SlideShare uma empresa Scribd logo
RIO VERDE – GOIÁS
   Junho de 2010
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva
      construção do projeto pedagógico
                      e
         promoção da acessibilidade.


  Professora: Jacira Gomes de Oliveira Souza
PROJETO POLÍTICO
  PEDAGÓGICO
Projeto Político
   Pedagógico

Bússola que Orienta
         o
     Trabalho
         da
      Escola
• É a própria organização do trabalho pedagógico
  escolar como um todo, em suas especificidades,
  níveis e modalidades.

• É Político por que diz respeito à arte e à ciência
  de governar. Ele prevê e dá uma direção à
  gestão da escola, e pressupõe a opção e
  compromisso com a formação do cidadão para
  um determinado tipo de sociedade
• É Pedagógico por que diz respeito à reflexão
 sistemática sobre as práticas educativas: dá
 sentido e rumo   às   práticas   contextualizadas
 culturalmente.
PROJETO POLÍTICO
PEDAGÓGICO DA ESCOLA
• É o instrumento que define o “ser” da escola, a sua
  identidade, o modelo pedagógico que é aplicado, os
  objetivos, a metodologia do ensino, o perfil do aluno
  que deseja formar, o perfil dos educadores, as
  estratégias de avaliação dos processos de ensino e
  aprendizagem, contemplando a diversidade em todos
  os   seus   aspectos:   sociais,   culturais,   políticos,
  econômicos, de gênero, geração

  e etnia.
“O projeto representa a oportunidade de a direção, a
 coordenação    pedagógica,    os   professores   e     a
 comunidade tomarem sua escola nas mãos, definir
 seu papel estratégico na educação das crianças e
 jovens, organizar suas ações, visando atingir os
 objetivos            a             que               se
 propõe. É o ordenador, o norteador da vida escolar”.

                                          J.C. Libâneo
•    A identidade da escola é definida pela sua
    vinculação às questões inerentes à sua realidade,
    ancorando-se na temporalidade e saberes próprios
    dos estudantes, na memória coletiva que sinaliza
    futuros, na rede de ciência e tecnologia disponível na
    sociedade e nos movimentos sociais....

                 (Resolução CNE/CEB Nº 01/2002)
PROJETO PEDAGÓGICO DA
  ESCOLA E A LDB – LEI
       9.394/96.
• Na LDB, destacam-se três grandes eixos
 diretamente   relacionadas à   construção do
 Projeto Pedagógico.

    O eixo da Flexibilidade – Vincula-se à
 autonomia, possibilitando à escola organizar o
 seu próprio trabalho pedagógico.
O eixo da avaliação – reforça um aspecto importante a
ser observado nos vários níveis do ensino publico
(artigo 9ª, inciso VI).

O eixo da liberdade – expressa-se no âmbito do
pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas
(artigo 3ª, inciso III) e da proposta de gestão
democrática do ensino publico (artigo 3ª, inciso VIII), a
ser definida em cada sistema de ensino.
• O artigo 12, inciso – I afirma que os
 estabelecimentos de ensino, respeitadas as
 normas comuns e as do seu sistema de ensino,
 terão a incumbência de:



    “I   - elaborar e executar sua proposta
 pedagógica”.
• Os artigos 13 e 14 definem as incumbências
 docentes      com   relação   ao    projeto
 pedagógico.

Art. 13 “I – participar da elaboração da
 proposta pedagógica do estabelecimento
 de ensino”.
Art. 14 “I – participação dos profissionais
de educação na elaboração do projeto
pedagógico da escola”.
DIMENSÕES DA AUTONOMIA

                 PEDAGÓGICA



ADMINISTRATIVA                JURÍDICA
                 ESCOLA


                 FINANCEIRA
“[...] A ESCOLA FAZ
   POLÍTICA NÃO SÓ PELO
   QUE DIZ, MAS PELO QUE
   TAMBÉM SE CALA; NÃO
   SÓ PELO PELO QUE FAZ,
   MAS TAMBÉM PELO QUE
            NÃO FAZ.”
GUTIÉRREZ, Francisco . Educação como práxis política, 1988.
Como é a escola
  que temos?
O processo de
construção de uma
 Escola Inclusiva é
um processo lento e
que tem encontrado
 muitos obstáculos
   pelo caminho
Pesquisas Brasileiras com Professores e
          Diretores de Escola
             Dificuldades Observadas

•Faltade formação dos professores das
classes regulares no que diz respeito às
crianças com necessidades educativas
especiais.

•Resistência velada por parte de professores
em ter alunos com necessidades educativas
especiais em suas salas de aula.
Pesquisas Brasileiras com Professores e
          Diretores de Escola

         Dificuldades Observadas

 • Ausência de necessária colaboração e apoio
 de outros agentes envolvidos no processo
 educativo, incluindo a família.


 •Falta de recursos humanos e materiais
 necessários para garantir serviços educativos
 de qualidade.
                     Carvalho, 2003; Sant’ Ana, 2004
Condições Necessárias para o Êxito da
        Educação Inclusiva


  •Intenso comprometimento de todos os
  responsáveis pela educação.

  •Recursos complementares (apoio de
  especialistas).

  •Recursos materiais.•Cultura educativa de
  valorização da diversidade.
Condições Necessárias para o Êxito
          da Educação Inclusiva


•Demais alunos educados no respeito à diversidade.


•Professor realmente interessado no
desenvolvimento do aluno com necessidades especiais.


•Consistência entre condutas educacionais na escola e
no lar.
Projeto Político Pedagógico
Não há vento favorável
 para quem não sabe
  onde quer chegar!
POLÍTICA NACIONAL DE
  EDUCAÇÃO ESPECIAL NA
PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO
INCLUSIVA E ATENDIMENTO
      EDUCACIONAL
     ESPECIALIZADO
A escola pública deixa de ser
aquela escola risonha e franca das
antigas elites, com a chegada dos
  antes dela excluídos, mas não
    consegue corresponder às
      expectativas da classe
         trabalhadora [...]
 BORGES, Zacarias Pereira, Revista do Projeto Pedagógico – UDEMO,
                               2006.
Educação Inclusiva significa assegurar a
todos os educandos, sem exceção,
independentemente de sua origem sócio-
cultural   e     de     sua     evolução
psicobiológica,    a     igualdade    de
oportunidades educativas, para que,
desse modo, possam usufruir de
serviços educativos de qualidade.
                    Vítor da Fonseca, 2003
EDUCAÇÃO INCLUSIVA
- constitui um paradigma fundamentado nos
direitos humanos;
  MOVIMENTO MUNDIAL PELA INCLUSÃO
- conjuga igualdade e diferença como valores
indissociáveis;
- convida a escola e a sociedade a criar
                     Ações
alternativas para superação da exclusão;
- implica em uma mudança estrutural e cultural
   Política    Cultural    Social     Pedagógica
da escola comum para que esta receba todos os
alunos.
Defesa do direito de todos os alunos pertencer, aprender e participar
                     da escola sem discriminação
“Começamos a escola do futuro
      no presente, nas escolas que
    temos. Isto reclama de nós uma
    primeira atitude: a consideração
      da realidade, da situação das
         escolas que temos, e o
     confronto do que temos com o
      que queremos e precisamos
               construir .”

RIOS, Terezinha Azeredo, Idéias 15, p. 73-77, FDE
É imprescindível que se tenha,
  na escola, um ambiente de
  acolhida, aceitação mútua,
 interesse pelos outros como
  condição para que haja um
  envolvimento de todos nas
atividades a serem realizadas.
Trabalhamos muito ...



Não devemos esquecer que:

        Somos educadores...
     e não remadores no porão
          de uma galera!!
PROJETO POLÍTICO
     PEDAGÓGICO?
PROJETO PEDAGÓGICO?
PROPOSTA PEDAGÓGICA...
“Na realidade, o
  documento em questão,
   nada mais é que uma
fonte, uma perene de onde
 partem o pensamento e a
 ação da prática educativa
de determinada instituição
    escolar. Ele confere
      direção ao fazer
pedagógico, dá a sua cara,
   seu formato, sua voz”


     Lorena R. Carvalho
[...] Projetar-se é relacionar-se com
 o futuro, é começar a fazê-lo. E só
há um momento de fazer o futuro –
            NO PRESENTE.
 O presente – momento único de
experiência e relação – traz no seu
  bojo o passado, enquanto vida
   incorporada em memória, e o
 futuro, enquanto vida projetada.


RIOS, Terezinha Azeredo, Idéias 15, p. 73-77, FDE
PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO:
                  O QUE É AFINAL?
Segundo Vasconcellos (1995, p. 143),
projeto político-pedagógico
 (...) é um instrumento teórico-metodológico
 que visa ajudar a enfrentar os desafios do
 cotidiano da escola, só que de uma forma
 refletida, consciente, sistematizada, orgânica
 e, o que é essencial, participativa. É uma
 metodologia de trabalho que possibilita
 ressignificar a ação de todos os agentes da
 instituição.
Plano ou o planejamento escolar além de
 orientar as atividades escolares, garante
uma unidade teórico-metodológica da ação
docente, sendo estas as funções primeiras
      do projeto político-pedagógico
Essa ação consideravelmente abrangente
   relaciona-se diretamente a uma
  característica central da educação
   formalizada: a intencionalidade.

  A necessária sistematização é dada pelo
projeto político-pedagógico o qual estabelece
ordem, objetividade e traça um horizonte a ser
       alcançado pelo trabalho escolar.
• “O projeto representa a oportunidade
      de a direção, a coordenação
     pedagógica, os professores e a
  comunidade, tomarem sua escola nas
  mãos, definir seu papel estratégico na
    educação das crianças e jovens,
 organizar suas ações, visando a atingir
    os objetivos que se propõem. É o
     ordenador, o norteador da vida
                 escolar”.
                           J.C. Libâneo
Como é a escola
que pretendemos ?
“Não vamos perder nosso tempo
   na elaboração de um guia
 turístico, mas de um mapa de
             orientação”.

   RIOS, Terezinha Azeredo, Idéias 15, p. 73-77, FDE
Projeto político-pedagógico


   • Deve traduzir a história da instituição;
 • Deve orientar o documento normativo da
         escola (Regimento Interno);
• Deve ser elaborado a partir dos princípios
                 norteadores.
SUGESTÃO-ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO
   DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA
                UNIDADE ESCOLAR


1. Identificação da escola
 Nome,     endereço,    localização,   situação   legal,
  modalidade de ensino, quadro de pessoal, etc.
2. Diagnóstico da realidade atual da escola:

- Dados coletados no PDE
- Dados coletados nos resultados de aprovação
e reprovação dos alunos no ano letivo de 2009
- Resultado das avaliações – SAEB, Provinha
Goiás, etc.
- Resultado das avaliações da equipe escolar,
do conselho escolar e do conselho dos pais
- Ambiente físico
- Realidade pedagógica
- Aspectos financeiros
- Relacionamento escola X pais X comunidade
3. Apresentação e/ou justificativa
• Foco - razões e relevância da proposta para a
comunidade escolar, tomando como referência a
filosofia, metas e objetivos educacionais

4. Filosofia da escola
    • Foco na concepção da educação que a escola
propõe (ideal de cidadão)
    • Direcionado para os aspectos normativos e
informativos gerais, diante da função social da
escola
    • Perpassa pelos valores éticos, morais,sociais,
religiosos, etc.
5. Objetivos gerais e conteúdo programático

Relato sintético sobre as mudanças que se esperam
ocorram ao longo do processo educativo
Têm caráter mediato
Apresenta conhecimentos, hábitos e atitudes que
serão incorporados e apreendidos
São elaborados por disciplina e série
Apresentação dos conteúdos: no plano ou
posteriormente
6. Metas
Descrição possível de ser detalhada em termos
qualitativos e quantitativos, em relação a um
período de tempo.




7. Ações/ Atividades e Recursos
Ações Estratégicas → devem ser de
responsabilidade de todos. Devem ser claras,
variadas e unificadas
Exemplo de Roteiro
•Contextualização e caracterização da escola
   –Caracterização da comunidade: aspectos
   geográficos, históricos, sócio-econômicos.
   –Perfil dos alunos, corpo técnico pedagógico, apoio.
   –Breve histórico da instituição.


•Concepção da educação e da prática pedagógica
  –Perfil do aluno que se quer formar.
  –Princípios norteadores da prática.
•      Que sujeitos precisamos formar?

•       Quais saberes precisamos
    discutir?

•       Que sociedade queremos para
    viver?

•      Que escola queremos construir?

•        Que educação precisamos
    priorizar?
Quem participa e em que condições?

 Gestor – Maestro
 Equipe e Comunidade - Orquestra
 Proposta Pedagógica - Partitura
   Lembrete: A pausa é essencial para a
          execução da música.
Exemplo de Roteiro

•   Estrutura e Funcionamento

•   Organização da escola âmbito espaço-
    temporal
    –   Níveis de oferta
    –   Agrupamentos
    –   Calendário
    –   Rotinas
Exemplo de Roteiro
•Âmbito relacional
             »Papel / perfil / responsabilidades
   –         diretor
   –         professor
   –         coordenador
   –         aluno
   –         apoio
   –         família

•Âmbito administrativo financeiro
   –Modelo / instâncias de gestão
   –Responsabilidades
PROJETO POLÍTICO – PEDAGÓGICO
   E SEUS DESDOBRAMENTOS.

O que você (a escola) quer ser daqui a
5, 10 anos? E como quer estar?
Intenções concretas
  Desejo
  Sonho
  Expectativa
PROJETO POLÍTICO – PEDAGÓGICO
   E SEUS DESDOBRAMENTOS.

 O que vai fazer para conseguir?
 E como?
  Mobilizar-se para enfrentar e resolver
 as necessidades.
   Metas
   Tomada de decisões
Quem participa e em que condições?

 Gestor – Maestro
 Equipe e Comunidade - Orquestra
 Proposta Pedagógica - Partitura
   Lembrete: A pausa é essencial para a
          execução da música.
“[...] parar para pensar, parar para olhar, parar
   para escutar, pensar mais devagar, olhar mais
  devagar e escutar, parar para sentir, sentir mais
   devagar, demorar-se nos detalhes, suspender a
  opinião, suspender o juízo, suspender a vontade,
    suspender o automatismo da ação, cultivar a
 atenção e a delicadeza, abrir os olhos e os ouvidos,
falar sobre o que nos acontece, aprender a lentidão,
escutar aos outros, cultivar a arte do encontro, calar
   muito, ter paciência e dar-se tempo e espaço”.

 LARROSA BONDÍA, Jorge. Notas sobre a experiência e o
 saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, 2002.
O ensino começa e
   termina com a
     avaliação...
   Projeto Político
Pedagógico também!
Roteiro para Plano de Atendimento

      Educacional Especializado.
1- Objetivos do plano
2- Organização Atendimento:
Período de atendimento; de
(mês)... a (mês) ...
Roteiro para Plano de Atendimento
     Educacional Especializado



2- Organização Atendimento:
 Período de atendimento; de (mês)... a (mês
  Freqüência (número de vezes por semana para
atendimento do aluno):
 Tempo de atendimento (em horas ou minutos):
 Composição do atendimento ( ) individual ( ) coletivo
 Outros:
Roteiro para Plano de Atendimento
        Educacional Especializado


3 – Atividades a serem desenvolvidas no
atendimento ao aluno :
4 – Seleção de materiais a serem produzidos
para o aluno:


5 – Adequações de materiais: liste os materiais que
necessitem de adequações para atender às
necessidades do aluno (exemplo: engrossadores de
lápis, papel com pautas espaçadas e outros)
Roteiro para Plano de Atendimento
    Educacional Especializado


6 – Seleção de materiais e equipamentos que
necessitam ser adquiridos; liste os recurso materiais
que precisam era encaminhados para compra e / ou
que já existem na sala de recursos multifuncionais:
7 – Tipos de parcerias necessárias para
aprimoramento do atendimento e da produção de
materiais: terapeuta ocupacional para criar uma
tesoura adaptada, marceneiro para executá-la,
costureira para fazer uma calça com enchimento para
trabalhar com criança e outros:
Roteiro para Plano de Atendimento
       Educacional Especializado

8 – Profissionais da escola que receberão
orientação do professor de AEE sobre serviços e
recursos oferecidos ao aluno;
 Professor de sala de aula
 Professor da Educação Física
 Colegas de turma
 Diretor escolar
 Equipe pedagógica
 Outros . Quais
Roteiro para Plano de Atendimento
           Educacional Especializado

B - Avaliação dos resultados
1 – Indicação de formas de registro
O plano deverá ser avaliado durante toda a sua
execução.
O registro da avaliação do plano deverá ser feito
em caderno ou em ficha de acompanhamento,
onde serão descritos pelo o professor do AEE o
uso do serviço e do recurso em sala de aula,
durante o AEE e no ambiente familiar
Roteiro para Plano de Atendimento
        Educacional Especializado



Avaliação dos resultados
Cont....
No registro, deverão constar as mudanças
observadas em relação ao aluno no contexto
escolar: o que contribuiu para as mudanças
constatadas: repercussões das ações do plano de
AEE no desempenho escolar do aluno.
Roteiro para Plano de Atendimento
       Educacional Especializado



2 – Resultados obtidos diante dos objetivos
do Plano de AEE:
3 – Reestruturação do Plano ; liste os pontos
de reestruturação do Plano de AEE, caso os
objetivos do Plano não tenham sido atingidos:
 Pesquisar e implementar outros recursos
 Estabelecer movas parcerias.
 Outros
“[...] parar para pensar, parar para olhar, parar
   para escutar, pensar mais devagar, olhar mais
  devagar e escutar, parar para sentir, sentir mais
   devagar, demorar-se nos detalhes, suspender a
  opinião, suspender o juízo, suspender a vontade,
    suspender o automatismo da ação, cultivar a
 atenção e a delicadeza, abrir os olhos e os ouvidos,
falar sobre o que nos acontece, aprender a lentidão,
escutar aos outros, cultivar a arte do encontro, calar
   muito, ter paciência e dar-se tempo e espaço”.
Obrigada!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Almeida Emilene Santos
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica PedagógicaEducação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
AEE
AEEAEE
Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1
Daniel Rodrigues de Lima
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação Infantil
Lucas Silva
 
Historia da Educação Especial no Brasil
 Historia da Educação Especial no Brasil Historia da Educação Especial no Brasil
Historia da Educação Especial no Brasil
izabel Lucia
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
Margarete Macedo
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
Adriana Mércia
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
Rosana Santos
 
Educacao inclusiva
Educacao inclusivaEducacao inclusiva
Educacao inclusiva
Cristiana Chaves
 
AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO
AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADOAEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO
AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO
Danielle Souza
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Instituto Consciência GO
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
Roshelly Milanez
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Anaí Peña
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
Marcélia Amorim Cardoso
 
Conheça a Aee
Conheça a AeeConheça a Aee
Conheça a Aee
curso100hs
 
Inclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentosInclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentos
Thiago Tavares
 
Aula 2 e 3
Aula 2 e 3Aula 2 e 3
Aula 2 e 3
Gleisser
 

Mais procurados (20)

Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica PedagógicaEducação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
Educação Inclusiva Desafio no Ambiente Escolar e na Pratica Pedagógica
 
AEE
AEEAEE
AEE
 
Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação Infantil
 
Historia da Educação Especial no Brasil
 Historia da Educação Especial no Brasil Historia da Educação Especial no Brasil
Historia da Educação Especial no Brasil
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
 
Educacao inclusiva
Educacao inclusivaEducacao inclusiva
Educacao inclusiva
 
AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO
AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADOAEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO
AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
 
Conheça a Aee
Conheça a AeeConheça a Aee
Conheça a Aee
 
Inclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentosInclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentos
 
Aula 2 e 3
Aula 2 e 3Aula 2 e 3
Aula 2 e 3
 

Destaque

Computador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO Final
Computador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO FinalComputador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO Final
Computador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO Final
Wanessa de Castro
 
A formação continuada de professores
A formação continuada de professoresA formação continuada de professores
A formação continuada de professores
rosania39
 
Produção social de conhecimento em projetos educacionais
Produção social de conhecimento em projetos educacionaisProdução social de conhecimento em projetos educacionais
Produção social de conhecimento em projetos educacionais
Vera SSantos
 
Tecnologias Digitais na Educação
Tecnologias Digitais na EducaçãoTecnologias Digitais na Educação
Tecnologias Digitais na Educação
Prof. JC
 
Fundamentos para inclusão
Fundamentos para inclusãoFundamentos para inclusão
Fundamentos para inclusão
mhlrute
 
Inlcusão -Power point inclusão c musica
Inlcusão -Power point inclusão c musicaInlcusão -Power point inclusão c musica
Inlcusão -Power point inclusão c musica
Luís Henrique Silva
 
Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
Instituto Consciência GO
 
Projeto eja cesar_ribeiro
Projeto eja cesar_ribeiroProjeto eja cesar_ribeiro
Projeto eja cesar_ribeiro
César Ribeiro
 
Políticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MECPolíticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MEC
Tânia Márcia Tomaszewski
 
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas AtuaisPalestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Marcio Morais
 
Projeto de formação continuada
Projeto de formação continuadaProjeto de formação continuada
Projeto de formação continuada
Escola Tancredo A. Neves
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
moniquests
 
Projeto Formação Continuada
Projeto Formação ContinuadaProjeto Formação Continuada
Projeto Formação Continuada
COORDENADORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO VILHENA
 
SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!
SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!
SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!
geanilha
 
Metodologias para eja
Metodologias para ejaMetodologias para eja
Metodologias para eja
deismachadoo
 
Projeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJAProjeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJA
prof_roseli_barbosa
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
Andreia Gomes
 
Deficiência Intelectual na Escola
Deficiência Intelectual na EscolaDeficiência Intelectual na Escola
Deficiência Intelectual na Escola
Claudia Elisabete Silva
 
Pedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaPedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusiva
Carina Zandonai
 
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Raimunda Pereira Lopes
 

Destaque (20)

Computador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO Final
Computador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO FinalComputador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO Final
Computador, Projetos E Transdisciplinaridade VersãO Final
 
A formação continuada de professores
A formação continuada de professoresA formação continuada de professores
A formação continuada de professores
 
Produção social de conhecimento em projetos educacionais
Produção social de conhecimento em projetos educacionaisProdução social de conhecimento em projetos educacionais
Produção social de conhecimento em projetos educacionais
 
Tecnologias Digitais na Educação
Tecnologias Digitais na EducaçãoTecnologias Digitais na Educação
Tecnologias Digitais na Educação
 
Fundamentos para inclusão
Fundamentos para inclusãoFundamentos para inclusão
Fundamentos para inclusão
 
Inlcusão -Power point inclusão c musica
Inlcusão -Power point inclusão c musicaInlcusão -Power point inclusão c musica
Inlcusão -Power point inclusão c musica
 
Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
 
Projeto eja cesar_ribeiro
Projeto eja cesar_ribeiroProjeto eja cesar_ribeiro
Projeto eja cesar_ribeiro
 
Políticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MECPolíticas Públicas para EJA - MEC
Políticas Públicas para EJA - MEC
 
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas AtuaisPalestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
Palestra sobre EJA e o Mundo do trabalho e as Políticas Atuais
 
Projeto de formação continuada
Projeto de formação continuadaProjeto de formação continuada
Projeto de formação continuada
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
Projeto Formação Continuada
Projeto Formação ContinuadaProjeto Formação Continuada
Projeto Formação Continuada
 
SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!
SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!
SLIDE DE SENSIBILIZAÇÃO !!!!!!
 
Metodologias para eja
Metodologias para ejaMetodologias para eja
Metodologias para eja
 
Projeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJAProjeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJA
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
 
Deficiência Intelectual na Escola
Deficiência Intelectual na EscolaDeficiência Intelectual na Escola
Deficiência Intelectual na Escola
 
Pedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaPedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusiva
 
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
 

Semelhante a A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógico e promoção da acessibilidade.

PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
Ana Silva
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis
 
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.brProjeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
Prof Palmito Rocha
 
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
LinaKelly3
 
E.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra finalE.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra final
Ester Resende
 
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
UFPB
 
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do pppGestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
Susanne Messias
 
A escola na perspectiva da educ inclusiva
A escola na perspectiva da educ inclusivaA escola na perspectiva da educ inclusiva
A escola na perspectiva da educ inclusiva
rosania39
 
Os desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_finalOs desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_final
Radar Ufmg
 
Op ppp coordenacao pedagogica final
Op ppp coordenacao pedagogica   finalOp ppp coordenacao pedagogica   final
Op ppp coordenacao pedagogica final
Carlos Junior
 
Tecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão EscolarTecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão Escolar
Danielle Souza
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Ulisses Vakirtzis
 
Educação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.ppt
Educação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.pptEducação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.ppt
Educação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.ppt
Igor Sampaio Pinho
 
cp2019tatiana.pptx
cp2019tatiana.pptxcp2019tatiana.pptx
cp2019tatiana.pptx
LUIZFELIPEVIEIRAFERR1
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
UyaraPortugal
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
UyaraPortugal
 
PPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGA
PPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGAPPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGA
PPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGA
Ana Silva
 
projeto político pedagógico.pptx 2222222
projeto político pedagógico.pptx 2222222projeto político pedagógico.pptx 2222222
projeto político pedagógico.pptx 2222222
NilmarSilva10
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
André Alencar
 

Semelhante a A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógico e promoção da acessibilidade. (20)

PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.brProjeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
 
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
 
E.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra finalE.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra final
 
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
 
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do pppGestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
Gestão educacional ii – concepções e fundamentos do ppp
 
A escola na perspectiva da educ inclusiva
A escola na perspectiva da educ inclusivaA escola na perspectiva da educ inclusiva
A escola na perspectiva da educ inclusiva
 
Os desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_finalOs desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_final
 
Op ppp coordenacao pedagogica final
Op ppp coordenacao pedagogica   finalOp ppp coordenacao pedagogica   final
Op ppp coordenacao pedagogica final
 
Tecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão EscolarTecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão Escolar
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
Educação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.ppt
Educação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.pptEducação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.ppt
Educação Física e Inclusão na Escola_relação com a diversidade.ppt
 
cp2019tatiana.pptx
cp2019tatiana.pptxcp2019tatiana.pptx
cp2019tatiana.pptx
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 
PPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGA
PPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGAPPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGA
PPP 2015 EC 29 DE TAGUATINGA
 
projeto político pedagógico.pptx 2222222
projeto político pedagógico.pptx 2222222projeto político pedagógico.pptx 2222222
projeto político pedagógico.pptx 2222222
 
Atividade modulo ii respostas
Atividade modulo ii   respostasAtividade modulo ii   respostas
Atividade modulo ii respostas
 

Mais de Instituto Consciência GO

O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
Instituto Consciência GO
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
Instituto Consciência GO
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
Instituto Consciência GO
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
Instituto Consciência GO
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Instituto Consciência GO
 
TDAH
TDAHTDAH
Atenção
AtençãoAtenção
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Instituto Consciência GO
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
Instituto Consciência GO
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Instituto Consciência GO
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
Instituto Consciência GO
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Instituto Consciência GO
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
Instituto Consciência GO
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Instituto Consciência GO
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Instituto Consciência GO
 
SIAD
SIADSIAD
Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011
Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011
Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011
Instituto Consciência GO
 

Mais de Instituto Consciência GO (20)

O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
DCNEIs
 
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
 
SIAD
SIADSIAD
SIAD
 
Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011
Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011
Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011
 

Último

Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 

A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógico e promoção da acessibilidade.

  • 1. RIO VERDE – GOIÁS Junho de 2010
  • 2. A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógico e promoção da acessibilidade. Professora: Jacira Gomes de Oliveira Souza
  • 3. PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO
  • 4. Projeto Político Pedagógico Bússola que Orienta o Trabalho da Escola
  • 5. • É a própria organização do trabalho pedagógico escolar como um todo, em suas especificidades, níveis e modalidades. • É Político por que diz respeito à arte e à ciência de governar. Ele prevê e dá uma direção à gestão da escola, e pressupõe a opção e compromisso com a formação do cidadão para um determinado tipo de sociedade
  • 6. • É Pedagógico por que diz respeito à reflexão sistemática sobre as práticas educativas: dá sentido e rumo às práticas contextualizadas culturalmente.
  • 8. • É o instrumento que define o “ser” da escola, a sua identidade, o modelo pedagógico que é aplicado, os objetivos, a metodologia do ensino, o perfil do aluno que deseja formar, o perfil dos educadores, as estratégias de avaliação dos processos de ensino e aprendizagem, contemplando a diversidade em todos os seus aspectos: sociais, culturais, políticos, econômicos, de gênero, geração e etnia.
  • 9. “O projeto representa a oportunidade de a direção, a coordenação pedagógica, os professores e a comunidade tomarem sua escola nas mãos, definir seu papel estratégico na educação das crianças e jovens, organizar suas ações, visando atingir os objetivos a que se propõe. É o ordenador, o norteador da vida escolar”. J.C. Libâneo
  • 10. A identidade da escola é definida pela sua vinculação às questões inerentes à sua realidade, ancorando-se na temporalidade e saberes próprios dos estudantes, na memória coletiva que sinaliza futuros, na rede de ciência e tecnologia disponível na sociedade e nos movimentos sociais.... (Resolução CNE/CEB Nº 01/2002)
  • 11. PROJETO PEDAGÓGICO DA ESCOLA E A LDB – LEI 9.394/96.
  • 12. • Na LDB, destacam-se três grandes eixos diretamente relacionadas à construção do Projeto Pedagógico. O eixo da Flexibilidade – Vincula-se à autonomia, possibilitando à escola organizar o seu próprio trabalho pedagógico.
  • 13. O eixo da avaliação – reforça um aspecto importante a ser observado nos vários níveis do ensino publico (artigo 9ª, inciso VI). O eixo da liberdade – expressa-se no âmbito do pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas (artigo 3ª, inciso III) e da proposta de gestão democrática do ensino publico (artigo 3ª, inciso VIII), a ser definida em cada sistema de ensino.
  • 14. • O artigo 12, inciso – I afirma que os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de: “I - elaborar e executar sua proposta pedagógica”.
  • 15. • Os artigos 13 e 14 definem as incumbências docentes com relação ao projeto pedagógico. Art. 13 “I – participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino”.
  • 16. Art. 14 “I – participação dos profissionais de educação na elaboração do projeto pedagógico da escola”.
  • 17. DIMENSÕES DA AUTONOMIA PEDAGÓGICA ADMINISTRATIVA JURÍDICA ESCOLA FINANCEIRA
  • 18. “[...] A ESCOLA FAZ POLÍTICA NÃO SÓ PELO QUE DIZ, MAS PELO QUE TAMBÉM SE CALA; NÃO SÓ PELO PELO QUE FAZ, MAS TAMBÉM PELO QUE NÃO FAZ.” GUTIÉRREZ, Francisco . Educação como práxis política, 1988.
  • 19. Como é a escola que temos?
  • 20. O processo de construção de uma Escola Inclusiva é um processo lento e que tem encontrado muitos obstáculos pelo caminho
  • 21. Pesquisas Brasileiras com Professores e Diretores de Escola Dificuldades Observadas •Faltade formação dos professores das classes regulares no que diz respeito às crianças com necessidades educativas especiais. •Resistência velada por parte de professores em ter alunos com necessidades educativas especiais em suas salas de aula.
  • 22. Pesquisas Brasileiras com Professores e Diretores de Escola Dificuldades Observadas • Ausência de necessária colaboração e apoio de outros agentes envolvidos no processo educativo, incluindo a família. •Falta de recursos humanos e materiais necessários para garantir serviços educativos de qualidade. Carvalho, 2003; Sant’ Ana, 2004
  • 23. Condições Necessárias para o Êxito da Educação Inclusiva •Intenso comprometimento de todos os responsáveis pela educação. •Recursos complementares (apoio de especialistas). •Recursos materiais.•Cultura educativa de valorização da diversidade.
  • 24. Condições Necessárias para o Êxito da Educação Inclusiva •Demais alunos educados no respeito à diversidade. •Professor realmente interessado no desenvolvimento do aluno com necessidades especiais. •Consistência entre condutas educacionais na escola e no lar. Projeto Político Pedagógico
  • 25. Não há vento favorável para quem não sabe onde quer chegar!
  • 26. POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA E ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO
  • 27. A escola pública deixa de ser aquela escola risonha e franca das antigas elites, com a chegada dos antes dela excluídos, mas não consegue corresponder às expectativas da classe trabalhadora [...] BORGES, Zacarias Pereira, Revista do Projeto Pedagógico – UDEMO, 2006.
  • 28. Educação Inclusiva significa assegurar a todos os educandos, sem exceção, independentemente de sua origem sócio- cultural e de sua evolução psicobiológica, a igualdade de oportunidades educativas, para que, desse modo, possam usufruir de serviços educativos de qualidade. Vítor da Fonseca, 2003
  • 29. EDUCAÇÃO INCLUSIVA - constitui um paradigma fundamentado nos direitos humanos; MOVIMENTO MUNDIAL PELA INCLUSÃO - conjuga igualdade e diferença como valores indissociáveis; - convida a escola e a sociedade a criar Ações alternativas para superação da exclusão; - implica em uma mudança estrutural e cultural Política Cultural Social Pedagógica da escola comum para que esta receba todos os alunos. Defesa do direito de todos os alunos pertencer, aprender e participar da escola sem discriminação
  • 30. “Começamos a escola do futuro no presente, nas escolas que temos. Isto reclama de nós uma primeira atitude: a consideração da realidade, da situação das escolas que temos, e o confronto do que temos com o que queremos e precisamos construir .” RIOS, Terezinha Azeredo, Idéias 15, p. 73-77, FDE
  • 31. É imprescindível que se tenha, na escola, um ambiente de acolhida, aceitação mútua, interesse pelos outros como condição para que haja um envolvimento de todos nas atividades a serem realizadas.
  • 32. Trabalhamos muito ... Não devemos esquecer que: Somos educadores... e não remadores no porão de uma galera!!
  • 33. PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO? PROJETO PEDAGÓGICO? PROPOSTA PEDAGÓGICA...
  • 34. “Na realidade, o documento em questão, nada mais é que uma fonte, uma perene de onde partem o pensamento e a ação da prática educativa de determinada instituição escolar. Ele confere direção ao fazer pedagógico, dá a sua cara, seu formato, sua voz” Lorena R. Carvalho
  • 35. [...] Projetar-se é relacionar-se com o futuro, é começar a fazê-lo. E só há um momento de fazer o futuro – NO PRESENTE. O presente – momento único de experiência e relação – traz no seu bojo o passado, enquanto vida incorporada em memória, e o futuro, enquanto vida projetada. RIOS, Terezinha Azeredo, Idéias 15, p. 73-77, FDE
  • 36. PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO: O QUE É AFINAL? Segundo Vasconcellos (1995, p. 143), projeto político-pedagógico (...) é um instrumento teórico-metodológico que visa ajudar a enfrentar os desafios do cotidiano da escola, só que de uma forma refletida, consciente, sistematizada, orgânica e, o que é essencial, participativa. É uma metodologia de trabalho que possibilita ressignificar a ação de todos os agentes da instituição.
  • 37. Plano ou o planejamento escolar além de orientar as atividades escolares, garante uma unidade teórico-metodológica da ação docente, sendo estas as funções primeiras do projeto político-pedagógico
  • 38. Essa ação consideravelmente abrangente relaciona-se diretamente a uma característica central da educação formalizada: a intencionalidade. A necessária sistematização é dada pelo projeto político-pedagógico o qual estabelece ordem, objetividade e traça um horizonte a ser alcançado pelo trabalho escolar.
  • 39. • “O projeto representa a oportunidade de a direção, a coordenação pedagógica, os professores e a comunidade, tomarem sua escola nas mãos, definir seu papel estratégico na educação das crianças e jovens, organizar suas ações, visando a atingir os objetivos que se propõem. É o ordenador, o norteador da vida escolar”. J.C. Libâneo
  • 40. Como é a escola que pretendemos ?
  • 41. “Não vamos perder nosso tempo na elaboração de um guia turístico, mas de um mapa de orientação”. RIOS, Terezinha Azeredo, Idéias 15, p. 73-77, FDE
  • 42. Projeto político-pedagógico • Deve traduzir a história da instituição; • Deve orientar o documento normativo da escola (Regimento Interno); • Deve ser elaborado a partir dos princípios norteadores.
  • 43. SUGESTÃO-ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA UNIDADE ESCOLAR 1. Identificação da escola Nome, endereço, localização, situação legal, modalidade de ensino, quadro de pessoal, etc.
  • 44. 2. Diagnóstico da realidade atual da escola: - Dados coletados no PDE - Dados coletados nos resultados de aprovação e reprovação dos alunos no ano letivo de 2009 - Resultado das avaliações – SAEB, Provinha Goiás, etc. - Resultado das avaliações da equipe escolar, do conselho escolar e do conselho dos pais - Ambiente físico - Realidade pedagógica - Aspectos financeiros - Relacionamento escola X pais X comunidade
  • 45. 3. Apresentação e/ou justificativa • Foco - razões e relevância da proposta para a comunidade escolar, tomando como referência a filosofia, metas e objetivos educacionais 4. Filosofia da escola • Foco na concepção da educação que a escola propõe (ideal de cidadão) • Direcionado para os aspectos normativos e informativos gerais, diante da função social da escola • Perpassa pelos valores éticos, morais,sociais, religiosos, etc.
  • 46. 5. Objetivos gerais e conteúdo programático Relato sintético sobre as mudanças que se esperam ocorram ao longo do processo educativo Têm caráter mediato Apresenta conhecimentos, hábitos e atitudes que serão incorporados e apreendidos São elaborados por disciplina e série Apresentação dos conteúdos: no plano ou posteriormente
  • 47. 6. Metas Descrição possível de ser detalhada em termos qualitativos e quantitativos, em relação a um período de tempo. 7. Ações/ Atividades e Recursos Ações Estratégicas → devem ser de responsabilidade de todos. Devem ser claras, variadas e unificadas
  • 48. Exemplo de Roteiro •Contextualização e caracterização da escola –Caracterização da comunidade: aspectos geográficos, históricos, sócio-econômicos. –Perfil dos alunos, corpo técnico pedagógico, apoio. –Breve histórico da instituição. •Concepção da educação e da prática pedagógica –Perfil do aluno que se quer formar. –Princípios norteadores da prática.
  • 49. Que sujeitos precisamos formar? • Quais saberes precisamos discutir? • Que sociedade queremos para viver? • Que escola queremos construir? • Que educação precisamos priorizar?
  • 50. Quem participa e em que condições? Gestor – Maestro Equipe e Comunidade - Orquestra Proposta Pedagógica - Partitura Lembrete: A pausa é essencial para a execução da música.
  • 51. Exemplo de Roteiro • Estrutura e Funcionamento • Organização da escola âmbito espaço- temporal – Níveis de oferta – Agrupamentos – Calendário – Rotinas
  • 52. Exemplo de Roteiro •Âmbito relacional »Papel / perfil / responsabilidades – diretor – professor – coordenador – aluno – apoio – família •Âmbito administrativo financeiro –Modelo / instâncias de gestão –Responsabilidades
  • 53. PROJETO POLÍTICO – PEDAGÓGICO E SEUS DESDOBRAMENTOS. O que você (a escola) quer ser daqui a 5, 10 anos? E como quer estar? Intenções concretas Desejo Sonho Expectativa
  • 54. PROJETO POLÍTICO – PEDAGÓGICO E SEUS DESDOBRAMENTOS. O que vai fazer para conseguir? E como? Mobilizar-se para enfrentar e resolver as necessidades. Metas Tomada de decisões
  • 55. Quem participa e em que condições? Gestor – Maestro Equipe e Comunidade - Orquestra Proposta Pedagógica - Partitura Lembrete: A pausa é essencial para a execução da música.
  • 56. “[...] parar para pensar, parar para olhar, parar para escutar, pensar mais devagar, olhar mais devagar e escutar, parar para sentir, sentir mais devagar, demorar-se nos detalhes, suspender a opinião, suspender o juízo, suspender a vontade, suspender o automatismo da ação, cultivar a atenção e a delicadeza, abrir os olhos e os ouvidos, falar sobre o que nos acontece, aprender a lentidão, escutar aos outros, cultivar a arte do encontro, calar muito, ter paciência e dar-se tempo e espaço”. LARROSA BONDÍA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, 2002.
  • 57. O ensino começa e termina com a avaliação... Projeto Político Pedagógico também!
  • 58. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado. 1- Objetivos do plano 2- Organização Atendimento: Período de atendimento; de (mês)... a (mês) ...
  • 59. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado 2- Organização Atendimento: Período de atendimento; de (mês)... a (mês Freqüência (número de vezes por semana para atendimento do aluno): Tempo de atendimento (em horas ou minutos): Composição do atendimento ( ) individual ( ) coletivo Outros:
  • 60. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado 3 – Atividades a serem desenvolvidas no atendimento ao aluno : 4 – Seleção de materiais a serem produzidos para o aluno: 5 – Adequações de materiais: liste os materiais que necessitem de adequações para atender às necessidades do aluno (exemplo: engrossadores de lápis, papel com pautas espaçadas e outros)
  • 61. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado 6 – Seleção de materiais e equipamentos que necessitam ser adquiridos; liste os recurso materiais que precisam era encaminhados para compra e / ou que já existem na sala de recursos multifuncionais: 7 – Tipos de parcerias necessárias para aprimoramento do atendimento e da produção de materiais: terapeuta ocupacional para criar uma tesoura adaptada, marceneiro para executá-la, costureira para fazer uma calça com enchimento para trabalhar com criança e outros:
  • 62. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado 8 – Profissionais da escola que receberão orientação do professor de AEE sobre serviços e recursos oferecidos ao aluno; Professor de sala de aula Professor da Educação Física Colegas de turma Diretor escolar Equipe pedagógica Outros . Quais
  • 63. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado B - Avaliação dos resultados 1 – Indicação de formas de registro O plano deverá ser avaliado durante toda a sua execução. O registro da avaliação do plano deverá ser feito em caderno ou em ficha de acompanhamento, onde serão descritos pelo o professor do AEE o uso do serviço e do recurso em sala de aula, durante o AEE e no ambiente familiar
  • 64. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado Avaliação dos resultados Cont.... No registro, deverão constar as mudanças observadas em relação ao aluno no contexto escolar: o que contribuiu para as mudanças constatadas: repercussões das ações do plano de AEE no desempenho escolar do aluno.
  • 65. Roteiro para Plano de Atendimento Educacional Especializado 2 – Resultados obtidos diante dos objetivos do Plano de AEE: 3 – Reestruturação do Plano ; liste os pontos de reestruturação do Plano de AEE, caso os objetivos do Plano não tenham sido atingidos: Pesquisar e implementar outros recursos Estabelecer movas parcerias. Outros
  • 66. “[...] parar para pensar, parar para olhar, parar para escutar, pensar mais devagar, olhar mais devagar e escutar, parar para sentir, sentir mais devagar, demorar-se nos detalhes, suspender a opinião, suspender o juízo, suspender a vontade, suspender o automatismo da ação, cultivar a atenção e a delicadeza, abrir os olhos e os ouvidos, falar sobre o que nos acontece, aprender a lentidão, escutar aos outros, cultivar a arte do encontro, calar muito, ter paciência e dar-se tempo e espaço”.