O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

ÉTica e cidadania 2

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 69 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Semelhante a ÉTica e cidadania 2 (20)

Anúncio

Mais de Mariangela Santos (20)

ÉTica e cidadania 2

  1. 1.  O que você faria se fosse um político convidado a participar de um superfaturamento muito sigiloso, que ia lhe render alguns milhões?  Qual a sua atitude se te oferecessem a possibilidade de se livrar de uma multa por alguns trocados?  E se você tiver um amigo que trabalha num banco e lhe permite “furar a fila” ao invés de esperar pela sua vez?
  2. 2.  Estréia de um filme no cinema, você está na fila...  “Namorada de amigo meu para mim é... mais mulher ainda”.  Shopping lotado, você e seu pai esperam um carro sair da vaga e outro carro entra em seu lugar...
  3. 3. Veja estas tirinhas da Mafalda
  4. 4. O que estas três tirinhas tem em comum?
  5. 5. Vamos tentar entender a origem do problema...  Origem da Ética:  Ethos: Costume/índole natural,temperamento  Sócrates:  Reflexão racional sobre a ação (Oposição ao mito)  Virtude como fundamento para a convivência
  6. 6. ETHOS : Modo de ser, caráter, costume.
  7. 7. Ethos : morada do homem
  8. 8. A Ética para os antigos era:  Racionalista: A vida virtuosa é agir de acordo com a Razão, que conhece o bem, o desejo, e guia nossa vontade até ele;  Naturalista: A vida virtuosa é agir em conformidade com a natureza (o cosmos) e com nossa natureza (nosso ethos), que é parte do todo natural;  Ética e Política não se separam: A conduta do indivíduo e os valores da sociedade devem caminhar juntos, pois somente quando compartilhamos com os outros encontramos liberdade, justiça e felicidade.
  9. 9. O agir bem – O que torna uma ação boa? A Justiça – bem individual X bem comum A felicidade
  10. 10. Existem, pois, condicionantes internos (caráter) e externos (costumes) que determinam a conduta do indivíduo
  11. 11. Conjunto de regras, princípios e valores que determinam a conduta do indivíduo
  12. 12. ÉTICA MORAL Reflexão Ação
  13. 13. Instrumento fundamental para a instauração de um viver em conjunto Base para a construção do mundo político Condição necessária para a sobrevivência da espécie humana
  14. 14. ÉTICA E CIDADANIA CIDADÃO é uma pessoa capaz de criar ou transformar, com outros, a ordem social. É a quem cabe cumprir e proteger as leis que ele mesmo ajudou a criar.
  15. 15. EM TEMPOS DE MUDANÇAS É NECESSÁRIO REALIZAR O POSSÍVEL PARA TOCAR O IMPOSSÍVEL
  16. 16. Cidadania • Origem da política: – Palavra – instrumento de poder – Espaço público - polis • O Cidadão: – A Democracia – Participação ativa no poder (Isonomia ou igualdade perante a lei; Isocracia ou igualdade de acesso aos cargos públicos; Isegoria ou direito igualitário ao uso da palavra) – A Lei: • Fundamentação divina do poder • Fundamentação da lei (O cidadão é quem decide a lei)
  17. 17. •A palavra CIDADANIA é derivada de cidadão, que vem do latim civitas •Na Roma antiga, o conjunto de cidadãos que constituíam uma cidade era chamado de civitate •A cidade era a comunidade organizada politicamente. Era considerado CIDADÃO aquele que estava integrado na vida política da cidade.
  18. 18.  Hoje podemos definir cidadania como:  Um conjunto de direitos e liberdades políticas, sociais e econômicas, já estabelecidos ou não pela legislação  Exercício da CIDADANIA é a forma de fazer valer, com equilíbrio, os direitos já estabelecidos ou garantidos  A Promoção da CIDADANIA deve ser exercida(individual e socialmente) e os Direitos sociais repensados, com recuperada e aplicada deve ser a solidariedade, o respeito, a liberdade, ....
  19. 19. Relações entre Ética e Cidadania  Bem Comum  Cidadania é participar ativamente do Governo  Cidadão ético é aquele que preserva o bem comum  Público e privado  Política e Corrupção  Poder econômico X Democracia  Impunidade
  20. 20.  Como atuar de modo a garantir a conjugação entre ética e cidadania?  Como tornar plena a condição cidadã?  Como proteger o bem-comum da ação de indivíduos corruptos?
  21. 21. Contudo, a cidadania não nos é dada, ela é construída e conquistada a partir da nossa capacidade de organização, participação e intervenção social.
  22. 22. Construircidadania é também construir novas relações e consciências.
  23. 23. "Eleger a cidadania como eixo vertebrador da educação escolar". Sendo a cidadania o eixo vertebrador, significa então que toda a escola deve trabalhar a partir deste eixo, ou melhor, a escola deve ser pensada e reestruturada em função da cidadania do aluno.
  24. 24. Significaque vai valer mais a vida do que os livros, a transformação do que a reprodução, a criatividade do que a repetição, a criticidade do que a transmissão alienada de conhecimentos, o compromisso social do que a postura neutra e o comodismo, a abertura para a comunidade do que o isolamento.
  25. 25. Respeito mútuo – É a valorização de cada pessoa, independentemente de sua origem social, etnia, religião, sexo, opinião. Revelar seus conhecimentos, expressar sentimentos e emoções, admitir dúvidas sem ter medo de ser ridicularizado, exigir seus direitos são atitudes que compreendem respeito mútuo.
  26. 26. Justiça - num primeiro momento pode remeter à obediência às leis. Mas o conceito de justiça vai muito além disso. É a busca de igualdade de direitos e de oportunidades, o que pressupõe o julgamento do que é justo ou injusto. –
  27. 27. Solidariedade – É a expressão de respeito dos indivíduos uns pelos outros. Ser solidário é partilhar um sentimento de interdependência e tomar para si questões comuns. Solidariedade inclui desde a ajuda a um amigo até luta por um ideal coletivo da sociedade.
  28. 28.  LIVROS A História Social da Criança  Philipe Aries. Afiliada  Aprendendo a Ser e a Conviver  Margarida Serrão e Maria Clarice Baleeiro. FTD.  Aprendiz do Futuro - cidadania hoje e amanhã  Gilberto Dimenstaen. Ática. (série Discussão Aberta).  A Turma da Mônica em: O Estatuto da Criança e do Adolescente  MEC
  29. 29.  Cartografiasda cultura e da violência: gangues, galeras e o movimento hip hop  Glória Diógenes e Anna Blume.  Cidadania em Preto e Branco  Maria Aparecida Silva Bento, Ática. (série, Discussão Aberta).  Conversando sobre Ética e Sociedade  Jung Mo Sung e Jusué Cândido da Silva. Vozes.  Direitos Humanos e Cidadania  Dalmo de Abreu Dallari. Moderna. (col. Polêmica).
  30. 30.  Distintos Olhares da Cidadania  UNICEF.  Ética e Cidadania: caminhos da filosofia  Sílvio Gallo. Papirus.  Ética e Educação  Renato Caporali. Gryfus. (Educação em diálogo, vol. 1).  Ética Globalizada e Sociedade de Consumo  Júlio José Chiavenato. Moderna. (col. Polêmica).  Filosofando: introdução à filosofia  Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins. Moderna.
  31. 31.  Mais que uma Nova Lei, um Novo Olhar: pequena introdução ao novo direito da infância e da  juventude  Antônio Carlos Gomes da Costa. Instituto Ayrton Senna.  Manual de Direitos Humanos M.N.D.H.  Meninas da Noite  Gilberto Dimenstaen. Ática.  Missão Terra: o resgate do planeta  UNICEF
  32. 32.  Natal: O Menino Nasceu: oficina de leitura e vivência  Maria José Bacelar. M.N.M.M.R. . MA  O Cidadão de Papel: a infância, a adolescência e os direitos humanos no Brasil .  Gilberto Dimenstein. Ática. (série Discussão Aberta).  Oficinas Pedagógicas de Direitos Humanos  Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino, Maria de Fátima M. . Barbosa e  Andreá Gaspari Maciel. Vozes.  Os Adolescentes e a Lei  Mário Volpi e João Batista Costa Saraiva. UNICEF.  Para Filosofar  Cassiano Cordi et aUi. Scipione.  Que fazer: teoria e prática em educação popular  Paulo Freire e Adriana Nogueira. Vozes  Rompendo o Silêncio.  João de Jesus da Costa. CDMP.  Sair do Papel: cidadania em construção  UNICEF.  Se Liga no ECA  CEDCA - MA
  33. 33.  Sou Criança: Tenho Direitos: oficinas pedagógicas de direitos humanos  Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino, Maria da Consolação Lucinda e  Adélia M. Nehme Simão e Kolf. Vozes .  Tecendo Cidadania: oficinas pedagógicas de direitos humanos  Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino e Andreá Gaspari Maciel. Vozes.  Temas de Filosofia  Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins. Moderna.  Trabalho: história e tendências  Aurélio Eduardo do Nascimento e José Paulo Barbosa. Ática. (série Discussão Aberta).  Uma História da Criança  Ana Dourado e Cida Fernandez. CENDHEC.Violência e Cidadania no Brasil: 500 anos de exclusão  Regina Célia Pedroso. Ática. (série Discussão Aberta).
  34. 34.  A Guerra dos Meninos. Sandra Werneck.  As Meninas. MNMMR - PR  Central do Brasil. Walter Salles Júnior.  Chamada à Ação: combatendo o fracasso escolar no Nordeste. UNICEF Banco Mundial - MEC  Crianças Abandonadas. 2° Encontro Nacional do MNMMR.  Estatuto do Futuro. CECIP.  Ilha das Flores. Jorge Furtado.  O Estatuto Taí, Só Falta Cumprir. 3° Encontro Nacional do MNMMR.  O Menino Maluquinho. Halvécio Ratton.  O Município em Defesa da Infância e da Adolescência. UNICEF/CECIP  Profissão Criança. OIT  Quero Educação para Ser Cidadão. 4° Encontro Nacional do MNMMR.  Queremos Viver e não Sobreviver. 5° Encontro Nacional do MNMMR.  Sociedade dos Poetas Mortos. Peter Weir.  Uma Escola para Todos: em busca da cidadania. UNICEF
  35. 35.  Hoje pregam-se palavras e pensamentos, antigamente pregavam- se palavras e obras. Palavras sem obras são tiros sem balas; atroam, mas não ferem. O pregar que é falar, faz-se com a boca; o pregar que é semear faz- se com a mão.Para falar ao vento, bastam palavras; para falar ao coração, são necessárias obras".  Pe. Antônio Vieira
  36. 36. Infância “Faz o que eu digo, não o que eu faço.” Este conselho não surtirá qualquer efeito numa criança. Ela Fará o que viu fazer. E as relações entre o pai e a mãe serão o exemplo para as suas próprias relações íntimas no futuro. “O exemplo vem sempre de cima” (frase comum)
  37. 37. ÉTICA E CIDADANIA CIDADÃO é uma pessoa capaz de criar ou transformar, com outros, a ordem social. É a quem cabe cumprir e proteger as leis que ele mesmo ajudou a criar.
  38. 38. EM TEMPOS DE MUDANÇAS É NECESSÁRIO REALIZAR O POSSÍVEL PARA TOCAR O IMPOSSÍVEL
  39. 39. 7 COMPETÊNCIA S
  40. 40. DEFINIÇÃO COMPETÊNCIA : APTIDÃO – DOM CAPACIDADE DE MOBILIZAR CONHECIMENTOS PARA SATISFAZER A UM DETERMINADO FIM.
  41. 41. I PROVOCAR MUDANÇAS. FAZER EVOLUIR OS DISPOSITIVOS PARA LIDAR COM A
  42. 42. II ORGANIZAR E DIRIGIR SUA PRÓPRIA HISTÓRIA
  43. 43. O PODER DO ENTUSIASMO Há pessoas que ficam esperando a vida melhorar, o sucesso chegar, para depois se entusiasmarem. Jamais irão se entusiasmar com coisa alguma. O entusiasmo é que traz o sucesso.
  44. 44. III ADMINISTRAR PRÓPRIA FORMAÇÃO E ENRIQUECIMENTO CONTÍNUO. CONCEITOS E TECNOLOGIAS
  45. 45. IV ADMINISTRAR COM ENTUSIASMO OS VALORES NECESSÁRIOS AO BEM ESTAR DE SUA
  46. 46. VALORES: AINDA ACREDITO NELES?
  47. 47. V VIVENCIAR E SUPERAR CONFLITOS ÉTICOS DA PROFISSÃO
  48. 48. VI COMPROMISSO COM O APRENDIZADO DOS QUE ESTÃO À SUA VOLTA. Só não erra quem não faz!
  49. 49. VII APRENDER E ENSINAR A
  50. 50. PERCEPÇÃO
  51. 51. SOMENTE CONVIVENDO COM AS DIFERENÇAS, OBTEREMOS MELHORES RESULTADOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS.
  52. 52. NOSSOS DESAFIOS: • Aprender a CONHECER . • Aprender a FAZER . • Aprender a CONVIVER . • Aprender a SER . SER PARA
  53. 53. NENHUM DE NÓS É TÃO CAPAZ QUANTO TODOS NÓS. Warren Bennis CRENÇAS E VALORES
  54. 54. POSICIONAMENTO
  55. 55. Muitas vezes, o povo é egocêntrico, ilógico e insensato. Perdoe-o, assim mesmo. Se você é gentil, o povo pode acusá-la de egoísta e interesseira. Seja gentil, assim mesmo.
  56. 56. Se você for um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros. Vença, assim mesmo. Se você é honesto e franco, o povo pode enganá-lo. Seja honesto e franco, assim mesmo.
  57. 57. O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa, assim mesmo. Se você tem paz e é feliz, o povo pode sentir inveja. Seja feliz, assim mesmo.
  58. 58. O bem que você faz hoje, o povo pode Esquecê-lo amanhã. Faça o bem, assim mesmo. Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante. Dê o melhor de você, assim mesmo.
  59. 59. VEJA VOCÊ QUE, NO FIM DAS CONTAS, É ENTRE VOCÊ E DEUS. NUNCA FOI ENTRE VOCÊ E O POVO... Madre Teresa de Calcutá

Notas do Editor

  • Isonomia:

×