SlideShare uma empresa Scribd logo

Formação para Cuidadores Educacional

Esse material é para que não consegue entender quais as atribuições de um profissional que atua como cuidador de alunos com deficiência.

1 de 21
Baixar para ler offline
PREFEITURA MUNICIPAL DE JACUNDÁ – PA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
“UM NOvO OLhAR PARA A EDUCAÇÃO”
NÚCLEO PEDAGÓGICO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL
I Encontro de Formação para os Cuidadores
Educacional das crianças com Necessidades
Educativas Especiais - 2017
Coordenadora da Educação Especial: Rosana
Cristina
CUIDADOR EDUCACIONAL
Objetivo Geral
Prestar serviços de apoio aos alunos da rede municipal com deficiência que
apresentam limitações motoras que acarretem dificuldades no autocuidado e
atividades escolares (de caráter permanente ou temporário), respeitando as
condições específicas de cada aluno.
Atribuições
Acompanhar os alunos até o transporte escolar, realizar a recepção do aluno no
portão com no mínimo 10 (dez) minutos de antecedência ao início das aulas,
auxiliando-o no transporte de materiais e objetos pessoais e acompanhando-o em
todo período de aula.
Garantir o acesso e o deslocamento em todo o ambiente escolar, ficar de
prontidão para executar, quando solicitado, as funções de oferecer o lanche,
higiene bucal, acompanhar para o uso do sanitário, realizar a sua higiene íntima,
troca de vestuário e/ou fraldas e banho;
Executar, com segurança, as manobras posturais, de transferência e de
locomoção, conforme conhecimentos necessários ao desempenho da função;
Deslocar e movimentar corretamente e com segurança o aluno, para a
realização das atividades escolares, externas à sala de aula, dentro dos limites da
escola, conforme conhecimentos necessários ao desempenho da função;
 Acompanhar o aluno, no horário do intervalo, até o local apropriado, como
pátio, cantina ou refeitório e auxiliá-lo durante a alimentação e após, em sua
higiene.
Ao final do intervalo, auxiliá-lo no retorno à sala de aula, conforme
conhecimentos necessários ao desempenho da função;
Acompanhar o aluno em aulas e/ou atividades extras que não se insiram no
período escolar regular.
Utilizar e realizar a manutenção dos equipamentos e utensílios habitualmente
utilizados pelo aluno para alimentação e higiene;
Zelar pela higiene e manutenção dos materiais de procedimentos específicos
para o asseio do aluno;
Permanecer todo o período de aula do aluno, acompanhando o mesmo;
Comunicar aos responsáveis da unidade escolar, sempre que necessário,
as ocorrências relacionadas ao aluno;
Reconhecer as situações que necessitem de intervenção externa ao âmbito
escolar tais como o socorro médico, as quais deverão seguir os
procedimentos já previstos e realizados na unidade escolar quando
necessário;
Registrar diariamente qualquer ocorrência envolvendo o aluno, submetendo-
a ao conhecimento do Gestor do Contrato para as providências cabíveis;
Cumprir horário e estar adequadamente uniformizado e identificado;
Comunicar antecipadamente ausências e possíveis faltas;
O papel do cuidador é de apoio e suporte, especialmente
a crianças e adolescentes com deficiências mais graves ou
múltiplas, gerindo aspectos como alimentação, medicação,
fisioterapia, sondas e troca de fraldas. "Ele vai cuidar da saúde
e do bem-estar da criança e auxiliar nas atividades escolares.
Não se pode confundir com o papel do professor, pois
sua atuação não é pedagógica", explica Anna Augusta. Um
importante grupo a ser envolvido na mudança de perspectiva é
o dos familiares dos alunos com deficiência. "Os pais não têm
''''resistência'''' ao atendimento inclusivo, eles têm é receio de
que seus filhos não sejam bem atendidos em razão da falta de
estrutura", pontua Anna Augusta. Quanto mais grave for a
deficiência, maior a preocupação da família, que em geral sofre
com a falta de recursos adequados desde o nascimento da
criança.

Recomendados

Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014
Apresentação cuidadores - SME Marília - SP 2014Rosemary Batista
 
Estágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilEstágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilLuúh Reis
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especialAndreia Gomes
 
Inclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilInclusão na Educação Infantil
Inclusão na Educação InfantilLucas Silva
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualPaula Aparecida Alve Alves
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxAnaRocha812480
 
1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de paisColmanetti
 
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismoO papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismoAmanda Barbosa
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialDirce Cristiane Camilotti
 
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)Isabela Rodrigues
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borgespdescola
 
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...Instituto Consciência GO
 
Reunião com os monitores
Reunião com os monitoresReunião com os monitores
Reunião com os monitoresJeovany Anjos
 
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Juliana Madna
 
Palestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaPalestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaBárbara Delpretto
 
A relação família escola
A relação família escolaA relação família escola
A relação família escolaMartileny Vieira
 
Reflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaReflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaSonia Piaya
 
Formularios avaliacao-diretor
Formularios avaliacao-diretorFormularios avaliacao-diretor
Formularios avaliacao-diretorFabiano Ferraz
 
Família, Escola e Comunidade
Família, Escola e ComunidadeFamília, Escola e Comunidade
Família, Escola e ComunidadeLuúh Reis
 

Mais procurados (20)

O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
 
1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
 
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismoO papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
O papel do professor frente à inclusão de crianças com autismo
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)A importância da parceria família e escola(chico mendes)
A importância da parceria família e escola(chico mendes)
 
PEI
PEIPEI
PEI
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli BorgesReunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
Reunião Pedagógica - E.M. Norma Sueli Borges
 
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
A Escola na Perspectiva da Educação Inclusiva construção do projeto pedagógic...
 
Reunião com os monitores
Reunião com os monitoresReunião com os monitores
Reunião com os monitores
 
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
 
Palestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaPalestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusiva
 
A relação família escola
A relação família escolaA relação família escola
A relação família escola
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 
Reflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escolaReflexões sobre a relação família escola
Reflexões sobre a relação família escola
 
ApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO AutismoApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO Autismo
 
Formularios avaliacao-diretor
Formularios avaliacao-diretorFormularios avaliacao-diretor
Formularios avaliacao-diretor
 
Família, Escola e Comunidade
Família, Escola e ComunidadeFamília, Escola e Comunidade
Família, Escola e Comunidade
 

Semelhante a Formação para Cuidadores Educacional

EDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.ppt
EDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.pptEDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.ppt
EDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.pptssuserb7b55a
 
O pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autistaO pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autistaSimoneHelenDrumond
 
13 o pedagogo na educação do autista
13 o pedagogo na educação do autista13 o pedagogo na educação do autista
13 o pedagogo na educação do autistaSimoneHelenDrumond
 
O pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autistaO pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autistaSimoneHelenDrumond
 
2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTILSimoneHelenDrumond
 
Inclusão de crianças com deficiência
Inclusão de crianças com deficiênciaInclusão de crianças com deficiência
Inclusão de crianças com deficiênciaRebecaRuan
 
[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdf
[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdf[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdf
[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdfArianeAndrade31
 
Entendendo a diversidade para incluir de verdade
Entendendo a diversidade para incluir de verdadeEntendendo a diversidade para incluir de verdade
Entendendo a diversidade para incluir de verdadeLuziete Leite
 
Pedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaPedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaCarina Zandonai
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfSimoneHelenDrumond
 

Semelhante a Formação para Cuidadores Educacional (20)

O que é a síndrome de down
O que é a síndrome de downO que é a síndrome de down
O que é a síndrome de down
 
EDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.ppt
EDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.pptEDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.ppt
EDUCAÇÃO INCLUSIVA conhecer para melhor incluir.ppt
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Eci
EciEci
Eci
 
Eci
EciEci
Eci
 
Eci
EciEci
Eci
 
Síndrome de Down
Síndrome de DownSíndrome de Down
Síndrome de Down
 
O pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autistaO pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autista
 
13 o pedagogo na educação do autista
13 o pedagogo na educação do autista13 o pedagogo na educação do autista
13 o pedagogo na educação do autista
 
O pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autistaO pedagogo na educação do autista
O pedagogo na educação do autista
 
Educação Inclusiva: Desafios e Possibilidades do Alunado com TGD / TEA
Educação Inclusiva: Desafios e Possibilidades do Alunado com TGD / TEAEducação Inclusiva: Desafios e Possibilidades do Alunado com TGD / TEA
Educação Inclusiva: Desafios e Possibilidades do Alunado com TGD / TEA
 
2998 8456-1-pb
2998 8456-1-pb2998 8456-1-pb
2998 8456-1-pb
 
2998 8456-1-pb
2998 8456-1-pb2998 8456-1-pb
2998 8456-1-pb
 
2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
2998 8456-1-pb A CRIANÇA AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Inclusão de crianças com deficiência
Inclusão de crianças com deficiênciaInclusão de crianças com deficiência
Inclusão de crianças com deficiência
 
[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdf
[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdf[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdf
[49]-TEA+NA+EDUCAÇÃO+INFANTIL.+INCLUSÃO+E+AFETIVIDADE+NA+PRÁTICA+DOCENTE.pdf
 
Entendendo a diversidade para incluir de verdade
Entendendo a diversidade para incluir de verdadeEntendendo a diversidade para incluir de verdade
Entendendo a diversidade para incluir de verdade
 
Pedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaPedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusiva
 
Sindrome de-down (1)
Sindrome de-down (1)Sindrome de-down (1)
Sindrome de-down (1)
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
 

Último

2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 

Formação para Cuidadores Educacional

  • 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE JACUNDÁ – PA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO “UM NOvO OLhAR PARA A EDUCAÇÃO” NÚCLEO PEDAGÓGICO COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL I Encontro de Formação para os Cuidadores Educacional das crianças com Necessidades Educativas Especiais - 2017 Coordenadora da Educação Especial: Rosana Cristina
  • 3. Objetivo Geral Prestar serviços de apoio aos alunos da rede municipal com deficiência que apresentam limitações motoras que acarretem dificuldades no autocuidado e atividades escolares (de caráter permanente ou temporário), respeitando as condições específicas de cada aluno. Atribuições Acompanhar os alunos até o transporte escolar, realizar a recepção do aluno no portão com no mínimo 10 (dez) minutos de antecedência ao início das aulas, auxiliando-o no transporte de materiais e objetos pessoais e acompanhando-o em todo período de aula. Garantir o acesso e o deslocamento em todo o ambiente escolar, ficar de prontidão para executar, quando solicitado, as funções de oferecer o lanche, higiene bucal, acompanhar para o uso do sanitário, realizar a sua higiene íntima, troca de vestuário e/ou fraldas e banho; Executar, com segurança, as manobras posturais, de transferência e de locomoção, conforme conhecimentos necessários ao desempenho da função; Deslocar e movimentar corretamente e com segurança o aluno, para a realização das atividades escolares, externas à sala de aula, dentro dos limites da escola, conforme conhecimentos necessários ao desempenho da função;
  • 4.  Acompanhar o aluno, no horário do intervalo, até o local apropriado, como pátio, cantina ou refeitório e auxiliá-lo durante a alimentação e após, em sua higiene. Ao final do intervalo, auxiliá-lo no retorno à sala de aula, conforme conhecimentos necessários ao desempenho da função; Acompanhar o aluno em aulas e/ou atividades extras que não se insiram no período escolar regular. Utilizar e realizar a manutenção dos equipamentos e utensílios habitualmente utilizados pelo aluno para alimentação e higiene; Zelar pela higiene e manutenção dos materiais de procedimentos específicos para o asseio do aluno; Permanecer todo o período de aula do aluno, acompanhando o mesmo;
  • 5. Comunicar aos responsáveis da unidade escolar, sempre que necessário, as ocorrências relacionadas ao aluno; Reconhecer as situações que necessitem de intervenção externa ao âmbito escolar tais como o socorro médico, as quais deverão seguir os procedimentos já previstos e realizados na unidade escolar quando necessário; Registrar diariamente qualquer ocorrência envolvendo o aluno, submetendo- a ao conhecimento do Gestor do Contrato para as providências cabíveis; Cumprir horário e estar adequadamente uniformizado e identificado; Comunicar antecipadamente ausências e possíveis faltas;
  • 6. O papel do cuidador é de apoio e suporte, especialmente a crianças e adolescentes com deficiências mais graves ou múltiplas, gerindo aspectos como alimentação, medicação, fisioterapia, sondas e troca de fraldas. "Ele vai cuidar da saúde e do bem-estar da criança e auxiliar nas atividades escolares. Não se pode confundir com o papel do professor, pois sua atuação não é pedagógica", explica Anna Augusta. Um importante grupo a ser envolvido na mudança de perspectiva é o dos familiares dos alunos com deficiência. "Os pais não têm ''''resistência'''' ao atendimento inclusivo, eles têm é receio de que seus filhos não sejam bem atendidos em razão da falta de estrutura", pontua Anna Augusta. Quanto mais grave for a deficiência, maior a preocupação da família, que em geral sofre com a falta de recursos adequados desde o nascimento da criança.
  • 7. Outra possível barreira está nas próprias equipes das escolas, que podem temer que a presença de alunos com deficiência prejudique a qualidade do ensino. Nesses casos, vale trabalhar a formação de gestores, fazer a transição do atendimento de forma gradual, com discussões dentro das escolas, respeitando o processo histórico da rede.
  • 8. Os cuidadores tem por direito e precisão de se formar profissionais de ensino que conheçam as necessidades da criança com deficiência e saibam escolher os recursos necessários para seu desenvolvimento social e cognitivo. Os cuidadores, de forma geral, são importantes conhecedores das necessidades de suas crianças. São eles os atores principais que viabilizam ou não o acesso às informações sobre a criança e a participação deste na escola. Assim, é fundamental que se estabeleçam parcerias entre família e educadores para facilitar o processo de inclusão.
  • 9. Síndrome de Down síndrome de Down, é uma condição cromossômica causada por um cromossomo extra no par 21. Crianças e jovens com síndrome têm características físicas semelhantes e estão sujeitos a algumas doenças. Embora apresentem deficiências intelectuais e de aprendizado, são pessoas com personalidade única, que estabelecem boa comunicação e também são sensíveis e interessantes. Quase sempre o “grau” de acometimento dos sintomas é inversamente proporcional ao estímulo dado a essas crianças durante a infância. A síndrome de Down pode ocorrer em todas as raças humanas e efeitos semelhantes.
  • 10. SINTOMAS DE SÍNDROME DE DOWN Crianças com a síndrome de Down têm deficiências intelectuais e algumas características físicas específicas. Elas têm olhos amendoados, devido às pregas nas pálpebras e em geral são menores em tamanho. As mãos apresentam uma única prega na palma, em vez de duas. Os membros são mais curtos, o tônus muscular é mais fraco e a língua é protrusa, maior do que o normal. Problemas de saúde e de aprendizado podem ocorrer, mas estes variam de criança para criança. Cada pessoa com síndrome de Down é único, os sintomas e sinais podem ser de moderados a severos.
  • 11. ESTIMULE A CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN Superproteção é um dos fatores que impedem seu desenvolvimento. Superproteção e excesso de cuidados, na maioria dos casos, são os inimigos do crescimento emocional, social e intelectual da criança. Os Pais e cuidadores devem dosar sua preocupação sem prejudicar o amadurecimento infantil. Brinquedos e brincadeiras Segundo Zan, não existem brinquedos estimulantes, mas pessoas capazes de estimular o desenvolvimento de crianças por meio de brincadeiras. "Uma caixa de papelão pode ser um ótimo brinquedo, desde que o adulto saiba criar uma interação divertida com ela", afirma. Assim, os brinquedos mais indicados a crianças com síndrome de Down são aqueles que despertam a atenção e a curiosidade dela. Também vale prestar atenção na faixa etária recomendada de cada brinquedo, informação presente na embalagem.
  • 12. Autismo O autismo é um transtorno global do desenvolvimento marcado por três características fundamentais: Inabilidade para interagir socialmente, Dificuldade no domínio da linguagem para comunicar-se ou lidar com jogos simbólicos, Padrão de comportamento restritivo e repetitivo.
  • 13. SÍNTOMAS O autismo acomete pessoas de todas as classes sociais e etnias, mais os meninos do que as meninas. Os sintomas podem aparecer nos primeiros meses de vida, mas dificilmente são identificados precocemente. O mais comum é os sinais ficarem evidentes antes de a criança completar três anos.
  • 14. TRATAMENTO Até o momento, autismo é um distúrbio crônico, mas que conta com esquemas de tratamento que devem ser introduzidos tão logo seja feito o diagnóstico e aplicados por equipe multidisciplinar. Não existe tratamento padrão que possa ser utilizado. Cada paciente exige acompanhamento individual, de acordo com suas necessidades e deficiência.    
  • 15. Autistas têm dificuldade de lidar com mudanças, por menores que sejam; por isso é importante manter o seu mundo organizado e dentro da rotina; A particularidade de cada aluno deve ser respeitada. Autistas de bom rendimento podem apresentar desempenho em determinadas áreas do conhecimento com características de genialidade;
  • 16. DIA MUNDIAL DE CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO O Dia Mundial do Autismo, anualmente em 2 de Abril, foi criada pela Organização das Nações Unidas. Em 2010 a ONU declarou que segundo especialistas acredita-se que esse Transtorno Global do Desenvolvimento – TGD atinja cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo, afetando como esses indivíduos se comunicam e interagem em nossa sociedade.
  • 17. TTranstornoranstorno DDesafiadoresafiador OOpositorpositor Padrão persistente de comportamentos negativistas, hostis, desafiadores e desobedientes observados nas interações da criança com adultos e figuras de autoridade, como pais avós e professores
  • 18. CaracterísticasCaracterísticas Frequente impaciência Discussões com adultos Desafio, recusa em obedecer regras Comportamento opositivo Indisciplina Perturbação Irritado Ressentido e rancoroso Com ideias de vingança
  • 19. Transtorno do Espectro AutistaTranstorno do Espectro Autista É caracterizado por prejuízo na interação social, atraso na aquisição da linguagem e comportamentos estereotipados e repetitivos.
  • 20. CaracterísticasCaracterísticas Apresentam grande déficit no comportamento social, Evitam o contato visual, Se mostram pouco interessados na voz humana, São indiferentes ao afeto, Não demonstram expressão facial ao serem acariciados, Podem iniciar o processo de habilidades sociais e de repente interromper e regredir.