SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 69
   O que você faria se fosse um político convidado a
    participar de um superfaturamento muito sigiloso,
    que ia lhe render alguns milhões?

   Qual a sua atitude se te oferecessem a possibilidade
    de se livrar de uma multa por alguns trocados?

   E se você tiver um amigo que trabalha num banco e
    lhe permite “furar a fila” ao invés de esperar pela
    sua vez?
   Estréia de um filme no cinema, você está
    na fila...

   “Namorada de amigo meu para mim é...
    mais mulher ainda”.

   Shopping lotado, você e seu pai
    esperam um carro sair da vaga e outro
    carro entra em seu lugar...
Veja estas tirinhas da Mafalda
O que estas três tirinhas tem em
           comum?
Vamos tentar entender a origem do
                  problema...
 Origem da Ética:

   Ethos: Costume/índole natural,temperamento


   Sócrates:
   Reflexão racional sobre a ação (Oposição ao
    mito)
   Virtude como fundamento para a convivência
ETHOS : Modo de ser, caráter, costume.
Ethos : morada do
homem
A Ética para os antigos era:
 Racionalista: A vida virtuosa é agir de acordo com a
  Razão, que conhece o bem, o desejo, e guia nossa vontade
  até ele;

 Naturalista: A vida virtuosa é agir em conformidade com
  a natureza (o cosmos) e com nossa natureza (nosso
  ethos), que é parte do todo natural;

 Ética e Política não se separam: A conduta do indivíduo
  e os valores da sociedade devem caminhar juntos, pois
  somente quando compartilhamos com os outros
  encontramos liberdade, justiça e felicidade.
O   agir bem – O que torna uma ação boa?

A   Justiça – bem individual X bem comum

A   felicidade
Existem, pois,
condicionantes
internos (caráter) e
externos (costumes)
que determinam a
conduta do indivíduo
Conjunto de regras,
 princípios e valores que
determinam a conduta do
                indivíduo
ÉTICA      MORAL


Reflexão    Ação
Instrumento fundamental para a
 instauração de um viver em conjunto
Base  para a construção do mundo
 político
Condição necessária para a
 sobrevivência da espécie humana
ÉTICA E CIDADANIA
 CIDADÃO é uma pessoa
     capaz de criar ou
transformar, com outros,
      a ordem social.
 É a quem cabe cumprir e
  proteger as leis que ele
  mesmo ajudou a criar.
EM TEMPOS DE
    MUDANÇAS É
NECESSÁRIO REALIZAR
  O POSSÍVEL PARA
 TOCAR O IMPOSSÍVEL
Cidadania
• Origem da política:
  – Palavra – instrumento de poder
  – Espaço público - polis
• O Cidadão:
  – A Democracia – Participação ativa no poder
    (Isonomia ou igualdade perante a lei; Isocracia ou
    igualdade de acesso aos cargos públicos; Isegoria ou
    direito igualitário ao uso da palavra)
  – A Lei:
      • Fundamentação divina do poder
      • Fundamentação da lei (O cidadão é quem decide a lei)
•A   palavra CIDADANIA é derivada de
cidadão, que vem do latim civitas
•Na Roma antiga, o conjunto de cidadãos
que constituíam uma cidade era chamado
de civitate
•A cidade era a comunidade organizada
politicamente. Era considerado CIDADÃO
aquele que estava integrado na vida política
da cidade.
 Hoje  podemos definir cidadania como:
 Um conjunto de direitos e liberdades
  políticas, sociais e econômicas, já
  estabelecidos ou não pela legislação
 Exercício da CIDADANIA é a forma de fazer
  valer, com equilíbrio, os direitos já
  estabelecidos ou garantidos
 A Promoção da CIDADANIA deve ser
  exercida(individual e socialmente) e os
  Direitos sociais repensados, com recuperada
  e aplicada deve ser a solidariedade, o
  respeito, a liberdade, ....
Relações entre Ética e Cidadania
 Bem Comum
   Cidadania é participar ativamente do Governo
   Cidadão ético é aquele que preserva o bem comum
   Público e privado



 Política e Corrupção
   Poder econômico X Democracia
   Impunidade
 Como atuar de modo a garantir a
 conjugação entre ética e cidadania?

 Como   tornar plena a condição cidadã?

 Como proteger o bem-comum da ação
 de indivíduos corruptos?
Contudo, a cidadania não
nos é dada, ela é construída
e conquistada a partir da
nossa capacidade de
organização, participação e
intervenção social.
Construircidadania
é também construir
novas relações e
consciências.
"Eleger  a cidadania como eixo
 vertebrador da educação
 escolar". Sendo a cidadania o
 eixo vertebrador, significa então
 que toda a escola deve trabalhar
 a partir deste eixo, ou melhor, a
 escola
deve ser pensada e reestruturada
 em função da cidadania do aluno.
Significaque vai valer mais a vida
 do que os livros, a transformação do
 que a reprodução, a criatividade do
 que a repetição, a criticidade do que
 a transmissão alienada de
 conhecimentos, o compromisso
 social do que a postura
 neutra e o comodismo, a abertura
 para a comunidade do que o
 isolamento.
Respeito  mútuo – É a valorização
 de cada pessoa,
 independentemente de sua
 origem social, etnia, religião,
 sexo, opinião. Revelar seus
 conhecimentos, expressar
 sentimentos e emoções, admitir
 dúvidas sem ter medo de ser
 ridicularizado, exigir seus
 direitos são atitudes que
 compreendem respeito mútuo.
Justiça - num primeiro momento
 pode remeter à obediência às
 leis. Mas o conceito de justiça
 vai muito além disso. É a
 busca de igualdade de
 direitos e de oportunidades, o
 que pressupõe o julgamento do
 que é justo ou injusto.
–
Solidariedade   – É a expressão
 de respeito dos indivíduos uns
 pelos outros. Ser solidário é
 partilhar um sentimento de
 interdependência e tomar para
 si questões comuns.
 Solidariedade inclui desde a
 ajuda a um amigo até luta por um
 ideal coletivo da sociedade.
 LIVROS
A  História Social da Criança
 Philipe Aries. Afiliada
 Aprendendo a Ser e a Conviver
 Margarida Serrão e Maria Clarice
  Baleeiro. FTD.
 Aprendiz do Futuro - cidadania hoje e
  amanhã
 Gilberto Dimenstaen. Ática. (série
  Discussão Aberta).
 A Turma da Mônica em: O Estatuto da
  Criança e do Adolescente
 MEC
 Cartografiasda cultura e da violência:
  gangues, galeras e o movimento hip hop
 Glória Diógenes e Anna Blume.
 Cidadania em Preto e Branco
 Maria Aparecida Silva Bento, Ática. (série,
  Discussão Aberta).
 Conversando sobre Ética e Sociedade
 Jung Mo Sung e Jusué Cândido da Silva.
  Vozes.
 Direitos Humanos e Cidadania
 Dalmo de Abreu Dallari. Moderna. (col.
  Polêmica).
 Distintos   Olhares da Cidadania
  UNICEF.
 Ética e Cidadania: caminhos da filosofia
 Sílvio Gallo. Papirus.
 Ética e Educação
 Renato Caporali. Gryfus. (Educação em
  diálogo, vol. 1).
 Ética Globalizada e Sociedade de Consumo
 Júlio José Chiavenato. Moderna. (col.
  Polêmica).
 Filosofando: introdução à filosofia
 Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria
  Helena Pires Martins. Moderna.
 Mais que uma Nova Lei, um Novo Olhar:
  pequena introdução ao novo direito da
  infância e da
 juventude
 Antônio Carlos Gomes da Costa. Instituto
  Ayrton Senna.
 Manual de Direitos Humanos M.N.D.H.
 Meninas da Noite
 Gilberto Dimenstaen. Ática.
 Missão Terra: o resgate do planeta
 UNICEF
   Natal: O Menino Nasceu: oficina de leitura e vivência
    Maria José Bacelar. M.N.M.M.R. . MA
   O Cidadão de Papel: a infância, a adolescência e os direitos
    humanos no Brasil .
   Gilberto Dimenstein. Ática. (série Discussão Aberta).
   Oficinas Pedagógicas de Direitos Humanos
   Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino,
    Maria de Fátima M. . Barbosa e
   Andreá Gaspari Maciel. Vozes.
   Os Adolescentes e a Lei
   Mário Volpi e João Batista Costa Saraiva. UNICEF.
   Para Filosofar
   Cassiano Cordi et aUi. Scipione.
   Que fazer: teoria e prática em educação popular
   Paulo Freire e Adriana Nogueira. Vozes
   Rompendo o Silêncio.
   João de Jesus da Costa. CDMP.
   Sair do Papel: cidadania em construção
   UNICEF.
   Se Liga no ECA
   CEDCA - MA
   Sou Criança: Tenho Direitos: oficinas pedagógicas de direitos
    humanos
   Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino,
    Maria da Consolação Lucinda e
   Adélia M. Nehme Simão e Kolf. Vozes .
   Tecendo Cidadania: oficinas pedagógicas de direitos humanos
   Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino e
    Andreá Gaspari Maciel. Vozes.
   Temas de Filosofia
   Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins.
    Moderna.
   Trabalho: história e tendências
   Aurélio Eduardo do Nascimento e José Paulo Barbosa. Ática. (série
    Discussão Aberta).
   Uma História da Criança
   Ana Dourado e Cida Fernandez. CENDHEC.Violência e Cidadania
    no Brasil: 500 anos de exclusão
   Regina Célia Pedroso. Ática. (série Discussão Aberta).
   A Guerra dos Meninos. Sandra Werneck.
   As Meninas. MNMMR - PR
   Central do Brasil. Walter Salles Júnior.
   Chamada à Ação: combatendo o fracasso escolar no Nordeste.
    UNICEF Banco Mundial - MEC
   Crianças Abandonadas. 2° Encontro Nacional do MNMMR.
   Estatuto do Futuro. CECIP.
   Ilha das Flores. Jorge Furtado.
   O Estatuto Taí, Só Falta Cumprir. 3° Encontro Nacional do MNMMR.
   O Menino Maluquinho. Halvécio Ratton.
   O Município em Defesa da Infância e da Adolescência.
    UNICEF/CECIP
   Profissão Criança. OIT
   Quero Educação para Ser Cidadão. 4° Encontro Nacional do
    MNMMR.
   Queremos Viver e não Sobreviver. 5° Encontro Nacional do MNMMR.
   Sociedade dos Poetas Mortos. Peter Weir.
   Uma Escola para Todos: em busca da cidadania. UNICEF
 Hoje    pregam-se       palavras     e
 pensamentos, antigamente pregavam-
 se palavras e obras. Palavras sem
 obras são tiros sem balas; atroam, mas
 não ferem. O pregar que é falar, faz-se
 com a boca; o pregar que é semear faz-
 se com a mão.Para falar ao vento,
 bastam palavras; para falar ao coração,
 são necessárias obras".
                             Pe. Antônio Vieira
Infância
“Faz o que eu digo, não o que eu faço.”
Este conselho não surtirá qualquer efeito numa
criança. Ela Fará o que viu fazer. E as relações
entre o pai e a mãe serão o exemplo para as suas
próprias relações íntimas no futuro.


                        “O exemplo vem sempre de cima”
                                          (frase comum)
ÉTICA E CIDADANIA
 CIDADÃO é uma pessoa
     capaz de criar ou
transformar, com outros,
      a ordem social.
 É a quem cabe cumprir e
  proteger as leis que ele
  mesmo ajudou a criar.
EM TEMPOS DE
    MUDANÇAS É
NECESSÁRIO REALIZAR
  O POSSÍVEL PARA
 TOCAR O IMPOSSÍVEL
7
COMPETÊNCIA
     S
DEFINIÇÃO

    COMPETÊNCIA :
      APTIDÃO – DOM
CAPACIDADE DE MOBILIZAR
  CONHECIMENTOS PARA
     SATISFAZER A UM
    DETERMINADO FIM.
I
   PROVOCAR
   MUDANÇAS.
FAZER EVOLUIR OS
DISPOSITIVOS PARA
   LIDAR COM A
II
ORGANIZAR
  E
  DIRIGIR SUA
    PRÓPRIA
    HISTÓRIA
O PODER DO
ENTUSIASMO

Há pessoas que ficam
esperando a vida melhorar, o
sucesso chegar, para depois se
entusiasmarem.
Jamais irão se entusiasmar
com coisa alguma.
O entusiasmo é que traz o
sucesso.
III
   ADMINISTRAR
PRÓPRIA FORMAÇÃO
E ENRIQUECIMENTO
    CONTÍNUO.
  CONCEITOS E
  TECNOLOGIAS
IV
ADMINISTRAR
     COM
ENTUSIASMO OS
   VALORES
 NECESSÁRIOS
 AO BEM ESTAR
    DE SUA
VALORES:
 AINDA
ACREDITO
 NELES?
V
VIVENCIAR E
  SUPERAR
 CONFLITOS
 ÉTICOS DA
 PROFISSÃO
VI
COMPROMISSO COM
  O APRENDIZADO
 DOS QUE ESTÃO À
    SUA VOLTA.
Só não erra quem não faz!
VII

 APRENDER
   E
ENSINAR
     A
PERCEPÇÃO
SOMENTE
CONVIVENDO
   COM AS
 DIFERENÇAS,
  OBTEREMOS
  MELHORES
 RESULTADOS
INDIVIDUAIS E
 COLETIVOS.
NOSSOS DESAFIOS:
•   Aprender a   CONHECER .
    • Aprender a   FAZER .
• Aprender a     CONVIVER .
      • Aprender a   SER .

         SER       PARA
NENHUM DE NÓS É TÃO
CAPAZ QUANTO TODOS NÓS.
        Warren Bennis




          CRENÇAS
             E
          VALORES
POSICIONAMENTO
Muitas vezes, o povo é egocêntrico,
ilógico e insensato.

Perdoe-o, assim mesmo.


  Se você é gentil, o povo pode acusá-la
  de egoísta e interesseira.

  Seja gentil, assim mesmo.
Se você for um vencedor, terá
  alguns falsos amigos e alguns
  inimigos verdadeiros.

  Vença, assim mesmo.
Se você é honesto e franco, o povo
pode enganá-lo.

Seja honesto e franco, assim mesmo.
O que você levou anos para construir,
  alguém pode destruir de uma hora
  para outra.
  Construa, assim mesmo.
Se você tem paz e é feliz, o povo pode
sentir inveja.

Seja feliz, assim mesmo.
O bem que você faz hoje, o povo pode
Esquecê-lo amanhã.

Faça o bem, assim mesmo.
  Dê ao mundo o melhor de você,
  mas isso pode nunca ser o
  bastante.
  Dê o melhor de você, assim
  mesmo.
VEJA VOCÊ QUE,
   NO FIM DAS
    CONTAS,
 É ENTRE VOCÊ E
      DEUS.
NUNCA FOI ENTRE
VOCÊ E O POVO...

          Madre Teresa de Calcutá

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Cidadania no brasil
Cidadania no brasilCidadania no brasil
Cidadania no brasil
 
Slide Ética e Moral
Slide Ética e MoralSlide Ética e Moral
Slide Ética e Moral
 
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOSINTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
 
Dia das mulheres
Dia das mulheresDia das mulheres
Dia das mulheres
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Ética e Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Ética e MoralSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Ética e Moral
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre Ética e Moral
 
O conceito e a importância da cultura digital
O conceito e a importância da cultura digitalO conceito e a importância da cultura digital
O conceito e a importância da cultura digital
 
Etica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de TrabalhoEtica no Ambiente de Trabalho
Etica no Ambiente de Trabalho
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em EquipeÉtica Profissional: Trabalho em Equipe
Ética Profissional: Trabalho em Equipe
 
Os Tipos de Conhecimento
Os Tipos de ConhecimentoOs Tipos de Conhecimento
Os Tipos de Conhecimento
 
Etica e cidadania lps
Etica e cidadania   lpsEtica e cidadania   lps
Etica e cidadania lps
 
O mundo do trabalho
O mundo do trabalhoO mundo do trabalho
O mundo do trabalho
 
Aula 1 Ética
Aula 1 ÉticaAula 1 Ética
Aula 1 Ética
 
Valores
ValoresValores
Valores
 
Breve conceito e histórico de direitos humanos slides
Breve conceito e histórico de direitos humanos   slidesBreve conceito e histórico de direitos humanos   slides
Breve conceito e histórico de direitos humanos slides
 
Politicas publicas
Politicas publicasPoliticas publicas
Politicas publicas
 
apresentação sobre ética
apresentação sobre ética apresentação sobre ética
apresentação sobre ética
 
Direitos e deveres
Direitos e deveresDireitos e deveres
Direitos e deveres
 
éTica e formação profissional
éTica e formação profissional   éTica e formação profissional
éTica e formação profissional
 

Semelhante a ÉTica e cidadania 2

Ética e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptxÉtica e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptxAnderson Cezar
 
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de JesusÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de JesusGilberto de Jesus
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaLuci Bonini
 
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoAULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaLuci Bonini
 
Ética: cidadania e direitos by Janaira Franca
Ética: cidadania e direitos by Janaira FrancaÉtica: cidadania e direitos by Janaira Franca
Ética: cidadania e direitos by Janaira FrancaProfa. Janaíra França
 
EducaçãO Para A Diversidade (Out09)
EducaçãO Para A Diversidade (Out09)EducaçãO Para A Diversidade (Out09)
EducaçãO Para A Diversidade (Out09)José Oliveira Junior
 
Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadaniaColegio GGE
 
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Delziene Jesus
 
Objeto de estudo da sociologia segundo durkheim
Objeto de estudo da sociologia segundo durkheimObjeto de estudo da sociologia segundo durkheim
Objeto de estudo da sociologia segundo durkheimJosé Soares Filho
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadedinicmax
 
caderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.ppt
caderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.pptcaderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.ppt
caderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.pptMarcosTerrinha
 
Cidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar CríticoCidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar CríticoKerol Brombal
 
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaBioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaFamília Cristã
 
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaBioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaFamília Cristã
 
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaBioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaFamília Cristã
 
Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008Lala Deheinzelin
 
C:\fakepath\eu e vii no da onu
C:\fakepath\eu e vii no da onuC:\fakepath\eu e vii no da onu
C:\fakepath\eu e vii no da onuleetiefeer
 

Semelhante a ÉTica e cidadania 2 (20)

Ética e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptxÉtica e cidadania.pptx
Ética e cidadania.pptx
 
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de JesusÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoAULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humana
 
Ética: cidadania e direitos by Janaira Franca
Ética: cidadania e direitos by Janaira FrancaÉtica: cidadania e direitos by Janaira Franca
Ética: cidadania e direitos by Janaira Franca
 
EducaçãO Para A Diversidade (Out09)
EducaçãO Para A Diversidade (Out09)EducaçãO Para A Diversidade (Out09)
EducaçãO Para A Diversidade (Out09)
 
Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadania
 
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
 
Objeto de estudo da sociologia segundo durkheim
Objeto de estudo da sociologia segundo durkheimObjeto de estudo da sociologia segundo durkheim
Objeto de estudo da sociologia segundo durkheim
 
Historia cidadania
Historia   cidadaniaHistoria   cidadania
Historia cidadania
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedade
 
caderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.ppt
caderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.pptcaderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.ppt
caderno-11-do-programa-nacional-de-fortalecimento-dos-conselhos-escolares.ppt
 
Cidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar CríticoCidadania - Pensar Crítico
Cidadania - Pensar Crítico
 
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaBioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
 
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaBioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
 
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humanaBioética, vulnerabilidade e dignidade humana
Bioética, vulnerabilidade e dignidade humana
 
Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008Ppt c cj cultura de paz, out 2008
Ppt c cj cultura de paz, out 2008
 
C:\fakepath\eu e vii no da onu
C:\fakepath\eu e vii no da onuC:\fakepath\eu e vii no da onu
C:\fakepath\eu e vii no da onu
 

Mais de Mariangela Santos

Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015Mariangela Santos
 
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015Mariangela Santos
 
Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015
Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015
Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015Mariangela Santos
 
Resolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leitura
Resolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leituraResolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leitura
Resolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leituraMariangela Santos
 
Tutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinho
Tutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinhoTutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinho
Tutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinhoMariangela Santos
 
Game da reforma ortográfica
Game da reforma ortográficaGame da reforma ortográfica
Game da reforma ortográficaMariangela Santos
 
Slide alunos revisado. Saerjinho.
Slide alunos revisado. Saerjinho.Slide alunos revisado. Saerjinho.
Slide alunos revisado. Saerjinho.Mariangela Santos
 
Caed saerjinho plano de ação 2014- campos
Caed  saerjinho   plano de ação 2014- camposCaed  saerjinho   plano de ação 2014- campos
Caed saerjinho plano de ação 2014- camposMariangela Santos
 
Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)
Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)
Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)Mariangela Santos
 
Carta da Terra para criancas Naia
Carta da Terra para criancas NaiaCarta da Terra para criancas Naia
Carta da Terra para criancas NaiaMariangela Santos
 
Slidshare para postar em blog
Slidshare para postar em blogSlidshare para postar em blog
Slidshare para postar em blogMariangela Santos
 
Fcteweb1etapa4mariangelaassantos.doc
Fcteweb1etapa4mariangelaassantos.docFcteweb1etapa4mariangelaassantos.doc
Fcteweb1etapa4mariangelaassantos.docMariangela Santos
 

Mais de Mariangela Santos (20)

Gabarito lp mt
Gabarito lp mtGabarito lp mt
Gabarito lp mt
 
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
 
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
Gabarito cn ch do Saerjinho 2015
 
Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015
Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015
Gabarito de MT e LP do Saerjinho 2015
 
Resolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leitura
Resolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leituraResolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leitura
Resolução seeduc nº 5248 de 23 de março de 2015 do quantitativos_tablets_leitura
 
Tutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinho
Tutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinhoTutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinho
Tutorial de acesso ao mapa de resultados do saerjinho
 
Tutorial writer
Tutorial writerTutorial writer
Tutorial writer
 
Game da reforma ortográfica
Game da reforma ortográficaGame da reforma ortográfica
Game da reforma ortográfica
 
Slide alunos revisado. Saerjinho.
Slide alunos revisado. Saerjinho.Slide alunos revisado. Saerjinho.
Slide alunos revisado. Saerjinho.
 
Caed saerjinho plano de ação 2014- campos
Caed  saerjinho   plano de ação 2014- camposCaed  saerjinho   plano de ação 2014- campos
Caed saerjinho plano de ação 2014- campos
 
Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)
Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)
Usando o chip da oi num smartphone wifi (1)
 
Oficina lousa parte2
Oficina lousa parte2Oficina lousa parte2
Oficina lousa parte2
 
Manual docenteonline2013
Manual docenteonline2013Manual docenteonline2013
Manual docenteonline2013
 
Carta da Terra para criancas Naia
Carta da Terra para criancas NaiaCarta da Terra para criancas Naia
Carta da Terra para criancas Naia
 
Slidshare para postar em blog
Slidshare para postar em blogSlidshare para postar em blog
Slidshare para postar em blog
 
Saerjinhomanualdiretor
SaerjinhomanualdiretorSaerjinhomanualdiretor
Saerjinhomanualdiretor
 
Fcteweb1etapa4mariangelaassantos.doc
Fcteweb1etapa4mariangelaassantos.docFcteweb1etapa4mariangelaassantos.doc
Fcteweb1etapa4mariangelaassantos.doc
 
Alcool
AlcoolAlcool
Alcool
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Escolas conectadas
Escolas conectadasEscolas conectadas
Escolas conectadas
 

ÉTica e cidadania 2

  • 1.
  • 2.
  • 3. O que você faria se fosse um político convidado a participar de um superfaturamento muito sigiloso, que ia lhe render alguns milhões?  Qual a sua atitude se te oferecessem a possibilidade de se livrar de uma multa por alguns trocados?  E se você tiver um amigo que trabalha num banco e lhe permite “furar a fila” ao invés de esperar pela sua vez?
  • 4. Estréia de um filme no cinema, você está na fila...  “Namorada de amigo meu para mim é... mais mulher ainda”.  Shopping lotado, você e seu pai esperam um carro sair da vaga e outro carro entra em seu lugar...
  • 5. Veja estas tirinhas da Mafalda
  • 6. O que estas três tirinhas tem em comum?
  • 7. Vamos tentar entender a origem do problema...  Origem da Ética:  Ethos: Costume/índole natural,temperamento  Sócrates:  Reflexão racional sobre a ação (Oposição ao mito)  Virtude como fundamento para a convivência
  • 8. ETHOS : Modo de ser, caráter, costume.
  • 9. Ethos : morada do homem
  • 10. A Ética para os antigos era:  Racionalista: A vida virtuosa é agir de acordo com a Razão, que conhece o bem, o desejo, e guia nossa vontade até ele;  Naturalista: A vida virtuosa é agir em conformidade com a natureza (o cosmos) e com nossa natureza (nosso ethos), que é parte do todo natural;  Ética e Política não se separam: A conduta do indivíduo e os valores da sociedade devem caminhar juntos, pois somente quando compartilhamos com os outros encontramos liberdade, justiça e felicidade.
  • 11.
  • 12. O agir bem – O que torna uma ação boa? A Justiça – bem individual X bem comum A felicidade
  • 13.
  • 14. Existem, pois, condicionantes internos (caráter) e externos (costumes) que determinam a conduta do indivíduo
  • 15. Conjunto de regras, princípios e valores que determinam a conduta do indivíduo
  • 16. ÉTICA MORAL Reflexão Ação
  • 17. Instrumento fundamental para a instauração de um viver em conjunto Base para a construção do mundo político Condição necessária para a sobrevivência da espécie humana
  • 18.
  • 19. ÉTICA E CIDADANIA CIDADÃO é uma pessoa capaz de criar ou transformar, com outros, a ordem social. É a quem cabe cumprir e proteger as leis que ele mesmo ajudou a criar.
  • 20. EM TEMPOS DE MUDANÇAS É NECESSÁRIO REALIZAR O POSSÍVEL PARA TOCAR O IMPOSSÍVEL
  • 21. Cidadania • Origem da política: – Palavra – instrumento de poder – Espaço público - polis • O Cidadão: – A Democracia – Participação ativa no poder (Isonomia ou igualdade perante a lei; Isocracia ou igualdade de acesso aos cargos públicos; Isegoria ou direito igualitário ao uso da palavra) – A Lei: • Fundamentação divina do poder • Fundamentação da lei (O cidadão é quem decide a lei)
  • 22. •A palavra CIDADANIA é derivada de cidadão, que vem do latim civitas •Na Roma antiga, o conjunto de cidadãos que constituíam uma cidade era chamado de civitate •A cidade era a comunidade organizada politicamente. Era considerado CIDADÃO aquele que estava integrado na vida política da cidade.
  • 23.  Hoje podemos definir cidadania como:  Um conjunto de direitos e liberdades políticas, sociais e econômicas, já estabelecidos ou não pela legislação  Exercício da CIDADANIA é a forma de fazer valer, com equilíbrio, os direitos já estabelecidos ou garantidos  A Promoção da CIDADANIA deve ser exercida(individual e socialmente) e os Direitos sociais repensados, com recuperada e aplicada deve ser a solidariedade, o respeito, a liberdade, ....
  • 24. Relações entre Ética e Cidadania  Bem Comum  Cidadania é participar ativamente do Governo  Cidadão ético é aquele que preserva o bem comum  Público e privado  Política e Corrupção  Poder econômico X Democracia  Impunidade
  • 25.  Como atuar de modo a garantir a conjugação entre ética e cidadania?  Como tornar plena a condição cidadã?  Como proteger o bem-comum da ação de indivíduos corruptos?
  • 26. Contudo, a cidadania não nos é dada, ela é construída e conquistada a partir da nossa capacidade de organização, participação e intervenção social.
  • 28. "Eleger a cidadania como eixo vertebrador da educação escolar". Sendo a cidadania o eixo vertebrador, significa então que toda a escola deve trabalhar a partir deste eixo, ou melhor, a escola deve ser pensada e reestruturada em função da cidadania do aluno.
  • 29.
  • 30. Significaque vai valer mais a vida do que os livros, a transformação do que a reprodução, a criatividade do que a repetição, a criticidade do que a transmissão alienada de conhecimentos, o compromisso social do que a postura neutra e o comodismo, a abertura para a comunidade do que o isolamento.
  • 31. Respeito mútuo – É a valorização de cada pessoa, independentemente de sua origem social, etnia, religião, sexo, opinião. Revelar seus conhecimentos, expressar sentimentos e emoções, admitir dúvidas sem ter medo de ser ridicularizado, exigir seus direitos são atitudes que compreendem respeito mútuo.
  • 32. Justiça - num primeiro momento pode remeter à obediência às leis. Mas o conceito de justiça vai muito além disso. É a busca de igualdade de direitos e de oportunidades, o que pressupõe o julgamento do que é justo ou injusto. –
  • 33. Solidariedade – É a expressão de respeito dos indivíduos uns pelos outros. Ser solidário é partilhar um sentimento de interdependência e tomar para si questões comuns. Solidariedade inclui desde a ajuda a um amigo até luta por um ideal coletivo da sociedade.
  • 34.
  • 35.  LIVROS A História Social da Criança  Philipe Aries. Afiliada  Aprendendo a Ser e a Conviver  Margarida Serrão e Maria Clarice Baleeiro. FTD.  Aprendiz do Futuro - cidadania hoje e amanhã  Gilberto Dimenstaen. Ática. (série Discussão Aberta).  A Turma da Mônica em: O Estatuto da Criança e do Adolescente  MEC
  • 36.  Cartografiasda cultura e da violência: gangues, galeras e o movimento hip hop  Glória Diógenes e Anna Blume.  Cidadania em Preto e Branco  Maria Aparecida Silva Bento, Ática. (série, Discussão Aberta).  Conversando sobre Ética e Sociedade  Jung Mo Sung e Jusué Cândido da Silva. Vozes.  Direitos Humanos e Cidadania  Dalmo de Abreu Dallari. Moderna. (col. Polêmica).
  • 37.  Distintos Olhares da Cidadania  UNICEF.  Ética e Cidadania: caminhos da filosofia  Sílvio Gallo. Papirus.  Ética e Educação  Renato Caporali. Gryfus. (Educação em diálogo, vol. 1).  Ética Globalizada e Sociedade de Consumo  Júlio José Chiavenato. Moderna. (col. Polêmica).  Filosofando: introdução à filosofia  Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins. Moderna.
  • 38.  Mais que uma Nova Lei, um Novo Olhar: pequena introdução ao novo direito da infância e da  juventude  Antônio Carlos Gomes da Costa. Instituto Ayrton Senna.  Manual de Direitos Humanos M.N.D.H.  Meninas da Noite  Gilberto Dimenstaen. Ática.  Missão Terra: o resgate do planeta  UNICEF
  • 39. Natal: O Menino Nasceu: oficina de leitura e vivência  Maria José Bacelar. M.N.M.M.R. . MA  O Cidadão de Papel: a infância, a adolescência e os direitos humanos no Brasil .  Gilberto Dimenstein. Ática. (série Discussão Aberta).  Oficinas Pedagógicas de Direitos Humanos  Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino, Maria de Fátima M. . Barbosa e  Andreá Gaspari Maciel. Vozes.  Os Adolescentes e a Lei  Mário Volpi e João Batista Costa Saraiva. UNICEF.  Para Filosofar  Cassiano Cordi et aUi. Scipione.  Que fazer: teoria e prática em educação popular  Paulo Freire e Adriana Nogueira. Vozes  Rompendo o Silêncio.  João de Jesus da Costa. CDMP.  Sair do Papel: cidadania em construção  UNICEF.  Se Liga no ECA  CEDCA - MA
  • 40. Sou Criança: Tenho Direitos: oficinas pedagógicas de direitos humanos  Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino, Maria da Consolação Lucinda e  Adélia M. Nehme Simão e Kolf. Vozes .  Tecendo Cidadania: oficinas pedagógicas de direitos humanos  Vera Maria Candau, Suzana Beatriz Sacarino, Martha Marandino e Andreá Gaspari Maciel. Vozes.  Temas de Filosofia  Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins. Moderna.  Trabalho: história e tendências  Aurélio Eduardo do Nascimento e José Paulo Barbosa. Ática. (série Discussão Aberta).  Uma História da Criança  Ana Dourado e Cida Fernandez. CENDHEC.Violência e Cidadania no Brasil: 500 anos de exclusão  Regina Célia Pedroso. Ática. (série Discussão Aberta).
  • 41. A Guerra dos Meninos. Sandra Werneck.  As Meninas. MNMMR - PR  Central do Brasil. Walter Salles Júnior.  Chamada à Ação: combatendo o fracasso escolar no Nordeste. UNICEF Banco Mundial - MEC  Crianças Abandonadas. 2° Encontro Nacional do MNMMR.  Estatuto do Futuro. CECIP.  Ilha das Flores. Jorge Furtado.  O Estatuto Taí, Só Falta Cumprir. 3° Encontro Nacional do MNMMR.  O Menino Maluquinho. Halvécio Ratton.  O Município em Defesa da Infância e da Adolescência. UNICEF/CECIP  Profissão Criança. OIT  Quero Educação para Ser Cidadão. 4° Encontro Nacional do MNMMR.  Queremos Viver e não Sobreviver. 5° Encontro Nacional do MNMMR.  Sociedade dos Poetas Mortos. Peter Weir.  Uma Escola para Todos: em busca da cidadania. UNICEF
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.  Hoje pregam-se palavras e pensamentos, antigamente pregavam- se palavras e obras. Palavras sem obras são tiros sem balas; atroam, mas não ferem. O pregar que é falar, faz-se com a boca; o pregar que é semear faz- se com a mão.Para falar ao vento, bastam palavras; para falar ao coração, são necessárias obras".  Pe. Antônio Vieira
  • 46. Infância “Faz o que eu digo, não o que eu faço.” Este conselho não surtirá qualquer efeito numa criança. Ela Fará o que viu fazer. E as relações entre o pai e a mãe serão o exemplo para as suas próprias relações íntimas no futuro. “O exemplo vem sempre de cima” (frase comum)
  • 47. ÉTICA E CIDADANIA CIDADÃO é uma pessoa capaz de criar ou transformar, com outros, a ordem social. É a quem cabe cumprir e proteger as leis que ele mesmo ajudou a criar.
  • 48. EM TEMPOS DE MUDANÇAS É NECESSÁRIO REALIZAR O POSSÍVEL PARA TOCAR O IMPOSSÍVEL
  • 50. DEFINIÇÃO COMPETÊNCIA : APTIDÃO – DOM CAPACIDADE DE MOBILIZAR CONHECIMENTOS PARA SATISFAZER A UM DETERMINADO FIM.
  • 51. I PROVOCAR MUDANÇAS. FAZER EVOLUIR OS DISPOSITIVOS PARA LIDAR COM A
  • 52. II ORGANIZAR E DIRIGIR SUA PRÓPRIA HISTÓRIA
  • 53. O PODER DO ENTUSIASMO Há pessoas que ficam esperando a vida melhorar, o sucesso chegar, para depois se entusiasmarem. Jamais irão se entusiasmar com coisa alguma. O entusiasmo é que traz o sucesso.
  • 54. III ADMINISTRAR PRÓPRIA FORMAÇÃO E ENRIQUECIMENTO CONTÍNUO. CONCEITOS E TECNOLOGIAS
  • 55. IV ADMINISTRAR COM ENTUSIASMO OS VALORES NECESSÁRIOS AO BEM ESTAR DE SUA
  • 57. V VIVENCIAR E SUPERAR CONFLITOS ÉTICOS DA PROFISSÃO
  • 58. VI COMPROMISSO COM O APRENDIZADO DOS QUE ESTÃO À SUA VOLTA. Só não erra quem não faz!
  • 59. VII APRENDER E ENSINAR A
  • 61. SOMENTE CONVIVENDO COM AS DIFERENÇAS, OBTEREMOS MELHORES RESULTADOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS.
  • 62. NOSSOS DESAFIOS: • Aprender a CONHECER . • Aprender a FAZER . • Aprender a CONVIVER . • Aprender a SER . SER PARA
  • 63. NENHUM DE NÓS É TÃO CAPAZ QUANTO TODOS NÓS. Warren Bennis CRENÇAS E VALORES
  • 65. Muitas vezes, o povo é egocêntrico, ilógico e insensato. Perdoe-o, assim mesmo. Se você é gentil, o povo pode acusá-la de egoísta e interesseira. Seja gentil, assim mesmo.
  • 66. Se você for um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros. Vença, assim mesmo. Se você é honesto e franco, o povo pode enganá-lo. Seja honesto e franco, assim mesmo.
  • 67. O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa, assim mesmo. Se você tem paz e é feliz, o povo pode sentir inveja. Seja feliz, assim mesmo.
  • 68. O bem que você faz hoje, o povo pode Esquecê-lo amanhã. Faça o bem, assim mesmo. Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante. Dê o melhor de você, assim mesmo.
  • 69. VEJA VOCÊ QUE, NO FIM DAS CONTAS, É ENTRE VOCÊ E DEUS. NUNCA FOI ENTRE VOCÊ E O POVO... Madre Teresa de Calcutá

Notas do Editor

  1. Isonomia: