Slides sobre TDAH

26.040 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.040
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
365
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
787
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides sobre TDAH

  1. 2. <ul><li>A característica básica deste transtorno é a falta de persistência em atividades que requeiram atenção. Essas crianças tentam fazer várias coisas ao mesmo tempo e além de não acabarem nada, deixam tudo desorganizado. Este problema incide mais sobre meninos do que sobre meninas, sendo detectável em torno dos cinco anos de idade, ou antes, na maioria das vezes. O diagnóstico fica mais fácil depois que a criança entra para a escola, porque aí a comparação com outras crianças é natural, evidenciando-se o comportamento diferente. Mesmo aquelas crianças consideradas muito inquietas antes de entrarem para o colégio, podem ficar comportadas e participativas; somente as crianças com algum transtorno não se adaptam. </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Características </li></ul><ul><li>Os três aspectos fundamentais são a desatenção, a hiperatividade e a impulsividade. A desatenção é caracterizada pela dificuldade de prestar atenção a detalhes ou errar por descuido em atividades escolares, dificuldade de manter a atenção mesmo nos jogos ou brincadeiras. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>A criança muitas vezes aparenta não escutar quando lhe dirigem a palavra, não seguir as instruções dadas e não terminar as tarefas propostas, dificuldade em organizar-se e evitação de atividades que exijam concentração, perda constantes de materiais próprios por distrair-se com facilidade perante estímulos alheios. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>A criança muitas vezes aparenta não escutar quando lhe dirigem a palavra, não seguir as instruções dadas e não terminar as tarefas propostas, dificuldade em organizar-se e evitação de atividades que exijam concentração, perda constantes de materiais próprios por distrair-se com facilidade perante estímulos alheios. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>A impulsividade caracteriza-se por dar respostas precipitadamente mesmo antes da pergunta ter sido completada, meter-se ou interromper as atividades dos outros e ter dificuldade de esperar a sua vez. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Crianças com déficit de atenção e hiperatividade costumam ser impulsivas e propensas a se acidentarem. Não tomam cuidado consigo mesmas nem com os outros, são socialmente desinibidas, sem reservas e despreocupadas quanto às normas sociais. Podem ser impopulares com outras crianças e acabam isoladas, sem se importarem aparentemente com isso. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Diagnóstico </li></ul><ul><li>O diagnóstico é estabelecido pela presença das características fundamentais tendo iniciado pelo menos antes dos sete anos de idade. Pelos critérios norte americanos são necessários no mínimo seis sintomas para a realização do diagnóstico, mas esse número está sendo revisto podendo vir a ser reduzido para cinco ou quatro sintomas uma vez que a intensidade de poucos sintomas muitas vezes é suficiente para causar prejuízos à criança. A organização mundial de saúde não especifica um número de sintomas para fazer o diagnóstico. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Tipos </li></ul><ul><li>Há três tipos classificados de transtorno de déficit de atenção com hiperatividade. </li></ul><ul><li>Predomínio de sintomas de atenção </li></ul><ul><li>Predomínio de sintomas de hiperatividade / impulsividade </li></ul><ul><li>Misto As crianças com predomínio de impulsividade e hiperatividade costumam ter mais problemas de socialização com outras crianças, justamente por serem mais agressivas do que as crianças com os outros dois tipos. O tipo misto apresenta mais a combinação com o transtorno oposicional desafiador, além deste apresentar maior prejuízo global de funcionamento. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Comorbidade </li></ul><ul><li>Os estudos mostram uma alta correlação do transtorno de déficit de atenção com os transtornos de conduta e oposicional desafiante, sendo que aproximadamente 30 a 50% das crianças com déficit de atenção com hiperatividade apresentam também esses outros diagnósticos. No Brasil foi encontrada uma taxa de comorbidade de 47,8%. Outros transtornos são também mais comuns nessas crianças, como depressivos que variam de 15 a 20% . De ansiedade em torno de 25% e transtornos de aprendizagem também 25% aproximadamente. Dentre os adolescentes com déficit de atenção há uma maior incidência de abuso de drogas principalmente quando adultos. Este fato provavelmente é dependente da ligação com transtornos de conduta uma vez que se sabe que há uma relação entre distúrbios de conduta na infância e abuso de drogas no adulto. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Tratamento </li></ul><ul><li>Há décadas os tratamentos veêm sendo pesquisados e por enquanto nada se mostrou superior a utilização de estimulantes. No Brasil apenas o metilfenidato é comercializado. Vale a pena aqui comentar o preconceito fortemente arraigado em nossa sociedade a respeito dessa medicação ou grupo farmacológico, principalmente por parte de não psiquiatras. Muitos pediatras criticam o uso do metilfenidato deixando os pais com severas dúvidas, impedindo o tratamento adequado e permitindo que prejuízos sócio-educacioais ocorram para a criança e sua família </li></ul>
  11. 12. <ul><li>O metildenidato deve ser usado na dose de 20 a 60mg por dia (0,3 a 1 mg/Kg de peso corporal), sendo a dose dividida em duas tomadas ao dia, uma pela manhã outra no almoço. O metilfenidato deve ser evitado antes dos seis anos de idade, pois como seu principal efeito colateral é a inibição do apetite, pode prejudicar a alimentação levando o paciente a perder altura. Após os seis anos de idade esse efeito é mitigado, mas um acompanhamento da curva de crescimento com o pediatra é recomendável. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico [1 ] , caracterizando-se como uma síndrome de conduta , tendo como sintoma primordial a atividade motora excessiva e o déficit de atenção(no entanto existe também o Distúrbio do déficit de atenção sem hiperatividade ). O transtorno nasce com o indivíduo e já aparece na primeira infância, quase sempre acompanhando o indivíduo por toda a sua vida. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Segundo Rohde e Benczick o TDAH é um problema de saúde mental que tem como características básicas a desatenção, a agitação (hiperatividade) e a impulsividade, podendo levar a dificuldades emocionais, de relacionamento, bem como a baixo desempenho escolar; podendo ser acompanhado de outros problemas de saúde mental . Os autores Rohde e Benczich, caracterizam o TDAH em dois grupos de sintomas . </li></ul>
  14. 15. <ul><li>A imagem da esquerda ilustra áreas de atividade cerebral de uma pessoa sem TDAH e a imagem da direita de uma pessoa com TDAH. Há certa controvérsia sobre o estudo do Dr. Alan Zametkin que produziu estas imagens, pois as crianças que fizeram parte do estudo tinham maioritariamente disfunções severas. </li></ul>
  15. 17. <ul><li>Sintomas relacionados à desatenção: </li></ul><ul><li>não prestar atenção a detalhes; </li></ul><ul><li>ter dificuldade para concentrar-se; </li></ul><ul><li>não prestar atenção ao que lhe é dito; </li></ul><ul><li>ter dificuldade em seguir regras e instruções; </li></ul><ul><li>desvia a atenção com outras atividades; </li></ul><ul><li>não terminar o que começa; </li></ul><ul><li>ser desorganizado; </li></ul>
  16. 18. <ul><li>evitar atividades que exijam um esforço mental continuado; </li></ul><ul><li>perder coisas importantes; </li></ul><ul><li>distrair-se facilmente com coisas alheias ao que está fazendo; </li></ul><ul><li>esquecer compromissos e tarefas. </li></ul><ul><li>Problemas financeiros, </li></ul><ul><li>Tarefas complexas se tornam entediantes e ficam esquecidas </li></ul><ul><li>Dificuldade em fazer planejamento de curto ou de longo prazo </li></ul>
  17. 19. <ul><li>Os sintomas relacionados à hiperatividade/impulsividade </li></ul><ul><li>ficar remexendo as mãos e/ou os pés quando sentado; </li></ul><ul><li>não permanecer sentado por muito tempo; </li></ul><ul><li>pular, correr excessivamente em situações inadequadas; </li></ul><ul><li>sensação interna de inquietude; </li></ul><ul><li>ser barulhento em atividades lúdicas; </li></ul>
  18. 20. <ul><li>ser muito agitado; </li></ul><ul><li>falar em demasia; </li></ul><ul><li>responder às perguntas antes de concluídas; </li></ul><ul><li>ter dificuldade de esperar sua vez; </li></ul><ul><li>intrometer-se em conversas ou jogos dos outros. </li></ul>
  19. 21. <ul><li>Para se diagnosticar um caso de TDAH é necessário que o indivíduo em questão apresente pelo menos seis dos sintomas de desatenção e/ou seis dos sintomas de hiperatividade; além disso os sintomas devem manifestar-se em pelo menos dois ambientes diferentes e por um período superior a seis meses. </li></ul>
  20. 22. <ul><li>Causas </li></ul><ul><li>As pesquisas têm apresentado como possíveis causas de TDAH a hereditariedade, problemas durante a gravidez ou no parto, exposição a determinadas substâncias ( chumbo ) ou problemas familiares como: um funcionamento familiar caótico, alto grau de discórdia conjugal, baixa instrução, famílias com baixo nível socio-econômico, ou famílias com apenas um dos pais. Famílias caracterizadas por alto grau de agressividade nas interações, podem contribuir para o aparecimento de comportamento agressivo ou de oposição desafiante nas crianças. </li></ul>

×