SlideShare uma empresa Scribd logo
EMPIRISMO
CLEISSON – MATEUS – PEDRO - VINÍCIUS
FILOSOFIA
26T
INTRODUÇÃO
 Com esse trabalho pretendemos mostrar o que
é empirismo, seus principais defensores e no
que suas ideias se baseiam.
CONCEITO
 O empirismo é a escola do pensamento filosófico relacionada à teoria do
conhecimento, que pensa estar na experiência a origem de todas as
ideias
 Empirismo: empiria (experiência)
 ismo (sufixo que determina, entre outras coisas, uma corrente filosófica).
 Temos, assim, a “corrente filosófica da experiência”.
PRINCIPAL DEFENSOR
 John Locke (1632-1704), filósofo inglês. O empirismo defendido ficou
conhecido como empirismo britânico, e influenciou diversos filósofos.
 Locke defendeu que a experiência forma as ideias em nossa mente, no
seu livro Ensaio acerca do entendimento humano, de 1690.
 Na introdução, ele escreve que “só a experiência preenche o espírito
com ideias”. Para argumentar a favor, Locke critica o conceito de que já
existem ideias em nossa mente (ideias inatas).
 Ele procura demonstrar que qualquer ideia que temos não nasce
conosco, mas se inicia na experiência.
 A experiência, para Locke, não são as experiências de vida. Experiência
para ele são as nossas sensações (sentidos). Ouvimos, enxergamos,
tocamos, saboreamos e cheiramos. Cada um dos cinco sentidos leva
informações para o nosso cérebro.
 A razão tem a função de unir dados captados pelas nossas experiências.
Segundo Locke “nada pode existir na mente sem antes ter passado pelos
sentidos”.
 Quando nascemos não sabemos o que é uma maçã, mas formamos a
ideia de maçã a partir dos sentidos.
 Vemos a sua cor, sentimos o seu aroma, tocamos sua casca e mordemos
a fruta. Cada uma dessas sensações simples nos faz ter a ideia de maçã.
A partir da sensação, há a reflexão. Dessa forma, nossas ideias são um
reflexo daquilo que nossos sentidos perceberam do mundo.
 Para confirmar sua teoria, o filósofo inglês antecipa futuras críticas.
Entre as possibilidades de crítica, existe o argumento de que
somos capazes de ter ideias de coisas que nunca foram
percebidas pelos nossos sentidos.
 Locke argumenta contra este tipo de crítica, pois mesmo ideias
de seres mitológicos como sereias, unicórnios e faunos são apenas
junções de ideias que já tivemos anteriormente. Uma sereia é a
união da ideia de mulher e peixe. Não há nada nessas ideias que
não tenha sido conhecida previamente.
OUTROS DEFENSORES
 Depois de Locke, o empirismo britânico conheceu a reformulação feita
pelo irlandês George Berkeley (1685-1753).
 Para ele, o que conhecemos do mundo não é realmente o que o mundo
é. O mundo não é o que percebemos dele.
 Podemos perceber o mundo através dos sentidos, mas não conhecê-lo
de verdade.
 David Hume (1711-1776), natural de Edimburgo, Escócia.
 De acordo com Hume, só existe o que percebemos. Todas as relações que
fazemos entre o que conhecemos não são conhecimentos verdadeiros.
 Podemos conhecer uma bola e podemos conhecer um pé, porém se
chutamos uma bola não há nada que confirme que a bola se move porque
foi o pé que a moveu.
 Com isto, Hume critica as ciências, pois trabalham com a ideia de causa e
efeito. Essa relação de causalidade (causa-efeito) é uma relação entre ideias
e é, portanto, não verdadeira.
 Tudo o que pensamos ser verdadeiro, como a causa do movimento da bola, é
imaginação.
 Se o que sabemos vem da experiência e a experiência apenas nos informa um
pouco sobre como o mundo é, precisamos, de acordo com o empirismo, estar
atentos e críticos às falsas ideias que não podem ser verificadas pelos sentidos.
 O empirismo causou uma grande revolução na ciência, pois graças a essa
valorização da experiência e do conhecimento científico, o homem passou a
buscar resultados práticos, buscando o domínio da natureza. A partir do
empirismo surgiu a metodologia científica.
CONCLUSÃO
 Com este trabalho pode-se perceber que o
empirismo é uma corrente filosófica na qual o
conhecimento se dá através de experiências.
Nele existe a afirmação de que o homem é
como uma folha em branco, no qual as
experiências é que são responsáveis por dizer
qual serão as ideias desse homem, sua
personalidade e sua sabedoria.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofia da Ciência
Filosofia da CiênciaFilosofia da Ciência
Filosofia da Ciência
Cristopher Kennedy
 
Metafísica em aristóteles
Metafísica em aristótelesMetafísica em aristóteles
Metafísica em aristóteles
Hipotese Soluções Educacionais
 
Spinoza slides
Spinoza slidesSpinoza slides
Spinoza slides
chirlei ferreira
 
1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica
Daniele Rubim
 
Empirismo de Hume
Empirismo de HumeEmpirismo de Hume
Empirismo de Hume
Jorge Barbosa
 
Filosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas característicasFilosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas características
Alexandre Misturini
 
Trabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimentoTrabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimento
João Bastos
 
Kant. Conhecimento.
Kant. Conhecimento.Kant. Conhecimento.
Kant. Conhecimento.
António Daniel
 
Ppt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartesPpt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartes
AnaKlein1
 
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o RacionalismoAula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
William Ananias
 
Filosofia ciencia
Filosofia   cienciaFilosofia   ciencia
Filosofia ciencia
Marcela Marangon Ribeiro
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
Douglas Barreto
 
Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.
Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.
Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.
Manoelito Filho Soares
 
Teorias do conhecimento
Teorias do conhecimentoTeorias do conhecimento
Teorias do conhecimento
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Lógica filosófica
Lógica filosóficaLógica filosófica
Lógica filosófica
Italo Colares
 
4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum 4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum
Erica Frau
 
Teoria do conhecimento kant
Teoria do conhecimento   kantTeoria do conhecimento   kant
Teoria do conhecimento kant
João Paulo Rodrigues
 
Empirismo e racionalismo
Empirismo e racionalismoEmpirismo e racionalismo
Empirismo e racionalismo
Isabel Aguiar
 
Kant
KantKant

Mais procurados (20)

Filosofia da Ciência
Filosofia da CiênciaFilosofia da Ciência
Filosofia da Ciência
 
Metafísica em aristóteles
Metafísica em aristótelesMetafísica em aristóteles
Metafísica em aristóteles
 
Spinoza slides
Spinoza slidesSpinoza slides
Spinoza slides
 
1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica
 
Empirismo de Hume
Empirismo de HumeEmpirismo de Hume
Empirismo de Hume
 
Filosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas característicasFilosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas características
 
Trabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimentoTrabalho teoria do conhecimento
Trabalho teoria do conhecimento
 
Kant. Conhecimento.
Kant. Conhecimento.Kant. Conhecimento.
Kant. Conhecimento.
 
Ppt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartesPpt o racionalismo de descartes
Ppt o racionalismo de descartes
 
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o RacionalismoAula 07 - Descartes e o Racionalismo
Aula 07 - Descartes e o Racionalismo
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
 
Filosofia ciencia
Filosofia   cienciaFilosofia   ciencia
Filosofia ciencia
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
 
Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.
Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.
Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.
 
Teorias do conhecimento
Teorias do conhecimentoTeorias do conhecimento
Teorias do conhecimento
 
Lógica filosófica
Lógica filosóficaLógica filosófica
Lógica filosófica
 
4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum 4 filosofia e senso comum
4 filosofia e senso comum
 
Teoria do conhecimento kant
Teoria do conhecimento   kantTeoria do conhecimento   kant
Teoria do conhecimento kant
 
Empirismo e racionalismo
Empirismo e racionalismoEmpirismo e racionalismo
Empirismo e racionalismo
 
Kant
KantKant
Kant
 

Destaque

Racionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - FilosofiaRacionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - Filosofia
Carson Souza
 
O emprismo de David Hume
O emprismo de David HumeO emprismo de David Hume
O emprismo de David Hume
guest9578d1
 
Teorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David Hume
Teorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David HumeTeorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David Hume
Teorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David Hume
guest9578d1
 
Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar
Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho EscolarEmpirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar
Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar
Lizandra Dias
 
Racionalismo e empirismo
Racionalismo e empirismoRacionalismo e empirismo
Racionalismo e empirismo
Estácio Dourado
 
David hume e o Empirismo
David hume e o EmpirismoDavid hume e o Empirismo
David hume e o Empirismo
Joana Filipa Rodrigues
 
Empirismo
EmpirismoEmpirismo
Empirismo
Ana Bea Morales
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
Erica Frau
 
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em HumeMonografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Nilton Domingues
 
Empirismo
EmpirismoEmpirismo
Empirismo
Renata Camila
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
Erica Frau
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
Alexandre Misturini
 
O racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesianoO racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesiano
Joaquim Melro
 
Eça de Queirós vida e obra
Eça de Queirós vida e obraEça de Queirós vida e obra
Eça de Queirós vida e obra
Elisabete Silva
 
O empirismo de David Hume PTT
O empirismo de David Hume PTTO empirismo de David Hume PTT
O empirismo de David Hume PTT
Joaquim Melro
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
Helena Serrão
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
Joana Filipa Rodrigues
 
Teoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de DescartesTeoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de Descartes
Elisabete Silva
 
História da enfermagem
História da enfermagemHistória da enfermagem
História da enfermagem
Fernanda Marinho
 
O empirismo e o racionalismo
O empirismo e o racionalismoO empirismo e o racionalismo
O empirismo e o racionalismo
Joaquim Melro
 

Destaque (20)

Racionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - FilosofiaRacionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - Filosofia
 
O emprismo de David Hume
O emprismo de David HumeO emprismo de David Hume
O emprismo de David Hume
 
Teorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David Hume
Teorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David HumeTeorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David Hume
Teorias explicativas do conhecimento: O empirsmo de David Hume
 
Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar
Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho EscolarEmpirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar
Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar
 
Racionalismo e empirismo
Racionalismo e empirismoRacionalismo e empirismo
Racionalismo e empirismo
 
David hume e o Empirismo
David hume e o EmpirismoDavid hume e o Empirismo
David hume e o Empirismo
 
Empirismo
EmpirismoEmpirismo
Empirismo
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
 
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em HumeMonografia de Filosofia - Causalidade em Hume
Monografia de Filosofia - Causalidade em Hume
 
Empirismo
EmpirismoEmpirismo
Empirismo
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
 
O racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesianoO racionalismo cartesiano
O racionalismo cartesiano
 
Eça de Queirós vida e obra
Eça de Queirós vida e obraEça de Queirós vida e obra
Eça de Queirós vida e obra
 
O empirismo de David Hume PTT
O empirismo de David Hume PTTO empirismo de David Hume PTT
O empirismo de David Hume PTT
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
 
Teoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de DescartesTeoria racionalista de Descartes
Teoria racionalista de Descartes
 
História da enfermagem
História da enfermagemHistória da enfermagem
História da enfermagem
 
O empirismo e o racionalismo
O empirismo e o racionalismoO empirismo e o racionalismo
O empirismo e o racionalismo
 

Semelhante a Empirismo 26 tp

Empirismo 26 tp
Empirismo 26 tpEmpirismo 26 tp
Empirismo 26 tp
Alexandre Misturini
 
O empiritísmo
O empiritísmoO empiritísmo
O empiritísmo
Débora Borges
 
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICAFILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
AurelianoFerreirades2
 
Filosofia Moderna: Empirismo
Filosofia Moderna: EmpirismoFilosofia Moderna: Empirismo
Filosofia Moderna: Empirismo
Kely Cristina Metzker
 
A filosofia de john locke
A filosofia de john lockeA filosofia de john locke
A filosofia de john locke
Jorge Miklos
 
SLIDES_empirismo e racionalismo.ppt
SLIDES_empirismo e racionalismo.pptSLIDES_empirismo e racionalismo.ppt
SLIDES_empirismo e racionalismo.ppt
FernandoPilan4
 
Filosofos
FilosofosFilosofos
Filosofos
Antonio Justino
 
Teoria do conhecimento
Teoria do conhecimentoTeoria do conhecimento
Teoria do conhecimento
Linda Lopes
 
Francis bacon
Francis baconFrancis bacon
57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx
57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx
57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx
DANIELLEDEALMEIDAMEL1
 
56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx
56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx
56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx
DANIELLEDEALMEIDAMEL1
 
A teoria do conhecimento
A teoria do conhecimentoA teoria do conhecimento
A teoria do conhecimento
Paulo Gama
 
Estudo dirigido (3) de ética e filosofia na ci
Estudo dirigido (3) de ética e filosofia na ciEstudo dirigido (3) de ética e filosofia na ci
Estudo dirigido (3) de ética e filosofia na ci
Rita Gonçalves
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
Erica Frau
 
Slide filosofia
Slide filosofiaSlide filosofia
Slide filosofia
Alexandre Misturini
 
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docxATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
Elieidw
 
Trabalho de filosofia leonardo 21 mp
Trabalho de filosofia leonardo 21 mpTrabalho de filosofia leonardo 21 mp
Trabalho de filosofia leonardo 21 mp
alemisturini
 
Trabalho de Filosofia
Trabalho de Filosofia Trabalho de Filosofia
Trabalho de Filosofia
Laguat
 
TEORIAS DO CONHECIMENTO.pdf
TEORIAS DO CONHECIMENTO.pdfTEORIAS DO CONHECIMENTO.pdf
TEORIAS DO CONHECIMENTO.pdf
AnaClaraBorgesdaSilv
 
Empirismo.pptx.........,.....,..........
Empirismo.pptx.........,.....,..........Empirismo.pptx.........,.....,..........
Empirismo.pptx.........,.....,..........
lelolopes1111
 

Semelhante a Empirismo 26 tp (20)

Empirismo 26 tp
Empirismo 26 tpEmpirismo 26 tp
Empirismo 26 tp
 
O empiritísmo
O empiritísmoO empiritísmo
O empiritísmo
 
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICAFILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
 
Filosofia Moderna: Empirismo
Filosofia Moderna: EmpirismoFilosofia Moderna: Empirismo
Filosofia Moderna: Empirismo
 
A filosofia de john locke
A filosofia de john lockeA filosofia de john locke
A filosofia de john locke
 
SLIDES_empirismo e racionalismo.ppt
SLIDES_empirismo e racionalismo.pptSLIDES_empirismo e racionalismo.ppt
SLIDES_empirismo e racionalismo.ppt
 
Filosofos
FilosofosFilosofos
Filosofos
 
Teoria do conhecimento
Teoria do conhecimentoTeoria do conhecimento
Teoria do conhecimento
 
Francis bacon
Francis baconFrancis bacon
Francis bacon
 
57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx
57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx
57_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_II (1).pptx
 
56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx
56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx
56_aula_1ª_série_Filosofia_Empirismo_I.pptx
 
A teoria do conhecimento
A teoria do conhecimentoA teoria do conhecimento
A teoria do conhecimento
 
Estudo dirigido (3) de ética e filosofia na ci
Estudo dirigido (3) de ética e filosofia na ciEstudo dirigido (3) de ética e filosofia na ci
Estudo dirigido (3) de ética e filosofia na ci
 
2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento 2 teoria do conhecimento
2 teoria do conhecimento
 
Slide filosofia
Slide filosofiaSlide filosofia
Slide filosofia
 
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docxATIVIDADE DE FILOSOFIA  2.docx
ATIVIDADE DE FILOSOFIA 2.docx
 
Trabalho de filosofia leonardo 21 mp
Trabalho de filosofia leonardo 21 mpTrabalho de filosofia leonardo 21 mp
Trabalho de filosofia leonardo 21 mp
 
Trabalho de Filosofia
Trabalho de Filosofia Trabalho de Filosofia
Trabalho de Filosofia
 
TEORIAS DO CONHECIMENTO.pdf
TEORIAS DO CONHECIMENTO.pdfTEORIAS DO CONHECIMENTO.pdf
TEORIAS DO CONHECIMENTO.pdf
 
Empirismo.pptx.........,.....,..........
Empirismo.pptx.........,.....,..........Empirismo.pptx.........,.....,..........
Empirismo.pptx.........,.....,..........
 

Mais de Alexandre Misturini

Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Alexandre Misturini
 
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Alexandre Misturini
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
Alexandre Misturini
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
Alexandre Misturini
 
Política filo 33 mp
Política filo 33 mpPolítica filo 33 mp
Política filo 33 mp
Alexandre Misturini
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Alexandre Misturini
 
éTica
éTicaéTica
Modelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto socialModelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto social
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilianFilosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 npFilosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 np
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 npFilosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 np
Alexandre Misturini
 
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mpFilosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mp
Alexandre Misturini
 
Fslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mppppppFslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mpppppp
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24
Alexandre Misturini
 
Filo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptpFilo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptp
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24
Alexandre Misturini
 
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrísticaTrabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tpFilosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tp
Alexandre Misturini
 

Mais de Alexandre Misturini (20)

Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
 
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais  21032017 2 e 3 º anosReunião de pais  21032017 2 e 3 º anos
Reunião de pais 21032017 2 e 3 º anos
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
 
Reunião de pais 20032017 1º anos
Reunião de pais  20032017 1º anosReunião de pais  20032017 1º anos
Reunião de pais 20032017 1º anos
 
Política filo 33 mp
Política filo 33 mpPolítica filo 33 mp
Política filo 33 mp
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
 
éTica
éTicaéTica
éTica
 
Modelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto socialModelo de divulgação do projeto social
Modelo de divulgação do projeto social
 
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilianFilosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
Filosofia medieval sociologia e filosofia 27np fabricio e uilian
 
Filosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 npFilosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 np
 
Filosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 npFilosofia medieval 27 np
Filosofia medieval 27 np
 
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
(Bruna castro, gabrielle rohden e helen calza
 
Filosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mpFilosofia medieval julia 22mp
Filosofia medieval julia 22mp
 
Fslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mppppppFslide de filo 22mpppppp
Fslide de filo 22mpppppp
 
Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24Filosofia medieval 01 pimel 24
Filosofia medieval 01 pimel 24
 
Filo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptpFilo 02 26tptptptp
Filo 02 26tptptptp
 
Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24Filosofia medieval 24
Filosofia medieval 24
 
Trabalho ética 15 tp
Trabalho ética 15 tpTrabalho ética 15 tp
Trabalho ética 15 tp
 
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrísticaTrabalho 26 tp   mateus e pedro - escolástica e patrística
Trabalho 26 tp mateus e pedro - escolástica e patrística
 
Filosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tpFilosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tp
 

Último

Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

Empirismo 26 tp

  • 1. EMPIRISMO CLEISSON – MATEUS – PEDRO - VINÍCIUS FILOSOFIA 26T
  • 2. INTRODUÇÃO  Com esse trabalho pretendemos mostrar o que é empirismo, seus principais defensores e no que suas ideias se baseiam.
  • 3. CONCEITO  O empirismo é a escola do pensamento filosófico relacionada à teoria do conhecimento, que pensa estar na experiência a origem de todas as ideias  Empirismo: empiria (experiência)  ismo (sufixo que determina, entre outras coisas, uma corrente filosófica).  Temos, assim, a “corrente filosófica da experiência”.
  • 4. PRINCIPAL DEFENSOR  John Locke (1632-1704), filósofo inglês. O empirismo defendido ficou conhecido como empirismo britânico, e influenciou diversos filósofos.  Locke defendeu que a experiência forma as ideias em nossa mente, no seu livro Ensaio acerca do entendimento humano, de 1690.  Na introdução, ele escreve que “só a experiência preenche o espírito com ideias”. Para argumentar a favor, Locke critica o conceito de que já existem ideias em nossa mente (ideias inatas).  Ele procura demonstrar que qualquer ideia que temos não nasce conosco, mas se inicia na experiência.
  • 5.  A experiência, para Locke, não são as experiências de vida. Experiência para ele são as nossas sensações (sentidos). Ouvimos, enxergamos, tocamos, saboreamos e cheiramos. Cada um dos cinco sentidos leva informações para o nosso cérebro.  A razão tem a função de unir dados captados pelas nossas experiências. Segundo Locke “nada pode existir na mente sem antes ter passado pelos sentidos”.  Quando nascemos não sabemos o que é uma maçã, mas formamos a ideia de maçã a partir dos sentidos.  Vemos a sua cor, sentimos o seu aroma, tocamos sua casca e mordemos a fruta. Cada uma dessas sensações simples nos faz ter a ideia de maçã. A partir da sensação, há a reflexão. Dessa forma, nossas ideias são um reflexo daquilo que nossos sentidos perceberam do mundo.
  • 6.  Para confirmar sua teoria, o filósofo inglês antecipa futuras críticas. Entre as possibilidades de crítica, existe o argumento de que somos capazes de ter ideias de coisas que nunca foram percebidas pelos nossos sentidos.  Locke argumenta contra este tipo de crítica, pois mesmo ideias de seres mitológicos como sereias, unicórnios e faunos são apenas junções de ideias que já tivemos anteriormente. Uma sereia é a união da ideia de mulher e peixe. Não há nada nessas ideias que não tenha sido conhecida previamente.
  • 7. OUTROS DEFENSORES  Depois de Locke, o empirismo britânico conheceu a reformulação feita pelo irlandês George Berkeley (1685-1753).  Para ele, o que conhecemos do mundo não é realmente o que o mundo é. O mundo não é o que percebemos dele.  Podemos perceber o mundo através dos sentidos, mas não conhecê-lo de verdade.
  • 8.  David Hume (1711-1776), natural de Edimburgo, Escócia.  De acordo com Hume, só existe o que percebemos. Todas as relações que fazemos entre o que conhecemos não são conhecimentos verdadeiros.  Podemos conhecer uma bola e podemos conhecer um pé, porém se chutamos uma bola não há nada que confirme que a bola se move porque foi o pé que a moveu.  Com isto, Hume critica as ciências, pois trabalham com a ideia de causa e efeito. Essa relação de causalidade (causa-efeito) é uma relação entre ideias e é, portanto, não verdadeira.  Tudo o que pensamos ser verdadeiro, como a causa do movimento da bola, é imaginação.
  • 9.  Se o que sabemos vem da experiência e a experiência apenas nos informa um pouco sobre como o mundo é, precisamos, de acordo com o empirismo, estar atentos e críticos às falsas ideias que não podem ser verificadas pelos sentidos.  O empirismo causou uma grande revolução na ciência, pois graças a essa valorização da experiência e do conhecimento científico, o homem passou a buscar resultados práticos, buscando o domínio da natureza. A partir do empirismo surgiu a metodologia científica.
  • 10. CONCLUSÃO  Com este trabalho pode-se perceber que o empirismo é uma corrente filosófica na qual o conhecimento se dá através de experiências. Nele existe a afirmação de que o homem é como uma folha em branco, no qual as experiências é que são responsáveis por dizer qual serão as ideias desse homem, sua personalidade e sua sabedoria.