cidadania

2.188 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.188
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
92
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

cidadania

  1. 1. Construção da Cidadania Trabalho realizado por : Ana Gomes , nº3 Beatriz Félix , nº5 Juliana Rocha , nº8 Orlando Amaral , nº15
  2. 2. neste trabalho vamos abordar os seguintes tópiCos : Construção da Cidadania ; Convicção ; Tolerância ; Diálogo ; Conflitos Mundiais ; Exemplos .
  3. 3.  Podemos alcançar a tolerância?
  4. 4. Trata-se da certeza obtida por factos ou razões, que não deixamdúvida nem dão lugar a objecção.Exemplo de um argumento convincente:Sem olhar, a Beatriz tirou 95 bolas de um saco de 100. Das bolas quea Beatriz tirou, 95 eram vermelhas. Portanto, a próxima bola queBeatriz puxar para fora da bolsa será vermelha.A premissa da hipótese tornaria, realmente, a conclusão provável.Logo, o argumento é considerado convincente.
  5. 5. A tolerância designa um comportamento e um valor a que seatribui grande importância.Em termos gerais, entende-se por tolerância a aceitação , respeito econsideração pela diferença, ou seja, a capacidade e a disposiçãopara admitir nos outros maneiras de pensar e agir diferentes dasnossas e das quais podemos discordar.
  6. 6.  Diálogo é uma conversação estabelecida entre duas ou mais pessoas. Em termos filosóficos, primeiro em Sócrates, e depois em Platão, trata-se do processo de busca da verdade através de perguntas e respostas.
  7. 7.  Em contextos filosóficos a cidadania refere-se a um ideal normativosubstancial de pertença e participação numa comunidade politica.Ser um cidadão, neste sentido, é ser reconhecido como membrointegral e igual da sociedade, com direito de participar no processopolitico. Como tal, trata-se de um ideal distintamente democrático.
  8. 8.  Conflitos Religiosos Conflitos Étnico-Culturais Conflitos por Desigualdade de Direitos
  9. 9. Existe uma grande quantidade de religiões, cada uma com os seusensinamentos mas todas com uma finalidade comum: omelhoramento do indivíduo, baseando-se em princípios de paz,amor, tolerância e respeito. É, por isso, curioso o modo como areligião é responsável por tantos conflitos ao longo da História daHumanidade.Guerras entre diferentes religiõesSanta Inquisição;Guerras entre as mesmas religiõesGuerras entre xiitas e sunitas, ambos muçulmanos.
  10. 10. O nosso planeta sempre foi composto por diferentes raças ediferentes culturas, com diferentes valores. Embora os problemas domulticulturalismo não sejam de hoje, estes encontram-se agora maisevidentes do que nunca, sobretudo, devido à globalização.Desde a Antiguidade era comum discriminar aqueles que nãocorrespondessem aos normais padrões da sociedade.Quando surgiram os contactos com culturas muito diferentes, eramdiscriminados os povos mais fracos, que muitas vezes eram feitosescravos.
  11. 11. As discriminações também existiam no âmbito da religião porquecada Religião considerava que só as suas ideias eram as verdadeiras.Os Judeus, por exemplo, desde o início da sua existência, antes deCristo, se consideram o “povo escolhido” visto que crêem queDeus entregou a sua palavra ao seu povo e os encarregou de espalhara justiça pelo mundo.Estas ideias geraram polémicas entre os Judeus e outros povos, tendoo auge da polémica resultado na terrível 2ª Guerra Mundial, quevitimou grande parte desta comunidade.Os conflitos étnico-culturais, resultado da aversão e discriminação doque é diferente , traduzem-se numa série de problemas, como oracismo e a xenofobia.
  12. 12. A Declaração Universal dos Direitos Humanos, reformulada após a 2ªGuerra Mundial, é um documento de grande importância a nívelinternacional, pois representa uma valorização do indivíduo nasociedade, conferindo-lhe segurança e protecção, direitos e deveres.As violações dos direitos humanos manifestam-se através de atitudesracistas, xenófobas e sexistas. No entanto, existem também casos deviolações de direitos humanos que chegam a ser mais graves, como otráfico humano, a escravatura, entre outros.
  13. 13.  deve tolerar-se a esCravatura ? A escravatura é um fenómeno humano que se dá desde os primórdios da humanidade, e que consiste na prática social em que um ser humano tem direitos de propriedade sobre outro, considerado escravo. Surgiu devido à necessidade social de hierarquizar as comunidades. Várias civilizações, fizeram uso da escravatura e só após séculos e séculos sob o jugo desta prática tomaram consciência de que esta não era, nem moral, nem economicamente, viável, abolindo-a legal e oficialmente, sendo por isso óbvio que tal prática não deve nunca ser tolerada.
  14. 14.  deve tolerar se a tortura ? Tortura é a imposição de dor física ou psicológica por crueldade, intimidação, punição, para obtenção de uma confissão, informação ou simplesmente por prazer da pessoa que tortura. A tortura nunca deve ser tolerada, na medida em que promove a humilhação de alguém, e recorre a processos desnecessários e violentos.
  15. 15.  devem as leis tolerar a poligamia ? A poligamia refere-se ao casamento entre mais de duas pessoas, seja este casamento entre um homem e várias mulheres ou entre uma mulher e vários homens. Ainda que seja aceite por algumas religiões e pela Legislação de alguns países e possa oferecer algumas vantagens, tais como ajuda nas tarefas domésticas ou a possibilidade de dar um filho a alguém que não o poderia ter com outro parceiro, a poligamia não é facilmente aceite, pois promove o desrespeito entre as pessoas e a banalização do casamento e amor entre um casal.
  16. 16.  deve tolerar-se a produção e tráfiCo de droga ? Ainda que o consumo de droga seja um tema muito polémico, na medida em que muitos são a favor da sua legalização, a sua produção e tráfico não deve ser tolerada, pois trata-se de uma prática ilícita, punível por lei e o consumo de droga pode tornar-se num vício extremamente perigoso para a saúde, podendo até conduzir à morte do indivíduo em questão, sendo que muitas vezes atrai crianças e adolescentes, arruinando-lhes a vida.
  17. 17.  A opinião acerca da tolerância deve ser analisada com calma, pois todos nós aspiramos à liberdade mas exigimos, ao mesmo tempo, protecção em relação ao abuso que os outros fazem dela e consideramos necessário que existam limites. Todos sabemos que tolerar certos actos, como violações ou roubos, seria uma degradação da nossa integridade, no entanto, a perseguição a outros actos não tão graves poderia resultar num regime repressivo, pelo que não devemos perseguir absolutamente todo o mal. Algo semelhante poderia dizer-se acerca do álcool, da droga ou da prostituição. Em todos esses casos produz-se um conflito moral, de natureza muito diversa, e encontrar um equilíbrio adequado não é simples, mas pode avançar-se bastante ao analisar alguns princípios em torno da tolerância.
  18. 18.  É por isso necessário fazer uma avaliação moral e julgar-se, avaliando com a máxima ponderação possível, as consequências nefastas que surgem da não tolerância, comparando-as depois com as que seriam evitadas mediante a aceitação da fórmula tolerante. O fundamento último da tolerância, e o que justifica permitir o mal menor quando se poderia impedi-lo, é o dever universal e primário de praticar o bem e evitar o mal. Quando reprimir um erro comporta um mal maior, a tolerância está justificada e, em muitos casos, é inclusivé eticamente obrigatória. O que nunca seria lícito era praticar o mal para obter um bem, pois seria como dizer que o fim (bom) justifica os meios (maus). A tolerância não é praticar um mal menor para evitar um mal maior, nem praticar um mal pequeno para conseguir um bem grande: tolerar é não impedir o erro, o que não é o mesmo que cometê-lo.

×