Parametro de QLDD

1.069 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.069
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
43
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parametro de QLDD

  1. 1. simoneperes2@yahoo.com.br 1
  2. 2. O documento Parâmetro Nacional deQualidade para a Educação Infantil, busca de forma sucinta trazerrespostas e perguntas na área daEducação Infantil e de forma objetivacumprindo a Lei de Diretrizes e baseda Educação. simoneperes2@yahoo.com.br 2
  3. 3. Garantir a qualidade na Educação Infantil por meio do estabelecimento desses Parâmetros é uma das diretrizes da Política Nacional da Educação Infantil. simoneperes2@yahoo.com.br 3
  4. 4. Para que fosse instaurada umadiscussão qualificada para o avançoda Educação Infantil, realizou-se um processo de trabalho em etapas, durante as quais foram discutidas versões preliminares deste texto. simoneperes2@yahoo.com.br 4
  5. 5. * A primeira versão foi apresentada e debatida em seminários regionais, com a participação de representantes de secretariais e coonselhos municipais e estaduais de educação e outras entidades que atuam direto ou indiretamente com a criança de 0 a 6 anos. simoneperes2@yahoo.com.br 5
  6. 6. * A segunda, foi enviada a especialistas na área de Educação Infantil de todo o país, e posteriormente, debatido em seminário técnico. simoneperes2@yahoo.com.br 6
  7. 7. O objetivo deste documento é o deestabelecer padrões de referênciaorientadores para o sitemaeducacional no que se refere àorganização e funcionamento dasinstituições de Educação Infantil. simoneperes2@yahoo.com.br 7
  8. 8. Pretende por meio destedocumento, delimitar parâmetros dequalidade suficientemente regionais,flexíveis para permitir que asmanifestações culturais tenhamespaço para se desenvolver. simoneperes2@yahoo.com.br 8
  9. 9. • O primeiro aborda aspectos relevantes para a definição de Parâmetros de Qualidade para a Educação Infantil no país. Apresenta uma concepção de criança, de pedagogia da Educação Infantil• No segundo, expliceta-se, inicialmente, as competências dos sistemas de ensino e a caracterização das instituições de Educação Infantil a partir de definições legais, entendendo que é um sistema educacional de qualidade simoneperes2@yahoo.com.br 9
  10. 10. Espera-se que este documento seconstitua em mais um passo na direçãode transformar em práticasreais, adotadas no cotidiano dasinstituições, Parâmetros de Qualidadeque garatam o direito das crianças de 0a 6 anos à Educação Infantil dequalidade. simoneperes2@yahoo.com.br 10
  11. 11. A qualidade daeducação da criançaaté 6 anos no Brasiltêm umacontextualizaçãoque buscacontemplar: simoneperes2@yahoo.com.br 11
  12. 12. 1. A concepção de criança e de pedagogia da Educação Infantil;2. O debate sobre a qualidade da educação em geral e específico no campo da educação da criança de 0 até 6 anos;3. Os resultados de pesquisas recentes e4. A qualidade na perspectiva da lesgislação e da atuação dos órgãos oficiais do país. simoneperes2@yahoo.com.br 12
  13. 13. simoneperes2@yahoo.com.br 13
  14. 14. A criança é um sujeito social e históricoque está inserido em uma sociedade na qualpartilha de uma determinada cultura. Éprofundamente marcada pelo meio social emque se desenvolve, mas também contribuicom ele (BRASIL, 1994a). A criança, assim, nãoé uma abstração, mas um ser produtor eproduto da história e da cultura (FARIA, 1999). simoneperes2@yahoo.com.br 14
  15. 15. Olhar a criança como ser que já nascepronto, ou que nasce vazio e carente doselementos entendidos como necessários àvida adulta ou, ainda, a criança como sujeitoconhecedor, cujo desenvolvimento se dá porsua própria iniciativa e capacidade deação, foram, durante muitotempo, concepções amplamente aceitas naducação Infantil até o surgimento das basesepistemológicas quefundamentam, atualmente, uma pedagogiapara a infância.simoneperes2@yahoo.com.br 15
  16. 16. Captar necessidades que bebês evidenciamantes que consigam falar, observar suas reações einiciativas, interpretar desejos e motivações sãohabilidades que profissionais de Educação Infantilprecisam desenvolver, ao lado do estudo dasdiferentes áreas de conhecimento que incidemsobre essa faixa etária, a fim de subsidiar de modoconsistente as decisões sobre as atividadedesenvolvidas, o formato de organização doespaço, do tempo, dos materiais e dosagrupamentos de crianças. simoneperes2@yahoo.com.br 16
  17. 17. Antes mesmo de se expressarem por meio dalinguagem verbal, bebês e crianças sãocapazes de interagir a partir de outraslinguagens(corporal, gestual, musical, plástica, faz-de-conta, entre outras) desde que acompanhadaspor parceiros mais experientes. Apoiar aorganização em pequenosgrupos, estimulando as trocas entre osparceiros; incentivar a brincadeira; simoneperes2@yahoo.com.br 17
  18. 18. dar-lhes tempo para desenvolver temas detrabalho a partir de propostas prévias;oferecer diferentes tipos de materiais emfunção dos objetivos que se tem em mente;organizar o tempo e o espaço de modo flexívelsão algumas formas de intervenção quecontribuem para o desenvolvimento e aaprendizagem das crianças. simoneperes2@yahoo.com.br 18
  19. 19. Não se pode perder de vista aespecificidade da pedagogia da EducaçãoInfantil, como afirma Rocha (1999): Enquanto a escola tem como sujeito o aluno, e como objeto fundamental o ensino nas diferentes áreas através da aula; a creche e a pré-escola têm como objeto as relações educativas travadas num espaço de convívio coletivo que tem como sujeito a criança de 0 até 6 anos de idade. simoneperes2@yahoo.com.br 19
  20. 20. É imprescindível levar em conta que as crianças desde que nascem são:• Cidadãos de direitos;• Indivíduos únicos, singulares;• Seres sociais e históricos;• Seres competentes, produtores de cultura;• Indivíduos humanos, parte da natureza animal, vegetal e mineral. simoneperes2@yahoo.com.br 20
  21. 21. Precisam, portanto, ser cuidadas e educadas, o que implica:• ser auxiliadas nas atividades que não puderem realizar sozinhas;• ser atendidas em suas necessidades básicas físicas e psicológicas;• ter atenção especial por parte do adulto em momentos peculiares de sua vida. simoneperes2@yahoo.com.br 21
  22. 22. As crianças precisam ser apoiadas em suas iniciativas espontâneas e incentivadas a:• brincar;• movimentar-se em espaços amplos e ao ar livre;• expressar sentimentos e pensamentos;• desenvolver a imaginação, a curiosidade e a capacidade de expressão;• ampliar permanentemente conhecimentos a respeito do mundo da natureza e da cultura apoiadas por estratégias pedagógicas apropriadas;• diversificar atividades, escolhas e companheiros de interação em creches, pré-escolas e centros de Educação Infantil. simoneperes2@yahoo.com.br 22
  23. 23. A criança, parte de uma sociedade, vivendo em nosso país, tem direito:• à dignidade e ao respeito;• autonomia e participação;• à felicidade, ao prazer e à alegria;• à individualidade, ao tempo livre e ao convívio social;• à diferença e à semelhança;• à igualdade de oportunidades;• ao conhecimento e à educação;• a profissionais com formação específica;• a espaços, tempos e materiais específicos. simoneperes2@yahoo.com.br 23
  24. 24. simoneperes2@yahoo.com.br 24
  25. 25. simoneperes2@yahoo.com.br 25
  26. 26. Os resultados são importantes no sentido de sugerir quais seriam as dimensões de qualidade estratégicas a serem priorizadas para se obter os resultados mais positivos no desenpenho presente e futuro das crianças simoneperes2@yahoo.com.br 26
  27. 27. • Foram constatadas taxas de retorno economicas positivas para o investimento em pré-escola. simoneperes2@yahoo.com.br 27
  28. 28. • As principais conclusões dos estudos: - A formação dos professores;- O currículo;- A relação escola com família;- Número de alunos e professores por sala e- Condições de vida. simoneperes2@yahoo.com.br 28
  29. 29. simoneperes2@yahoo.com.br 29
  30. 30. • Em 1980 o campo da Educação Infantil ganhou um grande impulso, tanto no plano das pesquisas e do debate teórico quanto no plano legal.• Em 1988, a Constituição Federal reconhece o dever do Estado e o direito da criança a ser atendida em creches e pré-escolas e vincula esse atendimento à área educacional, independentemente de sua origem, raça, sexo, cor, gênero ou necessidades educacionais especiais. simoneperes2@yahoo.com.br 30
  31. 31. • Em 1994 no I Simpósio Nacional de Educação Infantil realizado no marco do Plano Decenal de Educação para Todos.• Entre 1994 e 1996, o MEC realizou vários seminários e debates, com a participação de diferentes segmentos e organizações sociais, buscando contribuir para a construção de uma nova concepção para a educação das crianças de 0 até 6 anos. simoneperes2@yahoo.com.br 31
  32. 32. • Em 1996, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96) foi promulgada, contribuindo de forma decisiva para a instalação no país de uma concepção de Educação Infantil vinculada e articulada ao sistema educacional como um todo. Na condição de primeira etapa da Educação Básica, imprime-se uma outra dimensão à Educação Infantil. simoneperes2@yahoo.com.br 32
  33. 33. A Educação Infantil passa a ter uma função específica no sistema educacional: a de iniciar a formação necessária a todas as pessoas para que possam exercer sua cidadania. Por sua vez, a definição da finalidade da Educação Infantil como sendo o “desenvolvimento integral da criança até 6 anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade” simoneperes2@yahoo.com.br 33
  34. 34. • Por ter inserido a Educação Infantil na Educação Básica, a formação exigida para o profissional que atua com essa faixa etária passa a ser a mesma daquele que trabalha nas primeiras séries do Ensino Fundamental: nível superior em curso de licenciatura, admitindo- se, como formação mínima, a oferecida em nível médio na modalidade normal. simoneperes2@yahoo.com.br 34
  35. 35. • De acordo com a LDB é do município a responsabilidade pela Educação Infantil, mas para que isso aconteça é necessário uma ação conjunta dos governos federal, estadual e municipal. Foi estabelecido um prazo de três anos, a contar da data de sua publicação. simoneperes2@yahoo.com.br 35
  36. 36. 1999 de acordo com as atribuições que lhe foram conferidas pela nova legislação, foram aprovadas as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, como por exemplo: - 1 professor para 6 a 8 bebês de 0 a 2 anos ; - 1 professor para cada 15 crianças de 3 anos e - 1 professor para cada 20 crianças de 4 a 6 anos. simoneperes2@yahoo.com.br 36

×