profissionais, com as PESSOAS.
    Outro conceito interessante de examinar é o
    de Profissional, como aquele que é
    regularmente remunerado pelo trabalho que
    executa ou atividade que exerce, em
    oposição a Amador. Nesta conceituação, se
    diria que aquele que exerce atividade
    voluntária não seria profissional, e esta é uma
    conceituação polêmica.
    É imprescindível estar sempre bem
    informado, acompanhando não apenas as
    mudanças nos conhecimentos técnicos da
    sua área profissional, mas também nos
    aspectos legais e normativos. Vá e busque o
    conhecimento. Muitos processos ético-
    disciplinares nos conselhos profissionais
    acontecem por
    desconhecimento, negligência.
   Parece ser uma tendência do ser humano, como tem
    sido objeto de referências de muitos estudiosos, a de
    defender, em primeiro lugar, seus interesses próprios
    e, quando esses interesses são de natureza pouco
    recomendável, ocorrem seríssimos problemas.
   O valor ético do esforço humano é variável em função
    de seu alcance em face da comunidade. Se o trabalho
    executado é só para auferir renda, em geral, tem seu
    valor restrito. Por outro lado, nos serviços realizados
    com amor, visando ao benefício de terceiros, dentro
    de vasto raio de ação, com consciência do bem
    comum, passa a existir a expressão social do mesmo.
   Egresso de uma vida inculta, desorganizada, baseada
    apenas em instintos, o homem, sobre a Terra, foi-se
    organizando, na busca de maior estabilidade vital. Foi
    cedendo parcelas do referido individualismo para se
    beneficiar da união, da divisão do trabalho, da
    proteção da vida em comum.
   A organização social foi um progresso, como
    continua a ser a evolução da mesma, na
    definição, cada vez maior, das funções dos cidadãos
    e tal definição acentua, gradativamente, o limite de
    ação das classes.
   Uma classe profissional caracteriza-se pela
    homogeneidade do trabalho executado, pela
    natureza do conhecimento exigido preferencialmente
    para tal execução e pela identidade de habilitação
    para o exercício da mesma. A classe profissional
    é, pois, um grupo dentro da
    sociedade, específico, definido por sua especialidade
    de desempenho de tarefa.
   A questão, pois, dos grupamentos específicos, sem
    dúvida, decorre de uma especialização, motivada por
    seleção natural ou habilidade própria, e hoje se
    constitui em inequívoca força dentro das sociedades.
   É algo que fortalece a auto-estima de cada
    pessoa. Só pessoas que tenham auto-estima
    e um sentimento de poder próprio são
    capazes de assumir responsabilidade. Elas
    sentem um sentido na vida, alcançando
    metas sobre as quais concordam previamente
    e pelas quais assumiram responsabilidade
    real, de maneira consciente.
   Honestidade:
   Sigilo:
   Competência:
   Prudência:
   Coragem:
   Perseverança:
   Compreensão:
   Humildade:
   Imparcialidade:
   Otimismo:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
Nome Sobrenome
 
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVOComo elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Roberto Felipe
 
Passo a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresaPasso a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresa
Guilherme Carvalho
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
Avanti! Comunicação
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Eduardo Maróstica
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de Trabalho
Nyedson Barbosa
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Luis Paulo Barros
 
Plano de Carreira
Plano de CarreiraPlano de Carreira
Plano de Carreira
Camila Falcão
 
Aula empreendedorismo
Aula empreendedorismoAula empreendedorismo
Aula empreendedorismo
José Marques Pereira Junior
 
Tipos de Empresas
Tipos de Empresas Tipos de Empresas
Comportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura ProfissionalComportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura Profissional
Wandick Rocha de Aquino
 
Planejamento de carreira, para jovens
Planejamento de carreira, para jovensPlanejamento de carreira, para jovens
Planejamento de carreira, para jovens
Jorge Covacs
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controle
Rodrigo Ribeiro
 
Trabalho em equipe e ética no trabalho
Trabalho em equipe e ética no trabalhoTrabalho em equipe e ética no trabalho
Trabalho em equipe e ética no trabalho
Leonardo Melo Santos
 
Mercado de trabalho
Mercado de trabalhoMercado de trabalho
Mercado de trabalho
LucianoMadeira
 
Empreendedorismo e o empreendedor
Empreendedorismo e o empreendedorEmpreendedorismo e o empreendedor
Empreendedorismo e o empreendedor
Felipe Pereira
 
Palestra motivacional
Palestra motivacional Palestra motivacional
Palestra motivacional
Bruno Crescente
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
Rosario Cação
 
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em EquipeÉtica Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
Vadeilza Castilho
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
Fatima Silva
 

Mais procurados (20)

Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVOComo elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
 
Passo a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresaPasso a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresa
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de Trabalho
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
 
Plano de Carreira
Plano de CarreiraPlano de Carreira
Plano de Carreira
 
Aula empreendedorismo
Aula empreendedorismoAula empreendedorismo
Aula empreendedorismo
 
Tipos de Empresas
Tipos de Empresas Tipos de Empresas
Tipos de Empresas
 
Comportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura ProfissionalComportamento e Postura Profissional
Comportamento e Postura Profissional
 
Planejamento de carreira, para jovens
Planejamento de carreira, para jovensPlanejamento de carreira, para jovens
Planejamento de carreira, para jovens
 
Planejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controlePlanejamento, organização, direcao e controle
Planejamento, organização, direcao e controle
 
Trabalho em equipe e ética no trabalho
Trabalho em equipe e ética no trabalhoTrabalho em equipe e ética no trabalho
Trabalho em equipe e ética no trabalho
 
Mercado de trabalho
Mercado de trabalhoMercado de trabalho
Mercado de trabalho
 
Empreendedorismo e o empreendedor
Empreendedorismo e o empreendedorEmpreendedorismo e o empreendedor
Empreendedorismo e o empreendedor
 
Palestra motivacional
Palestra motivacional Palestra motivacional
Palestra motivacional
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em EquipeÉtica Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
 

Destaque

Ser Ético
Ser ÉticoSer Ético
Ser Ético
Maria Santos
 
Empreendedorismo aula 1
Empreendedorismo   aula 1Empreendedorismo   aula 1
Empreendedorismo aula 1
Itamar Pereira
 
Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2
siqueiralc
 
Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
Danilo Pires
 
Apostila de marketing digital
Apostila de marketing digitalApostila de marketing digital
Apostila de marketing digital
IndicaCursos
 
Aula 1 empreendedorismo - conceitos iniciais
Aula 1   empreendedorismo - conceitos iniciaisAula 1   empreendedorismo - conceitos iniciais
Aula 1 empreendedorismo - conceitos iniciais
Fátima Azevedo
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
NJS Consultoria
 
EMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMOEMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMO
mat_empreendedora
 
ETICA
ETICAETICA
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
cattonia
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
O celular como meio de Comunicação Publicitária
O celular como meio de Comunicação PublicitáriaO celular como meio de Comunicação Publicitária
O celular como meio de Comunicação Publicitária
Jeanine Antunes
 
Marketing Na Internet 9525
Marketing Na Internet 9525Marketing Na Internet 9525
Marketing Na Internet 9525
taniamaciel
 
Ética e choque cultural na empresa
Ética e choque cultural na empresaÉtica e choque cultural na empresa
Ética e choque cultural na empresa
Flavio Farah
 
Aula 02 empreendedorismo
Aula 02 empreendedorismoAula 02 empreendedorismo
Aula 02 empreendedorismo
Homero Alves de Lima
 
Curriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologias
Curriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologiasCurriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologias
Curriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologias
Luciana Souza
 
Empreendedorismo e Liderança
Empreendedorismo e LiderançaEmpreendedorismo e Liderança
Empreendedorismo e Liderança
SindiVarejista
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
temas de redação para vestibular
temas  de redação para vestibular temas  de redação para vestibular
temas de redação para vestibular
ismaelbass
 
Aula 1 opt - estudo de caso 2
Aula 1   opt - estudo de caso 2Aula 1   opt - estudo de caso 2
Aula 1 opt - estudo de caso 2
Luciana C. L. Silva
 

Destaque (20)

Ser Ético
Ser ÉticoSer Ético
Ser Ético
 
Empreendedorismo aula 1
Empreendedorismo   aula 1Empreendedorismo   aula 1
Empreendedorismo aula 1
 
Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2
 
Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
 
Apostila de marketing digital
Apostila de marketing digitalApostila de marketing digital
Apostila de marketing digital
 
Aula 1 empreendedorismo - conceitos iniciais
Aula 1   empreendedorismo - conceitos iniciaisAula 1   empreendedorismo - conceitos iniciais
Aula 1 empreendedorismo - conceitos iniciais
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
 
EMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMOEMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMO
 
ETICA
ETICAETICA
ETICA
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
O celular como meio de Comunicação Publicitária
O celular como meio de Comunicação PublicitáriaO celular como meio de Comunicação Publicitária
O celular como meio de Comunicação Publicitária
 
Marketing Na Internet 9525
Marketing Na Internet 9525Marketing Na Internet 9525
Marketing Na Internet 9525
 
Ética e choque cultural na empresa
Ética e choque cultural na empresaÉtica e choque cultural na empresa
Ética e choque cultural na empresa
 
Aula 02 empreendedorismo
Aula 02 empreendedorismoAula 02 empreendedorismo
Aula 02 empreendedorismo
 
Curriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologias
Curriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologiasCurriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologias
Curriculo do estado de sp linguagens e códigos e suas tecnologias
 
Empreendedorismo e Liderança
Empreendedorismo e LiderançaEmpreendedorismo e Liderança
Empreendedorismo e Liderança
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013
 
temas de redação para vestibular
temas  de redação para vestibular temas  de redação para vestibular
temas de redação para vestibular
 
Aula 1 opt - estudo de caso 2
Aula 1   opt - estudo de caso 2Aula 1   opt - estudo de caso 2
Aula 1 opt - estudo de caso 2
 

Semelhante a Empreendedorismo e ética profissional

Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01
Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01
Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01
Carlos Reutymann
 
EMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMO
MrcioDnis
 
3ª Unidade Perfil do empreendedor
3ª Unidade Perfil do empreendedor3ª Unidade Perfil do empreendedor
3ª Unidade Perfil do empreendedor
Cleiton Cunha
 
1a. aula
1a. aula1a. aula
1a. aula
Nilton Goulart
 
Empreendedorismo 2012_01
Empreendedorismo 2012_01Empreendedorismo 2012_01
Empreendedorismo 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
1a. aula
1a. aula1a. aula
1a. aula
Nilton Goulart
 
Empreendedorismo Corporativo - Modelo de implantação
Empreendedorismo Corporativo - Modelo de implantaçãoEmpreendedorismo Corporativo - Modelo de implantação
Empreendedorismo Corporativo - Modelo de implantação
josedornelas
 
Gestão Empreendedora (22/09/2013)
Gestão Empreendedora (22/09/2013)Gestão Empreendedora (22/09/2013)
Gestão Empreendedora (22/09/2013)
Alessandro Almeida
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
Felipe Pereira
 
Comp Empreendedoras Comp Empreendedorass
Comp Empreendedoras Comp EmpreendedorassComp Empreendedoras Comp Empreendedorass
Comp Empreendedoras Comp Empreendedorass
Nadsongeohistory1
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
Homero Alves de Lima
 
O que é Empreendedorismo
O que é EmpreendedorismoO que é Empreendedorismo
O que é Empreendedorismo
Jigdalias Rodrigues
 
Intraempreendedorismo: Inovação e Benefícios
Intraempreendedorismo: Inovação e BenefíciosIntraempreendedorismo: Inovação e Benefícios
Intraempreendedorismo: Inovação e Benefícios
Reginaldo Dal`Bó
 
Empreenda com Sucesso
Empreenda com SucessoEmpreenda com Sucesso
Empreenda com Sucesso
Liberty Ensino
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
Marcelo Bastos
 
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307
falecomivo4561
 
Dicas autodesenvolvimento
Dicas autodesenvolvimentoDicas autodesenvolvimento
Dicas autodesenvolvimento
Monique Forte
 
eBook - Sou uma Startup, e agora?
eBook - Sou uma Startup, e agora?eBook - Sou uma Startup, e agora?
eBook - Sou uma Startup, e agora?
NewAgent
 
Artigo administrção
Artigo administrçãoArtigo administrção
Artigo administrção
cefaprodematupa
 
Empreendedorismo
Empreendedorismo Empreendedorismo
Empreendedorismo
Odecilia
 

Semelhante a Empreendedorismo e ética profissional (20)

Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01
Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01
Empreendedorismoeticaprofissional 120509102013-phpapp01
 
EMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO
EMPREENDEDORISMO
 
3ª Unidade Perfil do empreendedor
3ª Unidade Perfil do empreendedor3ª Unidade Perfil do empreendedor
3ª Unidade Perfil do empreendedor
 
1a. aula
1a. aula1a. aula
1a. aula
 
Empreendedorismo 2012_01
Empreendedorismo 2012_01Empreendedorismo 2012_01
Empreendedorismo 2012_01
 
1a. aula
1a. aula1a. aula
1a. aula
 
Empreendedorismo Corporativo - Modelo de implantação
Empreendedorismo Corporativo - Modelo de implantaçãoEmpreendedorismo Corporativo - Modelo de implantação
Empreendedorismo Corporativo - Modelo de implantação
 
Gestão Empreendedora (22/09/2013)
Gestão Empreendedora (22/09/2013)Gestão Empreendedora (22/09/2013)
Gestão Empreendedora (22/09/2013)
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
Comp Empreendedoras Comp Empreendedorass
Comp Empreendedoras Comp EmpreendedorassComp Empreendedoras Comp Empreendedorass
Comp Empreendedoras Comp Empreendedorass
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
 
O que é Empreendedorismo
O que é EmpreendedorismoO que é Empreendedorismo
O que é Empreendedorismo
 
Intraempreendedorismo: Inovação e Benefícios
Intraempreendedorismo: Inovação e BenefíciosIntraempreendedorismo: Inovação e Benefícios
Intraempreendedorismo: Inovação e Benefícios
 
Empreenda com Sucesso
Empreenda com SucessoEmpreenda com Sucesso
Empreenda com Sucesso
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307
EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO-160809142307
 
Dicas autodesenvolvimento
Dicas autodesenvolvimentoDicas autodesenvolvimento
Dicas autodesenvolvimento
 
eBook - Sou uma Startup, e agora?
eBook - Sou uma Startup, e agora?eBook - Sou uma Startup, e agora?
eBook - Sou uma Startup, e agora?
 
Artigo administrção
Artigo administrçãoArtigo administrção
Artigo administrção
 
Empreendedorismo
Empreendedorismo Empreendedorismo
Empreendedorismo
 

Mais de Denis Carlos Sodré

Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
Denis Carlos Sodré
 
Administração da empresa moderna
Administração da  empresa modernaAdministração da  empresa moderna
Administração da empresa moderna
Denis Carlos Sodré
 
Introdução a logística
Introdução a logísticaIntrodução a logística
Introdução a logística
Denis Carlos Sodré
 
O que vestir em seu trekking
O que vestir em seu trekkingO que vestir em seu trekking
O que vestir em seu trekking
Denis Carlos Sodré
 
Primeiros passos para fazer Trekking
Primeiros passos para fazer TrekkingPrimeiros passos para fazer Trekking
Primeiros passos para fazer Trekking
Denis Carlos Sodré
 
Segurança no Rappel
Segurança no RappelSegurança no Rappel
Segurança no Rappel
Denis Carlos Sodré
 
O que é Rafting?
O que é Rafting?O que é Rafting?
O que é Rafting?
Denis Carlos Sodré
 
O que é Trekking?
O que é Trekking?O que é Trekking?
O que é Trekking?
Denis Carlos Sodré
 
O que é rapel?
O que é rapel?O que é rapel?
O que é rapel?
Denis Carlos Sodré
 
Primeiros socorros em Esportes de Aventura
Primeiros socorros em Esportes de AventuraPrimeiros socorros em Esportes de Aventura
Primeiros socorros em Esportes de Aventura
Denis Carlos Sodré
 
O que é trekking
O que é trekkingO que é trekking
O que é trekking
Denis Carlos Sodré
 
O que é rapel?
O que é rapel?O que é rapel?
O que é rapel?
Denis Carlos Sodré
 
Custos logísticos
Custos logísticosCustos logísticos
Custos logísticos
Denis Carlos Sodré
 
Logistica empresarial
Logistica empresarialLogistica empresarial
Logistica empresarial
Denis Carlos Sodré
 
Gestão de compras e seguros
Gestão de compras e segurosGestão de compras e seguros
Gestão de compras e seguros
Denis Carlos Sodré
 
Administração de materiais
Administração de materiaisAdministração de materiais
Administração de materiais
Denis Carlos Sodré
 
Adm da produção e gestão da qualidade
Adm da produção e gestão da qualidadeAdm da produção e gestão da qualidade
Adm da produção e gestão da qualidade
Denis Carlos Sodré
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
Denis Carlos Sodré
 
Gestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentáriaGestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentária
Denis Carlos Sodré
 
Gestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégicoGestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégico
Denis Carlos Sodré
 

Mais de Denis Carlos Sodré (20)

Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
 
Administração da empresa moderna
Administração da  empresa modernaAdministração da  empresa moderna
Administração da empresa moderna
 
Introdução a logística
Introdução a logísticaIntrodução a logística
Introdução a logística
 
O que vestir em seu trekking
O que vestir em seu trekkingO que vestir em seu trekking
O que vestir em seu trekking
 
Primeiros passos para fazer Trekking
Primeiros passos para fazer TrekkingPrimeiros passos para fazer Trekking
Primeiros passos para fazer Trekking
 
Segurança no Rappel
Segurança no RappelSegurança no Rappel
Segurança no Rappel
 
O que é Rafting?
O que é Rafting?O que é Rafting?
O que é Rafting?
 
O que é Trekking?
O que é Trekking?O que é Trekking?
O que é Trekking?
 
O que é rapel?
O que é rapel?O que é rapel?
O que é rapel?
 
Primeiros socorros em Esportes de Aventura
Primeiros socorros em Esportes de AventuraPrimeiros socorros em Esportes de Aventura
Primeiros socorros em Esportes de Aventura
 
O que é trekking
O que é trekkingO que é trekking
O que é trekking
 
O que é rapel?
O que é rapel?O que é rapel?
O que é rapel?
 
Custos logísticos
Custos logísticosCustos logísticos
Custos logísticos
 
Logistica empresarial
Logistica empresarialLogistica empresarial
Logistica empresarial
 
Gestão de compras e seguros
Gestão de compras e segurosGestão de compras e seguros
Gestão de compras e seguros
 
Administração de materiais
Administração de materiaisAdministração de materiais
Administração de materiais
 
Adm da produção e gestão da qualidade
Adm da produção e gestão da qualidadeAdm da produção e gestão da qualidade
Adm da produção e gestão da qualidade
 
Teoria geral da administração
Teoria geral da administraçãoTeoria geral da administração
Teoria geral da administração
 
Gestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentáriaGestão fiscal e orçamentária
Gestão fiscal e orçamentária
 
Gestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégicoGestão do planejamento estratégico
Gestão do planejamento estratégico
 

Último

497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Empreendedorismo e ética profissional

  • 1.
  • 2. Origem  Definição  Análise histórica ◦ Século XVII ◦ Século XVIII ◦ Século XIX e XX
  • 3. Os estudos na área do empreendedorismo mostram que as características do empreendedor ou do espírito empreendedor, da indústria ou da instituição, não é um traço de personalidade.  O empreendedor tem um novo olhar sobre o mundo à medida que presencia a evolução.
  • 4. a) iniciativa;  b) visão;  c) coragem;  d) firmeza;  e) decisão;  f) atitude de respeito humano;  g) capacidade de organização e direção.
  • 5. Conquista-se a autonomia profissional quando se é perseverante, determinado, aprendiz, flexível e quando se tem: ◦ Positividade ◦ Organização ◦ Criatividade ◦ Inovação ◦ Foco
  • 6. Intuitivo: tenta projetar o futuro, com perspectiva ao médio e do longo prazo, imaginando o impacto dessa ação.  O planejador: situa-se onde está e para onde se deseja ir, com planejamento e tendo um processo de acompanhamento, adequando à realidade sempre que for necessário.  O perspicaz: diz que além da percepção é necessário conhecimento.  O objetivo: sabe qual o problema a ser resolvido.  O cobrador: tem certeza das informações, vê a importância de medir e corrigir quando o resultado não foi o decidido.  O mão –na–massa: envolve-se pessoal e diretamente, acredita em grupos para estudos multidisciplinares.  O meticuloso: junta opiniões de amigos, especialistas, funcionários, tentando se convencer da solução a encontrar.  O estrategista: decide cumprir sua estratégia de crescimento, tendo percepção do que resolver. Diagnostica o problema para encontrar a solução e sua resolução com eficácia.
  • 7. Aspectos técnicos relacionados a negócios  Experiência na área comercial  Escolaridade  Formação complementar  Experiência em organizações  Vivência com situações novas.
  • 8. A teoria econômica, também conhecida como schumpeteriana, demonstra que os primeiros a perceberem a importância do empreendedorismo foram os economistas. Estes estavam primordialmente interessados em compreender o papel do empreendedor e o impacto da sua atuação na economia.  A essência do empreendedorismo está na percepção e no aproveitamento das novas oportunidades no âmbito dos negócios, sempre tem a ver com criar uma nova forma de uso dos recursos nacionais, em que eles seja deslocados de seu emprego tradicional e sujeitos a novas combinações.
  • 9. As habilidades requeridas de um empreendedor podem ser classificadas em três áreas: ◦ Técnicas:  Envolve saber escrever, ouvir as pessoas e captar informações, ser organizado, saber liderar e trabalhar em equipe. ◦ Gerenciais:  Incluem as áreas envolvidas na criação e gerenciamento da empresa (marketing, administração, finanças, operacional, produção, tom ada de decisão, planejamento e controle). ◦ Características pessoais:
  • 10. Desajustado e infeliz, com visão limitada;  Dificuldade para identificar oportunidades;  É dependente, no sentido que necessita de alguém para se tornar produtivo;  Sem criatividade;  Sem habilidade para transformar conhecimento em riqueza, descuida de outros conhecimentos que não sejam voltados à tecnologia do produto ou a sua especialidade;  Dificuldade de auto-aprendizagem, não é auto-suficiente, exige supervisão e espera que alguém lhe forneça o caminho;  Domina somente parte do processo, não busca conhecer o negócio como um todo: a cadeia produtiva, a dinâmica dos mercados, a evolução do setor;  Não se preocupa com o que não existe ou não é feito: tenta entender, especializar-se a melhorar somente no que já existe;  Mais faz do que aprende;  Não se preocupa em formar sua rede de relações, estabelece baixo nível de comunicações;  Tem medo do erro, não trata como uma aprendizagem;  Não se preocupa em transformar as necessidades dos clientes em produtos/serviços;  Não sabe ler o ambiente externo: ameaças;  Não é pró-ativo (expressão que indica iniciativa, vontade própria e espírito empreendedor).
  • 11. Intra- Características Gerente Empreendedor empreendedor Liberdade de ação Liberdade de ação, Motivação Poder e recompensa Auto-motivação Organizacional Arregaça as Delega a sua Delega mas Atividades mangas, Colabora com os autoridade colabora outros Empreendedor Administração, Negócios, Competência com mais habilidade Política Gerência e Política Política Acontecimentos Tecnologia e Dentro e fora da Interesses internos da empresa mercado empresa, mercado Aprendizagem Erros são evitados, Erros Evitar erros com erros mas aprende-se com eles Interage do Visão e decisão Decisões assunto para depois própria, Ação versus Fundamentação delegar Discussão Burocracia o Se o sistema não o Acomoda-se ou Sistema satisfaz satisfaz, constrói o seu provoca curto-circuito Relações Hierarquia Negociação Hierarquia "amiga"
  • 12. Caminho 1 (Auto-conhecimento): ◦ Espaço de si estreito (Teoria X) versus. Espaço de si amplo (Teoria Y).  Caminho 2 (Perfil do empreendedor): ◦ Comparação das características do empreendedor e da pessoa.  Caminho 3 (Aumento da criatividade): ◦ Dominar os processos internos para gerar inovação e criatividade.  Caminho 4 (Processo visionário): ◦ Desenvolver uma visão e aprender a identificar oportunidades.  Caminho 5 (Rede de relações): ◦ Estabelecer relações que possam servir de suporte ao desenvolvimento e aprimoramento da idéia do negócio e sua sustentação.  Caminho 6 (Avaliação das condições para iniciar um plano):  Caminho 7 (Plano de negócio): ◦ Metas mensuráveis, flexibilidade no plano, indicadores de evolução, compromisso coletivo, revisão de metas, aprender com a experiência.  Caminho 8 (Capacidade de negociar e apresentar uma idéia): ◦ Cooperação entre pessoas, parceiros ou empresas para alcançar objetivos de tal forma que todos saiam ganhando.
  • 13. Abrir a primeira empresa é como ganhar asas!  As coisas podem ficar melhores  A arte de ver mais longe e evoluir com erros  Empreendedores adoram não como resposta
  • 14. Plano de negócios (do inglês Business Plan), também chamado "plano empresarial", é um documento que especifica, em linguagem escrita, um negócio que se quer iniciar ou que já está iniciado.  → Determinar e captar os recursos necessários → Gerenciar o empreendimento criado
  • 15. Pode-se resumir os objetivos de um plano de negócios nos seguintes itens:  Testar a viabilidade de um conceito de negócio.  Orientar o desenvolvimento das operações e estratégia.  Atrair recursos financeiros.  Transmitir credibilidade.  Desenvolver a equipe de gestão.
  • 16. • O plano de negócio orienta o empreendedor a iniciar sua atividade econômica ou expandir o seu negócio.  • Contribui para o estabelecimento de uma vantagem competitiva, que pode representar a sobrevivência da empresa.  • Relacionar os produtos que serão oferecidos ao mercado;
  • 17. Capa e sumário  Sumário executivo  Planejamento estratégico do negócio ◦ Produtos e serviços ◦ Análise de mercado ◦ Plano de marketing ◦ Plano financeiro ◦ Anexos  Características do empreendedor
  • 18. 1-Números comandam um negócio. Se você não sabe interpretá-los, está realizando uma gestão às cegas.  2-Uma venda não é uma venda até que o cheque compense.  3-Quando seus passivos em curto prazo são maiores que seus ativos em curto prazo, você está falido.  4-Esqueça dos atalhos. Tocar um negócio é para sempre.  5-Dinheiro é difícil de ganhar e fácil de gastar. Por isso, tenha certeza que você já o ganhou antes de gastá-lo.  6-Você não tem amigos nos negócios, mas parceiros. Isso não quer dizer que a ética deve ser deixada de lado.  7-Se preocupe mais com suas margens de lucros do que com suas vendas.  8-Identifique seus concorrentes e trate-os com respeito.  9-A cultura de uma empresa é o que determina sua longevidade. O trabalho de um chefe é defini-la.  10-O plano de vida vem sempre antes do plano de negócios.
  • 19. Estas qualidades configuram indivíduos com diferentes potencialidades ou talentos, de maneira que existem sujeitos que estão mais habilitados para desempenhar com maior possibilidades de êxito em distintas áreas da vida, como são as de tipo acadêmico, social, emocional, artístico, despo rtivo, etc. É importante destacar que nenhuma potencialidade ou talento é por si superior a outra.
  • 20. 1. Alto conhecimento de si mesmo e Autoconfiança;  2. Forte motivação para o êxito;  3. Visão de futuro realista e otimista;  4. Capacidade de planejamento e organização;  5. Comunicação eficaz e geração de redes de contato, apoio.
  • 21. O que vem à sua mente quando você pensa sobre a criatividade? Alguns pensam em pessoas muito especiais e que a criatividade envolve talentos extraordinários. Associam criatividade com as artes, com a ciência e grandes invenções. Pensam em Leonardo da Vinci, Mozart, Einstein, Picasso, Santos Dumont, Henry Ford e Steve Jobs.  Muito do que você hoje olha como trivial e corriqueiro, já foi considerado uma notável invenção na ocasião de sua introdução. Refiro- me a invenções simples, mas que se tornaram indispensáveis, como a escada, a tesoura, a chave de fenda, o lápis, o carrinho de supermercado, etc.
  • 22. Em primeira instância, salvo melhor juízo, o pode-se afirmar que a criatividade  Gera a invenção que ao somar-se à usabilidade gera a inovação. Atualmente, os maiores responsáveis em tornar nossos produtos – bens e/ou serviços – obsoletos somos nós mesmos.  Para alguns, nem sempre uma inovação adicional compensa os esforços e investimentos necessários para implementá-la.Sempre é aconselhável estudar o mercado, o segmento e/ou nicho de mercado que se pretende atender.
  • 23. MEI significa Micro empreendedor Individual, que é o empresário individual a quem se refere o art. 966 do Código Civil, que tenha auferido receita bruta no ano-calendário anterior de até R$ 36.000,00, optante pelo Simples Nacional e que não esteja impedido de optar pela sistemática prevista na norma legal.
  • 24. Segundo o artigo 966 do Código Civil, é considerado empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços. Porém, não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda que com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.
  • 25. Como vantagens da opção, podemos citar: a) exercer os direitos de cidadania; b) ter acesso aos benefícios da previdência social, a saber: salário maternidade, auxílio doença, aposentadoria por invalidez, aposentadoria por idade, auxilio doença e pensão por morte. Além destas, menciona-se a possibilidade de obter linhas de crédito junto a instituições financeiras inclusive as públicas.
  • 26. Lembre-se, considera-se MEI o empresário individual, assim sendo, é considerado empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços. Por outro lado, não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.
  • 27. Atividades que se enquadram:  I – Comércio em geral;  II – Indústria em geral (poucas exceções);  III – Serviços de natureza não intelectual sem regulamentação legal, como, por exemplo, lavanderia, salão de beleza, lava jato, reparação, manutenção, instalação, auto escolas, chaveiros, organização de festas, encanadores, borracheiros, trabalhos complementares da construção civil, tais como a colocação de piso, forro, serviços de pintura e revestimentos, e também, digitação, usinagem, solda e ,agências de viagem, dentre outros.
  • 28. Atividades que não se enquadram:  I - Construção de imóveis e obras de engenharia em geral, inclusive sob a forma de subempreitada, execução de projetos e serviços de paisagismo, bem como decoração de interiores,  II - Serviços de natureza intelectual regulamentados por lei, como, por exemplo, consultórios médicos e odontológicos, empresas de consultoria e instrutoria, escritórios de advocacia, serviços de engenharia, arquitetura e veterinária, dentre outros.  III - Conservação, vigilância e limpeza;  IV - Situações impeditivas previstas na resposta 2.7.
  • 29. Não, pois o enquadramento como MEI só é admitido para o empresário individual que possua um único empregado, que receba exclusivamente 1 (um) salário mínimo ou o piso salarial da categoria profissional. Mas fique atento, pois não existe dispensa de registro em carteira do empregado. Portanto, não é admitido como MEI aquele que possuir mais de um empregado.
  • 30. Conforme previsto na lei não poderá optar pela sistemática do MEI aquele que participe de outra empresa como titular, sócio ou administrador
  • 31. Nos termos da lei está excluído da opção pela sistemática do MEI, aquele que participe de outra empresa como titular, sócio ou administrador, então, pode-se afirmar que não poderá constituir uma sociedade, mesmo tendo como sócio a esposa. Em ocorrendo a constituição da sociedade, ocorrerá o desenquadramento da condição de MEI.
  • 32. Não, uma sociedade não poderá exercer a opção pelo enquadramento como MEI, pois nos termos da lei, é considerado MEI o empresário individual, sendo considerado empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços.
  • 33. Sim, de acordo com a Lei Complementar nº 128 de 2008 o MEI poderá optar pelo recolhimento dos impostos e contribuições abrangidos pelo Simples Nacional em valores fixos mensais, independentemente da receita bruta por ele auferida no mês. Assim, na forma da lei considera-se MEI o empresário individual que tenha auferido no ano- calendário anterior, receita bruta de até R$ 36.000,00 (trinta e seis mil reais), optante pelo Simples Nacional.
  • 34. Será obrigatória a emissão de documento fiscal nas vendas e nas prestações de serviços realizadas pelo MEI para destinatário cadastrado no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), ou seja, quando tratar-se de pessoa jurídica. Em se tratando de consumidor final pessoa física, o MEI ficará dispensado da obrigatoriedade desta emissão.
  • 35. Exercida a opção o MEI recolherá os tributos em valor fixo mensal correspondente à soma das seguintes parcelas:  a) R$ 51,15 (cinqüenta e um reais e quinze centavos), a título da contribuição para a previdência social *;  b) R$ 1,00 (um real), a título do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação - ICMS, caso seja contribuinte; e  c) R$ 5,00 (cinco reais), a título do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS, caso seja contribuinte.  *Nota:  Correspondente a 11% do salário mínimo vigente
  • 36. Atente-se que nos termos da legislação vigente admite-se o enquadramento como MEI do empresário individual que possua um único empregado que receba exclusivamente 1 (um) salário mínimo ou o piso salarial da categoria profissional.
  • 37. A Lei Complementar nº 128 de 2008 ao dispor sobre o MEI, não impede aquele que exerceu a opção de prestar serviço para uma empresa, porém fique atento, pois neste caso é obrigatória a emissão de nota fiscal.
  • 38. Importância  Observações importantes  A ética do lucro  Valores éticos  Código de ética  Ética Profissional é compromisso social  Ética Profissional: Quando se inicia esta reflexão?
  • 39. Algumas perguntas podem guiar a reflexão, até ela tornar-se um hábito incorporado ao dia-a- dia.  Tomando-se o exemplo anterior, esta pessoa pode se perguntar sobre os deveres assumidos ao aceitar o trabalho como auxiliar de almoxarifado, como está cumprindo suas responsabilidades, o que esperam dela na atividade, o que ela deve fazer, e como deve fazer, mesmo quando não há outra pessoa olhando ou conferindo.
  • 40. O varredor de rua que se preocupa em limpar o canal de escoamento de água da chuva, o auxiliar de almoxarifado que verifica se não há umidade no local destinado para colocar caixas de alimentos, o médico cirurgião que confere as suturas nos tecidos internos antes de completar a cirurgia, a atendente do asilo que se preocupa com a limpeza de uma senhora idosa após ir ao banheiro, o contador que impede uma fraude ou desfalque, ou que não maquia o balanço de uma empresa, o engenheiro que utiliza o material mais indicado para a construção de uma ponte, todos estão agindo de forma eticamente correta em suas profissões, ao fazerem o que não é visto, ao fazerem aquilo que, alguém descobrindo, não saberá quem fez, mas que estão preocupados, mais do que com os deveres profissionais, com as PESSOAS.
  • 41. Outro conceito interessante de examinar é o de Profissional, como aquele que é regularmente remunerado pelo trabalho que executa ou atividade que exerce, em oposição a Amador. Nesta conceituação, se diria que aquele que exerce atividade voluntária não seria profissional, e esta é uma conceituação polêmica.
  • 42. É imprescindível estar sempre bem informado, acompanhando não apenas as mudanças nos conhecimentos técnicos da sua área profissional, mas também nos aspectos legais e normativos. Vá e busque o conhecimento. Muitos processos ético- disciplinares nos conselhos profissionais acontecem por desconhecimento, negligência.
  • 43. Parece ser uma tendência do ser humano, como tem sido objeto de referências de muitos estudiosos, a de defender, em primeiro lugar, seus interesses próprios e, quando esses interesses são de natureza pouco recomendável, ocorrem seríssimos problemas.  O valor ético do esforço humano é variável em função de seu alcance em face da comunidade. Se o trabalho executado é só para auferir renda, em geral, tem seu valor restrito. Por outro lado, nos serviços realizados com amor, visando ao benefício de terceiros, dentro de vasto raio de ação, com consciência do bem comum, passa a existir a expressão social do mesmo.
  • 44. Egresso de uma vida inculta, desorganizada, baseada apenas em instintos, o homem, sobre a Terra, foi-se organizando, na busca de maior estabilidade vital. Foi cedendo parcelas do referido individualismo para se beneficiar da união, da divisão do trabalho, da proteção da vida em comum.  A organização social foi um progresso, como continua a ser a evolução da mesma, na definição, cada vez maior, das funções dos cidadãos e tal definição acentua, gradativamente, o limite de ação das classes.
  • 45. Uma classe profissional caracteriza-se pela homogeneidade do trabalho executado, pela natureza do conhecimento exigido preferencialmente para tal execução e pela identidade de habilitação para o exercício da mesma. A classe profissional é, pois, um grupo dentro da sociedade, específico, definido por sua especialidade de desempenho de tarefa.  A questão, pois, dos grupamentos específicos, sem dúvida, decorre de uma especialização, motivada por seleção natural ou habilidade própria, e hoje se constitui em inequívoca força dentro das sociedades.
  • 46. É algo que fortalece a auto-estima de cada pessoa. Só pessoas que tenham auto-estima e um sentimento de poder próprio são capazes de assumir responsabilidade. Elas sentem um sentido na vida, alcançando metas sobre as quais concordam previamente e pelas quais assumiram responsabilidade real, de maneira consciente.
  • 47. Honestidade:  Sigilo:  Competência:  Prudência:  Coragem:  Perseverança:  Compreensão:  Humildade:  Imparcialidade:  Otimismo: