SlideShare uma empresa Scribd logo
FILOSOFIA
Professora Erica Frau
CONSTRUÇÃO
DO SUJEITO
MORAL
Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=Ct-sp6LrvE0
Haverá paradeiro
Para o nosso desejo
Dentro ou fora de
um vício?
Em muitas ocasiões, ficamos contentes
e emocionados diante de uma pessoa
cujas palavras e ações manifestam
honestidade, honradez, espírito de
justiça, altruísmo. Sentimos que há
grandeza e dignidade nessa pessoa.
Sentimos admiração por ela e
desejamos imitá-la.
Tais emoções e sentimentos exprimem
nosso senso moral, isto é, a maneira
como avaliamos a conduta e a ação
de outras pessoas segundo ideias como
as de mérito e grandeza de alma.
Nossas dúvidas quanto à decisão a tomar não
manifestam nosso senso moral, mas põe a prova nossa
consciência moral. Pois exigem que decidamos, por
nossa conta, o que fazer, que justifiquemos para nós
mesmos e para os outros as razões de nossas decisões e
que assumamos todas as consequências delas.
Em outras palavras, a consciência moral não se limita aos
nossos sentimentos morais, mas se refere também a
avaliações de conduta que nos levam a tomar decisões
por nós mesmos, a agir em conformidade com elas e a
responder por elas perante os outros.
SENSO MORAL E CONSCIÊNCIA
MORAL REFEREM-SE A VALORES E
SENTIMENTOS:
ADMIRAÇÃO
JUSTIÇA
INTEGRIDADE
GENEROSIDADE
MEDO
VERGONHA
AMOR
DÚVIDA
HONRADEZ
CULPA
ESPÍRITO DE
SACRIFÍCIO
REMORÇO
CÓLERA
CONTENTAMENTO
Os sentimentos e as ações, nascidos de
uma opção entre o bom e o mau, ou entre
o bem e o mal, também se referem a algo
mais profundo e subentendido: nosso
desejo de afastar a dor e o sofrimento e de
alcançar a felicidade, seja por ficarmos
contentes conosco mesmos, seja por
recebermos a aprovação dos outros.
Além disso, os sentimentos e as ações
morais têm como pressuposto fundamental,
a ideia de liberdade do agente.
O senso moral e a consciência moral dizem respeito a
valores, sentimentos, intenções, decisões e ações
referidos ao bem e ao mal, ao desejo de felicidade e ao
exercício da liberdade.
Dizem respeito as relações que matemos com os outros e,
portanto, nascem e existem como parte de nossa vida
com outros agentes morais. O senso e a consciência
morais são por isso constitutivos de nossa existência
intersubjetiva, isto é, de nossas relações com outros
sujeitos morais.
O AGENTE MORAL
O sujeito ético ou moral – ou seja, a pessoa
moral – só pode existir se for:
 consciente de si e dos outros,
 dotado de vontade,
 responsável,
 livre,
O AGENTE MORAL
consciente de si e
dos outros, isto é,
capaz de refletir e
de reconhecer a
existência dos
outros como sujeitos
éticos iguais a si;
O AGENTE MORAL
dotado de vontade, isto
é, de capacidade para
controlar e orientar
desejos, impulsos,
tendências, sentimentos
e de capacidade para
deliberar e decidir entre
várias alternativas
possíveis.
O AGENTE MORAL
responsável, isto é, caso
se reconheça como
autor da ação e avalie
os efeitos e as
consequências dela
sobre si e sobre os outros.
O AGENTE MORAL
livre, isto é, capaz de
oferecer-se como causa
interna de seus sentimentos,
atitudes e ações, por não
estar submetido a poderes
externos que o forcem e o
constranjam a sentir, a
querer e a fazer alguma
coisa.
Após ter passado 27 anos preso
por combater o apartheid
(regime de segregação racial),
Nelson Mandela se torna o
primeiro presidente negro da
África do Sul em, em 1994.
“Eu faço tudo isso em nome dos
princípios morais, segundo os
quais não podemos abandonar
aqueles que nos ajudaram nos
momentos mais sombrios da
história do nosso país.”
Do ponto de vista do agente ou sujeito moral, a
ética faz uma exigência essencial: a diferença
entre passividade e atividade.
Passivo é quem se deixa governar por seus
impulsos, inclinações e paixões, pelas
circunstâncias, pela boa ou má sorte, pela opinião
alheia, pelo medo dos outros, não exercendo sua
própria consciência, vontade, liberdade e
responsabilidade.
Ao contrário, é ativo, ou virtuoso aquele que controla seus
impulsos, suas inclinações e suas paixões, discute consigo
e com os outros o sentido dos valores e dos fins
estabelecidos, indaga se devem e como devem ser
respeitados ou transgredidos por outros valores e fins
superiores aos existentes, avalia sua capacidade para dar
a si mesmo as regras de conduta, consulta sua razão e
sua vontade antes de agir, considera os outros sem
subordinar-se nem submeter-se cegamente a eles,
responde pelo que faz, julga suas próprias intenções e
recusa a violência contra si e contra os outros. Em uma
palavra, é autônomo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Valores
ValoresValores
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
Portal do Vestibulando
 
O que é cultura?
O que é cultura?O que é cultura?
O que é cultura?
Renata Telha
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade FilosóficaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Turma Olímpica
 
Direitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadaniaDireitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadania
Fillipe Lobo
 
Os mitos
Os mitosOs mitos
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Juliana Corvino de Araújo
 
Liberdade Filosofia
Liberdade FilosofiaLiberdade Filosofia
Liberdade Filosofia
Isabel Cabral
 
6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia 6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia
Erica Frau
 
Filosofia analitica
Filosofia analiticaFilosofia analitica
Filosofia analitica
Vanessa Nogueira
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
João Paulo Rodrigues
 
Razão filosofia
Razão   filosofiaRazão   filosofia
Razão filosofia
Silmara Vedoveli
 
Silogismo
SilogismoSilogismo
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
Eponina Alencar
 
Mulheres na História
Mulheres na HistóriaMulheres na História
Mulheres na História
Gleisi Hoffmann
 
Etnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismoEtnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismo
roberto mosca junior
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Darlan Campos
 
4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum 4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum
Erica Frau
 
O que é etnocentrismo
O que é etnocentrismoO que é etnocentrismo
O que é etnocentrismo
Andreia Regina Moura Mendes
 
Freud
FreudFreud

Mais procurados (20)

Valores
ValoresValores
Valores
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
O que é cultura?
O que é cultura?O que é cultura?
O que é cultura?
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade FilosóficaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
 
Direitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadaniaDireitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadania
 
Os mitos
Os mitosOs mitos
Os mitos
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Liberdade Filosofia
Liberdade FilosofiaLiberdade Filosofia
Liberdade Filosofia
 
6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia 6 liberdade e autonomia
6 liberdade e autonomia
 
Filosofia analitica
Filosofia analiticaFilosofia analitica
Filosofia analitica
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
 
Razão filosofia
Razão   filosofiaRazão   filosofia
Razão filosofia
 
Silogismo
SilogismoSilogismo
Silogismo
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Mulheres na História
Mulheres na HistóriaMulheres na História
Mulheres na História
 
Etnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismoEtnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismo
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
 
4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum 4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum
 
O que é etnocentrismo
O que é etnocentrismoO que é etnocentrismo
O que é etnocentrismo
 
Freud
FreudFreud
Freud
 

Destaque

2 ética
2 ética2 ética
2 ética
Erica Frau
 
6 metodo cientifico
6 metodo cientifico 6 metodo cientifico
6 metodo cientifico
Erica Frau
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles
Erica Frau
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
Over Lane
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
Marcela Marangon Ribeiro
 
7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado 7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado
Erica Frau
 
5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide
Erica Frau
 
Ética da educação slides
Ética da educação slidesÉtica da educação slides
Ética da educação slides
unieubra
 
A teoria ética de kant
A teoria ética de kantA teoria ética de kant
A teoria ética de kant
Luis De Sousa Rodrigues
 
éTica
éTicaéTica
A importância da moral nos dias de hoje
A importância da moral nos dias de hojeA importância da moral nos dias de hoje
A importância da moral nos dias de hoje
JMVSobreiro
 
Palestra christian
Palestra christianPalestra christian
Palestra christian
Erica Frau
 
Tutorial slide share
Tutorial slide shareTutorial slide share
Tutorial slide share
Erica Frau
 
Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15
Filosofia
 
Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22
Filosofia
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
Erica Frau
 
6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide
Erica Frau
 
As mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofiaAs mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofia
Erica Frau
 
Quadro de analise filosofando feito pelos pcn ps
Quadro de analise filosofando feito pelos pcn psQuadro de analise filosofando feito pelos pcn ps
Quadro de analise filosofando feito pelos pcn ps
Erica Frau
 
Eita manguaca
Eita manguacaEita manguaca
Eita manguaca
Mensagens Virtuais
 

Destaque (20)

2 ética
2 ética2 ética
2 ética
 
6 metodo cientifico
6 metodo cientifico 6 metodo cientifico
6 metodo cientifico
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado 7 cidadania publico e privado
7 cidadania publico e privado
 
5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide
 
Ética da educação slides
Ética da educação slidesÉtica da educação slides
Ética da educação slides
 
A teoria ética de kant
A teoria ética de kantA teoria ética de kant
A teoria ética de kant
 
éTica
éTicaéTica
éTica
 
A importância da moral nos dias de hoje
A importância da moral nos dias de hojeA importância da moral nos dias de hoje
A importância da moral nos dias de hoje
 
Palestra christian
Palestra christianPalestra christian
Palestra christian
 
Tutorial slide share
Tutorial slide shareTutorial slide share
Tutorial slide share
 
Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15Alegoria da Caverna 15
Alegoria da Caverna 15
 
Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22Alegoria da Caverna 22
Alegoria da Caverna 22
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
 
6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide
 
As mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofiaAs mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofia
 
Quadro de analise filosofando feito pelos pcn ps
Quadro de analise filosofando feito pelos pcn psQuadro de analise filosofando feito pelos pcn ps
Quadro de analise filosofando feito pelos pcn ps
 
Eita manguaca
Eita manguacaEita manguaca
Eita manguaca
 

Semelhante a 5 construção do sujeito moral

Texto24 P7
Texto24 P7Texto24 P7
Texto24 P7
renatotf
 
Ética e Cidadania: Compromisso Social
Ética e Cidadania: Compromisso SocialÉtica e Cidadania: Compromisso Social
Ética e Cidadania: Compromisso Social
Maria Deuza dos Santos
 
A existencia etica
A existencia eticaA existencia etica
A existência ética
A existência éticaA existência ética
A existência ética
Allan Soares
 
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional  (1ª e 2ª aula) turma gbaÉtica profissional  (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
Gis Viana de Brito
 
Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_
Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_
Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_
1245669
 
Aula 03. Ética e Moral no cenário at.pdf
Aula 03. Ética e Moral no cenário at.pdfAula 03. Ética e Moral no cenário at.pdf
Aula 03. Ética e Moral no cenário at.pdf
anailsonalves2017
 
fundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptxfundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptx
JessiellyGuimares
 
18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx
18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx
18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx
Rafael Monteiro Moyses
 
Código de ética servidor decreto 1.171 94 - comentado
Código de ética servidor decreto 1.171 94 - comentadoCódigo de ética servidor decreto 1.171 94 - comentado
Código de ética servidor decreto 1.171 94 - comentado
André Luís Melo de Oliveira
 
Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94
Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94
Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94
rosanatal1
 
A enfermeira.pdf
A enfermeira.pdfA enfermeira.pdf
A enfermeira.pdf
WILSONNUNES20
 
Entre o bem e o mal
Entre o bem e o malEntre o bem e o mal
Entre o bem e o mal
Professor de História
 
Filosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro anoFilosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro ano
Fabio Santos
 
Escolhas emocionais para uma vida feliz!
Escolhas emocionais para uma vida feliz!Escolhas emocionais para uma vida feliz!
Escolhas emocionais para uma vida feliz!
Leonardo Pereira
 
Papel das decisões.
Papel das decisões.Papel das decisões.
Papel das decisões.
Rik Viana
 
Apontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºano
Apontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºanoApontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºano
Apontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºano
Escola Básica e Secundária Tomás de Borba
 
Inteligência Emocional-workshop.pptx
Inteligência Emocional-workshop.pptxInteligência Emocional-workshop.pptx
Inteligência Emocional-workshop.pptx
ssuser103ff9
 
Apontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºanoApontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºano
Escola Básica e Secundária Tomás de Borba
 
Cruzadinha de Filosofia - Ética
Cruzadinha de Filosofia - Ética Cruzadinha de Filosofia - Ética
Cruzadinha de Filosofia - Ética
Mary Alvarenga
 

Semelhante a 5 construção do sujeito moral (20)

Texto24 P7
Texto24 P7Texto24 P7
Texto24 P7
 
Ética e Cidadania: Compromisso Social
Ética e Cidadania: Compromisso SocialÉtica e Cidadania: Compromisso Social
Ética e Cidadania: Compromisso Social
 
A existencia etica
A existencia eticaA existencia etica
A existencia etica
 
A existência ética
A existência éticaA existência ética
A existência ética
 
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional  (1ª e 2ª aula) turma gbaÉtica profissional  (1ª e 2ª aula) turma gba
Ética profissional (1ª e 2ª aula) turma gba
 
Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_
Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_
Filosofia 10 2015-16_-_a_dimensao_etico-politica_i_diapositivos_
 
Aula 03. Ética e Moral no cenário at.pdf
Aula 03. Ética e Moral no cenário at.pdfAula 03. Ética e Moral no cenário at.pdf
Aula 03. Ética e Moral no cenário at.pdf
 
fundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptxfundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptx
 
18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx
18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx
18 - Áreas do filosofar - 53. Ética e moral..pptx
 
Código de ética servidor decreto 1.171 94 - comentado
Código de ética servidor decreto 1.171 94 - comentadoCódigo de ética servidor decreto 1.171 94 - comentado
Código de ética servidor decreto 1.171 94 - comentado
 
Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94
Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94
Cdigodeticaservidordecreto1 1171 94
 
A enfermeira.pdf
A enfermeira.pdfA enfermeira.pdf
A enfermeira.pdf
 
Entre o bem e o mal
Entre o bem e o malEntre o bem e o mal
Entre o bem e o mal
 
Filosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro anoFilosofia apostila terceiro ano
Filosofia apostila terceiro ano
 
Escolhas emocionais para uma vida feliz!
Escolhas emocionais para uma vida feliz!Escolhas emocionais para uma vida feliz!
Escolhas emocionais para uma vida feliz!
 
Papel das decisões.
Papel das decisões.Papel das decisões.
Papel das decisões.
 
Apontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºano
Apontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºanoApontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºano
Apontamentos e Notas para o teste de Filosofia 10ºano
 
Inteligência Emocional-workshop.pptx
Inteligência Emocional-workshop.pptxInteligência Emocional-workshop.pptx
Inteligência Emocional-workshop.pptx
 
Apontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºanoApontamentos de filosofia 10ºano
Apontamentos de filosofia 10ºano
 
Cruzadinha de Filosofia - Ética
Cruzadinha de Filosofia - Ética Cruzadinha de Filosofia - Ética
Cruzadinha de Filosofia - Ética
 

Mais de Erica Frau

4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica
Erica Frau
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide
Erica Frau
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
Erica Frau
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
Erica Frau
 
7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei
Erica Frau
 
5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia 5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia
Erica Frau
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao
Erica Frau
 
2 o que é filosofia
2 o que é filosofia2 o que é filosofia
2 o que é filosofia
Erica Frau
 
1 - Ética
1 - Ética1 - Ética
1 - Ética
Erica Frau
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
Erica Frau
 
1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?
Erica Frau
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
Erica Frau
 
Plano de ensino 2
Plano de ensino 2Plano de ensino 2
Plano de ensino 2
Erica Frau
 
Plano de ensino
Plano de ensinoPlano de ensino
Plano de ensino
Erica Frau
 
Slides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofiaSlides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofia
Erica Frau
 
Situações de Aprendizagens
Situações de AprendizagensSituações de Aprendizagens
Situações de Aprendizagens
Erica Frau
 
Ok minha escola na câmara de vereadores – eu final
Ok minha escola na câmara de vereadores – eu finalOk minha escola na câmara de vereadores – eu final
Ok minha escola na câmara de vereadores – eu final
Erica Frau
 
Teatro p
Teatro pTeatro p
Teatro p
Erica Frau
 
Orientações e estrutura da sa marco aurelio
Orientações e estrutura da sa marco aurelioOrientações e estrutura da sa marco aurelio
Orientações e estrutura da sa marco aurelio
Erica Frau
 
Produção de minidocumentários 1
Produção de minidocumentários 1Produção de minidocumentários 1
Produção de minidocumentários 1
Erica Frau
 

Mais de Erica Frau (20)

4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica4 relacao entre moral e politica
4 relacao entre moral e politica
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
 
7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei
 
5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia 5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao
 
2 o que é filosofia
2 o que é filosofia2 o que é filosofia
2 o que é filosofia
 
1 - Ética
1 - Ética1 - Ética
1 - Ética
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
 
1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?1 - O que é filosofia?
1 - O que é filosofia?
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
 
Plano de ensino 2
Plano de ensino 2Plano de ensino 2
Plano de ensino 2
 
Plano de ensino
Plano de ensinoPlano de ensino
Plano de ensino
 
Slides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofiaSlides da Orientação técnica filosofia
Slides da Orientação técnica filosofia
 
Situações de Aprendizagens
Situações de AprendizagensSituações de Aprendizagens
Situações de Aprendizagens
 
Ok minha escola na câmara de vereadores – eu final
Ok minha escola na câmara de vereadores – eu finalOk minha escola na câmara de vereadores – eu final
Ok minha escola na câmara de vereadores – eu final
 
Teatro p
Teatro pTeatro p
Teatro p
 
Orientações e estrutura da sa marco aurelio
Orientações e estrutura da sa marco aurelioOrientações e estrutura da sa marco aurelio
Orientações e estrutura da sa marco aurelio
 
Produção de minidocumentários 1
Produção de minidocumentários 1Produção de minidocumentários 1
Produção de minidocumentários 1
 

Último

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 

Último (20)

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 

5 construção do sujeito moral

  • 4. Em muitas ocasiões, ficamos contentes e emocionados diante de uma pessoa cujas palavras e ações manifestam honestidade, honradez, espírito de justiça, altruísmo. Sentimos que há grandeza e dignidade nessa pessoa. Sentimos admiração por ela e desejamos imitá-la. Tais emoções e sentimentos exprimem nosso senso moral, isto é, a maneira como avaliamos a conduta e a ação de outras pessoas segundo ideias como as de mérito e grandeza de alma.
  • 5. Nossas dúvidas quanto à decisão a tomar não manifestam nosso senso moral, mas põe a prova nossa consciência moral. Pois exigem que decidamos, por nossa conta, o que fazer, que justifiquemos para nós mesmos e para os outros as razões de nossas decisões e que assumamos todas as consequências delas. Em outras palavras, a consciência moral não se limita aos nossos sentimentos morais, mas se refere também a avaliações de conduta que nos levam a tomar decisões por nós mesmos, a agir em conformidade com elas e a responder por elas perante os outros.
  • 6. SENSO MORAL E CONSCIÊNCIA MORAL REFEREM-SE A VALORES E SENTIMENTOS: ADMIRAÇÃO JUSTIÇA INTEGRIDADE GENEROSIDADE MEDO VERGONHA AMOR DÚVIDA HONRADEZ CULPA ESPÍRITO DE SACRIFÍCIO REMORÇO CÓLERA CONTENTAMENTO
  • 7. Os sentimentos e as ações, nascidos de uma opção entre o bom e o mau, ou entre o bem e o mal, também se referem a algo mais profundo e subentendido: nosso desejo de afastar a dor e o sofrimento e de alcançar a felicidade, seja por ficarmos contentes conosco mesmos, seja por recebermos a aprovação dos outros. Além disso, os sentimentos e as ações morais têm como pressuposto fundamental, a ideia de liberdade do agente.
  • 8. O senso moral e a consciência moral dizem respeito a valores, sentimentos, intenções, decisões e ações referidos ao bem e ao mal, ao desejo de felicidade e ao exercício da liberdade. Dizem respeito as relações que matemos com os outros e, portanto, nascem e existem como parte de nossa vida com outros agentes morais. O senso e a consciência morais são por isso constitutivos de nossa existência intersubjetiva, isto é, de nossas relações com outros sujeitos morais.
  • 9. O AGENTE MORAL O sujeito ético ou moral – ou seja, a pessoa moral – só pode existir se for:  consciente de si e dos outros,  dotado de vontade,  responsável,  livre,
  • 10. O AGENTE MORAL consciente de si e dos outros, isto é, capaz de refletir e de reconhecer a existência dos outros como sujeitos éticos iguais a si;
  • 11. O AGENTE MORAL dotado de vontade, isto é, de capacidade para controlar e orientar desejos, impulsos, tendências, sentimentos e de capacidade para deliberar e decidir entre várias alternativas possíveis.
  • 12. O AGENTE MORAL responsável, isto é, caso se reconheça como autor da ação e avalie os efeitos e as consequências dela sobre si e sobre os outros.
  • 13. O AGENTE MORAL livre, isto é, capaz de oferecer-se como causa interna de seus sentimentos, atitudes e ações, por não estar submetido a poderes externos que o forcem e o constranjam a sentir, a querer e a fazer alguma coisa.
  • 14. Após ter passado 27 anos preso por combater o apartheid (regime de segregação racial), Nelson Mandela se torna o primeiro presidente negro da África do Sul em, em 1994. “Eu faço tudo isso em nome dos princípios morais, segundo os quais não podemos abandonar aqueles que nos ajudaram nos momentos mais sombrios da história do nosso país.”
  • 15. Do ponto de vista do agente ou sujeito moral, a ética faz uma exigência essencial: a diferença entre passividade e atividade. Passivo é quem se deixa governar por seus impulsos, inclinações e paixões, pelas circunstâncias, pela boa ou má sorte, pela opinião alheia, pelo medo dos outros, não exercendo sua própria consciência, vontade, liberdade e responsabilidade.
  • 16. Ao contrário, é ativo, ou virtuoso aquele que controla seus impulsos, suas inclinações e suas paixões, discute consigo e com os outros o sentido dos valores e dos fins estabelecidos, indaga se devem e como devem ser respeitados ou transgredidos por outros valores e fins superiores aos existentes, avalia sua capacidade para dar a si mesmo as regras de conduta, consulta sua razão e sua vontade antes de agir, considera os outros sem subordinar-se nem submeter-se cegamente a eles, responde pelo que faz, julga suas próprias intenções e recusa a violência contra si e contra os outros. Em uma palavra, é autônomo.