SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
A INSERÇÃO NAS
REDES
TRANSEUROPEIAS
REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES
A Política Comum dos Transportes (PCT), apesar de institucionalizada
no Tratado de Roma, tardou a ser definida e aplicada. Só no Tratado de
Maastrich foram traçadas as suas bases políticas, institucionais e
orçamentais.
Fig. Noção de modo de transporte.
Pág. 178
REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES
 Assimetrias geográficas ao nível das infraestruturas e das
empresas de transportes.
 Congestionamento de vários eixos europeus.
 Disparidades no crescimento dos diferentes modos de transporte,
com um largo predomínio do rodoviário.
 Crescimento da dependência do setor dos transportes face ao
petróleo.
 Aumento dos custos económicos e do impacte ambiental.
PROBLEMAS POR RESOLVER
Pág. 178
Fig. Tráfego rodoviário.
REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES
Um dos grandes objetivos da PCT continua a ser a construção de uma
Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T).
Pág. 178
A INSERÇÃO DAS REDES NACIONAIS NA REDE TRANSEUROPEIA
DE TRANSPORTES
As redes
portuguesas dos
diferentes modos de
transporte tendem a
integrar-se cada vez
mais nas redes
europeias.
Pág. 180
Fig. Comboio de alta velocidade.
A INSERÇÃO DAS REDES NACIONAIS NA REDE TRANSEUROPEIA
DE TRANSPORTES
A construção da Rede Ferroviária de Alta Velocidade (RAVE) é uma
das condições necessárias para a integração de Portugal na Rede
Transeuropeia de Transportes.
OBJETIVOS
 Aproximar pessoas e
empresas.
 Gerar riqueza e
desenvolvimento económico
e preparar o país para o
futuro.
 Assegurar uma maior
eficiência energética e
reduzir a dependência dos
combustíveis fósseis.
Este projeto, devido à
situação económica e
financeira do país, sofreu um
adiamento e só deverá
avançar a partir de 2015.
Fig. Rede de Alta Velocidade.
Pág. 181
REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE
ENERGIA
Política energética que permita:
 Aumentar a competitividade da União face ao exterior.
 Fazer um melhor aproveitamento energético – aumentar a eficiência.
 Garantir o abastecimento em todo o território Comunitário.
Fig. Rede transporte de energia
REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE
ENERGIA
MERCADO INTERNO DA ENERGIA
Pág. 182
REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE
ENERGIA
PRIORIDADES:
1. Alcançar uma eficiência energética na Europa (limitar o consumo de
energia de modo a atingir 20% de poupança até 2020).
2. Construir um mercado europeu integrado de energia.
3. Capacitar os consumidores e alcançar o mais alto nível de segurança/
proteção.
4. Ampliar a liderança da Europa no desenvolvimento de tecnologia
energética e na inovação.
5. Reforçar a dimensão externa do mercado energético da UE.
ESTRATÉGIA ENERGÉTICA EUROPEIA
Pág. 182
Fig. Rede de transporte de energia elétrica.Fig. Rede de transporte gás natural.
 no setor do gás natural – a sua introdução em novas regiões, o
aumento da capacidade de receção e armazenamento e o alargamento
das redes de distribuição.
REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE
ENERGIA
Na construção das redes transeuropeias de energia são prioridades:
 no setor da eletricidade – a conexão de redes ainda isoladas, a
ligação entre as redes de todos os Estados-membros e o
desenvolvimento de ligações com Estados terceiros;
Pág. 182
REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE
ENERGIA
Fig. Rede Transeuropeia de Distribuição de Eletricidade.
Os projetos prioritários
da Rede
Transeuropeia de
Eletricidade têm em
conta não só o
mercado interno, mas
também as ligações
aos países candidatos
e ao Norte de África.
Fig. Rede Transeuropeia de Distribuição de Gás Natural.
A Rede Transeuropeia
de Gás Natural inclui
ainda ligações a todo o
Leste Europeu e a
vários países da Ásia.
Pág. 183
REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES
ATIVIDADE:
Um dos grandes objetivos da Política Comum dos Transportes continua a
ser a construção de uma Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T). No
entanto existem ainda alguns problemas por solucionar.
1 – Diga quais são esses problemas.
Verificar respostaPág. 178
FIM DA
APRESENTAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As redes de transportes em portugal
As redes de transportes em portugalAs redes de transportes em portugal
As redes de transportes em portugal
Patricia Degenhardt
 
eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
bruno oliveira
 
As regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeia
As regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeiaAs regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeia
As regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeia
Ilda Bicacro
 
A competitividade dos diferentes modos de transporte
A competitividade dos diferentes modos de transporteA competitividade dos diferentes modos de transporte
A competitividade dos diferentes modos de transporte
Ilda Bicacro
 
Rede urbana nacional
Rede urbana nacionalRede urbana nacional
Rede urbana nacional
Cacilda Basto
 

Mais procurados (20)

Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
 
As redes de transportes em portugal
As redes de transportes em portugalAs redes de transportes em portugal
As redes de transportes em portugal
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
 
A Rede Urbana Nacional
A Rede Urbana NacionalA Rede Urbana Nacional
A Rede Urbana Nacional
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
 
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º AnoOs transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
 
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º AnoAs redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
 
eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
 
As regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeia
As regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeiaAs regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeia
As regiões portuguesas no contexto das políticas regionais da união europeia
 
A competitividade dos diferentes modos de transporte
A competitividade dos diferentes modos de transporteA competitividade dos diferentes modos de transporte
A competitividade dos diferentes modos de transporte
 
Os desafios para portugal do alargamento da união europeia
Os desafios para portugal do alargamento da união europeiaOs desafios para portugal do alargamento da união europeia
Os desafios para portugal do alargamento da união europeia
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
 
Rede urbana nacional
Rede urbana nacionalRede urbana nacional
Rede urbana nacional
 
A Politica AgríCola Comum
A Politica AgríCola ComumA Politica AgríCola Comum
A Politica AgríCola Comum
 
A distribuição espacial das redes de comunicação
A distribuição espacial das redes de comunicaçãoA distribuição espacial das redes de comunicação
A distribuição espacial das redes de comunicação
 
2 Áreas Funcionais
2 Áreas Funcionais2 Áreas Funcionais
2 Áreas Funcionais
 
As caracteristicas da_rede_urbana
As caracteristicas da_rede_urbanaAs caracteristicas da_rede_urbana
As caracteristicas da_rede_urbana
 
Autoestradas do Mar - Mobilidade e Comunicação 2
Autoestradas do Mar - Mobilidade e Comunicação 2Autoestradas do Mar - Mobilidade e Comunicação 2
Autoestradas do Mar - Mobilidade e Comunicação 2
 
Região agrária do Ribatejo e Oeste.
Região agrária do Ribatejo e Oeste.Região agrária do Ribatejo e Oeste.
Região agrária do Ribatejo e Oeste.
 
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comumA agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
 

Destaque

Tr abalho de geografia transportes[1]
Tr abalho de geografia   transportes[1]Tr abalho de geografia   transportes[1]
Tr abalho de geografia transportes[1]
dddjj
 
Redes de transporte e telecomunicações (novo)
Redes de transporte e telecomunicações (novo)Redes de transporte e telecomunicações (novo)
Redes de transporte e telecomunicações (novo)
Rosária Zamith
 
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitáriaA valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
Ilda Bicacro
 
Geografia - transportes
Geografia - transportesGeografia - transportes
Geografia - transportes
kyzinha
 
Porto de Sines Porta estratégica
Porto de Sines Porta estratégicaPorto de Sines Porta estratégica
Porto de Sines Porta estratégica
Cláudio Carneiro
 

Destaque (20)

Tr abalho de geografia transportes[1]
Tr abalho de geografia   transportes[1]Tr abalho de geografia   transportes[1]
Tr abalho de geografia transportes[1]
 
REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES - RTE-T (CEF) - CORREDOR DO ATLÂNTICO
REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES - RTE-T (CEF) - CORREDOR DO ATLÂNTICOREDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES - RTE-T (CEF) - CORREDOR DO ATLÂNTICO
REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES - RTE-T (CEF) - CORREDOR DO ATLÂNTICO
 
O papel das tic no dinamismo dos diferentes espaços geográficos
O papel das tic no dinamismo dos diferentes espaços geográficosO papel das tic no dinamismo dos diferentes espaços geográficos
O papel das tic no dinamismo dos diferentes espaços geográficos
 
Redes de transporte e telecomunicações (novo)
Redes de transporte e telecomunicações (novo)Redes de transporte e telecomunicações (novo)
Redes de transporte e telecomunicações (novo)
 
Política de transportes da União Europeia - 2014/2020
Política de transportes da União Europeia - 2014/2020Política de transportes da União Europeia - 2014/2020
Política de transportes da União Europeia - 2014/2020
 
Mobilidade e comunicação - 1
Mobilidade e comunicação - 1Mobilidade e comunicação - 1
Mobilidade e comunicação - 1
 
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitáriaA valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
 
A reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbanaA reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbana
 
A multiplicidade de espaços de vivência
A multiplicidade de espaços de vivênciaA multiplicidade de espaços de vivência
A multiplicidade de espaços de vivência
 
Geografia - transportes
Geografia - transportesGeografia - transportes
Geografia - transportes
 
As estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficosAs estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficos
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoPrincipais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
 
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
Os problemas e as potencialidades no aproveitamento dos recursos do subsolo (1)
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
Os problemas de segurança, de saúde e ambientais
Os problemas de segurança, de saúde e ambientaisOs problemas de segurança, de saúde e ambientais
Os problemas de segurança, de saúde e ambientais
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
Porto de Sines Porta estratégica
Porto de Sines Porta estratégicaPorto de Sines Porta estratégica
Porto de Sines Porta estratégica
 
Terminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de SinesTerminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de Sines
 
11ºano ficha5
11ºano ficha511ºano ficha5
11ºano ficha5
 

Semelhante a A inserção nas redes transeuropeias

Distribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporteDistribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporte
InsMonteiro40
 
18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA
18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA 18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA
18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA
Cláudio Carneiro
 
Nova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportações
Nova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportaçõesNova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportações
Nova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportações
Cláudio Carneiro
 
Transportes rodoviários, 9º4, Inês
Transportes rodoviários, 9º4, InêsTransportes rodoviários, 9º4, Inês
Transportes rodoviários, 9º4, Inês
Mayjö .
 
Plano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.ePlano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.e
David Sobrinho
 

Semelhante a A inserção nas redes transeuropeias (20)

Distribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporteDistribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporte
 
Rte t2014.20
Rte t2014.20Rte t2014.20
Rte t2014.20
 
11-APP-INSERÇÃO DE PORTUGAL NAS REDES TRANSEUROPEIAS.ppt
11-APP-INSERÇÃO DE PORTUGAL NAS REDES TRANSEUROPEIAS.ppt11-APP-INSERÇÃO DE PORTUGAL NAS REDES TRANSEUROPEIAS.ppt
11-APP-INSERÇÃO DE PORTUGAL NAS REDES TRANSEUROPEIAS.ppt
 
Mobilidade e Transportes na Europa
Mobilidade e Transportes na EuropaMobilidade e Transportes na Europa
Mobilidade e Transportes na Europa
 
O Tráfego de Contentores como parte da Logística Multimodal, com enfoque no ...
O Tráfego de Contentores como parte da Logística Multimodal,  com enfoque no ...O Tráfego de Contentores como parte da Logística Multimodal,  com enfoque no ...
O Tráfego de Contentores como parte da Logística Multimodal, com enfoque no ...
 
energia.pdf
energia.pdfenergia.pdf
energia.pdf
 
Energia uniao europeia
Energia   uniao europeiaEnergia   uniao europeia
Energia uniao europeia
 
18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA
18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA 18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA
18 ANEXO I – RELATÓRIO DO GTIEVA
 
Nova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportações
Nova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportaçõesNova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportações
Nova ligação ferroviária de mercadorias vai impulsionar exportações
 
Transportes rodoviários, 9º4, Inês
Transportes rodoviários, 9º4, InêsTransportes rodoviários, 9º4, Inês
Transportes rodoviários, 9º4, Inês
 
Gasodutos
GasodutosGasodutos
Gasodutos
 
Gasodutos
GasodutosGasodutos
Gasodutos
 
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesasC-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
C-ROADS Portugal: cooperação a todos os níveis nas estradas portuguesas
 
E-80, CORREDOR MULTIMODAL PARA A EUROPA – Apresentação de Mário Lopes
E-80, CORREDOR MULTIMODAL PARA A EUROPA – Apresentação de Mário LopesE-80, CORREDOR MULTIMODAL PARA A EUROPA – Apresentação de Mário Lopes
E-80, CORREDOR MULTIMODAL PARA A EUROPA – Apresentação de Mário Lopes
 
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de SinesIII Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
 
Relatrio final - IEVA
Relatrio final - IEVARelatrio final - IEVA
Relatrio final - IEVA
 
Plano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.ePlano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.e
 
Program logistica portugal (19 04-2016)
Program logistica portugal (19 04-2016)Program logistica portugal (19 04-2016)
Program logistica portugal (19 04-2016)
 
Program logistica portugal (19 04-2016)
Program logistica portugal (19 04-2016)Program logistica portugal (19 04-2016)
Program logistica portugal (19 04-2016)
 
Tranportes ferroviarios [guardado automaticamente] 11
Tranportes ferroviarios [guardado automaticamente] 11Tranportes ferroviarios [guardado automaticamente] 11
Tranportes ferroviarios [guardado automaticamente] 11
 

Mais de Ilda Bicacro

Mais de Ilda Bicacro (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptxProjeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
Projeto Nós propomos! Sertã, 2024 - Chupetas Eletrónicas.pptx
 
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
Nós Propomos! Autocarros Elétricos - Trabalho desenvolvido no âmbito de Cidad...
 
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
Rota das Ribeiras Camp, Projeto Nós Propomos!
 
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
Nós Propomos! " Pinhais limpos, mundo saudável"
 
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptxESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
ESSertã - Nós Propomos! De mãos dadas com Rwanda.pptx
 
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! SertãConstrução (C)erta - Nós Propomos! Sertã
Construção (C)erta - Nós Propomos! Sertã
 
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdfunicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
unicef_convenc-a-o_dos_direitos_da_crianca.pdf
 
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdfA nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
A nossa escola precisa ... Nós Propomos 2 - Maria Luz Belo.pdf
 
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
PROJETO_Eu _pedalo_tu corres_ele conduz_nós andamos_ Não _arriscamos_2A_EB SE...
 
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptxEB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
EB1_Cumeada_ NP_Interculturalidade - Matilde Mateus.pptx
 
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdfProjeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
Projeto - Aprender a Viver Juntos - 3.ºSN - Sara Correia.pdf
 
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptxInterculturalidade EB1 Cumeada.pptx
Interculturalidade EB1 Cumeada.pptx
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
FLAVIA LEZAN
 

Último (20)

Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 

A inserção nas redes transeuropeias

  • 2. REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES A Política Comum dos Transportes (PCT), apesar de institucionalizada no Tratado de Roma, tardou a ser definida e aplicada. Só no Tratado de Maastrich foram traçadas as suas bases políticas, institucionais e orçamentais. Fig. Noção de modo de transporte. Pág. 178
  • 3. REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES  Assimetrias geográficas ao nível das infraestruturas e das empresas de transportes.  Congestionamento de vários eixos europeus.  Disparidades no crescimento dos diferentes modos de transporte, com um largo predomínio do rodoviário.  Crescimento da dependência do setor dos transportes face ao petróleo.  Aumento dos custos económicos e do impacte ambiental. PROBLEMAS POR RESOLVER Pág. 178
  • 4. Fig. Tráfego rodoviário. REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES Um dos grandes objetivos da PCT continua a ser a construção de uma Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T). Pág. 178
  • 5. A INSERÇÃO DAS REDES NACIONAIS NA REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES As redes portuguesas dos diferentes modos de transporte tendem a integrar-se cada vez mais nas redes europeias. Pág. 180
  • 6. Fig. Comboio de alta velocidade. A INSERÇÃO DAS REDES NACIONAIS NA REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES A construção da Rede Ferroviária de Alta Velocidade (RAVE) é uma das condições necessárias para a integração de Portugal na Rede Transeuropeia de Transportes. OBJETIVOS  Aproximar pessoas e empresas.  Gerar riqueza e desenvolvimento económico e preparar o país para o futuro.  Assegurar uma maior eficiência energética e reduzir a dependência dos combustíveis fósseis. Este projeto, devido à situação económica e financeira do país, sofreu um adiamento e só deverá avançar a partir de 2015. Fig. Rede de Alta Velocidade. Pág. 181
  • 7. REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE ENERGIA Política energética que permita:  Aumentar a competitividade da União face ao exterior.  Fazer um melhor aproveitamento energético – aumentar a eficiência.  Garantir o abastecimento em todo o território Comunitário. Fig. Rede transporte de energia REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE ENERGIA MERCADO INTERNO DA ENERGIA Pág. 182
  • 8. REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE ENERGIA PRIORIDADES: 1. Alcançar uma eficiência energética na Europa (limitar o consumo de energia de modo a atingir 20% de poupança até 2020). 2. Construir um mercado europeu integrado de energia. 3. Capacitar os consumidores e alcançar o mais alto nível de segurança/ proteção. 4. Ampliar a liderança da Europa no desenvolvimento de tecnologia energética e na inovação. 5. Reforçar a dimensão externa do mercado energético da UE. ESTRATÉGIA ENERGÉTICA EUROPEIA Pág. 182
  • 9. Fig. Rede de transporte de energia elétrica.Fig. Rede de transporte gás natural.  no setor do gás natural – a sua introdução em novas regiões, o aumento da capacidade de receção e armazenamento e o alargamento das redes de distribuição. REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE ENERGIA Na construção das redes transeuropeias de energia são prioridades:  no setor da eletricidade – a conexão de redes ainda isoladas, a ligação entre as redes de todos os Estados-membros e o desenvolvimento de ligações com Estados terceiros; Pág. 182
  • 10. REDES TRANSEUROPEIAS DE DISTRIBUIÇÃO E TRANSPORTE DE ENERGIA Fig. Rede Transeuropeia de Distribuição de Eletricidade. Os projetos prioritários da Rede Transeuropeia de Eletricidade têm em conta não só o mercado interno, mas também as ligações aos países candidatos e ao Norte de África. Fig. Rede Transeuropeia de Distribuição de Gás Natural. A Rede Transeuropeia de Gás Natural inclui ainda ligações a todo o Leste Europeu e a vários países da Ásia. Pág. 183
  • 11. REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES ATIVIDADE: Um dos grandes objetivos da Política Comum dos Transportes continua a ser a construção de uma Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T). No entanto existem ainda alguns problemas por solucionar. 1 – Diga quais são esses problemas. Verificar respostaPág. 178