SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTADO DO MARANHÃO
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
UNIDADE REGIONAL DE SANTA INÊS
CENTRO DE ENSINO GOVERNADOR JOSÉ SARNEY
Rua Almirante Barroso, 256 – Bom Jardim – MA.
CNPJ 01.900.487/0001-21 – INEP- 21336806
José Arnaldo da Silva
Plano de Curso de Língua Portuguesa
APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA
Bom Jardim
2015
ESTADO DO MARANHÃO
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
UNIDADE REGIONAL DE SANTA INÊS
CENTRO DE ENSINO GOVERNADOR JOSÉ SARNEY
Rua Almirante Barroso, 256 – Bom Jardim – MA.
CNPJ 01.900.487/0001-21 – INEP- 21336806
PLANO DE CURSO DE LÍNGUA PORTUGUESA
PROF.: José Arnaldo da Silva
SÉRIES: 1ª, 2ª e 3ª
Curso: Ensino Médio
TURNO: Noturno
1 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA
O ensino de língua portuguesa busca a necessidade de dar ao aluno condições
de ampliar o domínio da língua e da linguagem, aprendizagem relevante para o
exercício da cidadania, visto que as práticas de linguagem são uma totalidade onde
o sujeito expande sua capacidade de uso da linguagem e de reflexão sobre ela em
situações significativas de interlocução.
Como o Ensino Médio tem como objetivo preparar o indivíduo para a vida e
para o trabalho, possibilitando a inserção nas diversas esferas de interação, assim, o
aluno deve ser levado a compreender e usar a linguagem como geradora de
significação e integradora da organização de mundo e da própria identidade.
Sendo assim tendo em vista todas as exigências, é preciso repensar o currículo
para o ensino dessa disciplina e a própria ação pedagógica, considerando, de forma
ativa, as novas necessidades trazidas pelos alunos, que fazem parte de uma
sociedade cheia de conflitos sociais, raciais, religiosos, políticos e linguísticos.
Portanto, o ensino de língua portuguesa deverá estar embasado no uso da
língua no contexto das relações sociais, contemplando os diversos gêneros
discursivos. Nessa perspectiva, esse ensino deverá ser vivenciado em situações
concretas, privilegiando oralidade, leitura e escrita.
Nesse sentido, a disciplina aqui apresentada enfatizará três aspectos:
literatura, gramática e redação, relevantes para o desenvolvimento e utilização da
língua portuguesa em sua variante padrão.
2 OBJETIVOS
2.1 Geral
Empregar a linguagem oral e escrita como meio de comunicação, informação
aprendizagem, lazer e arte.
2.2 Específicos
 Analisar e discutir de forma crítica e criativa os mais variados temas, usando
as técnicas de produção textual, como ordenação temporal, estrutura,
coesão e coerência das ideias e adequação da linguagem ao tipo de texto;
 Utilizar os recursos ortográficos e gramaticais na linguagem escrita, bem
como os recursos próprios do padrão escrito;
 Compreender mensagens distinguindo: ideias centrais, secundárias e o
objetivo do emissor;
 Produzir textos descritivos, narrativos e dissertativos;
 Expressar-se criativamente a partir de um tema dado;
 Identificar e compreender os vários gêneros textuais;
 Valorizar a comunicação oral e escrita no convívio social.
3 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR
A organização curricular da disciplina Língua Portuguesa para as séries do
ensino médio está estruturada em três aspectos: literatura, gramática e redação,
relevantes para o desenvolvimento e utilização da língua materna em sua variante
padrão.
1ª SÉRIE
Literatura
1 – Literatura: A arte da palavra
2 – O texto literário
3 – O Trovadorismo
4 – O Humanismo
5 – O Renascimento
6 – O Quinhentismo brasileiro
7 – O Barroco português
8 – O Barroco brasileiro
9 – O Neoclassicismo português
10 – O Neoclassicismo brasileiro
Gramática
1 – Gramática... Gramáticas
2 – Noções de variação linguística
3 – Figuras de linguagem
4 – Fonologia
5 – Acentuação gráfica
6 – Estrutura e formação de palavras
7 – Classes gramaticais – Sintaxe e funções sintáticas – Substantivo e
adjetivo
8 – Flexões do substantivo e do adjetivo
9 – Artigo e numeral
Redação
1 – Linguagens: entre textos, entre linhas
2 – Liberação da linguagem e do pensamento
3 – Exercícios de imaginação
4 – Leitura: interpretação e análise de texto
5 – Experiências de enumeração
6 – As modalidades clássicas
7 – Introdução ao escrever
8 – Introdução ao narrar
9 – Introdução ao dissertar
10 – Sensibilidade e imaginação
11 – Experiências de aprofundamento da descrição
2ª SÉRIE
Literatura
1 – O Romantismo em Portugal
2 – A poesia romântica brasileira
3 – A prosa romântica brasileira
4 – O Realismo e Naturalismo em Portugal
5 – O Realismo e Naturalismo no Brasil
6 – O Realismo psicológico de Machado de Assis
7 – O Parnasianismo no Brasil
8 – O simbolismo
Gramática
1 – Revisão (classes, funções sintáticas e relações morfossintáticas) –
Pronome (1ª parte)
2 – Pronome (2ª parte)
3 – Verbo (1ª parte)
4 – Verbo (2ª parte)
5 – Palavras invariáveis
6 – Introdução ao estudo da sintaxe – Sujeito e predicado
7 – Tipos de verbo no predicado – Termos associados ao verbo
8 – Termos relacionados a nomes – Vocativo
Redação e Leitura
1– O mundo narrado
2 – Começando a história
3 – Caracterização da personagem
4 – As personagens falam
5 – A construção do enredo
6 – Enredo linear e não linear
7 – Narrador: a voz que conta a história
8 – Narrar e dissertar
3ª SÉRIE
Literatura
1 – O Pré-Modernismo no Brasil
2 – As Vanguardas artísticas europeias e o Modernismo no Brasil
3 – Semana de Arte Moderna
4 – A primeira geração modernista brasileira
5 – O Modernismo em Portugal e a poesia de Fernando Pessoa
6 – A segunda geração modernista brasileira: poesia
7 – A segunda geração modernista brasileira: prosa
8 – A terceira geração modernista brasileira
9 – Tendências Contemporâneas da literatura portuguesa
10 – Tendências Contemporâneas da literatura brasileira
Gramática
1 – Período composto por subordinação – Orações subordinadas
substantivas
2 – Orações subordinadas adjetivas
3 – Orações subordinadas adverbiais
4 – Período composto por coordenação: Período composto por
coordenação e subordinação
5 – Concordância nominal
6 – Concordância verbal
7 – Regência verbal – Crase
8 – Colocação dos pronomes oblíquos átonos
Redação
1 – O mundo dissertativo
2 – A delimitação do tema
3 – Assumindo um ponto de vista
4 – A argumentação casual e – o (s) porquês (s)
5 – A importância do exemplo
6 – A estrutura do texto dissertativo
7 – Jogos lógico-expositivos
8 – A linguagem dissertativa
4 FUDAMENTOS TEÓRICOS-METODOLÓGICOS
De acordo com Bechara (2010, p.8), “a linguagem não é apenas uma ‘matéria’
escolar entre outras, mas um dos fatores decisivos ao desenvolvimento integral do
indivíduo e, seguramente, do cidadão”. A língua está situada no emaranhado das
relações humanas, nas quais o aluno está mergulhado. Não há língua separada de
um contexto social vivido, portanto, o ensino metodológico da língua deve priorizar
sua natureza dialógica e não afastá-la de seus princípios literários, gramáticos e
redacionais.
Partindo do princípio de que a literatura é um fenômeno artístico vivo e
dinâmico, o trabalho com a gramática privilegia os conteúdos essenciais para a
leitura e a redação aborda os gêneros indispensáveis à formação de um cidadão
competente discursivamente.
Portanto, as metodologias utilizadas, nesta apresentação de disciplina, deverão
estar voltadas para a formação de um cidadão autônomo, capaz de interagir com a
realidade que se apresenta.
4.1 Literatura
O trabalho com a literatura priorizará a leitura e a análise do texto literário. Essa
leitura visa compreender de que forma cada movimento ou cada autor literário
organiza seus textos (tanto na forma quanto no conteúdo), definindo assim um estilo
de época ou um estilo individual. É importante também aos alunos a percepção da
leitura como instrumento de prazer, como ferramenta lúdica que lhes permitam
explorar outros mundos reais ou imaginários, que os aproximem de outras pessoas
e ideias e assim possam interagir na sociedade em que está inserido.
Durante todo o estudo de literatura busca-se estabelecer relações entre a
história da literatura e a cultura de que fazemos parte, nos campos artísticos,
culturais e sociais. Para tanto será fundamental comparar os textos literários às
produções artísticas contemporâneas como, por exemplo: músicas, cinema, moda,
televisão e demais movimentos culturais. Por meio dessa prática pedagógica, o
aluno não apenas desenvolve habilidades específicas de leitura de linguagens, mas
também outras habilidades, como: comparar, transferir, sintetizar, inferir, levantar
hipóteses, ao mesmo tempo amplia e solidifica seu repertório cultural.
As estratégias práticas contemplarão desde seminários, debates, saraus,
projetos, até a leitura de livros paradidáticos, livros técnicos, revistas, jornais, charge,
propaganda, ensaios, resenhas, discursos, entre outros.
4.2 Gramática
A gramática deve ser vista como um processo dinâmico de interação social,
isto é, forma de realizar ações, de agir, e atuar por meio da linguagem.
Para assegurar ao aluno a aprendizagem atingindo o objetivo de torná-lo um
produtor de textos gramaticalmente eficientes, será necessário contextualizar os
aspectos gramaticais a partir dos textos produzidos por variados autores e pelos
próprios alunos. O estudo da gramática estará, necessariamente, a serviço das
atividades de uso da linguagem. A aquisição dos conceitos gramaticais deve
desenvolver o processo ensino aprendizagem através da reflexão, investigação,
exploração, construção e aplicação destes conceitos nos textos e na comunicação
oral.
O texto deve ser abordado como unidade de sentido ou como discurso, assim
pode-se fazer um trabalho de reflexão gramatical integrado à leitura, examinado
todas as suas dimensões (fonética, sintaxe, semântica, estilística) percebendo então
o sentido ou os sentidos do texto. Dessa forma o trabalho com a língua aproxima e
instrumentaliza o aluno para suas práticas discursivas, seja na condição de
enunciador ou enunciatário.
4.3 Redação
A redação tem como objetivo fundamental desenvolver a habilidade de escrita.
Para isto será necessário reconhecer e identificar os gêneros textuais existentes. O
ensino de produção de texto contemplará os três tipos tradicionais (narração,
descrição e dissertação), e também estará voltado para uma perspectiva mais ampla
e de variedade de gêneros. Observando o contexto em que o aluno está inserido.
O texto não deve ser encarado como uma enumeração de frases, mas sim
como um instrumento comunicativo com relações específicas entre si. Deve então,
apresentar um todo coerente, condição esta, indispensável para que um enunciado
passe a ser designado como texto.
Nesta perspectiva o aluno será conduzido a conhecer a variedade de gêneros
textuais existentes, sendo assim capaz de reconhecer e produzir textos eficientes
dentro da tipologia textual. Para que tal objetivo seja alcançado são sugeridas as
seguintes estratégias: produção de narrativa ficcional, texto argumentativo,
informativos, opinativos e textos funcionais.
5 AVALIAÇÃO
A avaliação está intimamente relacionada aos objetivos específicos de cada
atividade desenvolvida pelo trabalho de sala de aula e pelo trabalho que o aluno faz
em casa. Será, portanto, um instrumento de interação entre o professor e o aluno no
processo de ensino-aprendizagem. Através de constante observação o professor
poderá direcionar estratégias de ensino, buscando a efetiva aprendizagem do aluno.
A diversidade de atividades propostas pelo professor facilitará a verificação
efetiva do processo ensinar-aprender.
Os alunos serão avaliados através de:
■ Provas e listas de exercícios;
■ Produção textual: Aspecto estético: letra legível, margens regulares,
paragrafação. Aspecto gramatical: ortografia, acentuação, pontuação e
concordância. Aspecto estilístico: Clareza e concisão. Aspecto estrutural:
Unidade (presença de ideia central), coerência (relação lógica entre as partes
do texto), coesão (ligação entre frases e parágrafos), adequação à proposta.
■ Pesquisas;
■ Seminários;
■ Oratória;
■ Simulados bimestrais;
■ Desempenho e participação nas aulas.
6 INSTRUMENTOS E CRITÉIROS DE AVALIAÇÃO
A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-
educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios:
Qualitativo
■ Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos
conhecimentos (re)construídos;
■ Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas
e atividades extraclasse;
■ Respeito, solidariedade e ética profissional entre professor, alunos e colegas;
■ Avaliações conjuntas e autoavaliações.
Quantitativo
■ Atividades individuais e em grupos;
■ Trabalhos escritos e expositivos;
■ Elaboração e execução de projetos de ensino.
REFERÊNCIAS
ABAURRE, Maria Luiza. Coleção base: português; volume único, Ed. São Paulo;
moderna, 2000.
AMARAL, Emília et al. Português: Novas palavras: literatura, gramática, redação e
leitura. volumes 1,2 e 3: ensino médio/ 2 ed. – São Paulo: FTD, 2013.
BECHARA, Evanildo. Gramática Escolar da Língua Portuguesa. Rio de Janeira:
Nova Fronteira, 2010.
CEREJA, William Roberto & MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português:
linguagens: volumes 1,2 e 3: ensino médio/ 5 ed. - São Paulo: Atual, 2005.
DIRETRIZES CURRICULARES DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O ENSINO
MÉDIO – Versão Preliminar Julho/2006
FARACO, Carlos Alberto. Língua e Cultura, Ensino Médio. Curitiba: Base Editora,
2005.
GERALDI, João W. O texto na sala de aula. 2º ed. São Paulo: Ática, 1997.
POSSENTI, Sírio. Por que não ensinar gramática. 4 ed. Campinas: Mercado de
Letras, 1996.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poema 6º ano
Poema 6º anoPoema 6º ano
Poema 6º ano
Andrea Dutra
 
Ensino da lingua portuguesa
Ensino da  lingua portuguesaEnsino da  lingua portuguesa
Ensino da lingua portuguesa
Gerdian Teixeira
 
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.pptESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
CsarMarin3
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
Andreia Jaqueline Bach
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
Ana Claudia André
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
PacatubaLei
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
jayarruda
 
Conotacao e denotacao
Conotacao e denotacaoConotacao e denotacao
Conotacao e denotacao
bubble13
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
GernciadeProduodeMat
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
Jose Arnaldo Silva
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Carolina Loçasso Pereira
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
Gracita Fraga
 
Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
Jirede Abisai
 
Ppt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literárioPpt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literário
Eugénia Soares
 
Linha do tempo - Literatura
Linha do tempo - LiteraturaLinha do tempo - Literatura
Linha do tempo - Literatura
Marô de Paula
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Generos Textuais
Generos TextuaisGeneros Textuais
Generos Textuais
Luciane Oliveira
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
Cláudia Heloísa
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
Luciene Gomes
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
Cicero Luciano
 

Mais procurados (20)

Poema 6º ano
Poema 6º anoPoema 6º ano
Poema 6º ano
 
Ensino da lingua portuguesa
Ensino da  lingua portuguesaEnsino da  lingua portuguesa
Ensino da lingua portuguesa
 
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.pptESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
 
Conotacao e denotacao
Conotacao e denotacaoConotacao e denotacao
Conotacao e denotacao
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
 
Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
 
Ppt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literárioPpt texto literário e texto não literário
Ppt texto literário e texto não literário
 
Linha do tempo - Literatura
Linha do tempo - LiteraturaLinha do tempo - Literatura
Linha do tempo - Literatura
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Generos Textuais
Generos TextuaisGeneros Textuais
Generos Textuais
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
 

Destaque

Plano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigidoPlano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigido
simonclark
 
Plano de curso língua portuguesa e literatura
Plano de curso língua portuguesa e literaturaPlano de curso língua portuguesa e literatura
Plano de curso língua portuguesa e literatura
pibiduergsmontenegro
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
IFMA
 
Apresentação da disciplina Plano de Curso LP 2014
Apresentação da disciplina   Plano de Curso LP 2014Apresentação da disciplina   Plano de Curso LP 2014
Apresentação da disciplina Plano de Curso LP 2014
Zenilda Ribeiro
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIO
IFMA
 
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino MédioConteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Jomari
 
Planejamento 1º ano - EM Padre Geraldo Montibeller
Planejamento 1º ano  - EM Padre Geraldo MontibellerPlanejamento 1º ano  - EM Padre Geraldo Montibeller
Planejamento 1º ano - EM Padre Geraldo Montibeller
Rafael Souza
 
78900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-2012
78900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-201278900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-2012
78900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-2012
Franquilim Cerqueira
 
Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014
Graça Sousa
 
Planejamento 3º ano ( 2ª série )
Planejamento   3º ano ( 2ª série )Planejamento   3º ano ( 2ª série )
Planejamento 3º ano ( 2ª série )
silvinha331
 
Disciplina de língua portuguesa
Disciplina de língua portuguesaDisciplina de língua portuguesa
Disciplina de língua portuguesa
Vanda Marques
 
Planejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fundPlanejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fund
Atividades Diversas Cláudia
 
Sugestão de atividades língua portuguesa
Sugestão de atividades   língua portuguesaSugestão de atividades   língua portuguesa
Sugestão de atividades língua portuguesa
josivaldopassos
 
Português 1º ano
Português 1º anoPortuguês 1º ano
Português 1º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Slides língua portuguesa apresentação
Slides língua portuguesa apresentaçãoSlides língua portuguesa apresentação
Slides língua portuguesa apresentação
blogdoalunocefa
 
Análise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJAAnálise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJA
Érica Camargo
 
Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015
Helia Coelho Mello
 
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
Lygia Souza
 
Aula de português
Aula de portuguêsAula de português
Aula de português
Jefferson Sales
 
Apresentação do portfólio
Apresentação do portfólioApresentação do portfólio
Apresentação do portfólio
Aline Correia Pereira
 

Destaque (20)

Plano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigidoPlano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigido
 
Plano de curso língua portuguesa e literatura
Plano de curso língua portuguesa e literaturaPlano de curso língua portuguesa e literatura
Plano de curso língua portuguesa e literatura
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
 
Apresentação da disciplina Plano de Curso LP 2014
Apresentação da disciplina   Plano de Curso LP 2014Apresentação da disciplina   Plano de Curso LP 2014
Apresentação da disciplina Plano de Curso LP 2014
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO DO ENSINO MÉDIO
 
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino MédioConteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
 
Planejamento 1º ano - EM Padre Geraldo Montibeller
Planejamento 1º ano  - EM Padre Geraldo MontibellerPlanejamento 1º ano  - EM Padre Geraldo Montibeller
Planejamento 1º ano - EM Padre Geraldo Montibeller
 
78900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-2012
78900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-201278900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-2012
78900662 planejamento-lingua-portuguesa-7º-ao-9º-ano-ensino-fundamental-2012
 
Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014Plano anual do 1º ano 2014
Plano anual do 1º ano 2014
 
Planejamento 3º ano ( 2ª série )
Planejamento   3º ano ( 2ª série )Planejamento   3º ano ( 2ª série )
Planejamento 3º ano ( 2ª série )
 
Disciplina de língua portuguesa
Disciplina de língua portuguesaDisciplina de língua portuguesa
Disciplina de língua portuguesa
 
Planejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fundPlanejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fund
 
Sugestão de atividades língua portuguesa
Sugestão de atividades   língua portuguesaSugestão de atividades   língua portuguesa
Sugestão de atividades língua portuguesa
 
Português 1º ano
Português 1º anoPortuguês 1º ano
Português 1º ano
 
Slides língua portuguesa apresentação
Slides língua portuguesa apresentaçãoSlides língua portuguesa apresentação
Slides língua portuguesa apresentação
 
Análise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJAAnálise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJA
 
Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015
 
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
 
Aula de português
Aula de portuguêsAula de português
Aula de português
 
Apresentação do portfólio
Apresentação do portfólioApresentação do portfólio
Apresentação do portfólio
 

Semelhante a Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)

Conteúdo básico de lingua portuguesa
Conteúdo básico de lingua portuguesaConteúdo básico de lingua portuguesa
Conteúdo básico de lingua portuguesa
Luiz Castro
 
10 portugues
10 portugues10 portugues
10 portugues
Rosário Pinto
 
Expectativas de aprendizagem do ensino fundamental anos finais
Expectativas de aprendizagem do ensino fundamental  anos finaisExpectativas de aprendizagem do ensino fundamental  anos finais
Expectativas de aprendizagem do ensino fundamental anos finais
Rita de Cássia Aquino Muniz de Souza
 
Metas curriculares do Português_julho_2015.pdf
Metas curriculares do Português_julho_2015.pdfMetas curriculares do Português_julho_2015.pdf
Metas curriculares do Português_julho_2015.pdf
Sandra Freitas
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
UPE
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
UPE
 
5_portugues.pdf
5_portugues.pdf5_portugues.pdf
5_portugues.pdf
Cristina Machado
 
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIRPROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
LOCIMAR MASSALAI
 
10 portugues
10 portugues10 portugues
10 portugues
MLPires1
 
Planejamento 6º ano
Planejamento 6º ano   Planejamento 6º ano
Planejamento 6º ano
Erika Santos
 
PCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua Materna
PCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua MaternaPCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua Materna
PCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua Materna
ADRIANOSOUZAMARINHO1
 
1.º Ano - Português.pdf
1.º Ano - Português.pdf1.º Ano - Português.pdf
1.º Ano - Português.pdf
Guilherme Gonçalves
 
Aprendizagens essenciais 10_portugues
Aprendizagens essenciais 10_portuguesAprendizagens essenciais 10_portugues
Aprendizagens essenciais 10_portugues
Ana Araújo
 
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º anoCurrículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
tecnicossme
 
4 comparativo de metas curriculares - educação literária
4  comparativo de metas curriculares - educação literária4  comparativo de metas curriculares - educação literária
4 comparativo de metas curriculares - educação literária
António Fernandes
 
11 portugues
11 portugues11 portugues
11 portugues
MLPires1
 
1840 8
1840 81840 8
1840 8
Rejane Costa
 
Apresentação educação educação educação educação educação
Apresentação educação educação educação educação educaçãoApresentação educação educação educação educação educação
Apresentação educação educação educação educação educação
JaineCarolaineLima
 
Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017
Jaiza Nobre
 
Atividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencialAtividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencial
LOCIMAR MASSALAI
 

Semelhante a Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio) (20)

Conteúdo básico de lingua portuguesa
Conteúdo básico de lingua portuguesaConteúdo básico de lingua portuguesa
Conteúdo básico de lingua portuguesa
 
10 portugues
10 portugues10 portugues
10 portugues
 
Expectativas de aprendizagem do ensino fundamental anos finais
Expectativas de aprendizagem do ensino fundamental  anos finaisExpectativas de aprendizagem do ensino fundamental  anos finais
Expectativas de aprendizagem do ensino fundamental anos finais
 
Metas curriculares do Português_julho_2015.pdf
Metas curriculares do Português_julho_2015.pdfMetas curriculares do Português_julho_2015.pdf
Metas curriculares do Português_julho_2015.pdf
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
 
5_portugues.pdf
5_portugues.pdf5_portugues.pdf
5_portugues.pdf
 
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIRPROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
 
10 portugues
10 portugues10 portugues
10 portugues
 
Planejamento 6º ano
Planejamento 6º ano   Planejamento 6º ano
Planejamento 6º ano
 
PCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua Materna
PCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua MaternaPCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua Materna
PCNs ensino de Língua Portuguesa como Língua Materna
 
1.º Ano - Português.pdf
1.º Ano - Português.pdf1.º Ano - Português.pdf
1.º Ano - Português.pdf
 
Aprendizagens essenciais 10_portugues
Aprendizagens essenciais 10_portuguesAprendizagens essenciais 10_portugues
Aprendizagens essenciais 10_portugues
 
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º anoCurrículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
 
4 comparativo de metas curriculares - educação literária
4  comparativo de metas curriculares - educação literária4  comparativo de metas curriculares - educação literária
4 comparativo de metas curriculares - educação literária
 
11 portugues
11 portugues11 portugues
11 portugues
 
1840 8
1840 81840 8
1840 8
 
Apresentação educação educação educação educação educação
Apresentação educação educação educação educação educaçãoApresentação educação educação educação educação educação
Apresentação educação educação educação educação educação
 
Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017
 
Atividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencialAtividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencial
 

Mais de Jose Arnaldo Silva

Semana de-arte-moderma
Semana de-arte-modermaSemana de-arte-moderma
Semana de-arte-moderma
Jose Arnaldo Silva
 
Romantismo em-portugal-e-no-brasil
Romantismo em-portugal-e-no-brasilRomantismo em-portugal-e-no-brasil
Romantismo em-portugal-e-no-brasil
Jose Arnaldo Silva
 
Projeto de pesquisa de mestrado
Projeto de pesquisa de mestradoProjeto de pesquisa de mestrado
Projeto de pesquisa de mestrado
Jose Arnaldo Silva
 
Pressupostos e-subentendidos
Pressupostos e-subentendidosPressupostos e-subentendidos
Pressupostos e-subentendidos
Jose Arnaldo Silva
 
Pre modernismo-no-brasil
Pre modernismo-no-brasilPre modernismo-no-brasil
Pre modernismo-no-brasil
Jose Arnaldo Silva
 
Marketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensino
Marketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensinoMarketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensino
Marketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensino
Jose Arnaldo Silva
 
Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagem
Jose Arnaldo Silva
 
Figuras de-construcao
Figuras de-construcaoFiguras de-construcao
Figuras de-construcao
Jose Arnaldo Silva
 
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasilO realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
Jose Arnaldo Silva
 
O valente soldadinho de chumbo
O valente soldadinho de chumboO valente soldadinho de chumbo
O valente soldadinho de chumbo
Jose Arnaldo Silva
 
Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo
Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo
Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo
Jose Arnaldo Silva
 
Atividades - Estudo de caso: Diálogo de atenas
Atividades - Estudo de caso: Diálogo de atenasAtividades - Estudo de caso: Diálogo de atenas
Atividades - Estudo de caso: Diálogo de atenas
Jose Arnaldo Silva
 
Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?
Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?
Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?
Jose Arnaldo Silva
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
Jose Arnaldo Silva
 
O Humanismo
O Humanismo O Humanismo
O Humanismo
Jose Arnaldo Silva
 
O Trovadorismo
O Trovadorismo O Trovadorismo
O Trovadorismo
Jose Arnaldo Silva
 
Venha ver o pôr do sol - Lygia fagundes telles
Venha ver o pôr do sol  - Lygia fagundes tellesVenha ver o pôr do sol  - Lygia fagundes telles
Venha ver o pôr do sol - Lygia fagundes telles
Jose Arnaldo Silva
 
Língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Língua portuguesa com ênfase em gramática e literaturaLíngua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Jose Arnaldo Silva
 
Apostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Apostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literaturaApostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Apostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Jose Arnaldo Silva
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
Jose Arnaldo Silva
 

Mais de Jose Arnaldo Silva (20)

Semana de-arte-moderma
Semana de-arte-modermaSemana de-arte-moderma
Semana de-arte-moderma
 
Romantismo em-portugal-e-no-brasil
Romantismo em-portugal-e-no-brasilRomantismo em-portugal-e-no-brasil
Romantismo em-portugal-e-no-brasil
 
Projeto de pesquisa de mestrado
Projeto de pesquisa de mestradoProjeto de pesquisa de mestrado
Projeto de pesquisa de mestrado
 
Pressupostos e-subentendidos
Pressupostos e-subentendidosPressupostos e-subentendidos
Pressupostos e-subentendidos
 
Pre modernismo-no-brasil
Pre modernismo-no-brasilPre modernismo-no-brasil
Pre modernismo-no-brasil
 
Marketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensino
Marketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensinoMarketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensino
Marketing estrategico-e-operacional-de-instituicoes-de-ensino
 
Funcoes da-linguagem
Funcoes da-linguagemFuncoes da-linguagem
Funcoes da-linguagem
 
Figuras de-construcao
Figuras de-construcaoFiguras de-construcao
Figuras de-construcao
 
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasilO realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
 
O valente soldadinho de chumbo
O valente soldadinho de chumboO valente soldadinho de chumbo
O valente soldadinho de chumbo
 
Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo
Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo
Atividades - Estudo de caso: Seleção de um executivo
 
Atividades - Estudo de caso: Diálogo de atenas
Atividades - Estudo de caso: Diálogo de atenasAtividades - Estudo de caso: Diálogo de atenas
Atividades - Estudo de caso: Diálogo de atenas
 
Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?
Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?
Atividades - Estudo de caso: Afinal, quem manda aqui?
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
 
O Humanismo
O Humanismo O Humanismo
O Humanismo
 
O Trovadorismo
O Trovadorismo O Trovadorismo
O Trovadorismo
 
Venha ver o pôr do sol - Lygia fagundes telles
Venha ver o pôr do sol  - Lygia fagundes tellesVenha ver o pôr do sol  - Lygia fagundes telles
Venha ver o pôr do sol - Lygia fagundes telles
 
Língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Língua portuguesa com ênfase em gramática e literaturaLíngua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
 
Apostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Apostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literaturaApostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
Apostila de língua portuguesa com ênfase em gramática e literatura
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
 

Último

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 

Último (20)

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 

Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)

  • 1. ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO UNIDADE REGIONAL DE SANTA INÊS CENTRO DE ENSINO GOVERNADOR JOSÉ SARNEY Rua Almirante Barroso, 256 – Bom Jardim – MA. CNPJ 01.900.487/0001-21 – INEP- 21336806 José Arnaldo da Silva Plano de Curso de Língua Portuguesa APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA Bom Jardim 2015
  • 2. ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO UNIDADE REGIONAL DE SANTA INÊS CENTRO DE ENSINO GOVERNADOR JOSÉ SARNEY Rua Almirante Barroso, 256 – Bom Jardim – MA. CNPJ 01.900.487/0001-21 – INEP- 21336806 PLANO DE CURSO DE LÍNGUA PORTUGUESA PROF.: José Arnaldo da Silva SÉRIES: 1ª, 2ª e 3ª Curso: Ensino Médio TURNO: Noturno 1 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA O ensino de língua portuguesa busca a necessidade de dar ao aluno condições de ampliar o domínio da língua e da linguagem, aprendizagem relevante para o exercício da cidadania, visto que as práticas de linguagem são uma totalidade onde o sujeito expande sua capacidade de uso da linguagem e de reflexão sobre ela em situações significativas de interlocução. Como o Ensino Médio tem como objetivo preparar o indivíduo para a vida e para o trabalho, possibilitando a inserção nas diversas esferas de interação, assim, o aluno deve ser levado a compreender e usar a linguagem como geradora de significação e integradora da organização de mundo e da própria identidade. Sendo assim tendo em vista todas as exigências, é preciso repensar o currículo para o ensino dessa disciplina e a própria ação pedagógica, considerando, de forma ativa, as novas necessidades trazidas pelos alunos, que fazem parte de uma sociedade cheia de conflitos sociais, raciais, religiosos, políticos e linguísticos. Portanto, o ensino de língua portuguesa deverá estar embasado no uso da língua no contexto das relações sociais, contemplando os diversos gêneros discursivos. Nessa perspectiva, esse ensino deverá ser vivenciado em situações concretas, privilegiando oralidade, leitura e escrita. Nesse sentido, a disciplina aqui apresentada enfatizará três aspectos: literatura, gramática e redação, relevantes para o desenvolvimento e utilização da língua portuguesa em sua variante padrão.
  • 3. 2 OBJETIVOS 2.1 Geral Empregar a linguagem oral e escrita como meio de comunicação, informação aprendizagem, lazer e arte. 2.2 Específicos  Analisar e discutir de forma crítica e criativa os mais variados temas, usando as técnicas de produção textual, como ordenação temporal, estrutura, coesão e coerência das ideias e adequação da linguagem ao tipo de texto;  Utilizar os recursos ortográficos e gramaticais na linguagem escrita, bem como os recursos próprios do padrão escrito;  Compreender mensagens distinguindo: ideias centrais, secundárias e o objetivo do emissor;  Produzir textos descritivos, narrativos e dissertativos;  Expressar-se criativamente a partir de um tema dado;  Identificar e compreender os vários gêneros textuais;  Valorizar a comunicação oral e escrita no convívio social. 3 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR A organização curricular da disciplina Língua Portuguesa para as séries do ensino médio está estruturada em três aspectos: literatura, gramática e redação, relevantes para o desenvolvimento e utilização da língua materna em sua variante padrão. 1ª SÉRIE Literatura 1 – Literatura: A arte da palavra 2 – O texto literário 3 – O Trovadorismo 4 – O Humanismo 5 – O Renascimento 6 – O Quinhentismo brasileiro 7 – O Barroco português
  • 4. 8 – O Barroco brasileiro 9 – O Neoclassicismo português 10 – O Neoclassicismo brasileiro Gramática 1 – Gramática... Gramáticas 2 – Noções de variação linguística 3 – Figuras de linguagem 4 – Fonologia 5 – Acentuação gráfica 6 – Estrutura e formação de palavras 7 – Classes gramaticais – Sintaxe e funções sintáticas – Substantivo e adjetivo 8 – Flexões do substantivo e do adjetivo 9 – Artigo e numeral Redação 1 – Linguagens: entre textos, entre linhas 2 – Liberação da linguagem e do pensamento 3 – Exercícios de imaginação 4 – Leitura: interpretação e análise de texto 5 – Experiências de enumeração 6 – As modalidades clássicas 7 – Introdução ao escrever 8 – Introdução ao narrar 9 – Introdução ao dissertar 10 – Sensibilidade e imaginação 11 – Experiências de aprofundamento da descrição 2ª SÉRIE Literatura 1 – O Romantismo em Portugal 2 – A poesia romântica brasileira 3 – A prosa romântica brasileira 4 – O Realismo e Naturalismo em Portugal 5 – O Realismo e Naturalismo no Brasil
  • 5. 6 – O Realismo psicológico de Machado de Assis 7 – O Parnasianismo no Brasil 8 – O simbolismo Gramática 1 – Revisão (classes, funções sintáticas e relações morfossintáticas) – Pronome (1ª parte) 2 – Pronome (2ª parte) 3 – Verbo (1ª parte) 4 – Verbo (2ª parte) 5 – Palavras invariáveis 6 – Introdução ao estudo da sintaxe – Sujeito e predicado 7 – Tipos de verbo no predicado – Termos associados ao verbo 8 – Termos relacionados a nomes – Vocativo Redação e Leitura 1– O mundo narrado 2 – Começando a história 3 – Caracterização da personagem 4 – As personagens falam 5 – A construção do enredo 6 – Enredo linear e não linear 7 – Narrador: a voz que conta a história 8 – Narrar e dissertar 3ª SÉRIE Literatura 1 – O Pré-Modernismo no Brasil 2 – As Vanguardas artísticas europeias e o Modernismo no Brasil 3 – Semana de Arte Moderna 4 – A primeira geração modernista brasileira 5 – O Modernismo em Portugal e a poesia de Fernando Pessoa 6 – A segunda geração modernista brasileira: poesia 7 – A segunda geração modernista brasileira: prosa 8 – A terceira geração modernista brasileira 9 – Tendências Contemporâneas da literatura portuguesa
  • 6. 10 – Tendências Contemporâneas da literatura brasileira Gramática 1 – Período composto por subordinação – Orações subordinadas substantivas 2 – Orações subordinadas adjetivas 3 – Orações subordinadas adverbiais 4 – Período composto por coordenação: Período composto por coordenação e subordinação 5 – Concordância nominal 6 – Concordância verbal 7 – Regência verbal – Crase 8 – Colocação dos pronomes oblíquos átonos Redação 1 – O mundo dissertativo 2 – A delimitação do tema 3 – Assumindo um ponto de vista 4 – A argumentação casual e – o (s) porquês (s) 5 – A importância do exemplo 6 – A estrutura do texto dissertativo 7 – Jogos lógico-expositivos 8 – A linguagem dissertativa 4 FUDAMENTOS TEÓRICOS-METODOLÓGICOS De acordo com Bechara (2010, p.8), “a linguagem não é apenas uma ‘matéria’ escolar entre outras, mas um dos fatores decisivos ao desenvolvimento integral do indivíduo e, seguramente, do cidadão”. A língua está situada no emaranhado das relações humanas, nas quais o aluno está mergulhado. Não há língua separada de um contexto social vivido, portanto, o ensino metodológico da língua deve priorizar sua natureza dialógica e não afastá-la de seus princípios literários, gramáticos e redacionais. Partindo do princípio de que a literatura é um fenômeno artístico vivo e dinâmico, o trabalho com a gramática privilegia os conteúdos essenciais para a
  • 7. leitura e a redação aborda os gêneros indispensáveis à formação de um cidadão competente discursivamente. Portanto, as metodologias utilizadas, nesta apresentação de disciplina, deverão estar voltadas para a formação de um cidadão autônomo, capaz de interagir com a realidade que se apresenta. 4.1 Literatura O trabalho com a literatura priorizará a leitura e a análise do texto literário. Essa leitura visa compreender de que forma cada movimento ou cada autor literário organiza seus textos (tanto na forma quanto no conteúdo), definindo assim um estilo de época ou um estilo individual. É importante também aos alunos a percepção da leitura como instrumento de prazer, como ferramenta lúdica que lhes permitam explorar outros mundos reais ou imaginários, que os aproximem de outras pessoas e ideias e assim possam interagir na sociedade em que está inserido. Durante todo o estudo de literatura busca-se estabelecer relações entre a história da literatura e a cultura de que fazemos parte, nos campos artísticos, culturais e sociais. Para tanto será fundamental comparar os textos literários às produções artísticas contemporâneas como, por exemplo: músicas, cinema, moda, televisão e demais movimentos culturais. Por meio dessa prática pedagógica, o aluno não apenas desenvolve habilidades específicas de leitura de linguagens, mas também outras habilidades, como: comparar, transferir, sintetizar, inferir, levantar hipóteses, ao mesmo tempo amplia e solidifica seu repertório cultural. As estratégias práticas contemplarão desde seminários, debates, saraus, projetos, até a leitura de livros paradidáticos, livros técnicos, revistas, jornais, charge, propaganda, ensaios, resenhas, discursos, entre outros. 4.2 Gramática A gramática deve ser vista como um processo dinâmico de interação social, isto é, forma de realizar ações, de agir, e atuar por meio da linguagem. Para assegurar ao aluno a aprendizagem atingindo o objetivo de torná-lo um produtor de textos gramaticalmente eficientes, será necessário contextualizar os aspectos gramaticais a partir dos textos produzidos por variados autores e pelos próprios alunos. O estudo da gramática estará, necessariamente, a serviço das atividades de uso da linguagem. A aquisição dos conceitos gramaticais deve
  • 8. desenvolver o processo ensino aprendizagem através da reflexão, investigação, exploração, construção e aplicação destes conceitos nos textos e na comunicação oral. O texto deve ser abordado como unidade de sentido ou como discurso, assim pode-se fazer um trabalho de reflexão gramatical integrado à leitura, examinado todas as suas dimensões (fonética, sintaxe, semântica, estilística) percebendo então o sentido ou os sentidos do texto. Dessa forma o trabalho com a língua aproxima e instrumentaliza o aluno para suas práticas discursivas, seja na condição de enunciador ou enunciatário. 4.3 Redação A redação tem como objetivo fundamental desenvolver a habilidade de escrita. Para isto será necessário reconhecer e identificar os gêneros textuais existentes. O ensino de produção de texto contemplará os três tipos tradicionais (narração, descrição e dissertação), e também estará voltado para uma perspectiva mais ampla e de variedade de gêneros. Observando o contexto em que o aluno está inserido. O texto não deve ser encarado como uma enumeração de frases, mas sim como um instrumento comunicativo com relações específicas entre si. Deve então, apresentar um todo coerente, condição esta, indispensável para que um enunciado passe a ser designado como texto. Nesta perspectiva o aluno será conduzido a conhecer a variedade de gêneros textuais existentes, sendo assim capaz de reconhecer e produzir textos eficientes dentro da tipologia textual. Para que tal objetivo seja alcançado são sugeridas as seguintes estratégias: produção de narrativa ficcional, texto argumentativo, informativos, opinativos e textos funcionais. 5 AVALIAÇÃO A avaliação está intimamente relacionada aos objetivos específicos de cada atividade desenvolvida pelo trabalho de sala de aula e pelo trabalho que o aluno faz em casa. Será, portanto, um instrumento de interação entre o professor e o aluno no processo de ensino-aprendizagem. Através de constante observação o professor poderá direcionar estratégias de ensino, buscando a efetiva aprendizagem do aluno.
  • 9. A diversidade de atividades propostas pelo professor facilitará a verificação efetiva do processo ensinar-aprender. Os alunos serão avaliados através de: ■ Provas e listas de exercícios; ■ Produção textual: Aspecto estético: letra legível, margens regulares, paragrafação. Aspecto gramatical: ortografia, acentuação, pontuação e concordância. Aspecto estilístico: Clareza e concisão. Aspecto estrutural: Unidade (presença de ideia central), coerência (relação lógica entre as partes do texto), coesão (ligação entre frases e parágrafos), adequação à proposta. ■ Pesquisas; ■ Seminários; ■ Oratória; ■ Simulados bimestrais; ■ Desempenho e participação nas aulas. 6 INSTRUMENTOS E CRITÉIROS DE AVALIAÇÃO A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente- educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios: Qualitativo ■ Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re)construídos; ■ Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse; ■ Respeito, solidariedade e ética profissional entre professor, alunos e colegas; ■ Avaliações conjuntas e autoavaliações. Quantitativo ■ Atividades individuais e em grupos; ■ Trabalhos escritos e expositivos; ■ Elaboração e execução de projetos de ensino. REFERÊNCIAS ABAURRE, Maria Luiza. Coleção base: português; volume único, Ed. São Paulo; moderna, 2000.
  • 10. AMARAL, Emília et al. Português: Novas palavras: literatura, gramática, redação e leitura. volumes 1,2 e 3: ensino médio/ 2 ed. – São Paulo: FTD, 2013. BECHARA, Evanildo. Gramática Escolar da Língua Portuguesa. Rio de Janeira: Nova Fronteira, 2010. CEREJA, William Roberto & MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens: volumes 1,2 e 3: ensino médio/ 5 ed. - São Paulo: Atual, 2005. DIRETRIZES CURRICULARES DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O ENSINO MÉDIO – Versão Preliminar Julho/2006 FARACO, Carlos Alberto. Língua e Cultura, Ensino Médio. Curitiba: Base Editora, 2005. GERALDI, João W. O texto na sala de aula. 2º ed. São Paulo: Ática, 1997. POSSENTI, Sírio. Por que não ensinar gramática. 4 ed. Campinas: Mercado de Letras, 1996.